sexta-feira, 19 de abril de 2013

O “topo de gama” avariou

(Crónica de MST, A BOLA, 05-02-2013)


«Em Guimarães, o FC Porto, mesmo sem James e sem Atsu, fez o jogo perfeito, do primeiro ao último minuto. Não foi apenas o melhor jogo do FC Porto neste campeonato – foi, apesar do seu sentido único, o melhor jogo deste campeonato. Mais do que aquilo não é possível ver por aqui. Como equipa, como futebol encadeado e pensado, jogado com imaginação e velocidade, foi topo de gama, aqui e em qualquer lugar.»
Miguel Sousa Tavares, A BOLA, 05-02-2013


Entre a deslocação à Luz (em 13/01/2013) e a deslocação a Guimarães (02/02/2013), duas das deslocações tradicionalmente mais difíceis do campeonato, o FC Porto disputou cinco jogos, com um saldo de 4 vitórias, 1 empate, 16 golos marcados e 2 golos sofridos. Nada mau…

(fonte: zerozero)

Mas, mais que os resultados, as exibições, algumas de encher as medidas, convenceram até os adeptos portistas mais críticos e cépticos, quer em relação ao treinador Vítor Pereira, quer a alguns jogadores. O Miguel Sousa Tavares é um bom exemplo dessa franja de adeptos e por isso o escolhi (*).

Dois meses e meio depois de Guimarães, a nação portista parece ter entrado em depressão coletiva e, ouvindo/lendo o que comentadores e adeptos dizem, a ideia com que se fica é que tudo é mau – dirigentes, treinador, plantel, médico, preparador físico, roupeiro, porteiro, …

Ora, em vez de entrarmos num discurso catastrofista, penso que seria mais útil analisar o que fez “avariar o topo de gama” de há dois meses atrás e transformá-lo no actual “utilitário”. É que quer o treinador (o principal alvo), quer os jogadores, são os mesmos.

A caixa de comentários está aberta a explicações.

(*) O futebol é um desporto de emoções e, muito facilmente, os heróis de uma semana são transformados em bestas na semana seguinte e vice-versa. Isto para dizer que o desporto “Tiro ao Miguel” traz pouco de positivo. Por isso, não vale a pena centrar os comentários nas incoerências deste ou de outros adeptos (“ele diz isso hoje mas disse o contrário há um mês atrás”), mas sim nos motivos que fizeram com que a equipa do FC Porto baixasse tanto de rendimento em tão pouco tempo.

32 comentários:

JON disse...

Duas razões, de ordem e responsabilidades diferentes. A primeira levou à segunda e não a permitiu disfarçar. A ver vamos com que finais prejuízos.

1 - Plantel curto
Falta de soluções nas laterais e para avançado. Izmailov e Liedson, emendas de Janeiro, não resultaram. Mas acima de tudo, é inexplicável como é que temos 2 laterais que custaram €35M e faltam-nos jogadores para posições chave.

2 - Treinador sem carisma
Vitor Pereira tem uma ideia de jogo: futebol de posse. É melhor que não ter nenhuma e não vale a pena nesta altura falar sobre o valor ou não desta ideia de jogo.
Vitor Pereira é competente dentro desta ideia de jogo. Isto é, percebe de bola e sabe como treinar esta ideia de jogo. Daí os bons resultados e exibições em Janeiro.
O que Vitor Pereira não tem é carisma. Não tem uma personalidade inspiradora que faça motivar os jogadores e fazê-los superar as dificuldades. O maior exemplo é o jogo de Málaga, onde entrámos completamente assustados e não conseguimos contrariar nada do tão mau nos foi acontecendo.

Era precisamente o que precisávamos agora: alguém que fizesse das fraquezas forças; alguém que liderasse; que inspirasse e dissesse: "eles estão por cima, mas nós somos Porto, caralho. Até os comemos!!!".
Vitor Pereira não é, muito provavelmente, essa pessoa... Oxalá me engane!

DC disse...

Na minha opinião a equipa esgotou física e psicologicamente. Jogadores como Jackson e Moutinho foram usados até à exaustão (porque nunca existiram alternativas credíveis) e acabaram por estoirar.
Quando estoiraram, como em Málaga, a equipa caiu estrondosamente de produção.

James foi outro que se lesionou e nunca mais voltou ao nível, no entanto a equipa sem ele, com Moutinho e Jackson em bom nível, conseguiu segurar o barco. Quando a James se juntou Moutinho e Jackson em má forma ou lesionados, o Porto não conseguiu superar essas ausências.

Izmailov, Varela, Liedson, Castro, Atsu, etc nunca foram substitutos à altura.

Anónimo disse...

O Grande problema neste momento no Porto, chama-se Liedson... provavelmente a maçã podre do balneario..

José Correia disse...

temos 2 laterais que custaram €35M

Não tenho presente os números exactos, mas tenho ideia que o custo total (comissões incluídas) foi cerca de €30M.

José Correia disse...

Falta de soluções nas laterais e para avançado

1) Esta falta de soluções alternativas já existia em Janeiro e no início de Fevereiro.

2) Nenhum desses jogadores - Danilo, Alex Sandro e Jackson - se lesionou.

José Correia disse...

O que Vitor Pereira não tem é carisma

O Vítor Pereira de Abril de 2013 é a mesma pessoa/treinador de Janeiro e Fevereiro de 2013.

Bluesky disse...

Apesar de tambem considerar VP em fim de ciclo (sou português e como tal um treinador para mim só tem estupidamente um prazo de validade de 2 anos!!!!), o maior problema "deste" FC PORTO, chama-se SL e B!!!
É que sem derrotas e com a pontuação que temos já teriamos sido tetra campeões noutras epocas...
Mas a paciência não é a nossa maior virtude!

Anónimo disse...

Na minha opinião a realização desta discussão tem muito mais sentido no final da época, por variadíssimas razões; até porque ainda podemos vir a ser novamente campeões. O que no meu caso, e se tal acontecer, nunca me fará mudar as minhas ideias que eu tenho sobre este assunto.

"Ora, em vez de entrarmos num discurso catastrofista, penso que seria mais útil analisar o que fez “avariar o topo de gama” de há dois meses atrás e transformá-lo no actual “utilitário”. É que quer o treinador (o principal alvo), quer os jogadores, são os mesmos."

Escolhi este parágrafo do texto do José Correia, por uma simples razão. O espaço temporal não é só muito redutor, para enquadrar a discussão proposta, como não corresponde minimamente há realidade dos factos. É que a avaria do “Topo de Gama” não aconteceu há dois meses atrás, mas sim há duas épocas atrás; precisamente no dia em que o Presidente Pinto da Costa, resolveu substituir o Piloto Libras Boas, pelo seu ex co-piloto Vítor Pereira.

Rapidamente foi constatado pela maioria dos aficionados e não só, que o rapaz não tinha mãozinhas para a máquina que lhe colocaram á disposição e assim, o “Topo de Gama” começou a andar aos soluços, de tal forma que quase sempre se comporta como um utilitário e muito raramente como um verdadeiro “Topo de Gama”.

A par desta péssima escolha para piloto por parte do presidente; o departamento responsável pela máquina, começou também ele a trocar algumas peças de qualidade, por outras sem garantia. E algumas, são mesmo quase impossíveis de substituir; pelo menos de forma a manter o anterior alto rendimento a que estávamos habituados em outras épocas desportivas.

Na verdade sejamos ou não novamente campeões, a máquina TG de Libras Boas, deu lugar a um utilitário, que tem na sua decoração alguns adereços de luxo e um custo de manutenção, esse sim, mais próprio de um verdadeiro carro de luxo. O que leva muitas das vezes, quando ele está a competir directamente com outros utilitários, como um GV ou VG, bem mais económicos, sem adereços de luxo e quase sem custos de manutenção; ele pareça um verdadeiro Topo de Gama; pura ilusão de óptica.

Claro que há sempre uns aficionados que são extremistas por natureza, que só sabem andar a 8 ou 80, como é o caso do MST; para esses é muito fácil ver dois a três jogos mais conseguidos pela equipa, frente a outros utilitários bem mais fracos, para rapidamente querem fazer do seu utilitário, um Ferrari tipo Barcelona. Exageros que só servem para lançar areia para os olhos dos aficionados apaixonados.


PG

Anónimo disse...

Danilo custou com comissões 18M e Alex Sandro 13M; total de 31 milhões de euros. Valor gasto para substituir Fucile (não inscrito), Sapunaru e Paito, que saiu por 10M, em que só 7M foram para o Porto.
Danilo é um dos mais bem pagos do plantel.

Em conclusão o rácio qualidade vs preço das compras é bem inferior em relação ás vendas.

Danilo, esta época ainda não se lesionou; Alex já esteve alguns jogos afastados por lesão.

Anónimo disse...

Uma equipa que quer aspirar a uma grande época em todas as frentes não pode ter um Danilo como LD e ainda por cima sem substituto. E não ter substitutos á altura para o lugar de Jackson e Alex Sandro.

Como se pode constatar o actual rendimento de ambos está muito aquém daquilo que eles já demonstraram.

Claro que estas falhas na composição do plantel, são quase na sua totalidade culpa da direção e não do treinador. A direção só é culpada a 100% pela péssima escolha que fez aquando da escolha de VP para treinador.

Anónimo disse...

O VP de abril de 2013 a fevereiro do mesmo ano, é sem dúvida o mesmo péssimo treinador e com falta de carisma, que sempre foi. Não é uma andorinha que faz a primavera; neste caso não são as exibições realizadas num espaço tão curto de tempo, que caracteriza uma equipa no seu todo e o trabalho desenvolvido pelo seu treinador.

Anónimo disse...

Este artigo está escrito ao contrário, devia ter como titulo "Um gama baixa engrenou" e ter sido redigido na altura em que o Porto conquistou Guimarães. Apenas a irracionalidade com que vemos futebol e a paixão clubistica nos fez acreditar em algumas ocasiões (e Guimarães foi uma delas) que eramos muito bons. Eu que normalmente sou péssimista andei eufórico mas claro era o coração a trabalhar...Hoje, com racionalidade penso que estamos onde todos temiamos vir a cair face a uma miseravel gestão do plantel, contruido talvez com o excesso de confiança que a historia recente nos permite ter, nomeadamente com a vitória algo fortuita no campeonato passado. Desprezamos os nossos rivais dentro e fora das fronteiras quando pensamos que Kelvin, Varela, Atsu, Danilo, Kleber, Lucho e companhia eram suficientes. Por tudo o que fez pelo clube Pinto da Costa é intocavel e merece toda a nossa confiança. Mas alguém dentro da estrutura falhou por completo. Vitor Pereira não tem valor para treinar o clube mas é no plantel que reside o problema. Já começamos a mudar com a contratação dos jovens do Guimarães mas para sermos competitivos para o ano temos que segurar os melhores e contratar titulares, ou seja jogadores com experiencia e qualidade. Pelo menos um numero 10 e dois extremos.
Volto a dizer que se assim não for o Benfica dominará com facilidade.

Pedro Moreira

Anónimo disse...

Caro Bluesky,

Estou 100% de acordo com as suas palavras, mas completamente em oposição no sentido das mesmas.

O problema "deste" FCP é sem dúvida o SL e B; pois já na anterior época, como nesta, sendo ou não campeão; tem um nivel de jogo em qualidade muito superior a "este" FCP de VP.

Por isso é que a maioria de nós reconhece que o titulo da época passada não foi conquistado por mérito nossos, mas sim por desmérito deles.

Em conclusão futebol não é só resultados é também espetáculo. Se calhar é que cada vez há menos assistencias aos jogos do Porto. E isso para mim não é nada bom.

Anónimo disse...

Visão da qual partilho na totalidade. Ainda por cima quando vemos outros com menos dinheiro a conseguirem melhorias evidentes nas suas máquinas.

Eduardo Nunes disse...

Apesar de ainda haver possibilidades de sermos campeões a realidade é que esta época começou mal desde inicio.
O plantel principal esta desequilibrado(provavelmente o mais curto dos últimos anos) e sem soluções que permitam compensar a falta ou baixa de forma dos que seriam a base da equipa.
A equipa B foi montada á pressa e pese embora ter alguns jovens de qualidade a realidade é que nunca foram opção de recurso viável ao plantel principal.
Existem algumas coisas que precisam de ser repensadas mas para serem feitas com a mesma inteligência que nos trouxe frutos no passado.
Contudo sou da opinião que os treinadores das duas equipas (principal e B), deveriam ser trocados por gente com mais experiência e com métodos de demonstrem qualidade, de forma a não termos jogadores "rotos" na altura das decisões.
Força FCP.

Saci Pererê disse...

Acho injusto e ainda hei-de ver aqui muitos a pedirem que volte o Vitor Pereira. Cometeu erros, mas sempre os corrigiu, talvez lhe falte alguma experiência mas é um treinador inteligente e que sabe corrigir as suas debilidades. Por mim ficava, sei que sou uma minoria entre os adeptos portistas, e já fui insultado por opinar desta maneira, mas estou-me a marimbar para os tipos como o MST, pelo menos esse tem a desculpa de que fala escocês depois de almoço. O único factor que me levaria a dispensar este treinador é se confirmar que não tem mão no plantel e não sabe agarrar o balneário, mas isso só os dirigentes podem saber. Continuem a falar mal do homem, como diz o provérbio que li num blog portista "quando um gajo está na mó de baixo até os cães nos mijam nas pernas".

Anónimo disse...

Razões para a baixa de forma do FCP (por ordem de importância):
1ª) Azar (as bolas podiam ter entrado).
2ª) Cansaço físico (selecções; viagens; lesões; quantidade de jogos).
3ª) Arbitragens (nem vou dar exemplos!).
4ª) Confiança da equipa (primeiro a mais e depois a menos).
5ª) Pressão do exterior (ataques da imprensa; assobios dos adeptos).
Não refiro as contratações porque considero que elas melhoraram a equipa!

Anónimo disse...

Oh meu caro José Correia, se são 30M e não 35M, isso faz toda a diferença e é realmente merecedor de reparo!

HULK 11M disse...

Para mim a explicação é muito simples: qualquer "equipa pequena" atravessa períodos em que até parece uma "grande equipa". Os exemplos são muitos e, se olharmos para o percurso das pequenas equipas no decorrer desta Liga podemos comprovar isso mesmo. Veja-se, por exemplo, o "momento" do Paços!
Ora sendo a equipa do FCP treinada por um grande treinador de equipas pequenas, é perfeitamente normal que atravesse alguns períodos em que até parece uma grande equipa!!! Isso até faz alguns adeptos, como eu, que não acreditam no treinador, pensarem que afinal estavam enganados!!!
Infelizmente a normalidade é esta que estamos a viver e que, felizmente, irá passar dentro de umas semanas quando a época terminar e nova época se começar a preparar.

Mário Faria disse...

Nós todos percebemos muito de futebol. Falo por mim: sou um dos treinadores de bancada mais prestigiados e não tenho dúvidas que as minhas certezas é que estão certas. Aliás, acho incompreensível que a SAD se recuse a ouvir-me ou pelo menos a ler-me. Tenho a solução e barata. O meu projecto:

1)Despedir o treinador, porque não sabe, não treina, não compreende, não analisa, não amima, não comunica, é vaidoso, cruel e não merece a confiança do plantel. Falta-lhe ainda saber ter uma equipa de plena saúde para toda época, intervir no banco de forma oportuna, trabalhar a questão psicológica, saber motivar os jogadores e gerir a preceito o balneário. Por fim : é um péssimo comunicador, nem jogadores percebem o que quer nem os adeptos entendem o que diz;
2)A escolha do novo treinador é muito fácil : deve ser o contrário deste e ser o máximo nos princípios acima elencados e, para isso, basta atentar no perfil e seguir o guião. Não falta no mercado quem cumpra as condições : tenho vários nomes e disponibilizo-me para os dar a conhecer se me for pedido, por quem de direito;
3)Com o novo treinador, teria que contratar reforço certos para garantir um plantel mais alargado, com alternativas fiáveis, a preços de saldo. Para a próxima época não haverá saídas, salvo se as clausulas de rescisão forem cumpridas, mas já tenho candidatos credíveis para preencher essas vagas ;
4)É forçoso que os resultados obtidos sejam consequência de um futebol deslumbrante e para cumprir esse máximo desejo só tenho dois candidatos a treinador, que não identifico porque é segredo.

Se os responsáveis do FCP não quiserem ou souberem ter em conta este brevíssimo rol de prioridades, espero que saibam ler os sinais deste descontentamento que nos afastou da CL, das taças e muito provavelmente do campeonato : afinal só temos que ganhar tudo todos os anos.

bruno cláudio disse...

não esquecer o colinho do primeiro classificado este ano, é fácil cravar 4 e 5 golos em adversários que antes de entrar em campo já estão reduzidos por castigos habilmente encomendados e dentro de campo acabar em inferiodade numérica, em momentos particularmente convenientes do jogo. tudo a bem da verdade desportiva do clube dos papagaios da segunda circular. é fácil realizar grandes exibições quando os seus jogadores sabem perfeitamente que estão protegidos. só lhes compete jogar bem..

ao que a nós nos toca respeito, vamos ser frontais - treinador medíocre, jogadores de media qualidade sobre valorizados (a brasucada toda e uns putos que queremos forçosamente que sejam estrelas quando se nota serem limitados e em um futuro próximo estarão na melhor das hipóteses no Chipre ou Setúbal) e um par de abutres empresários/compinchas da direçao do clube.

onde anda a máquina que fez este clube estupendo? apresentamos sinais de novo riquismo.
quero ver de novo a cultura de trabalho, suor, compromisso e dedicação ao clube, e isso tem de se notar em cada jogo, em cada competição.

com toda esta brasucada e colónia de latino americanos mais vale ir jogar a Libertadores.
com 30 milhões que gastamos em dois medianos/fracos laterais brasileiros, parece-me perfeitamente óbvio que com essas quantia podemos evitar a saída precoce de jogadores portugueses para o estrangeiro e manter alguns jogadores importantes no clube, tendo um plantel mais equilibrado e com mais alternativas. exemplo mais flagrante nesta temporada na minha opinião chama-se Antunes. ou pizzi que anda num sofrível Corunha, ou vieirinha, entre outros. porque o rolando foi descartado? o maicon é superior, querem ver?! ou o otamendi..
O VP é um banana, é certo, mas o clube caminha para um nível vitor pereira, o que para mim como dragão é assustador.

Em resumo, no meio de tanta porcaria de que se pode falar sobre o nosso clube, para mim o mais importante, pelo que tenho visto centra-se no compromisso destes jogadores, falta de atitude, garra, vontade de vencer, disputar cada bola como se fosse uma final, procurar a vitória do primeiro ao ultimo minuto, lutar, lutar. lutar!
o que melhor exemplefica o que acabo de comentar é o jogo em malaga, uma vergonha! Foi humilhante. A derrota aceito-a sempre de bom tom, quando se sente esforço, entrega e trabalho. Esta época tem sido vergonhosa neste sentido.

José Correia disse...

Danilo, esta época ainda não se lesionou; Alex já esteve alguns jogos afastados por lesão

Nenhum deles esteve lesionado no período que refiro neste artigo (Janeiro a Abril de 2013).

José Correia disse...

não são as exibições realizadas num espaço tão curto de tempo, que caracteriza uma equipa no seu todo e o trabalho desenvolvido pelo seu treinador

O facto de em 55 jogos disputados para o campeonato (30 na época passada e 25 nesta época), Vítor Pereira ter perdido apenas UM jogo (em Barcelos, arbitrado por Bruno Paixão, nas circunstâncias que são bem conhecidas), é algo que tem alguma relevância?

José Correia disse...

a maioria de nós reconhece que o titulo da época passada não foi conquistado por mérito nossos, mas sim por desmérito deles

Nos 3 jogos para o campeonato, em que Vítor Pereira defrontou a "super-máquina" de Jorge Jesus, quantos desses jogos perdeu?

Anónimo disse...

Dai eu ter falado em exibições e não em resultados. A nível interno em termos de comparação semelhantes os resultados obtidos por VP são melhores que os de J. Mourinho aquando da sua passagem pelo FCP. Será que esses resultados fazem de VP um treinador igual ou superior a JM? Será que esses resultados fazem o FCP de VP, melhor ou igual que o FCP de JM? Infelizmente, não. O Porto de VP, que ganhou a liga da época passada foi superior em resultados aos tipos comandados por JJ; já em termos exibicionais e de qualidade de jogo; claramente que não. Este ano ainda é possivel voltar a ganhar; e eu ainda acredito que sim, com ou sem B. Paixão ou P. Proença; agora com ou sem resultados o FCP de VP foi em termos de jogo jogado em muito inferior aos tipos de JJ

Anónimo disse...

Para o campeonato empatou a dois no Dragão, em que os tipos foram superiores em termos exibicionais; ganhamos lá por um golo de diferença em tempos de descontos e em fora de jogo, contra dez, no geral também não fomos superiores e esta época empatamos lá a dói golos quando rematámos em todo o jogo três vezes enquadrados á baliza. Um golo marcado em lance bem estudado de livre ( quantos mais houve ate hoje?), outro oferecido pelo Artur, num jogo que acabou com 50% de posse bola para cada lado e com a equipa dos tipos em plena reestruturação. Sem Luisão, Witsel, Javi, e ainda em fase de lançamento de Matic, E. Pérez, Melga etc... Um empate que já na altura eu critiquei aqui, e fui se calhar o único; muita posse de bola inconsequente, contra uma equipa que jogou com mais de meia equipa diferente daquela que foi a sua equipa tipo no inicio de época,, enquanto o Porto não sò manteve a mesma equipa que foi campeã, a mesma estrutura de jogo e ainda para mais tinha por fim um PL desde a saída de Falcao. A única diferença era mesmo a ausência de Hulk. Em conclusão em termos teóricos deveríamos arrasar, mas nao. E apòs o empate, a quase totalidade do universo portista entrou em euforia pela exibição e o empate alcançado!!!!

JON disse...

Caro José Correia,
Repare que eu disse que o Vitor Pereira tem uma ideia de jogo. Acho sinceramente que o senhor percebe de futebol. Daí que em Janeiro tenhamos mostrado bom futebol. Daí que VP tenha bons números no campeonato.

O que quero dizer com a questão do carisma pode ser visto num outro rácio, se preferir... Vitórias/derrotas contra adversários complicados e em momentos decisivos: empate no Dragão com o Benfica; 2 empates em Alvalade; péssima prestação na CL do ano anterior; e especialmente a derrota em Málaga, que me vai ficar atravessada, presumo, por muitos anos. A forma medrosa como a equipa se apresentou é responsabilidade de VP, não tenha dúvidas...
Claro que a vitória na Luz o ano passado também foi responsabilidade de VP. Mas a forma cabisbaixa como a equipa se apresenta muitas vezes é definitivamente reflexo da tal falta de carisma.

PS: um outro exemplo, o empate em Paços o ano passado, que podia ter comprometido o título, sofrendo um golo nos últimos minutos, de canto, na pequena área, de cabeça, pelo minorca Melgarejo. Só de quem está sem força e confiança em campo... VP all over the place!!!

Alto Minho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alto Minho disse...

A palavra sozinha em cima, e sem nexo, foi a última palavra que escrevi num texto em resposta ao comentário de Mário Faria, e que sem perceber como (?), o texto desapareceu-me ao publicar, ficando só esse "elefante branco".

Como o texto/resposta ainda era grandito, lógico...que não vou voltar a escrever aqui essa resposta. Fico-me só pelo essencial...

"Texto de fina ironia - 14:37 - onde a última frase eleva aos Himalaias" da causticidade!"

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...


o anónimo das 19h "tresanda" tanto a lampião...

Renato Fernandes disse...

Andei quase uma época a defender exactamente isso, o Vítor Pereira percebe de bola, mas falta-lhe aquilo que de melhor tinha o AVB.
Carácter, qual de nós portistas não ficava rendido a cada entrevista e espírito que este imprimia. Um treinador mesmo à FCPorto, imprimia nos adeptos e nos jogadores animo, esperança e retirava tudo do melhor que cada um tinha para dar.
O VP é um optimo planeador de jogo, faz bem o trabalho de casa mas com um plantel sem recursos e sem soluções (e muitas substituições duvidosas), não tem capacidade para alterar o jogo de um momento para o outro.
E é nisso que o Benfica tem a sua força esta época.

Eduardo Nunes disse...

Ola Saci

Todos têm direito a opinião e elas variam muito (aliás como se tem visto aqui...)
Permita-me dizer-lhe uma coisa e peço para não a entender como critica mas como a minha humilde constatação: você tem a ideia de que o VP corrige os erros que comete... pois eu discordo porque em 6 jogos que eram de dificuldade superior e com algum poder decisivo (enumero: Benfica, Sporting, PSG, Braga(Taça Portugal e Taça da Liga)e Málaga) ele cometeu sempre os mesmo erros e alguns que já tinha cometido no ano passado. "Ele esta acrescer..."- Tudo bem! Mas sou da opinião que o nosso FCP não se pode dar ao luxo de estar a formar treinadores e arrisque a colocar em causa os objectivos desportivos que no fundo, nos fazem "sobreviver" economicamente. Na equipa B deveria ter alguém com experiência e qualidade em trabalhar jovens... mas como disse, é a minha humilde opinião...