sábado, 8 de dezembro de 2012

Pela mão do nosso salvador



Setenta e um longos minutos, muita ansiedade, perda de oportunidades flagrantes e bons apontamentos defensivos reverteram um jogo que tudo fazia supor ser daqueles em que calendário competitivo nos impele como mera formalidade ou obrigação mas que acabou por se revelar muito intenso e difícil. A menos de vinte minutos do fim Jackson Martinez vestiu a capa de bom servo outra vez, livrando a nossa equipa de males maiores que algumas cabeças menos crentes já conspiravam demoniacamente. Entre a infelicidade de concretizar e inabilidade de se conseguir gorou-se um resultado mais gordo e alguma margem de manobra para que os papagaios de serviço aventem teorias sobre certas dúvidas criadas nas duas grandes áreas. Três preciosos pontos no bolso e venha daí esse derby imperial o qual sempre anseio que termine em porrada de criar bicho.

Enfim, que não me fujam as ideias para outros rosários que a crónica aqui não chama, a bem do muito que temos dizer desta vitória que os ilustres atletas da vila de Moreira de Cónegos nos venderam cara. Um apanágio, diga-se, que parece estar a querer fazer história, embora assim não o desse cara quem viu aquele primeiro quarto de hora. Logo desde aí, bem cedo, cheirou a golo aos pés e cabeça de Jackson. O ritmo também seguia o tempo da batida, mas a bola não entrou.

No natural afrouxamento da circulação a equipa perdeu um pouco o rumo, mas não se deixe de aqui de gratificar a boa organização defensiva visitante onde Ricardo Fernandes roubou o pão à boca de Martinez num par de ocasiões ou quando Ricardo Ribeiro fez uma vistosa intervenção a um pontapé de Moutinho vindo do meio da rua. Para agrurar ainda mais as nossas preocupações Lucho ficou-se por terra depois de uma traulitada bem dada, deixando Vítor Pereira mais apreensivo do que já estava.

A troca pelo irreverente Kelvin já no início do segundo tempo não se revelaria feliz com o miúdo a não conseguir dar um estilo rápido e prático que o jogo estava a pedir. Percebendo isso o treinador juntou Kléber a Jackson na área, tentando desconstruir a muralha que vem lá da concelhia onde este Reino se deu em berço. Reflexos visíveis na velocidade incutida à partida e não tanto nas ocasiões criadas.

Em ritmo vivaço e tenso os homens orientados por Casquilha esgueiram-se um par de vezes onde a defesa azul e branca não fluiu com a lisura desejável. Otamendi ainda bem “tentou” dar brinde, mas Helton emendou a tempo. Enfim, as nossas almas já quase estavam por tudo, mas salvação se deu de onde menos se esperava. Um canto, pois claro!

Ao fim de mais de uma dúzia destes inconsequentes lances o colombiano Cha Cha Cha facturou e fez o cântaro quebrar depois de tantas vezes à fonte ir. Não sendo a mais vistosas das finalizações, para alívio ficou perfeito. Contingências de uma partida muito sofrida por todos nós e algo sofrível dos nossos jogadores. Pede-se melhor aproveitamento em momentos chave, assim como maior e melhor regularidade ao ritmo a impor. Problemas já usuais como a carência de algumas soluções de recurso que até mais ver os resultados do campeonato ainda não puseram a nu.

26 comentários:

Anónimo disse...

Mais um jogo fraquinho, fraquinho, fraquinho. Bem poderia começar a criticar o fraquinho, fraquinho, fraquinho Vitor Pereira. Mas também já me começa a cansar de falar da triste e incompetente figurinha. De positivo mesmo, sò mesmo o resultado e a arbitragem que mais uma vez nos perdoo uma grande penalidade ao mãozinha Alex Sandro e o respectivo amarelo. Sinceramente já não tenho pachorra para o Vitinho e as suas canttilengas nas conferências no final do jogo. Estou farto de discursos miserabilistas.

Joaquim Lima disse...

Não concordo consigo em relação a uma suposta grande penalidade contra o Porto! O Alex Sandro tem os braços colados ao corpo para se proteger do remate, se lá não estivessem a bola bater-lhe-ia no peito e nunca iria para a baliza! Da mesma forma que não acho que a mão na bola do jogador do Moreirense no início do jogo tenha sido intencional.

reine margot disse...

Já cá faltava o veneno... não precisa de vir aqui; acho que ninguém o leva a sério...

Anónimo disse...

Mais que oportunidades para jogo tranquilo mas a finalização não esteve feliz.

Equipa acusou algum desgaste fisico .

Anónimo disse...

Este anonimo das 02:07 pensa que engana quem?

Aquilo é penalty ???!!!

E só viste esse lance duvidoso???!!!

Deves ser primaço do freitinhas bobo .

Anónimo disse...

não há pachorra é para estes anónimos que fazem erros típicos da 2º circular; é perdoou-o e não perdoo

Anónimo disse...

Concordo com o Joaquim Lima na análise do lance da possivel grande penalidade cometida pelo Alex Sandro; também reconheço que é para não haver este tipo de dúvidas que normalmente nestes lances é mais que habitual ver os defesas colocarem as mãos atrás do corpo quando se fazem a este tipo de lances, para não darem azo a equivocos por parte do arbitros; o facto é que entre esta suposta penalidade e a real penalidade que lhe foi perdoada em Braga; já deu para constatar que o A.Sandro não tem este saudavel habito e logo com arbitros mais rigorosos é normal que mais cedo um dia deste lá venha a grande penalidade.

Anónimo disse...

"Mais que oportunidades para jogo tranquilo mas a finalização não esteve feliz."

Feliz finalização nestes últimos 4 jogos realizados contra o SCB para a Liga e TP; PSG e Moreirense; só fomos realmente felizes com o SCB para a Liga.

Já estou como o Vitinho, a sorte procurasse e dá MUITO TRABALHO, e ontem confirmou-se o pensamento do dito treinador.

Anónimo disse...

reine margot

Reconheço que o comentário do Anónimo está cheio de veneno... mas também cheio de verdade.

A realidade é que no espaço de uma semana e depois da "magnifica" gestão do plantel realizada pelo "portentoso" Vitinho; fomos de vela com SCB para a Taça de Portugal com o objectivo de ganharmos o jogo em Paris. O resultado obtido foi termos ficado em 2º na Liga dos Campeões e por último o triste jogo ontem realizado contra o Moreirense. Com alguns a justificarem o mau jogo realizado pela a razão de a equipa estar "cansada"... há grande Vitinho com adeptos destes sem dúvida que vais te eternizar á frente do clube e claro a enfernizar adeptos como eu que gosto de ver o Porto ganhar sem espinhas e se possivel com uma grande qualidade de jogo e porpocionando grandes espetáculos de futebol... uma coisa que o Vitinho nunca conseguirá alcançar; pois não faz parte do seu ADN de treinador.

Anónimo disse...

Hipócrates

Mais um grandíssimo jogo realizado pelo FC Porto; uma equipa constituída por fraquíssimos jogadores mas superiormente dirigida e montada por aquele que é o melhor treinador do mundo de seu nome VITOR PEREIRA.

Vítor Pereira que incompreensivelmente não é um treinador do agrado da grande maioria dos adeptos do FC Porto; o que só pode ser compreendido á luz da comparação com outros fraquíssimos treinadores que passaram pelo FCP; quem não se lembra de Villas-Boas ou do ainda pior José Mourinho.

Para mim tudo acontece pela ingratidão desta grandíssima, mas ingrata massa de adeptos do FCP que se habituaram a ver os seus treinadores ganharem tudo o que tem a ganhar; esquecem-se é que todos tinham por trás uma estrutura montada e dirigida pelo nosso inexperiente presidente Pinto da Costa, que até sem treinador teria alcançado os mesmos êxitos.

Agora o que estes ingratos adeptos nos quais me recuso incluir; não reconhecem é que com o excelentíssimo e grandioso treinador Vítor Pereira, tudo é diferente e para muito melhor. É que um treinador ter sucesso no FCP é fácil para qualquer um; agora da forma como VP o faz é que é única: O FCP de VP é uma equipa como escrevi, de fraquíssimos jogadores comprados a valor de uva mijona; mas superiormente dirigidos por este prodígio de treinador; que faz que deste pobre conjunto uma equipa fortíssima de grande qualidade técnico ou táctica e que pratica um futebol de elevadíssima qualidade, proporcionando espectáculos inolvidáveis a todos nós adeptos portistas em particular e ao mundo em geral.

E a todas estas façanhas; o que é que fazem os ingratos adeptos portistas… criticam-no!!! Ele que fez valorizar em milhões um conjunto fraquíssimos jogadores como diamantes raros se tratassem.

A todos que não gostam do futebol praticado pelo FCP de VP; para mim só os posso classificar como INGRATOS.

Anónimo disse...

"Equipa acusou algum desgaste fisico"

O que só demonstra que a eliminação da Taça de Portugal não serviu de grande coisa.

O pouco que serviu foi para ganhar de forma sofrida ao Moreirense.

Está tudo dito.

Joaquim Lima disse...

Eu sinceramente acho que o Porto não jogou assim tão mal! 70% de posse de bola, jogo controlado ainda que a um ritmo lento. Faltou foi concretizar as oportunidades! Aos 3 minutos já podiamos estar a ganhar 2-0 e se isso tivesse acontecido não diriam que o Porto "não jogou nadinha".

Gostei da exibição do Danilo. Esteve muito bem quer a defender quer a atacar.

Nota-se que os jogadores não acreditam no Kleber. Em duas oportunidades, um remate do James defendido com o pé e outro do Jackson, o Kleber seguia ao pé dos jogadores... um passo para o lado e ele facturava!

Agora é esperar pelo jogo de segunda.. ou terça, ou pode ser que nem haja jogo! ;)

Mário Faria disse...

Foi um jogo de fraca intensidade, mas dominámos completamente um jogo em que a equipa adversária se fechou no último terço do seu meio campo. Quem julga que é fácil "dominar bem" este tipo de adversário, basta lembrar os dois jogos que em que o Barcelona defrontou o Celtic para a CL. E falo em Barcelona porque é um modelo no comando dos jogos e na capacidade de furar os esquemas superdefensivos.

Faltou "alma" ao jogo do FCP. Em leitura mais prosaica, faltou frescura física para manter um nível suficientemente alto para desbloquear o muro construído à volta da grande área do Moreirense. E “intensidade” não dispensa a velocidade : no transporte da bola, na execução, na pressão, no remate, na desmarcação, ou seja : depressa e bem, em todos os momentos do jogo.

Entrámos bem no jogo, criámos oportunidades e boas ocasiões de golo. Não marcámos, perdemos qualidade no quadro de um jogo não apressado, e permitimos ao adversário recompor-se de um certo desequilíbrio que lhe causamos no primeiro quarto de fora. O Moreirense acertou as marcações e foi mais proactivo na sua missão de defender. O FCP não reagiu da melhor forma e passou a ter mais dificuldades em desequilibrar o adversário, apesar de parecer confiante. Uma confiança que parecia uma máscara para disfarçar uma certa inépcia que engrossava, se sentia nas bancadas e trazia desassossego.~

Na segunda-parte, com Lucho fisicamente impossibilitado de continuar em campo, o treinador tentou mudar o rumo do jogo e meteu Kelvin. Fez bem, na minhas opinião. O miúdo tinha feito um excelente jogo pela equipa B, precisa de minutos e de se integrar em jogos de alta “responsabilidade”. Fomos mais intensos, criámos boas ocasiões e acabámos por marcar. Era de esperar dado o caudal ofensivo, e a vitória é “ABSOLUTAMENTE JUSTA”. Entender que o FCP não fez um bom jogo, que teria obrigação de fazer melhor e que o treinador é mau, não deve escamotear o principal : ganhámos bem e o triunfo pecou por escasso.

Algumas notas individuais : Martinez é um reforço de valia e Kekvin que,, sem fazer um grande jogo mostrou, irreverência, alegria e uma espontaneidade que merece ser valorizadas e aproveitada.

O treinador que tinha tido uma intervenção infeliz no lançamento do jogo dizendo que “O FCP de certeza que vai ganhar”, ressarciu-se e fez uma excelente avaliação do jogo e da importância maior de o ganhar.

Silva Pereira disse...

Boa tarde,

Ficou claro para mim que o FCP não está preparado para fazer 2 jogos de grande intensidade num intervalo de 5 dias, confirmou-se (e defendi) a estratégia de VP na rotação de jogadores faz todo sentido.
A razão por que isto acontece não sei, mas é um facto que ficou demonstrado.
Já escrevi (2 anos) várias vezes e até fui insultado por isso que os cantos de J Moutinho são uma autêntica nulidade, não dão em nada pelas minhas contas este ano já marcou mais de 50 e se cria alguma intranquilidade é na nossa defesa, comparem os cantos na nossa área e o contrário, fico sempre com a sensação que não existe alternativa (ou então há receio de alterar) nem ao jogador nem ao modelo sempre a bola lançada a pingar e morta, não é preciso ser um expert em física para saber que a bola tem que levar alguma carga cinética (tensa) para se concluir com aproveitamento, quem joga ténis sabe se uma bola vier morta é necessário imprimir maior carga na resposta.
Como disse no início não gosto de criar polémica e que no fim do ano me retrataria se me enganasse, ora espero que pelo menos quem me insultou que reflita sobre o assunto, pois que como todos os portistas manifesto-me na melhor das intenções e não "numa de bota a baixo".
Parabéns à equipa de Andebol e também ao maravilhoso público pelo grande jogo na vitória sobre os chifrudos, digno de um filme à Hitchcock.
Saudações

Anónimo disse...

O que só demonstra que a eliminação da Taça de Portugal não serviu de grande coisa.

___

Que esperto !!!!...

Miguel Magalhães disse...

No próximo ano vai haver eleições. Pela quantidade de comentários que tenho visto por aqui a propósito do treinador, acho que o Pinto da Costa pode ir embora descansado. Não só vão aparecer várias listas candidatas como há entre os adeptos muita gente capaz de treinar a equipa ou de escolher treinadores de grande classe para treinar o Porto.
Pessoalmente, e apesar de ser um céptico quanto ao futuro financeiro do Porto pós-Pinto da Costa, acho que o presidente tem sabido, salvo raras excepções como o Octávio, escolher os treinadores e manter uma estabilidade que lhes permite ter sucesso. Fosse ele como os adeptos que passam a vida a pedir a cabeça dos treinadores e o nosso clube era uma fogueira como o Sporting.
Ontem não foi um grande jogo? pois não mas ganhamos, vamos em primeiro no campeonato e passamos aos oitavos da Champions. Ao longo de uma época há jogos melhores e jogos piores. Mesmo na época do Villas Boas tivemos um período entre Dezembro e Janeiro de fraca qualidade. Há que saber conviver com isso e apoiar a equipa. Não há é pachorra para o adepto do assobio.
Agora até um remate a um metro de um jogador que se faz à bola encolhido e com os braços colados ao corpo é penalti? a estes costumo chamar "penalti à Benfica"

ℕℯℓsση ℳαcℎα∂σ disse...

eu sei que não tem nada a ver com este assunto mas merece uma notazinha;
atlético de madrid vence por 6 a 0 ao deportivo e apenas um dos golos não foi marcado por Falcao.

José Rodrigues disse...

"Salvo o Octávio"??

Quinto, Del Neri, V Fernandez, F Santos, Couceiro...

Carlos Santos disse...

A sério?! Vai mesmo incluir o Fernando Santos nessa lista?!

José Correia disse...

sò mesmo o resultado e a arbitragem que mais uma vez nos perdoo uma grande penalidade ao mãozinha Alex Sandro e o respectivo amarelo

Há "anónimos" e "anónimos"...
Há "anónimos" que são adeptos da Académica e simpatizantes do FC Porto porque a namorada é portista...
Há "anónimos" que, como Anónimo, escrevem comentários e, como Anónimo, comentam o mesmo (seu) comentário.
Isto é só rir...

Joaquim Lima disse...

É bom sinal, vai para o Chelsea ou Real Madrid e depois o Atlético paga o que deve! :)

Anónimo disse...

Caro Joaquim Lima

Já há alguns meses que o AM tem as suas contas regularizadas com o FCP.

O que falta pagar é o que está acordado no plano inicial de pagamentos.

Pratica habitual em transacções do género. Por exemplo o FCP também deve dinheiro a vários clubes a que contratou jogadores como acordado.

Por exemplo ainda este ano o FCP recebeu como acordado valores de Lisandro e Cissohko.

Agora a falta de pagamento há mais de três meses aos jogadores do hóquei do FCP é que não estava planeado.

Abraço

Miguel Magalhães disse...

"excepções" e não "excepção". O Octávio foi um exemplo mas diria que foi o pior de todos. Mas não creio que haja muitos mais.
O Quinito foi mau, não aguentou a pressão mas tem a atenuante de ter aparecido no balneário no pós-Ivic.
O Del Neri, Fernandez e Couceiro foram todos derretidos na mesma época pós-Champions com um conjunto de jogadores que tudo fizeram para os entalar, uma boa parte deles despachados em Janeiro. E não creio que o Fernandez fosse tão mau quanto isso. Curiosamente, uma época com algumas semelhanças com a época passada - pós título europeu, pós treinador com forte carisma, jogadores prima donna, adeptos com expectativas muito elevadas. Se o treinador tivesse sido despedido quando alguns adeptos pediram tenho dúvidas sobre se teriamos sido campeões.
O Fernando Santos foi o único treinador em Portugal que conseguiu não ser campeão com o Jardel. Nunca o apreciei mas também nunca o assobiei por tudo e por nada.

José Rodrigues disse...

Bem, quando o nr de "excepções" corresponde para aí a metade dos treinadores escolhidos por PdC (e já agora inclui-se na lista a 2a passagem de Ivic), não me parece q se possa continuar a falar em... Excepções.

Para mim este não é um ponto forte de PdC (e os outros pontos fortes, como a chamada "estrutura", fizeram com q alguns treinadores tenham parecido ser melhores do q realmente eram). Acho q PdC acertou em cheio em para aí 20% dos treinadores, contratou treinadores "razoáveis" em para aí 40% das vezes (como um Jesualdo por ex) e falhou para aí em 30% das vezes.

José Rodrigues disse...

Carlos Santos disse: "Vai mesmo incluir o Fernando Santos nessa lista?!"

Claro q vou.

F Santos foi o unico treinador dos ultimos 30 anos (era PdC) a "conseguir" "perder" 2 campeonatos. E nao foi porque tenha ficado no clube uma decada (se fosse 2 perdidos em 10, tudo bem): foi 2 em 3 epocas. Mais: isto num contexto em q o plantel do FCP era consideravelmente superior ao dos rivais (Jardel, Drulovic, Deco, Domingos, Capucho, etc) - nao foi portanto por causa de termos piores jogadores, bem pelo contrario.

Na 1a epoca ainda conseguiu ganhar, fruto (a meu ver) do tal plantel superior e de ter herdado uma equipa bem rotinada; mas ja' nao conseguiu esconder a sua mediocridade nas 2 epocas seguintes.

José Correia disse...

«O FC Porto despediu-se do Dragão este ano com um banquete de golos falhados e remates fracassados. A verdade é que nas contas que interessam os dragões venceram, graças a um golo de Jackson, quando a impaciência chegava a níveis altos.
Olhando os dados estatísticos da Liga, o FC Porto fez 25 remates, oitos deles na direção da baliza, e beneficiou de 17 cantos. Números gordos mas que não alimentaram um resultado que ficou magro e até sujeito a uma ténue investida final do Moreirense, que deixou o Dragão sem qualquer remate para Helton defender - fez quatro para fora
in ojogo.pt