terça-feira, 11 de dezembro de 2012

O problema do Ballon D´Or

Avizinha-se a entrega de mais uma edição do prémio individual mais célebre do universo futebolístico: o Ballon D´Or.

É um prémio que, como todos os prémios, vive do seu glamour e peca por ser injusto, na medida em que a opinião individual de cada um nunca se alterará por uma tendência colectiva. Quem acha que o seu é melhor nunca mudará de ideias se vencer outro e portanto, num desporto colectivo, eleger a melhor individualidade é algo ainda mais complexo.

O que se premeia?

As regras do Ballon D´Or original eram claras: premiar o melhor jogador dentro de um ano natural tendo em conta as suas performances, as da sua equipa, a sua influência na equipa e as suas conquistas. Ou seja, o papel de um individuo como espelho de uma performance colectiva.



Dessa forma, historicamente, em anos de Europeus e Mundiais, o vencedor acabava por ser alguém ligado de forma simbólica a esses triunfos. Em 2006, Cannavaro representou o triunfo italiano, em 2002 o renascimento de Ronaldo o do Penta brasileiro. Em 1998 e 2000, Zidane foi o rosto de França e da sua geração de ouro, em 1990 Mathaus venceu porque a RF Alemanha ganhou o Mundial e em 1982 os golos de Rossi em Itália deram-lhe o troféu. E assim, ad aeternum.

Por outro lado sempre se convencionou que este era um prémio de futebol de ataque. Só um guarda-redes, o mítico Yashin, e dois defesas - o italiano Cannavaro e o alemão Sammer - venceram o troféu, os últimos dois quais como espelho da vitória das suas selecções. Os restantes, avançados, extremos e criativos. E sobretudo, jogadores de grandes potencias.

Ainda hoje custa-me entender porque Futre perdeu o Ballon D´Or em 1987 para Gullit e Deco o de 2004 para Shevchenko. Curiosamente os dois vencedores jogavam no AC Milan, um dos clubes mais premiados da história e com mais peso junto dos votantes. Votantes que estão na base da profunda mutação do Ballon D´Or do passado com o do presente.



Em 2010 a empresa France Football, que criou o prémio, encontrou-se com graves problemas financeiros e aceitou a proposta da FIFA de fundir o seu prémio com o FIFA Award, uma ideia de Blatter, quando era vice-presidente, em 1990, de criar um prémio alternativo ao atribuído pelos gauleses. Até então votavam no Ballon D´Or os 53 jornalistas europeus que representavam as federações continentais. Até 1994 só podiam votar em jogadores europeus (por isso Maradona e Pelé nunca ganharam) e a partir de 2006 passaram a poder votar em jogadores a actuar fora da Europa.

Com o novo FIFA Ballon D´Or passaram a votar os seleccionadores, capitães e jornalistas de todos os países membros da FIFA. E o prémio passou a ser um concurso de popularidade.

Sinceramente a mim tanto me faz qual o critério a aplicar, dou pouca importância ao certame. Mas no modelo antigo, o que tornou o troféu popular, Lionel Messi teria vencido dois prémios até agora. Com este modelo prepara-se - salvo imensa surpresa - para conseguir o quarto consecutivo.
O prémio passou a ser uma luta entre os jogadores mais populares, liderada por Messi com Ronaldo e agora Iniesta como perseguidores naturais. Façam o que fizerem no terreno de jogo outros jogadores, o impacto mediático destes três supera o dos restantes e muitos jornalistas, seleccionadores e capitães de países que vivem o futebol de uma forma muito diferente da nossa, preferem votar neles. Basta ver os boletins de voto das últimas edições e descobrir que estes nomes são omnipresentes.

Em 2010 os jornalistas europeus colocaram Messi no quinto lugar e deram o prémio a Sneijder. A nível mundial o holandês nem entrou no pódio. Sob os registos históricos do prémio, o holandês teria sido o ganhador salvo se Iniesta ou Casillas vencessem. Até hoje, depois de ganhar tudo o que havia para ganhar, nenhum espanhol venceu.

Dizem que Messi ganha sempre porque é o melhor. Não creio que isso esteja em discussão realmente.
Mas o prémio antes não era entregue ao melhor do mundo mas sim ao melhor num ano natural, tendo em conta o que conquistou. Ronaldinho Gaúcho foi o melhor jogador do Mundo durante três anos mas só tem um troféu. Zidane foi o melhor em igual período mas perdeu um ano para Figo e outro para Rivaldo. Platini perdeu o prémio em 1982 quando não era pior jogador do que Rossi e nos primeiros anos, ninguém duvidava que Alfredo di Stefano fosse único. Mas La Saeta tem apenas dois troféus em casa.



Pessoalmente, se eu pudesse votar, a minha eleição estaria entre Casillas, Iniesta e Falcao.
Salvo o manchego, os outros dificilmente poderão vencer o troféu porque perdem em popularidade para Messi e Ronaldo. O português, que não tem feito épocas ao nível de 2008, quando venceu, tem sido presença habitual no pódio porque é, indiscutivelmente, um dos dois jogadores mais populares do Mundo. Se Messi vencer, sine die o troféu, apenas na base de que é o melhor, ele acabará por perder o seu real valor. Basta olhar para os Óscar e pensar que Brando venceu dois - espaçados por vinte anos - e ninguém se atreve a discutir que nesse período houve poucos interpretes como ele.

No futebol, um desporto colectivo onde ser estrela individual é complicado, vive-se uma ditadura de popularidade que acabará por transformar estes pequenos guilty pleasures em algo profundamente aborrecido.

65 comentários:

José Rodrigues disse...

O raciocinio em geral parece-me fazer muito sentido, mas o exemplo de Messi em 2012 ja' nem por isso.

E' q 2012 foi DE FACTO um ano excelente para Messi. Alias, pela logica avancada pelo Miguel, esquisito seria se um jogador q apos uns 40 anos bate o recorde de golos marcados num ano (e hoje em dia e' bem mais dificil do q nos tempos de Muller) nao ganhasse o Ballon d'Or.

Logo, se Messi ganhar em 2012 penso q nao sera' por uma questao de "popularidade" mas sim porque de facto foi excelente no ano em questao.

Falcao seria um excelente candidato para ganhar o premio este ano, mas teve azar com o ano do Messi...

Joaquim Lima disse...

O que causa confusão à maioria dos apoiantes do Ronaldo é que o Messi não ganhou nenhuma prova importante este ano (campeonato e champions) mas, como o José Rodrigues diz, bater o recorde de Muller não está ao alcance de qualquer um.

Costa disse...

O Falcão pode ganhar o troféu mas tem 2 problemas: Ronaldo e Messi.

Já o Ronaldo está mais perto de o ganhar, mas também tem um problema: Messi.

Anónimo disse...

Viva,

Está um texto bastante interessante. e no entanto não concordo em quase nada com ele:)
Dizer que Ronaldo e Messi são mais populares e por isso estão no pódio é um disparate. Estes 2 jogadores são 2 autenticos monstros. Nos ultimos 3,4 anos têm obtido estatísticas verdadeiramente impressionantes e têm batido todos os records. fossem populares ou não, teriam de ser considerados os melhores (eu diria até muito melhores em relação a todos os outros). Por outro lado, concordo que o anterior sistema acabava por valorizar os jogadores que eram mais influentes nas grandes provas e nos grandes jogos. Dessa forma bater o record de golos como messi fez não seria, só por si, factor decisivo. Mas, segundo esse sistema Iniesta venceria este ano. e ficaria um sentimento de injustiça no ar porque os jogadores extraterrestres que vemos jogar em madrid e barcelona merecem sempre vencer (enquanto tiverem estas estatísticas)

Juca

Felisberto Antonio Oliveira Costa disse...

Isto do Ballon d'Or faz-me lembrar o Rock 'N'Roll Hall Of Fame, onde estão inscritos os maiores nomes do rock, mas não todos!!!! E todos os que lá tem placa decorativa são... bandas rock!!!!
Por isso acho que na minha opinião, gente como Dino Zoff, Van Basten, Madjer, Deco, Falcao e até mesmo Jardel, devem sentir orgulho em não serem associados a um mero ato de marketing de gostos duvidosos.

José Rodrigues disse...

Para mim e' claro q o principio e' q se deve premiar a melhor performance do ano em causa.

Messi tem contra ele o facto de nao ter contribuido para vitorias em competicoes na seleccao ou europeias a nivel de clubes. Mas o nr de golos marcado e' absolutamente extraordinario (ainda mais nos tempos q correm em q os defesas e treinadores adversarios escalpelizam ao pormenor os atacantes adversarios, e em q os defesas nao tem rins de ferro como antigamente), quando nem sequer e' PDL nem marcou muitos de penalti - mesmo ja' tendo em conta a qualidade dos colegas.

E a nivel individual contribuiu para o titulo espanhol (e como) e teve uma boa performance na LC enquanto o Barcelona la' andou.

Iniesta tem a vantagem de ter contribuido para a vitoria da Espanha no Europeu, mas isso nao compensa os dados individuais do Messi. Recordes como o q conseguiu agora so' acontecem em media uma vez em cada 20 ou 30 anos, seria injusto nao o premiar.

O maior problema do sistema actual de voto vs o anterior consiste, a meu ver, em q da' demasiada enfase a jogadores ofensivos. Sempre foi o caso (pela TV e' muito facil reparar em golos e assistencias do q num trinco com excelente desempenho), mas agora ainda mais.

Dito isto, acho q claramente nao houve nenhum jogador nao-ofensivo nos ultimos anos q tenha tido a performance de um Messi, Ronaldo, Iniesta ou Falcao (este ano).

José Rodrigues disse...

Errata: estava a pensar no ano anterior quando falei no contributo do Messi para o titulo nacional.

José Rodrigues disse...

"O que causa confusão à maioria dos apoiantes do Ronaldo é que o Messi não ganhou nenhuma prova importante este ano (campeonato e champions)"

Na LC e na seleccao Messi e Ronaldo tiveram o mesmo sucesso (i.e. nenhum), logo nao e' por ai' q se diferenciam.

A unica vantagem de Ronaldo foi ter ganho o campeonato espanhol, mas isso nao me parece factor suficiente para anular os dados individuais de Messi.

Se Ronaldo tivesse contribuido para um titulo de Portugal no Euro, ai' sim, ja' seria outra historia.

José Rodrigues disse...

"Por outro lado, concordo que o anterior sistema acabava por valorizar os jogadores que eram mais influentes nas grandes provas e nos grandes jogos"

Discordo totalmente, acho q e' ao contrario: agora q temos treinadores e jornalistas do Burkina Faso ou das Maldivas a votar, e' q as grandes provas contam mais (pq sao esses os jogos q eles veem).

Nuno disse...

se fosse pela popularidade ganhava sempre o sr dos 50 milhoes de likes no facebook :)

DC disse...

Para mim a pergunta é simples: quem é o melhor do Mundo!

E dizer que 207 seleccionadores e 207 capitães de equipa votam por popularidade é desvalorizar o papel deles no futebol. Eles que o jogam e que o vivem é que sabem quem é o melhor.

Já os jornalistas sim, votam por popularidade, votam como lhes convém, votam muitas vezes de acordo com o público alvo que querem atingir.


E para mim não faz sentido sequer pensar que um jogador que marca 86 golos e não ganha a Champions por causa de um penalti à barra não possa ser considerado o melhor do Mundo. Este é um prémio individual não é colectivo, deve-se valorizar o que vale um jogador e não o que vale a equipa.
Messi vai ganhar provavelmente e vai ganhar porque merece.
Da mesma forma que em 2004 ganhou Zidane em vez de Deco e ninguém sequer questionou porquê. Porque Zidane era melhor que Deco e não seria uma época colectivamente pior do Real Madrid que o ia alterar.

Da mesma forma não seria uma época boa no meio de 10 épocas banais do Sneijder que lhe iriam fazer merecer a Bola de Ouro. Até porque ele nem sequer foi o jogador mais importante do Inter, com o Milito a fazer uma época muitíssimo superior!
Não percebo como se pode sequer valorizar um jogador que ganha uma Champions com um autocarro em Barcelona. O Inter passou mas o Sneijder mostrou algum futebol nessa eliminatória? Mostrou alguma vez que merecia estar à frente de Iniesta e Messi? Se alguém mostrou alguma coisa foram os centrais e os laterais do Inter...
Por essa ordem de ideias dê-se o prémio a Torres que foi o melhor marcador do Euro e ganhou a Champions marcando no Camp Nou.


Como referi a pergunta é simples: quem é o melhor? E para essa pergunta de acordo com as respectivas preferências no que toca ao estilo de jogo (técnica e classe vs velocidade e força) só há 3 escolhas possíveis: Messi, Cristiano e Iniesta.

Anónimo disse...

Muito honestamente e sem nacionalismos deveria vencer Ronaldo ou Iniesta. Foram mais influentes em jogos decsivos no campeonato espanhol e no europeu. O prémio não é para quem é o melhor. não é para quem tem mais atributos técnicos senão ganhava um rapaz da minha rua que pratica free style. O prémio é quem foi o mais influente nesse ano.
Aproveito para deixar aqui um video de Mourinho e das suas explicações, com as quais eu concordo. não por ser mourinho, por serem razoes bastante válidas.

http://www.youtube.com/watch?v=NaS5jkjoPJE&feature=player_embedded

Juca

Miguel Lourenço Pereira disse...

Zé,

O Messi já ganhou um prémio ao melhor goleador do ano, chama-se Bota de Ouro ;-). Não podemos confundir um prémio com o outro. Da mesma forma que me pareceu insultante que alguns quisessem que o Ronaldo tivesse ganho o Ballon D´Or quando ganhou a Bota de Ouro, agora também me parece desviar a natureza do prémio. Se o Jardel tivesse igualado o recorde do Muller seria um candidato ao prémio?

O Ballon D´Or é para mim um prémio simbólico, ou devia ser, e está associado à relação performance individual-performance colectiva, o único que faz sentido pesar num desporto como o futebol. Por isso eu votaria sempre no Iniesta, entre os 3 nomeados finais.

O Messi teve 3 jogos decisivos em 2012 e nos três falhou. Em casa contra o Real Madrid e nas meias com o Chelsea. O Iniesta falhou nos mesmos mas fez um Europeu impecável. O Ronaldo fez a diferença no Camp Nou, quase deu a volta na 2º mão das meias e fez um Europeu mediano.

PS: Zé, o Messi não contribuiu para o título espanhol porque não o ganhou ;-)!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Costa,

O que diz tudo sobre a natureza de popularidade do troféu. Mede-se o ganhador com base no valor individual e na popularidade e já não pelo que cada um faz num ano natural, a base real do Ballon D´Or clássico!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Juca,

Jogadores extra-terrestes sempre houve, o Messi e o Ronaldo não inventaram isto. E no entanto quantos Ballon D´Or tem o Ronaldinho? O Ronaldo? O Zidane? O Gullit? O Eusébio? O Charlton? O Best?

Não falo nos casos sul-americanos porque até 1994 não eram elegíveis, mas se o molde actual tivesse sido utilizado sempre, teriam existido meia dúzia de ganhadores durante um período de 30 anos porque eram naturalmente os melhores jogadores individuais. E o prémio nunca foi assim. Quando Cruyff deixou de ganhar títulos, deixou de ganhar o Ballon D´Or e não é por isso que deixava de ser o melhor entre os melhores!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Felisberto,

O Van Basten venceu 3 prémios, é um dos que mais ganhou na história, juntamente com Platini, Cruyff e Messi!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Nuno,

O facto de estar sempre entre os nomeados já o indica!

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Em 2004 o Deco perdeu para o Shevchenko porque o Milan manobrou-se muito bem junto dos jornalistas. O Zidane venceu 2 prémios e perdeu vários na sua fase de "melhor". O mesmo com o Ronaldinho, o Ronaldo, por exemplo.

O Ballon D´Or tem um estatuto e o estatuto é claro: melhor performance individual num ano natural tendo em consideração os titulos colectivos, individuais e os valores desportivos. Por isso o comentário em relação ao Sneijder não faz qualquer sentido. Nesse ano não houve nenhum jogador que melhor encaixasse neste ideário, mesmo estando contra a forma de jogar no Inter e na selecção da Holanda.

A votação não é, repito, de quem é melhor. É quem foi melhor num ano natural tendo em conta esses pergaminhos. Porque se fosse o melhor, e repito-me, ninguém aqui acredita que é lógico que existam vencedores como Sammer, Mathaus, Cannavaro, Weah, Rivaldo ou Shevchenko quando estavam em campo Ronaldo, Zidane ou Ronaldinho!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Exactamente!

DC disse...

Essa validez é no mínimo subjectiva.

A questão da posição é uma treta já que tanto Messi como Cristiano já venceram a bola de ouro jogando numa ala e antes dele Figo entre muitos outros.

Depois a treta da pancada ainda contra o 5LB vimos a pancada que o Messi levou. A diferença é que o Messi agarrando-se muito menos à bola, sabendo quando a deve soltar e tendo uma mudança de direcção muito mais imprevisível que a do Cristiano é muito mais difícil de parar, mesmo em falta.

Já a da Intercontinental não valer nada e ele não a querer ganhar, Mourinho não fica nos clubes depois de vencer a Champions porque sabe que provavelmente vai perder no ano seguinte. Como se está a ver com o Real, puxou a equipa ao máximo, agora já vai a 11 pontos.

A de Messi ter muitas e Cristiano poucas só faz rir.

Quanto ao Cristiano defender e Messi não, Messi toca na bola em média mais de 20 vezes por jogo que o Cristiano. Se o Messi defende menos (segundo o Mourinho, faltam provas disso) o Cristiano participa muito menos no jogo que o Messi. Messi inicia as jogadas muitas vezes atrás do meio-campo. Participa no jogo em todas as suas fases, participa na gestão da posse de bola, cria os desequilíbrios e ainda finaliza as jogadas. Já Cristiano finaliza as jogadas, ponto final. Se não joga no meio é porque não tem capacidade para jogar no meio, ou não é Mourinho que decide isso? Tendo o Mourinho mais opções para jogar na ala porque não joga o Cristiano no meio? Se calhar é porque não sabe...

De resto o prémio é sim para o melhor do Mundo! E Messi foi o melhor marcador do Mundo, melhor marcador da Champions, melhor marcador do campeonato espanhol, melhor assistente do campeonato espanhol (empatado com Ozil). Além disso (e pode fazer esse estudo se quiser), sem os golos de Messi o Barcelona teria ficado no 6º lugar enquanto sem os golos do Cristiano o Real seria campeão na mesma.

Há muitas formas de analisar e opinar sobre o melhor do mundo, (Iniesta por exemplo sem recordes nenhuns para mim merece se ganhar a bola de ouro porque é decisivo no jogo da sua equipa e da sua selecção) mas sinceramente esta entrevista do Mourinho é muito má! E toda a gente se lembra que em Londres o melhor do Mundo era o Drogba e em Milão era o Ibra!
Portanto, e esta época ainda mais, Messi é muito mais decisivo e influente no seu clube do que o Cristiano no Real.

DC disse...

O Shevchenko ganhou o dos jornalistas mas o Zidane ganhou o dos jogadores e seleccionadores.

O comentário em relação ao Sneijder não faz sentido porquê? Se para si o que vale são os troféus então peça a bola de ouro para o Mata ou para o Torres que ganharam Euro e Champions, tão simples como isso.

Sneijder não foi o melhor jogador da Champions nem foi o melhor jogador do Euro. Esses foram Milito ou Messi e Iniesta, Xavi ou Casillas. Portanto estar a basear a escolha de melhor do Mundo em troféus é ridículo se não for acompanhado de exibições que o justifiquem.
Por alguma razão só os jornalistas escolheram Sneijder e os que realmente percebem de futebol, que o jogam ou treinam, nem nos 3 primeiros o colocaram. Porque sabem que o Sneijder nunca esteve sequer perto de ser o melhor do Mundo e seria um crime dar uma bola de ouro a um jogador que foi mais vezes dispensado do que apreciado pelos clubes onde passou.

A votação é quem é o melhor e se estamos em 2012 será quem é o melhor em 2012, para o ano será quem é o melhor em 2013 e por aí fora. Não é e nunca foi quem foi o jogador que esteve em mais equipas que venceram troféus!
E não faz qualquer sentido sequer o Miguel estar a falar na antiga bola de ouro decidida pelos jornalistas, com vencedores algo discutíveis, quando agora quem tem muito mais influência nessa decisão são os jogadores e treinadores. E essas 414 pessoas percebem muito mais de futebol que eu e você porque o vivem por dentro, portanto o prémio será sempre justo!

DC disse...

Parece-me que o Miguel se está completamente a confundir no meio destes conceitos.

A bota de ouro é um prémio estatístico, factual, não há discussão. Marcas 30 e o outro 29 ganhas tu, ponto final (assumindo o mesmo ratio de campeonato).

A bola de ouro é uma votação, é uma questão de opinião, nada mais!
O que o Miguel está a dizer é que a opinião de umas 500 pessoas esta´errada e a sua é que está certa. Acho que nem é preciso dizer mais nada...

P.S. nota-se aliás o seu facciosismo quando diz que Messi falhou nas meias e Cristiano "quase deu a volta". Quando um jogador fez 14 golos e o outro fez 10 e quando ficam os 2 pelo caminho na mesma fase dizer que um falhou e o outro não é no mínimo estranho! (e avaliar uma época por um, dois, três jogos ainda mais estranho é!)

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Estou a falar do Ballon D´Or, não do FIFA Award, são prémios diferentes até ao ano da fusão, na sua natureza e prestigio. Digamos que só a situação financeira da editora da France Football levou à fusão dos dois.

Eu peço o Ballon D´Or para o Casillas ou o Iniesta, precisamente por isso mesmo. Porque no Ballon D´Or contam os prémios individuais e colectivos. O Mata e o Torres não tiveram assim tantos minutos e protagonismo na gesta do Chelsea, não precisamos ser demagógicos.

O Sneijder era o líder táctico tanto do campeão europeu como da selecção vice-campeã mundial, com golos e assistências. Os jornalistas podem ser muito imbecis - e como sou jornalista se calhar também o sou e a culpa disto é minha - mas não acredito que um jornalista alemão, italiano ou inglês, que respira futebol durante anos a fio saiba muito menos que o capitão da Vanuatu, da Samoa ou da República Centro Africana. Sinto muito!

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Demagogia não, por favor, que isso tira a piada a qualquer discussão. Quando referi a Bota de Ouro foi simplesmente para recordar ao Zé que a faceta de goleador já foi premiada. Aliás, ele próprio, defende que se dá demasiado enfase aos golos neste tipo de prémios e estou totalmente de acordo.

Para mim todas as opiniões são válidas. Aliás, a Jihad messiânica é a única que não admite discussão. Eu sou perfeitamente consciente de que o Messi é um jogador único, irrepetível e que dá prazer ver cada jogo seu. Mas não sou lorpa nem sigo a corrente porque sim, como parece que ás vezes leio por aqui.

A mim dá-me exactamente igual quem ganha, só tive pena que o Deco tivesse perdido em 2004 realmente. Não dou a importância que o mundo parece dar a isto. E respeito todas as opiniões, acho de uma lata tremenda o DC querer fazer-me passar por um fascista futebolístico.

PS: Como posso ser faccioso se sou dos que acha que o Ronaldo nem devia estar no pódio? Se conseguir ler, com calma, verá que falo em 3 jogos concretos, não numa época regular. Jogos simbólicos, determinantes, como é o prémio em si, como são todos aliás, se não reparou ainda!

DC disse...

Eram prémios diferentes, deixaram de ser. Obrigatoriamente falando de um deles agora terá que falar do outro já que se fundiram.

O Sneijder era tanto o líder disto ou daquilo como o Torres era o goleador da selecção espanhola. Atrás de um e outro havia mais um sem fim de coisas, num caso então há um título europeu que toda a gente sabe que foi ganho à custa de Mourinho e Milito.

Você pode não acreditar, mas eu pela qualidade que vejo do jornalismo em Portugal e arredores também não vejo que atributos especiais é preciso para ser jornalista desportivo, pelo menos no que a análise futebolística se refere. A Bola vota na Bola de Ouro e todos sabemos que para eles a bola se não é quadrada é vermelha.

E os tais do Vanuatu ou da Samoa, se têm TV como nós temos têm as mesmas condições para analisar futebol. Mas tendo em conta que são pessoas que o jogam, que sabem que atributos são mais importantes para ganhar, sabem mais que qualquer jornalista sentado numa cadeira.
Além disso numa amostra de 414 jogadores e seleccionadores estar a falar de Vanuatu e Samoa como se a amostra não fosse relevante é claramente má fé! A amostra tem significância suficiente para ser justa e para mim, desculpe-me a sinceridade, é falta de humildade não aceitar a opinião dessa maioria.

A minha opinião é a de que Messi merece ganhar mas se decidirem de outra forma não vou andar a falar de injustiças. Eu tenho a minha opinião mas não vale mais que a dos outros e muito menos valerá mais do que a de uma maioria!

DC disse...

O Miguel contradiz-se muito...

" Jihad messiânica é a única que não admite discussão"

"respeito todas as opiniões"


Nem sei quem é a Jihad Messiânica ou o que é isso sequer. Eu acho que Messi merece ganhar, mas já disse que para mim a opinião da maioria será sempre justa.
Quem criticou a opinião de uma maioria foi o Miguel ao dizer que o Sneijder é que merecia ganhar. É a sua opinião contra a de 414 pessoas.

Quanto aos jogos determinantes dá idéia que os jogos só passam a ser determinantes quando o Messi falhou. Porque eu vi além desses 3 jogos mais 3 Reais-Barça e um Barça-Real, mais vários jogos no Euro, mais uma final da Champions, mais uma final da taça do Rei, mais uma final do campeonato do Mundo. Tem que me explicar o conceito de jogos determinantes...

Mário Faria disse...

Tive o privilégio de ver jogadores fantásticos, alguns menos lembrados que outros. Puskas, Kopa e Garrincha são apenas alguns deles, cuja memória se vai desvanecendo e foram enormes.

Houve equipas que fizeram história de clubes e nacionais cujo valor colectivo era superior à soma das partes : Hungria (de Puskas&Cia.), Real Madrid ( de Di Stefano), Holanda (da Laranja Mecânica), Milão (do Dream Team), Brasil do Camp. Mundo de Espanha, recheadas de óptimos valores, dos melhores ao nível mundial.

Porém, a melhor equipa que vi jogar (com uma regularidade impressionante e com uma concorrência de respeito, como não havia na Europa quando o Real Madrid venceu a taça dos campeões uma série de anos seguidos) é o Barcelona de Messi. E Messi é o melhor jogador de sempre, pelo mérito, a regularidade, a produtividade, a criatividade e a beleza que empresta ao jogo de futebol que pratica e, por isso, na minha opinião deve ser considerado o melhor jogador do ano, enquanto tiver esse dom de nos maravilhar.

Zé Luís disse...

Estou impressionado com a bagagem futebolística do DC. Só não concordo com alguma desvalorização do Sneijder em 2010. Ningiém fez ou teve tanto como ele, não digo que fosse eleito o melhor, mas acho uma parvoíce não ter chegado ao pódio: era o mínimo exigível e, por isso, os jornalistas o elegeram, porque os jornalistas europeus seguem o futebol mundial mas o melhor está na Europa e todos sabem, nós sabemos, disso.

Contudo, sobre a votação, já critiquei o Mourinho por desvalorizar as votações, excepto quando ele ganha. Não gosto disso, a vota~ção universal pode ter incongruências como a do Snjeider mas são pontuais e acabam por duzier tudo do resto do universo da bola que não palpita com o futebol europeu até por fuso horário... Agora, desvalorizar o Iniesta no Euro-2012 como fez Mourinho com a votação de 53 jornalistas é uma idiotice. E quanto ao melhor do mundo, volto a lembrar, CR7 só ganhou na ausência, por lesão, do Messi em 2008. Não há jogador como o Messi e não é popularidade, são factos, números acima das apreciações subjectivas. Muito acima das apreciações subjectivas. Como já escrevi sobre isso e dispenso, até vitupero, as bacoradas de Mourinho, reafirmo a minha satisfação de concordar com o CD.

Já do passado, o Miguel tem razão, como é que o Futre perdeu para o Gullit que foi campeão no PSV e mudou-se para o Milan; ou o Deco, sim só se justifica por serem de campeonatos pequenos, o que é verdade mas devia haver outro contexto avaliativo. Aí sim, o Miguel tem razão porque se vota não no jogador, mas no clube mais popular. Milan, Madrid e alikes.

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Eu posso respeitar todas as opiniões mas isso não signifique que esteja de acordo. Se a maioria votou em 2010 pelo Messi eu respeito, mas não estou de acordo. Não quer dizer que a minha valha mais ou que o DC ou qualquer um se tenha de fiar de mim. Cada um que pense pela sua cabeça, as maiorias nem sempre são justas, que eu saiba gente como o Hitler conquistou maiorias e não é por isso que andamos aqui a defender a sua gestão não é?

Quanto aos jogos determinantes, se num blog sobre futebol tenho de vir aqui explicar que um FCP vs Benfica ou um FCP vs Deportivo é mais determinante que um FCP vs Moreirense ou um FCP vs Partizan Belgrado, então temos um problema.

Mas dou-lhe crédito por ter visto uma final de um Mundial de Clubes que reporta ao ano passado e de ter visto o Messi jogar no Europeu em relação a esta época, que é do que estamos a falar. Se as meias-finais de uma Champions League e um jogo que decide um título não são determinantes, ok, respeito!

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Estaremos sempre em desacordo em relação a isso. Nem eu acredito que todas as pessoas que estão dentro do futebol saibam forçosamente mais de todas as que estão fora, nem a amostra é má fé porque a FIFA conta com 203 federações, das quais nem metade está na elite futebolistica, nem me parece que exista alguém em Itália ou na Holanda que pense que foi à custa do Milito que se ganhou uma Champions e se foi à final de um Mundial. Mas é respeitável.

Não vou discutir sobre atributos jornalísticos, qualquer imbecil pode ser jornalista mas também qualquer vintém pode ser um treinador campeão nacional, como diria o Manuel Machado.

Anónimo disse...

"A questão da posição é uma treta já que tanto Messi como Cristiano já venceram a bola de ouro jogando numa ala e antes dele Figo entre muitos outros."

A questão da posição só foi levantada porque o cristiano marca muitos golos a jogar numa posição supostamente mais dificil. foi só a análise ao numero de golos.

"Depois a treta da pancada ainda contra o 5LB vimos a pancada que o Messi levou. A diferença é que o Messi agarrando-se muito menos à bola, sabendo quando a deve soltar e tendo uma mudança de direcção muito mais imprevisível que a do Cristiano é muito mais difícil de parar, mesmo em falta."

O messi leva tanta ou mais porrada que o CR. A questão é que aguenta mais a porrada que leva por ter mais fisico. e isso faz alguma diferença nomeadamente em livres perigosos e amarelos.

"Quanto ao Cristiano defender e Messi não, Messi toca na bola em média mais de 20 vezes por jogo que o Cristiano. "

Isso tem o valor que você quiser dar. dar toques no meio campo. além disso está relacionado com a maneira como o barcelona joga.


Juca

Miguel Lourenço Pereira disse...

Zé,

Eu não digo que o Mourinho tem razão, pessoalmente não vejo sequer motivos para o Ronaldo estar no top 5 do ano, muito menos em comparação com o Iniesta. E que o Messi é melhor jogador, também não há duvidas.

Mas quem era o melhor jogador do Mundo em 2004? Não era nem o Shevchenko nem o Deco, e no entanto ninguém discute essa eleição, é disso que se trata.

A história do Futre, contada pelo próprio, explica bem a natureza do prémio. O correspondente português votou no Gullit e deu-lhe os pontos que faltavam. O peso do clube e os conflitos pessoais também contam, afinal isto é como os Óscares, pura subjectividade!

José Rodrigues disse...

"O Messi já ganhou um prémio ao melhor goleador do ano, chama-se Bota de Ouro ;-). Não podemos confundir um prémio com o outro."

Nao sei se alguem confunde as duas coisas, mas eu nao sou de certeza.

O Messi a meu ver merece a Bola de Ouro em parte nao apenas porque foi o melhor marcador (nos campeonatos, q e' o q a Bota de Ouro premeia, e ja' agora nao num valor absoluto mas ponderando a valia do campeonato), mas sim porque o foi ao ponto de bater um recorde de uns 40 anos (e em todas as competicoes oficiais, ja' agora).

Uma coisa e' ser "apenas" o melhor marcador, outra e' profiquo ao ponto de bater tamanho recorde antigo, e nos tempos q correm, e sem ser a marcar penaltis.

Se marcar golos nao deve ser um criterio unico (muitissimo longe disso) tb nao vamos chegar ao ponto extremo e de sinal contrario de querer dizer q isso nao e' criterio de todo. E' um dado importante, sim, entre varios outros.

Anónimo disse...

Ronaldo não está no top 5 do ano! Essa é a melhor que ouvi durante muito tempo!

José Rodrigues disse...

"Além disso numa amostra de 414 jogadores e seleccionadores estar a falar de Vanuatu e Samoa como se a amostra não fosse relevante é claramente má fé!"

O meu unico ponto sobre isso e como disse e' q alargando-se o universo de votantes pelo mundo inteiro, cria-se um enviesamento a favor dos jogadores q brilham nos grandes torneios, independentemente do resto da epoca. E' tudo.

E porque^? Nao porque essa gente perceba menos de futebol: mas sim porque a maioria do universo dos votantes so' ve^ as grandes competicoes, e nao assiste a jogos dos campeonatos nacionais na TV, de uma Liga Europa, de uma Libertadores ou de jogos da fase de grupos da LC.

Isso comeca pela disponibilidade na TV nesses paises desses jogos, passa pela dificuldade com fusos horarios, e continua pelo interesse nas competicoes em questao (e nao me venham dizer q nesses paises tem tanto interesse pela Liga Europa como em Portugal, Inglaterra ou Russia).

Por exemplo: quantos votantes no Vanuatu ou Samoa ou Burkina Faso tem nocao concreta do q um Falcao tem feito no A. Madrid? Pouquissimos, certamente. Quanto muito, viram em qualquer lado o nr de golos marcados, sem contexto.

Claro se podera' dizer o mesmo de muitos votantes numa Inglaterra ou Alemanha, certo; mas menos, e' uma questao de grau.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Casillas, Iniesta, Falcao, Pirlo, Drogba!

José Rodrigues disse...

"O peso do clube e os conflitos pessoais também contam, afinal isto é como os Óscares, pura subjectividade!"

E' em certa medida subjectividade, e isso e' e sera' sempre inevitavel num premio destes. No big deal. Como comparar a performance e influencia de um central com a de um PDL, a nao ser de forma subjectiva?

Ou ate' mesmo a de um Iniesta com um Messi? Como e' q o Miguel me vai demonstrar objectivamente por A+B=C q o desempenho do Iniesta num Barcelona foi neste ano mais (ou menos) influente do q a de um Messi? Impossivel, objectivamente falando.

Dito isto, *existem* alguns dados objectivos q naturalmente tambem terao q ser tomados em conta. Como o nr de golos marcados (no caso de um avancado), por exemplo (tal como estatisticas colectivas, i.e. performance da sua equipa nas competicoes, mas so' ate' certo ponto claro - pq isto e' um premio individual, nao colectivo).

Miguel Lourenço Pereira disse...

Zé,

Exactamente. E quem fala do Falcao fala do Pirlo, quem fala do Pirlo fala do Sneijder. As pessoas concentram-se como adeptos dos grandes clubes pelo mesmo motivação, maior exposição mediática, maior empatia. É normal que o enfoque se dá ao Madrid e ao Barça provoque os espectadores a alinharem-se por um e por outro, incluindo jogador, treinador, filosofia, e no meio de tudo isto parece que o futebol deixa de existir noutros lados!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Zé,

Cito os Óscares, porque são um prémio dado por pessoas dentro da indústria (ou seja, segundo o DC, pessoas que percebem mais do que nós) e porque não deixa de ser curioso que se avalie uma performance individual num todo que é um filme, nesse caso.

Nem eu nem ninguém pode dizer matematicamente porque é que o Iniesta é mais importante que o Messi, nem vice-versa. Pode-se contar os golos do Messi, claro, mas também o número de vezes que quem inicia a jogada ou dá o passe final é o Iniesta. E vice-versa.

Por isso eu atribuo sempre a estes prémios um motivo simbólico, para lá da estatistica pura, porque para isso estão as Botas de Ouro, os Pichichi, os Zamora, etc...

José Rodrigues disse...

"A votação não é, repito, de quem é melhor."

A votacao e' de quem esteve melhor no ano em questao, ponto final paragrafo. E "estar melhor" inclui muitas coisas, de estatisticas individuais a avaliacoes subjectivas de performance, e terminando na influencia especifica desse jogador no desempenho da sua equipa (e seleccao), e em todas as competicoes (dando mais peso as mais dificeis).

Cada um faz a sua avaliacao combinada dessa mistura, de forma subjectiva (impossivel de outra forma). Mas e' relativamente pacifico q um jogador campeao do mundo (ou europeu) com uma contribuicao individual modesta para esse titulo nunca ganhara' o trofeu, da mesma forma q um jogador q ande com a equipa 'as costas e ganhe tudo o q haja a ganhar (incluindo estatisticas individuais) num campeonato nacional secundario (como o portugues, ou o holandes, ou o paraguaio) tb nunca o ganhara'. O q so' e' justo.

Anónimo disse...

não tivesse o falcao marcado 5 golos agora e se calhar nem se lembrava dele.
e se esta semana fosse aquela em que o ibra marcou de bicicleta se calhar já o punha no top 5.
ou se calhar também é daqueles que escolhe só os jogadores "humildes".
Com todo o respeito não acredito sequer que pense isso

José Rodrigues disse...

"Por isso eu atribuo sempre a estes prémios um motivo simbólico"

Bem, levas a conversa para um campo filosofico q nao entendo. Como assim, "simbolico"?

Parece-me claro q e' um premio para o melhor jogador *do ano 2012*, tendo tudo em conta. O q o Falcao tem feito pelo A. Madrid e o q Pirlo fez pela squadra azzura e' impressionante e louvavel, mas sinceramente acho quase ridiculo coloca-los 'a frente de um Messi pelo q este fez no computo geral ao longo de 12 meses, q e' o periodo em analise.

E quem diz esses dois, diz um Casillas, q nao foi um jogador com um contributo tao fundamental como isso na conquista do Euro e da liga espanhola (mesmo q tenha tido o seu importante contributo, q teve).

Q jogadores como esses (cujo desempenho e' menos visto/evidente pelos votantes do mundo todo) sejam injusticados nestas votacoes, concordo (menos no caso do Pirlo, pq o q o mundo viu foi o seu melhor de 2012, uma pequena parte dos 12 meses); mas nem 8 nem 80, carago! Merecem porventura estar num top10, mas nao 'a frente de um Messi.

Eu aceito q se discuta Iniesta vs Messi (por causa do contributo do Iniesta na conquista do Euro - algo q o Messi nao teve em 2012 - para alem do importante contributo no clube), mas os outros??

Que seja claro: se Messi ganhar isto nao vai ser por causa do CV, mas sim pelo q fez em 2012. Mais: nem sequer coloca-lo no top5 (como fizeste) num ano em q bateu um recorde de 4 decadas ou e' ma' vontade, ou uma forma de pensar peregrina de q os golos sao um mero pormenor irrelevante no futebol.

Tb Ronaldo merece certamente estar no top5 pelo seu desempenho extraordinario ao longo de 12 meses no clube, num dos dois campeonatos mais dificeis do mundo (mais do q isso e' muito discutivel, devido ao menor brilho na LC e no Euro).

DC disse...

Juca eu expliquei o porquê da importância desses toques. É a participação no jogo de um e outro.

André disse...

Ninguém fala do Drogba?

DC disse...

Sim José concordo consigo. Mas já sabemos de antemão que nunca nenhum jogador que não esteja nas 3 ou 4 melhores ligas do mundo será sequer candidato ao troféu. E acaba por ser relativamente justo já que a dificuldade delas não é a mesma.
Já na diferença de Atlético para Real e Barça sejamos também coerentes, nunca nenhum jogador ganhou ou esteve perto de ganhar o troféu por causa da liga europa. Caso Falcao faça o mesmo na Champions do próximo ano ninguém se esquecerá dele.

DC disse...

Miguel você diz que um jogo em que o Barça estava salvo erro a 6 pontos e ficou a 9 decidiu o título. Eu digo que esse título estava decidido muito antes.
Quanto ás meias-finais foram tão decisivas para a eliminação do Barcelona como seriam os quartos caso tivesse caído aí. Todos os jogos são decisivos, o Real-Barça que foi ganho pelo Barcelona não foi decisivo porquê?
Olhe o Porto por exemplo, foi mais decisivo ganhar em Old Trafford ou ganhar ao Deportivo? Porque é que um jogo há-de ser mais decisivo que outro?

Uma final até compreendo que diga que é o jogo mais decisivo já um jogo do campeonato em que era impossível haver uma mudança de liderança não percebo porque é que era mais decisivo que os outros. O campeonato foi perdido pelo Barça bem antes desse jogo e foi perdido mesmo tendo ganho no Bernabeu.

E mais do que isso, como já aqui referi, acho muito injusto estar a centrar a época num ou dois jogos. Se um jogador marcar 100 golos, for absolutamente fantástico durante toda a época e chegar à final da Champions e perder, deixou de ser fantástico o resto da época e de merecer ser o melhor do mundo?

José Rodrigues disse...

"Já na diferença de Atlético para Real e Barça sejamos também coerentes, nunca nenhum jogador ganhou ou esteve perto de ganhar o troféu por causa da liga europa."

Certo.

Dito isto, se o Atletico tivesse conseguido ser campeao espanhol (com o Falcao a ter o desempenho q teve) eu ate' acho q ele merecia chegar ao podio, mesmo supondo q a campanha europeia tinha sido identica (e apesar do muito menor valor vs LC, a LE *tem* o seu valor).

Hipoteticamente falando, um jogador q sozinho (ou quase) consiga fazer uma equipa campea em Espanha ou Inglaterra sera' sempre um caso muito serio de optimo desempenho, independentemente de campanhas europeias.

Mas o facto e' q apesar do optimo desempenho de Falcao estivemos muito longe desse caso com o A. Madrid.

"andar com uma equipa 'as contas" por si so' nao chega, longe disso, caso contrario um dia destes ainda se elegia um jogador do Osasuna ou do Aston Villa, como... sei la', uma especie de "simbolo" ;-)

José Rodrigues disse...

Por alma de quem?

DC disse...

"Como comparar a performance e influencia de um central com a de um PDL, a nao ser de forma subjectiva? "

Exactamente, e por vezes são os defesas os mais importantes nos títulos.

Para mim, como já disse o Messi é o melhor, todos os recordes dele servem como uma forma de sustentação para isso mas não são o mais importante.
Fiquei muitíssimo alegre com o prémio a Iniesta este ano! Porque há coisas que não vêm em estatísticas e não são medidas. As recepções, dribles, inteligência e classe de Iniesta não vêm nos boletins de jogo no final. Ele faz um Euro brutal em que não marca e apenas tem uma assistência para golo! Zidane nunca bateu nenhum recorde de golos e era sublime.

Daí eu considerar a forma mais justa de atribuir este prémio a votação. Porque números deixam muita coisa por explicar e mesmo a vitória em competições o pode deixar. O Chelsea este ano venceu e todos sabemos que estava longe de ser a melhor equipa ou de ter jogado o melhor futebol.
Podemos discutir é se talvez a votação não poderia ser alargada também aos treinadores de clubes para ser mais representativa, mas penso eu que os resultados não variariam muito.

DC disse...

Sem dúvida. Se Falcao levasse o Atlético a campeão seria o 1º a dizer que tinha que ganhar a bola.

No entanto, ainda há uma semana contra o Real o Falcao eclipsou-se. Espero ansiosamente pela saída dele para um colosso porque penso que aí sim passará a ser um candidato sério à Bola de Ouro.

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Sem comentários, é um raciocínio tão demagógico e desfasado da realidade histórica que não tenho a menor forma de pensar sequer como o contrariar.

Zé,

Não está em causa a faceta goleadora do Messi, ou de quem quer que seja, que é recompensada pela Bota de Ouro, até porque os outros jogadores aqui em discussão, salvo o Iniesta, também são goleadores e as cifras ficam a perder. Disse o que disse porque para mim o simbolismo do Ballon D´Or vai muito para além dos golos marcados, por muito que sejam um dos elementos fundamentais do jogo.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Zé,

Não podíamos estar mais em desacordo!

Carlos Santos disse...

Concordo 100% com o DC quando se mostra céptico em relação aos jornalistas desportivos.

Estes fazem-me lembrar os críticos de música, não sabem sequer ler uma partitura, mas pensam que sabem dizer exactamente porque é que uma orquestra toca melhor que outra.
Um jornalista desportivo que ande nisto há muitos anos, é capaz de saber decor o 11 titular do 13º classificado da 2ª liga Romena, mas não faz a menor ideia que como se organiza um treino diário de uma equipa de futebol profissional. Não faz a mínima a ideia de como motivar diariamente os jogadores e evitar a rotina monótona. Não faz a mínima ideia de como catapultar as capacidades de um determinado jogador, não sabe ensaiar um sistema táctico, enfim, não sabe nada do que realmente faz a diferença no futebol profissional dos nossos dias.
Por isso estou completamente de acordo com o DC, quem os treinadores e os capitães escolherem como o vencedor da Bola de Ouro, será certamente a escolha acertada, pois eles percebem muito, mas muito mais disto que nós.

André disse...

Por alma de ser o melhor jogador do campeão europeu.

Eu pessoalmente ia para o Pirlo, mas nem ser citado o Drogba...

DC disse...

Miguel tem que me explicar onde está a demagogia e o desfasamento da realidade.

É que pelo seu ponto de vista portanto, o Messi esta época ainda não foi decisivo. Isto porque apesar dos seus 23 golos, 2 deles não foram suficientes para vencer o Real em casa. Apesar dos outros 21 golos em 14 jogos terem garantido uma vantagem de 11 pontos para o Real, como não foram contra o Real, pelo seu prisma não foram decisivos.

É isso que eu depreendo dos seus comentários, porque se me diz que 1 jogo em 38 decidiu o campeonato, quando o Barça até tinha vencido no Bernabeu por 3-1 e acabou por ficar com vantagem no confronto directo com o Real, quando chegou a esse jogo com o campeonato praticamente perdido e a necessitar não só da vitória mas ainda que o Real voltasse a perder um jogo, não posso tirar outra conclusão.

Eu acho que uma competição se vai ganhando durante toda a época, você pelos vistos não acha, são pontos de vista.

Felisberto Antonio Oliveira Costa disse...

Para mim existe ( e ainda bem) um naipe de grandes e bons jogadores que ganhando ou não ganhando Bolas de Ouro são e serão sempre enormes e no futebol atual há jogadores de encher o olho desde a baliza até ao ponta de lança. Por isso ser o melhor do Mundo é como discutir o sexo dos anjos.

JC disse...

Já andei pelo Mundo e nunca conheci País com tamanhos "tristes" (por falta de melhor palavra). Não defendem o que é nosso (PORTUGUÊS) e ainda são contra quem defende. Muitas palavras "bonitas" que só demonstram o que vai de mal no nosso País. Mostrem-me um Argentino que diga que o Messi não é o melhor do Mundo (mesmo quando é assobiado a jogar pela Argentina). Ou um espanhol que diga que o Iniesta não é o melhor do Mundo. E até me mostrem um brasileiro que não diga que o Neymar é o melhor do Mundo... Muita gente triste a comentar por aqui. Tão triste como o troféu em causa! Cuidem-se e abram a pestana... Não é por virem para este forúm com uma gramática toda eloquente a defender um Argentino, que preferia ser catalão, e que nunca fez nada pelo nosso País, que vos faz intelectuais do futebol ou seja do que for... Quando ao artigo só concordo com a falta de credibilidade do troféu.

Grande abraço

José Rodrigues disse...

Bem, presumo que - seguindo a sua propria linha de raciocinio - o leitor JC como "bom patriota" que e' nao so' quer q FCP e slb vencam a LC e a LE respectivamente, como acha mesmo que sao as melhores equipas das respectivas competicoes (e quem nao concordar e' um "triste", claro).

Pois.

DC disse...

Eu recomendo que vá a globoesporte e veja os comentários sobre o Neymar.
Quanto a Espanha há uma enorme percentagem a falar em Casillas, outra em Cristiano, outra em Iniesta e outra em Messi.

Quanto ao argumento do patriotismo espero que esteja a escrever num computador made in Portugal, enquanto ouve um belo cd de Toni Carreira e veste a sua roupa made in Portugal.

Sinceramente, eu por ser português tenho que dizer que o Cristiano é o melhor? Então também tenho que dizer que os Xutos são melhores que Metallica, não? Vocês não percebem mesmo o ridículo desse argumento?
Patriotismo não é andar com bandeirinhas na janela, meu caro!

José Rodrigues disse...

DC,

como disse espero bem q ache q o FCP e' a melhor equipa q resta em competicao na LC, como bom patriota (e bom portista). Barcelona? Que e' isso? ;-)

JC disse...

Neste sentido (futebol), para mim, patriotismo é apoiar o que é nosso. Eu, penso que o Cristiano é o melhor jogador do Mundo. Não só este ano mas como em todos os anos que esteve/está na contenda (merecendo "estatisticamente" ou não). Tal e qual como quando Figo jogava e era nomeado eu pensava e defendia o mesmo. Não me importa minimamente que o DC e o Zé pensem o contrário mas vir fazer "campanha" por um Argentino num blog Português, e ainda fazer objecção a todos os que defendem o Cristiano... é triste. O globoesporte e muitos Brasileiros podem criticar o Neymar por não ter rendimento na selecção, tal e qual como os Argentinos o fazem com o Messi. No entanto se lhes fosse dada a opção de votar nunca iriam votar num Argentino ou num Português e muito menos fazer "campanha" por estes. O mesmo se iria passar em Espanha. Catalães votariam Iniesta ou Messi e o resto votaria obviamente em Casilas. Haveria, como em tudo, uma minoria que não o faria, mas em Portugal existe o reverso. Uma minoria apoia o que é nosso, a maioria critica e ridícula quem apoia, e ainda faz questão em fazer campanha pelo que não é nosso. O meu comentário não se dirigia pessoalmente, nem ao Zé nem ao DC, mas já tenho lido muitos destes "comentários" em jornais desportivos, e não só, que me deixam triste. Somos um País pequenino e já temos, à partida, o Mundo contra nós, se ainda nos tivermos a nós mesmos como um entrave nunca alcançaremos sucesso no Mundo do futebol. E sim, apoio o FCP e espero que ganhe a LC. Tal e qual como apoio o 5LB na LE. E mais, quando equipas Portuguesas já não estão em competição, apoio equipas que tenham jogadores Portugueses. Considerando-as as melhores equipas, ou não, têm sempre o meu apoio. Uma coisa é criticar o rendimento dum jogador Português e "exigir/pedir" mais. Eu sou o primeiro a criticar o Cristiano por, em algumas ocasiões, não dar o seu melhor a jogar por Portugal, mas nunca na minha vida irei para um blog, jornal, televisão etc., fazer campanha por um Argentino, Brasileiro ou Espanhol para ganhar o prémio de melhor futebolista quando temos um dos nossos na contenda... Isso é, a meu ver, triste.

Grande abraço

DC disse...

Para sua informação o jornal "Marca" votou em Cristiano no prémio para melhor jogador europeu e não num espanhol.

O JC tem todo o direito à sua opinião como eu e o José temos à nossa. Eu não faço campanha por ninguém (nem sequer tenho algum poder mediático para tal coisa), limito-me a fundamentar a minha opinião.
E acredite que nem sequer me interessa minimamente alterar a opinião dos outros. Gosto de sustentar a minha opinião e gosto da confrontação de argumentos.

O que não gosto é que, tal como o JC fez, muita gente o faça, que é questionar o meu patriotismo, questionar o meu amor ao País ou sustentar os problemas do País com o que se passa dentro dum relvado.
O futebol é um hobby, tal como o cinema ou a música. As minhas bandas favoritas são americanas e inglesas, os meus realizadores favoritos são americanos, ingleses, italianos, espanhóis... Portanto porque carga de água é que os meus jogadores favoritos não podem ser estrangeiros?

Para mim patriotismo é trabalhar, pagar impostos, cumprir leis, ser sério. Não é colocar bandeiras à janela, não é a apregoar aos sete ventos o amor a Portugal nem é a apoiar incondicionalmente alguém só porque é português.
Até porque essa história de amar o país é muito subjectiva. Eu gosto de muita coisa em Portugal, gosto de muita gente em Portugal, mas também detesto muita coisa em Portugal e não gosto de muita gente portuguesa. Por isso, basear qualquer escolha minha na nacionalidade e não nos atributos e na qualidade não faz sentido nenhum.

Se o João Jardim amanhã proclamasse a independência da Madeira para si o Cristiano deixava de ser o melhor do Mundo? Passava a dizer que o melhor do mundo era o Nani?

Nightwish disse...

Por essa ordem de ideias, o melhor jogador do mundo era um chinês, tal como noutro concurso qualquer de popularidade.
Tou-me bem borrifando para portugueses que representam do pior que existe, como certos aspectos do Ronaldo, Mourinho e Zé Manel.

José Rodrigues disse...

JC disse: "Eu, penso que o Cristiano é o melhor jogador do Mundo. [...]E sim, apoio o FCP e espero que ganhe a LC."

O JC fugiu 'a minha questao... se acha q ser patriota e' achar q Ronaldo e' o melhor do mundo, entao se quer ser consistente NAO BASTA "desejar" q o FCP ganhe a LC. Nao: tem tambem que achar q o FCP e' o melhor clube da Europa.

Isso para mim e' ridiculo, sinceramente. Eu ate' compreendia (mesmo q discordasse, q discordo) q dissesse q um "bom patriota" devia desejar q o Ronaldo ganhasse a Bola a Ouro, apesar de achar (legitimamente) q por acaso nem era o melhor (e havera' certamente muita gente q ate' pensa assim).

Mas nao: foi bem mais longe elevando a fasquia para patriotismo e disse q nao basta desejar q ele ganhe, e' preciso tambem acreditar q ele e' mesmo o melhor.

De qq forma e apenas na questao do "desejar", eu revejo-me no q foi aqui dito, e saliento: ser portugues e' apenas uma das minhas muitas caracteristicas, e nao ganha necessariamente prioridade quando entra em conflito com as outras. Para alem de ser portugues sou tambem por exemplo tripeiro e portista, q e' alias a razao porque nao quero q o slb ganhe competicoes europeias.

Se isso quer dizer q sou mais tripeiro e portista do q portugues? Sim, sou, e com muito orgulho.

Quanto ao Ronaldo, concordo com o Nightwish q ele representa algumas das piores caracteristicas q existem nos portugueses: nao posso com a sua personalidade, apesar de ser um excelente jogador. Sendo assim nao desejo ardentemente q ganhe o premio, mas tb nao o odeio ao ponto de ficar chateado se ele ganhar. A bem dizer estou-me a borrifar.

Mas, repito para concluir: estavamos aqui a discutir quem achamos q MERECIA ganhar, nao quem QUERIAMOS q ganhasse. Duas discussoes diferentes.

Carlos Santos disse...

Bem, este argumento do JC é pura e simplesmente de bradar aos céus...Ridículo é uma palavra muito "soft" (ui, utilizei uma palavra inglesa, não sou patriota...) para descrever essa ideia.

Ora, então eu que vivo na Alemanha, tenho que gritar a toda a gente que conheço que os políticos portugueses são os melhores do Mundo, que não sabem o que é a corrupção porque nunca a praticaram e que só pensam no bem-estar de todos nós?!

Tenha paciência...