sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

O Miserável Prato das Lentilhas, para mim, não chega


O meu caro amigo e confrade de blogue, Mário Faria, acha que Vítor Pereira ainda lhe não deu provas ou convicções de incompetência.


Num sentido lato, eu diria que Vítor Pereira já mostrou que é "treinador de futebol". Não se trata de um curioso ou de um arrivista (até porque, se "arribou", foi porque o fizeram "arribar").


Mas no F.C. Porto estamos habituados a mais que isso. Já não preciso de recuar aos tempos de José Maria Pedroto e Artur Jorge, mas com Bobby Robson, António Oliveira, José Mourinho, André Vilas Boas - e até , Jesualdo Ferreira! - eu (ia a dizer "nós") esperava sempre, quando as coisas corriam mal, que do banco saísse um rasgo que resolvesse o problema.


De hoje em dia, perante um impasse ou um iminente descalabro dentro das quatro linhas, eu apenas me limito a esperar que esse tal "rasgo" saia de um dos nossos melhores jogadores, nunca do homem que do banco os lidera.


Esta é a diferença entre um treinador meramente "competente" e um treinador à altura do F.C. Porto.



PS: Não, não acompanho os treinos, não percebo nada de "metodologia de treino", mas acho que sei julgar um timoneiro, seja ele de uma equipa de futebol, de um governo ou de um barco de cruzeiro italiano.


12 comentários:

M. Teixeira disse...

Caro Alexandre,
Apesar de eu ser um daqueles seres esquesitos que de vez em quando defende o VP (nomeadamente através da defesa da ideia que ele, apesar de ter muita culpa nesta época desastrada, não é nem de perto nem de longe o único responsável)... concordo com a ideia do seu artigo. Não me parece que o VP tenha unhas para o nosso Porto precisamente porque não demonstra ser capaz de ler os acontecimentos do jogo e dar a volta por cima. Geralmente reage tarde e, frequentemente, mal. Além disso, penso que as competências dele em termos de comunicação e liderança ficam muito áquem do exigível a um treinador do nosso Porto.

Saudações Portistas,
Marco Teixeira

Carlos Teixeira disse...

E pior, quando as coisas correm mal - incluindo os desastres Gil e Académica - no final faz uma análise ao jogo como se estivesse na bancada e não fosse um interveniente directo com poder para mexer no mesmo! Ontem na conferência lá veio ele "eles fizeram, eles baixaram linhas, etc, etc, etc...". ENTÃO E TU VÍTOR, QUE FAZES NO BANCO???
Barcelona, Benfica, Sporting, Zenit, Shakhtar, Braga, Manchester City. Foram estes os adversários difíceis esta época até momento. Ganhamos bem ao Braga e de forma sofrível aos ucranianos. NÃO GANHAMOS A NENHUM DOS OUTROS! Sim, o VP não é o único culpado mas em todos estes jogos teve plantel e condições para fazer mais, independentemente das decisões da SAD.
Rua! Já vai tarde, muito tarde.

reine margot disse...

Até concordo. Também não gosto de lentilhas. Como, mas não gosto.
Já não concordo, que os treinadores por si só, sejam o prato - o tal que hoje é de lentilhas. Fosse assim, e o outro lá em Londres continuava a ser um herói...
"there's more to the fish than chips"... mushy peas, for instance!

Ah! e obrigado pela tolerância!

Mário Faria disse...

Acho este tema um pouco estafado, mas reconheço que uma equipa que ganhou tudo e esteja tão fraquinha na presente temporada, se apenas mudou o treinador, a primeira tendência seja a de o culpabilizar.

Esta culpabilização pode ser feita, o que não garante que se AVB se tivesse mantido como treinador do FCP o clube manteria esta época a mesma taxa de sucesso.

É que este mesmo plantel que tinha transitado da última época de Jesualdo, mais Moutinho e menos Meireles e Bruno, ficou em 3º lugar nessa época, perdendo o acesso à CL.

O mesmo plantel, três destinos diferentes.

O SLB depois de ter sido campeão nacional, com um treinador que revolucionou o futebol encarnado e prometia ser candidato à CL – perdeu tudo na época seguinte.

Ficou apenas sem Di Maria e Ramires, e quando o David Luís saiu já tinham a época meia perdida. Mas, ainda assim, compraram ou conseguiram a colaboração de óptimos jogadores para essa época, nos quais destaco Gaitan.

O mesmo treinador para realidades bem diferentes.

Duarte disse...

Alexandre, concordo em absoluto com o seu post. Será penoso assistir ao que resta desta temporada. Resta-me rezar para que passe depressa.

2010 representou um fim de ciclo para a era de Jesualdo. Um ciclo francamente positivo, só por má fé se poderá dizer o contrário. Aqueles que defendem VP, então, têm a obrigação moral de defender o Jesualdo, até porque este todos os anos perdia jogadores na sua equipa titular e tinha de reinventar o onze base e não era apenas um futebolista que saía, eram dois ou três.

Mário Faria permita-me discordar, já não há margem de desculpabilização para o VP. O clube que foi campeão em 2010 perdeu o título no ano seguinte porque o Porto do AVB foi demasiado forte. E sim, Jesus teve muitíssimas culpas no cartório e só não foi despedido porque tinha uma coisa que VP não tem: crédito. Jesus havia dado um campeonato ao clube do regime no ano anterior, ou alguém acredita que se iria manter para esta época? Que deu VP ao Porto e ao futebol em geral? Para além de maus resultados e desastres uns atrás dos outros, não há nada para além do vazio e de uma época que se perspectiva negra.

Reine Margot, já sabemos que tudo o que aconteceu na época passada foi por obra do acaso. Claro que se Vítor Pereira fosse o treinador teríamos ganho o que ganhamos na mesma.

Bernini disse...

Fiquei com a certeza da incompetência deste treinador no jogo com o Feirense, o homem aí mostrou que é mau de mais para ser verdade...

Não temos de ver os treinos nem de perceber nada de metodologias de treino... o que para mim é importante é que nos jogos a equipa seja rápida, tenha dinâmica, dê espectáculo e sobretudo que ganhe, e isso não se têm visto esta época, nem se vai ver, porque não vamos ganhar nada do que está por ganhar!!

Mas enfim, andam por aí umas mentes iluminadas que vêm o que mais ninguém consegue ver e que acham que à frente desta equipa está um grande treinador.

Da minha parte não sou capaz de dar 5 euros para ver este Porto jogar... o amor também tem limites...

Miguel Lourenço Pereira disse...

Eu lembro-me sempre do que dizia Clough sobre o papel do treinador. Durante o jogo gostava de se mexer pouco porque entendia que o seu trabalho era de segunda a sábado no campo de treinas. Mas quando era preciso mudar, sabia ser inspirador.

Como diz o Alexandre eu não vejo os treinos e não se o VP faz o seu trabalho bem, o que sei é que nunca lhe vi em 8 meses um rasgo desses que é capaz de levantar um adepto do cómodo assento e aplaudir de pé. Um treinador é como um general, quando o rival destroça as linhas pelo meio tem de saber mandar atacar a cavalaria pelos flancos e não limitar-se a reforçar o meio e esperar...

Daniel Gonçalves disse...

Também concordo, tal como já manifestei nos meus comentários aqui publicados no RP, que Vítor Pereira não tem capacidades para colocar a equipa do FC Porto a jogar um futebol eficaz e vitorioso. Possui uma evidente incapacidade de liderança, motivação e psicologia para lidar com grupos humanos, neste caso, o balneário.

O que me deixa profundamente frustrado em toda esta situação, é que tinhamos plantel e equipa para fazer muito mais e melhor. Gastaram-se €€€€ em dotar o plantel de jogadores de futuro promissor (Iturbe) e procurou-se segurar outros para atacar - ou seja, chegar o mais longe possível - a Champions e sermos bi-campeões sem darmos veleidades à concorrência e agora dependemos unicamente, como salientou o José Correia num comentário no post anterior, da fé.
Não esqueçer que não teremos um grande retorno financeiro da Champions, pois não passamos da fase de grupos, e vamos assistir à desvalorização, desportiva e financeira, de jogadores.

Agora só penso no próximo treinador, e já vou fazendo vaticínios, apesar de nunca deixar de acreditar numa possível vitória no campeonato e de ainda estarmos na Taça da Liga, onde temos de dar tudo por tudo, pelo significado que passou a ter, na actual conjuntura, esta competição.

Hugo disse...

O que a gente vê acordado, o nosso Presidente vê meio a dormir... É minha convicção que o nosso treinador vai deixar de o ser no final da época, e que a decisão já está tomada desde, pelo menos, o jogo de Coimbra. Quando o Presidente tem que descer ao balneário para lembrar quem manda, está tudo dito..

Este FC Porto não mostra futebol nem resultados, acho que à falta de um, pelo menos o outro consolava um pouco e jogava a favor do treinador, mas infelizmente para nós não se vê nada. Quando mais no inicio da época víamos Belluschi e até Walter a "resmungar" quando eram substituídos sem a preocupação de disfarçar... Viu-se logo o pulso do treinador...

É minha convicção também que ele só lá está porque o AVB avisou tarde e a más horas que ia embora, com certeza que se tem avisado no final da época anterior VP só lá continuava, a continuar, como adjunto.

De resto, as alterações feitas em Janeiro mostraram que além de colmatar a falta do ponta de lança, aproveitamos para "dispensar" aqueles que não podemos contar para a próxima época...

Gonçalo Verdasca disse...

Não acho que VP seja incapaz de por a equipa a jogar bom futebol. O que ele é incapaz de fazer é de contrariar as adversidades, não é capaz de agir, fica estupefacto sem ser capaz de mudar algo.

O FCP deste ano já mostrou ser uma grande equipa, ter um grande plantel, mas que não vai mais longe porque tem um treinador que deve ser dos piores que alguma vez vi.

Se analisar-mos certas exibições, como Barcelona,Braga,Benfica e Zenit por exemplo, vemos que a equipa entra bem mas ao mínimo erro tudo vai pelo cano abaixo. É um bocado parecido com as equipas pequenas que só jogam bem até sofrer o 1ºgolo..a partir dai está tudo perdido. Com VP o mesmo acontece, para além de todas as incompatibilidades por ele criadas (Sapunaru, Fucile, Guarin, CR10, Walter).

Não é admissível vê-lo no Porto na próxima época, se não foi capaz de ser um líder hoje não o será amanhã, e nem sequer tem tempo de aprender a se-lo.

Como já disse, duvido que AVB volte ou que Paulo Bento saia da selecção tão cedo. Na minha opinião o próximo treinador é Domingos, que por aquilo que já fez tem tudo para chegar ao Porto arrasar com a concorrência. Nem vale a pena comentar o seu trabalho num Sporting neste momento já ultrapassado pelo Braga em termos de estabilidade directiva e técnica.

miguel_canada disse...

Um treinador que tem à sua disposição 6 avançados e 6 médios e que perante o facto de não ter um ponta de lança que lhe dê garantias é incapaz de transformar um 4-3-3 manco num 4-4-2 para mim é um incompetente venham vocês com as teorias que quiserem.

Justiça Popular disse...

Está online a nova versão do Máfia do Benfica
Existia um há uns anos atrás mas os mafiosos apagaram-no. Espero que me ajudem e que não me fechem o blog nas próximas semanas porque material não vai faltar e preciso de tempo para o postar todo.