terça-feira, 21 de maio de 2013

A festa do “clube regional”

Um “FC Porto em fim de ciclo”, com uma “estrutura dirigente caduca” e um “treinador incompetente”, selou a conquista do sétimo campeonato dos últimos oito anos. Nada mau…

Mas, o que me deixou mais surpreendido, foi ver e ler as notícias da festa portista de norte a sul do país, passando pelas ilhas e pelos países da diáspora portuguesa.

Então não é verdade que só há meia-dúzia de portistas, concentrados no Porto e arredores?

«Em Cabo Verde, a vitória foi festejada um pouco por todo o arquipélago, mas a festa rija decorreu na Terra Branca, “feudo” dos “dragões” da capital do país. Ao som da “Pronúncia do Norte”, “We Are The Champions”, dos Queen, e do hino oficial dos portistas, saídos de potentes altifalantes, a rotunda da Terra Branca, que liga a estrada para a Cidade Velha e a Achada de Santo António, entupiu com dezenas de automóveis, que buzinavam, e de adeptos, que apitavam, cantavam e dançavam.»

(Festa em Lisboa, 19-05-2013)

«A Casa do Futebol Clube do Porto, em Luanda, foi domingo pequena para receber as dezenas de sócios e adeptos dos “dragões” (…) Criada oficialmente em 1999, a Casa dos Dragões em Angola começou a encher-se muito antes da hora do jogo com o Paços de Ferreira e ninguém escondia a confiança na revalidação do título. (…)
Vamos ser campeões, de certeza”, disse o presidente da direção da Casa, Agostinho Rocha, sócio desde 1976, empresário luso-angolano nascido em Luanda, popularmente conhecido por Rochinha. Entre os assistentes, o provedor de Justiça de Angola, Paulo Tjipilica, vice-presidente da Assembleia Geral da Casa do FC Porto, sócio dos dragões desde o tempo em que viveu em Lisboa. (…)
Dos três “grandes” do futebol português, o FC Porto é o único com representação em Angola, com a Casa do FC Porto, e os títulos ganhos nos últimos anos começam a ter correspondência nas preferências clubísticas, ameaçando numericamente o Benfica, ainda o mais popular no país, enquanto o Sporting é também em Angola o terceiro na lista das preferências.»

(Festa em Viseu, 19-05-2013)

«Centenas de adeptos do FC Porto festejaram no domingo, brevemente, a conquista do campeonato português de futebol, nas ruas de Maputo, onde, antes, a maior circulação de símbolos vermelhos do Benfica parecia justificar a sua toponímia revolucionária.»

(Festa em Braga, 19-05-2013)

«No Canadá, os festejos do 27.º título de campeão nacional do F. C. Porto foram sentidos em Toronto, a cidade canadiana onde existe maior número de portugueses e de luso-descendentes, principalmente em zonas comerciais. Antes do início dos encontros do Porto com o Paços de Ferreira e do Benfica com o Moreirense, era possível encontrar-se adeptos de ambos os clubes, equipados a rigor, nas ruas da cidade, como a Dundas, a College e a Rogerse St. Clair, onde os bares começavam a ficar lotados. (…) Num estabelecimento, que se encontrava praticamente cheio de adeptos tanto do FC Porto como do Benfica (…). Os portistas, que estavam em maior número, cantaram efusivamente “O Porto é campeão”, assim que terminou o jogo.»

(Festa no Funchal, 19-05-2013)

«Em Londres, a conquista da Liga pelo Porto foi celebrada com gritos e aplausos no café Estrela, em Stockwell, um dos locais mais populares para o acompanhamento de jogos de futebol, e com buzinadelas na South Lambeth Road.
Este foi um dos melhores campeonatos de sempre”, exclamou, num português irrepreensível, Jaz Izzouguene, um argelino portista, com uma camisola do clube azul e branco vestida, adepto do Futebol Clube do Porto “desde os anos 80, do tempo do Madjer”»

(Festa em Coimbra, 19-05-2013)

«Em Bruxelas, os adeptos do F. C. Porto fizeram-se ouvir, durante alguns minutos, no bairro de Flagey, onde residem muitos emigrantes portugueses, celebrando a conquista do campeonato com buzinadelas, junto a cafés de origem nacional.»

(Festa em Bruxelas, 19-05-2013)

Fonte: Agência Lusa

28 comentários:

reine margot disse...

Para falar a verdade é muito emocionante que se festeje assim pelo mundo fora... e em pt também. Mas, sinceramente gosto de ser da província... dá-me um certo conforto não ser grande em números, apenas na alma!... começam a aparecer tantos que só o são porque é o clube é campeão, que começo a ter medo...
Espero que o clube não se desoriente e não tenha uma ambição desmesurada de crescimento... que sejam portistas é ótimo, todos, mesmo os que só o são porque ganhámos mais que os outros, mas que saibam que isto não é um clube para esterismos e diareias...isto é um clube do rigor, de trabalho e dedicação, um clube de amor à camisola...

Anónimo disse...

Vai ao facebook perfil dos SD Bruxelas que tens lá imagens da festa que foi em Bruxelas

Sérginho disse...

O meu conceito de FCPorto passa por ser sempre um clube regional, um clube da sua região, um clube que tem na sua matriz a força de uma povo que vem da força do granito... Gosto de dizer que o meu clube é um clube regional com implantação internacional. Se algum dia chegarmos a ser um "clube nacional", perdemos toda a nossa força. Porque também não acredito que existam clubes verdadeiramente nacionais, nem as selecções o são!

José Rodrigues disse...

E' obvio que temos adeptos um pouco por todo o lado e q ha' decadas q deixámos de ser um clube regional. Essa boca que às vezes se vê nem merecia resposta de tão ridícula que é.

Isso não invalida q constate sem complexos q o slb tem consideravelmente mais adeptos do que nós no estrangeiro e fora da grande Lisboa: uma «herança» do passado e dos anos 60 e 70 em particular.

Mas sinceramente é para o lado que durmo melhor, para mim isto está muitíssimo longe de ser uma obsessão (ao contrario do slb, coitados, já q o CV das ultimas decadas é fraco, a alguma coisa têm q se agarrar - como o mito dos 6 milhoes ou a historia do tempo da TV a preto-e-branco). Mais do q a quantidade (a partir do momento q se tem uma massa critica, q temos de longe), interessa-me a qualidade.

No entanto constato com satisfacao q a implantacao do FCP no sul do país e nas ex-colónias tem vindo palautinamente a aumentar, em alguns casos de forma muito rápida. Nao faltam exemplos soltos q apoiam a sondagem q diz q o FCP é quem tem mais adeptos entre a geração sub30, por exemplo.

É evidente q o maior factor para este ganho de adeptos é o CV das últimas 3 décadas (tal como foi o maior factor a favor do slb nos anos 60 e 70, ainda q houvesse outros). Ora eu espero bem q isto nao se traduza numa «lampionização» relativa e gradual da massa de adeptos, i.e: bazófias, tendências para o 8 ou 80 (oscilação fácil entre sermos «os maiores do mundo e arredores» e sermos «uma merda»), desleixo, acomodação, impaciência, etc.

José Rodrigues disse...

Ainda sobre o impacto desta expansao de adeptos (em q os do Grande Porto comecam a ser uma maioria menos vincada no universo total, mesmo continuando a ser uma maioria por agora), o q eu acho:

1) há uma identificação muito forte entre o FCP e a cidade do Porto e o Norte, e não vejo razão para que seja descartada porque isso não é incompatível: somos e continuaremos a ser um baluarte do Porto e do Norte. Também um Barcelona é assim (ou um Bayern, ou um Liverpool) e não por aí q não continua a granjear adeptos pelo mundo fora, sendo aliás dos clubes com mais adeptos no mundo.

2) No entanto os portistas do Norte devem ter noção dessa expansão e adoptar portanto algum comedimento, e portanto devem evitar antagonizar adeptos de outras areas trazendo insultos geograficos à baila.

Em particular, refiro-me por exemplo na referência aos «mouros», q como se sabe (embora haja quem seja extremamente ignorante nisto, pelos vistos) é uma referência para o sul em geral (e Lisboa em particular) e não futebolística - e pode fazer com q os portistas de Lisboa (e do Sul em geral) se sintam insultados, e com razão.

O mesmo se aplica por exemplo ao cântico «Lisboa a arder».

PS - diga-se de passagem q há bastante gente q nos últimos anos mistura alhos com bogalhos, usando «mouro» quando se refere a lampiões, e usando «tripeiro» quando se refere a portistas. Isso diz muito do (baixo) nível de cultura geral dos portugueses... é q há «mouros» q são portistas, e há «tripeiros» q são lampiões.

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...


é um orgulho enorme ser portista e ser adepto de um «clube regional»
(antes «regional» e vencedor do que «glorioso» e ser o que (não) é)

Gonçalo R. disse...

Bom dia Campeões,

Daqui escreve um Portista que tem 30 anos de idade e que é portista desde que me lembro e que sente o F.C.Porto com muita intensidade na vida, no dia a dia. Não tive que crescer na cidade do Porto, nem tão pouco ter familiares Portistas para escolher o clube que quis e entender a sua alma e entender o que é o F.C.Porto como clube e o seu peso como clube do Norte e particularmente da Região do Douro.

Vou muitas vezes ao Estádio do Dragão e já fui ao Estrangeiro acompanhar jogos e isso não faz de mim um Portista diferente daquele que nasceu na cidade do Porto, porque independentemente de onde nascemos é preciso entender a identidade do Clube e sentir o Clube. Não é quem nasce no Porto que é melhor Portista, certamente.

No entanto, deixem-me somente reforçar um facto. Tanta vitória terá uma consequêbcia e essa não há como a parar - o crescimento do número de adeptos. Eu noto isso ano após ano e certamente se irá sentir muito mais daqui a dez ou vinte anos se este rolo compressor de êxitos se mantiver. Eu espero que sim, porque isso não tirará qualidade ao Clube, dar-lhe-á outras possibilidades. Quem gere o Clube é que terá de manter a estrutura e mentalidade que nos define e diferencia dos outros. Essa mentalidade que é fortemente influenciada pelo região e por aquilo que o clube é, inserido nela.

Portanto somos todos do F.C.Porto! E não queiram nunca comparar quem sofre mais e quem sente mais o clube. A Cidade do Porto por coincidência é a cidade que mais gosto do País, mas mesmo que não fosse não iria influenciar nada aquilo que sinto pelo Clube e o quanto me identifico com aquilo que é.

Acho injusto ler aquilo que escrevem, porque isso é colocar de lado milhares e milhares de pessoas que sofrem pelo Clube e que não escolheram onde nasceram. Pelo menos diferenciá-las!

Cumprimentos,
Gonçalo R.

Eduardo Nunes disse...

"Então não é verdade que só há meia-dúzia de portistas, concentrados no Porto e arredores?"

Ahhhh!!!.. agora compreendo o motivo da "festa do Melão", que ocorreu na Praça do Marquês desde o dia 15 até dia 19, ter sido um enorme fiasco (contraiu o nosso PIB em 2%...).
Eram tantos melões á venda para meia-dúzia de compradores...

Que o FCP seja sempre regional como tem sido até hoje.
Somos únicos que nem para fotocopiar dá...

Anónimo disse...

Na mesma linha do ponto 2) do José Rodrigues e voltando a um comentário que tinha feito anteriormente sobre « há ignorantes que ainda “querem” acreditar que FCP limita-se ao Norte do País »
De facto há ignorantes não portistas mas também os há portistas. No sul há adeptos portistas que têm familiares do norte e por isso não se sentem atingidos quando "alguns" adeptos do porto identificam o adversário SLB como "mouros". Mas há os que não têm familiares (que serão progressivamente a maioria) e que não devem gostar de ouvir isso. Na minha opinião o adversário actual está bem identificado por isso não há interesse nenhum em criar distrações e seria inteligente os portistas terem isso em consideração, se querem ter campos cheios de adeptos no sul como o SLB tem em partes do norte (e mais apoio na C.S. político etc). Não estamos nos anos 40 em que 300 km era muito longe e por isso ser do FCP tinha grande identificação regional. Mas isso não pode ser táctica passageira, tem de ser sentido. O que eu acho que levará um sulista ser adepto do Porto? Gostar do equipamento, estar do lado de quem ganha, não gostar de ser carneiro, não gostar da macrocefalia de Lisboa, não gostar da basófia SLB, ter desistido do SCP/CFB, etc. O blogue podia fazer uma sondagem sobre este tema.
Acrescentaria agora que óbviamente é mais fácil e mais lógico ser sócio do FCP vivendo na zona do Porto mas quando falamos de adeptos onde vivem é irrelevante. Qual a importância de factores politicos, económicos ou sociais no facto de simpatizar com um clube? Pode ser grande para uma maioria mas não ser para todos. O que quer o clube, "poucos e bons" ou "muitos e possivelmente não tão bons" na perspectiva de tradição clubistica? O que é um clube de futebol? Isto são questões complicadas mas para mim não é (ou não devia ser) por alguém ser portuente que se deve achar portista de 1a e os outros serem de facto os « idiotas úteis », pois corre-se o risco de que os "úteis" podem a qualquer altura achar que não são "idiotas" e virarem o interesse no FCP para outro lado qualquer até porque para eles ser adepto do FCP em minoria é mais dificil. Mas óbviamente isto depende primeiro da estratégia do clube e da sua comunicação e depois das atitudes individuais de cada sócio ou adepto « de origem ». Por exemplo o caso do deputado CAA e a sua brincadeira dos "maghebinos" acabou em polémica e pedido de desculpas ...

José Correia disse...

Obrigado pela informação.

José Correia disse...

No entanto os portistas do Norte devem ter noção dessa expansão e adoptar portanto algum comedimento, e portanto devem evitar antagonizar adeptos de outras areas trazendo insultos geograficos à baila.

100% de acordo.
Não por acaso, eu que nasci, vivo e trabalho no Porto, várias vezes vou ver os jogos do FC Porto com um cachecol que me foi oferecido (e que eu preservo com carinho) dos Dragões de Lisboa.

José Correia disse...

Quem gere o Clube é que terá de manter a estrutura e mentalidade que nos define e diferencia dos outros

Exactamente.
E não ficaria muito surpreendido se, daqui a alguns anos, o sucessor de Pinto da Costa fosse um portista de Vinhais.

Joao Goncalves disse...

Sou do Sul do País (mais concretamente dos arredores de Faro) e garanto que o FC Porto tem crescido imensamente cá.

Ainda sou do tempo e sou relativamente novo (35 anos), em que não se via ou podia sequer, sair com uma camisola do FC Porto nesta região ou do tempo em que "ninguém" afirmava ser do Porto em publico, porque era uma região extremamente hostil às nossas cores.

Hoje em dia, encontro Portistas em tudo o que é sítio e com orgulho de o serem e de o mostrarem.

Não andamos aqui com a camisola oficial no meio da rua porque não nos apetece e não por receio do que quer que seja.

Pedro Polónio disse...

pois... eu sou um mouro portista... que passa a vida a explicar aos colegas de trabalho que não sou "tripeiro", sou portista & lisboeta.
=:-)

Nuno Lopes disse...

Boa tarde.

Deixo aqui um link com fotografias da festa em Viseu, também! http://www.facebook.com/media/set/?set=oa.458606777565102&type=1

Continuem com o bom trabalho.

José Rodrigues disse...

Diga-se de passagem que eu nunca percebi direito porque e' que o epiteto de "mouro" e' visto como tao insultuoso por muita gente q o recebe.

Carago, eu tenho varios grandes amigos que sao mesmo mouros a serio (i.e. marroquinos) e sao gente muito porreira! :-)

A bem dizer, acho q se uma pessoa sentir isso extremamente a peito provavelmente sera' fruto de alguma xenofobia, como se os mouros fossem seres inferiores... carago, se alguem do sul me chamasse de "galego" eu nao me sentia insultado.

PS - atencao q como ja' disse, nao e' epiteto q eu algum dia tenha utilizado ou venha algum dia a utilizar num contexto de futebol (ou desportivo, de forma mais geral). Um portista de Lisboa merece-me 'a partida tanto respeito e consideracao como um de Campanha~ ou da Afurada!

PPS - Outra curiosidade (q se calhar passa ao lado de muita gente no sul) e' q se forem a reparar quando no Norte se usa esse epiteto e' na esmagadora maioria das vezes para com a gente de Lisboa e arredores, mas muito menos para algarvios ou alentejanos.

Ou seja, e' em boa medida um epiteto muitissimo mais anti-centralista/arrogancia ("capital do Imperio" e tal) do q anti-sulista. Alias, aposto q se Lisboa ficase mais a norte de certeza q se tinha arranjado outro epiteto qualquer para os "picar" :-)

José Rodrigues disse...

"E não ficaria muito surpreendido se, daqui a alguns anos, o sucessor de Pinto da Costa fosse um portista de Vinhais."

Eu em principio nem sequer tenho problema q no futuro venhamos mesmo a ter como presidente um portista de Lisboa.

No entanto, so' espero e' q os proximos presidentes nao queiram apagar ou ignorar o ADN do FCP, ignorando e minimizando de forma envergonhada o papel do FCP como baluarte do Porto e regiao Norte - porque isso faz de facto parte do ADN do clube, e de uma forma muito vincada.

Anónimo disse...

Lamento profundamente o teor de alguns comentários deste blogue em relação aos portistas que não vivem no Norte, ou que não têm qualquer relação com essa zona do país. Como portista de Lisboa, apresento as minhas razões:

1. Não há portistas de primeira e de segunda, pelo que confesso que me irrita bastante o paternalismo com que os portistas do Norte nos tratam. Não querem um número muito grande de dragões no Sul para mantermos a identidade de "clube regional"? Felizmente a escolha de ser do FCP ou de qualquer outro clube ainda é livre...

2. Reduzir a paixão por um clube ao número de títulos ou vitórias é uma aberração. Claro que todos preferem ser de um clube vencedor e isso influencia a escolha por um clube, mas não pode servir de argumento para desdenhar o amor pelo Porto;

3. Convido qualquer portista do Norte a ver um jogo do Porto em Lisboa ou, ainda melhor, a festejar um título aqui na "mouraria". Concerteza que os senhores, quando estão sentados no Dragão ou em qualquer outro sítio público, não têm que esconder a vossa camisola. Ou, no metro/autocarro não têm que levar o cachecol debaixo do casaco. E certamente, num dia de festa do título, não têm problemas com grupos de lampiões escondidos e prontos para atacar qualquer cidadão azul-e-branco. Ora, esta é a realidade em Lisboa!

4. Por último, gostava que sentissem a experiência de ouvir, todos os dias, comentários sobre a "fruta" ou que os títulos do Porto são todos obra e graça dos árbitros (portugueses e estrangeiros). Isto para além de todo o tipo de teorias sobre as vitórias do nosso clube, seja qual for o jogo, que logicamente nunca incluem a palavra "mérito".

Com este texto quero só expressar o meu desagrado neste espaço de debate com alguns adeptos do meu clube que, infelizmente, ainda não se aperceberam da realidade. Mais: que pensam que viver no Norte faz deles mais portistas que os outros. É um erro grave, o nosso clube é demasiado grande para esse tipo de ideias. Pela minha parte, continuarei a defender o nosso Porto que, nos últimos tempos, é mesmo uma batalha diária. Um exemplo disso: http://www.abola.pt/galerias/detalhe.aspx?f=9&id=403043&#ad-image-9

Com os melhores cumprimentos,
Manuel Rocha

Anónimo disse...

Por Leiria também se festejou http://www.regiaodeleiria.pt/blog/2013/05/19/tricampeonato-do-fc-porto-festejado-em-leiria/

Anónimo disse...

Um GRANDE ABRAÇO de um PORTISTA LISBOETA a todos os PORTISTAS, sejam eles do PORTO, LISBOA, FARO , EVORA , COIMBRA, VISEU , BRAGA, GUIMARAES, SETUBAL, BRASIL, ANGOLA, CHINA,......


VIVA O PORTO !!!!

António Sá.

Bluesky disse...

Sou tripeiro de gema e clara, mas incomoda-me bastante o "parolismo" dos portistas daqui, arvorando-se em unicos e especiais adeptos do FC PORTO!!!!
Se calhar há muito mais paixão num portista algarvio do que num "tripeiro" que só vai ao Dragão quando o FC PORTO é campeão...

Anónimo disse...

Com 41 anos, sou portista desde puto, desde que me lembro de andar na escola primária. Escolhi o Porto não sei porquê, não era fase de vitórias nem nada. Isto foi em Castelo Branco. Na altura, em toda a escola, éramos dois portistas. Hoje a cidade já tem umas boas centenas. Agora estou a morar em Torres Vedras e, por aqui, a maioria ainda é benfiquista, mas ainda ontem na escola onde dou aulas andava um miúdo com uma camisola dos super dragões e tenho alguns alunos e alunas portistas. Já lá vai o tempo em que se perguntava ás criancinhas se eram do Benfica ou do Sporting.- João

José Correia disse...

o papel do FCP como baluarte do Porto e regiao Norte - porque isso faz de facto parte do ADN do clube, e de uma forma muito vincada

Estamos de acordo.
Mas o afirmar o papel do FCP como baluarte do Porto e da regiao Norte, não significa que se hostilize os habitantes de outras regiões do País, incluindo Lisboa, onde há muitos portistas que sentem de forma vincada a paixão pelo FC Porto.

José Rodrigues disse...

'Mas o afirmar o papel do FCP como baluarte do Porto e da regiao Norte, não significa que se hostilize os habitantes de outras regiões do País, incluindo Lisboa'

Sem duvida.

José Domingues disse...

Tem razão.
Saudações portistas.

sócio 2561
José Domingues

Pedro Jesus disse...

Ser Portista não escolhe idade,nem cidade,nem cor nem nada.Não é portista quem quer.é portista quem pode!Não é para todos.Para nós não há saudade,há memória!Faz de nós diferentes dos outros.Não nos agarramos a fados.Quem entrar neste circulo tem de viver apenas e só a camisola azul e branca.Este titulo já está,mas por um lado já é passado,pois o futuro está já ali e a ser trabalhado.

David Resende disse...

Caro Manuel:
Respeito a sua opinião mas penso que o meu amigo está desactualizado ou frequenta as zonas erradas a SUl.
Eu moro em Setúbal e o que não faltam são camisolas na rua do nosso clube. Ainda ontem fui jogar á bola num indoor e vi uma série de miúdos com uma camisola do FCP. Penso que há uma realidade que os adeptos do Porto, que estão a Norte, precisam entender.
É verdade que na faixa etária dos 40 para cima a maioria dos adeptos cá em baixo é esmagadoramente Benfiquista e Sportinguista. Agora dos 30 para baixo (faixa etária onde me incluo) afirmo, sem exagero, que temos na Margem Sul tantos adeptos como os outros 2 clubes. E a tendência é aumentar.
Obviamente, esta realidade encontra-se espelhada em todo o Mundo. Como já tive oportunidade de dizer num comentário anterior, os nossos adeptos na zona Norte não teem a percepção do crescimento do FCP pelo país, devido á proximidade com o epicentro do Clube.
Pois tenho a informar que já não há como negar as evidências. O "Monstro" cresceu e ninguém vai parar esta explosão demográfica de Dragoes a Sul.
Por fim, deixem-me lembrar que está a arrebentar a geração 2003/2004 (putos que na altura tinham 6/8 anos e estavam na idade de optar por um Clube, e hoje aos 16 18 já começam a sair á rua para festejar o seu portismo). Temos que reconhecer que o Porto de Mourinho, tal como o do AVB 5-0, capitalizou muitos adeptos.
Enfim, este País está prestes a sofrer uma revolução de preferências clubisticas no prazo de 10 anos. Escrevam o que vos digo...
Abraço

Eduardo Nunes disse...

Caro Camarada

Respeito todas as opiniões e a sua também.
Da minha parte, posso garantir que um adepto do FCP é igual seja a norte, sul, este e oeste. Esteja onde estiver, sofre como qualquer outro...

Saudações portistas e um abraço.