sexta-feira, 16 de março de 2012

Mais sorte que juízo!

Os caprichos da Liga Portuguesa têm destas coisas. A marcação dos horários dos jogos obedece a lógicas sobrenaturais, pouco explicáveis, mas, bem vistas as coisas, depois do que se assistiu na Choupana, talvez visasse poupar mais uns quantos de portistas de assistir a um degredo de bola redonda. Salvou-se o resultado, os importantíssimos três pontos, graças a um Helton grandioso e um ineficaz Nacional.

Apesar do credo na boca no período de ocaso do encontro, o seu começo foi bem colorido para as nossas cores. No estilo calmo e descontraído (faceta transversal azul e branca noutros jogos) o líder do campeonato foi tomando controlo e iniciativa sobre o jogo. Os insulares não pressionavam, dando espaço de manobra para os homens de Vítor Pereira se soltarem, fazendo alguns remates prometedores.

Curiosamente, o Dragão iria chegar à vantagem num lance caricato, onde a bola faz carambola na cabeça de Álvaro Pereira indo cair nos pés de Janko, que só precisou de encostar para o primeiro do encontro. O domínio era materializado num lance de fortuna, mas, logo depois, Rolando não teve engenho para dobrar o marcador na cara de Vladan. Cristian Rodriguez e Defour, ainda antes do intervalo, iriam seguir-lhe as pisadas, numa ode ao desperdício que converteria o 2º tempo bem mais palpitante.

Para se ser correcto, a retomada da partida ainda trouxe uma ligeira fragrância azul e branca. Janko viu o guarda-redes do conjunto madeirense a negar-lhe o bi neste final de tarde e, James, pouco depois, rematou com perigo. Foi isto. Nada mais! Pedro Caixinha reforçou o meio campo com a entrada Mihelic em detrimento do deslocado Pecnik, e o Nacional tornou-se dono e senhor do miolo, garantindo mais velocidade e agressividade sobre a bola.



A última meia hora da partida foi um mergulho ao sofrimento e à sofrível existência portista. Um período que só teve um sentido, onde Helton negou uma mão cheia de bolas de golo, quer a Mateus, quer a Rondón. A quebra física do FC Porto era gritante, onde as perdas das 2ª bolas era uma constante e o recurso às faltas uma inevitabilidade. A defesa viu-se quase toda amarelada e Vítor Pereira desanuviou-lhe o ar com o ingresso de Mangala e Alex Sandro.

O suplício não foi muito diferente, mas pelo menos a equipa punha-se a salvo de uma expulsão de última hora. Trinta minutos de um semi-massacre que foi retirando crença à equipa da casa, culminando na extrema ironia de terminar o encontro a ver duas bolas baterem no seu ferro e, ao cair do pano, sofrendo o golpe fatal de Alex Sandro, no 0-2 que arrumava as contas.

Um resultado que ronda a injustiça, pela excelente 2º parte do Nacional. E mais uns quantos de apontamentos para o bloco de notas do adjunto de Vítor Pereira, em mais uma sofrível partida da sua equipa. Nesta toada, mais jornada, menos jornada, o tropeção vai-se desenrolar, novamente.

30 comentários:

José Rodrigues disse...

Só digo uma coisa:

Ufa...

Pedro disse...

tou a aguardar pela notícia da renovação, com aumento de ordenado, do Hélton.

Carlos Teixeira disse...

AINDA HÁ FOLHAS DISPONÍVEIS NO CADERNO DE APONTAMENTOS DO ADJUNTO PARA APONTAR TANTA MERDA JOGO APÓS JOGO?
NUNCA MAIS TERMINA A ÉPOCA PARA LIMPAR AQUELE BALNEÁRIO.

M. Teixeira disse...

Importante vitória, pelos 3 pontos, mas que não pode deixar de nos preocupar pela fraquíssima qualidade exibicional da nossa equipa.

A primeira parte, apesar de jogada ao ritmo habitual (lento!), foi dominada por nós e conseguimos algumas razoáveis situações de golo.

Depois com a saída de Pecnik e a entrada de Mihelic, avançando Rondon para ponta-de-lança, os estafados Defour e Moutinho perderam o meio campo por completo. A partir daí foi o descalabro e aqueles 30 minutos pareceram horas... valeu Helton.

A dualidade de critérios do árbitro em termos disciplinares foi gritante, obrigando VP a fazer dupla substituição na defesa para evitar uma expulsão que se começava a afigurar cada vez mais como provável.

De exibições positivas destaco apenas:
- Janko: pelo oportunismo "à PL" no lance do 1-0 e porque hoje pareceu-me jogar bastante melhor de costas para a baliza, segurando bem a bola enquanto aguardava a subida dos médios e dos laterais. Além disso, lá foi ganhando umas bolas de cabeça (algo que, estranhamento, não tem sido assim tão habitual).
- Moutinho: muito muito trabalho defensivo e muitas recuperações de bola. Desgastou-se imenso nas constantes subidas e descidas no terreno e nas dobras ao Defour (na minha opinião, os últimos dois jogos demostraram um Defour pouco eficaz quando actua como médio numa das posições mais recuadas do triângulo).

Isto vai ser um sofrimento...

Louro disse...

Que jogo miserável, valeu Helton !
O Alex Sandro fez mais em 15 minutos que o Alvaro Pereira em 90!
O Chelsea dava 15 milhoes e não aceitaram ? agora nem 5 milhoes!
Tantos erros, tantas gaffes, tantos equivocos!
Para que serve Iturbe ?
Emprestaram Guarin , Sousa , Castro e quando se lesiona o Fernando é o descalabro naquele meio campo!
Onde está nosso Verdadeiro PORTO?
Tivemos sorte e é preciso jogar muito mais que isto!!

miguel87 disse...

Finalmente! Uma exibição razoável na 1ª parte, muito má na 2ª mas com sorte lá conseguimos a vitória! Já desde a época passada que não tínhamos um jogo com esta estrelinha! São estes os tais jogos em que é necessária a tal estrelinha de campeão.

miguel87 disse...

"A defesa viu-se quase toda amarelada e Vítor Pereira desanuviou-lhe o ar com o ingresso de Mangala e Alex Sandro.

O suplício não foi muito diferente, mas pelo menos a equipa punha-se a salvo de uma expulsão de última hora."

Não me tomem por calimero, mas reparem como o único amarelo merecido é o do Otamendi! Os do Maicon e Alvaro muito forçados (Xistrados) e o do Alex Sandro completamente ridículo!

Golo do Alex a premiar a boa entrada no jogo e a boa leitura de VP que percebeu que Alvaro estava a dar o estouro (já na semana passada no Dragão esteve muitos furos abaixo do habitual).

Para terminar, duas coisas:
1)antes de criticarem o regresso de Maicon à lateral, lembrem-se da exibição do Sapu no jogo passado, aliado à falta de um extremo capaz de equilibrar na defesa, assim como a falta do trinco.
2)só critico VP por continuar a insistir em Otamendi, tendo Mangala em condições. O argentino é mau demais para a)ser jogador do Porto e b) ter custado 8 milhões!

Vitor disse...

Jantei... Liguei a TV e vi o jogo...
Aos 60 minutos puz o desfibrilador à carga, pois a jogatana prometia enfarte!...
O nosso FCP marcou com sorte e depois pôs-se a jeito(outra vez!) de ter mais uma derrota não fosse o nosso "graças-a-deus-Helton" que esteve em grande, dizendo sempre não às investidas do célebre Mateus!
Foda-se que não há coração que aguente tamanha emoção. Bom, depois no fim, lá marcamos o segundo e a coisa acabou bem... até quando?
E o "comandante" não pode sair mais cedo? E que tal estando a ganhar e, por volta dos 60 minutos meter um tal de Iturbe lá para o meio do relvado a ver se o garoto ainda se lembra do que é uma bola?...

Oh Pedro, acho que o Helton, no fim da época vai rumar a casa... Brasil, portanto...

miguel_canada disse...

Mais um grande jogo do nosso FCPorto. Grande.... desilusão, obviamente!
Não posso fazer mais comentários à forma deprimente como a nossa equipa joga porque se me acabou o vocabulário. Apenas mantenho que desejo arduamente que o Porto não seja campeão se isso significar a permanência de Vitor Pereira à frente da equipa.
O que ele está a fazer ao Sapunaru e ao Maicon é gozar com as pessoas.

jotajota disse...

Acho que a equipa não pode ser acusada de falta de luta e de não ter feito tudo para ganhar. Houve atitude,combatividade, mas nem sempre bom futebol é certo.
A falta de Danilo e Varela tem sido muito importante. Com Danilo a ala direita estava a ganhar força e profundidade além de permitir a passagem de Maicon para o centro da defesa,. A subida de rendimento de Varela estava a ser também importante para o equilíbrio da equipa. Varela é o jogador do plantel que melhor combina com Álvaro e um dos poucos que sabe segurar a bola.
Se juntarmos a tudo isto a lesão de Fernando, Djalma e o castigo de Hulk tudo se tornou mais difícil num plantel que ficou demasiado curto com as saídas de Fucille, Souza, Guarin e Belluchi, algumas mal explicadas.
Concluindo, se ganhámos com todos estes condicionalismos, acredito que com o regresso de alguns dos jogadores referidos e com a humildade e espírito de sacrifício que hoje foi patente, com alguns jogadores a acabarem o jogo completamente exaustos, o título está perfeitamente ao nosso alcance.
O discurso derrotista de alguns não ajuda nada. Mas, acreditem vamos conseguir.

17 de Março de 2012 00:41

Pedro disse...

o problema de hoje foi a inexistência de soluções de meio-campo no banco. claramente q moutinho-defour-lucho, como grupo, não conseguiram contrariar o meio-campo adversário a partir dos 60', especialmente pela queda física do lucho.

Mário Faria disse...

Saiu-nos a lotaria, embora os treinadores gostem de dizer que a sorte dá um trabalho do caraças. Foi mesmo sorte: na segunda parte os nossos homens não podiam com uma gata pelo rabo. Diriam outros que fomos muito eficazes e, por isso, fomos melhores. Não fomos e do jogo de ontem salvaram-se os três pontos e Helton.

Um meio campo com poucas unidades e um banco tão pobre que quando Lucho saiu - deveria ter saído muito antes porque nem fechava, nem fazia circular a bola, nem a fazia chegar aos homens mais avançados – foi Kléber que o substituiu.

Com Defour a jogar pouquinho e a jogar muito junto à ala direita quando o FCP avançava, a zona central abria uma avenida por onde entravam com toda a facilidade os homens da frente do Nacional, quando ganhavam a bola.´

Apesar da vitória, demos um sinal de incapacidade para mandar no jogo, estabelecer os ritmos e jogar concentrados, com as linhas e os jogadores muito próximos para bloquear os avanços do Nacional e ganhar bolas para o contra-ataque.

Foi enervante a nossa inoperância. Temos a vitória, ainda bem, mas nem nos serve de desculpa o facto do adversário ter feito um jogo do tipo “pega lá a bola”. Bem, pelo contrário. Jogou para ganhar e mostrou uma nova fragilidade da nossa equipa que só têm de explorar : ousar vencer porque o FCP está doente.

Foi um sinal arrepiante de incapacidade. Aquele rapazinho que jogava no FCP, pôs a cabeça em água a Alvaro que parece ter perdido a força e o jeito. Mas, foi tudo mau. Moutinho lutou muito, mas não pode ser ele a fazer tudo. Gostava de perceber o que se passa. Temo o pior.

Pedro disse...

tou a adorar o totalmente descredibilizado jornal correio da manhã. dizem q os gajos do nacional se queixaram do xistra, mas são o único orgão de comunicação social (se é q aquilo se pode chamar assim) a dizer isso. não me digam q é para falar daquele agarrãozito do álvaro quando o jogador do nacional já tava a cabecear a bola.. quando as arbitragens são comentadas desta maneira e com chamadas à primeira página, todos conseguimos perceber as tendências de quem orienta aquele pasquim.

dragaovenenoso disse...

É confrangedor. É confrangedor assistir à maior parte das exibições do nosso FCPorto esta época. É curioso observar que o nosso pior FCPorto dos últimos tempos consegue estar à frente do campeonato. Como seria se estivesse a jogar bem. Neste momento, e pelo andar da carruagem, tanto podemos ganhar o campeonato como - imagine-se - acabar em quarto lugar. Já percebi porque damos meio-tempo ao adversário: porque a equipa só aguenta uma parte, na outra arrasta-se! O que se passa?! Falta de salários? São maltratados? Tal como muitos adeptos já escreveram, o problema está em quem orienta a equipa, desde treinador a preparador físico. O treinador não consegue transmitir aquilo que diz ter na alma - arranjem um tradutor - o ser portista. O preparador físico não os consegue manter em forma - não sei o que lá continua a fazer. Agora já nem vemos os adjuntos, na volta já foram despedidos, nem me interessa. O que vejo é uma equipa estafada, sem alegria, incapaz de criar espaços, incapaz de inovar, desenvolver jogadas. Vejo muita cagada e tremideira. Isso passa, a meu ver, pelo líder. E o líder é o treinador. Já devia ter ido embora no Natal. Não foi. Provavelmente o canto do cisne terá sido o jogo no salão de festas da luz. Daí para a frente voltou a piorar...basta a inclinação costumeira do campo para nos fazerem cair. Basta isso.

Ando f...lixado com este tipo de jogo que este gajo implementou...porra! Dou comigo a ver o jogo e a reparar por onde andam os jogadores do Porto...é porque o espectáculo não me consegue entusiasmar... e faço um sorriso quando vejo jogadas muito forçadas e falta de jeito para as terminar...enfim, este ano é mesmo para reter na memória para não mais se repetir.

Rui Anjos (Dragaopentacampeao) disse...

Foi uma exibição descolorida, apagada, desconexa, desorganizada, trapalhona, enfim, impregnada de todos os defeitos que vem sendo a imagem de marca desta época. Uma vitória lisonjeira que vai garantindo a liderança, mas que esteve a milhas de convencer.
Esta equipa portista joga cada vez menos e começa a ser penoso ver jogadores de tão grande qualidade com comportamentos tão vulgares.

Tivemos a estrelinha dos campeões e Helton em grande. A sorte não dura para sempre. As nuvens negras da desgraça pairam cada vez com mais intensidade. Adivinha-se a derrocada a todo o momento, nos jogos complicados que ainda faltam.

Um abraço

José Correia disse...

Do jogo de ontem, só me apraz dizer uma coisa: obrigado Helton!

José Correia disse...

Eu não acreditava em milagres no futebol mas, depois de uma das mais miseráveis exibições que vi o FC Porto fazer nos últimos anos, ganhar por 2-0 na Choupana, só por milagre.

Gaspar Ribeiro Lança disse...

Este foi daquelas jogos em que o que interessou foi, única e exclusivamente, o resultado.

A exibição foi fraca, tudo foi fraco, e arrisco dizer que não perdemos pontos... por sorte, ou melhor, graças a Helton!

Há muito a trabalhar e muito a mudar.

Um abraço, Gaspar

Felisberto Costa disse...

Penso que Vitor Pereira é um excelente treinador mas um pessimo lider de homens! Incapaz de dar um raspanete a um jogador e exemplo disso foi a manutenção da braçadeira no braço esquerdo de Rolando. Pedagógicamente faria bem mostrar-lhe quem é que ali manda e no braço do Helton ou do Moutinho não haveria problemas.
Quanto ao jogarmos mal e porcamente, tornou-se um fait-divers esta epoca (precisamente pela falta de pulso do Mister?), mas convem lembrar a TODOS os enervados meus amigos que vamos á frente dos notas artisticas, dos rejuvenescidos e bravos calimeros e dos camuflados arsenalistas!
SOMOS PORTO, carago!

Carlos Teixeira disse...

Iam treinar hoje às 11 da manhã no Olival mas como já sabem tudo e estão a jogar bem o treino foi cancelado e só treinam amanhã.

UMA PERGUNTA: OS TIPOS NUNCA TREINAM DE TARDE? HÁ ALGUMA REGRA NO FUTEBOL QUE ESTABELEÇA QUE SÓ SE TREINA DE MANHÃ (E TARDE, SEMPRE 10H30-11H)? QUE PROFISSIONALISMO É ESTE? PARECEM OS CLUBES AMADORES CUJOS JOGADORES TRABALHAM DE DIA E VÃO TREINAR À NOITE.

UMA ÉPOCA INTEIRA SÓ COM UM TREINO POR DIA E DE MANHÃ.

OLHANDO PARA O SLB, QUANTAS E QUANTAS VEZES NÃO LEMOS O JESUS A PÔR OS TIPOS A TREINAR DE MANHÃ E À TARDE. NÃO ME PARECE QUE A CONDIÇÃO FÍSICA DELES SEJA PIOR.

Até posso perceber o chegar de avião tarde, etc, etc... Agora, o dia de trabalho não termina às 13 horas.

É TANTA A FALTA DE PROFISSIONALISMO QUE SALTA AOS OLHOS DE TODA A GENTE...

É que passamos a vida a discutir os jogos, a atitude nos jogos, as substituições, TEMOS DE DISCUTIR O TREINO. É DALI QUE SAI TODA ESTA ÉPOCA MISERÁVEL. COMEÇA NA EQUIPA TÉCNICA ABERRANTE E TERMINA NOS HÁBITOS INSTITUÍDOS.

José Rodrigues disse...

A ser verdade o q o Carlos Teixeira diz, isso é sintomático e bastante preocupante.

nexus disse...

@Carlos Teixeira,

Durante toda a época passada a metodologia de treino (ao nível do número e frequência de treinos) foi exactamente igual. E alguém se queixou?

Além do mais até Novembro, como habitual, houve várias sessões de treino duplas no Olival. É normal que nesta fase o treino seja feito de manha, e de tarde apenas trabalho de recuperação em ginásio.

O seu argumento parece-me inválido e algo falacioso. O número de folgas este ano é inclusive inferior ao do ano passado. Agora pergunto, no ano passado a equipa estava mal fisicamente e tacticamente?

Carlos Teixeira disse...

Está no site caro José Rodrigues. Eu costumo lá ir ver sempre a dinâmica da coisa: agendamento de treinos, folgas, etc. Por curiosidade de adepto. Faço-o já desde há alguns anos com regularidade, até para perceber as diferenças de trabalho entre os treinadores que vamos tendo. Com Vítor Pereira a maior parte dos treinos são às 11horas, as folgas são uma constante, os treinos são curtos (treino 10h30m/11h00m e ao meio-dia e meia ele está a fazer conferência de imprensa de antevisão?) e depois esta coisa, de há vários anos, não exclusiva: 15 minutos abertos e depois sempre fechado excepto no dia 1 de Janeiro de cada ano. Mas por que motivo?

Continuo a bater nesta tecla: residem no treino a grandes diferenças entre as equipas europeias. Italianos, espanhóis, ingleses, etc. A livre circulação de jogadores comunitários e treinadores esbateu as diferenças no que é jogar futebol espanhol, italiano, inglês. Agora, os métodos de trabalho, de treino, esses são uma marca que não muda. Vejam os casos do Milan - jogadores veteranos até aos 40 anos a competir em grande nível - das equipas de topo inglesas (os Manchester, o Tottenham) com jogadores fisicamente muito bem preparados, veja-se a intensidade com que equipas como Bilbao, Valência, metem em campo.

Esses aspectos TREINAM-SE! TREINAM-SE! TREINAM-SE!
Saber ler o jogo, mexer na equipa, motivar são questões inerentes a cada treinador que pode dominar mais ou menos bem.
TREINAR É OBRIGATÓRIO! Por que carga de água é que nós temos pouquíssimos golos de livres e cantos? Que a intensidade física é a que é? Que a quebra física num jogo como na Madeira foi confrangedora?
ACHAM QUE O CONJUNTO (VOLTO A INSISTIR) PAULINHO SANTOS, SEMEDO, VÍTOR PEREIRA, RUI QUINTA, FILIPE ALMEIDA RESULTA EM BONS TREINOS?! É NA BASE DO "VAMOS LÁ CARALHO!"?

Em Portugal, como em muitos outros sectores da nossa sociedade, se os jogadores estão cansados a ideia é dar-lhes descanso, não passa pela cabeça desta gente "SE CALHAR TEMOS DE OS PREPARAR MELHOR"...

Até o Hulk, 4 épocas em Portugal e este ano teve a sua lesão muscular, assim como Varela, como Guarín, como Djalma...

miguel_canada disse...

Eu acho mesmo que o FCPorto precisa de uma lufada de ar fresco... a começar pela SAD. O Pintinho já perdeu a pica há muito tempo e parece-me que anda ali apenas para continuar a encher os bolsos com comissões.
Parece que o que ainda vai interessando são os resultados desportivos individuais dos vendáveis transformando a equipa de futebol numa mera montra para que as comissões continuem a pingar.
Já era hora de Pinto da Costa se ir embora.

Amphy disse...

Ideias soltas:

Não creio que com a saída do presidente se ganhe muito... Bem pelo contrário. E neste momento só vejo um sucessor que me agrada, apesar de o considerar demasiado "manso", bem educado e cordial para o que estamos habituados: Rui Moreira. Talvez voltássemos a ser comidos fortemente nos bastidores do futebol.

Perante as condicionantes, faz algum sentido substituir o Lucho pelo Kleber, uma vez que se pode mudar o James para nº 10, ficando o Kleber a cair para uma ala. O James será um ala jeitoso, mas pode ser um 10 de topo mundial.

3 pontos são 3 pontos, mas o jogo com a Académica e este são de deixar uma certa apreensão no pessoal.

Será que não temos nenhum puto nos juniores que pudesse aparecer a defesa direito? O Otamendi não jogou a defesa direito na selecção Argentina? Porque não vai ele para a direita e o Maicon para o meio? Não percebo. É mais baixo e tudo. Mas se calhar amua...

Também acho que certas folgas devem ser merecidas e a este nível (salarial) não se deve premiar a mediocridade. A jogar mal e porcamente ninguém folgava. No tempo do Mourinho os treinos eram à porta aberta a seguir a uma má exibição, para que os jogadores pudessem sentir a reprovação dos adeptos e não estarem numa bolha protectora imunes a crítica e à responsabilização.

Se calhar se começassem a pagar comissões à SAD pela utilização de jogadores das camadas jovens do clube, começávamos a vê-los a crescer com o plantel principal. Deviam propor isso a votação. Era preferível. Custa-me dizê-lo mas até o Benfas tem duas promessas nacionais. Um na baliza e outro no ataque. E nós? Os nossos vão directos para Itália... é pena.

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...

caríssimas(os)

concordo com o teor do post.
penso que tudo está escrito quando o Helton foi um autêntico guardião que permitiu a conquista de (mais) três preciosos pontos, rumo ao objectiv final: a revalidação do título.

somos Porto!, car@go!
«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

saudações desportivas mas sempre pentacampeãs a todas(os) vós! ;)

Miguel | Tomo II

The Best Man... disse...

Off-Topic:
Boa Noite.
É verdade que Nós não jogamos nada e o colo-colo teve um jogo conseguido mas não nos podemos deixar apanhar na curva.
Há por aí uns senhores, que andam há muito tempo a preparar o terreno para nos encostar a uma corda e Nós, (como diz o treinador...) estamos a pôr-nos a jeito.
No dia seguinte ao nosso jogo da semana passada, o Rascord deu voz a um dos suspeitos do costume que diz isto,

http://www.record.xl.pt/Futebol/Nacional/1a_liga/Benfica/interior.aspx?content_id=745631

Agora reparem no tratamento dado ontem pela Sport tv na transmissão do jogo da luz...
O resultado não merece contestação mas vejam a origem do segundo golo do colo-colo e saberão do que falo. Ninguém consegue identificar de cabeça...??? Pois é, deve-se ao facto de não ter havido UMA ÚNICA repetição do lance.
Na origem da jogada e em minha opinião existe uma falta CLARA e DURA do Petit Patapon Gaitan.
Apelo a quem consiga arranjar a jogada que a coloque aqui ou noutro sítio de destaque, e verifiquem se tenho ou não tenho razão.
Ninguém sabe o que seria do jogo, mas o que é facto é que um 3-0 dá muito mais tranquilidade do que um resultado mais curto...
Sempre alerta...

The Best Man... disse...

Peço desculpa pelo engano no comentário anterior mas a falta que refiro é na origem do terceiro golo e não no segundo...
Pelo lapso peço desculpa mas a ideia base está lá...

Carlos Teixeira disse...

Caro nexus,

Filipe Almeida não é José Mário Rocha como preparador físico.

Semedo e e Rui Quinta não são Vítor Pereira (adjunto, nisso deve ser bom...) e Pedro Emanuel. Logo a qualidade de trabalho não é a mesma.

Não é verdade o que diz, não existiram até Novembro várias sessões duplas de trabalho, foi muito raro isso acontecer.

Também não é verdade que durante a tarde há trabalho de ginásio actualmente, é pura mentira, excepto para recuperação de jogadores lesionados. E mesmo que fosse verdade, pelo que mostram em campo, a equipa precisa de coisas bem mais importantes que treino de ginásio.

No ano passado, por força da Taça de Portugal e Liga Europa houve muitos mais jogos para a equipa competir, está a querer comparar o que não é comparável novamente, portanto o número de treinos não pode ser o mesmo.

Ao nível de lesões, parece-lhe que no ano passado tivemos alguma lesão muscular grave, lembra-se?

Portanto, a minha argumentação não me parece nada falaciosa.

Alexandre Burmester disse...

A propósito do número de treinos, lembro-bem que no tempo do Artur Jorge a equipa treinava de manhã e de tarde. Dizia ele que os jogadores eram demasiado bem pagos para só trabalharem de manhã. Além disso, os treinos matinais eram cedinho, por volta das 8.30, se não estou em erro.