segunda-feira, 29 de abril de 2013

Só há uma bola

Vítor Pereira e a equipa do FC Porto têm sido criticados, incluindo por muitos adeptos portistas, devido ao modelo de jogo que a equipa adopta.

Uma das críticas é que a elevada posse de bola é inconsequente. Penso que não é bem assim e, de alguma maneira, os números demonstram-no.

(fonte: jornal O JOGO)

Por exemplo, se olharmos para o último jogo, em que o FC Porto teve uma posse de bola de 77% (na primeira parte chegou a ser de 82%!), verificamos que essa posse de bola se traduziu nos seguintes indicadores ofensivos:
- 53 ataques
- 15 remates
- 10 cantos
- 2 golos

E, revendo o filme do jogo, constata-se que, para além dos golos, o FC Porto criou mais seis situações de golo iminente, contra apenas uma oportunidade de golo do Vitória Setúbal em todo o desafio.

(fonte: jornal O JOGO)

Penso que não é por acaso, e muito menos por favores da arbitragem, que o FC Porto está há tantos jogos sem perder para o campeonato português. É que, como dizia José Maria Pedroto, só há uma bola e se for nossa a outra equipa tem mais dificuldades em atacar.

36 comentários:

Petrov12 disse...

Finalmente um post no mundo blogger portista que não diz mal, nem critica o treinador, nem faz da nossa época o fim do mundo. Os parabéns por isso. Realmente, não é à toa que em quase 3 campeonatos, em 87 jogos, só temos uma derrota. A somar aos 10 últimos de 2009/2010, dá 97, sendo este treinador, o mauzão e o «culpado», responsável por 56 desses jogos.

Nightwish disse...

Entre o que disse Pedroto e os dias de hoje vão 30 anos de evolução táctica.
Mas também não acho que o FCP jogue mal ou perto disso, se tivessemos artistas um tudo ou nada melhores e os últimos passes fossem mais vezes certeiros muitas vezes era só encostar a bola, porque o espaço para o remate já lá está.
Era também conveniente que se marcassem as faltas sem bola perto da área...

João disse...

Conclusão, 77% de posse de bola, 53 (!) ataques, 2 golos e 7 situações de perigo (falta aí o lance em que o Jackson amortece de peito e o Atsu reencaminha para a VCI).. das quais nenhuma, NENHUMA é um lance colectivo, uma jogada estudada, algo que não seja uma abébia monumental do Kieszek ou uma finta careca do Varela.

Nada, zero, nem uma única para amostra.

O Setúbal quer lá saber da bola. E, para passarmos o jogo sem saber o que fazer com ela, what's the point? Que o VP descobriu que consegue manter a posse de bola durante muito tempo, já todos percebemos há muito. Também já se foi percebendo que não sabe/trabalha o que há-de fazer com ela. Para isso, mais vale darem a bola aos outros desgraçados, ao menos assim pode ser que saiam da toca.

PS: O Setúbal teve, pelo menos, duas das melhores oportunidades do jogo. O Setúbal. Sem sequer se cansarem muito.

PPS: As exibições do James já nem são miseráveis. Chega a um nível em que eu, palavra de honra, sinto vergonha alheia daquele gajo. E o Atsu é que senta? Não, tem lógica, é isso.

Hugo disse...

Nao deixem passar as declaracoes do guardanapo

Ruca disse...

Se o Vitor Pereira soubesse comunicar...se mostrasse que é capaz de motivar os jogadores, se mostrasse que tem sempre - para cada jogo - planos alternativos para tentar chegar à vitória...até defendia a renovação. O problema é que parece treinar bem, mas a quando é para competir...o Porto anda em piloto automático.
Million dollar question: Há melhor por aí?

José Rodrigues disse...

Bem, de um ponto de vista defensivo estou farto de dizer q a grande posse de bola ajuda bastante, nisso nao é nada inconsequente.

Mas no meu caso (e penso q de quase todos os adeptos q usam a expressão) o "inconsequente" diz respeito à produção ofensiva (oportunidades de golo criadas).

Nao foi o caso contra o Setúbal? Ok, mas desde quando é q uma andorinha sozinha faz a Primavera?

Anónimo disse...

O atual modelo de jogo da equipa não é mau. Permite a equipa controlar o jogo e dar menos hipoteses á equipa adversária de criar perigo. O que se critica é que com tanta posse de bola, apesar do setubal ter jogado atrás fechado, o FCP acabe por ter jogos como este em que acaba com apenas 15 remates á baliza. Tem que se melhorar nisso e na marcação de penalties.

José Correia disse...

2 golos e 7 situações de perigo (falta aí o lance em que o Jackson amortece de peito e o Atsu reencaminha para a VCI).. das quais nenhuma, NENHUMA é um lance colectivo

O que é (seria) para si um lance coletivo?

José Correia disse...

O Setúbal teve, pelo menos, duas das melhores oportunidades do jogo

Tirando o lance aos 24 minutos, em que o jogador do Vitória Setúbal remata de fora da área, tendo o Otamendi à sua frente, qual foi a outra oportunidade de que o Setúbal dispôs?

José Correia disse...

o Atsu é que senta? Não, tem lógica, é isso

Não tem lógica?
O Atsu foi considerado pelo O JOGO, A BOLA e o DN (os únicos três jornais que li), o pior jogador do FC Porto neste jogo.

João disse...

O José sabe muitíssimo bem que ter sido ele a levar com o cepo é logo meio caminho andado para isso, até podia ter sido o Obama, o Zuckerberg e a Oprah a considerarem, o facto é que o pouco que fez foi BEM menos embaraçoso que o muito que o James tentou fazer, de onde se tira uma assistência e o record mundial simultâneo de passes falhados, falhas de posicionamento e estorvanço. Ah e o penalty mais denunciado da história do futebol actual. Isto em relação ao Atsu e James.

Fiquei com a nítida ideia que o Setúbal teve outro lance de perigo, agora não lhe sei precisar em que circunstâncias e até posso estar enganado. O "remate ao lado" foi bem mais do nós fizemos na generalidade desses lances de perigo eminente, de qualquer forma.

Em relação a lances colectivos, posso dizer-lhe o que NÃO considero - abébias do Kieszek, as fintas carecas do Varela, ressaltos, penaltys, cantos.. limita logo à quase nulidade essa lista. Que já de si, convenhamos.. em 53 ataques ter 8 lances de perigo em que metade são fífias do Guarda-Redes e/ou defesas, penaltys e cantos é muito longe de satisfatório sequer.

Já chega, não há cansaço, desmotivação ou balneário que justifique tão poucas omoletes com tanto ovo. O plantel tem lacunas, já o disse aqui várias vezes. Mas não é no 11 titular e este 11 não joga à bola nem com uma arma apontada à testa.

Se for preciso ir buscar o Bielsa ao aeroporto, avisem.

João disse...

Não foi o caso contra o Setúbal? Mais uma vez, metade daqueles lances que ali estão são paragens cerebrais do Kieszek e bolas paradas. Já fizemos pior, não invalida que tenha sido miserável.

João disse...

Eu acho sempre estranho que as equipas inventem o jogar fechado contra o Porto. Nunca ninguém se lembra de "jogar fechado" contra o milhafre ou (devias distâncias) um Real, Barcelona, Bayern.. Chegam ao intervalo já estão a comer 4 batatas se for preciso. Depois contra o Porto vemo-nos sempre aflitos porque eles "fecham".

Oh gente.. Fechados jogam eles sempre, porra, é o Setúbal!

Carrela disse...

Parabéns pelo artigo! Totalmente de acordo com o ponto de vista!
Se há coisa que me custa ver, é a forma como VP tem sido tratado (mal e injustamente na minha opinião) por uma maioria de Portistas.

2 anos e APENAS 1 derrota, numa das arbitragens mais vergonhosas (Gil) que não justifica tudo mas ajuda...

Bluesky disse...

Ser ou não ser... eis a questão! E neste caso é ser ou não ser pelo sistema tactico do FC PORTO, ou mais concretamente de Vitor Pereira...
Os que são a favor escolhem a performance de resultados e a posse de bola. Os que são contra indignam-se com a falta de garra e de golos...
Na minha opinião VP é um excelente teórico, mas falta-lhe o "killer instinct" que não são só os pontas-de-lança que devem ter...
Um gajo quando tem um Ferrari de certeza absoluta que não vai passar os dias da sua vida a respeitar o limite de velocidade, carago!!!!
Há que assumir riscos, inverter posições tomadas durante os jogos, quando estes correm mal, e VP nisso é bastante conservador...
Mas já agora, tambem não vejo em Portugal tecnico que seja melhor que Vitor Pereira, e essa é a minha verdade!!!!
Se mudarem, que seja por um estrangeiro de qualidade (Pellegrini, Klopp, Guardiola, Benitez... e esses nomes por aí fora), porque não é o Domingos ou o Jardim que vão ser melhores!

Anónimo disse...

José e isso serviu para quê na Taça da Liga ? E na Taça de Portugal ? E na Champions ? E ainda no Campeonato ?

Anónimo disse...

O Petrov há-de me dizer que blogs do Porto lê habitualmente. Eu não conheço um único onde VP seja criticado.

Duarte disse...

Vítor Pereira é este ano "vítima" das desculpas do ano passado, nas quais ele próprio se refugiou e que, na maioria dos casos, não faziam o menor sentido.

Duarte disse...

Em relação ao post, o adversário era o Setúbal, certo? O que é suposto exaltar e/ou provar num jogo em que vencemos por 2-0 o Setúbal no Dragão?

Anónimo disse...

VP é competentíssimo, infelizmente 90% dos nossos adeptos mal sabe o que é uma bola de futebol, quanto mais o jogo em si.
Vamos ter muitas saudades dele para o ano, escrevam o que eu digo.

Alto Minho disse...

Off-topic:

Está entregue o campeonato da VERDADE DESPORTIVA...

Não será o Moreirense a protagonizar surpresas em pleno ninho das víboras, e muito menos - pois é tudo farinha do mesmo saco -, o Estoril/gate.

O verão promete ser festivo nas hostes do clube do regime, com imensos prémios a distribuir pelos inefáveis... súbitos.
Ementa à base de alfacinhas...e leite em pó...

Há quem faça do desporto (etc) uma vivência de prazer, paixão, ética e sentimental.
Outros há que, trilhando caminhos sinuosos, proclamam "aos sete ventos" valores desconhecidos e restritivos...à sua própria vivência.
Infelizmente - para desgraça deste pobre Portugal -, estes últimos têm adeptos/simpatizantes/aderentes em todas as "latitudes", fazendo as "coisas por outro lado"...

Duarte disse...

Ora aí está um comentário com substância. Eu só gostava de saber porque é que o povo português tem sempre tanto medo da mudança e assume uma visão catastrofista quando ela ocorre...

RBN disse...

É preciso ter a bola e mete-la lá dentro.

E é por causa disto que estamos onde estamos, não colocamos a bola lá dentro em 2 penaltys que custaram 4 pontos, e pelo andor da carruagem, vão custar o campeonato.

Junte-se a isto a sorte tremenda que os encornados tiveram durante a época inteira até aqui:
1)não tiveram lesionados graves
2)tiveram mais bolas nos postes esta época do que a última década inteira
3)qualquer labrego que entra no lugar do habitual titular tem dado conta do recado
4)tem tido a sorte do jogo, ao marcarem em momentos chave e matarem de vez o adversário
e 5)ninguém baixou de forma durante a época

Junte-se a isto penaltys fantasmas salvadores ao cair do pano, expulsões de jogadores do próximo adversário, jogar contra 10 metade do campeonato, branqueamento da imprensa aos beneficios, andor no seu esplendor, enfim tudo contra nós esta época.

Junte-se a isto o curtíssimo plantel que temos, cheio de lesões devido a isto mesmo, ser muito curto e o jogador joga todos os jogos no limite e aí, o músculo dá o estoiro. E não há substitutos à altura para os habituais titulares, caso se lesionem ou peguem gancho.

Junte-se a isto a dispensa de jogadores do calibre de Rolando e Fucile, que tanto dariam jeito agora e nas piores fases, pela categoria, experiencia e maneira de estar à Porto.

Junte-se a isto a todo e qualquer guarda-redes quando joga contra o FCP, faz a exibição da sua vida.

Tudo junto explica muita coisa, quase tudo, mas a realidade dos factos é que, não adianta ter posse de bola igual ao Barcelona, nos 70, 75 e até 80% se não colocarmos a dita cuja no fundo da rede.E dois penaltys falhados vão fazer toda a diferença, embora no futebol não há impossíveis, e enquanto for matematicamente possivel, temos de acreditar.

Mas duvido muito que DEIXEM que estoril ou moreirense sequer consigam empatar no pré-fabricado da lucy.Não deixarão, mesmo que o estoril faça a mesma exibição que fez contra o braga.E tenho pra mim que o tal steven vitória vai lesionar-se sozinho ou sentir "mal súbito à djaniny" no treino esta semana e não vai enfrentar os encornados.

Só não quero que apareça no Dragão outro césar brito, nem que devolvam a gentileza que fizemos no pré-fabricado 2 anos atrás, que gerou luz apagada e regas.

Anónimo disse...

Se o VP conseguiu melhorar o rendimento desportivo do FCP uma vez, isto é, se ele conseguiu melhorar as estatísticas, resultados e exibições de uma época para a outra, então é de admitir a hipótese de ele conseguir melhorar uma segunda vez! E se o objectivo do FCP é o de melhorar o rendimento desportivo da sua equipa na próxima época, então a continuidade do VP tem, pelo menos, de ser tida em conta!

Anónimo disse...

O Duarte é dos que já provou que de futebol percebe zero. Para o ano cá estaremos para ver o Duarte e o João de mãozinha dada a pedir mais um treinador.

Anónimo disse...

Temos a melhor defesa do campeonato, precisavamos do Rolando para quê? Para ter a pior?
As nossas lacunas são lá à frente.

José Rodrigues disse...

Se o pessoal usa o argumento de um plantel curto para desculpar o VP, cheira-me q ainda mais a vao usar (infelizmente) na proxima epoca... e' q andamos com as contas muito apertadas e, salvo alguns coelhos tirados da cartola, a saida (venda) de 2 ou 3 joias da coroa no Verao nao vao ser colmatadas com substitutos ao mesmo nivel por haver pouco carcanhol. A unica excepcao sera no q diz respeito a central (se Mangala for vendido), mas nao e' a central q temos mais problemas no plantel, longe disso.

Junte-se a isso ja' agora um Lucho em trajectoria descendente (este nao sai de certeza): se ja' agora falta-lhe o pulmao e lucidez de antigamente, 'a medida q tempo passa vai ser cada vez pior.

Quanto a VP, acho q tem feito um trabalho q.b. mas 1) nao me parece q isso seja suficiente para atingir os objectivos na px epoca e 2) duvido q ele tenha capacidade para melhorar o seu proprio desempenho, acho q atingiu o seu plateau de performance.

Ou seja, concluindo: mesmo nao sendo o fim do mundo se ele continuar, penso q se arranja melhor no mercado e mesmo havendo risco, sera' a melhor opcao a tomar.

José Rodrigues disse...

Esta' mais ou menos tudo dito.

VP fez uma epoca bem jeitosa, olhando para os numeros: pontos conquistados (campeonato e LC), golos marcados, golos sofridos. No entanto os numeros escondem 2 coisas:

1) o campeonato portugues esta' este ano mais fraco do q em epocas anteriores, a diferenca entre FCP/slb e os restantes aumentou (ainda mais). Alias, em epocas passadas tinhamos pelo menos um Braga e SCP a dar alguma luta e tirando pontos a FCP/slb, mas estes dois quebraram sem q os restantes tenham aumentado a sua qualidade (longe disso). Alem disso tambem os "pequenos" dao menos luta em campo do q ha' alguns anos atras. Alias, a prova disso vai ser quando olharmos para o (antecipo ja') muito fraco desempenho na Europa na px epoca de todas as equipas com excepcao de FCP e slb.

2) a media dos numeros esconde grandes oscilacoes de forma. A meu ver, o FCP teve muitos mais jogos com um desempenho deficiente (a nivel ofensivo; ao nivel defensivo nao tenho nada a apontar) do q me parece admissivel. Alguns desses jogos ganhou na mesma apesar disso, outros nao.

E nao e' com o exemplo de um unico jogo q vamos tapar o facto de q tivemos um numero bem consideravel de jogos em q uma grande posse de bola traduziu-se em pouquissimas oportunidades de golo criadas. Nao e' uma questao de fraco aproveitamento das oportunidades de golo (alias, acho q se calhar ate' temos estado melhor nisso do q na media da ultima decada), mas sim de criar muito poucas boas oportunidades (e repito, nao sempre claro mas num numero bem consideravel de jogos, para alem do q seria expectavel).

José Rodrigues disse...

Este ultimo comentario do anonimo e' daqueles q traz imenso valor acrescentado 'a discussao...

Sim, vamos la' falar do anonimo, do Duarte, do Joao, do Ze' da Esquina e do Quim do talho, em vez de falarmos das suas opinioes especificas ou do FCP num ambito mais alargado. Podia-se ja' agora fazer um concurso a ver quem tem a maior pilinha, para entreter o pessoal.

Enfim.

Miguel Lourenço Pereira disse...

O Real Madrid e o Barcelona tiveram mais posse de bola que o Bayern e o Dortmund e foram goleados. A posse de bola é, como dizia o Mestre, a melhor forma para não perder. Mas não é necessariamente a melhor forma para ganhar. Podemos ter a bola mas se formos inconsequentes com ela, qualquer rival, com duas ou três oportunidades pontuais, pode marcar. Foi o que passou nos nossos 5 empates. Falta de eficácia colectiva no ataque e eficácia ofensiva nas poucas oportunidades que os rivais tiveram.

Anónimo disse...

Grande artigo de opinião do MSTAVARES.

Anónimo disse...

Bem, parece que a discussão típica no FCP era ao fim de dois anos de treinador, se ele for um vencedor se continua ou não. Com este treinador que só ganhou 1 campeonato em tantas coisas possiveis, só haverá duvidas se todos estiverem a ficar demasiadamente acomodados do género afinal ficar em 2o nem é mau. Quanto ao FCP ter jogado bem contra o Setúbal não fez mais que a sua obrigação tendo em conta os orçamentos anuais. Não é por ganhar este tipo de jogos que o VP demonstra nada.

Duarte disse...

O anónimo, infelizmente, não teve a oportunidade de provar absolutamente nada porque não passa disso mesmo: de um anónimo entre muitos outros. De um anónimo que se calhar não passa de mais um benfiquista disfarçado.

Mas como diz o José Rodrigues, o que importa é discutir o FCP.

Hulk disse...

REPITO: Não podemos baixar ao nível deles. Temos de ser superiores. Temos de olhar para a estrutura e ver o que está mal. Não é por causa dos penalties falhados, mas NÃO PODIAMOS TER EMPATADO COM O OLHANENSE... Eles com 2 pontos apenas de vantagem, borravam-se todos com a vinda a norte, e já tinham perdido mais pontos!!!! Assim, de tudo fizeram para manter os 4, e tirar a pressão desse jogo!!!! E não empatamos com o Olhanense por causa do penalty. Era jogo de goleada pois foi a parte da época em que todos eram cilindrados, e eles tinham acabado de perder pontos no Nacional. INCRIVEL... SP

Ruca disse...

Quando ele não começa a divagar nas questões tácticas e a errar no nome, idade e posição dos jogadores, com aquela postura "do contra", escreve crónicas bem acertadas. Esta, de facto, é de espetar na focinheira dos hipócritas da Luz.

Anónimo disse...

Já há uns dias que não participava aqui neste espaço de reflexão Portista, por duas das seguintes razões; falta de oportunidade, mas acima de tudo, porque mais parecia um espaço de reflexão Benfiquista! Tantos eram os temas lançados á discussão que tinham como principal ponto, o Benfica.

Ontem, por aqui passei e vi que o tema lançado era por fim um tema típico de reflexão portista, mas acabei por não comentar. É que já nem consigo ver o homem, muito menos ouvir o seu discurso patético. Estou farto da figurinha e só quero que acabe a época para o ver de porta fora. E por isso, arrisco-me a ser injusto e/ou desagradável para este simples assalariado da FCP Sad.

Na minha humilde opinião, Vítor Pereira, nunca deveria ter sido o escolhido para treinador principal do FC Porto, logo nunca teria sido um tema tão frequente de reflexão portista e na “Reflexão Portista”. Infelizmente, e passadas quase duas épocas como treinador principal e com um titulo de campeão nacional no curriculum e que ainda onde pode vir a juntar um segundo, pois nada é impossível, como se constatou na época passada; Vítor Pereira só serve mesmo para acirrar uns poucos portistas contra uma grande maioria de portistas e afastar os adeptos do estádio do Dragão; tão miseráveis são na maioria as exibições da equipa do FCP nestas duas últimas épocas. Demonstração que uma coisa é, números e estatísticas, e outra bem diferente é a qualidade exibicionais evidenciadas e apreciadas pela maioria da massa adepta portista.

Para concluir e reforçar o que escrevo; transcrevo na íntegra o comentário do Petrov12 de 29 de Abril de 2013 à0 14:10:

“Finalmente um post no mundo blogger portista que não diz mal, nem critica o treinador, nem faz da nossa época o fim do mundo. Os parabéns por isso. Realmente, não é à toa que em quase 3 campeonatos, em 87 jogos, só temos uma derrota. A somar aos 10 últimos de 2009/2010, dá 97, sendo este treinador, o mauzão e o «culpado», responsável por 56 desses jogos.”

E acrescento a seguinte pergunta a todos os portistas; e durante esses 56 jogos, mais os outros que foram para as outras competições; quantos desses jogos a equipa fez realmente uma exibição á PORTO, que nos deixasse a todos nós Portistas, verdadeiramente convencidos da qualidade da equipa e do treinador? Quantos?

Saudações Portistas, que bem podem ser confundidas com a saudade de ver jogar uma equipa á PORTO.