sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

A Sucessão: Antero Henrique

Antero Henrique é visto por muitos portistas como estando na pole position dos possíveis candidatos a sucessor de Pinto da Costa, e bem possivelmente com razão, embora eu tenha algumas dúvidas.

Não deixa de ser curioso que assim seja quando não faz sequer parte da «cúpula» na SAD, não fazendo parte do Conselho de Administração (onde para além de PdC temos A. Caldeira, R. Teles e A. Ferreira, para além de um administrador não-executivo) nem sendo sequer um dos 14 vice-presidentes do clube (onde se encontra por exemplo R. Teles e A. Caldeira). Isso acontece no entanto porque é visto como o homem forte do futebol, e o futebol é a principal actividade do clube.

Transmontano de Vinhais (e alegadamente benfiquista enquanto criança segundo entrevista de um amigo de infância ao JN há uns anos, tendo depois visto a «luz»: um pormenor que a ser verdade acho curioso mas sem importância), Antero Henrique subiu a pulso no FCP a partir de um início modesto, sob a tutela de PdC. Tendo ido estudar para o Porto com 18 anos, cruzou o seu destino com o FCP no início dos anos 90 como coordenador da revista Dragões, de onde «saltou» para assessor de imprensa, ainda nos anos 90; e com a criação da SAD estruturou o departamento de relações externas. Destacou-se nos primeiros anos de SAD pela lealdade absoluta a PdC (como durante o processo do «Pito Dourado»), sendo promovido a director-geral para o futebol em 2005 (o que levantou confusão entre alguns adeptos na altura, como eu, no que diz respeito ao seu papel vs. o papel do «administrador para o futebol» que era, e é suposto no papel ser ainda, Reinaldo Teles; hoje em dia há muito menos dúvidas nessa questão).

No sistema presidencialista de PdC, Antero passou desapercebido da esmagadora maioria dos adeptos nos primeiros tempos, «dando a cara» pela primeira vez a sério num projecto por si anunciado intitulado de «611,» que muito aplaudi na altura. Como se viu mais tarde esse projecto foi um tremendo fracasso (medido pelos critérios anunciados por Antero), já que se em 2006 tínhamos 4 jogadores da casa no plantel, em 2011 em vez de termos 6 como previsto (um objectivo que nem era particularmente ambicioso), tínhamos... 1.

No entanto a imagem de competência (ainda que bastante nebulosa e vaga, devido à forma opaca como a SAD funciona e com PdC a ser quase o único a dar a cara, o que tem muitas vantagens mas também algumas desvantagens)  que ganhou junto de muitos adeptos foi pouco beliscada por esse projecto que tinha a sua marca, sendo associado com as sucessivas vitórias nacionais (e internacional, no caso da Liga Europa), claramente o mais importante para os adeptos. Ultimamente tem dado um pouco mais a «cara», o que saúdo, mas mesmo assim é difícil para o adepto comum saber até que ponto é que ele teve «dedo» em decisões importantes de gestão por contraponto a PdC e aos companheiros de administração.

Mesmo que seja mais ou menos consensual que é competente no cargo que desempenha, será ele um bom presidente? Uma pergunta que muitos adeptos se colocam é se não estaremos na presença de um possível exemplo do princípio de Peter, i.e. de que as pessoas têm tendência a serem promovidas até ao seu nível de incompetência - no caso de Antero, quer isto dizer que poderá ser um bom director no dia-a-dia mas um mau presidente. Essa é uma resposta muito difícil de responder, mas para a maioria dos adeptos será suficiente que PdC «abençoe» a sua candidatura para remover essa dúvida.

Dúvida que no entanto regressará em força caso as primeiras épocas no pós-PdC não sejam de sucesso, com comentários do género «Pois é, o mérito do sucesso era mesmo do PdC». Um desafio que se coloca tanto a Antero como a qualquer outro possível candidato, aliás, porque terão sempre muitíssimo menos margem de manobra do que PdC tinha, por razões óbvias. Existem duvidas tambem que tenha a sensibilidade e sagacidade suficientes para a gestão económica da SAD quando se perspectivam tempos de maior aperto do cinto.

Muitos consideram que não tem um perfil presidenciável, sendo um «tecnocrata». Penso que não será de excluir de todo a possibilidade de que, consciente disso, Antero junte forças com A. Caldeira e A. Ferreira (e quem sabe R. Teles) para colocar uma figura popular entre os adeptos como presidente do FCP clube que se contente em deixá-lo(s) gerir a SAD como mais ou menos bem entenderem (como possivelmente um Fernando «bibota» Gomes). É um cenário que não me agrada porque é o presidente que é eleito pelos sócios e a eles responde também pela gestão do futebol, e com essa responsabilidade devem vir poderes concretos e inquestionáveis na SAD. Prefiro Antero a presidente do clube e da SAD, do que responsável (de forma oficial ou não) apenas da SAD.

Pergunto-me também como verão os seus colegas mais seniores e com origens menos humildes, como um A. Caldeira, a perspectiva de o ter como chefe. Não sei se o aceitarão de forma tão pacífica como isso.

Finalmente, contra si Antero tem o handicap de ser desde sempre um mero homem do futebol, sem experiência significativa ao nível do clube, ao contrário de PdC e tantos outros dirigentes (como R. Teles). Será ele um candidato com a sensibilidade suficiente para ter em conta os interesses superiores do FCP quando estes colidirem com os da SAD? Esta é uma enorme dúvida (e parecem existir alguns dados avulsos que a reforçam), mas penso que de menor importância aos olhos da maioria dos sócios: não vai ser certamente por aí que não será eleito.

Para terminar, pergunto-me se Antero estaria disposto a continuar no posto actual no caso de uma candidatura que não seja de «continuidade», com os administradores a serem todos substituídos (ou quase),  e numa posição claramente subalterna perante o novo «chefe» - na teoria, e na prática. Com os dados que tenho neste momento, penso que poderia ser uma solução eventualmente interessante para o FCP... mas ainda é cedo para tirar conclusoes bem fundamentadas.

41 comentários:

Anónimo disse...

Gostava de o ver a apresentar as soluções(antes,alternativas pois solução indicia problema) nas assembleias gerais ou apresentar uma candidatur(r)a.Noto uma grande aversão a este elenco da SAD,hermeticamente fechada e com exitos.Pois então,vamos lá abrir mais a caixa... Pior é se é de Pandora e arruina tudo,ao exemplo dos nossos amigos da 2ª circular,mais uns que outros.

José Rodrigues disse...

O leitor parece ler demasiado nas entrelinhas, ou melhor, nem sequer ler direito o que foi escrito.

Com que então tenho uma «grande aversão» a este elenco da SAD? Bem, para começar falei aqui apenas de Antero, não opinei absolutamente nada sobre a restante direção...

Em segundo lugar por acaso escrevi q o achava competente nas suas funções, o q é muito estranho para alguém que eventualmente lhe tenha «grande aversão», convenhamos. Mais: disse q seria eventualmente interessante que continuasse em funcoes se viesse um presidente «de fora».

E sim, parece-me ser competente muito embora sem ser de forma muito fundamentada e convicta, devido à forma opaca como a SAD funciona - e em lado nenhum disse q isso é mau, constato apenas o facto.

Eu ouço muitos rumores (alguns contraditórios) mas o facto é que não sei qual foi a influência específica dele em praticamente todas as grandes decisões de gestão, tanto as boas como as más (começando pelo q diz respeito a contratações de treinadores e jogadores).

José Rodrigues disse...

Ja' agora, quando o anonimo fala em apresentar-se 'alternativas', fala em alternativas a QUE^, ao certo?

Estamos a falar do pos-PdC, logo nao seriam alternativas 'a direcao actual, com certeza: quanto muito seria alternativas a uma EVOLUCAO da direcao actual.

Mas que evolucao ao certo? Quem seria o presidente, os administradores e o director-geral para o futebol? Qual e' a referencia ao certo - segundo o leitor anonimo - como ponto de partida, para se falar em 'alternativas'?

D.Pedro disse...

Um projecto como o 611 não entra na rota certa (leia-se resultados ) em 4/5 anos.
Demora mais.

O importante é que a gente mais importante da estrutura se mantenha (Antero,Angelino,Brandão,Caldeira etc) sobretudo Antero para que o trabalho e conhecimento de muitos anos não se perca.

Isso seria terrivel.

Antero a presidente seria boa escolha? Provavelmente.
Mas ainda é cedo, PC vai fazer mais um mandato pelo menos e há algum tempo para melhor avaliação.

Mas há mais candidatos dentro e "fora" do clube muito provavelmente e dispostos a muita luta.

Agora uma candidatura de Antero creio, faria que viessem ao de cima muitas "invejazinhas" e "difamaçãozinhas" proprias das lutas um tanto "fraticidas" dos grandes clubes ???

E não esqueçam Fernando POVOAS.

Quanto a Reinaldo penso se retira com PC como já afirmou.

HULK 11M disse...

Ora aqui está um bom tema para nós, portistas, começarmos a reflectir, especialmente depois das declarações de PdC em Paris!
Como a esmagora maioria dos portistas, também eu temo muito o que vai suceder ao nosso FCP após a saída de Pinto da Costa!
Não se concordar com tudo o que a SAD e o Clube fazem, sob a sua Presidência, é uma coisa, não estar preocupado com a sua substituição, enterrando a cabeça na areia, seria um absoluto disparate.
Espero que aqui no RP se continue a "reflectir" sobre este tema pois é o problema mais importante da vida do nosso Clube nos próximos tempos!
Quanto ao comentário "anónimo" eu sugiro que se acabe com os anónimos. Quem quiser comentar que crie um perfil e comente sempre com esse perfil para todos nós sabermos com quem vamos conversando.
Abílio Maciel / Associado n.º 2107

José Rodrigues disse...

"Um projecto como o 611 não entra na rota certa (leia-se resultados) em 4/5 anos. Demora mais."

Bem, foi a SAD (atraves de Antero) que disse que 5 anos chegavam para atingir o objectivo de 6 jogadores no plantel; dai' projecto "611" (6 em 2011) e nao, sei la', "621" ;-)

Foram demasiado optimistas? Nao sei, se calhar foram, mas nao me parece: se o objectivo tivesse sido muito ambicioso, eu ate' concordava, mas almejava apenas aumentar 2 jogadores da casa no plantel no espaco de 5 anos, tempo mais que suficiente para tal a meu ver. Se o objectivo fosse, sei la', "1011" ja' era capaz de concordar q era demasiado ambicioso.

Curiosamente quando o projecto foi anunciado tinhamos na formacao um jogador q dava nas vistas (Andre' Gomes) e q foi depois dispensado para estar hoje a ser bem aproveitado nos nossos principais rivais.

José Rodrigues disse...

"O importante é que a gente mais importante da estrutura se mantenha [...] para que o trabalho e conhecimento de muitos anos não se perca."

Concordo que numa perspectiva de se querer aproveitar o "know how" existente, Antero e' de longe o mais importante (entre os principais dirigentes; ja' nao falo de cargos menores porque 'a partida nao vejo porque nao fosse a maioria para manter, seja quem for eleito).

Ja' a continuacao de Reinaldo Teles, Angelino Ferreira ou Adelino Caldeira nao me parecem minimamente fundamentais para esse objectivo, se a estrutura operacional do futebol se mantiver em grande parte.

Nuno Costa disse...

Em primeiro lugar,parabens ao RP por elegantemente e com antecedencia, ir percebendo como vão as hostes num tema tão delicado. Certamente o nosso clube beneficiará com esta discussão seria,antecipada, pensada e reflectida.

Qunato ao texto em si, Antero Henriques como já expliquei noutro topico, é para mim a escolha obvia mas entendo que não consensual...

Entendo as dúvidas sobre as suas capacidades, mas de 2005 a 2012 perdemos 1 título, volto a referir... Entendo tudo isso, ninguém está acima da crítica e da dúvida, nem mesmo PC, mas penso que será sem dúvida a aposta com menos risco, e isso por si só terá algum valor...

Principalmente quando ouço sócios a falarem em Povoas,Gomes e Moreiras... E estes, o que provaram, os riscos não serão infinitamente maiores? Quando ouço esses nomes temo pelo futuro do nosso clube e pelo trabalho solido e seguro de 30 anos...

Anónimo disse...

Na pratica e verdadeiramente ninguem conhece ninguém, por aqui.

E os "sabotadores" são relativamente faceis de "identificar".

Portanto não vejo problema no anonimato desde que os considerandos sejam respeitosos.

Anónimo disse...

Atenção o Andre Gomes não foi dispensado pelo clube.

Silva Pereira disse...

Boa tarde,
Comungo das preocupações/dúvidas mas acrescentaria:
Para além do tremendo fracasso do projeto 611 não gostei de ter relevado ao Le Equipe que o sucesso do FCP nas aquisições de jogadores era ter 250 pessoas a fazer prospeção de mercado e não gostei não sei sepor preconceito meu (tipo espionagem empresarial) ou vi uma tentativa de promoção para ida para um clube inglês como veio veiculado na imprensa num passado recente. Como dizia poderá ser preconceito ou defeito de formação (código de ética empresarial) de não transmitir à concorrência os fundamentais do nosso negócio.
Por isso desde essa entrevista fiquei com o pé atrás e como já vi tantos id efetiveis portistas e até putativos candidatos à sucessão de JNPC passar para o lado do inimigo (António Oliveira por exemplo, Fernando Gomes –na pr da Federação) e até se calhar sou muito básico mas não gosto que essas pessoas colaborem com a Bolha e aqui entra o Rui Moreira, nisto estou com o Futre quem quer ter nome no atlético de Madrid não pode passar para o RM.
Como dizia espero que os meus receios sejam infundados e não ter (embora seja um caso diferente) que assistir mais um caso como o AVB, que no fundo remete para o mercantilismo que se vive hoje e aquela máxima de muda-se de mulher, carro mas não se muda de clube já não se aplica.
Cumprimentos

Anónimo disse...

A minha candidatura ideal seria aquela que apresentasse o Antero como nº 2. Ou seja nas funções que actualmente desempenha com eventual algum reforço.
Partilho das duvidas quanto à sua capacidade de afirmação como nº1. Nunca desempenhou tais tarefas pelo que não sabemos da sua capacidade... nesse aspecto inspira muito menos que a quase maioria dos "candidatos" (Rui Moreira, V Baia, F Gomes (federaçao), etc..
Mas de conheçimentos de futebol e de estrutura, certamente inspira mais do que qualquer um dos acima referidos (ainda que tal como o autor revele, ha uma certa opacidade...)

Silva Pereira disse...

Continuação

....fico às vezes com a sensação que essas ditas figuras portistas querem protagonismo e estarem na ribalta para proveito próprio e não para servir o FCP.
Como disse talvez seja preconceito meu e saber que os média macrocéfalos procuram é acima de tudo destruir o FCP e por isso não compreendo que esses portistas colaborantes possam um dia dirigir o FCP eu sou do tempo do Américo de Sá pres do FCP vivia na capital e estava inibido de cortar o cordão umbilical.
Cumprimentos

DC disse...

Em Antero valorizo principalmente o que me parecem ser as suas qualidades ao nível de se "mexer" dentro do mundo do futebol.
Vários jogadores do Porto saem e dizem que continuam a manter contacto com ele, outros dizem que assinaram porque tiveram uma conversa com ele.
Isso pode parecer pouco importante mas parece-me que PdC construiu a sua carreira com base nesses atributos. Com base em ter o balneário na mão, saber como motivar e controlar os jogadores e parece-me que o Antero tem esse dom.

Depois a parte das finanças terá necessariamente que ser entregue a especialistas, mas a figura que terá que ser respeitada pelos jogadores, adeptos e treinadores para mim terá que ser alguém com este perfil. Alguém que baixando ao balneário incite imediatamente o respeito e a motivação. E Antero parece-me essa pessoa.

Anónimo disse...

Com a saída de Pinto da Costa e Reinaldo Teles eu ficava com toda a gente e só discutia a melhor solução para presidente.

Se as coisas globalmente têm corrido de forma positiva (perfeita não, mas isso não existe) para quê arriscar mudanças, se os exemplos que vejos nos outros clubes nos aconselha cautela.

José Rodrigues disse...

"Depois a parte das finanças terá necessariamente que ser entregue a especialistas"

Naturalmente que a pasta para os assuntos financeiros na Administracao deve ir para as maos de alguem com formacao nessa area (q nao o presidente), mas a questao e' q eu acho q isso no futebol nao chega, principalmente em tempos de vacas magras.

E' q as medidas com maior impacto - de longe - no aspecto financeiro dizem respeito a contratacoes, aproveitar (ou nao) prata da casa, etc, i.e. decisoes primariamente DESPORTIVAS.

Sendo assim da' muito jeito q o presidente tenha pelo menos bastante sensibilidade para essas consideracoes financeiras (nao digo necessariamente q precise de ter formacao). E ainda mais em tempos de aperto do cinto.

Franco Baresi disse...

Antero Henriques após Pinto da Costa = Vítor Pereira após Villas Boas

Anónimo disse...

Relembro o falhanço brutal da época 2009/2010, planeada quase por inteiro pelo Antero Henrique, independentemente dos túneis; sem o amparo do PC, certamente já não estaria no clube.

Pessoalmente, gostaria de ver o Fernando Gomes enquanto presidente do clube (acabando com a SADependência e voltando a dar autonomia às modalidades) e SAD, entregando a gestão do futebol profissional a alguém competente, de provas dadas e Portista.

Tribuna Portista disse...

Não cremos que o Projecto 611 seja de todo um fracasso, como se pode provar por aqui:

http://tribunaportista.blogspot.pt/2012/10/o-impacto-da-formacao-do-fc-porto-no.html

http://tribunaportista.blogspot.pt/2012/10/o-impacto-da-formacao-do-fc-porto-no_1802.html

Anónimo disse...

Relembro o falhanço brutal da época 2009/2010, planeada quase por inteiro pelo Antero Henrique, independentemente dos túneis; sem o amparo do PC, certamente já não estaria no clube.

Pessoalmente, gostaria de ver o Fernando Gomes enquanto presidente do clube (acabando com a SADependência e voltando a dar autonomia às modalidades) e SAD, entregando a gestão do futebol profissional a alguém competente, de provas dadas e Portista.
---
O "homem" só falhou nessa época então é BOM.
Arranjas quem ganhe sempre?!...
E os tuneis foram decisivos.
E as outras epocas de sucesso ?!
Não contam?!...

O FGomes desenvolveu bom trabalho no basquetebol ?
Responsa quem andou por lá.

Pedro disse...

Eu, relativamente aos dirigentes, tenho dificuldades em ver onde acaba o mérito de um e começa o mérito de outro, por isso tenho uma visao mais unificada das suas actuaçoes.
Vejo, por exemplo, muitos adeptos a elogiarem Antero Henrique e denegrirem Angelino Ferreira, mas parece-me que isso se deve apenas ao facto de o 1º receber os louros do sucesso desportivo e o 2º recebe o onus do aumento do passivo. Eu, nao sabendo como é o funcionamento interno do clube, nao sei se Angelino apenas apaga os fogos duma politica desportiva que leva a pagar quase 20 milhoes por Danilo, por exemplo.
Sinceramente, neste momento, teria imensas dificuldades em apoiar qualquer soluçao que viesse desta actual direcçao, a nao ser que nos próximos tempos, mudem radicalmente de politica desportiva e financeira, pois todos eles estao demasiado comprometidos com o actual estado financeiro do clube, e como ainda agora saem noticias nas quais o Porto se prepara para enterrar aproximadamente mais 15/16 milhoes em reforços, sem ter vendido ninguém, nao acredito que isso seja possível.
Se me dessem a escolher, diria que via com bons olhos Salvador, por 2 motivos.
1- A continuaçao de um regime presidencialista. Sou todo a favor da democracia, mas gosto de saber claramente a quem pedir responsabilidades.
2- Em principio, garantia uma politica financeira bem mais rigorosa, algo que será urgente para garantir o futuro do clube.
Dito isto, tenho sérias dúvidas que ele alguma vez seja candidato, até porque vejo muitos adeptos que nao perdoam que ele neste momento defenda a todo custo o Braga, e ele parece-me daqueles que só se candidatariam se tivessem sólidas garantias de vencer.
Cumps

Miguel Lourenço Pereira disse...

É um bom trabalho de pesquisa mas o fracasso é evidente no sentido em que os jogadores formados não chegaram a consagrar-se no plantel principal, que era o objectivo real do Projecto 611!

Felisberto Antonio Oliveira Costa disse...

Desculpem lá a minha heresia, mas um portista preocupado com a sucessão de Pinto da Costa NÃO é um PORTISTA!!!!! É um pintista!!!! E porquê?
Porque a melhor maneira de homenagear aquele que foi o maior dirigente português de todos os tempos não é deixar o poder na rua, mas sim a continuidade de uma liderança forte, saudavel mas tambem personalizada!
E por aquilo que vejo na concorrência, não é preciso ser-se formado em economia em Harvard ou em tecnologias de ponta em Massachussets!
Basta alguem com personalidade forte, empreendimento e portismo!

DC disse...

Concordo José, mas parece-me que essa capacidade em PdC não será pelo menos muito superior à do Antero.

Penso que Antero tem tratado de muitas contratações e que também tem aquele olho para o negócio que lhe permite saber se um investimento vai ou não ser compensado no futuro.
Obviamente que falando de fora estou baseado em suposições, mas acredito que o Antero também tenha essa sensibilidade para avaliar os investimentos.

HULK 11M disse...

"Na pratica e verdadeiramente ninguem conhece ninguém, por aqui."
Concordo! E não é só por aqui por este chamado "mundo virtual". Acontece também com frequência na nossa vida real.
Mas... é diferente eu ser capaz de ir percebendo os pontos de vista defendidos pelo "anónimo x", separando-os das opiniões do "anónimo y". E, assim, vamos construindo, nós próprios, uma opinião acerca do que pensa cada um dos anónimos. Reduzir-se-á o risco, por exemplo, de ficarmos a suspeitar que alguns dos comentários proveem de adversários que veem até aqui com o simples propósito de "meter veneno"!
Abraço

José Rodrigues disse...

O q vem nesses artigos nao invalida q o projecto tenha sido um fracasso. O objectivo do projecto nao era "formar jogadores para o campeonato portugues", mas sim colocar 6 jogadores da formacao no nosso plantel A em 2011.

Um objectivo bem claro e facil de medir, e quem sem qualquer ambiguidade falhou. Podemos argumentar se e' um problema pequeno ou grande (ou nenhum) q tenha falhado, mas q falhou, falhou.

Colocar jogadores da formacao em outros clubes so' tem interesse se encaixarmos bastante dinheiro com isso, ja' q nao somos a Santa Casa da Misericordia. Eu quero la' saber se temos x jogadores em outros clubes da 1a liga (como por ex Andre Gomes no...slb) se ninguem nos pagou por isso...

Ja' agora, a esmagadora maioria dos nomes nessa lista no Tribuna Portista foram formados antes de 2006 (i.e. do projecto 611 ser anunciado).

José Rodrigues disse...

"Concordo José, mas parece-me que essa capacidade em PdC não será pelo menos muito superior à do Antero."

Verdade. No entanto o meu ponto e' q eu acho q essa capacidade (ou sensibilidade) vai ser muito mais importante nos proximos anos do q nos ultimos 10, fruto do maior aperto nos nossos cofres (juros da divida, algumas receitas em queda, etc).

José Rodrigues disse...

"Basta alguem com personalidade forte, empreendimento e portismo!"

Quem me dera que assim fosse, porque nesse caso nao faltavam milhares de bons candidatos no universo portista!

No entanto e' preciso mais umas quantas coisas... comecando pela 1) capacidade desportiva / know how no futebol e 2) de gestao num sentido lato.

Ora sendo assim os bons candidatos serao eventualmente muitos poucos. Caso contrario seria muito facil substituir PdC, mas certamente nao o sera'.

alex disse...

Claro que ninguém conhece ninguém, nem se trata de conhecer os participantes. Trata-se de identificar os comentários e ficar a saber ao que vêem os anónimos...

Miguel Magalhães disse...

Penso que o Antero está bem onde está. Nao o vejo a presidente do Porto. Quanto muito a presidente executivo da SAD e, quem sabe, numa soluçao em que o PdC seria o presidente do clube e nao-executivo da SAD.
Acho que o PdC irá assegurar uma transicao suave mas tenho duvidas que seja alguem da actual estrutura. Se assim fosse ja teria emergido como numero dois e ja seria aceite como tal, tanto pelos seus pares como pelos adeptos.
Num ambito diferente, vejam-se p.ex. as saidas de Artur Santos Silva no BPI e Jardim Goncalves no BCP e percebam-se as diferencas e o impacto na vida das instituicoes.

Anónimo disse...

Pedro; Eu pessoalmente subscrevo totalmente a sua opinião. Não me leve a mal, mas gostaria de fazer um reparo ao seguinte ponto:

"1- A continuação de um regime presidencialista. Sou todo a favor da democracia, mas gosto de saber claramente a quem pedir responsabilidades."

Gostaria de o esclarecer que um regime presidencialista não é por si só antagonista de um regime democrático; vide por exemplo o caso dos EUA, que é um regime democrático e presidencialista, tal e qual como o regime democrático da Venezuela.

Agora analisando um e outro; saltam á vista as diferentes “Democracias” de ambos regimes democráticos.

Essas diferenças têm haver sobretudo com dois grandes factores; o primeiro é como é exercido de facto o poder presidencial; no EUA é um poder mais diluído, participativo e condicionado com os outros poderes democraticamente eleitos. Enquanto o da Venezuela é um poder completamente concentrado no seu chefe de estado. O 2º factor, mas não menos importante, na minha opinião até é o mais importante, tem haver com a existência de vários mecanismos de controlo e escrutínio dos actos de poder exercidos. É que são precisamente estes mecanismos que fazem a grande diferença entre um regime democrático transparente ou opaco.

E infelizmente como nos ensina a história e a experiencia; a opacidade nunca "esconde" nada de bom; pelo menos a longo prazo.

E para melhor compreender o que eu quero dizer; basta analisar a realidade do Governo Regional da Madeira; que tem como presidente democraticamente eleito desde 1978 (34 anos) o senhor Alberto João Jardim; um homem que até há muito pouco tempo era considerado quase unanimemente um exemplo de presidente; até se começar a perceber bem como e á custa de quem era realizada a sua obra e o estado a que as finanças regionais chegaram.

Ontem amado e idolatrado pela grande maioria doa madeirenses e dos seu co-relegionários de partido; hoje é o que se sabe; só nas últimas eleições internas para presidente do partido, ganhou com 51%, longe dos anteriores quase 100%.

Abraço

Pedro disse...

Nao é necessário levar tudo à letra. Apenas quero dizer que deve haver condiçoes claras de governabilidade, deve haver espaço para a implementaçao das ideias vencedoras.
Quando digo regime presidencialista apenas quero dizer que nao quero um regime como o do Sporting, por exemplo, em que existem tanta divisao de poderes em que nao sei a quem devo pedir responsabilidades, se a Godinho Lopes, se a Duque ou a Carlos Freitas.
Sobre a opacidade tem toda a razao, eu pelo menos sou dos que pensa que é mau as contas actuais nao serem auditadas, por exemplo.

José Correia disse...

«Visão 611 é o nome do projecto de reestruturação de todo o futebol do FC Porto que está em curso desde 2006 e que se extinguirá em 2011 e que é hoje uma das forças motrizes do clube.
Normalmente visto como um projecto para os escalões de formação e só a ele destinado, o Visão 611 (o nome advém de se ter iniciado no ano 6 do século XXI e terminar no ano 11)...»
F. J. M., LUSA
12 junho 2009

José Rodrigues disse...

Bem, eu ouvi o Antero dizer q tinha como objetivo meter 6 jogadores no plantel A em 2011. Entre o proprio Antero e a Lusa, nao sei porquê acredito-me mais no primeiro. Isto em 2006, não em 2009, já agora...

Já agora, é um bocado ridículo dizer q reestruturação da formação ia durar 5 anos.

José Correia disse...

«Projecto Visão 611 quer formar jogadores à F. C. Porto
JN, 01/01/2008

O F. C. Porto quer ser o "melhor clube na formação de Portugal". Para tal, os dragões deram início a um projecto revolucionário no departamento juvenil o Visão 611, que durará cinco anos (de 2006 a 2011). A primeira medida foi a contratação de Luís Castro para o cargo de Director Técnico, à qual se seguiu o regresso do metodólogo Vítor Frade, para definir os modelos de treino e de jogo nos diversos escalões.
(...)
Para preservar a mística do Dragão, foram recrutadas antigas glórias. João Pinto, Rui Barros, Frasco, Paulinho Santos e Capucho para adjuntos, e Semedo, Bandeirinha, Lima Pereira e André para a prospecção e detecção de talentos. Mas a ambição dos azuis e brancos é bem maior espalhar por todo o país e pelo estrangeiro a marca F. C. Porto.
A primeira etapa será iniciada após a remodelação do Campo na Constituição, que durante vários anos serviu a formação, com a criação da escola Dragon Force, um espaço de detecção de talentos no centro da cidade, para atletas dos 4 aos 12 anos, de ambos os sexos. O modelo prevê a interacção dos ex-jogadores com os jovens, no sentido de desenvolverem o processo de aprendizagem da actividade do futebol. No futuro, através de um negócio de franchising, o objectivo é alargar o projecto a outras comunidades, para aumentar a empatia dos jovens com o clube e captar novos adeptos.»

JNORTON disse...

Bom Dia
O Projecto 611 tem como base os anos de 2006 a 2011.Sao estes os dados concretos.O projecto era de 5 anos.
Quanto a Antero Henrique nunca assumirá a Presidência do FCPORTO pelo menos nos proximos anos.
É muito mais util para o FCPORTO e para ele manter-se como o estratega e responsavel por todo o futebol.
JNorton

Pedro Santos Pereira disse...

O Projecto 611 sem dúvida falhou no seu objectivo final, não conseguiu seis jogadores formados no clube em 2011. No entanto é um projecto que o FC Porto tem de manter apesar de caro, basta encontrar de 5 em 5 anos um jogador que valha 10 ou 15 milhões e está pago e com juros. Além disso tem o Luis Castro que eu muito aprecio e cuja competência reconheço. A questão é que o FCP não espera, e para se manter forte não há tempo, ou serve ou não serve. Depois há opções técnicas, entre Ukra e Kelvin?

Pedro Santos Pereira disse...

O FC Porto infelizmente não consegue nem Jackson Martinez, nem James Rodriguez, nem Fernando na formação. Mas também mais ninguém consegue, que jogador português do nosso campeonato tinha lugar no FC Porto?

Pedro Santos Pereira disse...

Hoje escrevi um artigo onde dava conta das revelações do FC Porto, Benfica e Sporting na 1ª volta, e se exceptuarmos o André Gomes, não há outro português, nem no Sporting, que costuma ter uma formação forte. Se me quiserem brindar com a vossa visita o site é www.vantagemnumerica.pt. Para finalizar gostava de sublinhar, na minha humilde opinião, a elevada qualidade dos artigos aqui encontrados. Parabéns

luispato disse...

Em relação a este assunto, parece que ainda poderá ser cedo para se estar a esgrimar quem sucederá a JNPdCosta. No entanto, não quer isto dizer que seja um tema que me é completamente insensível. Há para mim outros elementos de uma gravidade bem mais evidente e com mais impacto no dia-a-dia do nosso clube. Estes são: a política de formação/contratações e o treinador. Começando pela 1ª ordem de elementos, é para mim lamentável ver um plantel com tanto jogador estrangeiro. No projecto da equipa B há lá elementos que podem eventualmente entrar na equipa principal e começar a jogar com alguma regularidade - veja-se o caso do TóZé, Tiago Ferreira etc. e até do próprio Sebá. Temos ali muita qualidade há que o fazer rodar mais em termos pragmáticos. Em relação às contratações, o que fazem cá jogadores como Liedson, Defour etc. Pergunto, não haveria a possibilidade de se encontrar jogadores semelhantes na Liga Nacional - como fez o SLB com o Lima? Deve-se apostar mais no campeonato nacional e não apenas esperar pelos jogadores que ficam em final de contrato.
Em relação ao treinador, bem não há muito a dizer. O campeonato do ano passado foi ganho por manifesta incompetência do SLB. E este ano, está a ser o que está à vista de todos. Portanto, venho um treinador novo e que seja português. Pessoalmente gostava de ver lá o Domingos ou então o Leonardo Jardim. Qualquer um deles me satisfazia. Embora sonhe com a vinda de um treinador - trata-se do Rijkaard. Foi ele que lançou as bases do Barça de Guardiola. Mas este cenário, trata-se apenas de um desejo.
Em relação ao JNPdC, não tenho nada a dizer. Ele está cá e já deverá saber quem será o seu substituto. Trata-se apenas de uma questão de aguardar.

Dragaoatento disse...

Amigos portistas!

Sou portista desde pequenino e agora aos 70 anos tenho alguma experiência relativa a presidentes e candidatos à presidência do FCP, pelo que vou comentar o seguinte:

1 - Dificilmente surgirá um presidente ao nível do Jorge Nuno porque ele beneficiou da competência/ aprendeu com o saudoso Zé Maria Pedroto. Este sim, um mestre do futebol e eficaz a enfrentar a comunicação social lisboeta.

2 - Não acredito em eventuais candidatos tipo: Vítor Baía, Fernando bibota Gomes, António Oliveira ...etc...
Noto que candidatos não faltam, mas o que pretendem é pavonear-se

3 - Antero Henrique! Sim é capaz de dar um presidente sagaz

FC Porto, sempre