terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Notícias de um nosso velho conhecido


O F.C. Twente anunciou hoje a dispensa do seu treinador, o nosso muito conhecido Co Adriaanse.

O Twente ocupa o 3º lugar no campeonato holandês, e especula-se no regresso do inglês Steve McLaren, que levou o clube ao título nacional há duas épocas.

7 comentários:

Daniel Gonçalves disse...

Que susto.... quando abri a página do blog e vi a foto deste cavalheiro, pensei que se estava a especular num possível regresso ao Dragão/FC Porto do Co Adriaanse.

Deko disse...

Um gajo que em 10 meses nos deu:
- 1 Campeonato
- 1 Taça de Portugal
... Deve ser mesmo muito mau.

É cada ingrato...

Daniel Gonçalves disse...

Gratidão ao Co Adriaanse pelo que que ele ganhou ao serviço do FC Porto, mas sentido crítico relativamente ao trabalho dele.
Quando falei em susto no comentário anterior estava a ser irónico, mas analisemos a época do nosso clube aquando de Co Adriaanse: na Champions tivemos uma prestação medíocre, lembram-se dos jogos e dos resultados contra o Artemedia; os jogos contra o Glasgow Rangers, quando no Dragão nos apanhamos a ganhar por 1-0, golo de Lisandro, recuamos no terreno, por ordem do holandês, e demos a iniciativa do jogo ao adversário permitindo o empate. Em Milão, frente ao Inter, depois de termos marcado o golo do Hugo Almeida, ficamos a defender o resultado, amedrontados no nosso meio campo? Nem com o Jesualdo.

Nas competições internas, na meia final da Taça de Portugal, frente ao Sporting, um golo salvador do Macarthy, a 2 minutos do fim, permitindo o desempate por penaltys permitiu chegarmos à final, pese embora um futebol ineficaz da nossa equipa.
No campeonato não ganhamos um confronto directo com os nossos rivais, exceptuando o jogo em Alvalade, com um Sporting já em baixa, onde um golo de pura sorte do Jorginho, com ressaltos à mistura, resolveu o jogo. A ideia que ficou é que, com Co Adriaanse, a equipa não ganhava um jogo contra equipas do nosso nível competitivo, porque ganhar às outras equipas da Liga portuguesa até pode ser suficiente para ser campeão, mas o que nos salvou foi os nossos adversários directos terem feito um mau campeonato.
A pré-temporada no Torneio de Amesterdão, nos jogos contra o Manchester United e o Inter, onde perdemos ambos os jogos por 3-0 - e não sofremos mais golos por muito pouco - revelou o que iria ser a 2ª época com Co Adriaanse, muita disciplina no balneário e no sistema táctico (que pode ter como incoveniente a rigidez táctica) mas um futebol onde se defendia mal e se atacava muito, mas à toa e sem sentido. Provavelmente seria outra desilução na Champions.

E não esqueço a birra pessoal, porque foi isso e não qualquer inadequação táctica, com o Diego. Na primeira metade do campeonato, o jogador brasileiro foi titularíssimo e depois na segunda metade foi encostado por puro livre árbitrio do treinador holandês.

Daniel Gonçalves disse...

Seguindo a linha de raciocínio do Deko, também temos de estar gratos ao Octávio Machado, afinal ganhou uma Supertaça Nacional e qualificou-nos para a Liga dos Campeões, depois de eliminarmos o Barry Town do País de Gales, e o Grassophers da Suiça.

Gratidão ao Co Adriaanse pelo que ele ganhou, mas contextualizando as prestações da equipa quando ele era treinador e com sentido crítico relativamente ao trabalho dele.
Respeitei o trabalho dele, não fui daqueles adeptos que constantemente o assobiavam e insultavam no Dragão, portanto sinto-me à vontade para efectuar uma análise séria e imparcial sobre o trabalho do holandês.

Zero disse...

O único ingrato nesta história chama-se Co Adriaanse, um péssimo treinador que nunca ganhou nada nem antes nem depois do FC Porto (e já está no fim da carreira). Só mesmo o FC Porto conseguiria ganhar títulos APESAR do Adriaanse, o único treinador do mundo que queima mais jogadores que o Paulo Bento.

Leceiro disse...

E criou as bases para os sucessos das temporadas seguintes, isto após a vergonha de 2004/2005...

Luís Negroni disse...

E também nos deu:
- A mais humilhante participação de sempre na Liga dos Campeões (quem tem razoável memória lembrar-se-á bem dos pormenores);
- Diego vendido ao desbarato.
- Abandono intempestivo do "barco", a poucos dias do início do campeonato, por cobardia em relação ao plantel revoltado e revoltoso.

Estou profundamente "grato" ao senhor Co, pela vergonha desportiva na CL e pelas duas dezenas de milhões de euros - mais coisa menos coisa - que nos fez perder (fora a desvalorização dos jogadores pela péssima campanha na CL).