quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Roubos em Barcelos e na Feira, Silêncio no Dragão

Já se esperava uma actuação tendenciosa e prejudicial ao FC Porto pelo árbitro designado para esta partida em Barcelos. A derrota não se explica só por aí mas a análise à prestação da equipa e do treinador já foi publicada aqui no Reflexão Portista.

Parece-me importante, neste momento, realçar o seguinte:

Este árbitro tem prejudicado o FC Porto de forma contínua (ou sistemática, se preferirem) e objectiva nos últimos 12 anos, desde o célebre jogo de Campo Maior. Os episódios mais flagrantes dos últimos quatro anos podem ser encontrados facilmente na etiqueta “Bruno Paixão” deste blog.

Desde praticamente 2004, ano em que inventaram o apito encarnado num hotel lisboeta, que o clube – a SAD – se tem remetido ao silêncio sempre que ocorrem arbitragens lesivas aos seus interesses e aos dos seus associados.

Neste jogo em concreto há a registar (i) que o livre para o primeiro golo do Gil nasce de uma falta inexistente, (ii) que Defour é atingido com violência no nariz dentro da grande área gilista e que não foi marcado penalty contra os da casa, (iii) que o centro para a área portista onde Otamendi dá mão na bola (e aqui foi marcado penalty!) é feito por um jogador em claro fora-de-jogo, e (iv) que o avançado Kléber é travado pelo guarda-redes do Gil dentro da área, o que seria mais um penalty e que não foi marcado. São nada mais nada menos que quatro lances críticos com influência directa no resultado.

Fernando Gomes e Vítor Pereira conseguiram o apoio do SLB para a sua eleição para a FPF em detrimento do apoio desse clube ao benfiquista Fernando Seara.

Nesta jornada (17ª), mais uma vez, o SLB foi beneficiado por erros de arbitragem com influência directa no resultado do jogo (golo inexplicavelmente anulado ao Feirense).


O facto de a equipa do FC Porto ter feito um jogo pobre jamais poderá ser uma desculpa para aceitar uma arbitragem escandalosamente prejudicial.

Ao Presidente do FC Porto impunha-se que dissesse “Basta!” e assegurasse aos sócios que Bruno Paixão jamais apitaria um jogo do FC Porto. Se voltasse a ser nomeado a equipa não se apresentaria em campo. Ponto final. Porque urge tomar uma posição de força depois de 12 anos de erros sempre para o(s) mesmo(s) lado(s). Não me dou por satisfeito – longe disso – com os pífios comunicados do Labaredas no site oficial do clube. Espero sentado.

15 comentários:

JRP disse...

Isto que aconteceu neste fim-de-semana era razão para pormos tudo a ferro e fogo. Não gosto do treinador, estamos a jogar mal. Mas com arbitragens correctas, teríamos vencido este jogo e o Benfica não teria vencido o deles, o que nos colocaria em primeiro. Assim ficamos a 5 e o campeonato ardeu.
Somem a isto, a arbitragem em Olhão e a de Alvalade, com o perdão da expulsão ao Polga e o penalti sobre o Otamendi por assinalar.
Tudo somado, estaríamos isolados.
E nós, adeptos? Contínuamos apenas a zurzir no treinador e na sad. Admiro a exigência e a auto-avaliação, mas isto é ridículo. O que está a acontecer é um roubo escandaloso.
Depois do que aconteceu este fim-de-semana, e depois de andarmos há meses a dizer mal da equipa, estava na altura de pegarmos fogo a isto e esquecermos essa auto crítica azeda por uns tempos. Era capaz de ser mais produtivo. Assim, eles aproveitam a boleia, diminuem a escandaleira dizendo que afinal o Porto também não vale nada e perdeu bem.
Somos uns mansos.

José Correia disse...

«Num fim-de-semana em que a arbitragem muito pode ter ajudado a decidir quem será o próximo campeão, uma coisa salta à vista: o Benfica está a trabalhar bem. (...)
A atuação de Bruno Paixão em Barcelos tem todas as condições para justificar o famoso grito: “Chamem a polícia”. Não coloco em causa a honestidade do árbitro, mas acredito que os portistas se sintam roubados. E custa perceber como é o homem internacional. É que em Campo Maior também foi ele. E no Bessa, com o Sporting, no título axadrezado. Muita coincidência. Honesto pode ser, competente não.»
Bernardo Ribeiro
Record, 31/12/2012

José Correia disse...

«No entanto, a derrota do dragão fica inevitavelmente associada aos erros graves de Bruno Paixão. Ficaram por marcar dois penáltis e o lance que originou a grande-penalidade que deu o 2-0 começou em fora-de-jogo. Numa prova onde é muito difícil recuperar pontos, o jogo de Barcelos pode ficar assim ligado à decisão do título.»
António Magalhães
Record, 30/01/2012

giovani disse...

Não discordando do post e dos comentários feitos, pois este tipo de arbitragens é-nos, infelizmente, familiar, gostaria apenas de fazer alguns reparos.
1º - a melhor maneira de anular estes árbitros é jogar de modo excelente, já o sabemos e há muitos anos.
2º - tendo como verdade o que foi dito em 1, como se pode compreender que, passada a 1ª volta do campeonato, ainda estejamos a formar a equipa, mandando embora bons jogadores, ficando com outros que pouco valem e mantendo um treinador banalíssimo, a que ninguém liga patavina nas conferências de imprensa? Alguém acredita que com esta instabilidade uma equipa pode render?
3º - é chocante notar como a equipa do ano passado que jogava bem, perde um avançado que deveria ter sido substituído e nada disso acontece. Gastam-se cerca de 50 milhões, a equipa piora brutalmente e depois vão-se buscar alguns jogadores que aparecem como D. Sebastião. Mais, festeja-se por ter vindo a custo zero e não se diz a quantia impressionante que receberá mensalmente...
4º - tudo isto cheira a amadorismo e a negócios estranhamente mal feitos por estruturas profissionais. E mais, começa a ser caricato surgirem nos jornais os negócios do FCP, antes, nos bons tempos, mantidos em absoluto sigilo até serem consumados.
5º - a acabar deixem-me ser sincero e talvez um pouco heterodoxo. Acho um pouco patéticas aquelas idas ao balneário do Presidente, as presenças no treino do Presidente, as aparições do Presidente com a namorada brasileira, etc. Espero que não esteja a acontecer-nos aquilo que sucedeu a Portugal com Salazar que foi um excelente estadista até certa altura, mas não foi um grande homem, pois não soube sair a tempo.

Desde1973 disse...

Não tenho duvidas que a arbitragem foi encomendada como tem sido ao longo da época. Só não percebo porque é que o Fc Porto não faz nada, nem se houve um zumbido e isto deixa me revoltado. Com o Benfica assumir que este ano controla a arbitragem não percebo porque ainda não se pediu uma investigação a esse clube (des)honesto. Basta quero pulso firme por parte do Fc Porto.

Tasqueiro Emigrante disse...

Se colocam a apitar árbitros assumidamente benfiquistas queriam o quê? Que beneficiassem o Porto?
Não me parece:)

Pedro disse...

@Giovani,

Pois eu acho muito bem que o presidente tenha ido ao balneário depois daquele jogo. Ter mansos a liderar o clube funciona par aos lados de Lisboa. Aqui não.

O único erro de PC depois de Barcelos é estar calado em relação à arbitragem. Mas suponho que saibam o que estão a fazer... senão serão penalizados pelos sócios.

Mário Faria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mário Faria disse...

A arbitragem foi vergonhosa, como já escrevi . Quando revejo o filme do jogo, fica-me a ideia que os gilistas jogaram quase sempre como se houvesse um ambiente favorável, que lhes permitiria correr riscos, cometer faltas e sair impunes.

As grandes penalidades perdoadas ao GV não saíram de jogadas iminentes de golo : resultaram de entradas "imprudentes" dos adversários, como se adivinhassem que o árbitro não os puniria. Com as decisões que o árbitro foi tomando, essa convicção virou certeza e deu-lhes um acréscimo de confiança. Podiam jogar no limite. Se o ultrapassassem, nem multa levariam.

E, foi sempre assim. Quando o FCP entrava em pressão, bastava um jogador do GV esperar pelo contacto natural, atirava-se para o chão e era falta. O FCP somou muito mais faltas que o GV e cartões amarelos. Mostrou apenas um (salvo o erro) a um jogador do ao GV, quase no fecho do jogo.
Soou a falso. Foi uma jogada normal, tinha-se visto muito pior.

Foi uma arbitragem que na dúvida decidiu sempre a favor do GV. E o trio, nesse particular, mostrou uma grande sintonia. Se o árbitro não foi condicionado - não há qualquer prova que o tenha sido e acredito veemente que não o foi - resta a presunção que este árbitro sofre de um grave síndrome anti-FCP e quando entra em campo não consegue superar a doença. É a versão Mr. Hyde de Paixão que prevalece. Azar nosso.

Não faço críticas à direcção. A algazarra nem sempre é a melhor arma. Porém, se PdC fez todo aquele barulho sobre um árbitro que não assinalou uma gp no Dragão, não se percebe que não o tenha feito agora, de forma a complementar o que o nosso treinador declarou no final do jogo, de forma incisiva e no momento certo.

Apesar da arbitragem ter sido muito má - e ter tido influência n o resultado – nada me autoriza a pensar que se não fora assim, venceríamos o jogo. A primeira parte do FCP foi muito má e ficou sempre aquela sensação que não tínhamos força nem jeito para contrariar o colete de forças que o GV montou. Impreparação, capacidade de luta e falta de rotinas (e criatividade) para ultrapassar adversários que jogam no ferrolho, foram evidentes. Cegueira é fechar os olhos a esta realidade.

Jorge disse...

Concordo.
Por norma defendo os arbitros que teem um trabalhor dificil e muitos dos erros que fazem ou sao razoaveis dadas as situacoes do jogo ou apenas demonstram falta de competencia. Nao sendo os arbitros profissionais ou nao havendo melhor, deve-mos jogar com aquilo que temos e tentar fazer a nossa parte para ganhar os jogos.
No entanto este arbitro e claramente uma excepcao. Olhando para a sua historia em jogos do Benfica e do Porto temos uma amostra bastante larga que nos possibilita estudar a tendencia dos seus "erros" eliminando a componente aleatoria. Tendo isso em conta pode-se de uma forma objectiva duvidar da honestidade deste arbitro, e nao so nao deveria apitar mais jogos do Porto como nao deveria apitar mais jogos das competicoes principais. Os empreedimentos de sucesso despromovem a incompetencia mas acima de tudo a deshonestidade.

rbn disse...

Acho que não devemos, sem ofensa a nós portistas, "nos transformarmos em eduardo barroso" e ficarmos a chorar sobre o leite derramado.

A arbitragem foi vergonhosa, mas a atitude do FCP em Barcelos não nos dá(pelo menos a mim) margem para acharmos que foi apenas pela arbitragem desastrosa que perdemos o jogo.

Em 45 minutos, nenhum remate ou ocasião de golo dignos desse nome.

Na 2ª parte, em que até melhoramos um pouquinho, sinceramente nunca senti que pudesse haver uma remontada, pois como já escrevi aqui, jogamos com 10 e uma figura de corpo presente com a camisola nº 11, que deu seu 1º remate à baliza aos 90 minutos, é obra!!!

O gil fez a sua parte:fechadinho atrás explorando a velocidade do seu ataque e em 4 chances, fez 3 golos, o que significa que neste jogo, qualquer bola na defesa portista era sempre perigo de golo iminente, que para um clube de top é inadmissível.

Prefiro sinceramente o silencio da direção e a resposta nas 4 linhas.

O que dói nesta história toda é que vamos depender do siportim, cuja última vitória sobre os galináceos me foge à memória.E também nós não mais derraparmos, pois ainda temos 2 viagens à madeira, vamos á braga, ao galinheiro com ou sem jaula e ao sempre imprevisível paços de ferreira.

Abraço.

Vitor disse...

Só temos é que jogar mais e ainda melhor que os FILHOS DA GRANDE PUTA DA BABILÓBNIA que nos querem à força, fora das vitórias aqui e além fronteiras! É simples mas difícil mas, para facilitismos vejo os galináceos a jogar "com paixão"!
Agora, quanto às queixas que supostamente deveriam ter sido feitas, suponho que o nosso FCP esteja a tratar com quem de direito para os FODER em grande: http://desporto.publico.pt/noticia.aspx?id=1531456
Na passada época, ganhamos em casa deles mas, desta vez, e apenas uma vez, gostaria de lhes dar a provar do próprio veneno ganhando o campeonato na secretaria e depois rejubilar ao vê-los a espumar à volta do marquês (outro filho da puta!) a gritar "corruptos, corruptos..." E depois morreria feliz...

Carlos disse...

Esta vergonhosa arbitragem reforça, a meu ver, a importância que teria tido uma exibição dentro dos níveis a que os jogadores de um clube como o Porto estão obrigados a realizar.

Assim estariamos agora apenas a discutir a arbitragem do lampião paixão.

Muito bem esteve o NGP em ir ao balneário. e outra coisa nã era de esperar da sua parte.

Kostadinov o Flecha disse...

Pois...e o que hoje não passa de uma história da treta de leite com fruta e café à mistura, passaria a ser preto no branco.
Presidente do FC Porto, escolhe árbitros!!!!
Enquanto decorrem os resquícios da treta dos apitos dourados, o FC Porto de PdCosta, está e estará de mãos atadas, e boca fechada.
Quem fez e equacionou toda a estratégia do pífio dourado, vai prolongando no tempo a discussão e os constantes recursos para os tribunais superiores, vão tentando encurtar a vantagem de um em relação ao outro.
Por isso, as constantes provocações com os pode ser... ou as "paixões" nas disputas com a intenção de provocar o passo em falso, que clarifique que afinal o que se tem perdido em tribunal, é mesmo verdade, porque o FC Porto mediante as suas opiniões, quer manietar e coagir os árbitros.

É como ser preso por ter cão, e ser preso por não o ter.

É por isso que os tipos não passam de uns grandes FdP, que gostam de túneis e gabinetes.

Cabe aos adeptos defenderem conforme podem, o clube que amam, e não fazerem a figura de alguns que adeptos do FC Porto, mal chegam à TV, destilam ódio ao clube de estimação e se vendem por um prato de lentilhas.

Sejamos fortes e dignos.
http://portodragoinfire.blogspot.com/

Joaquim Varela disse...

Apesar do FCP ter sido prejudicado, acho que há situações que deveriam merecer da tua parte uma visão diferente. A saber:

1- O livre do 1º golo foi mal marcado? E então Livre mals marcados para os 2 lados existem em todos os jogos. Decerto que existiu algum a favor do FCP durante o jogo que foi mal assinalado. Qual é a diferença? Não deu em golo. Todas as equipas devem estar preparadas para livres/cantos/lançamentos laterais que são bombeados para as áreas, sejam eles bem ou mal assinalados.

2-No que se refere ao lance que originou o 2-0, tenho algumas dúvidas se o jogador do GV estava ou não em off-side. Claramente em off-side como afirmas parece-me um exagero. As imagens que vi, com o auxilio da linha de off-side, da tranasmisão da TV, parecem-me adulteradas (a linha está torta e não é a 1ª vez que reparo nesta situação. Tenho um amigo meu que trabalha no ramo e que me confirma que o sistema utilizado, por vezes tem falhas devido á colocação das camaras. No entanto é um fora de jogo (se for) por menos de 30 cms, logo é natural que o liner possa ter sido confundido (ou ter seguido as instuções da FIFA para deixar seguir em caso de dúvidas).

3-Não discuto os lances de GP. Um deles parece-me claro, o outro sujeito a interpretações divergentes, nomeadamente por parte de ex-árbitros.


Mas tudo isto não anula que o FCP fez um jogo miserável, em que o 1º remate enquadrado com a baliza foi... o golo! A 1ª parte então foi sofrível (utilizando um adjectivo até amigo) e quem joga assim, mete-se a jeito quer para este tipo de erros de arbitragem (alguns insignificantes outros com alguma gravidade). E pior ainda. Uma equipa que não reage após sofrer um golo, como foi o caso, continua a cometer o mesmo erro - a arriscar-se a sofrer mais, com ou sem erros.

Até ao dia em que seja instituido um sistema de video-árbitro, os 2 primeiros pontos que referi nunca, repito NUNCA deveriam servir de justificação para o que quer que seja.