domingo, 26 de agosto de 2012

Foi só dar mais um "cheirinho" no acelerador



Com outra vivacidade o FC Porto transfigurou-se da jornada inaugural para a segunda etapa do campeonato. “O campeão voltou” disse – e bem - o público do dragão, bastando para isso que o conjunto orientado por Vítor Pereira imprimisse um ritmo mais exigente para desconstruir a organização adversária. Numa partida de sentido único, quase sempre bem jogada, o resultado robusto fez-se erguer naturalmente em consonância com a solidez exibicional da equipa azul e branca.

É de facto incomparável a velocidade com que a bola circulou entre os nossos homens. Igualmente incomparável é a intensidade que os mesmos impregnaram ao jogo. Duas nuances fundamentais para o futebol ser de outro quilate, limpo de impurezas causadoras de ardor ao consumo. Os regressos da dupla brasileira às laterais da defesa e a inclusão do "agitador" Cristian Atsu ajudaram a complementar o dinamismo intenso que pautou a prestação do campeão nacional.

Não se tornou estranho, pois, os portistas assomarem-se em redor da baliza vimaranense desde cedo. As combinações fluíam razoavelmente entre a linha média – com Lucho a encostar muitas vezes na zona de área, não faltando também as variações nos flancos onde os imprescindíveis apoios de Alex Sandro e Danilo surtiam efeito. Depois de uma tentativa de meia distancia falhada, “El Comandante” abriu o marcador num remate de grande qualidade em um dos vários movimentos colectivos de circulação do esférico interessantes que se geraram.

O resultado tangencial do intervalo não conheceu maior expressão por alguma precipitação no último terço de terreno da nossa parte e, não menos verdade, a vista grossa de Hugo Miguel a um braço de NDiaye no interior da área. Nada que apoquentasse a equipa da casa. Aliás, insaciável, é a melhor palavra para definir a fantástica 2ª parte do FC Porto.

Rui Vitória desmontou o duplo pivô defensivo, abdicando de Barrientos. Tentou explorar as alas com Marco Matias, mas os visitantes não tiveram engenho para se conseguir fazer impor ao dragão. Bem pelo contrário. Num ritmo absurdo a nossa equipa lançou-se à procura da tranquilidade, algo que viria a alcançar a meio da etapa final num forte pontapé diagonal de Hulk. Uma imagem de marca muito sua. Quem saberá se pela última vez exibida no estádio do Dragão.

Livres de sobressaltos e com os pontos todos no bolso o FC Porto fez um jogo solto e colorido. Não tardou o terceiro tento da noite, o “bis” de Lucho, após recarga a um remate de Atsu. Para tudo deu, até para Jackson Martinez converter uma penalidade sobre Moutinho e se estrear a faturar no campeonato. Uma felicidade para dar e vender. Alegria e entusiasmo no futebol praticado. E porque não é sempre assim?

12 comentários:

Louro disse...

Hoje o futebol praticado foi bem mais vistoso, falharam menos passes e implentaram maior velocidade, mas a diferença veio das alas com a inclusão de Alex Sandro e Danilo.
Na minha opinião Alex Sandro foi o melhor em campo, o rapaz tem uma tecnica muito apurada, grande visão de jogo e já fez esquecer o Palito.
No computo geral todos estiveram bem , mas a primeira parte de Hulk foi péssima.
Gostei de ver nos ultimos 15 mns a velocidade que James imprimiu ao jogo..as orelhas deviam estar quentes desde Barcelos!
E mais um penalti por assinalar e nem preciso de ver o resumo do jogo..estava lá e todos vimos , menos o mouro do Arbitro..e vão 3 em 2 jornadas!

João disse...

Porque as outras equipas não são miseráveis como este Vitória. Foi a primeira exibição decente que vi do Porto de Vítor Pereira para o campeonato mas também em mortos é fácil. De assinalar, o excelente jogo do Atsu e a diferença abismal que é ter Alex Sandro e Danilo (que classe!). James, infelizmente, começa a parecer um óptimo.. suplente. A titular não entra ele assim.

PS: Genial e sintomático é ter Iturbe e Kelvin encostados, tirar o melhor extremo em campo e meter o Varela. Sem comentário possível.

José Rodrigues disse...

O factor decisivo para a diferença foi ter dois laterais q sobem muito e bem. Contra estas equipas do campeonato isso faz toda a diferença, criando espaços e traZendo imprevisibilidade ao nosso ataque.

Além disso diga-se em abono da verdade q este Guimarães é mais fraquinho q a Académica.

Miguel Magalhães disse...

Boa análise.
Acrescentaria apenas que foi um grande jogo de Hulk para a equipa. Jogou, soltou a bola, marcou um golo, não monopolizou os livres e os cantos e até fez questão de ir entregar a bola nas mãos do Jackson para este marcar o penalti. "Este" Hulk é um grande jogador. Se ficar, tem que jogar sempre assim.
A propósito de penalties, parece que ficou mais um por marcar na primeira parte (não vi as imagens na televisão mas no estádio pareceu claro). Estamos habituados e tudo temos que fazer para não depender dos humores dos árbitros. Foi o que fizemos ontem.

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

O FC Porto presenteou os seus adeptos com uma exibição consistente, com domínio e controlo absoluto de um adversário impotente para travar a avalanche ofensiva, sob o comando de Lucho, com a classe de Hulk e a magia de Atsu.
Foram só quatro, mas o Vitória arriscou-se a ser humilhado no Dragão.
Desde de VP sentou o "cú no mocho", esta foi a melhor exibição da nossa equipa, e porquê?
Dinâmica, Domínio e Lucho ... e colocou as peças no lugar certo!
O nosso miolo foi dinâmico, ao contrário do jogo em Barcelos, fizemos circular a bola ao invés de correr com ela.
Tivemos dois verdadeiros laterais de qualidade, que subiram no corredor, que criaram desequilíbrios. As constantes trocas de posição entre os médios e os extremos, com os laterais em apoio, é a dinâmica que nós portistas ansiávamos à muito.
Atsu aqui e ali criou lances mágicos, deixando o capitão vimaranense envergonhado perante tal afronta. Atsu é o verdadeiro extremo do plantel. Ao contrário dos seus colegas de sector, não finta e foge para dentro, finta em progressão deixando o lateral adversário como uma barata tonta, pois nas suas costas aparecia Alex Sandro a explorar aquele espaço deixado pelo jovem ganês.
É no espaço entre o lateral e o central que se criam mais desequilíbrios numa defensiva contrária.
Uma palavra para Hulk que nos últimos dias tem visto o seu nome nos jornais, mas que tem grande tolinha e demonstrou mais uma vez ser um grande profissional.
Hulk a sair do nosso Porto merece um clube e um campeonato compatível com a sua qualidade.
Os adeptos nas bancadas mereceram esta boa exibição.
Esperámos pois que a equipa agora não caia na bipolaridade patenteada na época passada.
Temos um excelente plantel, e temos tudo para ser tri campeões, para tal basta humildade e Ser Porto dentro e fora do campo.
James teve uma pequena lição, ficou no banco e viu Atsu a dizer presente. Não se pode querer o céu rápido demais.
Faltam poucos dias para o fecho de mercado e para a definição do plantel.
Iturbe parece ser carta fora do baralho, após mais uma semana de twi"tanso". Nem com o "tutor" Lucho, o jovem argentino aprendeu o que a casa gasta, por conseguinte será salutar o seu empréstimo para que desça à terra.

Bom domingo.
Abraço

Paulo

pronunciadodragao.blogspot.pt

P. Ungaro disse...

Boas,

Acabaram as ferias !!!

Se duvidas existissem sobre VP, Lucho, Moutinho, Hulk Atsu, e o resto da equipa, a exibição do Campeão deita por terra os detractores.
Contra factos não ha argumentos, VP mexeu na equipa, sairam Miguel Lopes, Mangala e James e acertou na mouche. Para quem gosta de futebol esgte é um jogo para ver e rever e foi um prazer assistir á magnifica exibição do PORTO.
Se mantivermos esta bitola, esta exigência e esta dedicação temos certamente um futuro risonho.

Gostei, Gostei, Gostei muito !!!

PS - 2 jogos 2 penaltis não assinalados

Um abraço

http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.pt/

Rui Anjos (Dragaopentacampeao) disse...

Uma bela exibição cujo resultado peca por escasso tão demolidor foi a superioridade portista. Não foi assim o tempo todo. Nos primeiros 20 minutos da segunda parte os jogadores voltaram ao registo de Barcelos, mas sob a batuta de Lucho (que bela exibição)os Dragões acordaram e voltaram aos atributos da primeira parte, desta vez com mais pontaria.

Depois dos primeiros 15 minutos de jogo nunca tive dúvidas da vitória portista. A jogar daquela maneira era quase impossível não ganharem. Os Campeões nacionais dominaram em toda a linha e nunca deixaram os jogadores do Vitória pôr o pé em ramo verde, mesmo nos tais 20 minutos de «ausência».

Vítor Pereira desta vez não inventou e colocou os jogadores nos seus lugares, utilizando (a meu ver) os que, de momento, garantem um melhor rendimento. Parabéns também para ele.

Um abraço

Ozzy Bluesky disse...

Foi um jogo interessante, mas não podemos dizer que foi uma bela exibição, quando tivemos periodos de jogo sonolentos. Foi como se costuma dizer uma exibição q.b. para ganhar, onde o melhor elemento foi Lucho acompanhado por Atsu, Alex Sandro e Fernando.
Uma plavra para o treinador do Vitória, o Vitória, que vendo a sua equipa a perder por um, dois, três... manteve sempre a sua filosofia de todos juntinhos lá atrás numa abdicação a jogar futebol como não se via há anos!!!!

Ozzy Bluesky disse...

Foiuma partida interessante mas não uma bela exibição. Ou seja foi o suficiente para ganhar perante um adversário tão fraquinho tacticamente que me fez lembrar o futebol há 20 anos atrás!!!! Foi um jogo estilo "aluga-se meio-campo" onde o Vitória só criou uma situação algo perigosa e por causa duma deficiente saída do Helton...
Mas gostei do Atsu, do Alex Sandro, do fernando e não ggostei do danilo que se reservou lá atrás só lhe faltando uma cadeirinha para ver melhor o jogo!!! Miguel lopes foi injustamente retirado da equipa na minha opinião!

Anónimo disse...

Ora bem, na minha opinião não podemos ir de 8 a 80. Barcelos foi péssimo mas ontem também não foi como estão a pintar.

No inicio da 2ª parte e até marcar o 2º golo o Porto estava a jogar a passo de caracol e à espera que caísse o golo do céu, o que até aconteceu mas não foi do céu foi dos pés de Hulk. Esse futebol lento não lembra a ninguém e nós podemos ter o azar de a bola não entrar (como em Barcelos).

A partir dai pouco a dizer, só quero fazer mais um reparo para quem prefere o Miguel Lopes ao Danilo, obviamente que o Danilo está em pior forma mas precisa de jogar para ficar melhor, e assim que estiver em forma vai ser melhor que o Miguel Lopes sem sombra de duvidas. Vai haver tempo para jogarem os dois, até porque eu vejo o Danilo como 5º médio também.
Quanto ao ficar atrás, quando temos um Alex Sandro muito mais ofensivo não podemos arriscar igualmente do outro lado e por isso é natural que o Danilo tenho subido menos, se bem que o que me pareceu é que na 1ª só podia subir Alex, e na 2ª as ordens foram inversas.
Cumprimentos

Anónimo disse...

Não foi uma bela exibição? Mas este pessoal é doido? Mas querem 90 minutos a alto ritmo? Pensam que temos maratonistas na equipa?
Foi uma exibição sem mácula, a gerir o jogo muito bem, excelente a todos os níveis. E o VP continua a calar os parvos que não querem um treinador campeão e preferem trocá-lo por um desconhecido qualquer.
No fim seremos tri e continuaremos a ouvir críticas ao treinador!

Costa disse...

As coisas parece que se começam a compôr...

O VP é cada vez menos evocado como responsável das exibições do FCP. É bom sinal.
Só se lembram dele quando não se ganha...

Ainda assim tem a 'lata' de deixar os 'portentos' Iturbe e Kelvin de fora.
Não aprende este VP...