domingo, 29 de abril de 2012

Já está...

É isto meus senhores.

Depois de tanto sofrimento desnecessário o inevitável sucedeu.

Campeões no sofá, como tem acontecido tantas vezes, graças à enésima incompetência do rival de turno. Com um treinador que ninguém quer ver nem pintado de azul e branco, com um plantel de meninos mimados que em Janeiro sofreu de anorexia, sem um avançado top e depois de um ano para esquecer nos palcos europeus, somos Bicampeões nacionais!

Não se pode dizer que tenha sido o titulo mais saboroso e mais entusiasmante da história do FC Porto mas já são 26 titulos. E isso sim é um número bonito!


18 comentários:

Luchugo disse...

E ficam a faltar apenas 6 para tirarmos o chupa aos meninos, ehehehe!

Foi um ano de sofrimento, foi um ano de luta. Faltou algum brilho mas ainda assim fomos campeões com toda a justeza.

Comiserações aos vencidos, aos que deram luta até ao fim, sem eles não seria tão saboroso!

Para o ano há mais e (esperamos nós) melhor!

Bibó Porto!

O Anti Lampião disse...

O mal só prevalece quando o bem se cala
Quando fazemos o bem, o mal não prevalece e neste blogue temos muito orgulho na pequena contribuição para uma derrota da agremiação corrupta.
Este título é de todos aqueles que pugnam pela justiça e pela verdade desportiva.
Parabéns ao Futebol Clube do Porto, novo campeão nacional da 1º Liga.
http://www.oantilampiao.blogspot.pt

Miguel Lourenço Pereira disse...

Luchogo,

Justiça absoluta. Mesmo uma pior versão do FCP, como já se viu nos anos de Jesualdo, continua a ser muito para os nossos rivais. Não foi brilhante como no ano passado - e a Europa mede isso melhor que a Liga - mas é nosso e é para celebrar!

Mário Faria disse...

Muito satisfeito por este campeonato. Segui a excelente reportagem do Porto Canal e, bem instalado, segui de perto a festa dos jogadores, técnicos e a odisseia do nosso Presidente a passar pelo aperto da multidão para alcançar a “tribuna” do Dragão. Junto dos artistas participou, activamente nessa espontânea manifestação de alegria pelo êxito de mais um campeonato que teve um sabor especial, pelo menos para mim. Pinto da Costa no seu melhor : humano, fraterno e muito próximo dos sócios.

Depois da explosão por esta conquista, rapidamente serenei. Vi, acompanhei os artices da vitória, senti-me perto e participei em casa, junto da família. Havemos de fazer a nossa festa particular que mantemos há largos anos, para que os netos sigam as nossas pisadas.

Ouvi todos e como compreendi o treinador Muito vai mudar, provavelmente, na próxima época. Pela minha parte colhi muitos ensinamentos : basta seguir as carreiras de AVB e VP na presente temporada para constatar como o futebol é cruel e como os desaires e os êxitos tem destinos tão inesperados.

Temos mais dois jogos : há que saber cumprir a missão com todo o profissionalismo. Um campeão não dorme, nomeadamente quando foi com muitas lágrimas que o conquistou.

Agora que acabamos de as enxugar, temos de reaprender a sorrir e fazer dos jogos que nos falta cumprir uma alegria séria e responsável.

Porto sempre. Um casamento vitalício que manterei nos bons e maus momentos, na riqueza e na pobreza. Ser do FCP é essencialmente isso.

Duarte disse...

Miguel, desculpa, mas lendo estes teus últimos posts, se calhar mais valia o Vítor Pereira ir sozinho para a varanda do Dragão colher os louros.

rogério paulo almeida disse...

Parafreseando o autor do post:

"É isto meus senhores"...

Segundo o autor somos Campeões, uma vez mais, "graças à enésima incompetência do rival de turno".

Reconheço que a época não foi em alguns aspectos brilhante, e nem sequer sou defensor das capacidades do nosso atual técnico, mas, associar a nossa vitória à incompetência do "rival de turno", e pasme-se, à sua "enésima" incompetência, chega a dar vontade de rir.

É tão triste vermos esta incapacidade para se reconhecer o mérito, por pouco que pudesse eventualmente até ser, e pelo contrário vinga o desvalorizar de mais uma conquista, atribuindo esta ao desmérito do adversário. Essa é boa!

Será que o autor do post está mesmo feliz? Ou porventura preferia que a sua razão prevalecesse ao invés de sermos Campeões. A "fartura" tem destas coisas, não é? É o chamado "Portismo" dos "tempos modernos".

À 28ª jornada, somos Campeões. Temos mais vitórias, menos derrotas (apenas 1), os mesmos golos marcados e menos golos sofridos. Ou seja, números na linha do habitual, mas, na opinião do autor do post, o título deve-se à incompetência do rival de turno.

Portanto, os pontos por eles perdidos derivam de incompetência e não da sua falta de qualidade aqui e ali para os ter conquistado. Por outro lado, seguindo o mesmo raciocínio, depreendo que os pontos por nós perdidos não são fruto de qualquer nossa momentânea incompetência, mas sim da nossa inferior qualidade comparada com o tal "rival de turno". A conclusão a que então chego, é que eles são melhores do que nós, mas apenas perderam por essa tal incompetência.

Por falar em "rival de turno", o que é isso de "rival de turno"? Ganhamos nós um ano, e esse tal rival ganha no seguinte? Será isso? Mas não, a realidade mostra algo bem diferente. Quem ganha quase sempre somos nós. Por que será?

Não fomos brilhantes, titubeamos aqui e ali, mas somos Campeões por nós, pelo nosso mérito, pela qualidade do nosso plantel, pela nossa estrutura (a tal que está "finita") que, longe de ser infalível, não existe outra de qualidade igual, e claro, também pelo nosso Treinador que, embora longe de ser o melhor, evidentemente tem a sua quota-parte de mérito na vitória.

Se não gosta da Direção, do Presidente, do Treinador, deste ou daquele, está no seu pleno direito mas, dê lá pelo menos os Parabéns ao Clube.

E prepare-se, na próxima época seremos Tri-Campeões.

Viva o F. C. Porto!

miguel87 disse...

Quero espressar o meu agradecimento ao Prof. Vitor Pereira, por abdicar dos milhares de libras que lhe ofereceram para rumar a Londres e assumir uma cadeira de sonho, um cargo de alto risco, com o peso de suceder a uma época (quase) perfeita onde pouco tinha a ganhar (e ganhou o mais importante) e tudo a perder, com todas as contrariedades possiveis e imagináveis que enfrentou!

Agora, como treinador consagrado, o peso e o respeito inerentes, com as questões de balneario resolvidas e com as lacunas do plantel devidamente preenchidas, espero que desenvolva o seu trabalho e leve a equipa rumo ao tri e a uma melhor participação na Champions na próxima época!

rogério almeida disse...

Evidentemente "demérito" e não "desmérito" como por lapso escrevi no comentário anterior.

Costa disse...

Parabéns MAGICO Porto !!

Força Vitor Pereira, rumo ao teu BI-CAMPEONATO no FCPORTO !!

...Por muito que isso custe a alguns auto-intitulados 'portistas'.

Me myself and I disse...

campeeeeeões!!!!!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Mário,

Foi bonito ver o Pinto da Costa mais próximo aos sócios mas também ele sabe o que lhe podia custar junto dos adeptos um desaire este ano depois da péssima gestão da SAD desde Julho.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Duarte,

Todos merecem celebrar o titulo, e da mesma forma que muitos gostariam de ver a directiva e os jogadores a celebrar e o Vitor Pereira fechado no balneário longe das camaras, também é preciso relembrar que apesar do treinador - talvez a prova viva de que qualquer um é campeão no FCP - houve jogadores e directivos que não fizeram muito para estar aos saltos a celebrar este 26º titulo.

um abraço

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...

o Rogério já (d)escreveu tudo o que senti depois de ter lido as linhas deste post.

porr@!
somos bicampeões! com todo o mérito.
aliás e que eu saiba, um campeonato é uma prova de regularidade; e se o somos, é porque o fomos - ao contrário dos demais.

somos Porto!, car@go!
«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

saudações desportivas mas sempre pentacampeãs a todas(os) vós! ;)
Miguel | Tomo II

Miguel Lourenço Pereira disse...

Rogério Paulo Almeida,

Eu gosto de ganhar todos os titulos, mesmo as Taças da Liga que ignoramos, mas tento não me deixar cegar pelo fogo-de-artificio e embebedar pelo champagne.

Este ano foi um dos mais fracos da história do FC Porto nos últimos 30 anos. Não é fácil! E no entanto somos campeões, apesar de uma péssima gestão na secretaria, de um treinador que certamente não é dos melhores que já tivemos e de um plantel mal estruturado que foi emagrecendo em Janeiro e que aguentou estoicamente até ao fim com vitórias importantes mas sem pinga de bom futebol. Do que se viu o ano passado, para não ir tão longe.

No meio deste cenário, e partindo do principio que tivemos a 5 pontos do Benfica a determinada altura,pensar que fomos campeões sem um imenso demérito do Benfica, que na sua habitual ilusão de grandeza pensou que tinha a situação controlada para acabar por agarrar-se ás migalhas, e da incapacidade do Braga dar o salto depois de tantas vitórias seguidas, é, no minimo, curioso.

O campeão é sempre quem merece sê-lo, mas já nos anos de Jesualdo, também por uma má gestão desportiva e alguma incompetência do treinador, ganhamos titulos muito por culpa da falta de um rival a sério. Um clube que acredita que joga sozinho de vez em quando tem surpresas desagradáveis.

Quanto a questionar a minha felicidade e o meu portismo, enfim, dou por descontado que é consequência de uma noite bem passada e entretida que permite certos comentários que não devem ser levados muito a sério.

E para quê contentar-mo-nos com o Tricampeonato, há que pensar já no Bitri!

Duarte disse...

Os que querem retirar a quota parte de mérito a Vítor Pereira estão errados, mas aqueles que o apontam como o único a não ter nenhuma espécie de culpas pelas coisas negativas que aconteceram não estão mais correctos. E olhando às considerações que teceste neste post, concluo que te enquadras nesta última "facção". Pelo menos, é essa a interpretação que faço.

Por mim, estou a dever uma mea culpa ao treinador neste e noutros blogs. Agora estou sem tempo, mas ainda esta semana irei dizer algo sobre isto.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Duarte,

Não acredito que o Vitor Pereira tenha nível para ser treinador do FC Porto. Para mim ser treinador do FC Porto é mais do que ganhar ligas. É fazer boa figura na Europa, é jogar bem, é saber vocalizar a sua mensagem e o simbolismo que significa este clube. Vitor Pereira tem muito boa vontade mas não cumpre com essas caracteristicas, com ou sem titulo.

Agora, com um grupo de jogadores mimados, uma SAD desnorteada, fomos campeões. Algum mérito terá de ter o homem que deu o peito ás balas durante todo o ano e que foi montando os puzzles que a SAD e os jogadores lhe deixaram montar, da melhor forma possível. Este titulo ganhou-se no estádio da Luz e aí Vitor Pereira foi mais treinador do que nunca. Pelo menos esse mérito que não lho tirem.

um abraço

Nelson Carvalho disse...

Se há forma de estar com a qual mais me congratulo ver na gestão de Pinto da Costa e em toda a estrutura portista é a continua rejeição de viver na sombra do cómodo "status" do êxito, em especial nos momentos como agora vivemos.

A projecção do futuro vitorioso ao longo da era de Pinto da Costa foi sempre assente numa leitura sagaz das circunstâncias do presente e do passado, não se deixando embalar em euforias de ocasião, preterindo se assim necessário figuras que por hora podem parecer intocáveis.

É nessa perspicaz e desconcertante capacidade de reflectir que Pinto da Costa pegou em ilustres desconhecidos e fez deles campeões, abdicando com a mesma simplicidade dos seus serviços quando já não figurou na sua ideia, uma projecção de um futuro risonho com eles.

Vítor Pereira foi um campeão com mérito? Claro que o foi. Mas não tenho dúvidas este êxito de pouco brilhantismo não desmerecerá uma ponderada reflexão do Presidente, projectada num futuro mais sólido e sobre diferentes variáveis, bem longe portanto, das certezas que alguns hoje pintam.

O2T disse...

De acordo com Miguel87! Portistas, tenham memória, olhem para a história do pós-Mourinho e comparem!
Apesar das dificuldades (sem Falcão, etc), este Porto arrisca-se a ser o 4º campeão mais pontuado dos últimos 10 anos!