terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Dor de (Dj)alma


A contratação de Djalma a custo zero (pelo menos o Marítimo não terá recebido qualquer verba), foi encarada por grande parte dos adeptos como sendo uma espécie de bofetada ao presidente do clube madeirense, devido aos problemas e declarações que este proferiu a propósito do caso Kléber. Nesse sentido, a expectativa inicial não era muita e, no arranque desta época, chegou a especular-se que o internacional angolano não iria ficar no plantel azul-e-branco (o FC Porto tem excesso de extremos) e seria emprestado após a pré-temporada.

Djalma acabou por ficar e, após o desastre de Coimbra para a Taça de Portugal, ganhou espaço dentro da equipa e passou a fazer parte do onze titular.
Que balanço se pode fazer das exibições de Djalma nesta série de jogos?

Pela positiva, o facto de ser um jogador esforçado, taticamente disciplinado e que funcionou como um bom apoio a Maicon nas tarefas defensivas. Mas isto chega para se fazer parte do trio de avançados de uma equipa com o nível e ambições do FC Porto?

De um avançado dos dragões eu espero que seja capaz de desequilibrar e ultrapassar as defesas contrárias, criar perigo e ter uma ação decisiva na marcação de golos. Ora, nos jogos que efetuou para o campeonato e Liga dos Campeões, quantos livres frontais, remates perigosos, assistências ou golos podem ser imputados a Djalma?
Por exemplo, no jogo de Alvalade, e apenas recorrendo à memória, eu respondo: zero!
E nos jogos anteriores também não me lembro que estes indicadores de ações ofensivas sejam muito melhores do que zero.

No final do jogo de Alvalade, Djalma saiu direto ao aeroporto, rumo a Angola e ao estágio da sua seleção de preparação para a CAN. Deste modo, nos próximos jogos do FC Porto, Vítor Pereira terá de obrigatoriamente reformular a composição do trio de ataque. Não sei qual vai ser a opção do treinador do FC Porto (Hulk à direita e Kleber no meio?) mas, para mim, é uma dor de alma ver de fora um jogador com a classe de James, o qual, mesmo não estando ao nível portentoso que apresentou no início da época, é sempre capaz de criar desequilíbrios e surgir em situação de finalização (não é Otamendi?).

3 comentários:

The Best Man... disse...

E se era para apostar num extremo para substituir Varela (que este ano de facto não exibe um décimo daquilo que apresentou a época passada), então que se apostasse em Iturbe e todos podíamos assistir ao crescimento do menino em campo...
Em vez disso pomos o Cebola no Mercado (na equipa, entenda-se) para ver se alguém morde o isco....Tal como na pré-época ninguém quer comprar um jogador q já HOJE pode assinar um compromisso com quem bem entender...
Mas eu também sou daqueles que não percebe nada de futebol e tenho de comer e calar...
Cumprimentos...

Francisco Vidal de Sousa disse...

Não temos um tridente atacante que possua , pelo menos, uma classe e eficácia semelhantes ao do ano anterior.
E isso faz toda a diferença. Maus investimentos no verão se calhar impedem a SAD de corrigir esse problema.

Miguel Pereira disse...

Que joguem Cristian e Djalma e não joguem James ou Iturbe só pode ser por questões internas de balneário porque não há nenhuma explicação táctica lógica que me convença diga VP o que disser...