domingo, 25 de março de 2012

Nem espanto, nem tristeza. Apenas pobreza.


Vinte e quatro jogos depois, ainda há quem exclame, ou até quem se espante, por tão intensos e sucessivos tropeços no liso, que estas equipinhas cá do burgo não aspiram a mais do que esse singelo diminutivo, e, eis outra vez, nem dois dias passaram, espalha-se ao longo outro “grande” com futebol tão pequeno, que apesar de pagos com muitos dinheiros, não são essas moedas que os fazem jogar mais. Os “pobres” da casa, coitados, lá vão eles à vida todos contentes, um pontinho no bolso, bem melhor que nada, seja louvado Cássio pelas prestimosas intervenções, ou bem-afortunado das aselhices alheias.

Não foi o pior, nem foi o melhor, correu como em outros jogos se deu, uma mediania sensaborona, que o nosso jogar não sabe a carne, nem peixe, mas a comandita de Vítor Pereira acabou por engolir as sobras que não tinha rapado antes do empate fatal, maldita melga ou vareja, que nos pôs a ver estrelas.

Nem foi nada mal, tal a cadência de bolas, e perigos vários, esvoaçando a baliza caseira. Depois do quarto de hora de jogo, a meter muito rasgo e pouco mais, chegou-se à frente o Dragão, com boas promessas de golo, mas todas elas sem lhe verem o ouro. Lucho primeiro, enquanto as pernas lhe davam, pica por cima, mas lá vem Cassio. Janko mais tarde, que para ser mais fácil, ou quiçá mais difícil, de portas escachadas, acerta-lhes nas fechaduras. Vira porca, venha outra, mais do mesmo, Janko outra vez, não sabe o que fazer a um ressalto de um tiro de Hulk. E nulo que és, fica-te tão bem.

Volta das cabines o povo, anda cá Fernando, que estás perdoado. Põe-te andar Defour, que só aterraste por estas beiras há pouco, ainda cheiras a leite, e não tens arcaboiço para deixar no chuveiro um capitão doutros tempos. Não sejas arreliante, escrever tais dislates, nem dois minutos a bola rolava e já se anichou nas redes de Cássio. Arrancada de Hulk, um pique bem ao seu estilo, obrigado Ricardo por nos fazeres o jeito, não vá aparecer aí um austríaco qualquer a trocar as voltas aos seus papéis.



Sobe, sobe rendimento. Oportunidades às dúzias, mas golos que é bom, nem vê-los. Chuta Hulk, chuta Moutinho. Carrega Cássio que estás na baliza para isso. Perde-se fulgor e alguma energia, mas deixa lá estar o Lucho que lá vai com a bomba no máximo. O Paços acredita, e está mesmo a cheirar a paio. Nem é preciso servi-lo. Com retaguarda como a nossa, há banquete pronto a sair a qualquer instante. Eis a igualdade, que até rima com nulidade, talvez injusto, ou se calhar merecido.

Cabeçudos somos nós por acreditar que agora é desta. Nem foge, nem descarta. Assim vai este andor, com os descrentes ansiosos, os agitados furiosos e os louvaminhas prudentes. Enquanto isso, vem de fininho o Braga e põe-se a pronto de açambarcar o tesouro da realeza. Bem feita e merecida chaga merecias, vós “grandes” que não desgrudais lá do púlpito, que chorais e rogais por gralhas e agruras do apito, mas não fazeis muito ou pouco por merecer lá ficar. Oremos.

21 comentários:

Franco Baresi disse...

Administração da SAD: RUA!!!

Ricardo Melo disse...

É pá, este post está espectacular! :-)
Muito bem escrito.
Parabéns N[e|é]lson Carvalho (desconheço se é com acento ou não)

Mário Faria disse...

Na primeira parte, embora sem grande intensidade o FCP dominou o jogo e criou algumas boas oportunidades para marcar. Otamendi estava bem na defesa, Moutinho muito bem e Lucho acompanhou com critério. Sapu teve um lance que poderia ter comprometido, mas de resto teve mais iniciativas atacantes que habitualmente. Alvaro sem estar no seu melhor, esteve mais equilibrado a defender. Sem deslumbrar, a equipa esteve equilibrada e poderia ter marcado em três ou quatro ocasiões. Janco trabalhou muito, deu luta mas continua a não ser bem servido na área : digamos que nem lê da melhor forma os movimentos dos colegas, nem estes são certeiros mo último passe. James esteve muito desaparecido : apenas tivemos direito a alguns lampejos. Hulk é sempre o mais perigoso (e desequilibrador) e o que mais jogo esbanja.

A segunda parte entramos com mais ritmo, marcamos com felicidade, perdemos não sei quantas oportunidades e, desta vez, fomos mais vez surpreendidos num canto. Lucho deixou de carburar em pleno, James continuou no seu ritmo errático, Kléber não deu qualquer valor acrescentado, pelo contrário, e acabamos por empatar o jogo. Pusemo-nos a jeito e tivemos o que merecemos. Apenas Moutinho e Fernando estiveram a um nível alto.

Defour tem tendência a jogar de forma semelhante a Moutinho, mas não tem a sua mobilidade e, em função dos mestres (Moutinho e Lucho) que pautam o jogo e o ritmo, fica-se por ser um ajudante das manobras que ambos estabelecem, sem espaço para poder ser pouco mais do que útil e fixar a sua intervenção a uma área bastante circunscrita, sediada no meio campo.
Vi jogos de Defour em que fiquei coma ideia que o homem tinha sido uma boas aquisição e um jogador capaz de jogar e entrar nas zonas defensivas do adversário. Lucho não dura mais que 60 minutos e não temos no banco soluções. Perdemos golos, fulgor e concentração. A fatalidade ocorre frequentemente, nestas circunstâncias. Não fiquei espantado com o sucedido, apenas muito irritado porque de tanto o prever até parece que dei galo à equipa.

O golo do adversário é um case study : com é possível deixar completamente liberto um dos jogadores mais perigosos do adversário para cabecear à vontade. Sei que acontece, mas esta época passou a ser uma rotina : sofremos muitos golos desta maneira e outros tantos que não aconteceram por milagre.

Digo, porém, sem satisfação, que a equipa do FCP jogou de forma muito acomodada e pouco concentrada. Nunca me pareceu que estivessem a jogar um dos desafios mais importantes da época. É minha convicção que a “final” que hoje não ganhamos nos vai tirar o campeonato.

Nuno Nunes disse...

Isto de dizer que a época foi mal planeada e que faz muita falta um ponta-de-lança de jeito, comigo, não colhe.

Este treinador é o principal responsável pela desilusão que está a ser esta época. Que futebol tão pobre! Somos uma equipa à deriva, sem soluções, sem querer, sem vontade, sem organização. Uma desgraça.

A equipa arrasta-se em campo. A preparação física dos jogadores, com apenas 7 jogos por disputar, é vergonhosa. Com o jogo empatado a 1 e pouco mais de 10 minutos para o final só vemos passes para o lado e para trás. Isto não é o Porto, isto é um engano chamado Vitor Pereira.

Que a época acabe depressa e que Pinto da Costa trabalhe na contratação de um treinador decente para atacar a próxima.

Soren disse...

Post absolutamente fantastico. Muito bem escrito.

O que tinha para dizer sobre mais este miseravel jogo disse-o na caixa de comentarios anterior. Entre as asneiras da SAD, do treinador e de muitas das meninas pagas a peso de ouro venha o diabo e escolha. Que pobreza.

Luchugo disse...

"One Trick Pony"

Esta expressão inglesa descreve perfeitamente o FC Porto de hoje, mas que foi esboçado por Pinto da Costa na pré-época quado afirmou qualquer coisa do género: "O único jogador insubstituivel é o Hulk".

Ora, daí ao auto-cumprimento da profecia Porto=Hulk+10 foi um tirinho. Nos pés.

Hoje em dia qualquer Académica ou Paços de Ferreira consegue manietar o FêCêPê porque lhes basta controlar as acções do Hulk que o Porto fica sem ideias.

E hoje, em abono da verdade, tem que se dizer que o Hulk esteve bem melhor que a maioria dos colegas, talvez à excepção do Moutinho.

O no passado tinhamos um PL que atacava as bolas como ninguém. Agora temos uns rapazes esforçados.

É esta a grande prospecção do FC Porto?

E o Lucho que apesar de estar claramente em sub-rendimento físico é sempre titular e normalmente dá o "estoiro" aos 50 minutos?

Este campeonato devia ter sido o mais fácil dos ultimos 10 anos e vai ser o mais díficil porque pura e simplesmente a equipa não tem ou motivação (o que é mau) ou qualidade (o que é pior) suficientes para atingir o seu objectivo primordial, que, dadas as circunstâncias, é o seu único objectivo até ao final da época.

Esperemos que os deuses da Sorte na Liga estejam com a equipa pois já vimos que nas outras competiçoes não quiseram nada connosco.

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...

caríssimos,

a vossa é também a minha frustração.

vamos «acarditar» que será possível.
"ser Porto" também inclui desventuras como a de esta época ;)

ps:
@ Nelson carvalho

parabéns! pela excelente prosa.


abr@ço
Miguel | Tomo II

David Duarte disse...

"Quem quer menos ser campeão?", é a pergunta que resuma a historia desta Liga no que toca a FC Porto e a Banfica. E isto tudo apenas beneficia o Braga que, diga-se, neste momento é quem mais merece o titulo.

agostinhop disse...

Esta equipa do FCPorto perdeu a alegria de jogar. É preciso reencontrá-la

InVicturioso disse...

Mário Faria, a minha leitura foi exactamente essa. A partir dos 60 minutos Lucho acabou, mas quem é tínhamos no banco para o substituir? Guarín ou Belluschi...Ai não espera aí, esses foram emprestados para poder pagar ao Lucho o salário de 240.000€...

LC disse...

Falar de sorte ou da falta dela com o VP ao comando da nossa equipa é como dizer que estou com "galo" por não me sair o euromilhões! O tipo é mt fraco e em relação a isso não ha sorte que resulte!!!

Rui Anjos (Dragaopentacampeao) disse...

Temos que ser realistas e analisar com o distanciamento possível sem nos deixarmos atraiçoar pela paixão votada ao nosso Clube do coração.

O coração diz-me que, apesar de tudo, podemos ser campeões, mas realisticamente, entendo que temos poucas hipóteses. Esta equipa está muito longe do FC Porto dos últimos anos. Não tem liderança nem estofo. É um conjunto à deriva, que só admira é como, a jogar desta forma, ainda é o líder do campeonato.

Está na cara o desfecho destas prestações. Não, não é atirar a toalha ao chão, é apenas e só a constatação de uma realidade que há uns meses atrás não se adivinhava.

Quero muito que o FC Porto, ainda assim, seja campeão, mas se conseguir, será um campeão sem honra nem glória!

José Correia disse...

InVicturioso disse...
A partir dos 60 minutos Lucho acabou, mas quem é tínhamos no banco para o substituir? Guarín ou Belluschi...Ai não espera aí, esses foram emprestados para poder pagar ao Lucho o salário de 240.000€...

Não é a primeira vez que as "pilhas" de Lucho se esgotam por volta dos 60 minutos. Quem o contratou e quem o põe a jogar tem obrigação de saber isso.

José Correia disse...

Rui Anjos (Dragaopentacampeao) disse...
Não tem liderança nem estofo. É um conjunto à deriva, que só admira é como, a jogar desta forma, ainda é o líder do campeonato.

Veremos, logo à noite, se o FC Porto ainda é o líder do campeonato. Convém não esquecer que o SC Braga tem um jogo a menos.

José Correia disse...

Rui Anjos (Dragaopentacampeao) disse...
Quero muito que o FC Porto, ainda assim, seja campeão, mas se conseguir, será um campeão sem honra nem glória!

Todos os portistas querem que o FC Porto seja campeão, mas temos de ser realistas. Olhando para o calendário (deslocações a Braga e à Madeira) e a jogar como a equipa jogou nos últimos três jogos, só por milagre.

Filipe Sousa disse...

Por uma questão de sobrevivência a médio/longo prazo, o Porto não pode - nem deve - ser campeão este ano. Tal coisa só validaria e justificaria as tropelias e a gritante incompetência de todos aqueles que têm alguma responsabilidade no Clube, e que nos trouxeram a este ponto. Não tenho nenhum ódio ao Vítor Pereira, mas tenho calafrios só de pensar que se formos campeões, ele será o treinador na próxima época, ou que não rolarão quaisquer cabeças por via da gestão desastrosa dos activos da equipa.

Carlos Teixeira disse...

Já não há palavras.
Repetimo-nos, semana após semana na mesma toada. Esta muito bem escrita, parabéns ao autor.

Eu gostava muito que fossemos campeões, mas caramba, olhando para todas as exibições neste campeonato: não têm mérito para isso. É a verdade. Não sei se os outros Braga (primeira volta bastante fraquita) ou Benfica merecem mais ou menos, nem me interessa isso, com honestidade. Não sei se Vítor Pereira continuará ou não (Fernando Santos esteve dois anos sem ser campeão), mas objectivamente:

- Este treinador não tem condições (quem sabe, um dia) para liderar esta equipa neste momento.
- Alguns jogadores do núcleo duro têm de sair no fim da época, é obrigatório renovar o balneário.
- O Porto não merece ser campeão este ano.

RCBC disse...

"Por uma questão de sobrevivência a médio/longo prazo, o Porto não pode - nem deve - ser campeão este ano."

Por uma questao de sobrevivência, convinha que o FC Porto pelo menos garantisse a entrada para a champions, que garante uma receita minima de 10M€... Algo que é importante para a sobrevivencia so clube...

E para irmos à champions teremos de ficar nos 2 primeiros lugares... Por isso nao sei se por uma questao de sobrevivencia será bom ficar em 3º lugar, correndo o risco de nao irmos à champions...

Alexandre Burmester disse...

O Filipe Sousa resumiu tudo!

Filipe Sousa disse...

RCBC, obviamente que o 2º lugar é o mínimo dos mínimos. Em termos resultados práticos, pouca diferença há em vencer a liga ou terminar em 2º lugar, mas o Porto não vive de idas à LC. Se assim fosse, se calhar o Jesualdo Ferreira ainda hoje era o nosso treinador.

Duarte disse...

Eu só não subscrevo o comentário do Filipe Sousa porque quero ser sempre campeão e, em segundo lugar, acredito que VP sairá no final da época, com ou sem a vitória na Liga.