terça-feira, 29 de maio de 2012

Quanto vale um jogador

Volta e meia vejo pessoal a sair-se com frases do genero “o jogador “x” valia mais do que aquilo por que foi vendido”, o que sinceramente me surpreende e diverte em certa medida. O exemplo mais recente foi o de Joao Pereira, com um amigo meu a dizer que “valia sempre pelo menos 6 milhoes!”.

Eu sei que isto e’ um cliché’, mas nao deixa de ser a verdade pura e dura: um jogador vale aquilo que alguem estiver disposto a pagar por ele desde que seja suficiente para convencer o clube vendedor, ponto final paragrafo.

O mundo do futebol e' o mundo da lei da oferta e da procura por excelencia. Os jogadores nao sao barris de petroleo com uma cotacao publica: o valor do seu passe depende de muitas coisas, principalmente mas nao so’ (e por ordem decrescente):

1) o poder negocial de quem vende (um clube como o Real so' vende um jogador q queira manter se lhes oferecerem muuuuuuuuuuitissimo dinheiro, por ex)

2) a concorrencia entre clubes pela aquisicao do jogador (quanto menos, mais baixo e’ o valor da venda)

3) o arcaboico financeiro de quem compra

4) o seu valor desportivo

5) o CV

6) a idade

7) o salario actual

8) a duracao do contrato (acordao Webb...)

9) a posicao

10) a vontade do jogador em ir para o clube que o quer comprar (por ex se houver 2 ofertas, com o FC Kabul no Afeganistao a oferecer 50 milhoes e o A. Madrid a oferecer nao mais do que 10, o mais certo e' q o jogador va' para Madrid precisamente por causa disto - desde q os 10 milhoes sejam minimamente aceitaveis para quem vende, claro)

Tudo destilado, a conclusao e' que o desvio padrao e' IMENSO. Tanto temos um defesa direito a ser vendido por 10 milhoes, como outro que 'a 1a vista tem valor desportivo parecido mas so' e' vendido por 3...

O SCP podia ter esperado pelo fim do Euro? Bem, presumo q tendo as calcas na mao calcularam q mais valia um passaro na mao do que dois a voar.

O JP podia valorizar com o Euro? Pois podia, *se* as coisas lhe corressem muito bem a ele *e* 'a seleccao. A probabilidade disso acontecer nao e' assim tao grande como isso (e mesmo assim dificilmente se valorizava muitissimo mais, a nao ser que fosse considerado o melhor lateral do Euro ou coisa que lhe valha). De resto joga numa posicao em que raras sao as grandes vendas, tem um CV modesto, jogava no 4o classificado do campeonato portugues onde nao deu tanto nas vistas como isso, o salario nao deve ser propriamente baixo, e ja’ nao e’ propriamente jovem.

Ah, mas e’ titular da seleccao? Pois e’, mas tambem o Postiga e’ capaz de o ser e nao e’ por ai’ que vale uma fortuna. Ser titular por Portugal nao faz automaticamente disparar a cotacao, ainda mais quando (como neste caso) e’ mais titular por falta de concorrencia forte do que por merito proprio.

6 comentários:

Pyrokokus disse...

Acho que se o Sporting o vendeu por 3 milhões é porque consideram que o valor real do jogador é inferior. Algo que sou obrigado a concordar.

G. disse...

Só é titular porque o Paulo Bento deixou Bosingwa de fora. Ainda assim, colocaria o Miguel Lopes a titular. :-)

Nuno Nunes disse...

Correcção: em Kabul, o clube local chama-se SL Kabul :)

Costa disse...

Falta aí uma variavável determinante no preço do jogador.

O seu empresário...

José Rodrigues disse...

Bem visto, Costa.

De resto como portista estou a borrifar-me para o caso especifico do J Pereira... usei-o apenas como exemplo.

joaodolobo disse...

Concordando com o texto em geral, creio contudo que existem dois aspectos que merecem ser mencionados. Em primeiro lugar, o mercado dos jogadores de futebol não é propriamente um mercado de concorrência perfeita. Existem diversos aspectos, alguns dos quais mencionados, que fazem com que seja um mercado peculiar (ex: as negociatas e partes não declaradas dos negócios, a vontade dos jogadores - quando compro uma cuba de vinho, não preciso que ela tenha vontade de ser comprada...). Em segundo lugar, creio que existe uma variável fundamental que é preciso ter em conta, nomeadamente nas grandes vendas: a "marca" do jogador. A maioria dos adeptos de futebol têm uma capacidade limitada para fixar nomes. Logo, a compra de nomes sonantes é importante para acrescentar valor à marca do clube, gerar vendas de cachecóis, etc. Ou seja, o rendimento desportivo é só uma parte do valor do jogador.