domingo, 17 de junho de 2012

A vergonha de Gijon

«São vários os cenários em cima da mesa. Para Portugal o caminho mais simples será ganhar à Holanda e torcer por uma vitória da Alemanha sobre a Dinamarca (o empate entre estas duas equipas também serve). A selecção portuguesa também pode empatar com a Holanda, desde que a equipa de Joachim Löw se imponha aos dinamarqueses.
Porém, uma vitória da Dinamarca sobre a Alemanha, por 3-2 (ou 4-3, 5-4, etc), colocaria imediatamente as duas selecções na próxima fase, em detrimento da portuguesa. É que, neste cenário, Portugal seria eliminado, mesmo vencendo a Holanda.
As três equipas somariam seis pontos e seria necessário recorrer aos outros critérios de desempate definidos pela UEFA. Os pontos conquistados nos jogos entre as três equipas (seis) não desfariam o nó. A diferença de golos (zero) também não. Seria então necessário recorrer à alínea c) (golos marcados nos jogos entre as equipas empatadas), o que ditaria a eliminação de Portugal.»
in PUBLICO.pt


Embora já tenham ocorrido dois resultados de 3-2 (no Portugal x Dinamarca e no Inglaterra x Suécia), não acredito que este resultado se repita hoje e muito menos que os vikings sejam capazes de marcar três ou mais golos à Alemanha.

Contudo, sempre que há um resultado que serve os interesses de duas equipas em confronto em detrimento de uma terceira, lembro-me da vergonha de Gijon, um pseudo-desafio entre alemães e austríacos do Mundial 1982 e que até obrigou a FIFA, a partir desse Mundial, a mexer nos horários dos últimos jogos da fase de grupos.

(Mundial 1982 - o alemão Paul Breitner observa passivamente o austríaco Bruno Pezzey)

E, infelizmente, estes “arranjos” não acontecem só no futebol:

«O FC Porto venceu hoje o Genéve por 10-4, na sexta e última jornada do Grupo C, mas foi afastado da “final a 8” da Liga Europeia, passando os dois primeiros do grupo, Valdagno e Liceo da Corunha. Os portistas foram vítimas do triunfo por um golo dos espanhóis no reduto dos italianos, que era precisamente o único resultado que afastava os “dragões”, vítimas de desvantagem no confronto a três (-1, contra zero do italianos e +1 dos espanhóis).»
in SAPO Desporto, 14/04/2012


Esperemos que Portugal consiga "espremer" esta laranja, que neste EURO 2012 tem estado pouco mecânica e, já agora, que a Dinamarca derrote a Alemanha, mas apenas por 1-0 ou 2-1.

P.S. Se a Dinamarca vencer hoje por uns inesperados 3-2, 4-3, 5-4, ..., nem tudo se perde. Eu, por exemplo, ganho um jantar de borla oferecido por um companheiro do ‘Reflexão Portista’...

5 comentários:

Tiago Stuve disse...

Basta ganharmos por 2 que não há nada que alemães e dinamarqueses possam fazer.

Tiago Stuve disse...

Se ganharmos por 2 estas questões nem se colocam.

E se estivermos a ganhar por um, acham mesmo que a selecção alemã se arrisca a ficar de fora? sim, porque se estivermos a ganhar por um, e por acaso marcamos o 2º no fim do jogo, quem fica de fora é a Alemanha

Armando Pinto disse...

Num fim de semana interessante, como este, desportivamente, estive mais distraído a renovar estes motivos que nos movem como são os da blogosfera portista e não só.
Assim, em

Alerta de amigos, dou conhecimento
de

Meus blogues novos e antigo

= Memória Portista
memoriaporto.blogspot.com

= Longra Histórico-Literária
longrahistorico.blogspot.com

= Lôngara – Actividade Literária e Memória Alvi-Anil
http://longara.blogspot.pt/

Pedro M. disse...

@Tiago Stuve,

podiamos ganhar por mil que se o resultado do outro jogo fosse 3-2, 4-3, etc ficariamos de fora.

isto porque neste europeu conta 1º os golos marcados entre as equipas empatadas do que o goal average total.

José Rodrigues disse...

Acho tipicamente portuguesinho andar mais preocupado com teorias da conspiracao do que com o q temos na mao e podemos (tentar)controlar, i.e. a nossa exibicao e vitoria. So' isso se explica o zum-zum q se tanto leu e ouviu sobre o Alemanha - Dinamarca.

Antes de mais, o q interessa e' mesmo o q podemos NOS fazer; em segundo lugar, nao acredito em resultados pre-combinados neste tipo de competicao.

Dito isto, claro q se o 0-0 servisse as duas equipas ate' e' possivel q fosse um resultado final mais provavel do q se nao fosse o caso: nao devido a qualquer arranjinho, mas sim pq simplesmente nenhuma das duas equipas teria grande incentivo em arriscar e descurar a defesa.

Agora... com 3-2? E entre dois paises q ainda por cima nao morrem de amor uns pelos outros (e com o risco de mais um golo de parte a parte coloca-los de fora)?

MESMO no 2-2 do Dinamarca-Suecia ha' 8 anos nao vi qualquer arranjinho. Sim, a partir do momento q o resultado chegou a 2-2 e nao faltando muito tempo para acabar as 2 equipas nao arriscaram nada, mas isso e' perfeitamente normal e teria sido o caso com qq outras 2 seleccoes, mesmo num EUA - Irao.