quarta-feira, 4 de abril de 2012

O “barato” que sai caro

Há uns bons anos atrás, quando questionado acerca do elevado custo do passe de um jogador, Pinto da Costa respondeu dizendo que caros eram os jogadores que não jogavam.

Lembrei-me destas afirmações, a propósito da tabela seguinte publicada no Record, referente aos treinadores mais bem pagos do Mundo.


O que será mais caro, um treinador que aufere 3 ou 4 milhões de euros por ano, mas que ganha títulos, alcança fases adiantadas das competições europeias e contribui para a valorização dos “activos” que fazem parte dos planteis que orienta, ou um treinador que recebe menos de um milhão de euros por ano, mas que não consegue sequer tirar pleno partido dos jogadores que são colocados à sua disposição?

Claro que o ideal é juntar o bom e o barato mas, para uma SAD como a do FC Porto, cujo orçamento anual ronda os 100 milhões de euros, há alturas em que gastar 3 ou 4 milhões de euros por ano num treinador com curriculum e créditos firmados pode ser visto como um investimento, e de menor risco, do que gastar “apenas” uma centenas de milhar.

Infografia: record.pt

9 comentários:

InVicturioso disse...

Totalmente de acordo. Tenho vindo a repetir isto há já vários anos. Custa-me a entender que não se tenha nenhum problema em gastar 20 milhões de euros por um jogador como Danilo (aparentemente muito bom, mas muito jovem e com muitos pontos de interrogação), mas não se queira gastar 3 ou 4 milhões num treinador de qualidade insuspeita. Acho que isto é um menosprezo enorme em relação à enorme importância que o treinador do futebol moderno deve assumir.

Não tenho a menor dúvida que os problemas de balneário que fomos tendo ao longo da época, podiam ter sido minimizados ou mesmo evitados se tivéssemos um treinador de 1ª categoria sentado no nosso banco.

Ora não sendo esta uma questão financeira, voltamos à teoria de que PdC só gosta de ter treinadores que não questionem muito o que se passa no clube e apenas obdeça às ordens...

Mefistófeles disse...

É curioso, para não dizer incompreensível, que um Vicente del Bosque ganhe menos que um chungoso mascador de boca aberta que ainda não ganhou nada digno de registo para além de UM título nacional.

Ricardo Melo disse...

Desculpem lá mas este "estudo" do Record parece-me ridículo. Pegou-se em 20 ou 30 casos conhecidos e ordenou-se uma tabela no Excel...

Custa-me (MUITO) a acreditar que no Top 20 Mundial esteja apenas um treinador de um clube alemão (o Klopp do Dortmund ganha menos que o JJ?!), um clube francês (o Deschamps ganha menos que o JJ?!), os dois grandes de Espanha (o Emery e o Simeone ganham menos que o JJ?!)... e enfim, podia estar aqui o dia todo...

No entanto concordo que de nada adianta um barco recheado dos melhores remadores do Mundo, se depois o timoneiro é um amador. O Real Madrid que o diga, quando por lá passaram Pellegrini, Luxemburgo, Queiroz, etc...

reine margot disse...

Em sintonia com o comentário de Mefistófeles, para lhe dizer que se o valor pago equivalesse ao valor real, então com certeza o Scolari não ganharia o que ganha, e o Joachim Löw ganharia muito mais que um David Moyes...
Se quiser então, avaliar o valor em títulos, espere ainda um tempinho para se pronunciar...

Talvez não seja por acaso que os treinadores que encabeçam a lista estejam nos clubes com mais recursos... talvez o valor esteja aí: na carteira do empregador!

Por último só uma achega para o inVicturioso: se acha que Mourinho, Jesualdo e AVB só obedecem a ordens, deve andra a comer bifes muito encarnados...

Alexandre Burmester disse...

reine margot disse: "e o Joachim Löw ganharia muito mais que um David Moyes..."

Ora bem, o David Moyes é o terceiro treinador há mais tempo num clube da Premier League (10 anos no Everton), e essa longevidade e relativo sucesso (o clube vive há anos com orçamentos "baixos") têm feito o seu valor subir. Só com bons ordenados o Everton o tem conseguido aguentar. Pode não ter ganho nada, mas o mesmo se diga do seleccionador alemão.

InVicturioso disse...

Caro Reine Margot,

mas diga-me lá: quem foi o clube que "fez" Mourinho e AVB? Ah pois é...quando eles chegaram ao Porto, não eram o que são hoje...

Nuno de Campos disse...

Não se compreende a falta de investimento num treinador mais ainda se lembrar-mos os 15 milhões pagos a pronto pelo Chelsea por AVB. Um terço dessa maquia por dois anos de contrato com um treinador de top não espantaria ninguém.

reine margot disse...

Alexandre, só uma pequena correção: a Alemanha ficou em 3º no mundial... pode não significar nada para si, mas é um lugar no pódio!

(e, é claro que nada disto tem significado para a resposta que dei: o valor dos treinadores- nem de ninguém seja onde estiver - se vê pelo que ganham, mas ok...)

Alexandre Burmester disse...

reine margot,

E o David Moyes, contra todas as expectativas e previsões, conseguiu um 4º lugar, dois 5ºs e dois 6ºs na Premier League, uma presença na Final da Taça de Inglaterra e, para já, uma presença nas meias-finais da mesma prova esta época. Foi, até agora, por três vezes eleito o treinador do ano pelos seus pares, uma delas na época de estreia do Mourinho em Inglaterra.

Além disso, não podemos esquecer o facto de em Inglaterra se pagar, em média, mais aos treinadores que em qualquer outro país.