sábado, 14 de janeiro de 2012

Haja talento que nos salve


Num campeonato onde apenas um par de equipas fazem cócegas ao duo candidato ao título, facilmente se percebe que o segredo para se chegar vitorioso à meta final está em quem menos desperdiçar pontos com adversários como este que FC Porto defrontou esta noite. Cumprido esse desígnio espectável, continuou a falhar a consolidação de construção de jogo colectiva. A perda de Hulk complicou as operações, mas James Rodriguez assumiu as vestes de figura de cartaz, decidindo o encontro com a classe que se lhe reconhece.

Pragmaticamente, o que assistimos hoje no Dragão nada mais foi que uma inalterada disfunção colectiva que tem sido timbre da nossa equipa ao longo da época. Um conjunto que continua longe de conseguir assumir uma posse de bola forte, capaz de arrebatar os adversários que se lhe deparam. A precisão de passe vai nas ruas da amargura, mercê de um atabalhoamento posicional a que os jogadores não conseguem disfarçar. O fio de jogo perde-se e, com ele, foge também a capacidade de a equipa se encontrar no entusiasmo e confiança que a catapulte a outros patamares.

Lirismo platónico, ou que lhe queiram chamar, não me é possível conceber o futebol sem um grupo forte e homogéneo, capaz de executar uma jogada que não morra ao fim de três míseros toques. Este Porto dá para enganar neste campeonato de trazer por casa - o 4º melhor do Mundo para aqueles padiolas das estatísticas -, mas que perecerá com estrondo quando alguns oponentes do mês vindouro nos encararem.



James Rodriguez foi o sacrossanto salvador numa clareira de ideias e de criatividade. Nem Hulk agora nos resta para, pelo menos, podermos suspirar dos seus pés algo que não roce a boçalidade geral. Exclua-se o dinamismo e a resistência sem fim de Álvaro Pereira ou a lisura de Fernando, tudo resto recolhe ao esquecimento num abrir e fechar de olhos.

Haja crença na evolução da nossa dinâmica de grupo, porque quando o virtuosismo de alguma das nossas individualidades falhar, ela não vai lá estar para nos salvar!

Fotos gentilmente rapinadas ao Maisfutebol

17 comentários:

InVicturioso disse...

Porque nao jogou de inicio em Alvalade este talento?

http://tresandaafutebol.blogspot.com/

Amphy disse...

Valham-nos os 3 pontos.

off topic:
Não consigo perceber como se pagam 18 milhões por um jogador, se deixa ficar mais seis meses no clube ao qual se pagou a pipa de massa e no final de contas esse clube ainda exige receber mais um jogador à borla (Fucile) à troca do certificado internacional do jogador que em principio já foi pago. Das duas uma, ou se falhou neste último ponto (pagamento) ou estamos a ser comidos por lorpas e somos mansos ao máximo. Se se falhou no pagamento lá se confirma que esta época estamos a ter mais fome que barriga. Digo estamos, mas se calhar devia dizer: estão.

Será que não dá para anular este contrato?

E o moço dos 9 milhões e tal? Só aquece o banco? Sei que o Álvaro joga bem, mas 9 milhões para aquecer o banco? Até eu fazia o mesmo e mais barato.

Mário Faria disse...

Estou de acordo que continuou a faltar consolidação de jogo ao FCP, que o jogo não flui de forma harmoniosa e corre aos repelões, demasiadas vezes. Daí a concluir que excepção a James, Alvaro e Fernando tudo o resto roçou a boçalidade, é uma forma de apreciação do trabalho dos jogadores e de quem os comanda (a quem cabe muita da responsabilidade por essa ausência de um ritmo de jogo que deveria já estar assimilado) com a qual não me identifico, porque acho excessivo e pouco próprio de sair num escrito portista.

Amphy disse...

Onde se lê "mais fome que barriga" deveria ler-se "mais olhos que barriga"...

Pedro disse...

http://esporte.ig.com.br/futebol/contrato-obriga-santos-a-liberar-danilo-e-deixa-porto-indignado/n1597570869752.html

miguel87 disse...

Mário Faria, parabéns pelo artigo anterior, excelente como sempre e cada vez mais a marcar a diferença de qualidade e objectividade neste blog.
E já agora obrigado pelo comentário neste artigo, muito mais lúcido e assertivo que o próprio.

PS.sugiro ao autor do post que avise os responsáveis da estatística da liga que se enganaram, senão vejamos: http://www.lpfp.pt/liga_zon_sagres/pages/MatchCenter.aspx nos dados do jogo do porto indica que a percentagem de passes certos da nossa equipa foi de 78% ...mas só pode ser engano, já que "A precisão de passe vai nas ruas da amargura"!

PS2.InVicturioso, James não foi titular em alvalade porque passou a semana anterior ao jogo praticamente sem treinar por doença, facto que pode ser confirmado por qualquer pessoa atenta ao dia a dia do clube e que aliás o próprio treinador do porto já explicou esta semana.

dragaovenenoso disse...

Meus caros, a percentagem de passes certos pode ser de 100% se for feito na defesa. Essas estatísticas são para os treinadores boçais que acham que são inteligentes. E desses há muitos no nosso país. Por exemplo há um que veio para o nosso clube e que gosta de ter o meio campo completamente livre, sem posições fixas - acho que veio de um colosso do futebol, o Penafiel, na altura quase a subir para a 1ª liga. Daí o post do Nélson Carvalho: a equipa ataca de uma forma caótica, sendo pouco objectiva. Penso que não será culpa do jogadores, mas mais da equipa técnica, que é demasiado "cerebral" e não consegue explicar-lhes o que pretende.

Tribuna Portista disse...

Um jogo atrapalhado que valeu pelos 3 pontos e pelo génio de James.

A crônica do jogo:
http://tribunaportista.blogspot.com/2012/01/em-analise-15-jornada-fc-porto-2-0-rio.html

Deko disse...

Está na hora de mudar as cores deste blog!
Tem azul a mais...

Felisberto Costa disse...

Á execpção de Helton, Fernando, James tudo foi banal demais para podermos acreditar em voos mais altos.
E continuo a achar que os cruzamentos do Alvaro Pereira são 90% inuteis, pois ou são muito altos, ou muito longos, ou na maioria das vezes não está lá ninguém!
Mas quem percebe de futebol não somos nós...

InVicturioso disse...

Caro Miguel87,

com todo o respeito, poupe-me a sua esperteza saloia...Caso não tenha percebido a minha pergunta era retórica, eu também ouvi as palavras do treinador e sei porque é que ele não o pôs de início.

Onde eu queria chegar era, não valia mais a pena ter posto James de início e substituí-lo no início da segunda-parte caso não aguentasse mais? Um James "tocado" não será ainda assim melhor que um Cristian Rodriguez?

Mas enfim, devo ser um portista de segunda-linha comparado com o meu amigo miguel87...

Luís Negroni disse...

Um jogo normal, com uma vitória normal e uma arbitragem "normal" - qualquer toquezinho de um jogador do Porto era falta, o 1º amarelo mostrado, mais uma vez, como sempre, a um jogador do Porto, rigor total nos amarelos e vermelhos, mas só para os jogadores do Porto, etc., etc. - feita por um normal funcionário do slb. O Rio Ave teve uma oportunidade de golo mas não é crime, até quem joga contra o Barcelona tem uma ou outra oportunidade de golo.

Off Topic: Os chulos do Santos não têm legitimidade nenhuma para reterem o certificado de Danilo. Para pôr na ordem os malfeitores existem as autoridades. Existe uma entidade, que, mal ou bem, manda no futebol mundial, chamada FIFA, e o Santos não está acima da lei. Logo, o certificado de Danilo vem, não tarda nada, e se não for a bem é a mal.
E sem Fucile nenhum como contrapartida, era só o que faltava ceder a chulos chantagistas. Ou eu conheço muito mal quem dirige o Porto, ou, neste momento, Fucile pode ir para qualquer clube do mundo, excepto o Santos.

AZUL DRAGÃO disse...

Subscrevo !

Rui Anjos (Dragaopentacampeao) disse...

Foi mais um jogo em que o FC Porto podia e devia ter jogado melhor. Muitas dificuldades de penetração e evidente incapacidade de acertar com a baliza. Valeu-nos a inspiração de James e o acerto de Helton.

Para ambicionarmos lutar pelo título vai ser necessário elevarmos o nível das exibições e fundamentalmente ser muito mais eficaz no remate.

Apesar de tudo, houve uma meia dúzia de jogadores portistas que estiveram quase sempre bem: Helton, Álvaro Pereira, Fernando, Defour e James.

Um abraço

miguel_canada disse...

O Belluschi tornou-se numa banalidade patética!!! A esmagadora maioria dos problemas colectivos da equipa passam pelos pés deste criativo sem um pingo de criatividade. Belluschi é um amorfo, um peso morto, o campeão dos passes disparatados e das más recepções de bola.
Conforme diz o Pinto da Costa, eu não percebo nada de futebol mas, também não entendo a dificuldade do treinador de apresentar um esquema táctico alternativo que nos permita prescindir do tal ponta de lança que não temos!!!
Se olharmos atentamente para o actual plantel Portista, salta a vista de qualquer leigo como eu que este 4-3-3 não tem funcionalidade absolutamente nenhuma porque todos os extremos que temos são uma valente merda e não vale a pena colocar lá o Hulk nem o James porque não há Falcao nem nada sequer parecido.
Se eu fosse um reconhecido treinador de qualidade e tivesse a suprema sorte de estar a treinar o FCPorto, com o plantel que temos, sem duvida que tentaria aproximar o nosso esquema táctico de um 442 em losango com Fernando no vértice defensivo, Moutinho e Defour no meio, James na posição 10 e Hulk e Iturbe como avançados. Álvaro Pereira e Danilo teriam a responsabilidade de arrastar o jogo para as alas com o apoio do seu respectivo médio.
Mas isto sou eu a falar...e eu não percebo nada de futebol!

Ana Martins disse...

O que eu sei é isto: 16 de Janeiro e zero de ponta de lança, num plantel q, ortodoxamente, deveria ter pelo menos 3. E neste momento o q temos? O miúdo Kleber.

Contra isto, VP (q comete bastantes erros) pode muito pouco.

Luís Negroni disse...

Miguel_canada disse...
"Se eu fosse um reconhecido treinador de qualidade e tivesse a suprema sorte de estar a treinar o FCPorto, com o plantel que temos, sem duvida que tentaria aproximar o nosso esquema táctico de um 442 em losango"

Completamente de acordo. Temos um plantel fantástico para jogar em 442 losango e apenas razoável/bom para jogar em 443. Os melhores extremos, não são sequer extremos, são avançados puros, que devem jogar soltos na linha avançada (Hulk, Iturbe, até mesmo o melhor Varela). Djalma é apenas razoável, Rodriguez está quase a terminar contrato e não deve renovar.

Os médios de grande qualidade abundam. Fernando, Moutinho, James Rodriguez (que toda a gente vê que é um número 10 fantástico, se calhar o melhor do mundo na idade dele, ainda por cima com grande capacidade finalizadora, mas que VP continua a achar que é extremo), Defour, Guarin (ainda cá está, ainda conta), Álvaro Pereira (na selecção uruguaia joga sempre a médio ala, joga que se farta e marca muito mais golos que no Porto), Danilo (é muito bom lateral mas tem ainda mais potencial como médio ala ou até médio mais central ao estilo do Guarin). Beluschi e Sousa, enquanto cá estiverem, servem pelo menos para fazer descansar os outros jogando contra as equipas mais pequenas e para tapar uns buracos.

Com médios desta qualidade e consistência, e nesta quantidade, e com avançados puros como Hulk e Iturbe - para além do puto Kléber, que é um excelente ponta de lança jovem, que Vítor Pereira se tem encarregado de destruir seguindo as "sugestões" da cs encornada - de que está VP à espera para os utilizar como deve ser e transformar o Porto numa das melhores equipas da europa, já, com o plantel que tem e sem mais nenhum ponta de lança (embora seja bem vindo mais um, desde que seja bom)? Deve estar à espera apenas de deixar de ser um grande nabo, que é aquilo que ele é como treinador.

PS Quanto à defesa, com gente como Álvaro Pereira, Alex Sandro (de que está à espera VP para o utilizar muito mais, já mostrou para quem quer ver que tem grande categoria), Mangala, Danilo, Otamendi, Rolando, Helton, Sapunaru, Maicon, temos jogadores de categoria mundial e bons jogadores, que nos permitem ter uma defesa quase ao nível do meio campo e da linha avançada, ao contrário do que muitos (portistas e anti-portistas) gostam de fazer crer.