sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Sucessão: os outros

Nas últimas semanas não faltaram nomes (e nem sequer todos portistas) avançados nos comentarios como possíveis candidatos a sucessor de Pinto da Costa, para além dos nomes inicialmente avançados pelo Alexandre no seu artigo inicial sobre o tema;  ao ponto de alguns autores do Reflexão Portista se perguntarem se estávamos a fazer alguma coisa errada ao não avançarmos com a nossa própria candidatura, LOL... :-D

Serve este artigo para mencionar os candidatos menos falados, com algumas considerações sobre cada um (e desconheço se algum deles tem ambição de chegar a presidente do FCP). Digamos que é a lista dos «outsiders», uns mais do que outros...


Miguel Sousa Tavares aka «o jornalista implacável»: a favor, o reconhecimento imediato pelos adeptos, a frontalidade, o espírito crítico e independente. Contra, nunca ter gerido nada e ser dado a extremos: como presidente provavelmente iríamos assistir a 5 treinadores, 20 jogadores dispensados (tal como 4 dirigentes, 2 massagistas e 3 apanha-bolas), e outros 15 jogadores contratados. Isto numa só época, claro.

Belmiro de Azevedo aka «o gestor implacável»: daqui a 4 anos vai ter 78 anos. Acho que não preciso de ir mais longe nos comentários.


Fernando Madureira aka «o macaco»: a favor: simpatia de PdC e capacidades de liderança, com o registo impressionante de ter pegado num grupo de carolas que gostava apenas de ir apoiar o clube do coração e ter tornado aquilo num autêntico negócio altamente lucrativo. Contra: preciso mesmo de dizer alguma coisa?


Reinaldo Teles aka «o Tio Reinaldo»: o histórico número dois e fiel adjunto de PdC. A favor: conhecimento profundo do futebol e homem da casa, alta gratidão da parte dos adeptos. Contra: com todo o devido respeito, lamento mas eu não lhe confiava sequer a gestão do mealheiro do meu filho, quanto mais da SAD. Acrescente-se a frágil saúde. De qualquer forma, acho extremamente provável que queira sair pelos seus próprios pés quando PdC sair, como aliás ele próprio já disse em tempos. Quanto muito, possível candidato a dirigente intermédio numa lista de «continuidade».

Adelino Caldeira aka «Darth Vader» : conhecido entre muitos detractores como o «dark side» maquiavélico da direção da SAD (uma espécie de Dick Cheney do FCP, digamos), o que inclui suspeitas de favorecimentos a sócios e familiares (que tiveram ou têm negócios com a SAD).  A favor: a experiência. Contra: a experiência :-). Mais a sério, apesar de ser um dos braços direitos de PdC não lhe conheço pessoalmente dotes especiais de gestão, nem tampouco dotes de liderança, ou sequer carisma - nao será aliás por acaso que praticamente ninguém fala dele como possível sucessor, não é? No entanto, é obviamente um fortíssimo candidato a manter o cargo secundário numa lista de «continuidade».

Fernando Póvoas aka «o médico»: reação imediata do adepto típico: «Quem??». Ex-vice-presidente do clube. A favor: experiência no clube, alguns dotes demonstrados de gestão nas suas clínicas privadas.  Podíamos também poupar algum dinheiro num médico para o banco nos jogos, já agora! Contra: um desconhecido da maior parte dos adeptos, e demasiado distante do mundo do futebol para ter credibilidade suficiente com os adeptos. As suas hipóteses aumentariam a pico se escolhesse uma figura popular do futebol do clube como gestor 'hands on' para o futebol (como um Baia ou Jorge Costa, por exemplo, ou um Antero Henrique se este aceitasse, o que não me acredito).

Joana Pinto da Costa aka «a Pintinha»: tem a vantagem do nome de familia: se isto fosse a Coreia do Norte, a eleição já estava no papo, carago! Tirando isso, desconheço-lhe quaisquer argumentos minimamente credíveis.

Alexandre Pinto da Costa: o mesmo ponto forte da Joana, mas com conhecimento por dentro do mundo do futebol. Contra: a sua história no mundo do futebol... «deitando-se» com os nossos inimigos e péssimos dados sobre as suas qualidades de gestão, para não falar em carisma zero tal como zero experiência como dirigente.

Jorge Costa aka «o Bicho»: figura querida dos adeptos. Indiscutíveis qualidades de liderança e amor ao clube. Bom conhecedor do mundo do futebol. Contra: enorme ponto de interrogação como gestor ou dirigente. No curto prazo não teria hipóteses de ser eleito sendo visto como extremamente «verde», mas quem sabe daqui a 4 (ou mais) anos, se entretanto mostar argumentos como dirigente. Não o excluo no entanto como possível candidato a dirigente subalterno (por exemplo ao lugar detido hoje por Antero Henrique) principalmente numa lista que não seja de «continuidade».

Fernando Gomes aka «o gajo das contas»: ex-administrador da SAD, era o tipo que dava a cara no aspecto financeiro durante muitos anos (e no G14). A favor: candidato credível e facilmente reconhecível, dos raros que têm experiência no mundo do futebol e como gestores, e em cargos de liderança. Longa história positiva dentro do FCP, desde os tempos de jogador de básquete até a dirigente. Contra: é mais conhecido dos adeptos hoje em dia pelas piores razões, nomeadamente pelas turras com o FCP enquanto presidente da FPF (e anteriormente na Liga), tendo ganho uma imagem demasiado próxima dos nossos inimigos para o gosto dos portistas. Nao e' querido por Pinto da Costa, diminuindo imenso assim as suas hipoteses. Mas como dizia PdC, «largos dias têm 100 anos» e nunca se sabe...

António Lobo Xavier aka «Pau-para-toda-a-colher»: candidato com um pedigree teórico interessante. Inquestionavelmente portista, é ainda jovem (53 anos) e tem um CV recheado de responsabilidades em diversas áreas (há quem diga demasiadas), da advocracia à política à gestão em empresas de topo, com capacidades de liderança reconhecidas - ao que se junta alguma experiência no FCP, onde chegou mesmo a ser Administrador na SAD. É também uma figura mediática, não só como deputado do CDS como também comentador na SIC.
Se fosse eleito poderíamos ainda como bónus poupar dinheiro com advogados da próxima vez que os nossos inimigos inventarem um processo contra nós :-). Contra: apesar de alguma experiência na SAD (mas em cargos nao executivos), muitos se irão perguntar - e muito legitimamente - se percebe mesmo de futebol. Além disso, a longa história no CDS pode jogar contra si entre alguns sócios (embora esteja convencido que num FCP e no Grande Porto, onde vive a grande maioria dos sócios, isto é um factor com pouco impacto).

André Villas Boas aka «cenourinha» ou «libras boas»: poderá eventualmente ser um candidato a ter em conta, quem sabe, mas acho que so´ daqui a muitos anos. A saída unilateral da «cadeira de sonho» poderia jogar contra ele, mas a reconciliação com PdC elimina em grande medida esse handicap.

Para alem disso ainda vi outros nomes a serem mencionados que nem me dou ao trabalho de comentar como Nuno Cardoso, Luis Filipe Menezes, Alexandre Magalhães, José Magalhães ou Fernando Gomes (ex-presidente da CMP).

Enfim, apos tantos nomes para todos os gostos e feitios, fico um bocadinho desiludido que ninguem mencionou o meu :-D... já agora aqui fica, para fechar o ramalhete:

José Rodrigues aka 'o bloguista-que-tem-a-mania-que-tem-piada': a favor, sei lá... é portista. Contra: para além do pequeno pormenor de ter zero hipóteses de ser eleito, a sua esposa já o avisou de que se se atrever a pensar sequer em regressar a Portugal antes da reforma (i.e. daqui a 20 e muitos anos), vai levar um enxerto de porrada.

Concluindo: o mais provável (mas não certo) é que PdC continue por mais 3 anos, havendo portanto mais do que oportunidade para voltarmos mais tarde ao tema da sucessão. É também muito provável que se o PdC «apadrinhar» uma candidatura essa terá enorme probabilidade de vencer, independentemente do seu mérito e das listas alternativas. Mas como foi dito no artigo inicial desta série, não vem mal nenhum (bem pelo contrário) que os adeptos comecem a reflectir nisso com alguma antecedência porque as iterações só contribuem para que as opiniões na «altura da verdade» sejam o mais informadas e consolidadas possíveis.


Outros artigos nesta série:

 A Sucessão: Artur Jorge, uma especulação
A Sucessão: António Salvador
Os enigmas de Rui Moreira
A Sucessão: o "Bibota"
Baía a presidente, Baía a presidente!
A Sucessão: António Oliveira
A Sucessão: Antero Henrique
A Sucessão: o fim de um tabu

14 comentários:

Joaquim Lima disse...

Sr. 'o bloguista-que-tem-a-mania-que-tem-piada', não veria com bons olhos a gestão financeira do nosso clube passar pelas suas mãos?

Amphy disse...

Lembrei-me agora de um nome que creio nunca foi falado e talvez fizesse sentido:

Júlio Magalhães

Anónimo disse...

Na minha opinião a discussão da sucessão do Presidente, não deve estar centrada em personalidades, mas sim, na definição do modelo de gestão mais adequado ao futuro do FC Porto, tendo em especial atenção há actual situação de quase falência técnica e ao enorme passivo acumulado. Se associarmos estes factores há nova realidade social e económica que se vive em Portugal em geral e no futebol em particular. Então esta discussão ainda faz maior sentido. Pela mesma razão e na minha humilde opinião, tendo em conta o lastimável estado económico-financeiro em que o FC Porto se encontra; não faz sentido nenhum, uma denominada sucessão de continuidade.

Anónimo disse...

Gostava que o novo presidente do Fc Porto soubesse pelo menos distinguir quando numa frase se usa o "há" e o "à".
A maior parte dos nomes sugeridos nunca geriu nem foi presidente de nada.

Anónimo disse...

Esta lista é um total disparate!

Filipe Sousa disse...

Eu acredito que é possível uma sucessão de continuidade; este modelo de gestão não é mau, mas (talvez mais que os outros) dá azo a más práticas e a negócios duvidosos do princípio ao fim - há jogadores cuja contratação não encaixa em modelo de negócio algum, são pura e simplesmente pretextos para movimentar dinheiro.

Felisberto Antonio Oliveira Costa disse...

Ó José, esqueceu-se do maior outsider, aquele que snifa oportunidades por tudo quanto é lado, aquele que foi capaz de mudar de clube como quem muda de camisa, mas que se calhar até teria lata para tamanha façanha: José Viega, esse grande conhecedor dos meandros do futebol português (e não só!!!)...
APRE!!!!

Filipe Sousa disse...

José Veiga vs Miguel Relvas: a eleição do milénio

ℕℯℓsση ℳαcℎα∂σ disse...

Sucessão e mais sucessão e não param com a sucessão,

Há algum problema com esta direcção?
Qual é a pressa?

Só se for por causa do próximo conclave que vai acontecer em breve no Vaticano.
Mas estejam descansados que já se sabe que eles vão dar preferência a um que seja relativamente jovem e como o Pinto da Costa já tem mais de 70 anos está fora das cogitações.

Anónimo disse...

Faltou o RUI MOREIRA!

Nightwish disse...

Com tanta lista extensa, não há um que se aproveite.

Alexandre Burmester disse...

Nelson Machado: há algum problema em discutir um facto com que, mais tarde ou mais cedo, seremos confrontados? Em algum dos artigos sobre o tema alguém disse que esta "direcção" deveria ser substituída? Alguém disse, ou mostrou, estar com pressa? Leia o primeiro artigo da série, se estiver para isso, e já perceberá o que ocasionou esta resenha. O FC Porto não é a Venezuela ou Cuba, pode discutir-se tudo o que se quiser.

Anónimo das 00:51: Rui Moreira foi objecto de um artigo próprio.

ℕℯℓsση ℳαcℎα∂σ disse...

Caro Alexandre,

Percebi logo que nem todos iam perceber a brincadeira que quis fazer com o meu comentário e na onda do post. Acontece-me também vastas vezes não perceber ou ficar na duvida com as escritas de outros.
É a desvantagem da leitura onde se perde o tom com que se diz as coisas. Ainda estive para pôr um lol no fim mas deixei sem nada de propósito para haver se alguém contestava.
É por isso que defendo o uso dos ícones (smyles and others) para a escrita ser melhor expressada.

E longe de mim alguma vez querer interferir nas escritas alheias. Sou daquele tipo de pessoa que defende que nenhum tema é tabu, seja sobre o que for.

Alexandre Burmester disse...

Por os seus comentários serem normalmente razoáveis, caro Nelson Machado, é que o interpelei. Agradeço o seu esclarecimento!