quinta-feira, 19 de julho de 2012

Destruir um pedaço do escudo


O FC Porto decidiu extinguir a secção de basquetebol profissional, avançam os site dos jornais desportivos “A Bola” e “O Jogo“.
Segundo “A Bola”, a decisão resultou de uma reunião entre os principais dirigentes do FC Porto e ficou a dever-se, em grande parte, às dificuldades financeiras por que passam as modalidades dos azuis e brancos.
Também “O Jogo” fala em “dificuldades financeiras” como causa principal para a opção do FC Porto. Segundo este jornal, os escalões de formação continuam em actividade, pelo que a modalidade não fecha portas no FC Porto.
À TSF, o presidente da Federação Portuguesa de Basquetebol, Mário Saldanha, confirmou a notícia, que diz ter recebido com “tristeza”.
“Era um dos clubes mais antigos inscritos na federação, é um clube com imensos títulos, tem dado muita projecção ao basquetebol português. É, portanto, uma situação que entristece qualquer pessoa que seja da família do basquetebol”, referiu o dirigente à TSF.
O FC Porto ainda não comentou a notícia.


O FC Porto falhou o prazo limite de inscrição na Liga portuguesa de basquetebol e vai ficar afastado da temporada 2012/2013, revelou esta quinta-feira fonte da Federação Portuguesa de Basquetebol (FPB).
O prazo de inscrição terminou esta quinta às 18h e nenhum pedido de inscrição por parte da equipa dos “dragões”, finalistas na última temporada e campeões em 2010/11, foi recebido nos serviços administrativos do organismo.
Segundo a mesma fonte, o FC Porto não deu, para já, qualquer justificação ou explicação à FPB por esta ausência do próximo campeonato nacional.

in Porto24

Face à actual conjuntura federativa, à forma como o basquetebol tem vindo a ser gerido em Portugal e à actual situação económica, a direcção do FC Porto deliberou tomar as seguintes medidas:
1 – Suspender a sua equipa sénior de basquetebol;
2 – Proceder à liquidação e dissolução da Futebol Clube do Porto – Basquetebol, S.A.D., iniciando desde já todas as “démarches” para tal desiderato, solicitando a convocatória da competente assembleia-geral para o efeito e transferindo a actividade da modalidade para o Futebol Clube do Porto;
Comunicado oficial FC Porto


Confirma-se, a mais triste noticia da nação azul e branca nos últimos tempos. Desde a primeira notícia até ao comunicado oficial - que só surgiu depois de oficialmente já se saber que o FC Porto deixava de fazer parte da liga - passaram largos dias, largos cem anos. Uma postura vergonhosa por parte da direcção de um clube que, a não ser que me engane, ainda é dos adeptos e não de um politburo eterno e caduco

Nem nas mais tristes derrotas, nem quando sairam cá para fora as escutas do Apito Dourado, nem quando vejo o dinheiro que se gasta em serviços inexplicáveis, comissões por renovação de contrato e afins senti tanta tristeza e vergonha por ser sócio do FC Porto. Um clube referência pelo seu historial nas mais diversas modalidades. Apesar do nome, sempre fomos um clube de modalidades, do hockey ao andebol, do basket ao bilhar, da natação ao ciclismo, do volley ao futebol. Nos últimos anos a directiva deste clube, cujo presidente chegou ao poder a defender que era um homem das secções que entendia as realidades do clube, tem futebolizado em excesso o FCP e deixado morrer as modalidades amadoras.

Primeiro foi o fim do projecto de volley. Depois o vergonhoso periodo de transição entre o pavilhão Américo de Sá e o Dragão Caixa, onde se obrigou as equipas campeãs nacionais de basket, andebol e hockey a dormir sempre em casa alheia enquanto o orçamento da SAD para o futebol inchava e inchava. E agora, sem uma só palavra - que é o mais grave - o fim de um projecto que ainda o ano passado se sagrou campeão nacional e este ano chegou à final dos play-offs. Nem o clube nem a SAD abriram a boca quando começaram os primeiros rumores de que era o fim. Só depois de fecharam as inscrições para a liga da próxima época o clube se dignou a falar. Pouco, muito pouco!

Agora pode vir o próprio Jorge Nuno dar uma entrevista no PortoCanal de vinte horas que, digo eu, chega bastante tarde.

Se o presidente do FCP sempre soube gerir bem a sua imagem e da sua presidência junto dos adeptos, muitos terão dificuldade em compreender este longo silêncio a não ser no profundo desprezo e desinteresse pelo basket do clube. A peregrina ideia de criar uma SAD para o basket num país sem historial significativo na competição foi o enésimo erro da gestão directiva do clube e esta é a consequência inevitável. Mas o dinheiro que passa das quotas dos sócios para a SAD para pagar comissões a empresários e silêncios que podiam ser incómodos, podia perfeitamente garantir um orçamento viável para quatro ou cinco modalidades top, incluindo o basket, o volley e até o futsal. Mas isso não dá dinheiro, não faz amigos e o FC Porto, nos últimos tempos, mergulhou num cluster fechado aos adeptos, aos sócios para transformar-se numa máquina de gerar dinheiro para um núcleo cada vez mais restrito. O basket é um dano colateral. Talvez não seja o último!

O FC Porto cresceu, sobretudo, quando sentiu que devia tornar-se mais do que um clube, um símbolo local e regional, um clube de modalidades capaz de atrair a todo o tipo de adeptos, um clube com um ideário e uma mística que valia igual no balneário dos cestos, dos stickes ou das chuteiras. Começar a desmembrar esta herança histórica é o primeiro passo para destroçar a própria essência de um clube que hoje deixa-me, mais do que uma profunda tristeza, uma imensa vergonha!  




39 comentários:

David Marinho disse...

Choro! Isto é demasiado triste e vergonhoso para ser verdade..

Mário Faria disse...

Compreendo a revolta do Miguel;
sinto-me insatisfeito pela suspensão da actividade da nossa equipa principal do basquetebol;
entendo que a justificação é sustentada de forma pouco clara;
porém nunca terei vergonha de ser sócio do FCP, e o Miguel que me desculpe mas teria sim vergonha de ter vergonha do FCP.

Miguel Lourenço Pereira disse...

@Mário,

Não posso ter vergonha do que me vai no sangue, da mesma forma que nunca teria vergonha dos meus pais, por muito maus que fossem, mas desta estrutura directiva e da forma como tem conduzido a realidade do FCP como clube de várias modalidades, tenho vergonha e muito porque tem lesado o futuro do clube a vários níveis! Vergonha do que representam e do que estão a fazer!

um abraço

Anónimo disse...

Nenhum portista gostou desta decisão.

Mas a CRISE é tremenda não é a fingir . E as receitas cada vez menos (patrocinios , Tvs etc) .

Mas o engraçado é ver gente "revoltada" que nem a 1 Euro via jogos ou que nem na TV seguia a sua equipa de basquete!!!...

Falar foi sempre facil e isto é um país de "palradores"...

Pedro disse...

Vergonha de ser sócio é ter vergonha de nós próprios. Creio, caro Miguel, que o mais correcto é sentir vergonha da direcção do clube. Isso sim é o sentimento que também partilho.

As justificações que foram dadas são de treta, e só de pensar no senhor que tinhamos no banco... É de facto um dia triste.

Anónimo disse...

Há quem não perca uma "oportunidade" de lançar a constestação...

"Agenda escondida" ?!

Anónimo disse...

A SAD já ajuda as modalidades e muito: tem metido milhões lá nos últimos anos via créditos ao clube.

Como é que acham que elas têm sobrevivido?

Graças aos sócios e adeptos que se importam com as modalidades?

Tanta hipocrisia.

O basket é o meu desporto preferido, vejo uns 95% dos jogos em casa, já colaborei com a secção na tentativa de encontrar soluções para uma ou outra situação, até nas camadas jovens, e, nesta altura, não tenho grande problemas se esta for a solução.
Há uns anos seria diferente, mas agora? Já tinha aqui dito quando acabou a época: as modalidades são aquilo que os portistas quiserem.

Para mim chegou a altura de dar o braço a torcer e admitir que os portistas que querem basket são uma minoria tão pequena que não é possível mantê-las com uma qualidade que prestigie o clube.

Conversetas e indignações são baratas.
____

"Posição" defendida por portista que não conheço mas com a qual concordo quase na integra.

Anónimo disse...

A partir do momento em que li isto: "de um politburo eterno e caduco" meu amigo rasga o teu cartão de sócio que não mereces o clube que tens... E se falasse mais era para te ofender e não vou entrar por aí, metes-me nojo...
António Fonseca

Miguel Lourenço Pereira disse...

@Anonimo,

A crise não é a fingir mas o orçamento da SAD de futebol todos os anos aumenta e muito. e as comissões então nem lhe conto!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Pedro,

vergonha de ser sócio porque hoje, para esta gente da direcção ser sócio não vale nada, é tudo decidido na calada, longe do adepto, do sócio, de quem sente. Nunca deixarei de o ser, porque quem lá está algum dia deixará de estar, mas hoje perguntei-me porque raio essa gente merece o meu pequeno investimento.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Anónimo,

Claro que sim, estou a preparar a candidatura a presidente, não se nota?

Miguel Lourenço Pereira disse...

Anónimo,

A SAD ajuda? A SAD suga todo o dinheiro do clube. A SAD suga o dinheiro das quotas dos sócios, o pouco lucro que o clube tem e que serviria para pagar seis boas modalidades amadoras e o maldito museu. A SAD é um cancro para o clube.

Os portistas têm as modalidades que têm porque têm a direcção que têm que vive exclusivamente para o futebol.

Hugo disse...

Certeiro o último parágrafo. Engraçado muitos desculpam esta aberrante decisão com a crise mas ela já não existe quando vamos contratar laterais brasileiros a preços loucos com comissões para toda a gente.

Tiago disse...

Desculpem ser direto e frontal, mas amigos, ser sócio é dar dinheiro ao clube e mais nada. Os sócios não têm poder nenhum nas decisões que a direção toma. Não sou muito adepto de basquetebol, mas sou contra o encerramento da equipa sénior do basket, dado que a grandeza do clube tem de estar presente em todas as modalidades, e não só no futebol. Que é feito do dinheiro que o FCP recebeu pelos jogadores vendidos nas últimas 10 épocas? O clube tem contas por pagar, é certo, mas foi centenas de milhões de euros... O PdC é um grande presidente, mas há perguntas k ficam no ar.

bom senso disse...

as comissões e os prémios anuais dos N directores da SAD já pagavam 2 ou 3 modalidades.

Anónimo disse...

Ò MLP você critica tudo o que mexe no FCP,mas ajudar ( e distancia não colhe por inteiro...) pelo que se vai vendo,NADA.
Aliás como muitos dos que agora "choram" e passa por cima constantemente de 30 ANOS que MUDARAM o CLUBE DE FORMA EXTRAORDINARIA em termos Lamentaveis.

A realidade é que o ecletismo em tempo de grande crise economica e com modalidades que deixaram de ser amadoras e passaram a bem profissionais está bem dificil.

O problema hoje na Europa é DINHEIRO...

Anónimo disse...

A pseudo reflexão deste blog não perde nunca uma oportunidade para malhar no clube e agora até sentem vergonha... O autor deste texto quantas vezes foi assistir ao Basket no Dragão Caixa?

Anónimo disse...

Acham que é possivel um clube em Portugal ( com o país em grande crise e o norte então...) "sustentar" tanta modalidade em regime de profissionalismo ?!

O FCP é essencialmente um clube de futebol embora apesar das dificuldades tente presevar dentro do possivel o ecletismo.

E não esquecer o modo como fomos tratados por Saldanha.

Anónimo disse...

Alegando a atual conjuntura federativa, a forma como o basquetebol tem vindo a ser gerido em Portugal e a situação económica, o FC Porto anunciou ontem a suspensão da equipa sénior de basquetebol.
Através de um comunicado divulgado no seu site, os dragões confirmaram aquilo que há já alguns dias vinha a ser tema de especulações, optando por parar a atividade da sua equipa principal, não a inscrevendo na Federação Portuguesa de Basquetebol para a próxima temporada, sendo que o prazo para o fazer terminou ontem às 18 horas. A Académica, finalista da Taça de Portugal – ganha pelos portistas – será o adversário do Benfica na Supertaça, em Novembro.

Apenas a equipa sénior vai parar, todos os outros escalões se mantêm a trabalhar, tendo Moncho López sido convidado a dirigir a modalidade no clube (ver caixa), que, de resto, conforme diz o comunicado, pretende retomar a atividade da equipa principal no mais curto espaço de tempo.
Durante os últimos dias foram mantidos muitos contactos, várias reuniões foram tidas no sentido de arranjar uma forma de os dragões se manterem em competição. No entanto, sem sucesso. Em cima da mesa, numa reunião que decorreu até tarde durante a noite de anteontem, esteve a dissolução da SAD do basquetebol – o que vai mesmo acontecer, regressando a modalidade ao clube – e a redução do orçamento da secção para números mais próximos daqueles que são praticados no andebol e no hóquei em patins e que rondam os 700 mil euros. Também se discutiu uma mudança de estratégia, com a aposta a passar pela formação, a exemplo do que faz o andebol, que geralmente contrata atletas novos e com margem de progressão, sendo Gilberto Duarte um exemplo perfeito dessa política: chegou ao FC Porto com 15 anos, foi evoluindo e, na época passada, com apenas 21 anos, foi o MVPdocampeonato.

É essa a linha de orientação que o basquetebol pretende seguir. De resto, a manutenção dos escalões de formação vai nesse sentido, tal como o desejo de manter Moncho, por forma a fazer regressar os azuis e brancos à competição sénior no mais curto espaço de tempo.
O JOGO sabe que o técnico ainda não deu resposta ao convite que lhe foi endereçado, mas há fatores que podem pesar na sua decisão, caso da forte ligação que desenvolveu com o clube e que nunca escondeu – antes pelo contrário! –, mas também a esperança de ver os seniores de novo em atividade. No passado, Moncho teve propostas semelhantes de outros clubes, as quais descartou.

As dificuldades orçamentais e o facto de alguns jogadores não terem acedido às propostas de redução dos salários, levaram a esta decisão do FC Porto de suspender a equipa sénior. Os atletas ficam agora livres de negociar com outros


in ojogo.pt

José Correia disse...

"A pseudo reflexão deste blog não perde nunca uma oportunidade para malhar no clube e agora até sentem vergonha..."

Os autores de alguns comentários, anónimos ou não, devem achar que os colaboradores do 'Reflexão Portista' se reúnem para conspirar (contra quem?), combinar e concertar aquilo que é publicado neste blogue.

Pela n-ésima vez, vou repetir algo que, ao fim destes anos todos, parece que algumas pessoas ainda não perceberam.

O 'Reflexão Portista' tem 12 colaboradores, todos fervorosos adeptos do FC Porto e a maior parte dos quais sócios do Futebol Clube do Porto. Sendo todos portistas, têm idades e vivências dispares e, naturalmente, perspectivas diferentes (ver comentário acima do Mário Faria acerca de uma frase do Miguel Lourenço Pereira) sobre grande parte dos assuntos relacionados com a realidade do Grupo FC Porto.

Em termos de publicação de artigos no 'Reflexão Portista', a regra principal (que existe desde o 1º dia) é que cada um dos colaboradores é responsável por aquilo que escreve e, por isso, TODOS os autores assinam os artigos com o seu nome.

Jorge Ricardo Pinto disse...

"O 'Reflexão Portista' tem 12 colaboradores, todos fervorosos adeptos do FC Porto e a maior parte dos quais sócios do Futebol Clube do Porto." José Correia

"um clube que hoje deixa-me, mais do que uma profunda tristeza, uma imensa vergonha!" Miguel Lourenço Pereira

Com fervorosos adeptos e sócios (presumo que seja) deste calibre vamos longe, José Correia. Eu percebo a sua saga patrulheira de apoio aos colaboradores do blogue, mas quem escreve que tem vergonha do FCP, está sujeito a ler destas coisas que escreveram acima.
Não deve haver um único portista contente com esta notícia do basket, e nesta lista incluo naturalmente o presidente do clube e da SAD. Mas um adepto e sócio com vergonha de um clube que tem o currículo que tem nos últimos 30 anos é surreal. Honestamente, quando leio o Miguel Lourenço Pereira na sua saga salivosa contra a SAD, só me recordo do velho ditado que diz: "Quem depois de mim vier, bom de mim fará".

Miguel Lourenço Pereira disse...

@António,

Desde o respeito tudo se pode discutir ou o FC Porto já se tornou um clube norte-coreano e eu não dei fé disso?

Miguel Lourenço Pereira disse...

@Hugo

Isso é o triste de tudo isto. Se o clube tivesse problemas reais de finanças e viesse a direcção dizer aos sócios, meus amigos, é preciso tomar x medidas porque não dá para seguir, eu era o primeiro a aplaudir a frontalidade. Mas o que se passa é que cada cêntimo que entra no clube é desviado para o monstro financeiro em que se está a tornar a SAD e que seca tudo à sua volta. E que a pouco e pouco vai acabar com todas as modalidades do clube!

Isso é que devia estar em discussão entre os adeptos e sócios portistas, não questões pessoais sobre quem é mais portista que outro!

um abraço

Miguel Lourenço Pereira disse...

@Tiago,

Ser sócio é mais do que dar dinheiro ao clube. É ser participe activo do clube, é marcar presença em Assembleias gerais, propôr moções, discutir o presente e o futuro. Não acredito em cartas brancas a direcções ou governos, essas desculpas são fáceis para lavar as mãos depois quando as coisas correm mal. Quando decido ser sócio não o faço para ter descontos nos bilhetes, faço porque quero deixar para de mim na vida do FC Porto.

Quanto ao final do teu pensamento, totalmente de acordo, Pinto da Costa tem de responder perante esta situação. Entrou demasiado dinheiro neste clube nos últimos 10 anos para se ter chegado a esta situação sem que ninguém com autoridade - e ninguém mais do que o presidente tem essa autoridade - de dizer o que se passa.

um abraço

Miguel Lourenço Pereira disse...

@Bom Senso,

Sem dúvida, especialmente quando são inflacionadas e existem quando o clube não ganha nada. Essa mentalidade de pagar prémios pelo segundo lugar era algo impensável no primeiro FC Porto de Pedroto e Pinto da Costa. Mudam-se os tempos, demasiado depressa talvez...

Miguel Lourenço Pereira disse...

@Anónimo,

Ajudo como posso e não avalia nunca se a ajuda do vizinho é maior ou menor que a minha. Ajudo como sócio de forma financeira e como portista debatendo temas para que não caiam no esquecimento. Se houver outras formas de ajudar, agradeço que me faça saber.

Digo e repito o que já disse, o dinheiro aqui é tudo menos o problema, porque esse dinheiro existe, só que está a ser gasto noutras esferas do clube sem o consentimento de quem lá o mete, neste caso o associado.

Depois da final da última liga de basket o clube decidiu fazer birra contra os impresentáveis da FPB e isto é o que temos, uma saída pela porta de trás que nada tem a ver com a história do FCP.

Miguel Lourenço Pereira disse...

@Anónimo,

Vejo jogos da secção de basket (e de outras) desde os dias do pavilhão Américo de Sá e do pavilhão Rosa Mota, desde as tardes em que se ia cedo para as Antas ver o basket, o andebol e o hockey antes de ver os jogos da equipa de futebol, tenho muitos anos de modalidades nas costas, fui praticante em natação pelo que não preciso que me lembre o quão eclético é o nosso clube!

Miguel Lourenço Pereira disse...

@Anónimo,

Se o FC Porto quer acabar com as modalidades que leve o assunto a plenário, que o discuta com os associados, que explique porque fez isto e que explique o silêncio ensurdecedor dos últimos dias.

Mas o clube nem explica os motivos, nem explica o silêncio nem explica o futuro, age com um distanciamento que vai contra tudo aquilo que foi a refundação do FCP com PdC e JMP.

E o FCP é um clube de futebol como o é o Barcelona, mas é um dos clubes com mais sucesso em modalidades em Portugal desde sempre e isso não se deita fora de um dia para o outro!

Miguel Lourenço Pereira disse...

@Anónimo,

Pena que o clube não tenha tido a frontalidade e decência de ter dito isto há uma semana. E pena que não explica onde anda o dinheiro que devia estar nas modalidades.

Anónimo disse...

.../...Acresce que durante a epoca aconteceu muita coisa, incluindo uma desistencia nas meis/finais da prova e, quando há desistencias deste calibre, o presidente da Federação deveria dispensar-se de perguntar o quer dizer o FCP quando menciona em comunicado " a forma como o basquetebol tem vindo a ser gerido em Portugal". Mário Saldanha tem razão em parte, e´mau quando se acusa sem concretizar a acusação, mas também é mau que um dirigente se esqueça tão depressa do descalabro que não foi capaz de evitar ou que se ache alheio a esse e outros acontecimentos do genero.
Quanto à suspensão da actividade decidida pelo FCP e com certeza mal aceite pela maioria dos adeptos, creio que é tanto um problema financeiro como filosofico: por lá, a doutrina obriga que se jogue sempre para ganhar, sem falhas nem tolerancias;concluindo que não há meios para combater os milhões do Benfica, o que se pedia a Pinto da Costa era um desmentido dos seus trinta anos de Presidencia.


Aceitar ser segundo ou menos ainda, por conta da crise, obrigava o FCP a desmentir 30 anos de filosofia
in OJOGO
______

Além da desistencia do Madeira Sad ainda houve a greve do Guimarães!!!...

Miguel Lourenço Pereira disse...

@Jorge,

Como diz o Zé Correia, tudo o que escrevo assino e com gosto, mesmo que com mágoa algumas vezes, e não tenho medo de dar a cara quando muitos escolhem o simples anonimato ou nicks para dizer o mesmo ou o oposto.

Como sócio de 18 anos do FCP digo, sem nenhum receio, que atitudes como esta dão-me vergonha e isso não signifique que deixe de gostar menos do FCP e do que representa. Agora não vou ficar calado nem seguir a corrente do unanimismo que parece que instalou na vida do clube de que tudo está bem enquanto quem está no poder aí esteja.

Não acredito que o presidente do clube e da SAD não esteja contente com esta decisão porque foi tomada por ele e pela sua equipa à consciência quando havia outras opções - já citei aqui algumas - para manter o basket a competir profissionalmente enquanto se altera o modelo de gestão, que foi um erro não assumido, como todos aqueles erros da gestão desta SAD - que está sempre nas vitórias e nunca nas derrotas, nas escutas, no fim das modalidades, na ausência de uma politica de marketing moderna, na ausência de um museu para albergar todos estes titulos bem ganhos, na ausência de uma politica de proximidade com a base de apoio do clube, etc...

Ai de mim querer desafiar alguém tão sábio e tão infalível como são os homens da SAD, mas também me lembro de uma velha frase que se adequa perfeitamente a PdC e aos seus esbirros de confiança "aprés moi, le deluge!".

José Rodrigues disse...

Jorge disse: "Eu percebo a sua saga patrulheira de apoio aos colaboradores do blogue, mas quem escreve que tem vergonha do FCP, está sujeito a ler destas coisas que escreveram acima."

Penso que criticas ao autor do artigo sao perfeitamente legitimas, desde que civilizadas (ie sem insultos,...). Quem se pronuncia esta' sujeito, e como autor no RP estou plenamente consciente disso e tenho grande "poder de encaixe", no que me diz respeito (e penso q igual com o Miguel), mesmo quando vem de anonimos.

Mas eu acho que o Ze' Correia tem razao ao responder como respondeu, quando se le^ frases do genero:

"A pseudo reflexão deste blog não perde nunca uma oportunidade para malhar no clube e agora até sentem vergonha..."

Ai a historia e' diferente e esta-se a generalizar, tratando o blog como se tivesse linha editorial ou as famosas 'agendas' (LOL), o q nao e' de todo o caso.

Ja' agora, discordo do Miguel nas criticas mais fortes que ele faz no artigo 'a direcao (e por amor de Deus, nao e' "'a SAD", que nao e' para aqui chamada). Por exemplo, para alem da questao da vergonha (e acho q foi um mal entendido q ele ja' clarificou, sentindo-se envergonhado com a decisao e nao com o clube), eu nunca diria q temos um "politburo caduco", mesmo q a direcao me mereca fortes criticas em alguns pontos especificos.

Vive la diference... e a divergencia salutar de opinioes. Ate' porque da "discussao nasce a luz".

Mário Faria disse...

Caro Miguel,
Acho muito bem que proteste e expresse o que lhe vai na alma.
O poder deve ser exercido (foi eleito para isso), mas deve ser confrontado sempre que ocorrerem situações como esta : a suspensão da equipa principal de basquetebol.
Sinto, porém, que a palavra "vergonha" se pronuncia a torto e a direito e a sua força se desvaloriza, pela frequência como é usada e porque trata actos de gravidade muito diferenciada como se fossem iguais.
O FCP já acabou com muitas modalidades. O ecletismo foi chão que deu uvas e, quase desde o seu primeiro mandato, PdC deixou claro que as actividades de alto rendimento teriam que tender para a auto sustentabilidade.
A suspensão do basquete provocou uma onde de choque junto de muitos sócios. E isso é bom, desde depois da "fúria" surjam atitudes de descontentamento tomadas em sede própria e, por outro lado, aja abertura para conhecer os reais problemas, os riscos, as oportunidades e como poderemos colaborar pelo regresso do basquete.
Por outro lado, convém estarmos atentos para escrutinar como a nossa direcção e a da SAD vão concertar políticas para cortar nas gorduras, como : excessos salariais, comissões e outras despesas.

Miguel Lourenço Pereira disse...

@Mário,

Para mim quando um clube que é referência em várias modalidades decide acabar com uma, seja o ciclismo ou o voley, ou basket ou o futebol, é uma parte do clube e da sua essência desaparece e que se permita chegar a esse ponto é o que me provoca uma profunda vergonha porque seguramente havia muito mais opções do que esta.

Esperemos que quem de direito saiba explicar bem o que se passou neste caso e apresente, o mais depressa possível, um plano de reestruturação para devolver o basket ao FCP, aos seus sócios e adeptos.

um abraço

Hugo disse...

Pior ainda que este abandono e ver a quantidade de yes man que comentam nos blogues. Nao conseguem pensar pela vossa propria cabeca?

Anónimo disse...

Faltou o dinheiro, como faltou no hoquei. Não me falem que uma coisa é SADs e outra clubes. Quem manda são os mesmos.
Acabaram com o Basquete depois de renovarem contratos com jogadores e contratarem outros? O que aconteceu? Não tiveram patrocínios? Não poderiam reduzir o orçamento e assumir que não há possibilidades de lutar pelo 1o lugar?
Será que a cultura de ou vencemos ou não compactemos, impera neste clube? Depois do palhaçada no atletismo feminino, onde prejudicamos as nosssas atletas indo buscar atletas dos países balticos para ganhar um campeonato, agora vem isto?
E que vai acontecer no hoquei? Vários jogadores tiveram dificuldades financeiras na ultima época. Será que teremos dinheiro para recuperar o título? Ou será que vamos abandonar também?

Miguel Lourenço Pereira disse...

Anónimo,

Precisamente!

Tritaeun disse...

epah tanta bla bla bla..o basket deve voltar brevemente ao FCP..
ate pk construimos um dragao caixa precisamente para hoquei basket e andebol entre outros. É preciso é ter calma, se fecharam o basket foi pk tinha q ser feito.

O sporting é um clube q aposta em varias modalidades mas algumas sem interesse nenhum..adeptos zero..ate o hoquei estavam na 2 divisao depois d terem desisitido.
As pessoas q aqui reclamam pelo basket sao socias e acompanham os jogos de baket in loco??

é q somente essas podem reclmar...

Jorge Ricardo Pinto disse...

MLP,

O seu discurso sustenta-se em preconceitos que estão por verificar:

1 - Fala de uma corrente de unanimismo que simplesmente não existe. O que não existe também é uma oposição estruturada que se candidate de forma séria às eleições do clube. Mas isso não deve ser culpa da SAD... ou é? Se houvesse unanimismo, não surgiriam como comemtários a este post várias respostas que concordam consigo. No fundo, o que o MLP faz é o mesmo que acusa a SAD... a lógica da vitimização, do rebelde que sozinho luta contra essa horda de ceguinhos que seguem o líder sem o contestar, um braveheart do FCP. Isso é fantasia da sua cabeça... aliás, basta ler os outros colegas de blogue para perceber que há mais quem conteste as decisões da SAD e do Clube. Pode querer ficar com esse título de líder da contestação que sozinho luta contra essa cambada de bandidos, mas não convence ninguém.

2 - Parte do princípio que os que apoiam a SAD acham que tudo está bem. Errado... há muito quem apoie o actual presidente e que compreenda que algumas decisões não estão correctas ou pelo menos não parecem correctas vistas da perspectiva do adepto, quantas vezes sem informação suficiente para avaliar correctamente a situação.

3 - Acha que o presidente está feliz com a decisão de acabar com o basket, mas eu pergunto-me então porque não acabou mais cedo. Se PC não gosta das modalidades e não vibra com elas, que foram para si as lágrimas de emoção vertidas por PC aquando da vitória no campeonato de Andebol depois de um longo jejum?

4 - Diz que a SAD nunca está nas derrotas. Este ano que passou muitos comentadores atribuem como um dos momentos decisivos da vitória no campeonato a forma como PC se colocou junto a Vítor Pereira no fim do jogo da Académica que perdemos copiosamente.

5 - Se ler as entrevistas de PC, verá que ele nunca diz que depois de si virá o abismo. Pelo contrário, a mensagem é sempre de esperança e de crença no futuro do clube. Quem teme o que virá depois são muitos dos adeptos que atravessaram 30 anos inimagináveis antes de PC.

Quanto ao resto das criticas/sugestões que faz, numas terá aparentemente razão, noutras parece-me que quer o impossível, noutras ainda dúvido da sua razão, mas nenhuma é motivo para tanta vergonha, sobretudo quando se analisam os sucesso desportivos. Aliás, para uma SAD/clube tão pouco próximo dos adeptos, esta inciativa da Bluegosfera em que o FCP colaborou, embora seja uma iniciativa eventualmente desenquadrada de uma política geral, é prova de boa vontade e de desejo de comunicação com os adeptos.