domingo, 22 de abril de 2012

A fórmula "Incrível"

Hulk, rei e senhor da noite

Ao minuto 51, situação paradoxal desta partida, momento único onde Marc Janko não estragou um lance quando a bola passou-lhe pelos pés, finalmente o Dragão acordou para o jogo tonando-o muito mais entusiasmante do que fora até aí. A contrapor a primeira parte insípida, os homens de Vítor Pereira entraram para os segundos 45 minutos dispostos a resolver o encontro rapidamente. E quando assim é, tudo se torna mais simples e mais fácil.

Sem se tornar displicente como em jogos anteriores deste pouco suculento campeonato, a etapa inicial do FC Porto carburou numa cadência inconstante, ora vivaça – com alguns apontamentos de Hulk, ora monótona – onde a equipa aveirense se abeirou com perigo das redes de Helton por duas vezes. O futebol soluçava em jogadas ou passes perdidos, entre a linha média dos visitantes, não permitindo a nossa equipa assumir-se em verdadeiro e real perigo.

Quase sem querer, num desses momentos perdidos no baú das memórias que um jogo contém, Sapunaru escapa-se a Dias que agarra o braço do lateral romeno cometendo uma grande penalidade evidente. Tão clara como a estupidez de quem narra estes jogos numa televisão perto de si. Hulk é que não se distrai com estes somenos e fez o que lhe competia. A vantagem fundamental já cantava.

Janko e Hulk comemoram o 2º do encontro

A segunda parte trouxe-nos finalmente o repouso e a chama do jogo. O protagonista manteve-se, sempre ele, pois claro, Incrível como é, faz um pique voraz e Janko lá se enganou. Nem as gargantas repousadas estavam, e já Hulk voltava a fazer miséria na baliza de Rui Rego. Cruzamento perigoso, Maicon assiste o avançado brasileiro, que não perdoou. Momento de respirar fundo e de redefinir o jogo sobre a vantagem produzida.

Já Fernando estava em campo, não fosse sair um duplo amarelo transviado, juntou-se também aos companheiros Danilo. Com os três pontos no bolso foi tempo de incutir ritmo aos recém-lesionados. Importantes acrescentos para o ancore final desta prova, como já o foram esta noite também. Competência bastante para o coletivo em geral, mas o brilho total fica uma vez mais na obra de Hulk.

10 comentários:

InVicturioso disse...

Que mania esta de menosprezar o Janko!!
Não é nenhum Falcão, certamente, mas sabe fazer uma coisa que nem Kléber nem Walter sabem: segurar a bola quando não está perto da baliza e entregá-la aos colegas em boas condições. Já para não falar no facto de que não foge da bola como o Kléber, mesmo quando os "exigentes" "adeptos" o assobiam por tudo e por nada.

Mário Faria disse...

Sei que a equipa tem de ser gerida com toda a prudência para aparecer nas melhores condições nos próximos jogos.

Percebo que depois de estar a ganhar se dê minutos a Fernando porque vai ser importante estar nas melhores condições para os próximos jogos e a Danilo porque precisa de competição e Sapu tinha um amarelo.

Porém, e apesar de entender esta gestão, a equipa continua a mostrar-se satisfeita no cumprimento dos serviços mínimos, não encanta, não é categórica e, em função disso parece, ela mesmo não acreditar na sua força.

A primeira parte teve muito disso e um gp abriu o caminho para a vitória. Tivemos 20 minutos interessantes na segunda parte e depois disso a equipa acomodou-se e não aproveitou o tempo que sobrou para apresentar o perfil de um líder com estofo de campeão.

Fiquei com essa frustração.

Defour quando saiu era na minha opinião o mais activo do meio campo, Lucho nuca fez a diferença nem foi o comandante, James foi apenas razoável, Danilo não parece ser um jogador veloz e Alex Sandro é bom de bola, mas tem intermitências como se não estivesse suficientemente concentrado no jogo.

Satisfeito com a vitória, mas continuo com medo que a equipa não tenha engenho, arte, força e confiança para vencer o campeonato.

Mário Faria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rui Anjos (Dragaopentacampeao) disse...

O jogo de ontem voltou a mostrar um FC Porto de duas faces. A mais negativa, correspondendo a uma primeira parte de domínio inconsequente, com muitos passes falhados, dificuldades de progressão e sobretudo de uma intranquilidade defensiva de pasmar! As peças nucleares mostrara-se desinspirados e quando assim é, a máquina não carbura.

A mais positiva, correspondendo a toda a segunda parte, com incidência especial para os primeiros vinte minutos em que os Dragões foram arrasadores, construindo um resultado confortável. Nesta fase o futebol saiu fluído, rápido, incisivo e demolidor. O acerto defensivo e muita classe foram determinantes, com subidas exibicionais de todos os jogadores. Destaque para Hulk, uma vez mais decisivo.

O título ficou mais perto mas ainda faltam jogos muito importantes que vão decidi tudo, para o bem (espero) ou para o mal.

Um abraço

Duarte disse...

O Danilo esteve algo lento porque fisicamente ainda não está a 100%, porque quando isso acontecer não será assim. Questões físicas à parte, o lateral direito trata a bola por tu e o mesmo se pode dizer do Alex Sandro. O que seria esta equipa com um treinador a sério...

Em relação ao jogo propriamente dito, foi agradável de se ver. Com o 2-0 os jogadores ganharam segurança e confiança e tivemos espaços com um futebol muito bonito. Até ao 1-0 foi um filme que já vimos e revimos vezes de mais esta temporada e que continuará na próxima se este treinador se mantiver. Disso não tenho a mínima dúvida.

Deixo só algumas notas soltas:

Num jogo como este, Iturbe não podia jogar 20/15 minutos? Esta semana provavelmente falaremos dele, mas as teorias da conspiração em torno da sua não utilização já começaram. A culpa é do próprio jogador, é do Pinto da Costa, mas de Vítor Pereira é que nem pensar.

Alex Sandro esteve muito bem. É certo que foi bem melhor a atacar do que a defender, mas fez uma boa exibição e foi sempre clarividente. Coitado do treinador que para substituir Palito tem um jogador destes. Porém, mesmo segundo alguns portistas, um plantel bom e completo é o que tem o Capdevila como alternativa ao grande Emerson.

O Fernando e o Danilo voltaram e começaram a ganhar ritmo, o que é uma óptima notícia.

O 26º está cada vez mais próximo. Este jogo era essencial, foi ganho com toda a justiça e agora há que dar sequência a esta senda vitoriosa.

Nelson Carvalho disse...

@ InVicturioso

Não existe da minha parte qualquer má vontade com Janko. Apenas constato a sua evidente incapacidade para dar o melhor seguimento a grande parte das jogadas em que está envolvido, seja em apoio, seja em finalização.

Ontem (como em outros jogos também) isso foi evidente nesses dois tipos de momentos de jogo e exemplifico com outros tantos casos concretos; 1) O cabeceamento por cima da barra a 1,5 metros da baliza; 2) Contra-ataque da nossa equipa com Janko a poder isolar James e não consegue efectuar um passe simples de forma a colocar o colombiano em condição privilegiada para finalizar.

Se a nossa bitola é vista consensualmente entre nós como de fasquia alta, então o nível de qualidade de avançados que nos temos de apetrechar é pois da valia de um Falcao, Lisandro, Jardel ou Gomes, e não de um Kleber, Walter cujos nomes nunca rezarão história no nosso clube.

Nelson Carvalho disse...

@ Duarte

Penso que a janela de oportunidade para a integração gradual do Iturbe na equipa já expirou. Pelos menos na actual temporada.

Não me parece que vá ser a 3/4 jogos do fim da época que o jogador venha assumir preponderância no colectivo, de forma a ser útil para os jogos decisivos que de momento enfrentamos.

E precisamente por estar a atravessar um momento decisivo do campeonato, julgo ser mais útil para a equipa os minutos de rodagem que VP concedeu a Danilo e a Fernando para os confrontos que se avizinham.

Agora é hora de pôr os melhores, mais experientes e rodados em campo. Temos um campeonato para ganhar. Os afagos de alma não se aplicam em alturas cruciais como esta.

Duarte disse...

Eu aceito isso, Nelson, mas a questão principal não é essa. Porque não foi Iturbe utilizado mais vezes noutras alturas em jogos deste género? A janela de oportunidade dele fechou-se esta época, como dizes, mas eu espero é que não se tenha fechado para sempre. Esta é uma das muitas culpas que VP tem e é também por isto que espero que a decisão de o substituir mal acabe a época esteja interiorizada pela direcção. Outra razão prende-se com o futebol praticado que é demasiado instável e soluçante.

Ontem no Dragão estavam só 32 mil pessoas. Eu fui uma delas e para o ano renovarei o meu Dragon Seat sejam quais forem as circunstâncias. Mas eu falo por mim, não falo pelos outros. As pessoas ficaram demasiado desencantadas com as exibições praticadas e aí o treinador é o principal responsável. Ora, os adeptos não se podem mudar, portanto...

O Porto pode ter sentido sempre a falta de um grande ponta de lança, mas quando se tem outros artistas como James, Hulk, Moutinho, Lucho, etc, o futebol tem de ser forçosamente melhor. Vítor Pereira não conseguiu nunca imprimir uma identidade ao nosso futebol, talvez não seja tão mau como o pintei, mas não serve. Para o ano convém que passemos a fase de grupos da Champions, o que será tremendamente difícil com este treinador.

miguel_canada disse...

Se tudo continuar nesta velocidade de cruzeiro, penso que iremos de facto ser campeões mas, será sem duvida um dos títulos mais insossos da nossa gloriosa historia.
Ontem, assisti a mais um jogo pobre, triste e desinspirado da nossa equipa onde apenas dois jogadores me pareceram felizes por vestir aquela camisola e jogar perante aquele publico. Hulk e Alex Sandro. Os outros todos parecem-me completamente vazios de ideias, desinteressados e amorfos.
Eu bem sei que a comparação pode parecer absolutamente idiota mas depois de ver um Barcelona-Real de Madrid, o Porto-Beira Mar pareceu-me um jogo da Liga de Honra e se faço tal comparação é porque já vi o Porto jogar com aquela alma, com aquela classe, com aquela dinâmica e não vai assim tanto tempo.
Vocês perdoem-me a insistência mas continuo firme na opinião de que qualquer treinador com um mínimo de classe e competência tiraria muito mais daquela equipa...com amuados ou sem eles.
Relativamente ao Iturbe, concordo que agora talvez já seja um pouco tarde mas acho que a gestão (ou falta dela) que o Vítor Pereira fez com este jogador roçou a imbecilidade total porque é visível a toda a gente que o Iturbe é um jogador com um potencial incrível, com qualidade mais do que evidente para se tornar um grandíssimo jogador e um substituto natural do Hulk quando este marchar e o que o Pereira fez foi desmoralizar o miúdo, destruir-lhe a confiança e provocar a saída precoce do jogador que se sente infeliz e deseja procurar a sorte noutro lado.
Absolutamente ridículo.

Me myself and I disse...

Os meus desejos pela ordem de importância:

1. Ser campeão este ano apesar de não convencer mas só a nós próprios, porque no duelo com os rivais ganhámos, temos o melhor ataque ex-aquo com os cilindradores galináceos e a melhor defesa, e o jogador mais valioso do campeonato Hulk. Em condições normais isso é sinal de merecimento de campeão. O Braga merece mais? O Benfica? O quê, o sporting deste mês? O campeonato é um exercício de regularidade e apesar de não maravilhosos como em alguns anos, fomos competentes na maior parte do campeonato.

2. Que Iturbe não saia. O miúdo joga muito e tem muito muito potencial. Será uma dor vê-lo a rebentar de vez noutro clube qq nessa europa fora.

3. Que para o ano seja o ano de Danilo e Alex Sandro. Eles são do melhor. Caros mas vão mostrar valor se não houver azares tipo lesões e afins. Seremos muito mais fortes para o ano com estes dois a bombar.

4. Que a SAD abra os cordões á bolsa para unica e exclusivamente contratar um avançado de jeito. Janko é um óptimo Jankauskas, mas falta o Derlei, e sobretudo o McCarthy. Por mim Danilo Dias / ou Lima e alguém lá de fora.

5. Gostava de ver o Hugo Viana que fez uma época enorme no Braga no nosso Porto. Prefiro-o de longe ao Defour.

6. Ponto final, Vítor Pereira. Tremendamente injusto se for campeão ter de sair. Mas a verdade é q hoje em dia, o FCPorto já não é o mesmo dos noventas, a fasquia é mais alta, a Liga dos campeões ainda mais importante, precisamos de outro fulgor competitivo. Todavia também acho que se Vitor Pereira tivesse tido Falcão se calhar tudo teria sido diferente. Valerá a pena mais um ano das nossas vidas com VP como prémio pelo campeonato? Se calhar sim, porque bem ou mal, se formos campeões o campeonato também é de Vítor Pereira.