segunda-feira, 11 de junho de 2012

Joguem à bola!


Podemos olhar para o futebol de várias formas, uma delas são as vitórias. O que interessa é ganhar, ganhou-se e é-se o maior. Ponto final parágrafo.

Eu percebo que um Grego olhe para o Euro 2004 e pense assim.  

É que quando as nossas cores estão em causa, tendemos a pensar assim. Naquele dia em Feyenoord eu quis lá saber se o Porto de Ivic jogou com 4 centrais + 4 laterais - tudo muito fechadinho e o Kosta sozinho lá na frente. Passámos a eliminatória e isso é que interessou. Hoje não me orgulho daquele Porto.

O problema é que esta forma de jogar futebol, pode resultar num jogo, em meia dúzia, e às vezes até dar títulos, mas não pode ser isto o futebol. Ou melhor dizendo, não é este o futebol de que eu gosto. Um dia Pedroto disse: "Quem quiser Ópera que vá ao S.Carlos" e não deixa de ser verdade, mas quando eu vejo um jogo de futebol não quero ver / ouvir Ópera, quero ver Futebol. É bom ganhar, mas quero ver F-U-T-E-B-O-L. Pode ser?

Além disto não gosto de vitórias morais, irritam-me louvores em derrotas e acima de tudo irritam-me auto-louvores em derrotas. É certo que o futebol é um jogo - não é nenhuma ciência - e que por vezes a sorte e o azar decidem jogos. Há jogos que se perdem por azar, há jogos em que a atitude não chega, há jogos que se perdem e em que se deve aplaudir os nossos - os que perderam. Relembro o Porto - Panathinaikos na caminhada para Sevilha. Um gajo tem consciência que jogámos mal, mas sabe que aquilo não é a norma, sabe que a mentalidade é outra e por isso apoia, acredita. Mas é preciso que haja atitude e mentalidade.

Curiosamente (ou talvez não) após esse jogo de Feyenoord o Ivic foi embora e veio um Senhor que pensava assim:

Desenvolvemos bem o conceito de Killer Instinct. Tentámos manter um ascendente permanente. Procuramos estar sempre em boa posição durante todo o jogo. Não nos interessa iniciar o desafio com calma porque ainda está nos primeiros minutos e é preciso primeiro aguentar e assentar o jogo. É claro que isso é importante, mas não é suficiente para o FCPorto, já que pretendemos dar pelo menos a ideia de que vamos ganhar. É evidente que nem sempre resulta mas a intenção está lá e é só uma: ganhar. Então, se marcamos um golo está bem, é óptimo, mas vamos lá tentar outro. E se obtivermos outro, excelente, mas o jogo continua e vamos procurar ainda outro golo. Temos de continuar a atacar e atacar, para obtermos tantos golos quanto pudermos. 

E porque é que o público começou a regressar ao estádio? Porque gostam do que veêm. É um divertimento. Se se pretende ter o público de volta ao futebol é preciso entretê-lo, dar-lhe espectáculo. Porque é que se vai ver um filme? Porque é um bom filme. Se for mau as pessoas não vão. Com o futebol passa-se o mesmo. Se a equipa estiver a jogar mal, as pessoas não vão ver. Logo, o futebol é uma forma de espectáculo.

Desde então que isto faz parte da minha cartilha, quem tiver esta mentalidade tem o meu apoio até à exaustão e até celebro vitórias morais. 

O ideal do futebol bonito nem sempre ganha, mas o dia em que eu acreditar que não é o melhor caminho para se ganhar, de certeza que deixo de ver futebol. O dia em que eu preferir o Brasil do Penta de Scolari ao Brasil de 82 de Telê Santana, o dia em que eu preferir o Chelsea campeão europeu ou o Real campeão Espanhol, ao Barça de Guardiola que este ano só ganhou a taça de Espanha, internem-me sff. 

E quando a coisa não envolve a camisola azul e branca do Porto, quero é mesmo ver futebol. Como tal - está bom de ver - estou com pouca pachorra para os nacionalismos bacocos que por aí andam, e para os que acham que apoiar é só bater nas costas e passar o tempo a dizer: "és o maior". Que o provem em campo.

Às vezes apetece tanto cantar o "Joguem à bola! Palhaços! Joguem à bola!"

8 comentários:

Fernando B. disse...

Gosto de reflectir, e gostei do seu post!
Há frases que ficam anos e anos...
" Quem joga bom Futebol, ganha mais vezes"
" O Futebol são 11 contra 11, e no fim ganha a Alemanha"
No entanto ainda bem que falou no Chelsea... É que seguramente há na Europa dezena e meia de equipes melhores que o Chelsea !!!
Quanto ao nosso FCP, carago, nunca mais vem Julho !!!

joaomoutinho-fans disse...

Se és fã do João Moutinho junta-te a nós no facebook: www.facebook.com/joaomoutinhofans !

José Correia disse...

Barça de Guardiola que este ano só ganhou a taça de Espanha

Mais a Supertaça de Espanha;
Mais a Supertaça Europeia;
Mais o Campeonato do Mundo de clubes.

Mário Faria disse...

Estou basicamente de acordo com este artigo. Apenas diria que no futebol (e provavelmente não só) o belo não se pode acomodar na sua contemplação. O Barcelona, apesar do seu esplendor, deu provas disso na época passada.

O futebol é cruel e não raramente perde para os que apostam numa espécie de não futebol, glorificado nessa subespécie como uma forma superior de inteligência, materializada no conceito de dar a bola ao adversário e depois ganhar.

Essa incerteza que é parte também da beleza do futebol, quantas vezes é suportada nessa espécie de matreirice que transporta os mais pequenos aos píncaros do sucesso.

Ontem, entre a Espanha e a Itália passou-se algo semelhante e viu-se que, às vezes, é bem preferível uma equipa competentemente obreira ao invés de uma equipa à procura de um modelo de belo sem artistas para tal. Muito bom jogo, o melhor deste Euro 2012, até agora.

Moura Bessa disse...

Amen

Duarte disse...

Nada a acrescentar ao artigo, João. E parabéns, especialmente, pelos dois últimos parágrafos. Foram escritos tendo por base a participação de Portugal neste Euro, mas assentavam igualmente como uma luva em relação ao nosso clube na última época. Quer um conselho? Guarde-o bem porque é possível que o venha a utilizar ainda noutras circunstâncias e num futuro próximo (oxalá me engane). Ai tanta gente que devia ler esses dois últimos parágrafos. Parabéns, mais uma vez.

José Rodrigues disse...

Eu acho q jogando-se bem a probabilidade de ganhar aumenta imenso.

Mas atencao q "jogar bem" nao e' necessariamente a mesma coisa q "jogar bonito".

Jogar "bonito" e' subjectivo. 'As vezes ha' equipas q sem jogar "bonito" jogam muito bem.

Falo nomeadamente de equipas q defendem muito bem tendo relativamente pouca posse de bola mas tb criam varias oportunidades de golo (bem mais do q o adversario), em contra-ataques muito bem gizados e passando por varios jogadores (por contra-ponto a "pontape' para a frente").

Nao incluo naturalmente nisto casos em q equipas metem um autocarro em frente 'a baliza (nao evitando q o adversario tenha na mesma varias boas oportunidades de golo) q praticamente nao criam uma unica oportunidade de golo, e q mesmo assim acabam por ganhar o jogo.

A isso chama-se "sorte", por muito q alguns se saiam com frases estupidas do genero "estes jogos sao para se vencer, nao para jogar bem".

Pedro disse...

http://www.record.xl.pt/Modalidades/hoquei_patins/interior.aspx?content_id=761014

era bom falarem sobre isto