sábado, 7 de abril de 2012

Menos uma pedra no caminho


É nesta terra dos cinco P´s, em que vive fim-de-semana sagrado e benzido, não tenhamos a desfaçatez de expor em cru esse quinteto de palavras vãs, pois o andor está nas ruas, com seus rosários, diáconos e santos montados nelas, não fizeram as preces devidas os homens da terra, e o divino, que comanda estas coisas sem explicação, fez recriar o milagre da salvação ao forasteiro, sem muito merecer, é certo, mas ofertando tudo o que dispunha, e mais então, sendo assim, não fica obrigado.

Neste nosso meio campo sem coxia, que perdeu mais ainda o seu estanque, foi-se mantendo à tona como se lhe conseguiu. Nada mal rapazes, apreciamos-vos o esforço, que esta noite era só o que se pedia, mas logo mais quando beijardes a cruz, agradecei ao menino, pelos pés tortos do Hugo Viana, ou a pontaria do Otamendi no boneco. Podeis vós lamuriar também, se o sacristão não for lesto, aquela sapatada em cima da linha do Quim, sem perceber como a fez, adiar o que mais tarde não foi capaz.

Bem tenta por todos os modos o chefe das armas azul e branco dar melhor escolha aos seus arrábidos da dianteira. Todos são grandes, mas não grande coisa. Melhor sensatez se realizou Pereira, Vítor de seu nome, manco por manco, põe-se lá Hulk, que é pau para toda a obra, celestial ou terrena, que este corre, dá, finta, perde, constrói e destrói, acredita e protesta, é rápido e se atrasa, remata de pé esquerdo e faz golos de ouro com o pé direito.



Vede como o povo exulta. Vede como o povo celebra. É azul a festa e tu, ó Incrível, voltaste a derramar miséria. Salta “macaco” de alegria, segue-lhe o rebanho em barda, ninguém vê nada, ou nada se vê, euforia esta não há melhor, não há igual. O gajo da “tifo” que cai, outro que larga o estandarte, o homem que perde o golo no cigarro da hora e o velho que se enrosca gaja da frente. Todos em comunhão, ou cada um por si. Que o digas tu, Álvaro, que já te vês mais do que a conta.

É um sofrimento, não pode, nem será doutro jeito, está-nos traçado este calvário até ao arrepio da espinha. Escolhe os teus, Vítor, escolhe-os bem, que eles a ti já te escolheram e tu sabe-o quem. Segue o teu caminho que ainda é sinuoso, tem muitas pedras e demasiados valados. Não vás nas odes de sereias, que as contas só Deus fez, não são três, mas tão só quatro, quatro jogos que nos faltam vergar.

9 comentários:

Mário Faria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mário Faria disse...

Foi um bom jogo, emocionante e com uma intensidade acima do habitual. Foi muitas vezes bem jogado, com as esquipas a tentarem ganhar, mais o FCP que o SCB, até ao momento que marcámos.

Lucho e Moutinho quebraram um pouco: Lucho como vem sendo habitual, Moutinho porque correu muito e deve ter acabado em sacrifício, pois teve der receber assistência após entrada rude de um adversário.

Vi, hoje, uma série de jogos do campeonato inglês e italiano, e não vi melhor do que nos foi oferecido na Pedreira. O FCP não foi perfeito. Não foi. Com um plantel curto e desequilibrado, longe dos magos que habitam na Luz e com um treinador longe da excelência e sagacidade de Sá Pinto, confesso que muito temos feito, apesar de ainda não termos feita nada, porque ainda nada ganhamos. Apesar disso, o episódio de hoje correu bem e seria contraditório esperar o óptimo, com os meios que dispomos, perante um adversário que elegeram como o melhor do campeonato e a jogar em casa, onde ainda não tinha sido derrotado.

O cortejo ainda vai no adro, a exibição não foi de encher o olho, há muitas pedras na calçada que podem provocar escorregadelas e as defesas são modestas. Mas cumprimos com pundonor : assim aconteça nos próximos jogos.

Percebo a informação a que temos direito : canta loas à inteligência, humildade e pragmatismo quando referem o SCP, ou ao heroísmo dos 10 guerreiros da Luz que foram impedidos pela troika (vestida de negro) a passar à fase seguinte, na velha Albion. O FCP vai ganhando, mas é o único candidato sem mérito a ser campeão. Tudo acontece por acaso, quase sempre por demérito do adversário.

Nada de desvalorizar esta vitória que, em termos de futebol jogado, foi muito superior à final da Liga Europa entre as duas equipas. E a vitória foi justa. Gostaria que pudesse ter sido mais categórica, mas como costumam dizer os homens da bola : as finais são para vencer. Faltam mais quatro.

Brevemente reforçarão a equipa : Fernando e Danilo. Nada está ganho, mas também nada está perdido.

Alvaro esteve mal neste jogo e aquando da sua saída agiu de forma grosseira ; Alex Sandro entra com a maior tranquilidade, mas parece pouco concentrado nomeadamente nas tarefas defensivas. Não foi por acaso que foi por esse lado tivemos os principais sobressaltos.

Kléber uma surpresa que infelizmente não surpreendeu. Varela esteve mais mexido e Rolando entrou bem. Era hora de defender o resultado, embora o pragmatismo no FCP tenha sempre uma leitura desfavorável para os donos da bola.

Não temo cão, caçámos com gato. Defour foi exemplar. Fiquei muito satisfeito pela vitória.

Pedro disse...

grande jogo de futebol, emotivo e com qualidade técnica.

boa vitória da nossa parte. depois do golo, nunca senti q pudessemos perder.

excelente meio campo (apesar de algo desgastado no fim, o que é normal), onde todos fizeram um pouco de tudo: defender, recuperar bolas, subir, atacar, passar bem.

álvaro esteve menos bem e já não é de hoje. levou o mesmo caminho do rolando. alex sandro entrou muito bem. só "falhou" no lance em q o otamendi corta contra o hélton, e disse-o com aspas porque esse lance surge de uma inesperada perda de bola do defour e o alex sandro estava a recuperar posição. de resto, sapunaru a bom nível e os centrais muito bem. acho q temos nova dupla pra durar.

hulk decisivo, o melhor em campo. nota-se q está em forma, rápido, ágil, com vontade e as coisas estão a sair-lhe bem. james razóavel, esteve melhor (talvez por sentir-se mais tranquilo) depois do golo.

não achei mal a opção pelo kléber. janko não sabe jogar a bola, não encaixa no jogo do porto e tem falhado vários oportunidades (para além do excesso de conversa fora do campo...).

Nightwish disse...

5 jogos consecutivos, cinco grandes penalidades sobre o Hulk não marcadas pelos novos calimeros do futebol nacional...
Álvaro, volta a aprender a jogar qualquer coisinha, que a gente precisa muito.

InVicturioso disse...

(esta de escrever as crónicas em jeito de oração, teve graça a primeira vez, agora que se começa a tornar hábito, deixa de captivar os leitores, é só a minha opinião...)

Bom jogo de futebol e grande vitória do nosso Porto. Fiquei chocado ao ver Janko no banco, pois mesmo não tendo feito golos nos últimos jogos, acho que o austríaco é muito mais útil à equipa que o Kléber, até pela capacidade que tem de segurar a bola em terrenos mais recuados e entregá-la em boas condições aos colegas. Mas visto que esta opção teve um resultado prático positivo, antevejo que o brasileiro voltará a ser titular no próximo jogo...É assim Vítor Pereira: quando o resultado é positivo (embora a exibição globalmente negativa) ele nada altera.

Enfim, queria salientar o meu repúdio pelo comportamento de Álvaro Pereir aquando da sua substituição. Visto que ainda por cima foi bem substituído pelo Alex Sandro, para mim é claro: ele não joga mais até ao final da época.
É que ainda por cima estamos a falar de um dos jogadores que causou mau ambiente no balneário ao ver as suas choradeiras ("quero ir para o Chelsea!!!!!") compensadas com uma renovação do contracto e respectivo ao aumento salarial.

Hulk continua igual a si mesmo. É pura e simplesmente Incrível. Grande jogo de Moutinho e talvez o melhor jogo de Defour desde que veste de azul e branco!
Esta dupla de centrais parece também ser a que mais segurança transmite de todas as que já foram experimentadas ao longo da época.

Tenho um feeling muito muito muito forte que os galináceos não vão ganhar na segunda-feira...

Alexandre Burmester disse...

Foi sem dúvida um dos nossos melhores jogos esta época. Destaco os centrais, Hulk e Defour.

O título estará mais próximo, especialmente se, para citar o Mário Faria, o Sá Pinto, dragão com pele de leão, colocar em campo toda a sua execelência e sagacidade.

Soren disse...

Ganhar um campeonato sem ponta de lança, é obra. A concorrencia nao é muito forte é verdade, mas como é habito la temos de passar por uma época atipica para permitir a tal "competitividade"...

Defour fez o melhor jogo desde que chegou a Portugal e Hulk decidiu a passe de James. Sem Falcao nem Guarin, este Porto nao é o mesmo, sem Hulk seria um mero Benfica sem ajudas arbitrais.

Ha coisas que vao mudando devagarinho. Ja ha quem se insurja contra quem nao cumpre os contratos (como os banhudos que festejam golos em directo sem ninguém da equipa adversaria em estudio - mais ou menos como alguém que se recusa a treinar pelo clube que lhe paga, durante a pré-época ) e contra quem adultera musiquinhas do tempo da nossa senhora e depois convida a ir embora "quem esta mal".

De facto ha coisas que definem o estado de evoluçao de um pais e o branqueamento da discriminaçao, falta de respeito e competencia sao prova do atraso civilizacional de Portugal.

O benfiquismo é sem duvida uma das maiores doenças da sociedade portuguesa.

Se o Sporting nao perder em casa com os seus patroes do outro lado da 2a circular e o Porto vencer na Madeira, seremos campeoes. Sem ponta de lança.

joao abel calais disse...

Grande jogo,muito sofrimento,muita mágoa(álvaro pereira ...álvaro pereira ...)e continuamos a depender(SÓ) de nós. P'rá C.S. continua a ser um "peso" estas vitórias do FCP(que- pena- não- ter- dado- golo-Hugo Viana-só-tinha-Helton- pela-frente!...- dizia um daqueles batráquios da tvi !).Percebe-se V.P.,embora lhe falte "discurso" intuitivo e capaz!Eu entendo : o homem é treinador de bola,não mais que isso,e a malta até o "dispensava" da "zona de entrevistas rápidas".A ele,ao(s) Sá(s),ao(s) Jesus(es); ao(s)Bento(s) e já agora ao(s)Sérgio(s)- que cheirando a cueiros- já consegue ver na derrota dos olhanenses frente ao FCP o dedo malévolo da...arbitragem ! SUBLIME!- começa bem ! Ah! o jogo de Braga : Défour, JMoutinho,Maicon.Hulk ...em grande, na luta ,no arreganho,no sentir da camisola...Sapunaru,chega em grande forma, a este emocionante final. álvaro pereira -o nome, propositadamente, em letra pequena, precisa de um bom tratamento psicológico e qto. a mim, devia ser severamente punido pela estrutura do clube ...qualquer dia ,"isto" parece coisa lá dos slb's ...
Saudações Portistas
João Carreira

M. Teixeira disse...

Foi um bom jogo, intenso, equilibrado e bem disputado. o empate não chocava ninguém mas parece-me inteiramente justa e merecida a vitória do nosso Porto.

VP escolheu bem o onze. Na defesa manteve o melhor quarteto, no meio campo colocou o que tinha e no ataque reservou a surpresa... titularidade a Kléber e Janko no banco. Não me chocou... os laterais não iam subir tanto como costume (dadas as exigentes tarefas defensivas que tinham) e o extremos (Hulk e James) são tudo menos extremos... 90% das vezes fazem diagonais interiores fazendo com que o número de cruzamentos para a área sejam mais do que escasssos. Kléber, com a sua maior mobilidade e capacidade de jogar de costas para a baliza, seria factor surpresa. Não correu bem e VP corrigiu rápido e bem. Continuou a preveligir a mobilidade em deterimento da referência na área.
Nas restantes substituições... impecável. Álvaro esteve pessimamente durante todo o jogo... pior só a deplorável atitute na substituição, enfim! Quanto à entrada do Rolando... o adepto pode não gostar mas tinha que ser... o Braga estava em campo com 6 ou 7 jogadores no último terço do terreno!

Vitória importantíssima alcançada com a enorme atitute dos jogadores e com o dedo tático do treinador. Tivesse sido sempre assim e já eramos bicampeões neste momento.

FORÇA CAMPEÕES!