terça-feira, 12 de março de 2013

Os 3 perigos do Málaga!

Como escrevi antes do jogo da 1º mão dos Oitavos de Final contra o Málaga, a equipa espanhola vai jogar a época amanhã. No estádio La Rosaleda há alguns meses que os salários não são pagos a tempo, que a paciência de técnicos e jogadores se vai esfumando e que muitos vão fazendo conta aos dias que faltam para chegar a Junho e procurar um novo rumo. Para esses, sobretudo para esses, o jogo com o FC Porto é o jogo mais importante do último ano. Poderá significar um cifrão a mais e um cifrão a menos em muitos contratos futuros para os jogadores e nas transferências recebidas por um clube abandonado pelo seu dono.

Com o recurso do Málaga à UEFA em águas de bacalhau (já sabemos que Platini é forte com os fracos e fraco com os fortes), todos sabem na cidade que para o ano não há Europa. E sem Europa não há dinheiro, jogadores de primeiro nível. Não há nem Isco nem Pellegrini. E não vai voltar a haver uma La Rosaleda cheia, a empurrar a equipa, como amanhã. Chegar aos Quartos não é só fazer história para o clube andaluz. É um balão de oxigénio para os adeptos e um alivio financeiro para os jogadores. Muitos não ficarão um ano em branco na cidade e procurarão novas paragens e a equipa, já de si envelhecida com as saídas de Cazorla e Monreal, ficará ainda mais dependendo de uma velha guarda que não tem muitas opções de mercado. Como dizia Sun Tzu, nunca se deve encurralar o inimigo até um ponto onde não tenha por onde fugir, porque inevitavelmente virá para cima de ti como último recurso. O FC Porto não podia adivinhar esta situação quando o sorteio colocou as duas equipas frente a frente mas agora os jogadores terão de ter a fortaleza mental de saber que jogam contra animais feridos e sem outra opção. Eliminados da Copa, sabendo que do quarto onde estão agora ao sétimo, é suficiente para cumprir o ano de punição marcado pela UEFA (que só é válido se a equipa acabar em lugares europeus na liga), a Champions é a tábua de salvação para um projecto em queda.



Mas esse não é o único problema do Málaga.
Como vimos no Dragão, não é por acaso que os andaluzes têm a melhor defesa da liga espanhola desde há vários meses. São uma equipa que concede muito poucos espaços aos rivais, sofre pouquissimos golos para a média habitual do futebol espanhol e na Europa tem demonstrado igual solidez. A hegemonia do Dragão, com a bola, traduziu-se em poucas oportunidades reais e um magro (mas fundamental) golo. É uma equipa que sabe que pode perfeitamente passar o jogo sem sofrer e que um golo iguala a eliminatória e é assim que vão jogar. Ninguém pense num Málaga lançado desesperado para o ataque, deixando espaços atrás.
Pellegrini, excelente estratega, irá procurar a velocidade de Joaquin e Isco (talvez ajudado por um futebolista mais móvel do que foi Baptista no Dragão), e a capacidade de Iturra, Toulalan ou Camacho de morderem constantemente o meio-campo dragão. Será um jogo disputado no meio-campo, uma partida de xadrez disputada longe das áreas e onde os detalhes serão fundamentais. Em bola parada o Málaga tem bons números, em Isco e Joaquin dois jogadores capazes de desequilibrar e nas últimas jornada, a equipa geriu bem o esforço físico para estar a 100% na noite de amanhã e poder compensar o imenso desajuste que se verificou nesse capitulo na primeira-mão.

O terceiro perigo não é um La Rosaleda emocionado até às entranhas, nem o fantasma dos Oitavos que tanto nos tem atormentado na última década (só por duas vezes seguimos em frente na prova). Chama-se Angel Maria Villar.
O presidente do comité de árbitros da FIFA e UEFA, presidente da Real Federação Espanhola há mais de 25 anos, delfim de Sepp Blatter para uma eventual candidatura à presidência da FIFA nas próximas eleições, é um homem influente como poucos no futebol internacional. Não é omnipotente, mas costuma deixar a sua marca. Alguém se lembra, nos últimos anos, de algum jogo da selecção espanhola ou de um clube espanhol nas provas da UEFA em que tenha existido algum erro arbitral em contra? Barcelona, Real Madrid, Atlético de Madrid, Valência, Villareal, Sevilla, Málaga, Levante ou Athletic Bilbao têm disputado provas europeias regularmente nos últimos anos e nenhum tem razões de queixa dos árbitros. Ganham e perdem, algumas vezes saem beneficiados, mas nunca prejudicados. Isso não implica forçosamente que o árbitro do jogo esteja "comprado", mas os árbitros - e isto funciona assim - sabem perfeitamente quem manda e que na dúvida o melhor é evitar complicações com o chefe. O golo de Moutinho, esse fora de jogo de milimetros como diria o outro, levantou tanta polémica em Espanha que ninguém duvide que se uma situação similar suceder em Málaga a bandeira dificilmente ficará em baixo. O FC Porto está habituado a jogar com os tubarões europeus e a jogar contra tudo e contra todos, mas com o fantasma eventual de uma equipa espanhola só nos Quartos de Final (dependendo do que faça hoje o Barça), talvez haja alguém na sede da UEFA que não esteja pelos ajustes. Eu só aviso!


14 comentários:

DC disse...

Eu lembro-me duma final da Champions em que o Rooney marca 1 golo 2 metros fora-de-jogo que por acaso empata o jogo, lembro-me dum jogo em San Siro com 2 golos irregulares e 1 penalti por marcar, lembro-me de um jogo contra o Arsenal em que o árbitro não vê um penalti claro, lembro-me do Abidal expulso sem tocar no Anelka em Londres, etc, etc.
E também me lembro que o Porto não costuma ser um clube de choradinho por causa de árbitros e muito menos antes do jogo sequer começar. E até me lembro que é no mínimo incoerente vir falar de arbitragem quando até marcamos em fora-de-jogo ao Malaga (fosse fácil ou difícil de marcar, foi objectivamente um erro).

Pensava que isto de se queixar de arbitragem antes dos jogos era mais coisa de lampiões, mas pelos vistos estava enganado.

Anónimo disse...

Gostei da análise mas concordo que falar de arbitragem agora é desnecessário. Faltou falar um pouco da equipa do Porto, nomeadamente nas preocupações que me assombram um pouco. Moutinho e Mangala vão jogar? estiveram parados pouco tempo mas estão com capacidade para jogar num ritmo intenso? James (idem idem aspas aspas) para além de saber se vai começar a a jogar à bola...
outra preocupação é a estratégia a usar neste jogo. será um jogo de mais contenção ou o Porto a jogar no seu estilo de jogo?

Juca

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

É curioso sacar exemplos que definem a carreira do clube mais beneficiado pro arbitragens da UEFA na última década, bem visto ;-)!

O FC Porto não é um clube de choradinhos, mas também não é um clube de lorpas, que eu saiba. E se o golo de Moutinho é offside, a polémica que se levantou por isso em Espanha foi tremenda, e o único que eu disse foi que ninguém espere algo similar no 2º jogo. Queiram ou não, quem manda na arbitragem europeia é Villar, a não ser que me tenha enganado com isso. E Villar é tudo menos um homem parcial.

Aqui ninguém se está a queixar, só está a avisar. O dicionário explica bem as diferenças, eu não tenho tempo!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Anónimo,

Quis falar de aspectos externos à equipa, o por demais é conhecido. Estamos fisicamente em baixo de forma, muitos jogadores a virem de lesões ou sem ritmo, e isso convida a pensar um jogo fisicamente menos intenso do que se viu no Dragão, até porque o Málaga vai "morder" muito mais no meio-campo.

Cabe ao VP decidir o jogo que quer fazer, o Málaga não é uma equipa de massacre pelo que continuo a achar que vai ser um jogo com poucas oportunidades e máxima eficácia!

Nuno Leal disse...

Para mim o golo não foi em fora de jogo, ponto. O jackson estava claramente, mas a bola foi para o Moutinho que estava em linha. Foi o que vi, após muitas repetições do lance. às vezes parecia estar um pouco adiantado, outras não. E era eu a ver na TV. Na dúvida beneficia-se o ataque. Resumindo, não compro essa. NÃO FOMOS BENEFICIADOS NO JOGO COM O MÁLAGA. Não repitam esta mentira propagada por que lhe interessa passar essa mensagem. Outra "inverdade" como diz Manuel Machado, é o facto de as equipas espanholas agora não serem prejudicadas. Isso não é verdade. Como em todos os jogos de futebol, há dias sem falhas, há dias com falhas. Há dias que pende para um lado, outros para outro. Não se deve generalizar. Se amanhã, e espero que não, acontecer erros de arbitragem a beneficiar o Málaga, isso não é parte de uma conspiração que quer os clubes espanhóis a ganhar. Não, será apenas o acaso.
Agora, sobre amanhã. Como adepto, quero muito passar aos oitavos. Como fã de futebol, sei que o Porto é superior ao Málaga. Agora, compreendo perfeitamente o raciocínio na análise, e realmente temos que ser PORTO para superar a adversidade o Málaga ferido. Espero um grande jogo dos nossos rapazes, que Moutinho volte ao que estava a jogar (tenho receio que ainda não esteja a 101% como estava), espero que jackson afine a pontaria (tem desafinado) e quero muito, muito James Rodriguez de volta, e até mesmo Atsu que abrandou a pica no pós-CAN. Bora!!!

DC disse...

Miguel, o facto de você ser tendencialmente anti-Barcelona e só olhar para os jogos em que foram beneficiados e convenientemente se esquecer dos que foram prejudicados, nada tem a ver com o Porto.

Para o bem da sua crónica, devia deixar de trazer esses ódiozinhos de estimação para assuntos que nada têm a ver com ela.

Além disso, eu não conheço Villar e duvido muito que você o conheça para poder afirmar que ele é um homem parcial. Mais uma vez, parece-me claramente que está a trazer ódios de estimação para esta crónica sem ser objectivo e factual.

E se os espanhóis criaram uma polémica tremenda com este golo em off-side qual é a admiração? Não é normal isso suceder? Não leu as capas da bola no ano passado quando vencemos na Luz? Para jornalista, às vezes dá idéia que anda um bocadinho alheado da realidade. A imprensa é fanática e nacionalista em todo o lado, se fosse ao contrário seria a mesma coisa!


Como lhe disse, isso cheira a conversa de lampião, dizer antes dos jogos que este ou aquele são deste clube, que vão fazer isto e aquilo e depois se as coisas até correrem ao contrário, esquecer-se convenientemente do que disse.

O Porto não é uma equipa rica da Europa mas até já ganhou uma eliminatória com um golo mal-anulado em Old Trafford. Não foi por isso que passou a ser um clube beneficiado ou prejudicado na Europa. Se calhar, nas épocas em que vencemos troféus nem temos razões de queixa nenhumas de arbitragem e defrontamos várias equipas espanholas...

Da mesma forma, as equipas espanholas não têm sido mais beneficiadas do que as italianas ou as inglesas. Aliás a Champions do Inter inclui arbitragens vergonhosas em Stamford Bridge e em Milão contra o Barcelona.
A diferença é que você, pelos vistos, só tem ódios de estimação a equipas espanholas e quer criar uma teia de conspiração com base em factos que pura e simplesmente lhe dão jeito.
E, mais uma vez, isso é coisa que eu estou habituado a ver nos lampiões e nos seus "Apitos".

Neste blog felizmente não é o costume e espero que continue a não ser.

DC disse...

Para mim é fora-de-jogo, agora é dificílimo de ver e obviamente não vou entrar em teorias de conspiração por causa disso. O árbitro se errou neste lance não foi de propósito certamente. Portanto para mim, fomos beneficiados, mas a palavra se calhar até é dura demais porque é um erro naturalíssimo e sem qualquer má-fé ou até incompetência do árbitro.

Agora quanto ao resto concordo plenamente, a balança tende tanto para um lado para o outro. Já vi Barcelona a ser beneficiado e prejudicado, Real idem, Inter, Man Utd, Chelsea, etc aspas...
A única razão porque alguns gostam de se focar mais no Barcelona e na Espanha é porque uma é a equipa que mais jogos fez e mais ganhou na Champions nos últimos 6,7 anos e a outra é campeã da Europa e do Mundo.
Da mesma forma o Porto como campeão crónico em Portugal nos últimos 20 anos ouve a mesma conversa em Portugal. É o habitual em equipas que ganham muito, têm sempre muita gente a encontrar desculpas para isso.



Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Quando uma pessoa não tem argumentos sólidos e recorre a expressões como "se este diz isto deve ser lampião", estamos conversados. Cada um vive com as limitações que tem, quem sou eu para julgá-lo?

DC disse...

Eu não disse que você era lampião, disse sim que isso era conversa típica de lampião.
Você pode usar todos os dias uma camisola azul, não é por num dia usar uma camisola vermelha que passa a ser conhecido por isso.

Quanto aos argumentos sólidos, se de todo o texto que eu escrevi a única coisa que você leu foi a frase do lampião e nem sequer a interpretou devidamente, não posso fazer nada.
Se quer falar em argumentos sólidos então demonstre-me com argumentos sólidos e factuais que o Villar é um homem parcial, que as equipas espanholas são tendencialmente ajudadas, etc, etc...
Onde faltam argumentos sólidos é no 3º ponto da sua crónica, nada mais.

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Eu lancei um alerta, a partir do que tem acontecido na última década de futebol europeu de alta competição. Mesmo numa eliminatória onde uma equipa espanhola tenha sido, eventualmente, prejudicada (e não digo que o façam propositadamente), nunca o foi nos dois jogos (os exemplos dos jogos com o Inter e o Chelsea, aí estão, erros graves nos dois jogos em cada caso favorecendo uma e outra equipa).

Se eu pudesse provar o que sei com documentos sobre Villar e alguns dos seus homens de confiança, dificilmente era no RP e ao DC que o faria, não vejo o Andrew Jennings a denunciar a FIFA em caixas de comentários de blogues. Mas se alguém acredita que as equipas espanholas são tão beneficiadas como prejudicadas nas provas europeias, força, quem sou eu para fazer com que mudem de ideias?

Eu vi o FC Porto passar eliminatórias com ajudas arbitrais, também o vi cair com erros grosseiros. Nunca encontrei foi uma tendência clara de acção-reacção nem, que eu saiba, temos um presidente da federação apoiado directamente que é também comissário dos árbitros da FIFA e UEFA há mais de uma década.

Carlos Santos disse...

"Da mesma forma o Porto como campeão crónico em Portugal nos últimos 20 anos ouve a mesma conversa em Portugal. É o habitual em equipas que ganham muito, têm sempre muita gente a encontrar desculpas para isso."


Nem mais, caro DC.

Silva Pereira disse...

Boa tarde,
Mas que fraca memória...
Será que já esqueceram a escandalosa arbitragem da Supertaça entre o FCP-Barcelona?
Eu pergunto quantas vezes fomos beneficiados (erros grosseiros) contra equipas de Espanha, Inglaterra, Alemanha ou Itália ?

Para quem tem a minha idade ainda está atravessado a maneira como numa eliminatória contra o clube do regime espanhol (RM) fomos castigados com um livre indireto (VB?) na grande área por o VB ter dado 3 passes antes de chutar, coisa que ficou provada na TV (a regra que já não existe era ao 4 passe) e que deu golo e eliminatória perdida.

Já para não falar na escandalosa arbitragem da final da Taça das Taças perdida para a equipa do mafioso Platini (Juventus).

Ou então na famosa eliminatória com os chifrudos do "Sir" o tal que foi aplaudido pelos homónimos da capital quando disse aquelas bacorads quando foi eliminado mas que se esqueceu da eliminatória em que perdeu por 4-0 nas Antas e depois em casa valeu tudo até um golo em que o nosso GR foi carregado tal maneira que entrou ele a bola na baliza.
Enfim por isso estou 100% de acordo com o Miguel Lourenço, a coisa na UEFA com os clubes desse países não chega à vergonga de Portugal (para os chifrudos) mas na dúvida é contra o FCP

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...


caríssimas(os),

no fundamental:
hoje, todos temos que estar Unidos em torno da nossa equipa do coração.
a Garra, o Querer e a Vontade em pretender Vencer terão que estar presentes no La Rosaleda - estádio que, acredito, logo mais será uma filial do nosso teatro de sonhos azuis-e-brancos (o nosso Estádio do Dragão).

certamente que seremos Porto!, car@go! :D
«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

saudações desportivas mas sempre pentacampeãs a todas(os) vós! ;)
Miguel | Tomo II

O Anti Lampião disse...

Por muito que os tentem elevar
serão sempre pequenos e pobres de espírito. Não há almofadas que lhes valha.
http://oantilampiao.blogspot.pt/2013/03/blog-post.html