quinta-feira, 3 de maio de 2012

Vítor Pereira e a gestão de “ativos”

A gestão de“ativos” é parte essencial do modelo de negócio da FC Porto SAD, num ciclo de valorização que, simplificadamente, pode ser descrito da seguinte maneira:
1) Formação e/ou Prospeção (preferencialmente de jogadores Sub-23);
2) Experiência e Avaliação (através de empréstimos e/ou utilização controlada);
3) Progressão e titularidade na equipa principal;
4) Apresentação do “produto” (mostrando-o na montra das competições europeias e/ou através de internacionalizações pelas respetivas selecções);
5) Ganhos desportivos (consubstanciado na conquista de títulos);
6) Venda (gerando as mais-valias necessárias ao equilíbrio das contas).

Mourinho, Jesualdo e André Villas-Boas, além de conquistarem títulos ao serviço do FC Porto (desde que a SAD foi constituída só Octávio Machado e Vitor Fernandez não o fizeram), promoveram e/ou potenciaram diversos jogadores, cuja venda proporcionou à SAD um encaixe muito significativo (dezenas de milhões de euros), algo que é fundamental para a sustentação deste modelo de negócio e para realimentar o ciclo através de novas contratações.

E Vítor Pereira?

Comecemos por analisar o plantel atual do FC Porto, o qual inclui dez caras novas: Rafael Bracalli, Danilo, Mangala, Alex Sandro, Steven Defour, Lucho, Djalma, Iturbe, Kléber e Janko.
De todas estas contratações, apenas Lucho (um regresso de um jogador maduro, que já conhecia os cantos à casa) se impôs naquela que poderíamos considerar a equipa base de Vítor Pereira.

Por outro lado, ouvindo/lendo declarações recentes dos respetivos empresários, tudo indica que Rolando e Álvaro Pereira estão no mercado, mas algum deles vale hoje o mesmo que valia no final da época 2010/11?
E o mesmo se pode perguntar dos jogadores emprestados (despachados…) em Janeiro, com particular destaque para os ex-titulares Fucile, Guarín ou Belluschi. Aliás, com a exceção de Maicon (que ainda não deu ao FC Porto o suficiente em termos desportivos para a SAD o querer vender no final desta época), há algum “ativo” da SAD portista que hoje tenha uma cotação de mercado superior à que tinha há um ano atrás?

Independentemente da “nota artística” do futebol praticado pelos dragões (algo que durante esta época não foi famoso), a capacidade para promover e valorizar jogadores é um dos aspetos principais que Pinto da Costa e Antero Henriques terão de levar em conta, quando decidirem (se é que já não o fizeram) se Vítor Pereira é para continuar.

Recordo que, só nesta época, a FC Porto SAD investiu cerca de 50 milhões de euros em jogadores Sub-21.
Será que Vítor Pereira é o treinador certo para, nos próximos anos, potenciar jogadores como James, Iturbe, Kelvin, Atsu, Kléber, Alex Sandro, Danilo ou Mangala?

Depois da saída de Falcao, a confirmar-se também a venda de Hulk, haverá uma nova injeção nas contas, mas é preciso que outros “diamantes em bruto” sejam devidamente polidos e, já na próxima época, comecem a brilhar intensamente dentro das quatro linhas.

14 comentários:

Ricardo Rodrigues disse...

Sem dúvida que é uma das maiores lacunas de VP, já para não falar noutras igualmente importantes. O facto das oportunidades dadas a Iturbe serem poucas não me incomoda muito, até porque bem vistas as coisas o miúdo tinha feito meia dúzia de jogos como senior nesse colosso Cerro Porteño...no entanto incomoda-me que não tenha conseguido fazer de James mais do que ele é agora...todo o trabalho desenvolvido para a evolução de James no meu ponto de vista foi feito essencialmente por Villas Boas.~
Depois temos Maicon, esse foi uma aposta ganha de VP, mas foi preciso que outros estivessem muito mal (Rolando) para que VP considerasse colocar Maicon como defesa central, aí a passagem dele pelo lado direito da defesa julgo que o ajudou no sentido de descomplicar o que era complicado.

Enfim, o que posso dizer, é que neste aspecto de potenciar jogadores, não me recordo de ninguém como Mourinho e Jesualdo Ferreira, por muito que custe a alguns, esta é a verdade.

Quem virá a seguir?
Não faço a mínima ideia...

[VOTAÇÃO] - Melhor MA Esquerdo da Liga Zon Sagres

JOSE LIMA disse...

Caro José Correia

Pertinente questão que, quanto a mim, se divide em duas vertentes: a desportiva e a financeira. Se a desportiva é sempre aleatória, está dependente do menor ou maior rendimento que o treinador (seja ele qual for) consiga extrair dos jogadores, bem como, a consequente afirmação ou não na equipa titular, neste momento, preocupam-me mais as dificuldades financeira que as finanças dos clubes atravessam.

Repare-se no que está a acontecer “na concorrência” e, desculpe estar sempre a falar da “instituição” mas, é só porque conheço bem as contas. “Aquilo” é um perfeito descalabro. Segundo o seu próprio RC semestral (1 de Julho a 31 de Dezembro 2011) tem 71 jogadores sob contrato, dos quais 25 compõe o plantel. Contudo, como tem “protocolos” com clubes nacionais a quem emprestou dinheiro, naturalmente já “reservou” mais alguns, que devem ser despachados para a tal equipa “B” que se anuncia.

O Passivo Financeiro era de 260M, dos quais 120M€ a curto prazo. Por isso o presidente anda pela Europa fora, a mendigar “ofertas” para os seus atletas, dado que os Custos de exploração corrente, nunca são cobertos pelos Proveitos. Daí, o Passivo Total do Grupo já ter ultrapassado há muito os 500M€, dos quais 400M€ são da Sad.

Voltando ao principio. O meu amigo coloca muito bem a questão. Provavelmente os nossos jogadores não valem tanto como valiam antes e, ainda acresce um problema. Com a renegociação das cláusulas de rescisão para valores muito mais elevados, e o provável aumento salarial que naturalmente se verificou, os atletas passam a ser acessíveis a poucos clubes que evidenciem capacidade financeira sólida. Ainda há poucos dias, tive conhecimento que o Atlético de Madrid está a pagar o Falcão às pinguinhas o que nos tem causado alguns problemas de Tesouraria.

Felizmente temos uma quantidade relativamente reduzida de jogadores, bastará vendermos 2 ou 3 para equilibrar as contas porque, como sabe, os “diamantes em bruto” levam algum tempo a lapidar. Se ali pela defesa e meio campo não deve haver grandes problemas, espero que não aconteça a mesma comédia desta época em que ficámos mancos lá na frente. Mas tudo dependerá, como é óbvio de quem sair.

Abraço

Keyser Soze disse...

"Mourinho, Jesualdo e André Villas-Boas, além de conquistarem títulos ao serviço do FC Porto (desde que a SAD foi constituída só Octávio Machado e Vitor Fernandez não o fizeram)."

Com Victor Fernandez julgo que vencemos a Taça Intercontinental e também a Supertaça portuguesa. Já campeões nacionais é que com ele ao leme, de facto, não fomos. Até foi despedido antes disso e substituido pelo... You know who.

Zero disse...

Que grande injustiça essa boca ao Victor Fernandez, um grande treinador (e o seu despedimento foi um dos maiores erros dessa época pejada de erros).

Victor Fernandez ganhou a Taça Intercontinental de 2004 ao serviço do FC Porto.

André Vilas-Boas disse...

Penso que o Victor Fernandez ganhou a Taça Intercontinental em 2004

José Correia disse...

@Keyser Soze, Zero, André Vilas-Boas
Sim, Victor Fernandez ganhou a Taça Intercontinental em Dezembro de 2004.
E, se bem me lembro, o Octávio Machado ganhou uma Supertaça.

Quando falei em títulos deveria ter sido mais preciso. Devia ter dito campeonatos.

Hugo disse...

Parece que há alguns comentadores que não leram a parte da entrevista de Pinto da Costa sobre o despedimento do Fernandez.

Hugo disse...

Parece que alguns comentadores não leram a parte da entrevista sobre o despedimento do Fernandez.

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...

a "tal entrevista" referida pelo Hugo pode ser (re)lida aqui.

somos Porto!, car@go!
«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

saudações desportivas mas sempre pentacampeãs a todas(os) vós! ;)
Miguel | Tomo II

ALBINO disse...

HÁ TIPOS QUE QUEREM TUDO: CAMPEONATOS, NOVOS CRAQUES PARA VENDER, ETC. O VP VIU SAIR O FALCÃO, TEVE DE CORRER COM ALGUNS INSATISFEITOS, SUPORTAR OUTROS, E A DUAS JORNADAS DO FIM É CAMPEÃO. NÃO MERECERÁ, PELO MENOS, UMA PALMADINHA NAS COSTAS E O BENEFÍCIO DA DÚVIDA? QUEM SE ATREVE A SUGERIR SUBSTITUTGOS? O QUE VALE É QUE O PRESIDENTE É QUEM SABE, E QUEM DECIDE, E NÃO ME PARECE HAVER RAZÕES PARA QUESTIONAR A SUA COMPETÊNCIA.

Keyser Soze disse...

"Com Victor Fernandez julgo que vencemos a Taça Intercontinental e também a Supertaça portuguesa."

Corrigindo o que escrevi há dias, a Supertaça Cândido de Oliveira disputada no início dessa época foi disputada em Coimbra e ganha pelo FCP ao Benfica por 1-0, sendo que, na altura, o treinador (ainda) era o Luigi Del Neri.

Fica aqui o link para mais detalhes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Superta%C3%A7a_C%C3%A2ndido_de_Oliveira_%282003-04%29

João Saraiva disse...

Keyser Soze, o treinador nessa supertaça foi o Rui Barros

Daniel Gonçalves disse...

Nem Rui Barros, nem Del Neri, quem treinava a equipa que conquistou a Supertaça Cândido Oliveira, em Coimbra frente ao slb, foi Victor Fernandez, que dias depois disputava a Supertaça Europeia no Mónaco face ao Valência.
Rui Barros conqusitou a Supertaça Nacional em 2006, frente ao Vitória de Sétubal, após a "deserção" ou despedimento de Co Adrianse.

João Saraiva disse...

Certíssimo. O Del Neri não era de certeza e nem parei para associar os anos.