sexta-feira, 20 de abril de 2012

O avançado que não estava lá

Ontem à noite estive no Vicente Calderon a ver a meia-final da Europe League entre o Atlético de Madrid e o Valência. Havia um tal de Radamel Falcao no relvado. Acho que durante largos minutos ignorei o jogo para fixar-me neste avançado que alguns daqui devem reconhecer. Os golos, principalmente o segundo, maradoniano, já devem ter visto nos resumos. Mas é o que não se vê, o trabalho de desgaste da defesa, o poder de associação com uma linha de três atrás, o saber táctico e a forma como sempre soube ler bem o jogo que me conquistaram. Poderia ter sido a primeira vez que via este jogador. Se assim fosse já estaria a encher de sms os meus amigos portistas com um "temos de contratar este gajo".


Mas Falcao foi nosso. 
Durante pouco tempo, mas foi. E, exceptuando a veia goleadora de Mário Jardel, para mim foi o melhor ponta-de-lança que o FC Porto teve desde os dias de Fernando Gomes. Não tenho a menor dúvida. O ano passado foi fundamental para vencer a Europe League e mesmo na Liga, onde esteve alguns meses ausente por problemas físicos, foi peça nuclear da equipa que o AVB resgatou da depressão jesualdiana. 
O FC Porto supostamente vendeu aquele que é o melhor avançado do Mundo - não conto Messi e Ronaldo nesta demarcação apesar da veia goleadora de ambos - por uns 40 milhões de euros muito mal explicados. 40 milhões mais Ruben Micael, que depois eram 36 milhões, 38 milhões e que, na realidade, ainda nem 5 milhões parecem ter entrado nos nossos cofres. Uma situação que levou à falta de liquidez para pagar o que tínhamos de ter pago pelo Danilo e Alex Sandro ao Santos (e que nos levou a ter de esperar até Janeiro por um, enviando Fucile também para apaziguar as hostes) e por Defour e Mangala ao Standard Liege. Uma situação a que não me recordo que alguém tenha levado esta SAD e que estávamos habituados a ver só a sul do Mondego.
O Atlético de Madrid é um clube que paga mal e nunca a horas e os dirigentes da SAD deviam sabê-lo. Também deviam saber que Radamel Falcao é um jogador do outro mundo, que 40 milhões é um valor de mercado real sempre e quando o dinheiro chegue realmente e sem contrapartidas. 

Enganaram-se.
Não só deixaram este avançado sair no final do defeso, como não garantiram que o dinheiro entrava a tempo de ir ao mercado, fosse em Agosto fosse em Janeiro, para substitui-lo. E a verdade é que Falcao é insubstituível. É um dos melhores do Mundo, muito mais importante na sua função goleadora do que pode ser Hulk como falso extremo, Moutinho como médio de criação ou Alvaro Pereira como lateral esquerdo. O clube optou por regatear o "Palito", ignorar as ofertas da Premier por Moutinho e declarar Hulk como insubstituível. Provavelmente seremos campeões nacionais com essa politica. Mas os adeptos têm memória e saberão sempre que este titulo, a ser ganho, foi um "ai jesus" escusado e que nos palcos europeus perdemos uma boa oportunidade de, pelo menos, igualar a performance do Benfica na Champions League.
Desde o primeiro dia faltou-nos um ponta-de-lança capaz de matar os jogos mais difíceis, em Chipre, na Rússia e com o City. As oportunidades estiveram lá, como no ano passado, mas não havia Radamel para rematar. Nem Kleber, nem Janko nem sequer o sul-americano que se segue para a próxima época seriam capazes de fazer a diferença como ele. Vítor Pereira não teve a culpa de perder um jogador que para o Porto representava o mesmo que Messi para o Barcelona e Ronaldo para o Real Madrid. E ainda por cima, sem ter um substituto digno desse nome. A SAD preferiu sanear as contas com números que são fictícios porque os cofres continuam vazios.


É uma postura. Mas não é a única. Ontem no Calderon 50 mil colchoneros gritaram o nome do avançado que, provavelmente, os pode levar a vencer a segunda prova europeia em três anos. A segunda consecutiva do colombiano. Jogadores assim não se podem perder, apesar da nossa sina de clube grande em liga pequena. Mas se temos de o ver triunfar num clube mediano lá fora, pelo menos que alguém na SAD nos mostre que valeu a pena. Mas não valeu e todos sabemos isso. Vender Falcao como o vendemos podia ter sido um grande negócio financeiro e um erro desportivo. Cada vez mais parece que foi um erro a dobrar. Lamentavelmente! 

18 comentários:

Duarte disse...

Estamos a falar de um ponta de lança que disse peremptoria e declaradamente que queria sair a seguir ao jogo em Guimarães, certo? Convém não esquecer. Se há adeptos que, na defesa incondicional e cega do treinador, não se cansam de dia após dia apontar o dedo aos jogadores todos, ou quase todos, "contrariados", imagino o que diriam se Falcao permanecesse e se a sua performance nalguns jogos fosse baixa.

A intenção da SAD foi manter o colombiano e só uma situação extrema levou à sua venda por uma verba recorde em Portugal. Errou de um modo incompreensível ao não ter contratado um sucessor à altura, disso não há dúvidas.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Duarte,

Eu não acredito que a intenção de uma SAD com as contas no vermelho fosse manter um jogador com um valor de mercado tão elevado. Falcao disse em Guimarães, quando já Jorge Mendes e a SAD tinham discutido o seu futuro, depois de renovar o contrato, fora do Dragão e com Pinto da Costa ao lado como espectador tranquilo. Lembro-me de em 2003 Deco querer sair e do presidente e o técnico de então o terem convencido a ficar um ano mais, saindo sim, por 15 milhões quando podia ter saído até por mais.

A SAD precisava de cash flow e Falcao foi a oportunidade de limpar os livros de contas. Mas deviam saber que o Atlético deve dinheiro a todos os clubes com quem negoceia e que esse dinheiro talvez nunca chegue, pelo menos ás contas do clube. Imagino que houve vários jogadores que ficaram contrariados largos anos no Dragão e nas Antas e não por isso foram vendidos assim, sem um substituto à altura.

Quanto ao valor recorde Duarte, falamos quando o dinheiro estiver nos cofres da SAD ou do clube. Até lá é valor recorde sim, mas no papel. O dinheiro do Ricardo Carvalho, Anderson e Pepe entraram logo nos cofres, dinheiro vivo, 30 milhões, este vai andar ai, como fantasma nas contas, por largos anos.

um abraço

Sansoni7 disse...

Olá
Independentemente do dinheiro ter ou não entrado, independentemente do negócio de Falcão ser mais claro ou mais escuro, quando um clube interessado por determinado jogador «bate» a sua cláusula de rescisão , qual é a forma de o clube «proprietário» desse jogador evitar que ele saia?

Augusto

Duarte disse...

Miguel, com todo o respeito que sabe que tenho por si, a sua resposta ao meu comentário tem um conteúdo bem sustentado, mas meramente especulativo.

Eu não sei, e julgo que o Miguel também não sabe, até que ponto as declarações do Falcao foram encenadas. Em relação ao dinheiro do Atl. de Madrid, ele terá de chegar na sua totalidade. Acredito que parte já tenha vindo, mas o resto também não poderá tardar muito mais. Caso contrário, não acredito que o Porto deixe de tomar medidas. É muito dinheiro e um assunto sério demais para passar em claro. Mais, os colchoneros tinham recebido verbas elevadas das transferências de De Gea e Aguero e foi provavelmente pensando nisto, e aliado à vontade férrea de Falcao em sair, que a decisão da sua venda foi tomada.

O Falcao, de resto, ainda faz uns minutos na Supertaça e em Guimarães, dias antes de sair. Se a sua saída estivesse consumada previamente, o colombiano jogaria sequer um minuto com o risco de contrair uma lesão? O Miguel está, portanto, a sugerir que Falcao foi para Espanha a custo zero? Desculpe, mas nem que Pinto da Costa fosse LFV uma coisa dessas seria possível.

Quanto ao valor que Falcao tinha, ele era inegável. Eu continuo a dizer que não o trocava pelo Hulk e que o Porto sentiria bastante mais a falta do Incrível, mas aqui voltamos a entrar no campo especulativo. De qualquer modo, eu relembro o que já escrevi tantas vezes em tantos blogues portistas. Em 2007/2008, para substituir Pepe e Anderson, Jesualdo teve Stepanov e Leandro Lima. E casos como este no Porto poderão não ser a regra, mas já existiram e não foi por isso que deixamos de ganhar e, em caso de derrota, de responsabilizar o treinador, fosse ele qual fosse.

PS: a discussão em torno do ponta de lança, ou da falta dele, já tem barbas. Sem querer armar-me em guru da bola ou parecer pretensioso, creio que quem atribuir a falta de um homem golo o futebol fraquíssimo que, grosso modo, produzimos esta época está a contribuir para que os erros sejam mascarados e, na próxima época, repitamos a dose deste ano, sob pena de aí os dissabores serem maiores.

Nightwish disse...

Disse que queria sair porque já estava tudo combinado e para o PdC ficar bem na fotografia.

Duarte disse...

Nightwuish, se Falcao estivesse vendido, não jogava em Guimarães, nem Pinto da Costa perderia a oportunidade para demonstrar constantemente o seu desalento pelo facto deste ter querido sair para o Atlético de Madrid. PC é um homem muito inteligente, mas creio que às vezes nós tendemos a complicar o que pode ser simples e claro com teorias conspirativas. Falcao queria sair e, com aquelas declarações, tornou a sua transferência irreversível.

Eu acho profundamente injustas a esmagadora maioria das críticas que se têm escrito em relação à SAD. Creio que, nos últimos tempos, tudo se tem feito para branquear as responsabilidades que devem ser assacadas a Vítor Pereira, quando com outros treinadores não houve os mesmos pesos, as mesmas medidas e os mesmos subterfúgios. Agora, é preciso que se diga que a direcção se pôs a jeito e irá por-se ainda mais a jeito das críticas se mantiver VP na próxima temporada.

Miguel Magalhães disse...

Subscrevo as ideias essenciais do artigo.
Quando um jogador tem uma cláusula de rescisão, a única forma de o libertar, usando o argumento da cláusula, é com o valor da cláusula depositado na conta da SAD (não foi isso que aconteceu, p.ex., com o treinador?). Isso significa que a SAD vende um activo importante mas fica com dinheiro em caixa para encontrar rapidamente um substituto.
A venda do Falcão foi uma treta e mal explicada. Queria sair e ficaria contrariado? Também o Palito, o Guarin, o Fucile e muitos outros, hoje como no passado (e eu até defendo que, por princípio, se devem vender os jogadores que ficam contrariados). Mas, se era para vender fiado e não poder comprar imediatamente um substituto à altura das ambições da equipa, então mais valia ter vendido um, ou vários, dos outros contrariados. Com a agravante de o Porto ter tido uma história/conflito recente com o Atlético de Madrid a propósito do Paulo Assunção e saber perfeitamente que os espanhóis são maus de contas.
A SAD/direcção já acertou muitas vezes e a história dos últimos 30 anos é brilhante. Mas também tem enfiado vários barretes e cometido vários erros, o que até poderá ser visto como normal e aceitável à luz dos sucessos. Que se branqueem as borradas da SAD esta época com a (eventual) falta de qualidade do treinador, já não concordo. É como se se dissesse que a contratação do treinador não foi da responsabilidade do Presidente da SAD...

Miguel Lourenço Pereira disse...

Duarte,

Eu conheço muito bem a realidade do Atlético de Madrid. Desde a gestão de Gil y Gil que o Atletico está com parte dos seus bens penhorados pela Hacienda espanhola. São dividas enormes que obrigam, automaticamente, a que cada venda do clube, automaticamente uma percentagem significativa vá para os cofres do Estado para abater a divida. Foi assim com Aguero, De Gea e companhia e será assim até 2020, como minimo.

O Atlético é o clube que ainda não pagou a totalidade de Diego Forlan ao Villareal, não te esqueças disso. Forlan que esteve lá 3 anos e agora está no Inter. Podes garantir que os 40 milhões do Falcao entraram ou vão entrar nos próximos 3 anos nos cofres do Porto? Segundo um jornalista da Marca especializado no Atlético há um acordo para pagar os 40 milhões em 6 anos e meio, 7 milhões ao ano. Isso é grave porque perdes um jogador top em troca de 7 milhões para as contas de cada ano.

Todos sabemos que ninguém bateu cláusula de rescisão nenhuma, que o Ruben Micael entrou para enganar as contas, que o Atletico nunca paga a pronto nada e que Jorge Mendes se levou duas bonitas comissões, uma pela renovação do contrato de Falcao e outra pela venda, ele que manda em 40% do plantel do Atleti. Todos sabemos isso mas poucos pensam que consequências reais isso tem para as nossas finanças.

Falcao sozinho tem andado com o Atleti ás costas. Na Liga não lhes tem valido de muito mas é o terceiro melhor marcador, o melhor se exceptuar-mos a monstruosidade dos numeros de Ronaldo e Messi. Na Europa League também já é o melhor-marcador e tem pé e meio na final outra vez. O Incrivel Hulk não gera esse impacto numa equipa como ficou provado este ano, nem como a equipa joga (e o papel de pivot de Falcao e de rematador era fundamental no esquema AVB) nem a decidir jogos importantes, principalmente na Europa. Claro que isso são opiniões pessoais e a tua merece-me todo o crédito.

PS: O caso Falcao não tem nada a ver com o do Vitor Pereira que tem muita responsabilidade no mau futebol praticado e, sobretudo, na incapacidade de lidar com o balneário. Lembro-me na época de Octávio muitos se terem queixado do Palmelão não ter querido o Jardel mas pelo menos o Vitor Pereira queria o Falcao.

um abraço

Miguel Lourenço Pereira disse...

Sansoni7,

Como disse ao Duarte, todos sabemos que o Falcao nunca saiu pela cláusula dos 40 milhões.

Nightwish,

De acordo a 100%, Pinto da Costa sabe manobrar muito bem estas questões.

Miguel Magalhães,

A SAD do Porto fez alguns dos melhores negócios da história do futebo, não creio que seja preciso relembrar. Mas também os fez muito maus, não são infaliveis. Negociar o meu melhor jogador com o Atlético de Madrid era algo que eu nunca faria porque é um clube que paga mal, quando paga e que já teve muitos problemas por isso. E a SAD sabia-o.

um abraço

José Correia disse...

Imensas saudades do Falcao, provavelmente o melhor ponta-de-lança que envergou a camisola do FC Porto nos últimos 30 anos.

Não é por acaso que lidera a lista de melhores marcadores da Liga Europa 2011/12 e marcou 50% dos golos do Atletico Madrid no campeonato espanhol.

Duarte disse...

Miguel, já sabia que as condições do Atlético eram más, mas desconhecia essa realidade tão profunda. Não acredito é que o Porto também a desconhecesse e, sobretudo, desconfio que depois de Paulo Assunção, PC quisesse fazer negócio com eles se não tivesse alternativa e se não tivesse garantias de que o montante seria pago na sua totalidade. Ainda não foi, é certo, mas recuso-me a pensar que não será e caso não seja, o FCP só terá de avançar com uma queixa para a FIFA ou ser ressarcido de outra maneira. Não concordo com esta vossa visão, por muito que a ache válida

Eu sei que tu também não morres de amores pelo VP. Só que aquilo que se tem visto pela blogoesfera portista ultimamente é a desculpabilização total de incompetências óbvias do treinador. Quando é para criticar jogadores e dirigentes que tudo já deram pelo clube não há nenhum tipo de condescendência, mas quando se fala no treinador há sempre um "mas". O empresário do Iturbe hoje fez declarações que podem ser preocupantes (digo podem ser, porque pode haver por trás um jogo negocial). O rapaz pode sair no final da época sem ter tido oportunidades para mostrar o seu valor, ou a falta dele. Pela minha parte, estou mortinho por ver que desculpas é que tantos e tantos portistas vão arranjar e de que mais teorias se vão lembrar para poder culpabilizar tudo e todos, conseguindo deixar o treinador incólume.

PS: Miguel Magalhães, eu sei perfeitamente que foi da SAD a decisão de contratar VP, como será do presidente a opção de o manter na próxima épca. Tens razão, muita gente se esquece disto e às vezes eu próprio caio nesse erro. E é justamente em VP que eu julgo que recaiu o maior equívoco da direcção. Mantê-lo na próxima temporada pode muito bem ser desastroso.

Miguel Lourenço Pereira disse...

José,

Precisamente, um jogador que faz, onde quer que esteja, toda a diferença. O único do FC Porto nos últimos anos que pode presumir desse estatuto na minha humilde opinião.

miguel_canada disse...

"Gustavo Mascardi, agente de Iturbe, revelou este sábado em declarações ao site "tuttomercatoweb.com" que o avançado deverá sair do FC Porto no final da temporada, apontando depois Itália como destino.

"Na próxima semana estarei em Itália. Acho que ele vai sair do FC Porto. Não é feliz e em breve poderá surgir algo em Itália. Onde?Vamos ver", afirmou Mascardi."

Mais um sentido "obrigado" ao Vitor Pereira.

Sansoni7 disse...

Olá
Relativamente a Iturbe é uma pena ainda não termos visto o seu futebol, no entanto, gostava de saber qual a sua quota parte de responsabilidade nesta matéria...

Augusto

Duarte disse...

"Relativamente a Iturbe é uma pena ainda não termos visto o seu futebol, no entanto, gostava de saber qual a sua quota parte de responsabilidade nesta matéria"

Eu não disse que iam começar as teorias da conspiração?

Sansoni7 disse...

Caro Duarte

Defendo o meu clube, o FCPorto, por isso escrevo sempre menos daquilo que sei.

Augusto

Duarte disse...

O Iturbe é culpado de querer jogar, caro Augusto. Essa é a grande culpa dele. Vítor Pereira já sei que está, à partida e para alguns portistas, ilibado de todas as acusações que lhe possam ser feitas.

Eu também escrevo menos do que aquilo que vou sabendo, acredite.

Sansoni7 disse...

Caro Duarte, ao escrever isto:

« Eu também escrevo menos do que aquilo que vou sabendo, acredite», sabe concerteza que um jogador não vale só pelo que demonstra nos jogos a que é chamado a competir.
Cumprs e obrigado pelas resposta.

Augusto