sábado, 28 de abril de 2012

Em contagem decrescente! 3...

Faltam 3 jogos para terminar o campeonato!

Estamos em primeiro. Temos 4 pontos de avanço sobre o segundo. Em caso de igualdade pontual no fim do campeonato, a vantagem é nossa.

Em condições normais, estaríamos já com as faixas encomendadas e com uma quantidade assinalável de espumante no frigorífico para assegurar uma comemoração em condições! O problema é que este ano tem sido atípico em termos exibicionais, e ninguém está seguro quanto aos possível resultado, independentemente to adversário. Paradoxalmente, o FC Porto até tem feito melhores resultados/exibições com as equipas teoricamente mais fortes e com os adversários directos!

O primeiro adversário das três finais que ainda temos pela frente é o Marítimo.


Vamos jogar fora, num estádio recentemente remodelado e que nos costuma trazer algumas dores de cabeça. Nos últimos 10 jogos como visitante, o FC Porto teve 5 vitórias, 3 empates e 2 derrotas, o que apesar de não ser um historial trágico, é uma estatística que nos dá razões para que a preparação deste jogo seja feita com algumas cautelas (maiores do que, por exemplo, contra o Rio Ave na última jornada). Em relação aos últimos jogos da Liga, podemos dizer que estamos em melhor forma, já que temos uma série de 3 vitórias, enquanto os madeirenses têm 2 derrotas.

De uma perspectiva de objectivos ainda a atingir nesta temporada no campeonato (ainda com 9 pontos por disputar), a equipa do segundo maior arquipélago português (primeiro em dívida) ainda pode subir ou descer uma posição. A distancia para o 5º lugar, ocupado pelo Sporting, é de 5 pontos, apesar de em termos desportivos não haver uma vantagem efectiva na conquista dessa posição visto que ambas vão às competições europeias (Liga Europa). Para o Guimarães, actualmente em 6º lugar a 6 pontos, ainda é possível ultrapassar o Marítimo, o que deixa os insulares numa posição um pouco tremida já que isso significaria a perda do acesso à Liga Europa do próximo ano.

O onze mais utilizado por Pedro Martins ao longo da época é constituído por Peçanha na baliza; Briguel, Valentin Roberge, João Guilherme, Luis Olim e Rúben Ferreira na defesa; Roberto Sousa, Rafael Miranda e Danilo Dias no meio campo; Sami e Baba no ataque. Apesar de os jogadores mais usados sugerirem a utilização de um esquema de (5-3-2), o esquema táctico utilizado pelo treinador no último jogo foi um pouco diferente e talvez um pouco mais próximo daquilo que devemos esperar. Quanto aos destaques, o jogador mais utilizado até ao momento é Peçanha, e o melhor marcador da equipa é Bába com 10 golos.

5 comentários:

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Mais logo teremos um teste difícil na Madeira contra o clube presidido por um energúmeno lambe-botas.

O Marítimo é a equipa sensação do campeonato, é bem orientada, aguerrida e que nos irá colocar dificuldades.

Terá de ser um Porto guerreiro, voluntarioso, de sacrifício, e inteligente o que terá de entrar logo em campo.

Acredito na vitória pois somos melhores e vamos demonstrá-lo.

Atenção aos nossos atletas para as manobras que irão suceder. Há que ter frieza e abster-se das provocações.

Na Madeira teremos a nossa falange de apoio que será importante no empurrar da equipa para a conquista de mais uma vitória.

Abraço e bom fim de semana

Paulo

pronunciadodragao.blogspot.pt

Fernando C.Porto disse...

O que mete mais medo é o Baba.....pode ser que chegue de Sevilha ainda a tempo.....

miguel_canada disse...

A mim o que me mete mais medo é que nos apareça um petisco tipo "Bruno Paixão a modinha de Barcelos", visto ser esta praticamente a ultima hipótese que o benfas tem de sonhar com o titulo.

João Saraiva disse...

Ó Pedro! Recentemente remodelado?

Acho que mais depressa se acabam as capelas inacabadas da Batalha que aquele estádio.

Nightwish disse...

Já tivemos a primeira de nove finais, a primeira de oito finais, a primeira de sete finais, a primeira de seis finais, a primeira de cinco finais, a primeira de quatro finais, agora finalmente chegamos à primeira de três finais.
Sim, o jogo foi importante, mas podemos deixar de usar expressões sobre-usadas e patéticas?