sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Hulk, um caso extraordinário

«A Futebol Clube do Porto – Futebol, SAD vem comunicar, nos termos e para os efeitos do art. 248º do Código dos Valores Mobiliários, ter chegado a acordo com o Club Atlético Rentistas para a aquisição dos direitos de inscrição desportiva do jogador Givanildo Vieira de Souza.
Esta aquisição foi realizada pelo preço de € 5.500.000,00 (cinco milhões e quinhentos mil euros) sendo que a F.C.Porto, SAD adquiriu 50% dos direitos económicos do jogador.
Informa-se ainda que o jogador acordou com a sociedade um contrato válido para as próximas 4 temporadas, ou seja, até 30 de Junho de 2012. A cláusula de rescisão prevista é de € 40.000.000,00 (quarenta milhões de euros).
O Conselho de Administração
Porto, 25 de Julho de 2008»



Quando, em finais de Julho de 2008, o FC Porto contratou um tal de Givanildo, jogador sem currículo, praticamente desconhecido no Brasil (nunca tinha sido chamado à canarinha em qualquer dos escalões) e que nos três anos anteriores (2005 a 2008) tinha atuado em vários clubes japoneses - Kawasaki Frontale, Consadole Sapporo, Tokyo Verdy -, seguramente que a maior parte dos portistas (e não só) terá ficado admirada. E, inclusivamente, arrisco a dizer que alguns terão ficado de olhos em bico, perante os 5,5 milhões de euros que foram pagos por 50% do seu passe.

Quatro anos depois, e após ter sido absolutamente decisivo na conquista de 10 competições - 3 Campeonatos, 3 Taças de Portugal, 3 Supertaças e 1 Liga Europa (não foi por acaso que o dr. Ricardo Costa o suspendeu durante três meses…) -, Hulk sai do FC Porto pela porta grande, deixando atrás de si um rasto de saudade, naquela que é a maior transferência de sempre do futebol português e uma das maiores do futebol mundial.

Claro que nem todas as contratações, particularmente de jogadores sul-americanos, são comparáveis à de Hulk.
Se analisarmos apenas os que entraram e saíram no pós-Gelsenkirchen, houve casos cujo balanço desportivo-financeiro é excelente (Anderson, Pepe, Lucho, Lisandro, Falcao), outros que podemos classificar como bons/satisfatórios (Diego, Ibson, Bolatti, Ernesto Farias, Fucile, Guarín, Belluschi, Alvaro Pereira) e os que correram francamente mal (Lucas Mareque, Benitez, Ezequias, Valeri, Tomás Costa, Leandro Lima, Souza, Walter, Cristian Rodriguez).

Mas voltando ao caso do Hulk, o modo como se processou a sua contratação, aproveitamento desportivo e venda, traduz aquilo que a SAD portista tem de melhor e que tornou o FC Porto um case study a nível internacional:
1) Boa prospecção e/ou relação privilegiada com alguns dos principais agentes FIFA/empresários do futebol mundial;
2) Bom timing de contratação (a estratégia passa por contratar jogadores jovens de elevado potencial quando ainda não estão a preços proibitivos);
3) Excelente desempenho desportivo e ao longo de vários anos;
4) Valorização acentuada do jogador (Hulk chegou verdinho e saiu dourado, tendo sido distinguido com três dragões de ouro);
5) Renovação e extensão do contrato, juntamente com o aumento da respectiva cláusula de rescisão;
6) Venda inevitável por um valor irrecusável, com significativa geração de mais-valias.



Hulk foi um caso extraordinário (mesmo para os bons padrões do FC Porto). Nos tempos mais próximos, dificilmente voltaremos a ter um jogador que chegue ao Dragão como um desconhecido e saia como um super-herói.

20 comentários:

G. disse...

"Diego, Ibson, Bolatti" no mesmo grupo de "Farias, Fucile, Guarín, Belluschi, Alvaro Pereira"? O Bolatti, em particular, deveria estar claramente no grupo dos que correram francamente mal...

Anónimo disse...

E o que alguns portistas que de tudo sabem disseram dessa contratação!!!
Hoje em dia, alguns são os mesmos, é o comunicado e ainda não quiseram discorrer que o modo de "apresentar" o negocio foi o mais vantajoso para as partes sobretudo em termos legais e fiscais.


RBN disse...

Quaresma não foi inscrito pelo Besiktas, está "livre, leve e solto" como diz uma música no Brasil.

Aos 28 anos, já experiente, não seria uma boa idéia juntá-lo a Lucho e companhia, e dar uma lufada de ar fresco naquela ala direita?

José Correia disse...

"Diego, Ibson, Bolatti" no mesmo grupo de "Farias, Fucile, Guarín, Belluschi, Alvaro Pereira"?

Eu podia ter separado a minha avaliação em Excepcional, Muito Bom, Bom, Satisfatório, Medíocre e Mau mas, atendendo à ideia que queria transmitir, procurei simplificar.

José Correia disse...

"O Bolatti, em particular, deveria estar claramente no grupo dos que correram francamente mal..."

Apesar de desportivamente ter sido mau, penso que em termos financeiros a FCP SAD conseguiu recuperar (ou até ganhar algum dinheiro) as verbas que investiu no Bolatti.

José Rodrigues disse...

"Bom timing de contratação (a estratégia passa por contratar jogadores jovens de elevado potencial quando ainda não estão a preços proibitivos"

No geral concordo com q o Jose' Correia disse sobre o Hulk, mas discordo em no ponto acima citado.

Concordo q seria um exemplo de 'bom timing' se tivessemos pago por ele o preco equivalente ao CV q ele tinha (como foi o caso por ex com um Lisandro, q veio avaliado inicialmente em 5M, um valor justo para um bom marcador do campeonato argentino).

Acontece q nao foi de todo o caso, tendo sido a contratacao mais cara de sempre do FCP (avaliado logo 'a partida em 11M, muito mais do q qualquer contratacao anterior), pagando basicamente o preco equivalente a um jogador ja' com uma enorme reputacao, o q fura a logica.

Se tivessemos pago o q o q Rentistas pagou (uma fraccao do q nos pagamos), ai' sim, teria sido optimo timing... mas o facto e' q pagamos o preco equivalente a uma estrela do campeonato brasileiro, por exemplo.

Repare-se no seguinte: o Falcao tinha bem mais reputacao do q Hulk qdo foi comprado e custou 4M por 60% do passe um ano mais tarde. "I rest my case".

PS - de resto quanto ao conceito de "preco proibitivo", nao sei o que e' isso ao certo... e' q um ano antes de Hulk chegar era consensual entre portistas q gastar inicialmente 5,5M em 50% do passe de um jogador era um "valor proibitivo". Pelos vistos nao era.. e entretanto a fasquia foi sempre aumentando (vide' Danilo). Pelos vistos o conceito de "proibitivo" varia imenso de acordo de pessoa para pessoa, e gostava de saber qual e' o do Jose' Correia (10M? 15M? 20M? 30M? 50M?), e porque^.

José Rodrigues disse...

Caro anonimo, antes de mais parabens pela sua clarividencia porque obviamente (pela forma como fala) aplaudiu efusivamente a contratacao de Hulk na altura (em outro lado que nao aqui no RP, porque nao ha' comentario nenhum seu no artigo respectivo).

De resto e falando apenas pelos autores do RP q, por acaso o que eles disseram na altura e' facil de verificar (e' so' fazer a buscar do artigo respectivo clicando na etiqueta "Hulk").

E tambem por acaso verifico que, mesmo com o que sabemos hoje, nao vejo nada la' escrito que justificasse qualquer retraccao ou mea culpa.

José Correia disse...

de resto quanto ao conceito de "preco proibitivo", nao sei o que e' isso ao certo...

Depende dos clubes/SADs. Para a FCP SAD, atendendo ao orçamento (100 MEuros) e verba anual média gasta em contratações, preço proibitivo parece ser acima de 12-15 milhões de euros (por exemplo, no caso da Sporting SAD é bastante menor).

Relativamente ao Hulk, se num só momento tivesse sido adquirido a totalidade do passe por 11 MEuros, teria sido por um valor proibitivo, ou quase.

O facto de ter sido possível adquirir apenas metade do passe (repara que o vendedor poderia ter dito que vendia tudo ou nada) por 5,5 Meuros, tornou a operação acessível para a FCP SAD.

José Rodrigues disse...

Antes de mais, verifico q nao contestas o meu argumento contra o "bom timing" no caso do Hulk (como disse, e isto e' um facto, pagamos tanto por ele como se pagava por jogadores com reputacao bem estabelecida... custou bem q o Falcao, por exemplo).

De resto, o conceito do "proibitivo" e' muito, digamos... "escorregadio".

Antes de mais, o valor disponivel para compras varia de ano para ano e da situacao de cashflow (e depende claro da vontade de vender mais ou menos). Logo se num ano 15M nao e' "proibitivo", no ano seguinte tudo q seja acima de 5M ja' o pode ser; e no seguinte se calhar ja' so' e' "proibitivo" para cima de 30M.

Para alem disso, se eu tiver 50M para compras (como pelos vistos foi o caso no ano passado) tanto da' q compre 10 jogadores a 5M como um so' a 50M, de um ponto de vista financeiro. No 2o caso e pela tua logica vou concluir q afinal so' acima de 50M e' q seria "proibitivo", i.e. se nao comprasse mais ninguem...

Por isso acho q e' um ponto irrelevante para a questao do "timing" da contratacao do Hulk. A unica pergunta q se coloca sobre isso e': foi comprado por um preco de jogador ja' com boa reputacao estabelecida, ou nao? Foi, sim senhor, sem qualquer sombra de duvidas. Por consideravelmente menos vieram Lucho, Lisandro e ate' mesmo Falcao.

meirelesportuense disse...

Estive a ler os comentários do primeiro artigo sobre o Hulk e apenas vi plena aceitação dela na opinião do Mário Faria...Todos os restantes comentadores duvidavam da sua contratação especialmente pelos números envolvidos e punham em contraponto outros jogadores como Lucho, Lisandro, Anderson que na opinião deles davam muitas mais garantias que o Hulk...

Carlos Santos disse...

Caro José Rodrigues, por muito esforço que se faça em arranjar argumentos financeiros que justifiquem a sua tese de que o Hulk foi comprado a preço de jogador com reputação, a realidade dos factos desmente-o: algum jovem jogador a actuar na 2ª (!!!) divisão japonesa pode ser considerado um jogador com reputação?!

Alexandre Burmester disse...

E você, caro Meireles? Lembra-se do que pensou na altura? É que nós não fazemos o totobola à 2ª feira.

O Mário Faria tinha uma grande vantagem sobre nós: conhecia-o do Vilanovense, como fica claro do seu comentário!

Mário Faria disse...

Tal como ao ente querido falecido é vulgar juntar-lhe todos as virtudes e retirar-lhe quase todos os defeitos, também aos jogadores que nos deixam há alguma tendência para sobrevalorizar as suas qualidades e, nalguns casos, levar essa tendência a limites extremos: como se representasse um sentimento de perda próximo do irreparável. Aconteceu quando Lucho saiu para o Marselha e está a acontecer algo semelhante com Hulk.

Porém, Lucho foi sempre o comandante e mereceu sempre um respeito quase consensual junto dos adeptos. Um dos poucos casos de excepção no nosso clube, em que o assobio pronto sai à mínima falha. Não me lembro de Lucho alguma vez ter sido vaiado, e recordo que ocorreu bastantes vezes com Hulk.

Hulk tem um potencial, na minha opinião, do qual ainda não tirou o máximo partido, porque frequentemente não toma a melhor opção por deficiente leitura de jogo, porque a sua movimentação em campo torna mais fácil a sua marcação ou porque divide pouco o jogo quando é alvo de marcações cerradas.

Hulk vai fazer falta, mas a resposta à sua perda tem de ser compensada com um trabalho individual e colectivamente mais consistente na última fase de construção. Confio em James e tenho a fezada que Jackson Martinez vai ser determinante na boa campanha do FCP.

Só faz falta quem está cá, e seria uma chatice se sentíssemos muitas saudades de Hulk, pois seria sinal que a coisa no terreno não estaria a correr bem.

Um pouco fora do contexto, confesso a minha surpresa nas declarações de VP sobre Hulk, porque nem o FCP era obrigado à desvinculação, nem o Hulk terá pressionado a sua saída ou ter sido obrigado a aceitar as condições propostas pelo Zenit. De que se queixa então ?

Nota Final:
Fiquei podre quando Serafim foi para o SLB, chateado quando Futre saiu para o Atlético de Madrid, revoltado quando Rui Barros foi vendido à Juventus. Entretanto, fiquei vacinado.

José Rodrigues disse...

Pois, la' esta': eu acho que nao, nao pode ser considerado, mas o FACTO e' q foi pago como tal. Fosca-se, compara-se isto com o q se pagou inicialmente por Falcao, Lucho e Lisandro.

Porque^ essa discrepancia, nao sei, mas isso ja' e' outra discussao. Se calhar o Real Madrid e o Chelsea tambem andavam atras dele, ou o dono do passe tinha uma ligacao afectiva muito forte ao dito-cujo, ou o diabo a quatro. Mas que o preco foi de jogador reputado, la' isso foi.

José Rodrigues disse...

Mas duvidar se o enorme investimento feito num jogador da 2a divisao japonesa seria mesmo justificado... e' motivo para retraccoes? LOL

Caso diferente seria se algum de nos tivesse dito q foi uma estupidez total, q o jogador nao ia dar em nada, q era dinheiro deitado ao lixo ou algo do genero, o q ninguem fez.

Quanto aos comentarios do Mario, acho que a sua ironia esta' a escapar ao meirelesportuense...

Anónimo disse...

http://bibo-porto-carago.blogspot.pt/2012/09/rui-gomes-da-selva-o-santo.html

Leitura muito interessante...

HULK 11M disse...

Considerei a contratação do Hulk por 11Milhões tão escandalosa que decidi adoptar este meu nick... para memória futura! Isto é, para ver por quanto ele seria vendido!!!
Ao fim de pouco tempo deixei de ter dúvidas de que teria de dar os parabéns à SAD pela grande descoberta.
Assim, fiquei vacinado e abstenho-me de voltar a criticar a "vinda de camiões TIR" carregados de jogadores, como era moda na altura, mesmo que me pareça que se está a exagerar com os montes de contratações para a equipa B.
"Mes culpa" e,mais uma vez, parabéns à SAD

José Correia disse...

"a estratégia passa por contratar jogadores jovens de elevado potencial quando ainda não estão a preços proibitivos"

Oscar é um jovem internacional brasileiro (tem 20 anos). O Chelsea contratou-o este Verão por 32 milhões de euros. Um preço proibitivo para a FCP SAD.

Lucas é um jovem internacional brasileiro (tem 20 anos). O PSG contratou-o este Verão por 40 milhões de euros. Um preço proibitivo para a FCP SAD.

No caso do Hulk, o preço ainda não era proibitivo.

Barba azul disse...

No meu caso, como na verdade não percebo nada de futebol e como não me preocupo em ser científico e racional no que a ele se refere, lembro-me que me palpitou logo, pela pinta do homem, pelo nome, pela originalidade da sua proveniência mas também pela gulodice com que o Pinto da Costa anunciava uma surpresa, que tínhamos acertado em cheio!

Barba azul disse...

Isso é que era, caro RBN!