terça-feira, 9 de outubro de 2012

Caiu a máscara ao Bruno Prata



29 Janeiro 2012
A seguir ao Gil Vicente x FC Porto (3-1) da época passada, em que a arbitragem de Bruno Paixão fez lembrar um célebre jogo em Campo Maior, Bruno Prata escreveu o seguinte no PUBLICO:

«(…) O FC Porto terminou a primeira parte com razões de queixa da arbitragem de Bruno Paixão, que não assinalou um penálti contra o Gil Vicente (Defour foi atingido por Daniel, aos 23’) nem anulou o lance (Pedro Moreira centrou em posição de fora de jogo) que terminou com a grande penalidade (bem assinalada, por braço na bola de Otamendi) que permitiu aos gilistas aumentar a diferença para dois golos mesmo antes do intervalo. No início da segunda parte ficou ainda por assinalar um outro penálti a favor do FC Porto, quando Kléber é derrubado pelo guarda-redes Adriano. Mas a equipa portista deve principalmente queixar-se de si própria. (…)»

Ou seja, aos 23’, a perder por 0-1, o FC Porto viu-lhe negada pelo árbitro uma grande penalidade indiscutível. Em cima do intervalo, o Gil Vicente marcou o seu 2º golo numa jogada precedida por um fora-de-jogo evidente (mesmo à frente do árbitro assistente). E, como se não bastasse o que se tinha passado na 1ª parte, no início da segunda ficou mais um penalty por marcar a favor do FC Porto.
Apesar das consequências óbvias que este conjunto de más decisões da arbitragem teve no desenrolar do desafio, para Bruno Prata a equipa portista devia principalmente queixar-se de si própria.
Mas, o melhor de tudo foi o título que escolheu para a sua crónica do Gil Vicente x FC Porto:
«FC Porto tinha perdido até com uma arbitragem competente».
Fantástico!


7 Outubro 2012
Título da crónica do FC Porto x SCP publicada pelo PUBLICO:
«Quinze minutos de recital e erros arbitrais»

«No Dragão, os golos caíram na baliza do Sporting como folhas no Outono, com cadência regular, um em cada parte. E foram a expressão inequívoca do domínio exercido pelo FC Porto, da impotência dos “Ocean’s Eleven” e de alguns equívocos arbitrais. Com excepcão do período inicial, não houve, no entanto, uma soberba lição futebolística e o jogo acabou por ficar marcado por algumas polémicas e teatros (dois penáltis mais do que duvidosos). (…)
A segunda parte foi um exercício geométrico, muitas idas e voltas, muita pólvora seca, mas com saldo nulo. O Sporting surgiu mais afoito, mas o FC Porto podia ter resolvido tudo se Lucho não tivesse disparado ao poste, aos 55’, na marcação de um penálti duvidoso (ficou a ideia que Cédric não teve a intenção de tocar a bola com a mão).
(…) mas tudo ficou decidido quando James fez o 2-0, em mais um penálti duvidoso (não ficou claro o agarrão de Boulahrouz a Jackson). Um bom general deve não apenas conhecer o modo de vencer, mas também saber quando a vitória é impossível. Ontem, Oceano não teve tropas e ainda teve contra si o árbitro

Sabem quem escreveu esta crónica? Não, não foi nenhum dos representantes do sporting na comunicação social. Foi o mesmíssimo Bruno Prata!

Não vale a pena chamar à atenção para a diferença entre lances de análise duvidosa (conforme se verificou no FC Porto x SCP) e erros clamorosos de arbitragem (vários no Gil Vicente x FC Porto);
Nem vale a pena referir, que o impacto no desenrolar do jogo, das más decisões dos árbitros nestes dois desafios, foi muitíssimo diferente.
Vale sim a pena reler os títulos das duas crónicas, a ênfase que em ambas foi dado à arbitragem e, cereja em cima do bolo, sublinhar a última frase escrita por Bruno Prata na sua crónica do FC Porto x SCP.

Caiu a máscara ao Bruno Prata. Se dúvidas houvesse, a simples comparação entre estes dois artigos mostra o nível de isenção e coerência deste jornalista do PUBLICO e comentador da RTP.
E o problema é capaz de ser mesmo este. Aparentemente, para se ser comentador de futebol na RTP Porto, dá muito jeito estar nas boas graças do Carlos Daniel (cuja “simpatia” pelo FC Porto é bem conhecida)…

Nota: Os destaques no texto a negrito são da minha responsabilidade.

38 comentários:

Anónimo disse...

Não concordo nada com o artigo

Saci Pererê disse...

Ontem o benfiquista de Paredes ficou com uma azia quando o Anderson disse que não jogaria nunca no Benfica, foi nítido. Nítido também foi a vassalagem que todos os outros comentadores lhe fazem, como o menino gordo lá do bairro que é o dono da única bola de futebol. O gajo não percebe nada de futebol mas não se limita a dar a opinião o personagem ainda tenta impor a sua aos outros, qual catedrático. Melhor que ele só mesmo o Luís Freitas Lobo.

Silva Pereira disse...

Boa tarde,

esse senhor nunca me enganou, é mais um que dá seguimento a voz do dono.
Basta ver como se comporta o indescutivel portista que dá apoio.
Realmente o dinheiro corrompe, conforme toca a música assim eles dançam.
Mas para mim o máximo da noite foi a cara de cu com que ficou o Huguinho quando questionou o Anderson se poderia ir para o clube do regime e a resposta clara e objetiva que em Portugal só jogaria no FCP, foi lindo de ver, quem não viu procure ver

José Lopes disse...

Caro Jose Correia,

Parabens pelo seu post e pela comparacao entre as duas cronicas. Os penalties contra o Sporting sao duvidosos, de facto, ou seja, ninguem de boa-fe consegue dizer sem repeticoes que foram bem ou mal marcados. Mas tambem quer dizer que mesmo que se ache que foram mal marcados (e tenho muitas duvidas no primeiro), e' preciso perceber que sao lances dificeis e que tem de ser dado beneficio da duvida ao arbitro.

Carlos Santos disse...

Nem mais, caro José Correia!

Eu próprio cheguei a achar que o Bruno Prata era de facto um tipo isento e objectivo. Tudo ficou claro porquê quando soube que ele era adepto do SCP.
É que como todos sabemos, o SCP já não conta para nada no que à discussão do título nacional diz respeito e por isso ele ia dando sempre a impressão de ser imparcial, mas basta o Sporting ser minimamente, eventualmente, prejudicado pelas arbitragens para ele mostrar bem de que matéria é feita.

Muito bem visto.

INFINITO AZUL disse...

O problema do Bruno Prata, tem já uns largos anos. A sua cabeça ficou muito pesada, quando a Manuela Brandão, ex-companheira e também ligada à CS, se encheu da sua verborreia e optou por mente esclarecida.

Bruno Prata é um lambe-botas. Se deixar da mama da TV, vai viver de quê?

Rui Faria disse...

Caro José Correia,

A história conta que Arquimedes pronunciou esta palavra após descobrir que o volume de qualquer corpo pode ser calculado medindo o volume de água movida quando o corpo é submergido na água, conhecido como o princípio de Arquimedes. Esta descoberta foi feita quando se encontrava na banheira, pelo que saiu nu para as ruas de Siracusa gritando Eureka!.

Eureka é a primeira pessoa do singular do perfeito do indicativo do verbo heuriskein, (εὑρίσκω), que significa "encontrar". Significa, portanto, encontrei. A palavra "Eureka" usa-se hoje em dia como celebração de uma descoberta, um achado ou o fim de uma busca.

Anónimo disse...

Eu queria só dizer que sou portista e não vejo nos artigos do senhor Bruno Prata o ódio ao Porto que supostamente é assim tão evidente para o senhor José Correia. Vejo uma opinião, que vale o que vale. Se o Bruno Prata não concorda com os lances de grande penalidade, está no direito dele. Eu também não concordo com o primeiro, marcado por Lucho. Quanto ao jogo do Gil Vicente, tenho-o bem presente na memória e acredito que o título que Bruno Prata deu ao artigo pretendia transmitir, a quem não tivesse visto o jogo, a ideia do péssimo futebol praticado pela nossa equipa, independentemente dos lances mal marcados que foram referidos.

Portanto, não vamos estar aqui a dar numa de Rui Gomes da Silva do FCP em que só sabemos ouvir o que é a nosso favor.

José Correia disse...

Sabe ler? Onde é que eu falei em ódio?

Partindo de duas crónicas do próprio Bruno Prata, ambas envolvendo o FC Porto, o que eu destaquei foi a sua "coerência" e "isenção jornalística".

RBN disse...

Se algum estrangeiro leu sobre o jogo através da nossa "querida imprensa", vai certamente pensar que o siportim massacrou o FCP durante o tempo todo, e que só perdeu o jogo devido ao árbitro.

E assim, o golo de antologia do Jackson, que devia ser o destaque central do jogo, ficou em 15º plano e o que mais se falou foi sobre Jorge Sousa, que segundo os "entendidos e comentadores na tv", "não deixou o siportim fazer mais".

Este Prata, assim como todos os outros deviam antes perguntar aos (ir)responsáveis do clube das pussycats é:

Como é que o 1º remate em direcção à baliza foi somente aos 80 minutos, numa falta inexistente.

Ou, 3 remates em direcção à baliza em 90 minutos?

Ou ainda, o melhor jogador do siportim no jogo foi sem dúvida Patrício?

Será preciso mais perguntas?

Filipe Lopes disse...

sinceramente não concordo com o artigo... já ouvi milhões de vezes e ate acho que ele é portista... pelo menos elogia muito o Porto....como tem que ser... e uma opinião de um apaixonado como eu do FCP, respeito mas não concordo. O ano passado o jogo do Gil Vicente qualquer adepto Portista decente acha que o Porto mereceu aquele castigo. Sobre este jogo interpreto que ele disse que o Porto massacrou em 15 minutos o SCP e FCP não jogaram mais...e há dois penaltis duvidosos... ele nem afirma que não são penaltis...

José Lopes disse...

Aceito a sua opiniao como boa, mas falta-lhe um dado: dizer que a prestacao do Sporting no Dragao tambem foi sofrivel. Assim, seria normal que o titulo da cronica do Bruno Prata fosse semelhante a do Gil-Porto, caso ele quisesse ser coerente. E desculpe la, mas nao se pode escamotear a importancia dos erros arbitrais no Gil-Porto, tiveram ENORME influencia no resultado. Ja os casos do jogo do Sporting, alem de nao serem erros inequivocos, a sua influencia no resultado do jogo e muito mais discutivel, mesmo admitindo que sem o segundo penalty ainda teriam mais uns minutos em desvantagem minima.

Silva Pereira disse...

Boa noite;

Se for verdade que o anónimo das 20:49 é portista a sua opinião expressa bem o que uma imprensa facciosa consegue insinuar, manipular. Repetem até á exaustão a ideia que o prejudicado FCP (RA e Gil Vicente) passa a beneficiado e os seus clubes passam a vítimas. Os Calimeros foram escandalosamente beneficiados ainda no último jogo com o Estoril com benefícios de pontos enquanto que no jogo do Dragão só souberam dar porrada não jogaram a ponta de um corno. Aí é que está a tal diferença da propaganda Nazi o FCP foi escandalosamente prejudicado em Barcelos até os alinhados pasquins a custo confirmaram então a mensagem é que fez-se justiça Divina porque o FCP não jogou nada.
Concordo completamente com o texto pois parece que ainda há muitos anjinhos portistas ou então fazem-se adeptos portistas para lançarem a confusão.
Eu tenho cá uma esperança que aos Calimeros ainda vai acontecer qualquer coisa como os aloinhados do Guimarães
Cumprimentos

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...

não caiu a máscara, pois ele sempre a deixou em casa.

nós é que andávamos ceguinhos com a sua suposta "imparcialidade". eu pelo menos andei...

«i was blind, but now i can see»

somos Porto!, car@go!
«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

saudações desportivas mas sempre pentacampeãs a todas(os) vós! ;)
Miguel | Tomo II

Andre Correia disse...

Caro jose correia esta é a minha estreia com um comentario no reflexao portista......abraco o teu primo de resende ;-)

José Correia disse...

Olá André, bem vindo ao 'Reflexão Portista'. Volta sempre que quiseres.
Um abraço e viva os Dragões de Resende!

KOSTA DE ALHABAITE disse...

Cinco estrelas! Muito bem José Correia!

Hélder disse...

É por estas e por muitas outras, que cada vez me dá mais gozo, ser adepto deste grande clube. O facto de poder apreciar, estas cabeças a "inchar" não tem preço.

sergiodiassilva disse...

Quando vocês transformam isto numa caça às bruxas estragam completamente o blog, têm noção disso, não têm?

Anónimo disse...

Não querendo ser do contra, sempre achei este homem parcial mas precisamente para o FCP. aliás quando o bruno prata e o joão gobern comentavam no mesmo programa como "supostos" comentadores isentos dava para perceber claramente que um era portista (bruno prata) e o gobern benfiquista.

cumps,
Juca

DC disse...

Ao lado do Gobern qualquer um parece portista. Discutir qualquer coisa que se relacione com o 5LB com esse idiota fanático enerva até o mais convicto sportinguista.

Anónimo disse...

eu reitero este comentário e peço ao josé correia, ou a qualquer outro que me queira elucidar, quem é que é afinal, em matéria de futebol, um comentador isento?

Anónimo disse...

aliás, corroborando a questão anterior e extrapolando a situação para o futebol jogado: se o jackson martinez falha uma oportunidade fácil em cada duas que tem, é completamente inapto para ser jogador do FCPorto. será que não se deve considerar que jogue bem (escreva bem) e marque golos fantásticos? pelo exemplo tomado em consideração (e quiçá pouco significativo no contexto geral) é um marreta com dois blocos de cimento no lugar dos pés!!
estes textos de caças às bruxas, escritos quase na totalidade pelo josé correia, parecem-se em demasia com as teorias desenvolvidas pelos benfiquistas mais preocupados em arranjar desculpas do que em analisar as suas próprias falhas (à la gomes da silva, p.ex.) e tenho pena que um blogue de eleição como o reflexão portista tenha caído (e/ou caia tão frequentemente) nesse teor de perseguição e acusação fácil!

Antonio Silva disse...

Se se refere ao Hugo Gilberto, garanto-lhe que ele é portista.

José Correia disse...

@sergiodiassilva
Obrigado pela preocupação mas, se dúvidas tivesse (que não tinha), ao ler o seu comentário fiquei com a certeza que a mensagem que queria passar com este artigo foi eficaz.

José Correia disse...

@Anónimo das 12:38
Comentadores isentos não existem.
Existem é jornalistas/comentadores que querem passar uma imagem daquilo que não são. É o caso do Bruno Prata.

José Correia disse...

@Anónimo das 12:48
tenho pena que um blogue de eleição como o reflexão portista

Agradeço mas escusa de se preocupar com o 'Reflexão Portista'.
Não são comentários como o seu que me farão mudar de postura, em termos de denúncia da hipocrisia e falsa isenção de alguns jornalistas da nossa praça.

José Correia disse...

Até agora ainda não vi nenhum comentário que conteste os factos que eu apresentei no artigo.

Amphy disse...

Parece que o Prata pode ficar arredado das páginas do Público por tempo indeterminado. Mantém-se "só" na RTP.

No entanto nem me parece que o Prata seja dos piores, apesar de o considerar um comentador bastante limitado.

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Sociedade/Media/Interior.aspx?content_id=2819642

Pedro disse...

"A direção do 'Público' anunciou, esta quarta-feira, aos editores que se iniciou um processo de despedimento coletivo no jornal envolvendo 48 trabalhadores, sendo 36 da área editorial.

Na lista dos jornalistas a despedir estão históricos do jornal como Bruno Prata (Desporto)"

Nem de proposito...
Não percebo a indignação e dúvidas sobre este post. Mas será que acompanham as crónicas deste senhor? Provavelmente só leram 1 ou outra elogiosa para com o FCP. Não se iludam, são mesmo excepções.

Anónimo disse...

Por acaso eu via até com alguma assiduidade o programa em que ele contracenava com o Gobern, e sempre achei que ele era portista. Mesmo.
E muito sinceramente, apesar do exposto pelo autor do post, acho que não mudo de opinião. Não acompanho os escritos do Bruno Prata, apenas costumo ouvi-lo na RTP. E acho que não seria a primeira vez que um adepto de um clube critica o seu clube. Convenhamos: o FCP, por muito que tenha sido prejudicado em Barcelos e eventualmente beneficiado agora contra o Sporting (benefício já de si dúbio porque não foi nem seria pelos penalties que o Sporting perdeu ou perderia), não fez nem numa ocasião nem na outra jogos brilhantes, muito pelo contrário. Acho aceitável que a qualidade do futebol praticado pelo FCP nesses jogos seja posta em questão. Não me choca, muito sinceramente.
Baseio a minha opinião de que ele é portista em dois factores: a forma elogiosa com que costumava abordar o FCP no programa Zona Mista; e o facto de, na minha opinião, não fazer sentido nenhum a RTP colocar um sportinguista ante um indefectível benfiquista (Gobern) num programa "mano-a-mano". A sério, quem é que quer saber do Sporting? Nem os sportinguistas, carago...

José Correia disse...

Também eu cheguei a pensar que o Bruno Prata era portista. Estava enganado e já há algum tempo que sei que ele é sportinguista.

José Correia disse...

Acho aceitável que a qualidade do futebol praticado pelo FCP nesses jogos seja posta em questão

Evidentemente mas, se reler o meu artigo com atenção, verá que não é isso que está em questão.

Nightwish disse...

Eu não percebo é porque é o mst é exaltado mas o Bruno tem direito a ser linchado...

Dragão dos Diabos disse...

Fossem todos como o Prata, irra! Há comentadeiros que deveriam ser alvo de mais "ataque" do que este que, por norma, até acerta no que diz...

Se é dragão, não sei, se é calimero também não...Mas eu já ouvi portistas a dizer que ambos os penaltys eram duvidosos! E meto-os no cepo em como são portistas...serão menos portistas? Terão de, como os outros, por palas nos olhos e seguir a manada?

Preocupem-se com os Gordoberns, os Cervans, os Serpas ou os Delgados...esses filhas da puta sim...pra forca!

José Correia disse...

Eu é que não percebo o que é que uma coisa tem a ver com a outra.

O Nightwish não percebeu a diferença de conteúdo, tom, ênfase e títulos entre as duas crónicas de jogos do FC Porto (Gil Vicente x FC Porto e FC Porto x SCP), da autoria do Bruno Prata?

José Correia disse...

Relativamente ao Gobern, Cervan, Delgado, Pinhão, Manha, etc., não é preciso chamar à atenção. Esses não enganam ninguém, já toda a gente sabe de que clube são e com que intenção escrevem e comentam sobre o futebol português.

Anónimo disse...

Eu sei ler, e o senhor, sabe o que é uma hipérbole?
O que o senhor destacou foram duas análises no meio de muitas. O que o senhor quer dizer é que não podem discordar da sua opinião.

Quanto ao que foi dito pelo senhor José Lopes, eu nunca disse que a prestação do Sporting no Dragão foi boa. Uma equipa que não remata praticamente em todo o jogo não merece ganhar. E vir depois deitar a culpa na arbitragem é uma atitude mal pensada. Além disso também não escondi a importância dos erros de arbitragem no Gil Vicente, tiveram interferência no resultado, esses sim. Só acho que o primeiro penalty é mal marcado e o segundo é discutível, mas não me choca que tenha sido marcado. Por isso é que aceito a opinião do senhor Bruno Prata.