domingo, 29 de janeiro de 2012

Derrota merecida, arbitragem vergonhosa



Síntese

Foi um péssimo jogo, que nem a vontade demonstrada na segunda parte esbateu. Foi uma espécie de sequela do jogo com a AAC. Nesse perdemos a taça, hoje o campeonato. Tudo muito parecido, com um FCP pouco intenso, desconcentrado, pouco solidário e nada ambicioso. Colectiva e individualmente, foi um jogo mau. Que a arbitragem não desvie a atenção dos responsáveis para o principal: a qualidade do jogo, dos jogadores e da equipa técnica. Acho contra-indicado este julgamento público dos jogadores por VP, como se fossem os únicos responsáveis pelo descalabro. Viu-se que estava amargurado, mas é com aquela equipa que ele tem de trabalhar e, por isso, tem de saber partilhar os bons e os maus momentos.

O jogo

Primeira parte muito fraca do FCP. Pouca velocidade e intensidade, má circulação de bola, um remate apenas. Poucas vezes entrámos na área e quase todas foram invalidadas por foras de jogo, por faltas, erros e pouco jeito. Um remate de Alvaro que saiu por cima da trave e uma tentativa de emenda que Defour não foi capaz de realizar. Muito pouco. Não há qualquer destaque, tudo muito mau, incluindo Helton que foi mal batido no primeiro golo e infeliz na forma como sofreu o segundo, na marcação de uma grande penalidade. Por coincidência, perdeu o posto de capitão, que explicará o ar carrancudo que apresentou durante todo o jogo e, quiçá, alguma intranquilidade.

Na segunda parte se queríamos mudar alguma coisa, ficamo-nos pelas intenções, porque sofremos o terceiro golo logo na entrada. Depois tentámos de forma trapalhona, com pouca clarividência, quase sempre. Com Beluschi a manobrar, a equipa mexeu-se mais, lutou, rematou e procurou o golo. Houve vontade, criaram-se situações perigosas, marcou-se um golo e o guarda-redes adversário teve boas intervenções. Foi insuficiente e a reacção nem sequer chegou ao razoável. Mas, houve outra atitude. Danilo mostrou que ainda não está integrado e a fixação de Alvaro, como terceiro defesa, pareceu um erro, tanto mais quanto James esteve muito abaixo do seu nível e nunca desequilibrou. Dele, só registei um remate intencional. Escondeu-se demais.

Dos jogadores, acho que a mediocridade foi geral e apenas destaco pelo empenho, Varela, Maicon e Beluschi.

A Arbitragem

Não gosto de falar da arbitragem, mas confirmaram-se os piores receios. Não devemos esquecer nem a exibição da equipa do FCP, nem da arbitragem. Na minha perspectiva, foi uma das piores que tenho assistido. O critério na marcação das faltas, dos foras de jogo, das grandes penalidades, esteve à altura do Bruno, que apanhou este gostinho em Campo Maior, para não largar. É a sua paixão.

A SAD

Obviamente, que tendo sido muito crítico para os jogadores, VP não se pode isentar de responsabilidades no mau jogo e na impreparação da equipa para se bater com um adversário cujo perfil não contém qualquer mistério. Não esqueço este rodopio de entradas e saídas anunciadas, que corrói a coesão da equipa, num plantel que carece de mais qualidade e soluções credíveis para várias posições. Assim como a SAD recebe prémios quando a equipa ganha títulos, é bom que não se esqueça que esta época, com um orçamento recorde, a equipa nem ficou melhor apetrechada, como deixou ficar muitos insatisfeitos e não tapou alguns buracos existentes no plantel. E a saga continua.

Pensar no FCP que temos hoje e prepará-lo para as lutas de amanhã é o mais importante, sob pena de hipotecarmos o futuro, porque a época já o está, a partir deste jogo.

31 comentários:

jotajota disse...

Apesar do futebol apresentado não ter sido grande coisa, a vergonhosa arbitragem de B.Paixão foi determinante.
O flagrante penalti sobre Defour aos 24m foi nas barbas do árbitro.
A falta que origina o 1º golo não existiu.
O 2º golo foi precedido de claro fora de jogo desta vez nas barbas do fiscal de linha.
O penalti sobre Kleber foi claríssimo, ao contrário do que aqui alguém escreveu.
Se a equipa não estava a jogar bem , com uma arbitragem deste calibre, tudo se complicou ainda mais.
Depois daquilo a que assistimos na Feira, é claro que o campeonato está viciado. O insuspeito Rui Santos reconheceu há instantes o benefício do SLB ontem e ao longo da época.
Claro que tudo isto não pode servir para escamotear uma estranha gestão dos acontecimentos por parte da Sad, que se refletciu esta semana com as sucessivas notícias de entradas e saídas algumas sem lógica e que, espero enganar-me, revelam algum desnorte pouco habitual.
É urgente pôr o comboio nos carris e continuar a mostrar ao mundo a força do dragão.

O Porto é o maior, carago! disse...

É verdade que o FC Porto jogou mal, jogou apático, sem garra, sem conexão entre os sectores, sem eficácia atacante, etc. Os males desta equipa estão já mais do que identificados e amplamente discutidos. Mas não posso deixar de dizer que me revolta ver-vos afirmar que a derrota foi merecida depois de vermos um criminoso inclinar o campo em nosso desfavor. Estarão a ficar fracos ou moles?

Louro disse...

Fraude está a ser este campeonato, fomos gamados em Olhão e hoje em barcelos.A SAD come e cala , não há queixas no MAI, na LPF e aceita-se as nomeacoes deste ladrao para os jogos do Porto e de nao internacionais para os jogos dos milhafres.
Jogamos mal Ok, mas ontem os rivais nao jogaram melhor , tiveram um Varela amigo, um fiscal de linha ceguinho que tirou tres foras de jogo inexistentes aos ataques do Feirense e uma forma de apitar muito suspeita.
Alias , este campeonato esta entregue e nem que estivesse o Falcao na linha da frente que teríamos hipoteses.
Tem sido uma vergonha a forma como os arbitros apitam os jogos do FCP...Perguntem a qualquer adepto rival , qual o jogo em que fomos beneficiados para ver se eles se recordam!!!

nexus disse...

A equipa pode jogar mal, mas a verdade é que em Olhão e hoje o roubo foi determinante. Já quando o clube do regime joga mal... tem a ajudinha do costume.

Este ano parece evidente o favorecimento, e evidente que o campeonato está entregue.

buzico disse...

Derrota merecida... é como que diz. Se nos reportarmos apenas à exibição do FCP, então foi bem empregue por aquilo que (não) fizeram. Mas o jogo é bem mais do que isso, e a arbitragem foi absoultamente decisiva. Resumindo a apaixonante arbitragem do Xôr Bruno: 1.º golo do GV - na marcação de uma falta inventada (porque é que marcou falta do jogador do FCP?); 2.º golo - na sequência de um fora-de-jogo não assinalado; 3.º golo - duvidosa a posição do jogador do GV, mas dou o benfício da dúvida e é possível que esteja em linha; 2 penálties por marcar a favor do Porto (1 sobre Defour - com ou sem intenção, a falta é clara - e outro sobre Kleber - evidente toque no pé esquerdo). Ou seja, temos um resultado de 3-1 quando se calhar, e partindo do princípio que os penálties entravam, o resultado seria 1-3... Mesmo sem jogar nada o FCP foi prejudicado ao ponto de influenciar completamente o resultado. E ainda por cima o GV não teve qualquer outro remate à baliza, ou seja, se não tivesse marcado nestas 3 ocasiões... Viva a verdade desportiva! Eset jogo era muito importante, quer para aumentar a distância pontual, quer por uma questão de honra pois esatvamos perto de igualar um velho record, e com boas hipóteses de o superar...

Ah pois disse...

Dir-te-ão todos, ó Louro.

miguel_canada disse...

Em Portugal é assim... ao mínimo sinal de fraqueza, intranquilidade ou desnorte que o FCPorto transmita dispara automaticamente o andor ao SLB. Foi assim em 2004 e em 2010.
Esta época tudo saiu mal desde o debalde do Libras Boas e a escolha para o substituir. Foi a composição do plantel e equipa técnica, a gestão moral das tropas, as compras inexplicáveis e as vendas que não se conseguiram fazer, a não substituição do Falcao, os estranhos acordos com o Santos, as faltas de pagamentos ao Standard de Liège, etc.etc,etc. Tudo isto foi bem absorvido e compreendido pela maquina do andor vermelho que percebeu imediatamente que este ano era ano de romaria.
No fundo, no fundo... a culpa é nossa.

PS. Ainda faltara muito para esse vomito do Paixão se reformar? É mais um que não vai deixar saudades.

David Duarte disse...

Como é bom ver que esse sentimento de revolta passou para outros lados!

José Rodrigues disse...

Acho q o miguel_canada disse tudo... os abutres aproveitaram-se de fraquezas internas (no FCP) - para nao dizer autenticos "tiros nos pes" - para nos dar a estocada num momento decisivo.

PS - os adeptos do FCP sao mesmo muito pacificos. Nao fosse o caso, e ja' ha' muito tempo q alguem tinha acertado o passo a um Ricardo Costa e Bruno Paixao.

Mário Magalhães disse...

Tudo bem que revolta a arbitragem do Sr. Paixão, mas que grande parte da culpa também é nossa, existe coisas que não tem explicação como é o caso das atitudes dos jogadores em determinados jogos, quem acompanha a equipa vê isso ao longe notasse que não está com o treinador. O treinador além de não ter nas mãos a equipa também é fraco e ontem e em outros jogos isso é claro, não sabe ler o jogo, efectua substituições sem nexo algum, tem um discurso medíocre, enfim erros de casting da ADMINISTRAÇÃO DA SAD. Esses sim os maiores culpados de todos porque contrataram determinados jogadores, um treinador fraco, e fazem tudo a seu belo prazer, e enfim as coisas acontecem e nós falamos revoltamos-nos mas as coisas continuam iguais...

Pedro Reis disse...

Enquanto andarmos entretidos a apontar baterias aos árbitros, só no enganamos...
Eu acertava o passo não era ao Costa nem ao Paixão, era à Direcção do FCP, à equipa técnica e a alguns jogadores!
Mas nós os "treinadores/adeptos de bancada" não percebemos nada de futebol, não é senhor Presidente?
Não foi preciso mais de 1/2 duzia de jogos para pereceber que o treinador (e restante equipa técnica) não servia, mas o senhor acha que eles são optimos, talvez porque o ajudem a encobrir a ruinosa gestão económica e desportiva que tem feito esta época!
Haja coragem e chamem-se os bois pelos nomes.

P.S. Até podemos ter sido prejudicados, como já fomos beneficiados. É assim todas as épocas connosco e com os outros. Quando somos melhores, nada isso é obstáculo a que ganhemos.

José Rodrigues disse...

Temos um caso classico de ataques de abutres, e como ja' disse os abutres so' fazem mossa quando a vitima esta' delibitada - e e' inegavel q este FCP andava delibitado por culpas proprias.

Temos de facto q refectir sobre essas culpas proprias, sem duvida. No entanto nao podemos escamotear q a bicada final (e em grande estilo) foi dada pelos abutres, nao por nos proprios. Se nao fossem os abutres (e este fds foi o cumulo, havendo ja' ataques anteriores nos nossos jogos e nos do ben7ica) e APESAR dos tiros nos pes estariamos em 1o lugar; assim estamos arredados do titulo.

Pedro Reis disse...

Caro José Rodrigues,
Acho que boas e más arbitragens em jogos do FCP e do SLB acontecerão sempre e umas vezes beneficiam uns e outras vezes outros...
A verdade é que por exemplo o SLB reagiu logo (e bem) ao golo do Feirense e nós não reagimos ao golo do GV e eles continuaram a marcar. Erros em foras-de-jogo como os deste fim-de-semana ocorrem às dezenas, são lances "milimétricos". Eu não vou por aí...
Atente-se também na participação na CL de uma equipa e de outra...
A verdade é que desde o início da época que não andamos a jogar nada, temos problemas com jogadores que vêm, com outros que não sabemos se vão ou ficam, já percebemos rapidamente que o VP não é treinador para o FCP, mas parece que não se passa nada e que os adeptos é que não percebem nada de futebol...
Desculpem o desabafo, mas nestas alturas é bom mesmo é que percamos 3 jogos seguidos para ver se alguém acorda!

Pedro disse...

@Pedro Reis
"Acho que boas e más arbitragens em jogos do FCP e do SLB acontecerão sempre e umas vezes beneficiam uns e outras vezes outros..."

O problema é que esse ás vezes está mal aplicado. Este ano tem sido um roubo constante e sistemático. Diga-me um único jogo ganho pelo FCP com ajuda dos árbitros. Um único.

Agora diga-me quantos pontos já perdemos por más decisões, e quantos pontos ganhamos apesar das más arbitragens.

Agora faça o mesmo para o SLB, e diga-me se a sua frase faz sentido.

O jogar mal jamais pode ser desculpa para se ser roubado e a verdade é esta: Mesmo jogando mal Bruno Paixão foi decisivo no resultado.

Rui Anjos (Dragaopentacampeao) disse...

Com ou sem Paixão, quem joga assim tão mal não merece ser campeão.

Quando é que esta equipa cresce e se mostra uma verdadeira candidata?

A culpa é de todos. dos jogadores, dos técnicos e da SAD.

Estamos a meio da época e ainda não foram corrigidos dois aspectos que surpreenderam os responsáveis. As fugas do treinador e do avançado.

Desde então, o FC Porto parece uma barata tonta! às vezes parece querer engrenar, como frente ao V. Guimarães, mas logo a seguir cai na mediocridade, que tem sido a imagem de marca desta equipa. Foi-se a Taça de Portugal, foi-se a Champions e a jogar assim Liga Europa, Campeonato e Taça Calabote Baptista não passarão de uma miragem.

Que pena!

Um abraço

InVicturioso disse...

Pergunto aos caros leitores do "Reflexão Portista" quantos dos que aqui afirmam que o Porto jogou mal viram o jogo do benfive contra o Feirense?

Pois eu vi eu jogo todo e posso afirmar com TODA a certeza que os galináceos não jogaram melhor que o Porto. A diferença foi que a eles anularam um golo limpo do adversário, a nós inventaram 2 uma falta e um penalty que deram 2 golos do adversário. Foi isto e mais nada, o resto é conversa.

JPM disse...

Resumo do jogo: nós jogámos sem paixão, e eles jogaram com o Paixão.

JPM disse...

Resumo do jogo: o Porto jogou sem paixão, o Gil jogou com o Paixão.

LC disse...

Se este tivesse sido um jogo "normal" eu estaria aqui a dizer:
Ganhamos e continuamos sem jogar absolutamente nada, não pressionamos, não massacramos, não fazemos uma jogada com cabeça/tronco e membros. Treinador complicado e jogadores sem espirito azul e branco. Direcção tal como o governo, não temos nada a ver com isto, não somos responsaveis por nada!!!
O problema é que este não foi um jogo "normal", foi um jogo arbitrado por um ladrão, e que ainda por cima rouba à descarada sem que ninguém o pressione durante o jogo, sem que ninguém tome uma medida drástica para nunca mais esse gatuno nos arbitre.
Uma falta inexistente dá origem ao 1º golo, um fora de jogo da origem ao 2º, não marca dois penaltis a nosso favor...amarelo ao samurai por se encostar a um jogador do Gil, etc etc.
Detesto o VP, acho-o incompetente mas ontem foi demasiado evidente o roubo deste larápio de preto.

Alexandre Burmester disse...

Época após época temos sido prejudicados pelas arbitragens. Isso não é novidade nenhuma. Mas já o Pedroto dizia que temos de ser muito melhores que os adversários para sermos campeões. Digamos que, para usar um termo do golf, eles têm um handicap. Mas a verdade é que esta época o Benfica tem, regra geral, jogado bem mais que nós, e terá até melhor equipa - e, sim, treinador! - que nós.

Sem ovos não se fazem omeletes. É fácil entrar-se numa de calimero, à Eduardo Barroso.

Pedro Reis disse...

O que vale é que agora contratámos um ponta-de-lança de excepção... Não pode é jogar na única competição em que ainda temos alguma hipótese, mas o que é que isso interessa???
E entretanto parece que emprestámos 2 médios "semi-titulares", sim emprestámos porque vender é mentira. É só dinheiro a sair, clubes ricos é assim!

Pedro disse...

Digamos que esta segunda-feira está a ser ainda pior que o dia de ontem...

Espero que estas noticias todas não estejam confirmadas: http://dragao1893.blogspot.com/

Marco Morais disse...

Alexandre Burmester, não que precise que lhe diga, mas, comentário certíssimo!

Dragaoatento disse...

Façanhas de escroques e quem não chora não mama!
E aconteceu assim para a posteridade. Com os dragões a serem espoliados de duas grandes penalidades, um golo validado precedido de fora de jogo e um penalti mais que duvidoso marcado contra o FC Porto!
Depois de duras críticas ao árbitro que prejudicou o Gil Vicente no jogo da Luz com os encarnados, António Fiúza fez jus ao seu nome ao reclamar um árbitro isento, entenda-se, favorável aos gilistas, para apitar o jogo em Barcelos contra o FC Porto. E o que é certo é que o actual patrão dos árbitros fez-lhe a vontade ao nomear o trafulha do Bruno Paixão sobejamente conhecido pela sua alergia ao azul e branco, para dirigir o jogo com o Gil Vicente. Depois o resultado está-se mesmo a ver, tinha que dar asneira da grossa para o lado dos portistas: foi o penalti duvidoso a favor do Gil marcado contra o FC Porto, por outro lado, fez vista grossa a duas grandes penalidades na área da equipa de Barcelos, que ele deliberadamente não quis ver, mais, validou o segundo golo dos visitados que foi precedido de fora de jogo, já para não falar da dualidade de critérios utilizado na amostragem dos cartões amarelos, intimidando nitidamente os azuis e brancos!
Quando o presidente do Gil Vicente, António Fiúza, lançou duras críticas ao árbitro Marco Ferreira no final do jogo frente ao Benfica, acusando-o mesmo de ter vacilado perante a pressão dos adeptos encarnados.... já estava a pensar em exigir um árbitro do género, mas agora de modo a inclinar o campo para o seu lado, a fim de ser compensado!
... António Fiúza expressou ainda o desejo de «ganhar ao FC Porto» na próxima jornada mas com «um árbitro isento». Claro, isento à boa maneira do Fiúza!

João disse...

Textos destes servem um único propósito - branquear o roubo. Estar a avaliar o que o Porto jogou ou deixou de jogar no contexto da fraude que foi a arbitragem de ontem é ridículo. Essa mentalidade do pobretes mas alegretes, o povo é sereno e temos que jogar sempre o dobro para vencer é o que tem dado carta branca ao Paixão, ao Ferreira, ao Duarte Gomes, ao Elmano, Xistra e restantes para fazerem o que fazem.

os retardadinhos aporcalhados dos galináceos inventaram "a Jarra". Hoje é das nossas melhores armas contra o Sistema (com S capital, o sistema de nomeações e principalmente de avaliações dos árbitros - onde prejudicar mesmo que dubiamente a agremiação já deu as piores notas de um campeonato (SLB vs. Nacional, Pedro Henriques) e roubos de catedral (jogo da playstation Benfica vs. Braga, Paulo Baptista) notas medianas bem acima dessa.) da Comissão de Arbitragem, estes animais como o Bruno Paixão têm que sentir na carteira e nas capas de jornal, senão vai ser sempre de "à descarada para cima".

miguel87 disse...

Por muito bem que o Gil jogasse e por muito mal que o Porto o fizesse, se não fosse a arbitragem que se viu o resultado era este??? O caralho que era! O resto é treta.

Podiam esperar que o Porto perdesse um jogo apenas por demérito próprio para continuarem a cruzada contra o treinador!

Alexandre Burmester disse...

Bruno Paixão apenas deitou umas achas para a fogueira desta época do F.C. Porto. É um árbitro incompetente, e com antipatias. Mas, antes das achas do Bruno Paixão, já outros, cuja missão é a de prevenir o incêndio, tinham começado a soprar nas brazas.

Quem quiser fazer figura de calimero que o faça. Eu não estou disponível para esse triste papel.

O Porto é o maior, carago! disse...

Que o Porto não anda a jogar bem já todos sabemos, mas não me venham com histórias. Ontem, com uma arbitragem isenta e competente, aquilo que a equipa fez seria suficiente para, pelo menos, chegar ao intervalo em vantagem, mas graças ao árbitro chegamos ao fim dos 45 minutos a perder por 2-0. Logo no início da 2ª parte houve mais um penalty que nos poderia ter relançado no jogo, mas mais uma vez o árbitro fez de conta que nada viu. Perante isto, qual é a equipa que não se deixa afectar na sua força anímica? Qual o jogador que não se deixa ir abaixo ao perceber que o seu esforço é inglório?
Há que saber separar as águas. Todos nós temos sido muito críticos em relação ao treinador e à forma deficiente como a época foi preparada, mas tal não implica que nos transformemos em anjinhos subservientes do regime, nem em parolos que comem e calam só porque não interessa ao lobby lisboeta que se fale na escandalosa arbitragem do Bruno "Calabote" Paixão. Concordo que não devemos permitir que as críticas aos árbitros desviem as nossas atenções dos problemas da equipa, mas aquilo que se passou ontem em Barcelos não foi apenas uma mera... "má arbitragem". Aquilo que se passou foi um assalto à mão armada, perpetrado por um criminoso que levava a lição bem estudada.
A escolha de Bruno Paixão para este jogo, só por si, levanta sérias suspeitas, pois se todos sabemos aquilo que este energúmeno já fez no passado, só por manifesta irresponsabilidade ou má fé o podem ter escolhido para vir arbitrar um jogo de um candidato ao título, numa das suas saídas mais complicadas e numa altura em que qualquer deslize pode ditar o adeus ao título. Não tenham dúvidas de que quem fez isto sabia o que estava a fazer.
O povo costuma dizer que quem não se sente não é filho de boa gente. Criticar a equipa, exigir mais qualidade, mais entrega, melhores exibições, melhores resultados, sim senhor! Mas calar perante esta afronta, nem pensar!

miguel87 disse...

Não se trata de ser calimero. Sou o primeiro a exigir que o Porto jogue sempre o suficiente para sair ileso das más arbitragens, mas ontem apenas "má arbitragem" não foi o caso.

Mantenho a questão: com as exibições das duas equipas e sem os "erros" do arbitro alguém acredita que o resultado era o mesmo?

mente disse...

Um dia mau, toda a gente tem. E um árbitro não é excepção. Só que o Bruno Caixão não teve um dia mau. Só alguém que age de má-fé, é que não marca aquele penalty claríssimo sobre o Defour. Um dia em grande, portanto. O Porto não mereceu ganhar, mas o Gil Vicente não fez melhor; o empate era o resultado justo.

Mefistófeles disse...

Também acho que uma coisa é ser exigente e crítico para com a nossa equipa e treinador, o que aliás todos temos sido. Mas daí a minimizar o roubo de igreja que foi esta ( expectável, diga-se) arbitragem, é de tenrinho. Basta conjugar esta arbitragem com a anterior na Feira e só quem acredita no Pai Natal é que ainda não percebeu que as coisas foram devidamente encomendadas.
Não é tudo mérito do mestre da táctica, tem havido empurrões decisivos, alguns até originais como o dos 3 penaltis assinalados por bolas na mão...

A César o que é de César: o slbosta deve a liderança ao mestre da táctica e ao Vitor Pereira...mas o dos árbitros.