quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Os rankings da IFFHS


A Federação Internacional de História e Estatística do Futebol (IFFHS) considerou a Liga ZON Sagres a quarta melhor do mundo em 2011 (em 2010 tinha sido a oitava).

De acordo com os “sábios” critérios da IFFHS, em 2011 os 10 melhores campeonatos do mundo foram os seguintes:
1. Espanha, 1.194 pontos
2. Inglaterra, 1.103
3. Brasil, 889
4. Portugal, 886
5. França, 883
6. Alemanha, 880
7. Itália, 873
8. Argentina, 840
9. Holanda, 791
10. Chile, 741,5

Este ranking da IFFHS, que existe desde 1991, reflete o desempenho dos cinco primeiros classificados de cada campeonato nacional nas provas continentais e da FIFA (no caso, o Mundial de Clubes) ao longo de um ano civil.

Eu sei que o FC Porto venceu a Liga Europa, o SC Braga foi finalista e o slb semifinalista, mas num ranking de campeonatos ver o português à frente do francês, alemão e italiano dá vontade de rir.

Com todo o respeito que os clubes pequenos e médios do futebol português me merecem, será que algum dos senhores da IFFHS já assistiu, por exemplo, a um União Leiria x Olhanense ou a um Paços Ferreira x Beira Mar?
Excetuando os jogos que envolvem os três grandes, será que os senhores da IFFHS têm noção de qual é a assistência média dos jogos do campeonato português?

Ah, e ver a Premier League, unanimemente reconhecido como o melhor campeonato do Mundo (reler as declarações recentes do treinador do Real Madrid), atrás de uma Liga em que os dois primeiros – Barça e Real – estão a anos-luz das restantes equipas, também tem que se lhe diga.

28 comentários:

Marco Morais disse...

Podes continuar o post, que hoje saiu nova pérola deste ranking..

Ah pois disse...

"Ah, e ver a Premier League, unanimemente reconhecido como o melhor campeonato do Mundo (reler as declarações recentes do treinador do Real Madrid), atrás de uma Liga em que os dois primeiros – Barça e Real – estão a anos-luz das restantes equipas, também tem que se lhe diga."

José, não é por nada mas o Porto sozinho ganhou mais na Europa nos últimos 10 anos do que os clubes ingleses todos juntos. A Espanha conseguiu (salvo erro) 7 títulos enquanto a Inglaterra uns míseros dois títulos internacionais. Bardacoiso para o poderio do campeonato inglês, é no palco europeu que se notam as diferenças.

José Correia disse...

Ah pois disse...
A Espanha conseguiu (salvo erro) 7 títulos enquanto a Inglaterra uns míseros dois títulos internacionais

Atenção que eu não quis dizer que os clubes ingleses são melhores que o FC Porto ( ;-) ) e muito menos que os dois “colossos” espanhóis. Pelo contrário, nesta altura sou de opinião que quer o Real Madrid, quer o Barça têm, de longe, as duas melhores equipas da Europa.

Contudo, este não é um ranking das melhores equipas, mas sim dos melhores campeonatos. Ora, em diversos indicadores, o campeonato inglês está muito à frente do campeonato espanhol e isso é reconhecido pelos próprios espanhóis (e não apenas pelo special one nos momentos em que lhe apertam as saudades da Premier League). Não por acaso, no início desta época, houve em Espanha um debate aceso sobre a falta de competitividade do seu campeonato, com vários clubes a darem como exemplo o campeonato inglês e a reclamarem uma divisão das receitas televisivas com critérios semelhantes à da Premier League.

Há várias razões para a Premier League ser o campeonato mais visto em todo o Mundo (com particular destaque para a Europa e para o explosivo mercado asiático) e entre essas razões está a competitividade (recentemente o Manchester City foi derrotado pelo Sunderland), a espetacularidade dos jogos (com estádios normalmente cheios), a qualidade dos artistas e a cultura futebolística de adeptos, árbitros e jogadores.

Pedro M. disse...

isso de no campeonato ingles as receitas serem mais divididas é um pau de dois bicos.


por um lado é mt bom porque aumentam a competitividade interna.

por outro, deixam barça e real com mais poderio desportivo e mesmo financeiro para irem buscar os melhores jogadores (vide cr7 e fabregas) e, logicamente, deixam as competiçoes europeias à mercê destes 2.

Pedro disse...

Creio que o José Correia comete um pequeno erro de análise. As ligas devem ser avaliadas (esquecendo a questão estatistica) pela qualidade média das equipas e dos jogadores.

A assistência média ou ocupação do estádio também é um critério discutivel, por esse prisma a liga alemã seria a melhor do mundo a milhas de qualquer outra. E na verdade até um Colónia tem uma equipa banalissima.

Por tudo isto creio que a liga inglesa é inferior á espanhola. Um Swansea-West Brom é um espectáculo miserável. Ver um Espanhol-Maiorca dá muito mais gozo e a qualidade do futebol é superior. O "engagment" com o público não creio que seja aqui chamado.

Mesmo a qualidade média de Itália, França e Alemanha é discutivel. As equipas da 2ª metade da tabela são muito fracas, tão fracas como as nossas. Ver um Bolonha-Siena é um pesadelo, e perceber como o St Etienne está bem classificado ainda mais.

É tudo muito discutivel e a verdade é que as prestações europeias das equipas portuguesas têm sido reveladoras de um grande equilibrio.

Da mesma forma que este ranking é também ele muito discutivel, como qualquer apreciação estatistica de um fenomeno desportivo.

José Correia disse...

Pedro disse...
A assistência média ou ocupação do estádio também é um critério discutivel, por esse prisma a liga alemã seria a melhor do mundo a milhas de qualquer outra.

Tem a certeza que a percentagem de ocupação (e sublinho percentagem) nos jogos da Bundesliga é superior à da Premier League?
Se puder colocar aqui os números agradeço. Mas mesmo que o seja (tenho dúvidas), a diferença não deve ser muita.

O problema da Bundesliga é que lhe falta os artistas/estrelas que abundam na Premier League e isso faz toda a diferença na atractividade das duas competições.

José Correia disse...

Pedro disse...
Por tudo isto creio que a liga inglesa é inferior á espanhola

A opinião é livre mas, conforme referi num comentário anterior, os próprios espanhóis pensam o contrário.

Felisberto Costa disse...

Há que ser justo e realçar que ver um Malaga- At. Madrid, ou um Betis-Saragoça, dá sono, vontade de beber e sobretudo mudar de canal...
Ah! E convém não esquecer que no campeonato inglês, do meio da tabela para baixo ainda vigora o famoso "kick and rush"...

Felisberto Costa disse...

Ah... e já agora acrescento... o campeonato mais miseravel a nivel de espectáculo é sem duvida o italiano! Salvo raras exceções, alguem aguenta ver 90 minutos deste tipo de futebol???

rbn disse...

Concordo com o post em tudo.

Não se percebe muito bem este ranking.

E acrescento que o clube das galinhas com uma taça da cerveja ficou em 8º neste mesmo ranking, à frente do campeão de tudo em 2011, o nosso FCP, que ficou em 9º?!!

No more comments

David Duarte disse...

Pelo vistos o José Correia nunca viu um Lorient-Nancy ou um Evian-St Etienne para colocar em causa o facto de a liga portuguesa estar à frente da liga francesa. Mesmo nos clubes pequenos portugueses vemos jogadores que têm técnica, em França é puro poder fisico (falo dos clubes pequenos).

Mas sim, estas classificações são no minimo incompreensiveis, mas incompreensiveis sempre e não apenas quando são os outros os melhores clubes do mês ou quando são os outros que ficam melhor classificados num ano.

Um bom 2012 para todo o Reflexão Portista.

José Correia disse...

O campeonato espanhol é reconhecido por todos como umas ligas mais prestigiadas do mundo, e com mais qualidade, mas há muito que se debate a competitividade, dada a diferença de valia e orçamentos entre os clubes de topo, e os restantes emblemas.
Discussão reaberta pelo presidente do Villarreal, Fernando Roig, depois de ver a sua equipa perder por 0-5 com o Barcelona.
«A situação actual não é sustentável. Clubes como nós têm de vender constantemente os seus melhores jogadores, enquanto outros conseguem comprar, com o crédito que têm na banca, apesar dos passivos. Se só querem dois jogos (entre Barça e Real), que se façam só dois jogos. Ou algo muda, ou vamos matar o futebol espanhol.»
O presidente do Sevilha tem opinião semelhante. «A nossa liga é a maior porcaria, não da europa, mas do mundo. É uma liga do terceiro mundo, em que dois clubes ficam com o dinheiro todo das televisões, enquanto que todos competimos», disse ainda ontem José María del Nido.
Até o tenista Rafael Nadal já se imiscuiu na discussão: «É muito emocionante a competição entre Real Madrid e Barcelona, de facto, mas gostaria que houvesse mas emoção, todas as semanas, entre as outras equipas».
in abola.pt
19:38 - 30-08-2011

José Correia disse...

O presidente do Sevilha, José María Del Nildo, convocou para a próxima quinta-feira uma reunião de clubes da liga espanhola, mas deixou de fora Real Madrid e Barcelona.
Em causa está a distribuição dos direitos televisivos que, segundo o presidente sevilhano, "está a acabar com a competitividade da liga".
"Os direitos televisivos devem de ser algo que beneficie todas as equipas e não apenas algumas em concreto. Há dois clubes que ficam com o dinheiro dos outros", argumentou, referindo-se a Real Madrid e Barcelona.
O dirigente sevilhano enviou ainda um recado aos responsáveis pela competição:
"Não podem acabar com a competitividade do campeonato. Os operadores televisivos fazem o que a liga manda. Estamos a acabar com a galinha dos ovos de ouro."
Segundo Del Nildo, alguns clubes tentaram "boicotar esta reunião", mas 15 já confirmaram a sua presença.
in record.pt
terça-feira, 6 setembro de 2011

José Correia disse...

O presidente do Barcelona, Sandro Rosell, defendeu esta segunda-feira a criação de um modelo competitivo em Espanha semelhante à Premier League britânica. O objectivo seria aumentar a competitividade da liga espanhola e distribuir mais equitativamente os lucros dos direitos televisivos por todos os clubes.
A hipótese tem sido defendida em Espanha, país onde o seu campeonato é disputado por 20 clubes mas invariavelmente dominado por Barcelona e Real Madrid, tanto a nível desportivo como no plano financeiro.
Os dois arqui-rivais recebem anualmente cerca de metade do valor dos lucros dos direitos televisivos em Espanha, o que equivale a cerca de 135 milhões de euros.
Para Rosell, um modelo similar ao praticado na Premier League, onde os lucros provenientes dos direitos de transmissão internacionais são divididos em partes iguais por todos os clubes que disputam o campeonato. «Temos que colocar todos os direitos televisivos dentro de um pote para que depois sejam distribuídos», defendeu. (…)
Além das questões financeiras, o presidente ‘blaugrana’ abordou igualmente uma hipótese para aumentar a competitividade desportiva: reduzir o número de clubes na primeira divisão, primeiro para 18, e depois para 16 equipas (tal como em Portugal).
«Ao reduzirmos o número de equipas na Liga, todos os clube vão tornar-se mais competitivos», afirmou.
7 de Novembro de 2011

José Correia disse...

David Duarte disse...
Pelo vistos o José Correia nunca viu um Lorient-Nancy ou um Evian-St Etienne para colocar em causa o facto de a liga portuguesa estar à frente da liga francesa.

Nas últimas quatro épocas houve quatro campeões diferentes em França: Lille, Marselha, Bordéus e Lyon.
Esta situação é possível no futebol português do século XXI?

Nas sete épocas entre 1992/93 e 1998/99 houve sete campeões diferentes: Marselha, PSG, Nantes, Auxerre, Monaco, Lens e Bordéus.
Algumas vez isto aconteceu na história do futebol português?

Não há comparação possível entre a competitividade do campeonato francês e do campeonato português.

José Correia disse...

Em 2010/11 os três primeiros do campeonato francês foram: Lille, Paris Saint-Germain, Rennes

Na época anterior, 2009/10, os três primeiros tinham sido: Marseille, Lyon, Auxerre.

Ou seja, de uma época para a outra, nenhuma das três equipas repetiu o lugar no pódio.
Alguma vez isto aconteceu no futebol português?

Volto a dizer: não há comparação possível entre a competitividade do campeonato francês e do campeonato português.

David Duarte disse...

Sim José Correia, em termos de competitividade a liga francesa é melhor que a liga portuguesa. Disso não hà duvida. Mas com a mesma certeza digo que em termos de qualidade a liga portuguesa é bem melhor, não apenas tecnicamente mas igualmente em termos tacticos.

David Duarte disse...

Em relação à competividade, não é algo que seja em si mesmo positivo. Aqui ela é mais vista sobre o angulo da instabilidade que, segundo muitos franceses, justifica a falta de curriculum europeu dos clubes franceses.

Bernini disse...

Apenas três pontos...
1º a liga alemã tem de facto as melhores médias de assistências, a percentagem de ocupação dos seus estádios chega mesmo aos 100% (e na sua maioria estamos a falar de estádios acima dos 40.000 lugares), sendo o borussia dortmund o club europeu com melhores médias de assistência.

2º O facto de uma liga ser bastante competitiva não a faz melhor que a nossa... além da liga francesa, também a liga romena é bastante competitiva, a holandesa idem, a suiça, e por aí fora...

3º não pagava 5 euros para ver 80% dos jogos da liga inglesa...espectáculos medíocres, mal jogados, excesso de violência com a complacência dos árbitros...etc etc

InVicturioso disse...

José Correia disse:

"Em 2010/11 os três primeiros do campeonato francês foram: Lille, Paris Saint-Germain, Rennes

Na época anterior, 2009/10, os três primeiros tinham sido: Marseille, Lyon, Auxerre.

Ou seja, de uma época para a outra, nenhuma das três equipas repetiu o lugar no pódio.
Alguma vez isto aconteceu no futebol português?

Volto a dizer: não há comparação possível entre a competitividade do campeonato francês e do campeonato português."

Com todo o respeito, este comentário não faz sentido nenhum.

O ranking aqui mencionado está relacionado com a qualidade da Liga (qualidade dos clubes que participam nela) e não com a competitividade. A liga orangina é 1000 vezes mais competitiva que a Liga Sagres e é obviamente bem pior em termos qualitativos.

Não tenho a mínima dúvida em afirmar que o campeonato português é bem melhor (mas não necessariamente mais interessante) que o francês.

José Correia disse...

Bernini disse…
a liga alemã tem de facto as melhores médias de assistências, a percentagem de ocupação dos seus estádios chega mesmo aos 100%

Como disse num outro comentário, admito perfeitamente que a Bundesliga seja o campeonato com a maior percentagem de ocupação dos seus estádios. O que não me parece é que a diferença seja abissal em relação à Premier League (farto-me de ver jogos da Premier League em que os estádios estão cheios). Mas, já agora, gostava de ter os números.
O Bernini tem os números? Pode disponibilizar-nos os correspondentes à Bundesliga e Premier League das últimas duas épocas?

José Correia disse...

Quanto à comparação entre o campeonato português e francês…

Sobre a COMPETITIVIDADE dos dois campeonatos estamos conversados.

Relativamente à QUALIDADE média das equipas, sugiro a seguinte análise:
i) Retirar as três melhores equipas de ambos os campeonatos (com melhores resultados nos últimos 10 campeonatos) – FC Porto, slb, SCP, Lyon, Marselha, Bordéus.
ii) Analisar o desempenho europeu das restantes equipas neste mesmo período (a última década).
Das equipas portuguesas, tirando o SC Braga nos últimos três anos, é raro haver uma equipa que passe a 1ª eliminatória.
Já equipas francesas, é normal vermos equipas como o Lille, PSG, Auxerre ou Toulouse (estou a citar de cabeça) a disputarem fases de grupos e chegarem aos 1/16 ou 1/8 das competições europeias.

Luís Negroni disse...

Os rankings da IFFHS não contam para nada. As opiniões dos adeptos portugueses e das ex-colónias, sobre futebol nacional e internacional, em termos mundiais, contam para muito pouco. O que conta, é a opinião - quer dizer, o consumo - dos adeptos/consumidores do espectáculo futebol espalhados pelo mundo.

E esses adeptos/consumidores preferem o futebol inglês a todos os outros. Não sou eu que digo, são os estudos de mercado e os fóruns internacionais de futebol disponíveis na internet, onde é claramente visível que o futebol inglês se superioriza ao espanhol na europa e "esmaga" na ásia e em áfrica. Apenas na américa do sul o futebol espanhol (e até o italiano) tem mais popularidade que o inglês.

Equipas espanholas muito populares em todo o mundo, só há duas; Inglesas, há pelo menos 5 ou 6.

David Duarte disse...

Sim José Correia, tirando os grandes, raramente uma equipa portuguesa passa a 1a eliminatoria enquanto as pequenas francesas (Auxerre, Rennes por exemplo) fazem-no. Contudo dificilmente verà um Auxerre ou Rennes numa final ou mesmo meia-final de uma competição europeia enquanto nos ultimos dez anos, precisamente, o futebol português teve um Boavista numa meia-final europeia (quando a Taça UEFA era bem mais dificil) e um Braga numa final.

Estas comparações são sempre muito dificeis de fazer até porque cada afirmação contém uma forte dose de convicção que deve ser nuanciada. Dai o pouco valor dos rankings da IFFHS, apesar de eles tentarem dar-lhes um minimo de objectividade.

José Correia disse...

David Duarte ...
nos ultimos dez anos, precisamente, o futebol português teve um Boavista numa meia-final europeia (quando a Taça UEFA era bem mais dificil) e um Braga numa final

Eu baseio os meus argumentos em factos e padrões normais, isto é, em situações que acontecem com regularidade. As excepções são isso mesmo, excepções.
E, já agora, 100 vezes mais dificil que chegar à final da Liga Europa (como o SC Braga na época passada) é chegar à final da Liga dos Campeões, que foi onde esteve o AS Monaco em 2003/04.

David Duarte disse...

Mas o Monaco não era um pequeno na altura, muito pelo contrario era um historico que lutava regularmente (e não excepcionalmente como o Boavista) pelo titulo. Não o podemos colocar ao lado de um Auxerre ou Rennes ou mesmo Boavista e Braga.

Um dos pontos discutidos era o da qualidade do futebol português e francês. Ora a qualidade do futebol português permitiu, mesmo excepcionalmente, que clubes "pequenos" fizessem grandes campanhas europeias. A qualidade, ou melhor, falta de qualidade do futebol francês nem excepcionalmente coloca clubes pequenos nas ultimas fases das competições europeias.

José Correia disse...

Vou repetir o que já escrevi porque, pelos vistos, não ficou claro.

O FC Porto ou o slb são exemplos do nível qualitativo do futebol português?
Claro que não.

Retirando as três melhores equipas de ambos os campeonatos, isto é, as que tiveram melhores resultados nos últimos 10 campeonatos – FC Porto, slb, SCP, Lyon, Marselha, Bordéus - a qualidade e desempenho habitual das equipas francesas (Lille, PSG, Auxerre, Toulouse, Rennes, ...) é muito superior à das equipas portuguesas (SC Braga, Nacional, Marítimo, Guimarães, Setúbal).
É que nem há discussão. Basta, por exemplo, comparar os resultados habituais (não as excepções) destas equipas nas competições europeias.

David Duarte disse...

Bom, quando numa conversa se começam a repetir os mesmos argumentos é porque, sim, deixa de haver discussão.

Concedo ao José Correia a mais que obvia maior competitividade da Liga francesa. Mas estou longe de estar convencido sobre a maior qualidade do futebol francês.