segunda-feira, 22 de abril de 2013

Roubos de capela

"Criámos sempre grandes dificuldades. E aqui começaram alguns problemas de falta de coerência de João Capela e que mancharam o seu trabalho e retiraram oportunidades de ganhar. O Sporting poderia ter estado onze contra dez por expulsão de Maxi Pereira e grande penalidade para o Sporting. (...)
Há um conjunto de fatores que têm de ser analisados. Não tenho dúvida que o Sporting foi melhor do que o Benfica, repito. Conseguimos mais cantos, mais posse, nem houve grandes ocasiões de golo. Quando tivemos essa agressividade creio que os lances não foram bem analisadas pelo menos em quatro ações na área. Esses lances podiam ter alterado o jogo."
Jesualdo Ferreira

"estava a ver as imagens na televisão e os comentários. Não percebo o que é uma visão larga do jogo, não sei o que quer dizer. Na reunião antes do jogo disse que achava que iam estar três grandes equipas em campo, mas saí com a nítida sensação que só estiveram em campo duas grandes equipas. A outra não acho que tenha sido nada benéfica para o jogo. Quando se diz que o Benfica é mais forte no final, também é mais fácil. Os nossos nunca conseguiam rematar, acabavam sempre por sofrer falta. É a opinião de alguém que tenha dois olhos na cara. Perdemos, mas a verdade dos factos é que errar é humano. Errar sempre para o mesmo lado não me parece tão humano. Não é fácil digerir e compreender como é que isto acontece."
Bruno Carvalho, presidente do Sporting


O senhor Capela é o mesmo árbitro que, há apenas uma semana, na final da Taça da Liga, não teve dúvidas em assinalar penalty contra o FC Porto e em expulsar Abdoulaye, num lance em que o bracarense Mossoró fez uma extraordinária encenação.
Desta vez, o senhor Capela teve um "critério mais largo" (palavras do comentador da SportTv Pedro Henriques) e, em quatro (!) lances na área do slb, não viu motivos para assinalar qualquer grande penalidade.

Os adeptos portistas mais velhos lembrar-se-ão dos célebres "erros de arbitragem", que ocorriam frequentemente nos anos 70 e início dos anos 80 do século passado, sempre a favor do clube do regime, e que José Maria Pedroto, sem papas na língua, denunciava em voz alta e rotulava de roubos de igreja.

Perante a escandaleira de ontem (mais uma, neste campeonato inclinado desde o seu início), no derby da 2ª circular, a primeira pessoa de que me lembrei foi do grande Zé do Boné. Que saudades da sua frontalidade, desassombro e coragem em denunciar a podridão e em chamar os bois pelos nomes.

40 comentários:

José Correia disse...

"Não gosto de falar de árbitros, mas houve penalties muito claros. Assim como o primeiro golo mudou o jogo também um penalty altera o rumo da partida."
Rinaudo

Bacalhau_com_belgas disse...

Devo dizer antes de mais que enquanto benfiquista esta vitória me soube particularmente mal. A minha equipa não jogou o que sabe jogar, não jogou o que devia jogar e esteve longe de ganhar de forma categórica como era meu desejo. Percebo que a tal nota artistica nao possa ser sempre elevada, mas ontem o jogo nunca esteve sob controlo. O Sporting tem obviamente razões de queixa da arbitragem e não fazendo parte da minha conduta tapar o sol com a peneira (embora 4 penalties seja um exagero de análise), o resultado final foi claramente influenciado. Ainda assim, caro José Correia, isto não é senão uma amostra do que aquilo a que eu assisti durante 20 anos onde em jogos contra o seu FCP valia tudo. É interessante que tenha usado a frase "Os adeptos portistas mais velhos lembrar-se-ão dos célebres "erros de arbitragem", que ocorriam frequentemente nos anos 70 e início dos anos 80 do século passado". Porquê parar aí? Porque não incluir tudo o que veio a seguir? Foi a alva revolucão da honestidade no futebol português? Valeu tudo, dentro e fora de campo, mas isso já não importa falar. Enquanto benfiquista, também eu me lembro dos "erros de arbitragem" da "geracão do bigode" da nossa arbitragem a favor da equipa do discípulo do Zé do Boné. Como em tudo, quando mudam as cores mudam as opiniões, e só se queixa quem perde. Por isso é que apesar de vitorias como as de ontem não me darem prazer, ver adeptos do FCP com memória selectiva rasgar as vestes e clamar por justica me dá particular gosto maquiavélico. Mea culpa...

José Correia disse...

"Acontece sempre o mesmo. É incrível isto dos árbitros."
Marcos Rojo, na rede social Twitter

José Correia disse...

"Os adeptos portistas mais velhos lembrar-se-ão dos célebres "erros de arbitragem", que ocorriam frequentemente nos anos 70 e início dos anos 80 do século passado". Porquê parar aí?

Pela razão óbvia de corresponder ao período em que a pessoa que eu citei - José Maria Pedroto - foi treinador do FC Porto. Depois, conforme deverá saber, Pedroto teve uma doença grave e faleceu.

Quanto a falar de outros períodos, desde os anos 50 (época do B-S-B e do Calabote) até aos campeonatos do Estorilgate e do Tunel da Luz, é algo que poderemos falar noutra altura, num artigo apropriado.

Mas registo a sua opinião sobre a vergonhosa arbitragem de ontem e da influência que teve no resultado.

Bacalhau_com_belgas disse...

Faca o favor de registar. Por isso mesmo o escrevi. Quanto a José Maria Pedroto, sei bem que teve uma doenca grave e faleceu. O intuito do meu post não foi desrespeitar a sua memória, tal como não foi afirmar que o Benfica não tem na sua história momentos dos quais não me orgulho. Certamente não tantos como fará questão de enumerar, mas como disse, poderemos discutir isso numa próxima. O meu ponto fundamental é a memória selectiva de quem está por baixo. O caro José Correia é reconhecidamente uma pessoa inteligente e sabe escrever muito (e bem) nas entrelinhas. O tal subtexto que frequentemente usa nos seus posts que lhe dá margem de manobra defensiva perante críticas (vulgo, subterfúgio) mas que passa uma mensagem e agenda claras para o leitor mais atento, seja de que cor for. É uma escrita hábil, mas como já dizia Mark Twain (essa fonte infindável de citacões): "Get your facts first, and then you can distort them as much as you please".

Bacalhau_com_belgas disse...

Que fique claro, porque pode não o ter sido, que me estou a cingir aquilo que leio aqui e como tal me estou a referir à discussão futebolística, onde a razão e a objectividade estão, quase por defeito, comprometidas (umas vezes mais, outras menos). São críticas específicas dentro de um tópico específico e não ataques pessoais.

Anónimo disse...

Antes eram os roubos de igreja, agora são os roubos de capela...

DC disse...

Mas quando o VP falou e bem da arbitragem na final da taça da liga, alguns disseram que eram desculpas, que era mau perder, etc...
Eu acho é que ele falou pouco, devia falar todos os dias, até finalmente vermos o Maxi jogar com as regras dos outros.
Se calhar por falar pouco é que se continua a ver esta vergonha em todos os jogos do 5LB.

E já agora, o nosso intocável presidente, além de dar entrevistas a brasileiros também tem uma opinião sobre o nosso campeonato?

José Correia disse...

No slb x SCP de ontem, Maxi Pereira conseguiu chegar ao final do jogo sem ver um cartão amarelo, isto apesar de ter feito uma falta para penalty logo aos 8 minutos (sobre Capel), outra perto do final do jogo (sobre Viola) e de, pelo meio, ter tido uma entrada de pitons à canela de um adversário.

A impunidade de que Maxi goza no campeonato português não é, obviamente, extensível às competições europeias. Talvez isso ajude a explicar por que razão não tem jogado na Liga Europa…

José Correia disse...

«Não foi só a qualidade de Lima ou Salvio a decidir o dérbi. João Capela, infelizmente, teve influência directa no resultado. O facto não menoriza a vitória encarnada, pois não pode ser imputada ao clube da Luz a incompetência do árbitro. Mas não ver duas grandes penalidades e o critério utilizado na amostragem dos amarelos é lesa-futebol. Pior, na penalidade sobre Capel, por exemplo, não assinala o castigo máximo e perdoa a expulsão a Maxi – mais do que uma vez. Com isso, estragou o jogo a um dos lados. E adulterou a verdade desportiva. Também não há volta a dar»
Bernardo Ribeiro, subdiretor do Record

Anónimo disse...

Boas...

As capas dos jornais não mentem. Nada de anormal... foi limpinho. Vai ser limpinho até ao fim.
Na próxima jornada há uma viagem de passeio à Madeira, onde se o amigo Carlos Pereira já tem tudo tratado para um jogo descansado.
O que ontem se viu foi apenas mais um episódio de uma rede de acontecimentos que, inevitavelmente, vão levar a que o clube do regime chegue em primeiro no fim do campeonato e vença a Taça de Portugal.
Arbitragem, disciplina, jogadores emprestados e comprados aos adversário e a cada vez mais descarada comunicação social de Lisboa, nada foge ao controlo de um só homem. O Luís do Pó, o mesmo que teve 12 inspectores da PJ no que apelidou de comissão de "honra" à recandidatura, sabe que pode fazer o que quiser, impunemente.
Mas nada disto seria assim tão fácil se no meu clube não se tivesse instalado um oportunismo cada vez mais preocupante.
Um presidente que parece já não existir. Directores que ganham chorudos ordenados e prémios milionários por ficarem em segundo lugar no campeonato. Um clube cheio de burgueses. Desde quem manda a quem joga.
Ninguém diz ou faz nada para por cobro à forma descarada como o outro clube vai ganhando, sem quebras físicas, com arbitragens de conveniência, embalados pela comunicação social.
O que se viu ontem e muitas outras vezes ainda não retira uma palavra de reprovação de quem manda no nosso clube.
Torna-mo-nos nuns mansos, mas burgueses. Mansos, mas ricos.
mas é neste cenário que corremos um risco muito sério de passarmos por uma sportinguização mais rápida do que se pode imaginar.
Não se trata de perder um campeonato. Trata-se de ver morrer o jogar à Porto. O "antes quebrar do que torcer". O "até os comemos".
"Somos Porto" é só uma frase publicitária para vender e mal sapatilhas e camisolas.Há pouco "portismo" neste Porto.
Isso é o que mais me deixa defraudado.
Isso é que nos condena a perder desta forma!


Abraço

Dragão Azul

Nightwish disse...

"O facto não menoriza a vitória encarnada"

Pois, para isso era preciso ter expulsado 20 jogadores do Sporting ou coisa parecida. Que idiotice.

Pedro disse...

A única coisa que não mudou dos anos 70/80, dos 60 é melhor nem falar... é que para um benfiquista tipico para o seu clube ser beneficiado são precisos ai uns 4 penaltis e 3 expulsões mal assinaladas.

Como diz o Jesus de Carnide foi limpinho, limpinho à la benfica.

DC disse...

Concordo absolutamente consigo mas deixe-me só referir mais uma coisa.
O pouco de "Porto" que resta no clube está no treinador. Que tem sido o único a revoltar-se algumas vezes contra as arbitragens, a mandar algumas boas respostas ao JJ, a chamar os "bois pels nomes". Não se ouve Antero, o nosso presidente ainda hoje vem fazer uma declaração ridícula, em que não diz absolutamente nada de concludente sobre a arbitragem e tem sido o treinador, SEMPRE SOZINHO, a dar a cara em todos os momentos.

No entanto, porque não agrada a alguns adeptos, até essas críticas, até as declarações mais inflamadas que tem, lhe são criticadas. "Não devia falar de arbitragem, devia jogar melhor". Pois, o não falar de arbitragem deu nisto, estamos (discussões sobre qualidade de jogo à parte) com uma pontuação excelente, sem derrotas, sem perder em casa do adversário directo, mas... não vamos ser campeões.
Porque se inventaram penalties no último minuto contra a Académica, porque não se expulsou o Maxi e o Matic nos jogos com Porto e Sporting, porque se compram jogadores adversários em véspera de jogo, porque se "eliminam" jogadores do adversário na jornada anterior...

Ou isto muda, ou para o ano será a mesma, com a condicionante que eu tenho como praticamete certa, que para o ano não vamos ter um campeonato sem derrotas. O que nos está a faltar este ano é liderança administrativa.

Pedro Albuquerque disse...

A capa do Jogo não diz isso. Diz que foi uma vitória à Capela e diz que o Tribunal teria assinalado 2 penalties.

O record também faz essa referência.

O único que não refere penalties na capa é como não seria de estranhar, a Bolha.

Mário Faria disse...

David Duarte vem frequentemente ao RP dizer da sua justiça. Por mim seja bem-vindo, porque defende a sua dama, mas com o respeito de quem visita e na condição de “convidado”. Não gosto muita de falar de arbitragem, mas acho que a maioria das pessoas do SLB acham sempre natural que sejam beneficiados, porque esse benefício corresponde apenas à grandeza do clube. Essa grandeza é medida de variadíssimas formas e vai “da excelente época que está a fazer”, “ao futebol de excelência praticado”, pela "beleza dos golos magistrais”, à “dimensão do clube”, à incessante luta “pela verdade desportiva” e, pasme-se, à “diferença pontual” entre os clubes em presença, como foi o caso de ontem . Mais rebuscado, ainda, é a forma como os responsáveis do SLB se tomam das dores quando não são acusado de nada, nem nunca o serão. Em suma, seja o que tenha acontecido, ontem e noutros jogos, o SLB merece e ponto final. Tudo limpinho. E, esse é de facto um “vício” antigo que vivi muito de perto e teve muitos nomes, artistas e figurantes . Nos anos sessenta o SLB tinha uma equipa muito superior ao FCP, mas se dúvidas houvesse a sentença caia sempre para o mesmo lado. Não penso que fosse um caso de corrupção, era apenas o exercício do poder, como o é hoje, e o poder absoluto corrompe absolutamente. A visita do FCP ao Torriense e a vitória do SLB sobre a CUF, nos idos anos de sessenta, foi melhor exemplo disso, tal qual a arbitragem de Reinaldo Silva nas Antas.

A arbitragem está mal. E para o apontar não vou servir-me da competição principal. Sempre que posso assisto aos jogos da nossa equipa B e indigno-me com a maioria das arbitragens a que tenho assistido. No jogo de ontem, entre o Leixões e o FCP vi uma das piores arbitragens que me foi dado assistir, e não creio que tenha sido uma mera questão de incompetência. Tenho a certeza, porém, que não foi corrupção. Penso que o ambiente poderá ter condicionado os árbitros a que junto o facto de “prejudicar o FCP” ser um retorno a que todos têm direito e que obviamente dá mais direito à impunidade. E isso tem acontecido com uma frequência que ainda mais inibe e frustra uma equipa formada por jovens que não poderão ser campeões e que deveriam encontrar no exercício do jogo toda a paixão, e só encontram uns tristes homens vestidos de preto que não respeitam ninguém e são os seus principais adversários. E, isso incomoda-me e muito !

Anónimo disse...

Mas foram 2 ou foram 4 ?

miguel87 disse...

O que é triste e de lamentar é que todos estes erros e mais alguns em vários outros jogos, uma grande parte dos portistas vai coloca-los na conta do nosso treinador Vitor Pereira!

Como portista não gosto de desculpar os maus resultados com as arbitragens, mas o que se constata esta época são factos evidentes que fazem com que o Porto não esteja na liderança do campeonato... é uma questão de somar os erros flagrantes nalguns jogos de benfica e Porto deste campeonato.

Além e apesar disso a pontuação do Porto nesta altura seria suficiente para liderar em 16 dos últimos 17 campeonatos.

Tudo isto somado justifica a grande injustiça que tem sido feita ao Vitor Pereira pela critica em geral e por grande parte de portistas em particular!

Mefistófeles disse...

Habemus Capelam ! Com o Lucílio reformado, está encontrado o sucessor... Ninguém pára o benfica !

cincoAzero disse...

Fraca gente faz um fraco clube
Este é o espírito com que a agremiação corrupta anda no desporto.
Foto retirada da sua página oficial no facebook.
http://oantilampiao.blogspot.pt/2013/04/fraca-gente-faz-um-fraco-clube.html

José Lopes disse...

Essa de nao menorizar a vitoria encarnada e a balela de "não pode ser imputada ao clube da Luz a incompetência do árbitro", ou vem de um ingenuo incuravel, ou e' mesmo de um tipo de um jornal de Lisboa que nao quer arranjar problemas e nao tem vergonha.

Barba azul disse...

O caro Bacalhau com belgas, apesar da sua aparente predisposição para honestidade nas análises, ou não esteve na verdade efectivamente atento aos jogos desses tais 20 anos em que "tudo valia para o Porto", ou os anos já passados fizeram a sua memória ceder à massacrante propaganda dos últimos anos sobre "o que todos sabemos" sobre o que se passou nesses anos - naturalmente em favor do Porto e única explicação lógica para a imensa superioridade verificada! Verdades que "todos sabemos", e que como tal se dispensa referências exactas e explícitas, para exemplo.
Pois tem piada, que o que eu me lembro desses tais 20 anos, apesar da superioridade geral do Porto e consequentes vitórias, é de frequentes benefícios ao SLB, que ainda assim não conseguia geralmente levar a melhor, fruto sobretudo da desorientação em que viveu largos anos e da incapacidade em se aperceber o que é que tinha mudado, para já não ganhar com a facilidade com que antes ganhava. E óbviamente não me refiro apenas às arbitragens em favor da sua grandeza, como é natural (não reduzo o mérito do Benfica dessas épocas a isso), mas às alterações de qualidade e organização nas restantes equipas fora de Lisboa, e fundamentalmente no Porto.

Anónimo disse...

Havia o campeonato Estorilgate, o Campeonato dos tuneis e como se deve designar este ?!
Nuno Almeida, Bruno Esteves (aquela arbitragem em Matosinhos em jogo do FCP B, foi um mimo...),J.Ferreira, Paixão,Capela que competencias!!!

Duarte disse...

Uma vergonha, uma tremenda roubalheira e algo que não pode passar em claro. Devíamos ter reagido há muito, agora é tarde. Para este ano, pelo menos, já nada vai adiantar que façamos algo. Pinto da Costa falou, falou bem, mas o timing é demasiado tardio.

Claro que isto não pode fazer com que passemos do oito para o oitenta e nem pode servir para que nos auto-ilibemos de erros próprios. Tal não aconteceu no ano do túnel e espero que não aconteça neste, que está à beira de se tornar na época de títulos menos produtiva desde Octávio Machado. Agora que para o ano, para lá das mudanças internas indispensáveis, temos de estar mais avisados e atacar estas coisas de uma forma radical e incisiva, disso não tenho dúvidas.

Duarte disse...

DC, diga-me qual foi o último treinador do FC Porto que teve apoio público da direcção para denunciar as más arbitragens constantes? Infelizmente, e concordando com muito do que diz, isto já vem de há muitos anos. Os últimos treinadores do FC Porto estiveram sempre sozinhos nesse aspecto. É um facto que até agora ganhamos zero com isso e o que me custa mais é que ainda não nos tenhamos apercebido de tal.

Anónimo disse...

Quantas expulsões foram "perdoadas" a jogadores do Benfica esta temporada sobretudo ao Maxi?!

DC disse...

O AVB não me pareceu tão isolado como os outros. PdC apareceu muitas vezes com ele.

Quanto a Jesualdo concordo que também esteve muitas vezes sozinho.
Se antes nos bastava ser melhor dentro do campo para ganhar, agora com o 5LB mais competente dentro e muitíssimo activo fora do campo, temos que combater estes esquemas. Este ano foi um absurdo, dá raiva ver a impunidade do Maxi principalmente.

Bacalhau_com_belgas disse...

Não me terá visto escrever que o Benfica não teve responsabilidades no seu próprio declínio. A minha memória está bem de saúde, e tento ao máximo combater a clubite e o fanatismo, a bem até do meu proprio clube. A propaganda veste muitas cores, devo dizer, e o primeiro passo para ceder a ela é olhar sempre para as mesmas fontes e não exercer o contraditório. Visitar espacos como este e discutir abertamente com os adeptos de outros clube como você faz parte da minha forma de desenferrujar a mente. O que o caro Barba Azul fez com o seu post foi confirmar aquilo que eu tinha escrito. A memória é por definicão subjectiva, e em muitos casos (quando convém) selectiva. Eu sei das muitas asneiras que sucessivas direccões do meu clube cometeram e que a sua queda não se deveu só a jogadas papais nos bastidores. Mas não me esqueco dos 50 metros sprint do José Pratas tão reveladores do "à-vontade" vigente na época ou das viagens Cosmonauticas do Calheiros ilustrando o compadrio e tráfico de influências instituidos. Se quiser "escandalos" como os de ontem, lembro-me do senhor Fortunato fechar os olhos a uma defesa com as maos fora da area (e porque não se afinal o Vitor Baía o fazia com regularidade?) e a abri-los num apice para ver um fora de jogo inexistente e anular um golo legal na mesma jogada (mais tarde tambem Kandaurov foi vitima da tal "visao extra apurada"). Não cabe no ambito deste post fazer uma compilacão de 20 ou 30 anos de episodios. Talvez um dia, assim tenha tempo e me seja permitido aqui, escreva em pormenor o que acho da tal "propaganda" e tambem da arbitragem, e como os ciclos de vitoria estão indelevelmente ligados a quem controla os bastidores. O que não me verá é defender irracionalmente o meu clube com óculos vermelhos postos, fechando os olhos a evidencias ou assobiando para o lado com argumentos como "os outros também fazem o mesmo só que não os escutam, portanto não há mal" (como dizia o outro, você sabe do que eu estou a falar). Acredito que o caro Barba Azul tenha capacidade crítica para analisar o trajecto do seu clube nos ultimos 20 ou 30 anos e perceber que nem tudo é excelência de gestão desportiva e muitos vícios e ligacões perigosas se estabeleceram e acumularam. O que LFV está a fazer no Benfica agora é jogar pelas mesmas regras. Agrada-me? Não, não me agrada. É possível ganhar consistentemente sem isso? Em Portugal, não me parece. Mas não sejamos virgens ofendidas quando perdemos e exemplos de seriedade quando ganhamos.

Duarte disse...

Acho que o AVB (tal como o Mourinho aliás), tinha uma acutilância e uma capacidade de comunicar tais que se bastava a si próprio, sem que fosse preciso grande apoio directivo. Não me recordo de grandes intervenções de PC nesse ano.

A questão fundamental para mim é que nem todos os treinadores têm de ter a capacidade comunicacional dos que acima referi. A um treinador o que se pede é que treine bem, que leia bem o jogo, que seja disciplinador e que passe com eficácia a mensagem para dentro do grupo. Se souber ser persuasivo, emotivo e fluente nas conferências de imprensa, tanto melhor, mas essa não é uma obrigação de quem treina.

Quanto ao clube do regime, estou perfeitamente de acordo, principalmente quando o DC diz que estão muito activos fora de campo.

Silva Pereira disse...

Boa tarde,
Será que ainda há portistas que acreditam em coincidências ou em acasos?
Aí está a reconfirmação da minha tese, que venho manifestando desde o início da época.
Esta seria uma época pior do que a dos tuneis (o sistema está mais refinado), daí ter manifestado após a diferença de 4 pontos que não acreditava.
Quem acompanha os jogos e a imprensa sabe que esta época era determinante para os chifrudos e por tal motivo todo o sistema (Liga – mafioso VP nomeador, uma imprensa digna do tempo do nazismo, uma federação manipulada e alinhada basta ver o que se passa com o selecionador).
A máquina de propaganda está tão bem oleada que os paineleiros portistas se deixaram comprar (tirando MS).
O que eu nunca entendi foi a falta de arreganho da SAD do FCP e órgãos associados como o PORTO CANAL, uma complacência, um calar que me faz espécie.
E caso os chifrudos ganhem a Liga Europa então é que só podemos ver a EUROSPOR
Nota: quando é que os treinadores do FCP deixam de acreditar em anjinhos ou será que o Rui Gomes (equipa B) pretende treinar a jogar com 10? Se calhar a ideia é essa.

João disse...

Eu comecei a ver futebol a partir da década de 90 e nunca apanhei nada que se assemelhasse ao que vi na Supertaça 09/10 (5 jogadores do Benfica por expulsar - Cardozo, agressão a Sapunaru, David Luiz, agressão a Sapunaru, Javali Garcia, agressão a Varela, César Peixoto, agressão a Sapunaru e Carlos Martins, entrada com pitons sobre o Belluschi) ou no jogo do apagão (6 jogadores do Benfica por expulsar e Otamendi expulso por acumulação ironicamente sem ter feito uma única falta para amarelo, e se bem nos recordamos todos um penalty inventado pelo Jara) ou, porque não, o jogo da época passada (golo do Maicon em fora-de-jogo.. depois dos 2 penaltys mais evidentes do século por assinalar, manchete do Cardozo e falta do Luisão sobre o Palito, 3 jogadores do Benfica por expulsar, a saber Javali García por agressão a Lucho, Gaitán por acumulação e Maxi por agressão ao James e uma série de faltas inexistentes assinaladas no mesmo sítio, uma delas que deu o livre para o vosso 2º golo). Podemos recuar até ao jogo do campeonato "reserbado" onde vamos ver mais 3 jogadores do Benfica por expulsar (Coentrão por acumulação, Cardozo por agressão e Di Maria por simulação com amarelo, o Fucile acaba mal expulso por pretensa simulação num penalty por assinalar) ou se fizer muita questão ao jogo desta época na Luz (3 foras-de-jogo de antologia mal assinalados e o Maxi poupado à expulsão por acumulação umas 4x).

Nem precisamos de falar do jogo de ontem, da vergonha que foi a final da Taça Lucílio Baptista ou, mais clamoroso, o célebre roubo do Braga no jogo que o seu actual treinador disse que assim, só ganhava na Luz na playstation. Viu alguma coisa mais escandalosa que isto? É que faço questão que me conte!

João disse...

Já achei que adiante mais "reagir". Como se viu nos últimos anos, quando é MESMO preciso que o Benfica ganhe o campeonato, alguém faz isso acontecer. Quer dizer, até já damos por natural que o Duarte Gomes ou o João Ferreira sejam nomeados para um Benfica-Porto. Qualquer dia nomeiam mesmo o Bruno Paixão e olhe.. paciência. Esta época era vital que o Benfica ganhasse, se não ia ser preciso fazer uma ruptura com o catedrático que provavelmente dava em não ganharem nada mais duas ou três épocas. Não podia ser.

Bacalhau_com_belgas disse...

Caro João, veja o meu comentário mais abaixo em resposta ao Barba Azul onde enumero alguns exemplos, mas mais importante do que isso, volto a frisar qual o o ponto fundamental dos comentários que fiz em relacão a este assunto. Obrigado.

JOSE LIMA disse...

Se dúvidas houvesse da clubite destes cãezinhos amestrados, ontem ficou dissipada de vez. O presidente dos árbitros colocado na Comissão de Arbitragem, ao que dizem, como contrapartida do clube da treta apoiar Fernando Gomes para a FPF nem sequer é um “gato escondido com o rabo de fora”.
Estes mercenários vivem de olhos postos na cenoura que o presidente da comissão lhes mostrou: o engodo da profissionalização. Sempre que toca a dirigir partidas com o clube da treta, desfazem-se em ameaças de greve, a fingirem-se muito profissionais, mas querem polícias por todo o lado para os protegerem. Eles lá sabem porquê!
De vez em quando, para disfarçar, lá vai um Paixão apitar jogos da 2ª Liga, um Lucílio atirado pela borda fora, encenações baratas do presidente da arbitragem. Escolhe sempre “os melhores” para cada jogo. Traduzido significa que encomenda cãezinhos afectos à “instituição” para dirigirem os jogos mais quentes onde intervenha o clube da treta ou o Futebol Clube do Porto. A receita é fácil: beneficiar um e prejudicar o outro. Tem sido assim desde o início.
De vários jornais que folheei hoje, apenas um, o órgão oficial do clube da treta, A BOLHA pois claro, nas 16-páginas-16 que dedicou aquela roubalheira, colocava dúvidas sobre a existência de, pelo menos 2 grandes penalidades, aos minutos 6 e 8. A justificação do pasquineiro é de ir às lágrimas: “o critério demasiado largo”. Jesus acha que o homem “vai longe”. Olá se vai!
Abraço

José Correia disse...

«A verdade desportiva assenta, entre outras coisas, em critérios uniformes de arbitragem. Sei que isso é uma utopia, mas mesmo assim devemos persegui-la. Por muito que me agrade o estilo deixa jogar de João Capela, essa não é a norma na Liga portuguesa. Infringir a regra num derby, ainda por cima perto do final do campeonato, é menos corajoso do que errado. O resto é óbvio: os erros graves de arbitragem existiram, todos desfavoráveis ao Sporting.»
Luís Sobral, Maisfutebol

MBC disse...

Nos últimos 10 anos o Benfica gamou dois campeonatos e prepara-se, agora, para gamar outro.
É disto que não podemos falar, certo?
É isto que devemos aceitar, correto?
Não se deve escrever que em 2004-2005 foram tantos os roubos (lembra-se dos penaltis forjados por aquele rapaz alto e piscineiro que veio da sua terra, bacalhau?), era tão má a equipa do benfica que só um milagre movido a Helio e o Cunha, leal ao dono, conseguiu que a melhor equipa do campeonato (o Sporting) ficasse a contar mais um ano sem título, afirmativo?
Dizer que em 2009-2010 já não havia o leal do dono, mas havia o indescritível Ricardo a enviar para férias forçadas os melhores jogadores do Porto e o sempre pronto a ajudar Lucílio podes marcar o golo do campeonato com um fora de jogo de metros que eu não me importo e, claro, o Ferreira, o eleito, para o desse e viesse, não está de acordo com a nova (sua) cartilha, pois não?
Ter dificuldade em escolher, entre almeidas e capelas, o MVP do benfica nesta época de tamanhas façanhas, não é admissível, pois não?
Dizer que o Petit não foi o primeiro nem o último jogador do benfica que cuspiu na cara de um árbitro (no caso o amigo Ferreira) e não foi sequer expulso, deve ser sacrilégio, certo?
Não ficar calado perante a avassaladora máquina de propaganda que faz com que todas as vieríces sejam branqueadas é ter memória seletiva, certo?
Que engraçado é ler benfiquistas que dão ares de independência...

João disse...

A questão é essa, dos 50 metros sprint para cá eu já vi o Petit encostar a cabeça a um árbitro e o Luisão a mandar outro para o Hospital. Assim de repente, se é um demonstrativo do zeitgeist arbitral, então...

Bacalhau_com_belgas disse...

Caro MBC. Alguém falou em ficar calado? Alguém disse que o Porto nunca teve razão de queixa? O meu ponto continua a ser o mesmo: quem está por baixo queixa-se, quem está por cima está convicto que as suas vitórias se devem unica e exclusivamente a mérito próprio. E é cíclico, com períodos mais ou menos variáveis e amplitudes de exaltacão e frustracão directamente proporcionais respectivamente aos anos de espera por um título ou aos anos de vitórias consecutivas. E a danca das cadeiras segue ano após ano. Podem continuar a enumerar episódios um atrás dos outros num misto de catarse e descarga biliar. Eu também teria os meus, muitos, e que muito me custaram. Estaríamos aqui toda a noite e nem por isso mais aliviados. Eu já aqui deixei, só neste tópico, mostras mais do que suficientes de que não tenho o meu clube (ou melhor, as pessoas que o gerem) como acima de qualquer crítica. Como se é preso por ter cão, e preso por não ter, aparentemente isso é interpretado como "pretensa honestidade" ou "ares de independência". Está certo... O que não vi ainda (sinceramente, não vi mesmo) e estará para vir o dia em que vou ver, é um adepto portista (e tenho vários amigos que o são) alguma vez criticar abertamente o seu presidente, e as suas mais do que documentadas ligacões perigosas com árbitros, dirigentes, "empresários" (do futebol e da noite), juizes, e o que mais por aí ficou documentado. Não me refiro apenas às tão badaladas escutas, porque há anos que só não vê quem não quer. Mas isso pouco importa porque se ganha. E o maior cego é mesmo o que não quer ver. Ou porque a propaganda lisboeta manipula e inventa, ou porque as escutas foram selectivas, ou porque os outros fazem igual, ou porque "isto é mesmo assim", ou porque o centralismo assim obriga, ou o que mais for redigido na torre das Antas e reverberado nos orgaos oficiais e oficiosos do clube (a blogosfera portista, com raras excepcões como este espaco, tem tido um notável papel a este nível). Caro MBC, haverá muitos (principalmente aqui, num forum portista, como é natural) que aplaudem o que escreveu. Eu não aplaudo mas agradeco. É que só reforcou o que tenho vindo a escrever. Mas se fazer uma lista de episódios parcial e criteriosamente selecionada o faz sentir melhor, se lhe dá um alvo, um propósito e uma forma encapsulada e bem definida de exorcizar as mágoas, faca o favor! É pena é que enquanto dos dois lados da barricada quem tenta manifestar alguma isencão seja o "engracado" e dê "ares de independência", e imperar antes o jogo do empurra e os exercícios de catarse vazios de utilidade, continuaremos assim, anos após ano após ano, enquanto o problema se perpetua. E não me estou a referir exclusivamente a si, e nem sequer exclusivamente aos adeptos portistas. Mas é chover no molhado, e não vou insistir no assunto. Deixo respeitosamente nesta matéria este espaco aos portistas porque é primordialmente a eles que está reservado. E nesse contexto, nesta altura do campeonato, as paixões estão ao alto e importa "ventilar" entre companheiros de bancada.

Nightwish disse...

"Ou porque a propaganda lisboeta manipula e inventa (...)"

Ou porque temos olhos na cara quando vemos jogos de futebol e nada das teorias de conspiração dos pasquins se revela no relvado, muito pelo contrário.

Anónimo disse...

Caríssimo José Correia,

Não sei se é problema da sua memoria seletiva, ou apenas porque quer agradar a maior parte dos visitantes deste blog, mas um pouco de imparcialidade, honestidade e coerência não lhe faziam mal nenhum.

O Capela que tanto se fala foi o mesmo que nos levou à final da taça da liga, ou das 72h como dizem os galináceos.

"A arbitragem de João Capela fica manchada pelo penálti mal assinalado a favor do FC Porto, ao marcar falta inexistente de Nélson Pedroso sobre Sebá."

Cumprimentos,
Paulo Correia