terça-feira, 16 de abril de 2013

A titularidade de Abdoulaye na Taça da Liga


Em Dezembro passado, decorreu durante uns dias uma votação neste blogue, em que questionamos se na Taça da Liga o FC Porto deveria jogar com:
- Equipa titular
- Titulares e segundas escolhas
- Apenas segundas escolhas
- Jogadores da equipa B

Vale o que vale, mas apenas 10% das pessoas que se deram ao trabalho de responder votaram na opção ‘Equipa titular’ (ver resultado na coluna ao lado) e embora a amostra tenha sido pequena, esta votação foi de encontro ao que me parecia ser o sentimento claramente maioritário dos adeptos portistas em relação à Taça Lucílio Baptista… perdão, Taça da Liga.

Cerca de quatro meses depois, tendo o FC Porto chegado à final da Taça da Liga 2012/13, a opção de Vítor Pereira foi apostar num onze semelhante ao habitual (levando em conta a lesão de Varela), com apenas dois jogadores do lote dos menos utilizados: o guarda-redes Fabiano e o defesa-central Abdoulaye.

Embora não tenha ficado surpreendido com nenhuma destas duas escolhas, devo dizer que, quando soube pela rádio o onze inicial do FC Porto, considerei de maior risco a titularidade de Fabiano do que a de Abdoulaye.
Porquê?
Basicamente por três razões:
1ª) A posição de guarda-redes é crítica numa equipa de futebol.
2ª) Até esta altura, Fabiano teve uma utilização residual em jogos das duas principais competições em que a equipa do FC Porto esteve envolvida – Campeonato e Liga dos Campeões – tendo apenas participado em um jogo (Abdoulaye participou em sete).
3ª) Cinco dias antes, Abdoulaye tinha jogado 45 minutos contra este mesmo SC Braga (substituindo o lesionado Maicon), sem comprometer ( «Entrou periclitante e demorou uns 15’ a estabilizar. Depois de assentar, não voltou a errar», FC Porto um a um, O JOGO).

Além disso, lembrei-me da anterior presença do FC Porto numa final da Taça da Liga (época 2009/10), em que a opção por Nuno Espirito Santo em vez de Helton correu bastante mal.
Contudo, desta vez a troca de guarda-redes correu bem, Fabiano fez uma grande exibição (juntamente com Fernando foi considerado o melhor jogador do FC Porto) e, por isso, no final do jogo não ouvi, nem li, portistas a criticarem a sua inclusão no onze inicial.

A contestação surgiu sim, mas em torno de Abdoulaye levando, inclusivamente, o jornal O JOGO a questionar conhecidos adeptos portistas acerca da sua presença no onze inicial e se isso tinha sido decisivo para a derrota do FC Porto.

(O JOGO, 14-04-2013)

Teria sido melhor optar por Otamendi em vez de Abdoulaye?

Vendo o que se passou, provavelmente, mas é bom lembrar que no jogo anterior, precisamente contra o mesmo adversário, Otamendi esteve particularmente infeliz. O jornal O JOGO atribuiu-lhe a pior pontuação entre todos os jogadores (titulares e suplentes) do FC Porto e analisou assim a sua exibição:

«Otamendi – Estranhamente intranquilo, o argentino perdeu a noção dos espaços e nos primeiros 45’ acumulou falhas em catadupa. Aos 20’ isolou João Pedro e pouco depois escorregou e daí surgiu o golo de Alan. Na segunda parte quase limpava a face quando, de cabeça, atirou à trave.»

E não se pode dizer que a exibição de Otamendi no FC Porto x SC Braga para o campeonato tenha sido caso único. A fase menos boa que está a atravessar vem de alguns jogos atrás. Por exemplo, no Marítimo x FC Porto, a apreciação feita no jornal O JOGO foi a seguinte:

«Otamendi – Falhou demasiado, deixando o Marítimo ameaçar a baliza portista ao não abordar corretamente alguns lances, sempre com Heldon no papel de protagonista (61’ e 82’). Pior exibição da época, seguramente

Na minha opinião, Otamendi é um bom defesa-central mas, por aquilo que escrevi atrás, considero normal que tenha sido suplente na final da Taça da Liga.

Aos treinadores compete fazer as escolhas. Os adeptos e jornalistas comentam-nas no final. Quando as coisas correm bem (ver, por exemplo, a entrada de Kelvin no FC Porto x SC Braga para o campeonato), os jogadores fazem capas de jornais. Quando correm mal, o treinador é criticado. O futebol é assim e ninguém é obrigado a seguir uma carreira de treinador.

Nota: Os destaques no texto a negrito são da minha responsabilidade.

19 comentários:

Pedro M. disse...

li num qualquer jornal desportivo que pelos regulamentos da taça da liga as equipas são obrigadas a jogar com um x número de jogadores formados no clube.

A ser verdade, talvez a titularidade do abdulaye tenha sido quase imposta pelos regulamentos, tendo em conta a quantidade de jogadores formados no nosso clube que temos no plantel.

Carlos disse...

A titularidade do Abdoulaye não está relacionada com uma exigência do regulamento desta competição.
(x formados localmente, x < xx anos, etc)

Diário de um Dragão disse...

É mais uma daquelas situações em que se critica depois porque correu mal, mas antes ninguém disse nada. "Estava-se mesmo a ver" só para os iluminados... Em todas as outras vezes que ele jogou na Taça da Liga, ninguém se queixou...

Abdoulaye jogou para se poder cumprir o regulamento. Outra hipótese seria jogar o Castro por exemplo, o que também não seria má opção. O treinador preferiu mexer na defesa e manter o meio campo, não o posso criticar por isso...

Como foi referido, o Otamendi tem dado montes de ofertas. Deu mais uma que, por acaso não deu em golo. Se desse, se calhar estávamos todos aqui a dizer que "estava-se mesmo a ver que íamos sofrer golo por causa do Otamendi".

O que estavam à espera?

José Correia disse...

Os Clubes são obrigados a incluir na ficha técnica como efectivos, em cada jogo disputado, pelo menos 2 jogadores “formados localmente”.
Considera-se como jogador formado localmente aquele que tenha sido inscrito na Federação Portuguesa de Futebol, pelo período correspondente a três épocas desportivas, entre os 15 e os 21 anos de idade, inclusive.

Com Varela lesionado, dos 18 convocados para a final da Taça da Liga, penso que há quatro jogadores que respeitam este requisito: Abdoulaye, Moutinho, Castro e Atsu.

J. Correia Marques disse...

Não vale a pena estar com rodeios. O Fabiano sempre que jogou esteve em excelente nível, não seria por ele que o Porto perderia a taça (até podia acontecer, mas um erro desses acontece a ele, como acontece ao Helton ou a qualquer outro). A verdade é que o Fabiano fez uma exibição extraordinária.

Já o Abdoulaye é um jogador que não convence ninguém. Já contra o Braga quando entrou notou-se claramente os nervos e fez uma série de disparates. A sua expulsão (mal ou bem ajuizada) não é surpresa para ninguém já que este jogador tem um currículo de expulsões ao alcance de poucos.

Invocar a sondagem é irrelevante uma vez que a mesma se refere à taçita no geral. Na final, se um clube quer mesmo ganhar e não tendo o calendário apertado, deve jogar com os melhores à disposição do treinador, ponto final.

J. Correia Marques disse...

pois se o penalti foi mal assinalado, ainda bem. assim, nas conversas de café, já podemos responder com os argumentos completamente estúpidos dos nossos rivais benfiquistas e sportinguistas, "o porto perdeu uma taça por um penalte mal apitado"

Joao Goncalves disse...

Abdoulaye jogou para cumprir os regulamentos mas poderia perfeitamente ter sido Castro ou Atsu a desempenhar essa brecha regulamentar.

Na questão da introdução ou não do jogador no 11 Base, nada contra... Um decisão normal de um jogador com muita qualidade tendo apenas este índice de agressividade demasiado descontrolado.

O que se poderia questionar é que se não teria sido aconselhável tirar o Abdoulaye de campo depois da 1ª entrada assassina.

Eu confesso que pensei logo nisso e na sequência desse lance, nos minutos seguintes, Abdoulaye arriscou algumas cortes e alguns embates mais rijos que para mim era claro que ia acabar expulso antes do final do jogo, contudo ninguém podia prever que fosse causar um Penalty e ser expulso na sequência de um lance capital.

Seria prudente ter sido substituído pelo minuto 30? Sim.

Seria lógico? Não, portanto VP teve como qualquer outro treinador teria.

Seria lógico a sua substituição na inicio (10-15m da segunda parte), se mantivesse a dureza, mas naquela situação de jogo é perfeitamente normal ter deixado Abdulaye em campo, assim como foi perfeitamente normal a sua inclusão no 11 inicial.

Duarte disse...

Só para dizer que, do outro lado, o SC Braga jogou com um central proveniente da equipa B devido às inúmeras baixas com que conta nesta altura. Pois, mas mesmo assim não ganhamos.

Quanto ao Abdoulaye, não critico necessariamente a sua entrada no onze, mas pareceu-me um absurdo total ver Lucho ser novamente titular em detrimento de Castro ou Izmaylov. Mais uma vez, El Comandante demonstra que está esgotado, algo previsível desde início de época e que não foi gerido nunca pelo treinador. E depois ainda há quem quisesse um plantel maior. A rotatividade com este plantel - curto - está à vista (um jogador de 32 anos raramente descansa, nem quando há pelo menos dois possíveis substitutos), imagine-se o que não aconteceria se o leque de opções fosse maior.

De resto, e voltando ao Abdoulaye, sofremos um golo por um erro individual, mas antes disso tínhamos criado zero oportunidades e jogado de novo aquele futebol, cujo grande objectivo é a percentagem de posse de bola a cima dos 50% no final dos 90 minutos em vez do golo. Isto para dizer que o lance do penalty não é o que de mais preocupante se retira do jogo.

José Correia disse...

J. Correia Marques disse…
o Abdoulaye é um jogador que não convence ninguém

O Abdoulaye chegou ao Porto em 2008, com 17 anos, para jogar nos juniores.

Esteve emprestado ao Covilhã (em 2010/11) e à Académica (em 2011/12), clubes onde, apesar da sua juventude, conquistou a titularidade e foi elogiado pelos respetivos treinadores.

No início desta época, regressou ao FC Porto para integrar o plantel da equipa principal, ao serviço da qual já participou em 13 jogos.

Mas, como “não convence ninguém”, a Administração do FC Porto deve despachá-lo no final desta época, certo?

José Correia disse...

J. Correia Marques disse…
Já contra o Braga quando entrou notou-se claramente os nervos e fez uma série de disparates

Por acaso, no referido FC Porto x SC Braga (para o campeonato), o Abdoulaye fez mais disparates e de maior gravidade que o Otamendi?

José Rodrigues disse...

Para mim - e ja' o dizia antes do jogo - claramente a ter q escolher um desses jogadores para o 11 (para alem de Moutinho) seria o Atsu de forma a dar profundidade ao ataque e nao termos aquele meio-campo super-povoado mas sem ideias ou produtividade ofensiva.

Se foi essa a razao para utilizar o Ba, foi uma pessima razao.

José Correia disse...

J. Correia Marques disse…
A sua expulsão (mal ou bem ajuizada) não é surpresa para ninguém já que este jogador tem um currículo de expulsões ao alcance de poucos

Esta época, antes da final da Taça da Liga, o Abdoulaye Ba já tinha disputado 20 jogos oficiais pelo FC Porto, distribuídos da seguinte maneira:
Liga ZON Sagres: 4
Taça Portugal: 3
Taça da Liga: 2
II Liga: 8
Liga Campeões: 3

Nestes 20 jogos (1481 minutos de competição), o Abdoulaye tinha visto 7 cartões amarelos e zero (!) cartões vermelhos.
Era este o currículo disciplinar de Abdoulaye esta época, antes da final da Taça da Liga.

José Correia disse...

J. Correia Marques disse…
Na final, se um clube quer mesmo ganhar e não tendo o calendário apertado, deve jogar com os melhores à disposição do treinador, ponto final

Portanto, deveria ter jogado o Helton e não o Fabiano, certo?

José Rodrigues disse...

"Por acaso, no referido FC Porto x SC Braga (para o campeonato), o Abdoulaye fez mais disparates e de maior gravidade que o Otamendi?"

Se bem percebi o Jose' Correia acha entao q (pelo menos neste momento) o Ba e' tao bom (ou melhor) central do q Otamendi.

Enfim, opinioes. Faltou foi o artigo pre-jogo a criticar a actuacao anterior do Otamendi e a pedir a titularidade do Ba, era porreiro termos ficado a saber isto antes do jogo.

Pessoalmente eu discordo. Dito isto, a titularidade dele nao me chocou; chocou-me mais (ou preocupou-me) foi ter continuado em campo apos o amarelo muito cedo (q podia ter sido vermelho) - comentei logo para quem estava ao meu lado a ver o jogo que ele nao ia chegar ao fim do jogo (ate' pq o adversario tinha jogadores como Mossoro' e Alan q sabem sacar cartoes aos defesas).

José Rodrigues disse...

Nao foi q escrevi essa frase mas como a subscrevo, respondo 'a pergunta: sim, o Helton devia ter jogado.

Na realidade o Fabiano foi o melhor jogador do FCP em campo (o q acabou por nao fazer diferenca nenhuma, ja' q perdemos na mesma).

Dito isto, pelo q tenho visto nos ultimos tempos nao tenho tanta certeza como ha' uns tempos de q Helton continue a ser o melhor GR do plantel...

José Rodrigues disse...

Eu acho q nem tanto 'a terra nem tanto ao mar.

Ba e' neste momento o pior central do plantel. Ponto. (ou se preferirem, o "menos bom").

Dito isto, acho q tem qualidade suficiente para ser o 4o central no plantel e tem potential para ate' mesmo, quem sabe, chegar um dia a titular - sendo ainda (e naturalmente) bastante "verde" mas tendo qualidades de base interessantes.

José Rodrigues disse...

Se alguem deu abebias neste jogo esse alguem foi o Danilo, q esta' a ser uma desilusao total.

Estava 'a espera q fosse progredindo com o passar do tempo mas parece q anda mas e' a regredir. Neste jogo foi uma autentica nodoa.

Pedro M. disse...

Na epoca em que jogou na academica jogou 21 jogos, vendo 4 vermelhos e 10 amarelos.

Um jogador que esta castigado com esta regularidade nunca poderá ser mais do que suplente de uma equipa que tem de ser regular.

Nightwish disse...

Entre ele e argentino, venha o diabo e escolha.
Mas nenhum deles é terrível, e um já se percebeu que nunca vai deixar de perder bolas estúpidas, o outro vamos a ver se cresce.