sexta-feira, 23 de março de 2012

Amarelos cirúrgicos

Hoje à noite o Olhanense vai receber o slb, em jogo antecipado da jornada 24. Na antevisão ao jogo, o treinador-adjunto do Olhanense (o treinador principal apanhou um castigo que só termina no… domingo), Jorge Rosário, quando confrontado com a ausência de vários habituais titulares, afirmou:

Vai ser extremamente difícil para o Olhanense, porque as pessoas têm de perceber isto: quando toda a gente falava que só o Javi Garcia fazia falta ao Benfica, e que o Benfica não era a mesma equipa sem um jogador, é evidente que sem quatro ou cinco jogadores, para o Olhanense não é difícil, é extremamente difícil”.

Três das ausências certas são-no devido a acumulação de amarelos. De facto, no recente Vitória Guimarães x Olhanense, o árbitro Vasco Santos “acertou em cheio”. Dos quatro cartões amarelos que mostrou à equipa de Olhão, três foram a jogadores que estavam à bica e, por isso, André Pinto, Wilson Eduardo e Cauê ficam de fora do desafio contra os encarnados. É a vida…


Aliás, a “coincidência” de jogadores das equipas adversárias do slb ficarem impedidos de jogar contra o “clube dos 6 milhões”, devido à acumulação de amarelos, é algo que se está a tornar regular. Não faltam exemplos que atestem esta “regularidade” e ainda há cerca de um mês falei de um caso semelhante, a propósito da deslocação do slb a Coimbra.

Mas, numa altura em que este assunto foi abordado por muitos blogues portistas (a comunicação social do regime, evidentemente, nem ao de leve lhe toca), importa dizer que este padrão já existia na época passada.
A memória dos adeptos é curta, mas eu ainda me lembro do meio-campo totalmente “renovado” que o Paços de Ferreira teve de utilizar na recepção ao slb, na sequência de uma arbitragem “cirúrgica” do agora famoso Marco Ferreira (num Beira-Mar x Paços Ferreira).

De uma coisa tenho a certeza: a sequência destes casos não entrou, nem entrará, para a história do futebol português. A “verdade desportiva” é algo muito sério…

5 comentários:

miguel87 disse...

Por outro lado, havia 4 - QUATRO - jogadores do Paços de Ferreira em perigo de exclusão para a jornada seguinte, mas "curiosamente" nenhum deles viu amarelo...

Pedro disse...

«Desde que não haja lesões e estejam todos operacionais, o plantel chega e sobra para o que resta do campeonato», assegurou VP.

se é assim, bastava termos um plantel com 14 jogadores, 11 titulares e 3 q podem entrar. absurdo

JOSE LIMA disse...

Caro José Correia
Mais uma vez parabéns pela pertinência dos seus posts.
Mas não sei se "isto" ainda fica por aqui...
Quem me garante que 10 minutos antes do jogo começar, a "instituição" não compra algum jogador?
Lá está o BES para emprestar mais dinheiro, por isso o orelhas até já admite, precisar de vender jogadores no fim da época porque precisa encaixar 50 milhões.
Quando à questão que se está a passar com aqueles "vendidos" a quem chamam árbitros, só existe um culpado: chama-se Vítor Pereira, e foi ele quem lhes ensinou para que lado corre o vento.
Abraço

Paulo Figueiredo disse...

Curiosamente, o Marítimo quando foi jogar ao Dragão também não tinha meio-campo... Memória curta... E, a constipação do Atsu, do Rio Ave, na semana do jogo com o FCP? Disso vocês não falam... O Melgarejo jogou e bem contra o Benfica... Sei que o comentário não vai ser aprovado, nem isso me interessa, era só mesmo para dizer que este post não passa de uma palermice. Aliás, o empate no jogo de ontem e a postura do Olhanense, com o autocarro bem estacionado, as constantes perdas de tempo e a festa feita no final do jogo explicam que o homem da mala foi passar o fim-de-semana ao Algarve. E já nem falo da fruta que foi servida ao árbitro para expulsar o Aimar. Apesar de tudo, parabéns pelo blog (não estou a ser irónico).

Nightwish disse...

O Paulo fala como se fosse o primeiro jogo em que tal acontece...