quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Castigos à portuguesa

O circo está montado, como o futebol português gosta.
Num dia como hoje em vez de se falar de futebol, os responsáveis pela organização dos torneios que se disputam neste rectângulo voltam a demonstrar o seu apetite pelo polémico e pelo ridículo. Não só confirmam publicamente aquilo que muitos já suspeitavam - a não suspensão do FC Porto da Taça Liga por um vazio legal - como ainda dão um bónus ao SL Benfica inesperado. Porque vale mesmo tudo.

No que nos toca, a decisão deixa em mau lugar, sobretudo, a própria Liga de Clubes.
Responsável por uma competição desenhada sobre o joelho, para agradar aos clubes grandes e gerar as receitas que se podiam perder com a redução de equipas da primeira divisão, a Liga meteu o pé pelas mãos uma vez mais com este imbróglio  Já deixei aqui a minha posição e não me vou repetir. Acho que houve um erro de facto, acho que o clube devia ter sido mais frontal e que se as coisas fossem feitas com pés e cabeça, o FC Porto não estava em competição. Mas estamos. Porque a Liga descobriu rapidamente que o vazio nos regulamentos é de tal ordem que não havia fundamentos legais para condenar o clube dessa forma. Curiosamente, deixa cair na imprensa que a decisão é passível de recurso, dando esperanças ao Vitória de Setúbal e ao "amigo" Sporting de Braga, que supostamente esteve por detrás de uma denúncia que nem a própria Liga se dera conta em tempo real. Ou seja, estamos na Taça da Liga mas de um momento para o outro podemos deixar de estar, só porque a alguém lhe apeteça complicar mais as contas. Tipicamente português. Por coisas como esta acho que o FC Porto fazia melhor em utilizar as semanas de competição para uma digressão pela América do Sul. Fazíamos mais dinheiro e não tínhamos de aturar este ridículo. De certa forma, jogar estes dois jogos também é uma hábil forma de nos castigar onde realmente conta.

Por certo, estamos na Taça da Liga mas, olhando para o cenário, melhor não estar.
Temos uma meia-final complicada com um Rio Ave que tem demonstrado ser um osso duro de roer e uma hipotética final com Braga ou Benfica. Jogos que vão ser física e mentalmente exigentes numa altura da temporada em que não nos podemos dar ao luxo, não com o plantel que temos, de estar a máximo gás na Champions League e no mano a mano com o Benfica na Liga. Se não tivéssemos empatado com o Olhanense, podíamos respirar um pouco melhor, assim sendo a tensão é máxima e 180 minutos a mais nas pernas (como mínimo) não são bom sinal. E a troca de quê realmente?



Mas para compensar os 6 milhões de adeptos que não conseguem entender o conceito jurídico de vazio legal, era preciso fazer algo. Sendo assim, Oscar Cardozo, o boxeur paraguaio que joga de vez em quando à bola, foi suspenso com um só jogo. Se pensarem bem, é uma suspensão que faz todo o sentido. Afinal, agredir em campo e ameaçar um árbitro deveria equivaler sempre a ser expulso por duplo amarelo, não vejo onde esteja a diferença. Especialmente se jogam de encarnado, assim sendo até me surpreende que o suspendam um jogo sequer. Se ainda fosse o Lima...

Claro que quem está por detrás destes castigos teve por bem não ter em conta antecedentes, que no caso de Cardozo (e de Matic) são sobejamente conhecidos, nem sequer o regulamento que a FIFA e a UEFA defendem para as suas competições, onde um vermelho directo por agressão é castigado sempre entre dois a quatro jogos, como até o imparcial A Bola adiantou, desesperadamente, depois do jogo. O Record falou em 14 jogos, mas como já sabemos com o é o Record, deixemos as coisas aí. Mas como aqui nem há antecedentes, nem uma agressão captada pelas câmaras de televisão, nem sequer está em causa o continuar de uma série de comportamentos a que outros boxeurs de encarnado como Maxi ou Luisão têm praticado a belo prazer ao longo da época, nada a dizer. Coerência senhora, acima de tudo, coerência!

É possível - mas não provável - que esta suspensão não esteja ligada à agressão, que anunciem que depois vem um processo disciplinário, daqueles que demoram tempo e são para cumprir na época seguinte, ou quando já não for realmente importante para o profeta da Luz contar com o paraguaio. Também me parece bem, afinal não queremos ir aos Aliados em Maio sem saber que, uma vez mais, jogamos contra mais do que onze - como deixou cair, talvez premonitoriamente, Pinto da Costa ainda há dois dias - e que o rival não teve direito a todos os argumentos possíveis e impossíveis para ganhar o terceiro título em 18 anos.

Portanto, para agradar a um clube, ao qual não se podia castigar, dá-se a "benesse" de permitir continuar em prova numa competição que o mesmo clube repetidamente (e bem) ignorou. Para agradar ao outro, ao que se podia e devia castigar exemplarmente, dá-se a benesse, de permitir aos seus jogadores continuarem a comportar-se como hooligans quando as coisas não funcionam em campo. Obrigado futebol português por seres como és, se não fosses assim, ganhar tanto durante tanto tempo não era a mesma coisa!


40 comentários:

Ricardo Melo disse...

Queria deixar uma correcção: garantidos não estão 180 minutos, mas sim 90. As meias-finais da Taça da Liga são jogadas a uma mão.

David Duarte disse...

Eu penso que aqui o ponto é precisamente o que o Miguel Lourenço sublinha e que eu qualifico assim : a chico-espertice da justiça desportiva onde finalmente quando os grandes são afectados (neste caso Benfica e Porto) tudo serve de desculpa para que nada seja aplicado. Acho que enquanto cidadãos, todos reconhecemos este problema.

No caso do Porto as desculpas ridiculas dos arredondamentos e dos regulamentos que primeiro diziam respeito às competições organizadas pela Liga mas depois apenas aos jogos da 1a e 2a Liga.

No caso do Benfica, a punição de um jogo ao Matic (quando a evidência mostra que nada fez) e a "compensação" de apenas um jogo de castigo ao Cardozo quando a evidência mostra que fez, desculpem a palavra, merda (não pela rasteira, mas pela reacção).

Unico "aspecto positivo" nisto tudo, para mim benfiquista : a Taça Lucilio Baptista passa a ser denominada Taça 71.45.

Joaquim Lima disse...

Sublime constatação do que vai no futebol portugês. Uma autêntica vergonha!

Parabéns pelo artigo Miguel, reflete o mesmo estado de espírito que eu sinto.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Ricardo,

Tens razão, contei já com o apuramento para a final e o desgaste que daí pode vir, mas oficialmente só teremos de jogar 90 minutos à partida!

Anónimo disse...

ISTO DIZ TUDO:

"Artigo 1.º
O presente Regulamento regula a participação das EQUIPAS “B” no CAMPEONATO DA 2.ª LIGA."

Logo, os pressupostos para aplicação deste regulamento são:
1. Tratarem-se de equipas B;
2. Tratar-se do campeonato da 2.ª Liga.

Conclusão: Este regulamento não tem qualquer aplicabilidade à Taça da Liga.

David Duarte disse...

Uma coisa Miguel Pereira (que faz parte das poucascentenas de milhar de adeptos portistas que compreendem o conceito de vazio legal): o artigo 13 anexo 5o dos regulamentos da Liga sobre a utilização dos jogadores é um artigo genérico. Enquanto tal não se conclui, por dedução, que enquanto genérico é aplicavel a todas as provas organizadas pela Liga de Clubes? O facto de não ser mencionada a Taça da Liga pode neste caso ser considerado "vazio legal" jà que se trata de um artigo genérico?

P.S.: pergunta sincera apesar do picanço do inicio do paragrafo.

David Duarte disse...

Falo deste artigo não porque domine os regulamentos, mas por estar na base da argumentação apresentada pela Conselho para a não suspensão do Porto.

Hugo disse...

O acordao diz tudo. Ja agora e ridiculo o David vir com essa historia dos 71h45 quando isso nao contou para nada

David Duarte disse...

Então, diz igualmente que esse regulamento não tem qualquer aplicabilidade à Ia Liga... é isso?

Miguel Lourenço Pereira disse...

David,

Todas as organizações que têm a seu cargo distintas provas têm o cuidado de apresentar regulamentos para as respectivas provas, ainda que se repitam. Passa com a Taça da Liga em Inglaterra, com as provas da UEFA, com a Taça da Liga em França, etc.

Acredito que os dirigentes da Liga tenham pensado em criar um regulamento para todas as suas provas, mas uma das realidades fundamentais da justiça é a necessidade de deixar clara a legislação no papel e não viver de suposições. A Liga, e quem quiser, pode supor que esse artigo vale para todas as provas, mas o vazio legal está lá, porque em nenhum lugar vem clara a distinção entre uma competição e outra. Uma dica para os senhores da Liga: aproveitar as férias de Verão para escrever regulamentos com pés e cabeça.

Miguel Lourenço Pereira disse...

David,

Decida-se. Num comentário sou Miguel Lourenço, noutro sou Miguel Pereira. Custa assim tanto juntar os dois apelidos? ;-)!

David Duarte disse...

Sim, todas as instituições (desportivas ou não) têm de ter regulamentos claros e precisos. Contudo o facto de esses regulamentos não existirem ou não contemplarem certos pontos, não implica necessariamente uma não decisão. Até porque na justiça, quem julga interpreta (sendo precisamente este o problema pois assim o "vazio legal" pode ser aplicado a tudo... até ao mais explicito!).

Se o Miguel ler as declarações do Conselho verà que em certos pontos considera-se que a Taça da Liga tem regulamentos, noutros não. Por outras palavras, sim, a causa disto tudo està numa certa incompetência da Liga.

David Duarte disse...

"Miguel Lourenço Pereira". Agora fixei.

DC disse...

Mas que arredondamentos? E que tal ler o acordão em vez do jornal "a bola"?

Anónimo disse...

Não foi devido a um vazio legal ou lacuna regulamentar que o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol julgou improcedente a acusação formulada contra o FC Porto. A decisão do Conselho de Disciplina baseia-se no facto do artigo que sustenta a acusação [artigo 13.º do Anexo V ao Regulamento das Competições] não se aplicar à Taça da Liga!

Portanto, mais uma vez, o departamento jurídico do FC Porto agiu bem. Afinal, que é incompetente?

Joao Goncalves disse...

Completamente em desacordo consigo Miguel em relação ao nosso "passivel" castigo

1º Já tinha dito anteriormente, que se o Benfica se escapou da sanção o Porto também se ia escapar.

2º E tal e qual tinha também já afirmado, este regulamento não se podia aplicar à Taça da Liga e Taça de Portugal porque são competições que a equipa B não participa como tal não poderia haver transição inter-competições.

3º Posto o ponto acima, restava então argumentar que os jogadores não podem jogar senão com 72 horas de intervalo... se assim fosse tínhamos que perder o ponto com o Olhanense por causa do Jackson e o Benfica afastado da taça da liga.

4º É clarissimo que a lei é para proteger a competição da segunda Liga, como tal não faz sentido nenhum proibir um jogador de jogar na equipa B e depois na equipa A... podia-se argumentar que um titular da A poderia então jogar todos os jogos mas essa protecção está feita pelo limite de idade e de inscrições na B...

5º Se o FCP tivesse usado um junior que tivesse jogado 60 horas antes haveria este reboliço? É claro que não! Porque o campeonato de juniores não se cruza nunca com o da Equipa A, tal e qual a Taça da Liga não se Cruza com a 1ª Liga nem com a 2ª Liga.

Pyrokokus disse...

Relativamente ao suposto castigo do Porto, volto a dizer o que disse anteriormente, as equipas B não jogam na Taça da Liga, logo esse artigo não tem qualquer sentido ser usado. Usa-se em casos como o do Braga que foi entre a I Liga e a II Liga. Simples.

Relativamente aos castigos do Cardozo e do Matic é uma situação que não é nova. Já anteriormente jogadores do Benfica foram expulsos com cartão vermelho direto e apanharam só um jogo, nomeadamente ao Nuno Gomes (penso que tenha sido uma agressão a um guarda-redes adversário). Mas sinceramente não me lembro de outro clube que tal tenha acontecido... e mt menos tantas vezes...

A isto de chama a verdade desportiva...

Joao Goncalves disse...

Em relação aos castigos é óbvio que são um disparate.

Cartão vermelho directo deveria dar sempre 2 jogos de castigo.

No caso do matic não me pareçe que haja ali nada para além do jogo normal, portanto deveria ser despenalizado e quiça instaurar um processo ao Candeias por simulação (aliás, para mim, todos os jogadores que simulassem agressões e penalties de maneira descarada e abusiva, deveriam ser punidos com 1 jogo de castigo.. e sim falo de Lima's, Caredozos, e James).

No Caso do cardozo deveriam ser mais 2 ou 3 jogos por o comportamento com o arbitro.

No entanto lembro que o James, também levou 1 só jogo se bem me lembro e também achei incorrecto na altura.

Nightwish disse...

Mais uma vez, os mouros a tentar arranjar uma penalização com uma lei que não se aplica.
Olhe, uma opiniãozinha de especialista sobre o TGV e o aeroporto, também se arranja?

Mário Faria disse...

Não sei se o FCP cometeu um erro, se falhou e se os serviços não foram profissionais, como alguns acusam. Certo é que, para já, os julgadores não nos condenaram. Sendo, assim, não posso ser mais julgador que os juízes e condenar quem não o foi. Porém, sempre me apareceu que a lei é uma trapalhada, cheia de buracos e li muitos argumentos suficientemente sustentados para perceber que poderíamos ser ilibados.
Quanto ao David Duarte percebo a azia. Este país está benfiquizado e pensa que ao SLB é conferido, por direito próprio, um estatuto especial porque é o campeão da verdade desportiva, tem 6 milhões de seguidores, porque merece, joga melhor e conta com Jesus. Julguei que o CJ da FPF tinha dado um sinal de coragem. O castigo aplicado ao Cardozo anunciou esse medo de desagradar ao SLB : o que tirou com uma mão deu coma a outra e, por isso, acabamos todos por ficar de pé atrás perante as decisões tomadas.
Porém, acho que a decisão tida relativamente ao FCP foi justa e não vale fazer chicana relativamente ao que o FCP instruiu como sua defesa que não o que foi nela expresso. Servirem-se de outro tipo de argumentação, não me parece curial e apenas a Liga deve ser condenada por não ter legislado de forma competente e compatibilizando o espírito com a letra da lei. O resto é pó de talco.
Ganhamos o primeiro round, vamos esperar pelo desenvolvimento já que, com esta gente, prognósticos só no fim do jogo.

David Duarte disse...

Voltamos ao mesmo. Trata-se de um artigo genérico.

Miguel Lourenço Pereira disse...

David,

Fico-me pelo primeiro parágrafo. A partir do momento em que um regulamento não exista ou não não contemplar x pontos, deixa de ser válido, seja uma decisão moralmente correcta ou não. É o próprio erro de concepção que leva a estas situações e em nenhum caso um clube que não está por detrás da concepção dessa legislação pode ser punido. Mais, se o FC Porto fosse punido, legalmente tinha direito a recorrer e exigir uma indemnização à própria Liga por ser incapaz de deixar claros os seus estatutos.

David Duarte disse...

O que é ironico nestas discussões é que não se caricatura nem nada. O DC jà sabe quais são as minhas leituras e o Nigthwish até parte do pressuposto que tenho opinião fundamentada sobre TGV e aeroportos. E tudo isto sem me conhecerem. Parabéns! Deduzo que dialogar convosco deve ser bastante enriquecedor.

Miguel Lourenço Pereira disse...

João,

Eu tenho a crença, e não a vou perder, que o FCP era completamente inconsciente desta realidade e quando utilizou os jogadores pensou genuinamente que ia ser punido. Por isso manteve-se calado durante o processo. Depois de se descobrir, à posteriori, o vazio legal nos estatutos pela incapacidade de demonstrar que as equipas B e a sua legislação, aplicável na II Liga, não é aplicada a esta prova, por falta de especificidade, estabeleceu a sua defesa nesse sentido. Isso não invalida que um erro tivesse sido cometido, mesmo que fosse desconhecido do próprio clube que esse erro não seria penalizado.

Essa é a minha opinião!

David Duarte disse...

"Relativamente ao suposto castigo do Porto, volto a dizer o que disse anteriormente, as equipas B não jogam na Taça da Liga, logo esse artigo não tem qualquer sentido ser usado. Usa-se em casos como o do Braga que foi entre a I Liga e a II Liga. Simples."

Pyrokokus, as equipas B também não jogam na Ia Liga e contudo as regras aplicam-se nesse caso mesmo tratando-se de uma competição diferente. Não vejo em que Ia Liga e Taça da Liga são diferentes.

ℕℯℓsση ℳαcℎα∂σ disse...

e toda a gente continua a dar de barato a treta dos 6 milhões.
convinha acabar com essa verdade "goebbeliana".
isso dos 6 milhões saiu de um estudo de uma empresa de sondagens e estatística a pedido de... vejam lá se adivinham quem?

os estudos mais recentes e (imparciais) mostram, não só que, eles não chegam sequer aos 4 milhões e meio e que, desde o inicio deste século, o FC Porto é clube mais é escolhido como o preferido pelas camadas mais jovem da sociedade portuguesa.

acabem lá com a treta dos 6 milhões s.f.f..

Miguel Lourenço Pereira disse...

João,

Não vejo onde o Candeias faça simulação no lance do Matic, sinceramente. Há ali material para dois jogos de castigo perfeitamente.

No caso do Cardozo, em ligas mais sérias, dá para quatro ou cinco jogos sem problemas. Aqui até é crime se for 1 jogo!

David Duarte disse...

"É o próprio erro de concepção que leva a estas situações e em nenhum caso um clube que não está por detrás da concepção dessa legislação pode ser punido."

Estamos de acordo.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Mário,

Correcto, não só porque a própria comissão já deixou claro que a decisão é passiva de apelo, o que só junta mais achas à fogueira, como todos sabemos como a justiça desportiva neste país funciona.

Eu nenhum caso eu acho que um erro tão ridiculo como esse pudesse levar à suspensão da equipa de prova, seria ridicula. Uma coisa é eu querer que o clube saia da prova, aproveitando a situação porque nem concordo que estejamos nela e porque são um/dois jogos que não vão dar jeito nenhum, mas fosse o FCP, o Benfica ou o Moreirense suspensos de participar numas meias-finais por algo tão ridiculo, parece-me despropositado.

Agora uma coisa também é certa, a lei é omissa e é impossível que nos condenem pelo que quer que seja, de boa fé, mas nem sempre a lei ser omissa ou trapalhona implica que não exista erro ou culpa, como o Apito Dourado demonstrou, a a não-suspensão ao presidente do SLB por coisas como "pode-ser-o-João" deixa claro no dia a dia do nosso país!

ℕℯℓsση ℳαcℎα∂σ disse...

e se houver recurso do setubal a competição fica suspensa pois os recursos nestes casos são suspensivos.

e a lei não foi omissa, apenas estavam a querer castigar o FC Porto com regulamentos que estipulam regras e condutas para os campeonatos da "1ª e 2ª divisão" nacional.
ou seja, para mim, é óbvio que havia o interesse puro simples e até determinado, por parte da liga, de prejudicar o FCP e agarrou-se a algo que confesso que desde o principio me pareceu de pouco valor. quererem castigar uma equipa que chegou onde chegou nessa competição com esforço e empenho (mais que noutros anos) com a aplicação de regras importadas de outras competições. sim são para a(s) mesma(s) equipa mas obviamente em competições diferentes. era fácil de perceber que a regra em questão só foi criada tendo em vista os campeonatos e nada a liga à "taça encomendada". penso eu de que

Silva Pereira disse...

Boa tarde,
Desculpem mas para mim o cerne da questão não é se há fundamento legal ou não.
O que para mim ficou claro é como diz o povo quem “cospe no prato que lhe deu de comer” que se f… o Braga provou que não merece a consideração do FCP e deverá ser tratado (como deveria sempre) como os chifrudos de Braga.
Já agora acho que o MLP não tem razão quanto ao FCP cometeu um erro, pois se lhe foi dado razão NÃO cometeu qualquer erro. O que ficou demonstrado é que errou e quem atirou as pedras (dizendo que o FCP foi incompetente) deveria pedir desculpas públicas ao FCP.
Quanto aos castigos aos arruaceiros dos chifrudos nem MERECE comentar, a puta da lata é tanta que já nem se disfarça, imaginem o se diria/pediria se fossem do FCP, no mínimo era irradiação.
Também este caso da taça Lucílio Baptista vem comprovar (mais uma vez) que os pasquins centralistas que tentam é condicionar, manipular e enlamear o FCP, este caso deveria para de uma vez por todas os que se dizem portistas deixarem de colaborar com esses pasquins, ou então de uma vez deixarem de merecer a simpatia dos portistas, faz-me lembrar os colaboracionistas do NAZISMO.

Pyrokokus disse...

Peço desculpa mas não me estava a recordar do castigo do James. No entanto não considero justo. Se é expulso com vermelho direto, o castigo não pode ser igual ao que leva 2 amarelos.

Joao Goncalves disse...

Miguel,

Não digo que tenha havido ou não essa "distração", tanto que este é o 1º ano das B's neste formato e anda tudo às aranhas, mas que o espirito da le~i é para o campeonato e não para o resto é.

Joao Goncalves disse...

Eu vejo o Matic abrir os braços e atingir o Candeias na disputa de bola. Sinceramente não vejo material para expulsão.

Compreendo o árbitro ter sido iludido pela reacção do Candeias e também aceito que o Candeias tenha sentido alguma coisa e "aproveitou-se", mas isso teria de ser analisado em pormenor mas sempre com a noção que o futebol não é para meninas

Em relação ao Cardozo.. completamente de acordo

Miguel Lourenço Pereira disse...

Silva Pereira,

Sob o seu argumento, se a justiça não castiga o LFV por coisas como "o João pode ser o João" este não fez nada de errado não é? Ou seja, o importante não é estar certo ou errado, é ter a lei do seu lado (o que não é o mesmo).

Eu continuo a dizer exactamente o mesmo que disse, não mudo nem uma virgula!

Pyrokokus disse...

Caro David Duarte, sendo eu um leigo e não percebendo nada disto, fico com a leve sensação que a I Liga e a II Liga são escalões diferentes de uma mesma competição... Competição essa que não tem nada a ver com a Taça da Liga.
Relativamente ao facto das equipas B não jogarem na I Liga, deve-se ao facto de um mesmo clube não poder ter 2 equipas no mesmo escalão. Mais uma vez, facto que não se verifica na taça Lucilio batista. Acho eu

DC disse...

Mas o David queria elogios por vir falar na treta do arredondamento, coisa que não foi nunca considerada ou referida nesta decisão? Por vir mandar a boca dos 71:45 quando isso não serviu como argumento para nada? Se quer palmadinhas nas costas não é aqui...

Eu se quisesse ser mais cáustico falava também no fanatismo de dizer que existem evidências de que o Matic nada fez. Porque pelo menos eu, até agora vi meia dúzia de ângulos de câmara manhosos, vi o 5LB a usar um que lhe convinha e o Nacional a colocar uma foto que também lhes convinha. Ou seja, não vejo nada evidente ou provado. Mas tendo em conta que é benfiquista e que para si decisões em tribunais não são evidentes nem provadas, essas palavras para si devem ser levianas.

Anónimo disse...

Sou Boavisteiro mas não sou hipocrita. Eu sei e até por experiência própria que quem gosta de futebol e quando se é adepto de determinado clube as discussões sobre o futebol, são muitas vezes regidas pela irracionalidade e parcialidade consuante o clube do qual se é adepto. Agora uma coisa é ser ferrenho adepto de um clube, outra é se-se hipócrita. Sem concordar ou deixar de concordar com o artigo do MLP; como eu gostaria de ver estas discussões serem feitas á LUZ DA IGUALDADE de direitos e deveres e tratamento legal de cada uma das partes. Se calhar e só ai não cairiamos como é habitual neste tipo de discussões na HIPOCRISIA pura e simples. Um dia defendemos uma ideia porque favorece o nosso clube ou prejudica um outro e no dia seguinte, já atacamos a mesma ideia porque ela vai contra o nosso clube ou defende um outro. Por exemplo como eu gostaria que quando se discute a expulsão por ex do Matic ou mesmo do Cardozo na Madeira e os respectivos castigos, as partes em questão se lembrassem das expulsões de Deco no Bessa quando lançou uma bota ao arbitro e a de James quando agrediu um jogador do VG e os respectivos castigos que sofreram na altura. Como era bom ver os que ontem defendendiam uma coisa, hoje de certeza já defendem outra(sejam do Porto ou Benfica é bom de ver). Atenção que isto não dar razão a uma ou outra parte; mas sim clarificar o que realmente defendemos e acreditamos sem cair em tantações hipócritas consuante o lado que sopra o vento. Abraço a todos.

DC disse...

O Deco foi expulso porque o Petit lhe espetou uma calcadela que lhe arrancou a chuteira e ele deu um toque na bola. O Deco viu 2º amarelo, o infractor que lhe arrancou a bota nem falta viu ser marcada.
Depois, atirou a bota para a frente do árbitro, NUNCA LHE ACERTOU COM ELA, e foi castigado com 2 ou 3 jogos de castigo.
Já Cardozo, puxa os colarinhos ao árbitro e leva uma repreensão. Não quer hipocrisias? Então não compare situações incomparáveis.

Já o James agrediu um adversário, como dezenas de jogadores têm feito e levou um jogo como dezenas de jogadores têm levado. Que eu saiba não tocou sequer num árbitro. Não compare situações incomparáveis, sr. "boavisteiro".

Silva Pereira disse...

Boa tarde,

Este comentário “boavisteiro” foi devidamente respondido mas acrescentaria o seguinte:
O seu comentário comprova o que a maioria dos portistas pensam, são uns aliados dos chifrudos e que não aprenderam o que a santa aliança Boavista/SLB os colocou no lugar onde estão, como diz o povo diz-me com quem andas que eu digo quem és, ou então quem dorme com cães vadios arrisca-se acordar com pulgas.
Eu não me esqueço do campeonato ganho pelo Major e seus apaniguados e vem para aqui dar postas de moralidade, para mim é mais um vermelhusco ressabiado.