quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Se a hipocrisia matasse...

A novela gerada pelo lance entre o Bruno Alves e o Rodrigo, no recente Zenit x SLB, está a revelar-se uma daquelas charopadas capazes de fazer chorar as pedras da calçada. Longe de mim defender o Bruno Alves - é aquilo que no Porto, tenha sido ou não jogador do Clube - se apelida de "besta"; mas eu gosto mesmo é da vitimização hipócrita de quem se anuncia como eterna vítima de perseguição e malfeitorias - quem não se recorda do lancinante "deixem jogar o Mantorras"? - enquanto dentro das quatro linhas angélicos algozes equipados de encarnado, têm até hoje praticado verdadeiros "milagres" - veja-se o número e duração dos castigos - indo desde coices a pernas partidas. Ainda não tiraram olhos, mas fiquem atentos porque a manipulação dos factos e da realidade está de tal forma enraizada, que talvez esse espectáculo passe despercebido.

Foi portanto com um sentimento de ternura que li a notícia de que o sr. Vieira - o Impoluto-Mor - e cito "O Jogo", "até saltou da cadeira quando Bruno Alves deixou Rodrigo estatelado no relvado", e "no final do encontro, Vieira, que tem especial carinho e sentido de protecção por Rodrigo, foi ao balneário cumprimentar os jogadores e dirigiu-se especificamente ao camisola 19, querendo saber tudo acerca do seu estado clínico". Em primeiro lugar, devo dizer que acho bonita esta espécie de relação pai-filho entre o Vieira e o Rodrigo. Percebe-se que é uma relação especial, quase tanto como aquela que o primeiro tem com o João Ferreira. Em segundo lugar, fico com a dúvida se quando o Katsouranis partiu a perna ao Anderson - conheço benfiquistas que ainda hoje se riem disto; sim, porque o Porto podia dar-se ao luxo de manter um jogador de 35 milhões de euros de fora da equipa, só para denegrir o Clube do Regime - ou quando o Petit enviou o Lisandro para o estaleiro durante uns meses, o sr. Vieira também se indignou e saltou da cadeira. É possível. Certo é que tais lances não chegaram à 1ª página dos jornais.

Estas considerações são naturalmente subjectivas. Tal como duvidar se o Bruno Alves só é considerado violento (e não apenas "viril") porque nunca jogou no Clube do Regime, se de facto tocou primeiro na bola ou no Rodrigo, ou se ao contrário do que sempre acontence com o Javi Garcia, não tentou sequer jogar a bola. O que não é subjectivo, nem para mim nem para ninguém - benfiquistas incluídos - é a justeza da decisão do árbitro em punir o tal lance com cartão amarelo e não vermelho.


É uma questão de coerência...

12 comentários:

M. Teixeira disse...

Coitadinhos... só eles é que sofrem faltas duras, só eles é que sofrem agressões, só eles é que jogam ao frio e à neve... não é justo!

Pedro disse...

Pedro disse...

grande post!

entrada normal do bruno, amarelo bem mostrado. abola não perdoa e diz logo na capa q ele devia ter sido expulso! ahahah, quando o porco garcia dá cornadas e patadas ninguém fala.. os mesmos q estão contra o bruno são os mesmos q apoiam esse porco.

Jorge disse...

O nivel de hipocrisia e deshonestidade/estupidez na analise deste lance por parte dos media (vide O Jogo) e aberrante.
Eu sinceramente fiquei com a duvida se o Bruno Alves merecia sequer o amarelo. Nao da para perceber se entra com os pitons ou nao, mas tenho a certeza que tenta jogar a bola e fica-me a ideia que a joga.
O Rodrigo magoa-se poruqe cai de chapao na relva endurecida pelo frio.

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...

apoiado, car@go! ;)


somos Porto!, car@go!
«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

saudações desportivas mas sempre pentacampeãs a todos vós! ;)
Miguel | Tomo II

Ricardo Melo disse...

Quanto aos dois vídeos aqui mostrados, a minha opinião é a mesma: erro de arbitragem, devia ter sido cartão vermelho. E só quem jogou à bola e levou uma destas é que sabe o quanto dói e o quanto fica a doer nos dias seguintes (isto, quando não há lesão mais grave).

Quanto ao que o senhor do vídeo do lado esquerdo diz do vídeo do lado direito, está aqui: "Às vezes acontece, jamais vou falar mal de um amigo. Não creio que tenha sido por maldade, ninguém 'entra' à bola com a intenção de magoar um colega de profissão." - e acreditando que não há intenção de lesionar, nem num caso, nem no outro, uma coisa é certa: a entrada envolve um risco elevado de lesão do adversário e portanto deveria ser evitada.

Quanto à opinião do autor do post, é uma opinião, cada um dá a que tem... seja ela coerente ou não!

PS - Cada vez mais compreendo as reclamações de alguns portistas quando dizem que neste blog se fala demasiado dos rivais da segunda circular, ao invés de se falar quase exclusivamente das questões relacionadas com o clube.

P. Ungaro disse...

Boas,

realmente eu tiro o chapeu aos vermelhos ... os gajos estão imparáveis na arte de comunicar com intuito de nos atingir ... tenho pena que o FCP se tenha tornado mais "soft" e depois nos momentos decisivos, dentro de campo, vemos para onde o relvado pende ... ´
Não foi, aos olhos avermelhados da comunicação social, um jogador do Zenit que teve uma entrada (normal) que por acaso lesionou uma prima dona ... foi um ex jogador do PORTO ...
Espero que a SAD não demore muito tempo a perceber que estar calado não é a melhor politica contra estes palhaços do regime ...

Um abraço

http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.com

Pedro disse...

http://www.youtube.com/watch?v=G0RsW-8Cw9E

Daniel Gonçalves disse...

Ricardo Melo disse: " ...neste blog se fala demasiado dos rivais da segunda circular, ao invés de se falar quase exclusivamente das questões relacionadas com o clube."

Considero a sua interpretação errada, este post e a notícia que deu origem a ele acaba por, indirectamente e graças a insinuações hipócritas dos rivais da segunda circular, estar relacionado com o FC Porto. Pois o objectivo tácito desta novela do lance entre o Bruno Alves e o Rodrigo é atacar o Bruno Alves, e assim o FC Porto, pelo facto de ele ter sido jogador do FC Porto e insinuar que foi por esse mesmo facto que o Bruno Alves abordou o lance da forma como abordou.

Elementar, diria Sherlock Holmes.

Bacalhau_com_belgas disse...

Convém já agora, por uma questão de coerência e honestidade intelectual, colocar aqui as declaracões dos próprios elementos da equipa do Benfica:

"No final da partida, Jorge Jesus mostrou-se preocupado com a lesão do jovem jogador: «Levou uma pancada muito forte. Não sei até que ponto a lesão será impeditiva apenas em relação ao próximo jogo [V. Guimarães, fora]. A sua saída condicionou o que tínhamos pensado fazer no jogo.»

O treinador dos encarnados não mostrou ressentimentos em relação à ação de Bruno Alves: «Foi meu jogador, conheço-o, é uma entrada com agressividade e sem maldade.»

e ainda:

“Às vezes acontece, jamais vou falar mal de um amigo. Não creio que tenha sido por maldade, ninguém ‘entra’ à bola com a intenção de magoar um colega de profissão. Foi punido com um cartão e isso é importante”, disse Luisão.

Quando se quer ser moralista convem nao deixar nada por contar. E sim, o Bruno Alves é uma besta que por inumeras vezes já mostrou qual o seu estilo do jogo. Aliás, ele próprio já admitiu que acerta mais nas pernas do que na bola e que dá "umas porradas", e portanto beneficio de duvida é algo que eu pessoalmente tenho dificuldade em dar-lhe. E sim, no Benfica há também jogadores de igual estirpe (sempre houve e haverá, e o Porto tambem tem um historial), que nos dias que correm não podem fazer uma falta que logo na blogosfera azul se pedem execucões sumárias. O folcore é igual de todos os lados. De um lado toca-se o vira, do outro o corridinho. Chamar hipócrita a quem quer que seja é, em si mesmo, um exercício de hipocrisia...

Filipe Sousa disse...

Essa declaração é mesmo do Luisão, ou será do Marco Materazzi? E o folclore é igual de todos os lados, desde quando? Ou o Grupo Cofina e A Bola de repente formaram uma aliança com Porto, e eu nem dei conta? Tenho algumas dúvidas a julgar pelas capas dos jornais de hoje, 2 já depois do jogo.

José Correia disse...

E afinal, depois da "gravíssima lesão" provocada por Bruno Alves, Rodrigo está a 100% e convocado para o jogo de logo à noite em Guimarães.