terça-feira, 17 de janeiro de 2012

O pódio dos campeonatos

Este fim-de-semana atingiu-se o final da 1ª volta e, perante a classificação actual, a comunicação social do regime fez desde já uma pequena festa.

Alargando os horizontes, vale a pena dar uma vista de olhos pelo pódio provisório nos principais campeonatos europeus (que também estão sensivelmente a meio):


Nesta altura da época, é um pouco surpreendente alguns clubes não estarem num dos três primeiros lugares dos seus campeonatos - Chelsea, Arsenal, Lyon, Marselha, Inter - mas, aquilo que sobressai é haver DUAS equipas da Liga ZON Sagres que chegam a meio da prova ainda sem derrotas. É um facto inédito e, embora por si só não diga tudo, é algo que diz alguma coisa do nível actual do campeonato português.

Verifica-se que com a excepção da Itália, em que a Juventus ainda não perdeu qualquer jogo, mas tem quase tantos empates como vitórias, em todos os restantes campeonatos os líderes já foram derrotados pelo menos duas vezes.

Incrível o número de derrotas do trio da frente da Bundesliga (12 no total), bem como, a média de golos marcados por jogo (3,5) do Real Madrid.

12 comentários:

José Rodrigues disse...

'é algo que diz alguma coisa do nível actual do campeonato português'

Ora bem.

Acho portanto ridiculo que se queira aumentar o nr de equipas na 1a Liga para 18. O futebol portugues nao precisa de mais 4 jornadas preenchidas na esmagadora maioria com jogos do tipo Feirense - Pacos de Ferreira...

Claro q isso vai aumentar consideravelmente as receitas de mais 2 clubes da Liga de Clubes, q passam a jogar na 1a liga (e em muito menor medida dos restantes 16 clubes da 1a liga). Mas por essa logica onde e' q paravamos? Porque nao entao 26 clubes na 1a liga?

16 clubes e' o ideal para o campeonato portugues (ate' pq assim podemos ter mais jogos interessantes numa taca da liga, por exemplo).

De qq forma temos um fenomeno interessante na 1a liga... a diferenca entre os melhores clubes e os piores aumentou um pouco nos ultimos anos (embora seja menor do q nos anos 80, por exemplo, em q goleadas eram habituais), mas a 2a linha (clubes europeus, digamos do 4o ao 7o lugar) esta' melhor do q ha' uns anos, como se ve^ pelos resultados dos mesmos na Liga Europa.

José Rodrigues disse...

...de resto e olhando la' fora, o campeonato alemao continua a ser sistematicamente o mais equilibrado dos grandes paises: nao so' as equipas no topo vao-se alternando regularmente, como perdem mais pontos com as outras equipas do q as equipas de topo nos outros campeonatos. A seguir vem a Franca.

O campeonato mais desequilibrado e' consistentemente o espanhol, seguido do ingles (com a ressalva de q no ultimo ano e meio o Man City e o Tottenham se intrometeram na luta pelo topo, tornando essa luta um bocadinho menos monotona).

O maior contributo para essa desigualdade em Espanha vem acima de tudo dos direitos de TV, negociados individualmente por RM e Barca (recebendo pois muitissimo mais do q qualquer outro clube). Antes essa diferenca era menor, com a consequencia de q ha' uma decada atras tinhamos maior alternancia no topo (com Depor, etc).

Luís Negroni disse...

José Rodrigues disse...
"16 clubes e' o ideal para o campeonato portugues"

Não concordo. 16 clubes não é carne nem peixe. É mais ou menos a mesma coisa que 18, a diferença é muito pouco substancial. Se fossem 20, como acontece nas duas melhores ligas europeias - com o argumento de uma maior representatividade nacional - seria mais ou menos a mesma coisa que 18 ou 16. Qualquer um desses números não está adequado à realidade portuguesa.

Portugal é um país com população pouca e pobre e com poucas cidades grandes/médias (com alguma água benta são meia dúzia). Na europa (e no mundo), os grandes/médios clubes de futebol são clubes de cidades grandes/médias. O que torna um campeonato de futebol nivelado por cima, é ser constituído quase exclusivamente por equipas grandes/médias, ou seja, equipas suportadas por cidades grandes/médias.

Se em Portugal, com poucas cidades de dimensão relevante, não é possível portanto ter 16 ou 18 ou 20 clubes com dimensão relevante, e queremos ter uma liga forte, com jogos de uma competitividade nivelada por cima, com mais adeptos - no estádio e na tv - e adeptos mais satisfeitos, a opção é óbvia (para mim): Uma liga com 10 clubes, a 4 voltas.

10 clubes, é um número mais do que adequado à realidade portuguesa. Com 4 voltas, seriam 36 jogos, que é um número perfeitamente exequível (sem a taça lucílio baptista, que só tem servido para o slb ir ganhando uns troféus salvadores de épocas).

Haveria mais dinheiro televisivo para distribuir por bastante menos clubes, o que só seria bom para os clubes em causa. Seriam poucos os jogos com muito poucos adeptos a assistir, como acontece actualmente com equipas como o leiria, em que chega a haver assistências de 500 adeptos ou menos.

E teríamos, por exemplo, 2 Porto x slb, 2 Porto x calimeros, 2 Porto x Braga, 2 Porto x guimarães , 2 Porto x marítimo, 2 Porto x Nacional, 2 Porto x Académica, 2 Porto x Beira-Mar, 2 Porto x Setúbal, e vice-versa. Seria um cenário futebolístico bem mais competitivo, forte e interessante que o actual.

Pedro disse...

Digam-me por favor um único campeonato que tenha reduzido o número de equipas e isso se tenha traduzido num aumento de competitividade. Um único. É que eu consigo dar-vos alguns exemplos do contrário...

Essa desculpa da treta da nossa realidade é um argumento falso e até algo populista. Um campeonato como o escocês iria em absoluto secar a maioria das equipas portuguesas. Sem perspectivas de subir de divisão a maioria das equipas dos campeonatos nacionais iria desaparecer. Com elas iria a formação.

Todos os campeonatos que evoluiram nos últimos 20 anos foram aqueles que ou aumentaram ou mantiveram o número de clubes. Todos, sem excepção os que diminuiram em número de equipas foram perdendo expressão e competitividade.

Uma liga não tem necessariamente de só ter equipas fortes, é feita de um pouco de tudo. Mais equipas na 1ª liga significa uma 2ª liga mais forte e interessante, significa mais equipas a lutar pelas subidas nos nacionais, e mais interesse dos patrocinadores. Significa um maior aproveitamento da formação, e um calendário competitivo mais alargado tal como acontece nas "boas" ligas europeias.

Consigo conceber as 16 equipas + taça da liga, no entanto prefiro 18 + taça da liga. Mais jogos, maior dificuldade, um hábito de competir.

Ana Martins disse...

17 de Janeiro. E ainda nenhum ponta de lança.

Intrusus disse...

O grande problema do campeonato portugues e estrutural e deve-se a falta de adeptos nos clubes medios/pequenos.

A concentracao de massas de adeptos nos tres grandes (na minha opiniao fruto da ditadura) deixa poucas sobras para os restantes que, salvo raras excepcoes (V. Guimaraes, Belenenses, Salgueiros, etc) nao tem massa adepta que lhes permita evoluir...

Quando olhamos para os paises europeus, vemos que as pessoas apoiam os clubes locais, sendo raros os que se "desviam" dessa ideia.
Em Portugal apoiam um dos grandes e, de vez em quando,la apoiam o clube local.

Sem adeptos, nao ha gente nos estadios... sem gente nos estadios ninguem quer investir nos clubes...

E uma bola de neve...

(Desculpem a falta de acentos e coisas tais, mas os teclados ca do sitio nao tem nada disso...)

Luís Negroni disse...

Com argumentos falaciosos a argumentação sai fraca e fácil de desmontar. Se o actual modelo da liga escocesa, satisfizesse menos os clubes escoceses que o anterior modelo, não teriam eles já voltado atrás? Ou serão masoquistas para permanecerem no que pretensamente é pior para eles? E onde está provado que a liga escocesa com o actual modelo é pior que com o anterior?

O que há, é uma conjuntura internacional (pós lei Bosman, 3 ou 4 clubes ingleses, espanhóis, italianos e alemães na CL), que é muito menos favorável à afirmação e visibilidade dos clubes escoceses, tal como dos portugueses, holandeses ou belgas, na cena europeia. Isso não quer dizer que o campeonato escocês está pior. A conjuntura do futebol internacional, e europeu em particular, é que é completamente diferente do que era há 30 anos atrás, apesar de até ter sido nos últimos 30 anos que o Porto se afirmou a nível internacional (não porque a conjuntura internacional tenha melhorado para clubes como o Porto, muito pelo contrário, mas porque o Porto melhorou brutalmente como clube).

E voltando ao futebol português, há alguém que prefira, no seu perfeito juízo, a 2 Porto x slb, só 1 Porto x slb + um Porto x Feirense? Ou a 2 Porto x calimeros, 1 Porto x calimeros + 1 Porto x Leiria? E o que tem isto a ver com formação? Os clubes + pequenos, fora da 1ª liga, deixariam de fazer formação, ou fariam até mais formação, por terem menos dinheiro para gastar?

reine margot disse...

Concordo com os argumentos apresentados pelo Pedro; e avanço com a ideia que a questão das pessoas não aparecerem nos estádios tem a ver sobretudo com os ditos 6 milhões de adeptos de um dito clube de lisboa. Em Portugal não se torce pelas equipes da terra, torce-se por quem ganhou na ditadura e quem teve a melhor propaganda. Alterando-se este terrível aspeto da alma lusa - e como mudar, senão com uma boa dose de bairrismo? - os estádios terão mais espetadores. Claro que tem de ser acompanhado por uma série de outros "inputs" de marketing, ou fica, mais uma vez tudo em terra.

Fora isso, não vejo que se possa tirar apenas essa ilação de falta de competitividade, por as equipes da frente não terem somado derrotas; se na itália se joga para o empate a competitividade é maior? e o campeonato belga é melhor porque as equipes da frente já perderam 3 vezes?...

José Rodrigues disse...

Mas q grande confusao q aqui vai…

Quando se fala em ‘aumento de competitividade’ na questao do nr de clubes na 1ª liga, naturalmente q se esta’ a falar de competitividade INTERNA (relativa).

Nao e’ por um campeonato (belga, ingles ou portugues) ter 14, 16 ou 20 equipas q o FCP, Man Utd ou Anderlecht vao ser mais ou menos competitivos nas competicoes europeias. Mas olhando para os resultados no campeonato, e’ mais do q obvio q o campeonato alemao e’ mais competitivo (i.e. menos diferenca entre os melhores e piores do campeonato) do q por ex o portugues. Isso e’ inegavel.

E mesmo a nivel interno, nao me parece q a questao do nr de equipas tenha a ver com a questao da competitividade entre clubes. Nao e’ por o campeonato portugues ter 14, 16 ou 20 equipas q um Maritimo ou Academica vao passar ou deixar de passar a lutar pelo titulo, ou q a luta pela fuga ‘a descida de divisao vai ser mais ou menos equilibrada.

Tem a ver sim com a QUALIDADE media do espectaculo, e o interesse q esses despertam. Ora ter 2 clubes na 1ª liga q normalmente estariam na 2ª e por consequencia muitos mais jogos entre os Feirenses, Pacos de Ferreira e Olhanenses deste mundo ira’ SEM QUALQUER DUVIDA baixar um pouco a qualidade media dos jogos e despertar pouquissimo interesse do publico (seja na TV, seja em estadios de chacha com 600 pessoas na bancada).

Alem disso o interesse acrescentado para os adeptos dos grandes seria risivel, pequenissimo – eu passo bem sem ter q ver 4 jogos extra por ano entre o FCP e os Santa Claras ou Feirenses deste mundo.

José Rodrigues disse...

Pedro disse: ‘Sem perspectivas de subir de divisão a maioria das equipas dos campeonatos nacionais iria desaparecer’

Acho q o Pedro esta’ aqui a confundir alhos com bugalhos.

A perspectiva de subir ou descer de divisao tem a ver com o nr de lugares para subida/descida, q sao independentes do nr de equipas na 1ª Liga.

Tanto podemos (se assim quiserem os clubes e a Liga) ter uma 1ª liga com 16 clubes e 3 a descer/subir, como com 18 clubes com 2 a subir/descer (como outras vertentes), por exemplo.

Ora o hipotetico problema q o Pedro levantou seria concerteza pior no 2º caso hipotetico (em q por acaso ha’ mais equipas na 1ª liga....).

Se o problema e' esse, entao nao aumentem o nr de equipas de 16 para 18, mas sim o nr de descidas de 2 para 3 (ou ate' mesmo 4, se quiserem, mas isso ja' me parece exagerado).

miguel87 disse...

Em nenhum dos campeonatos representados na tabela deste post, o campeão em titulo vai em 1º lugar nesta altura.
Vale o que vale...

José Rodrigues disse...

"Em nenhum dos campeonatos representados na tabela deste post, o campeão em titulo vai em 1º lugar nesta altura"

Sera' q esses campeoes tb foram eliminados da Taca por 3-0 contra uma equipa mediana e ficaram em 3o lugar na LC atras de equipas do calibre de um Apoel?