quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Ler nas entrelinhas…

Pergunta de um jornalista na conferência de imprensa de ontem:
Não está preocupado com o facto de, neste momento, o FC Porto só ter Kléber disponível para jogar no centro do ataque?

[Vítor Pereira]: Neste momento temos apenas Kléber para jogar como ponta-de-lança e se não podermos jogar com ele, por alguma eventualidade, teremos de inventar uma dinâmica nova. Vamos ver... O clube está a trabalhar e vamos ver o que se vai passar. Mas não posso comentar situações hipotéticas; estou aqui para treinar e para fazer o melhor possível com os jogadores que estão à minha disposição. O clube está a trabalhar, o mercado está aberto

9 comentários:

Pedro disse...

Se sair Guarin, e além disso não entrar um bom avançado, não acredito que possamos ser campeões. A menos que o clube do regime tenha uma hecatombe.

Guarin é o nosso médio mais desiquilibrador, e vendê-lo por 12 milhões é um dos piores negócios da última década (vendas)

M. Teixeira disse...

Caro Pedro, temo que 12 milhões já será um boa proposta tendo em conta a capacidade negocial actual da nossa SAD no mercado. Falo sem qualquer conhecimento de causa, mas parece-me que os investimentos megalómanos realizados (Danilo e Alex Sandro) aliados às dificuldades de cobrança na única venda realizada (Falcao, levaram-nos a uma situação muito frágil em termos negociais. Basta ver que emprestamos a custo zero um jogador que recentemente figurou no onze ideal de um Mundial... jogador esse que esteve para sair no início da época por uns largos milhões. Abraço

Nuno André disse...

O Guarín está há quatro épocas no Porto. E tirando a fase final da temporada passada, o que é que ele fez de significante? Nada. É ir embora, que não faz falta.

Miguel Pereira disse...

José,

Realizar negócios milionários com caloteiros dá nisto e o FCP já tinha experiência prévia no caso Assunção para saber de que matéria é feito o Atlético. O papel de Mendes nesta negociata foi fundamental mas está a passar factura. Para limpar as contas hipotecou-se uma época. Isso chama-se má gestão desportiva, por muito imbecil que seja o técnico, é ele que tem de fazer as omeletes sem os ovos.

um abraço

The Best Man... disse...

Mais do que discutir saídas deviamos já ter assistido a uma entrada e, creio q é precisamente a isso q este post de José Correia se refere...
Sem ovos não há omeletes e por mais que todos tenhamos a sensação que com os jogadores que tem a disposição, o treinador podia fazer melhor, também me parece que pelo andar da carruagem, vamos desesperar pela chegada de um avançado...
Faz lembrar os posts em relação à venda de Cebola Rodriguez que se escreveram, por exemplo aqui, em que o título era algo como um sonho de Verão...
A chegada do avançado parece não passar de um triste (!) sonho de Inverno...
Cumprimentos a todos...

Felisberto Costa disse...

Vender Guarin é um belissimo negócio. Em 4 anos de azul-e-branco só no ano passado é que deu nas vistas, mas ano passado quem é que não brilhou?
O problema é que megalominizou-se em laterias onde 1 tá sempre lesionado e o outro só agora é que pode jogar, e lá na frente onde deve entrar a redondinha fomos buscar um pascácio que não marca e só atrapalha!
Mal por mal ao menos iamos buscar o Lima. Já não nos marcava mais golos!

Bernini disse...

Este é o típico treinador banana... come com o que lhe dão... Um plantel com tanto jogador e sem um único ponta de lança. Sim, sem um único porque o Kleber nunca jogou como tal...

miguel_canada disse...

"Este é o típico treinador banana"
Correctíssimo, mas não pelo motivo que referes, Bernini. Para mim é um banana porque insiste jogar num sistema para o qual não tem matéria prima.
Se o Sr.Pereira fosse minimamente capaz já teria arrumado o 433 há muito tempo.

José Correia disse...

Mais do que aquilo que disse, penso que deveríamos ler (nas entrelinhas) os recados de Vítor Pereira na véspera do FC Porto x Estoril.

"estou aqui para treinar e para fazer o melhor possível com os jogadores que estão à minha disposição"

"temos apenas Kléber para jogar como ponta-de-lança"

"o clube está a trabalhar e vamos ver o que se vai passar"

"o mercado está aberto"

"teremos de inventar uma dinâmica nova"

Parece-me claro que há neste conjunto de afirmações um recado para a SAD e para os adeptos.