segunda-feira, 20 de maio de 2013

Campeão voltou. Obrigado FCP !


Depois de uma entusiasmante vitória na penúltima jornada, carimbamos o título de campeão nacional. Foi a cereja em cima do bolo. Quem havia de dizer que, depois de alguns falhanços, de um futebol que foi desinteressante em algumas jornadas, das dúvidas sobre o valor do plantel e da equipa técnica e, batendo-nos contra um adversário que jogou como nunca, ganhava como sempre e foi o principal candidato a ganhar tudo, conseguíssemos chegar à frente, apesar de um futebol soporífero e deprimente, como gostam de dizer os comentadores. O SLB morreu na praia, perdendo como habitualmente, apesar dos óscares prometidos, até quase ao fecho da competição. Aí, no palco da verdade, quedaram-se pelos prémios muito secundários como dos efeitos especiais e do guarda roupa. E perderam no confronto directo, como sempre.

O FCP no jogo com o Paços foi a equipa segura do costume e com as dificuldades habituais na última fase de construção. A defesa esteve bem, Danilo nem tanto; no miolo: Lucho, Moutinho e Defour estiveram diligentes, James mais posicionado na posição 10 esteve longe do que pode, apesar de alguns bons lampejos e Varela foi o mais activo dos jogadores do FCP e o melhor em campo. Martinez acabou em perda, apesar de mostrar que a excelência mora lá e é o jogador mais valioso do FCP. Ontem, como em jogos anteriores, faltou ao FCP intensidade atacante que faz os sonhos de todos. A posse foi o modelo seguido e defendeu-nos melhor do que nos lançou para o golo e para a criação de um sufoco ofensivo que raramente fomos capazes de construir.

 Com um primeiro golo saído de uma grande penalidade por falta cometida fora da área e que só pôde ser confirmada depois de muitas repetições e nem sempre com a tomada de imagens totalmente clarificadoras, abriu-se o caminho para a vitória e para o título. Escreveu-se direito, por linhas tortas. Considero que depois do golo e até ao final do primeiro tempo jogámos a um ritmo demasiado baixo, tendo em conta que o adversário estava com um elemento a menos. O segundo golo matou o jogo que se manteve "vivo" em função de uma outra jogada interessante e pelo nervoso miudinho que acompanha fatalmente este tipo de jogos decisivos que tende em muitas situações a ser aborrecido porque ganhar e perder acontece frequentemente, da forma mais surpreendente e fatal. Que o diga o SLB que jogou como nunca e perdeu como sempre, no Dragão e em Amesterdão.

Acabou o jogo e o campeonato, seguiram-se os festejos. Soube bem a vitória, mas a euforia foi vivida na jornada anterior. Foi aí, no confronto directo que demonstramos que o SLB entra borrado quando se bate com o FCP. E essa desvantagem é que os põe em fúria, o que me dá muito prazer. Ontem, foi o epílogo de uma vitória anunciada, apesar de algum frisson e mil boatos.

Depois do título maior, vai seguir-se o choradinho habitual do adversário directo e sus muchachos. Estamos habituados e vacinados. A próxima época é já a seguir e não sabemos com o que vamos contar. Espero que o nosso presidente decida bem, o que que costuma fazer com critério. Obrigado FCP.

 

63 comentários:

Silva Pereira disse...

Boa tarde,
Antes de mais os PARABÉNS AO VP E À EQUIPA DP FCP.
Concordo com a sua leitura do jogo.
Primeiro um comentário ao Paços as minhas desculpas pois acredite (havia sinais dos dirigentes) que se prestariam a fazer o papel do Gil Vicente utilizando truques baixos como ter um relvado tipo prado, o que prova que a diferença estará no baixo caráter que tem o Paulo Alves e afins.
Depois embora o Hugo Miguel ter cometido um erro grave a nosso favor, não gostei da arbitragem fez-me lembrar o Proença, apitou tudo que fosse encosto no meio campo do FCP e não seguiu o mesmo critério com os jogadores do Paços.
Quanto ao Jackson acho que há uns jogos, desde que passou a ser muito elogiado quer fazer jogadas bonitas e perde concentração e objetividade, talvez as férias e o ir à seleção o faça ponderar e aprender com o Falcão que deve atacar todas as bolas e não reagir após verificar o falhanço dos defesas, se melhorar esse aspeto teremos um Jackson de 1ª.
Dito isto e agora que já não há influência, não gostei da conferência de VP antes do jogo, não pode dar tiros nos pés e nem trunfos aos apaniguados dos encornados, quando diz que este foi um campeonato espetacular… o mais competitivo de sempre … não é verdade e nem condiz com o que tinha dito à 15 dias atrás (sujinho..).
Para mim que acompanho o futebol há 50 anos não me lembro de um campeonato que fosse tão manipulado e trabalhado pelo sistema para que o SLB o ganhasse, rapidamente recordo:
Em benefício dos vermelhos:
Jogo SLB- FCP escandalosamente 3 fora de jogo marcados ao FCP e expulsão de um jogador do SLB;
Arbitragens escandalosas com o SPC a pior arbitragem que alguma vez vi;
SLB – Estoril mais uma arbitragem escandalosa
SLB-Académica
Juntem as suspensões dos jogadores dos adversários antes de jogarem com o SLB (mais de 23) com o caso grave da visita ao Braga,
No caso do FCP temos como sempre as arbitragens no Gil Vicente (escandalosa)
Penaltis por marcar contra o Rio Ave, Marítimo..
Hugo Miguel não expulsou Rui Patrício conforme a opinião de todos incluindo Jesualdo Ferreira antes do jogo do FCP.
Há mais mas basta-me isto para dizer que os casos escandalosos não tivessem ocorrido o FCP ganharia o campeonato com mais de 10 pontos de avanço. Por isso é que não compreendo o VP.

RBN disse...

Eu tempos atrás e sem clubite, escrevi aqui que o slbarbies para além do bom futebol, marcar golos em momentos cirúrgicos, penaltys aos 90 e tal e capelas à mistura, tinha um factor prepoderante a favor:a SORTE.

E também disse que nunca, nem cá nem no Brasil, tinha visto uma equipa com tanta sorte ao longo de uma época inteira, nem mesmo o Santos de Pelé, nem o Ajax de Cruyff ou mesmo o Barça de 2009 até os dias de hoje.

Entre agosto de 2012 e começos de maio de 2013, muita sorte tiveram os encornados, principalmente na europa, onde para além da vaca leiteira de terem vistos 8 bolas a baterem nos postes do "top-model" artur, ainda por cima jogaram o último jogo na champions contra um Barcelona C.

Mas também escrevi que não é possível ter sorte o tempo todo, com excessão do gastão, primo do pato donald:-)

E a sorte ainda esteve presente contra o estoril, onde deviam ter perdido e não empatado o jogo, mas depois foi a semana perfeita.

Pegaram um Kelvin com sorte, 4 dias depois um Chelsea sem "Hazard"(sem trocadilho), levaram nas trombas no hoquei e andebol e por último, o estoque de rennie, kompensam, alka-seltzer e melões está esgotado em lisboa e arredores onde estava escrito reservado:-)

Muitas canas para apanhar dos foguetes que soltaram antes da festa...

mainada

to13 disse...

3 épocas, 90 jogos, uma derrota contra o Paixão. Depois disto quem retirar mérito ao Porto é porque é estúpido.

João disse...

Prometi a mim mesmo, a meio do jogo, que escrevia este comentário qualquer que fosse o resultado.

Fim de linha para VP.
Já aqui tive a oportunidade de parabenizar o Vítor Pereira, quando o FC Porto fez uma série de BONS jogos esta época que pareciam ter a marca de uma liderança que se consolidava, depois de uma época miserável a nível exibicional, a que prontamente atribui o facto de ter encontrado um balneário adverso a precisar de uma limpeza. Dei-lhe carta branca a partir daí. Jogos como que acabamos de fazer em Paços de Ferreira só provam que esses 2/3 jogos foram a excepção que confirma a regra. VP não sabe preparar uma equipa, ponto final. Fizemos mais um péssimo jogo, sempre titubeantes, sem saber aproveitar a desvantagem numérica e anímica do Paços. Passamos, como fizemos na esmagadora maior parte das jornadas, o jogo a fazer o COMPLETO OPOSTO do que devemos fazer, a bombardear o Jackson com bolas impossíveis que ele perde para os 2,3,4 jogadores adversários nas imediações e que nós não conseguimos recuperar na 1ª linha - voltar atrás e repetir. Da 2ª vez que tentamos jogar a porcaria da bolinha na porcaria da relva, o James surge isolado em frente à baliza e é ceifado. É assim tão complicado perceber que é assim que temos que jogar? Isto foi aos 22', 1/4 do jogo mais importante da época decorrido.

Com o Paços reduzido a 10 e nós a precisarmos de ampliar a vantagem antes do intervalo para carimbar o jogo, vamos fechar sobre eles no último terço e carregar aquela área de jogadores até marcarmos o 2º. Nope, vamos trocar a bolinha entre os defesas no nosso meio campo. Mas vamos fazê-lo da forma mais imbecil possível, com passes à queima, e por mais do que uma vez quase que isolamos um castor. Isto é alguma coisa?

Tinha várias pessoas comigo a ver o jogo, que completavam todo o espectro que vai do "Próximo Mourinho" ao "Não perceber a ponta de futebol". E quando precisamente é precisamente de quem menos se espera perceber ou importar com o que se passa que se ouve um "Não jogamos nadinha" consensual, está tudo dito.

O FC Porto entra em todos os jogos sem preparação, é indiferente se jogamos com o Paços, Braga ou Carcavelinhos (só se nota algum trabalho de casa contra os marroquinos). E nós não somos tão maiores ou tão melhores que nos possamos dar ao luxo de obrigarmos o adversário a jogar como nós queremos. Deveríamos ser, mas a ideia não se traduz em campo. Criamos pouquíssimas oportunidades de golo, por vezes poucas mais do que as que permitimos ao adversário, isto com 60%-70% e tal de posse de bola. A única conclusão é que não sabemos o que fazer com ela e então vai-se buscar quem saiba.

O VP não potencia jogadores. É um facto. À excepção dos centrais que são chamados a mostrar que sabem sair a jogar (e aqueles que se evidenciam pelo seu próprio estilo de jogo à medida que vão ganhando entrosamento, vide Alex Sandro), não potenciou jogador r-i-g-o-r-o-s-a-m-e-n-t-e nenhum, com a agravante de ter desvalorizado vários. O Atsu continua um puto que faz uns sprints, o Kélvin continua um puto que faz umas fintas, o Iturbe continua um jogador impecável para jogar no Continente ao lado, o James passou de um puto com um potencial fabuloso para um gajo que precisa de um T4+kitchnette para dominar um passe simples, o Jackson mal começou a ser topado pelos defesas e secou e nem vamos entrar pela Ala da Estagnação a meio campo - Castro, Defour, Moutinho, Lucho, Fernando - se os teletransportassem da "final de Dublin" para a Mata Real ontem, podiam deixar estes no hotel que o resultado era rigorosamente o mesmo.

(cont.)

João disse...

Tem aspectos positivos, vários até. Na comunicação é impecável, finalmente um treinador que defende os interesses do nosso clube, nesse aspecto não se podia pedir mais. É um porreiraço em clássicos, com mais ou menos ajuda do Maxi e do Rei Artur. E é um facto que consegue ter sucesso pelo 2º ano, fazendo mais omoletes do que seria de esperar pelos ovos disponíveis. Mas se é um facto que não temos banco, convém também acabar com o mito de que o Benfica tem um plantel melhor o nosso. Quantos jogadores iam buscar ao Benfica para o nosso 11 titular? 2? 3? Algum defesa deles é melhor que o nosso para a posição? Trocavam alguém do nosso meio campo? E o melhor marcador do campeonato com metade das oportunidades de cada uma das 3 vedetas que eles têm para a frente, trocavam? Conclusão, íamos buscar os 2 extremos, se tanto.
Portanto, 11 titular (ou base) que é a equipa de joga 80% do campeonato, VP dispõe de pelo menos 8 dos 11 melhores do campeonato para a posição. E se não temos banco também é verdade que o próprio VP desbaratou vários momentos para fazer uso dele, pessoalmente perdi a conta ao número de jogos que tivemos resolvidos em que não trocou o Jackson pelo Liedson. Não pode servir de desculpa. Se estivermos a espetar 2 ou 3 batatas aos Carcavelinhos desta Liga,podemos trocar o Jackson, Lucho, Moutinho, James, Fernando ou outro qualquer por um pino dos treinos que não há-de vir grande mal ao Mundo. É preciso é lá chegar.

(cont.)

João disse...

E esse é o meu último ponto. Vão-me dizer que o VP é campeão invicto, que em dois anos perdeu 1 jogo que, tecnicamente foi o Bruno Paixão que ganhou. É verdade. Mas estamos a falar do campeonato mais bipolar da Europa. Quantos jogos perdeu o catedrático nesse mesmo período de tempo? O FC Porto e Benfica têm quase OBRIGAÇÃO de ganhar todos os jogos do campeonato, salvo confrontos directos. E esta época estamos a falar de um Braga mísero e de um Sporting a marinar no meio da tabela. É preciso ter noção de contexto. E nessas mesmas duas épocas, o catedrático andou pelos quartos da Champions e final da Liga Europa, nós fomos arrumados pelo grupo mais escolinhas da edição passada e agora pelo Málaga nos oitavos. Taças de Portugal e Taças da Liga nem vê-las.

Portanto não, já chega. Com um muito obrigado por tudo, obviamente, principalmente pelas balas que se prontificou a levar pelo nosso clube. E nesse aspecto, foi o melhor ou dos melhores que vi ali sentado. Como técnico precisamos de outra pessoa. Peço desculpa pela extensão do comentário, mas foi algo que fui remoendo durante 90 minutos que demoraram uma eternidade a passar.

S.G.S. disse...

"jogou como nunca, e ganhou como sempre"
Isso é uma objectiva síntese da realidade. Actual e passada. O resto são choradinhos de carpideiras!

Franco Baresi disse...

Totalmente de acordo!

Até nem antipatizo com a pessoa mas VP tem de ser trocado ANTES que não ganhe o campeonato, o que esteve muito perto de acontecer 2 vezes. Temos de ser objectivos: desta última vez foi por um remate aos 92'...

E seria um grande desperdício, face à muita qualidade (não aproveitada) que os nossos jogadores possuem.

Armando Pinto disse...

A vida assim é muito mais bela, com o F C Porto campeão!

Rui Anjos (Dragaopentacampeao) disse...

Sim, vencedor justo e sem mácula, contra tudo e contra todos.

No entanto, não deixo de registar que a equipa teve uma quebra abrupta, incompreensível, que poderia ter sido fatal e mesmo fazendo uma ponta final de muita regularidade, nunca conseguiu exibir-se com o brilhantismo que chegou a entusiasmar.

Ainda bem que conseguiram acreditar até ao fim, quando eu próprio já temia não ser possível, ainda por cima com as papoilas saltitantes a beneficiarem de Capeladas e Baptistadas.

Somos Campeões e o resto são tretas:

TRI TRI TRI


Um abraço

c. silva disse...

Obrigado VP!

miguel87 disse...

Obrigado VP! Que fiques no nosso banco por muitos anos!

Costa disse...

@João,

Andas a jogar muito FM...
Tens que começar a sair mais vezes à rua e ver a realidade.

O futebol real não é comparável ao que jogas na tua PS3.

Pedimos desculpa, mas o VP é BI-CAMPEÃO !

Anónimo disse...

Caro João,

Tu falas como se fosses Presidente. Infelizmente para ti e felizmente para pensa de forma diferente, não és tu que defines quando um treinador chega ao fim de linha.

Mas podes como é óbvio lançar uma candidatura e logo esperaremos que dela saia uma equipa que vai pôr esta a um canto e no mínimo chegará a uma meia final da champions e ganhará o campeonato com 90 pontos (isto para além da taça e já agora tb a taça da liga). Mas até conseguires ser eleito, será PdC que decidirá sobre quem vai ser o próximo treinador.

Cumprimentos!

Pedro Carriço

DC disse...

Torço, como toda a gente aqui sabe, pela renovação do VP.
Mas adeptos como o João às vezes dão-me vontade que ele saia e venha um dos fabulosos treinadores que o João considera superiores ao VP para lhe poder esfregar na cara a quebra que o Porto terá com a sua saída.

TEMOS A MELHOR DEFESA DA EUROPA!!! Nem o Bayern sofreu menos golos que nós! Somos campeões INVICTOS!!!!

f***-se o que é preciso mais????!!!!

João disse...

Com o VP bi-campeão posso eu bem, como pude com o Jesualdo tri-campeão. O que veio a seguir é que me custou, por causa de resultadistas básicos do mundo real que o mantiveram lá.

DC disse...

Junto-me naturalmente aos agradecimentos ao grande obreiro deste título, Vítor Pereira.

Apesar de ter que lutar contra mais portistas até do que benfiquistas é um técnico competentíssimo (só um acéfalo pode questionar a competência duma equipa invicta e com a melhor defesa da Europa. Isto apesar de termos uma defesa com média de idades quase sub-21), é um enorme portista e é um homem de grande carácter.
Apesar de passar a vida a ser insultado por portistas de meia-tigela, chegou ao fim e disse que o título é dos adeptos e agradeceu-lhes por tudo.
Apesar de ser assobiado em jogos em que estava a ganhar por 4-0, 5-0, no fim ganhou e dedicou o título a todos.

Lutou realmente contra tudo e contra todos, porque luta contra portistas que parecem torcer pelas derrotas do Porto para dizer "eu bem dizia", lutou contra Capelas, lutou contra um banco onde só estava Liedson e putos da equipa B.
Mas GANHOU!

E se não renovar, que tenha um clube à altura dele no futuro. Porque merece, porque é fantástico tacticamente, porque defensivamente, na reacção à perda, na pressão, no condicionamento da saída de bola do adversário (especialmente nos jogos contra o 5LB em que consegue anular Garay e Matic e fazê-los jogar sempre em balão para a frente), na gestão de plantéis curtíssimos, é um enorme treinador.

Resumindo, OBRIGADO MISTER!

alex disse...

Só uma derrota é uma falácia, assim como não perder em casa há x tempo é outra: não perde mas tem empatado jogos que poderiam ter custado títulos! Já que falo em equívocos gostaria de referir o grande equívoco de MST ao interpretar a afirmação de Vitor Pereira " Não me parece que o Benfica vá perder pontos nas últimas 3 jornadas ", como um atirar da toalha ao chão. Que melhor acha poder-se-ia atirar para a fogueira da convicção de jogadores e dirigentes do Benfica do que a resignação do treinador do FCP? Vitor Pereira, pelo menos, contava bater o Benfica no jogo do Dragão... De qualquer modo, acho Vitor Pereira em regra desfasado da realidade, principalmente no que concerne à verdadeira dimensão europeia do FCP: passar a fase de grupos não é nenhum feito, não passar é que é uma proeza; passar a fase de grupos e ser eliminado pelo Málaga é um fracasso etc. Perder com a Académica, em casa, como na época passada, e perder, em casa, com o Olhanense, desperdiçando a oportunidade de se adiantar na classificção e abanar a confiança do adversário directo, são resultados que não podem acontecer.

Carrela disse...

Incompreensível? Lesão de James, Moutinho...

João disse...

Não eu falo como se tivesse a 4ª classe e soubesse interpretar o que me é dito. A minha opinião é que devia ser o fim da linha para o Vítor Pereira, não me faz candidato a coisa nenhuma como o Pedro dizer que o Moutinho devia ter batido o canto mais tenso ou o Helton devia ter reposto a bola pelo chão não o fazem a si.

É aquela ideia debilóide de que eu não posso ter uma conversa sobre política, futebol ou religião, sem me candidatar à presidência da república, da SAD e ao papado.

Portanto, utilizem argumentos. Já tinha aqui respondido ao Costa e repito. Com o Vítor Pereira bi-campeão posso eu bem, como com o Jesualdo tri-campeão, o que veio a seguir é que custou.

Bluesky disse...

Campeões com um treinador que pelos vistos não vale um caralho!!!!
Se calhar Mancini com um orçamento DEZ VEZES superior ao FC PORTO que pôs o Manchester CITY campeão, Mourinho que acaba de ganhar tudo em Espanha, ou Jorjasus que ganhou todas as frentes onde esteve, apenas descurando a retaguarda, é que são os treinadores ideais...
Cambada de ingratos é o que são certos portistas!!!!

João disse...

DC,

http://www.zerozero.pt/edicao.php?id_edicao=47487
http://www.zerozero.pt/edicao.php?id_edicao=47388

não brinquemos. O 14º classificado da Liga Alemã tem obrigação de golear qualquer equipa do campeonato português com excepção dos 4 grandes. Para dois desses 4, o 11º ou 12º davam conta do recado. O Bayern tem mais 28 (!) golos marcados. Quando se espeta 9-2 ao 7º classificado, não são esses 2 golos sofridos que hão-de fazer grande mossa.

Anónimo disse...

Peço desculpa, Sr. João ... aparentemente não terei (de acordo com o seu juízo) inteligência suficiente para interpretar o que escreveu. Não querendo ser presunçoso ou arrogante, diria que você é que parece não ter entendido o que escrevi.

Não vou discutir mais. Mas fico à espera, se o João não vier a ser Presidente, que pelo menos a direcção consiga absorver telepaticamente os seus ensinamentos e possamos todos comemorar os grandes êxitos que daí resultarão - eu já espero um campeonato imaculado e pelo menos uma meia-final da champions.

Cumprimentos,

Pedro Carriço

Carlos Santos disse...

"...E nessas mesmas duas épocas, o catedrático andou pelos quartos da Champions e final da Liga Europa..."

Ou seja, o Benfica é uma boa equipa e joga bom futebol, certo? Ora visto que o VP lhes ganhou 2 campeonatos, é porque e melhor que o Jesus ou não?

O teu problema é o mesmo problema de muitos: síndrome pós-AVB e mais nada.

alex disse...

Muita gente que bota discurso na imprensa tem o hábito de dizer que no FCP não se ensaiam nada em substituir treinadores que acabaram de ganhar campeonatos. Mas isso não é verdade: umas vezes saiam porque vão ganhar muito mais noutros clubes, outras vezes são mandados embora porque há razões para que assim seja. Por exemplo, nunca tive dúvidas que o Oliveira, no fim da temporada, ia à vida porque condenou em público o comportamento do Paulinho Santos.
Das duas uma, ou o Vitor Pereira não fica mesmo, ou então Pinto da Costa anda a dar um bailarico a todos aqueles que depreciam o trabalho de Vitor Pereira...

João disse...

E eu espero que num clube que se gaba de ter adeptos exigentes eles não sejam meras caixas de ressonância resultadistas.

Principalmente quando, se acho que se podem fazer reparos ao treinador, a direcção é a principal responsável por muitas das lacunas que não lhe facilitaram nada a vida.

Daniel Gonçalves disse...

Estou imensamente grato ao Vítor Pereira pelo bi-campeonato mas sou lúcido e racional, na minha humilde opinião ele não deve continuar como treinador do FC Porto.

Continuar com Vítor Pereira é continuar a depender dos revezes da fortuna, do acaso, continuar a depender da sorte ou do azar dos outros, continuar com ele é esperar que a sorte e a ventura nos batam à porta pela terceira vez. Não, eu quero um FC Porto mandão, a depender unicamente de si próprio, a ditar as leis do jogo em vez de um refém dos acasos do jogo, a olhar de cima para os adversários, em vez de os olhar de lado. Vítor Pereira não nos garante nada disto.
Não comparem a nossa defesa, que é de facto matemáticamente a melhor da Europa, com a do Bayern Munique, é um argumento ridículo. Com as equipas da Liga Portuguesa provavelmente os bávaros teriam menos de 10 golos sofridos e aplicavam goleadas semanais de 4 ou 5 a zero.
Não venham com a Liga sem derrotas, com o abismo que separa o FC Porto, e o nosso rival, das restantes equipas da I Liga não é de surpreender, Vilas Boas consegui-o e com maior brilhantismo. Já que falaram na nossa defesa que tal falarem do nosso ataque, e das dificuldades - após 2 temporadas ao leme da equipa - que Vítor Pereira tem em construir rotinas atacantes e em construir estratégias de ataque que levem ao golo, afinal o objectivo do jogo de futebol, e não a posse de bola unicamente.
E não esqueço 2 prestações miseráveis - sim, é assim que as classifico - nas competições europeias, não obstante beneficiarmos do estatuto de cabeça de série e de estarmos no pote 1 da Champions.

Ângelo disse...

Eis o que escrevi na minha página do FB:

ALCANÇA QUEM NÃO CANSA

FCP É UM CASO DE TALENTO, FEITO,
- mais de suor do que capricho,
- mais de alma que de palavra,
- e sobretudo mais de realidade que de ilusão!

Nunca mais irei esquecer e talvez nunca mais torne a viver, o vulcão de emoções e de adrenalina do minuto 92 no Dragão, relativo ao jogo Porto / Benfica de 11 de Maio de 2013.
Nos momentos decisivos, o meu Clube é mais forte e consistente, tem ADN de Campeão. E, nessas alturas, faz das “tripas coração” ou, lembrando o grande Aquilino Ribeiro no 50º aniversário da sua morte, ALCANÇA QUEM NÃO CANSA.

Ângelo Henriques
(Beirão de nascimento e Presidente do C.F. da Casa da Beira Alta no Porto)

João disse...

Gostei quando nesse penúltimo parágrafo se absteve de usar ideias como "na construção de oportunidades de golo, no desenho de dinâmicas no ataque, no trabalho das bolas paradas, no desenvolvimento de transições rápidas" - só isso diz tudo. E o ter afunilado no 5LB, não quero ser mal interpretado, era capaz de trocar uma Taça por um clássico ganho de cebolada. Mas o Koeman também era uma máquina de clássicos, espero que não se avalie o Vítor Pereira por 2 jornadas em 30. Digo eu, não sei..

Já enumerou aquilo contra o que ele teve que lutar, não retiro uma vírgula - um plantel muito curto e desiquilibrado, arbitragens inclinadas da 1ª à 30ª jornada e acrescentaria, uma série de lesões importantes, lembro-me de Maicon, Moutinho e James. Tudo isso verdade.

Agora do que dispôs.. Daquela que é considerada unanimemente a melhor estrutura em Portugal, onde "qualquer um é campeão" - do Mourinho ao Fernando Santos. O plantel é curto, é um facto, mas no que diz respeito à equipa titular dispôs de 8/9 dos melhores jogadores do campeonato para a posição (entre eles essa linha defensiva sub-21, que custou cerca de 40M€ por comparação com a do milhafre cerca de 10M€), esta é a equipa que joga 4/5 do campeonato, não é o banco. E se tivesse banco? Era para fazer o mesmo que fez com o Jackson, que ainda hoje não sabe o caminho para o banco, estivéssemos a ganhar por 2, 3 ou 10? E quem são os putos da B no banco, ao certo? É que já lá esteve o Atsu, Kelvin, Iturbe, Sebá, Tozé.. se calhar para serem alternativas válidas, convinha não serem recambiados para a equipa B na semana seguinte, digo eu..
Dispôs, novamente, do grupo mais fácil da Champions, carimbou. Dispôs de um adversário acessível para os oitavos, arreou. Dispôs uma acesso privilegiado à final da Taça da Liga, contra uma equipa perfeitamente ao nível, arreou. Mesmo adversário nos quartos da Taça, arrumados. Do Málaga para cá, dispôs do plantel sem lesões e sem jogos a meio da semana, mesmo nível exibicional de sempre.

Dispôs de um jogo para se sagrar campeão, contra uma equipa sem objectivos, reduzido a 10 e com o resultado do nosso lado, suar até ao fim.

Ou seja, nada disso carece de contraponto. Longe disso.

João disse...

Peço desculpa por nem ter lido o resto do comentário mas é isto

"Continuar com Vítor Pereira é continuar a depender dos revezes da fortuna, do acaso, continuar a depender da sorte ou do azar dos outros, continuar com ele é esperar que a sorte e a ventura nos batam à porta pela terceira vez. Não, eu quero um FC Porto mandão, a depender unicamente de si próprio, a ditar as leis do jogo em vez de um refém dos acasos do jogo, a olhar de cima para os adversários, em vez de os olhar de lado. Vítor Pereira não nos garante nada disto."

Não quero um Porto dependente do Estoril, dos enterranços do Artur, dos auto-golos do Maxi, dos golos da vida de um puto da B e dos penaltys imbecis dos centrais do Paços.
Jogos suadinhos contra qualquer agremiação deste campeonato miserável, prestações europeias medíocres perante adversários perfeitamente acessíveis, taças não vemos uma, seja da cerveja seja de Portugal.

Anónimo disse...

So uma pequena achega: Vilas Boas teve em simultaneo o que Vitor Pereira nunca teve. Um ponta de lanca de nivel mundial e o Hulk ao mesmo tempo. Alguem que marca 30 golos numa temporada e um rompedor de defesas com similar nr de golos fazem um ataque incrivel em qq lugar do mundo e resolvem 90% dos problemas. Esta e a grande diferenca. AF

João disse...

Acabei por me esquecer daquilo que relevo mais: dispôs e dispõe daqueles são, sem grande margem para dúvidas, alguns dos putos com mais potencial que passaram por este campeonato - Kelvin, Atsu e Iturbe (vou "optar" por não incluir Tozés e Seris nestas contas) - não sai UM! UM! A merda do catedrático está a fazer jogadores de autênticas nódoas, aquele André Almeida e Luís Martins nem para o Avintes tinham classe, até o Jesualdo já conseguiu por o buraco do Rojo a jogar à bola.

O Vítor Pereira não consegue sequer manter os putos na convocatória. Porque tem muitas soluções? Não, porque tem mais piada rodá-los pela B e pelo campeonato argentino.

Anónimo disse...

Já que estamos numa de achegas.....fiquei triste com a emissão do porto canal. Sendo o nosso meio de comunicação oficial, esperava mais. Vi mais uma vez o Tiago Girão a tentar e bem, muito bem encher a emissão, mas sem imagens, sem exclusivos......quero e espero mais deste porto canal.

João disse...

O Falcao marcou 16 golos nessa época, o Hulk 23. O Jackson só à conta dele leva 26.

Villas-Boas não teve o (pretenso) melhor James da sua carreira, nem dois laterais de 27M€, nem o futuro central titular da selecção francesa, nem o novo Messi, nem diamantes ganeses, nem uma equipa B a carburar, nem o maior orçamento para o futebol da história do campeonato português, nem, nem, nem..

DC disse...

Os meus pêsames pela azia que deve ter tido ontem enquanto festejava o 2º campeonato ganho pelo Vítor Pereira.

Quanto ao resto, não volto a discutir consigo este tema. Há gente com quem vale a pena discutir porque mudam de opinião com base em factos. Já os que os subvertem a todos como lhes dá jeito (grupo mais fácil da Champions? Luís Martins que já nem está no 5LB? Chega a dar pena...)

Mais uma vez, os meus sinceros pêsames por pelo 2º ano consecutivo ter que festejar um campeonato do Porto, e desta vez sem qualquer derrota. Deve tê-lo roído por dentro ter que festejar depois de tanto apregoar o desastre que era VP.

P.S. só para que não diga que não respondi a isso, o Porto de VP tem uma média de golos de 2,3 golos por jogo. O Man Utd tem uma média de 2,2, o City de 1,7, o Chelsea de 1,9, o Arsenal de 1,9 e o Tottenham de 1,7 (o quê o todo ofensivo AVB marca menos golos que o VP???). Mas ainda a Juve e o Napoles tem média de 1,8, o Milan de 1,7. O Borussia de 2,3 e o Bayern de 2,8 (olha nem é assim tão mais alta, dá jeito ter mais jogos no campeonato não dá?), o PSG de 1,8, o Zenit de 1,8...

Ou seja em todos os campeonatos relativamente competitivos da Europa só Barça, Real e Bayern marcam mais do que o Porto!!!!!! Mas sofrem muito mais também os espanhóis. E se juntarmos campeonatos menos competitivos e onde não se defende só o Shakhtar, Ajax e PSV têm melhor média (e por poucas décimas), mas sofrem o TRIPLO dos golos!
Portanto João, antes de vir com tretas sobre ataque, pense um bocadinho. Não custa nada.

Anónimo disse...

O João tem dificuldades com o significado da palavra simultãneo.

José Correia disse...

«O apito final em Paços de Ferreira confirmou uma realidade: Vítor Pereira, contestado ao longo da época, conseguiu superar o seu próprio registo no comando técnico do F.C. Porto.

Ao conquistar o bicampeonato, tri para os dragões, o treinador respondeu à clara melhoria do Benfica em comparação com a época 2011/12.

O F.C. Porto terminou esta temporada com 78 pontos, mais três que na temporada passada.

A formação azul e branca melhorou ainda o seu registo ofensivo, neste caso com apenas um golo de diferença (70 contra 69).

O setor defensivo, por outro lado, apresenta um números bem mais interessantes. Aliás, desde 2000, só houve uma estrutura recuada com menos golos sofridos.

Helton, Danilo, Otamendi, Mangala e Alex Sandro terminaram a época com 14 golos sofridos, menos cinco que na época passada (19). Apenas o F.C. Porto de 2007/08 conseguiu um registo melhor, sofrendo 13 golos ao longo da competição.»

in Maisfutebol

Daniel Gonçalves disse...

Não usem o argumento de que André Villas Boas tinha Hulk e Falcão, enquanto Vítor Pereira ficou sem Falcão. Na minha humilde opinião o problema não está nos interpretes - ou na falta deles - mas sim no método/esquema adoptado para alcançar golos. Nem que tivesse Gary Lineker, Van Basten, Toto Schilachi, Jurgen Klinsman ou outros - e peço desculpa por utilizar jogadores de outros tempos, mas foram nomes que me ficaram marcados na memória, entre outros - a estratégia usada por Vítor Pereira teria melhores resultados, provavelmente veríamos estes avançados perdidos no meio dos defesas contrários e deficientemente servidos pela equipa, portanto o problema é a estratégia ou método em si, que é pouco eficiente. Aqui há uns dias um benfiquista escreveu um comentário neste blog considerando o nosso treinador melhor taticamente do que Jorge Jesus, e afirmando que trocar a bola no meio campo adversário era sinónimo de equipa grande. Em teoria concordo com o que disse esse benfiquista, mas a verdade é que nem sempre a posse de bola,e a sua troca no meio campo adversário é o esquema mais eficiente para marcar golos, nem tal significa que se pratique melhor futebol do que o adversário. O futebol atabalhoado e o ataque ao tropel adoptado por JJ provou que por vezes pode ser mais eficiente do que uma atitude "mandona" de posse de bola. Na Liga Portuguesa, frente a equipas fechadas na defesa, trocar a bola no meio campo adversário mas revelando a inexistência de rotinas ou lances atacantes que rompa as defesas e as exponham ao erro pode ser insuficiente para ganhar jogos, Vítor Pereira denotou muitos problemas no último terço de terreno. É um facto e não mera teimosia contra o nosso treinador.

João disse...

Mas que azia. Ao contrário de si, nenhuma pessoa me move acima dos interesses do Futebol Clube do Porto. Sermos campeões com o Vítor Pereira, Platini ou Luis Filipe Orelhas ao leme, é-me completamente indiferente. Celebrarei sempre, o DC é que é capaz de andar com as voltas trocadas e anda a celebrar o campeonato conquistado pelo Vítor Pereira em vez de valorizar o campeonato conquistado por aquele que presumo ser o seu clube.

A sua frase seguinte é todo um tratado
"Há gente com quem vale a pena discutir porque mudam de opinião com base em factos."
... Óptimo? Melhor do que mudar de opinião com base em suposições ou palpites, digo eu. E sim, mudei de opinião com base nos factos. Já o fiz 2x, quando decidi fazer tábua rasa da miserável época passada e dar carta branca ao VP para mostrar o que conseguia fazer com um balneário controlado e agora.. quando vi o que ele consegue fazer com um balneário controlado.

Responde ao que quiser e bem entender, já reparei que não o fez em relação a uma boa parte do meu comentário, sem qualquer tipo de problema. Também já lhe disse que qualquer comparação com outros campeonatos tem um valor relativo - até porque no comparador de valias por excelência, a prova que se chama Liga dos Campeões, as prestações falam por si, Liga Europa idem - o nosso campeonato é extraordinariamente polarizado, mais do que qualquer e sim, 2,8 para 2,3 POR JOGO é uma diferença assinalável mas continua a comparar realidades distintas e a não levar em linha de conta o que não chega ao report estatístico. As oportunidades que não se criam, os jogos tremidinhos desbloqueados por um lance fortuito lá para os 80' que abrem os adversários, os patos do Artur, os auto-golos do Maxi, os penaltys mentecaptos do Ricardo.. isso não vai parar à estatística.

Ora a estatística diz-me que o Sporting se quiser conservar o seu 7º lugar deve manter o que está a fazer, ver os joguinhos diz-me que se não fosse S. Patrício andavam a disputar a linha de água.

A estatística sempre foi uma companheira impecável do Jesualdo tricampeão - quando chegou alguém ao milhafre que faz uma mínima ideia do que anda lá a fazer, a estatística serviu para limpar o posterior.

João disse...

Tudo o que enumerei no 2º parágrafo o Vítor Pereira têm em simultâneo. Não tem dois jogadores do calibre do Hulk e Falcao na frente de ataque? É um facto, mas dispõe de outras valias de que AVB não dispunha.

Franco Baresi disse...

Exactamente.

Factos: Não se pode ter sempre a fortuna pelo nosso lado; Desta última vez foi por um remate cruzado aos 92'.

Intuições: 25 anos de bancada (valem o que valem) permitem perceber que esta equipa, quando tem a bola, fica num estado de entupimento, inexplicável face à valia dos nossos jogadores e inultrapassável face à "organização" implementada por esta equipa técnica.

Franco Baresi disse...

Nem mais: "trocar a bola no meio campo adversário mas revelando a inexistência de rotinas ou lances atacantes que rompa as defesas e as exponham ao erro pode ser insuficiente para ganhar jogos". E ponho em dúvida se a bola é trocada no meio-campo adversário ou no nosso.

Anónimo disse...

Os números não enganam. Vamos arrepender-nos de o deixar sair.

http://www.zerozero.pt/noticia.php?id=111245

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...


é incrível como há portistas que conseguem ser piores do que o pior dos lampiões, com o cúmulo de ainda por cima serem i-n-g-r-a-t-o-s com quem lhes premiou com tantas e tantas alegrias - e não me refiro só ao "consulado" de Vítor Pereira, mas também.

como já aqui o referiram, se estais descontentes e consideram que conseguem fazer melhor, passem das palavras à acção e candidatem-se à presidência do clube, porra! ou então, tenham-nos no sítio e confrontem a direcção nas assembleias do clube.
é que já não há pachorra para portistas como vocês...

Silva pereira disse...

Bom dia,

Da imensa troca de opiniões esquecem o fundamental:
1º Raros são os treinadores que passaram pelo FCP e mesmo ganhando ficaram mais de 2 anos;
2º Quem decide é o JNPC (e penso que já decidiu há muito) e raramente escolhe mal;
3º Esquecem se no acordo SAD VP para esta época se cumpriu os objetivos acordados;
4º Por último falta saber se VP quer ficar;
Por isso tudo e pela história a imprensa demagógica macrocéfala raramente acerta nas suas conjeturas (o jagunço do Rui Diabo – Tempo Extra dizia que Leonardo Jardim quando saiu do Braga era um treinador do FCP/JNPC , estava de reserva e viu-se é lagarto desde pequenino.
Por isso tudo estou tranquilo e quem for o próximo será o treinador que apoiarei não quero dizer que o não possa criticar.
Dito isto estou agradecido ao VP pelos 2 campeonatos ganhos na conjuntura atual. No entanto existiram coisas provocavam azia, a última foi em Paços que a jogar contra 10 e sabendo como funciona os mafiosos do sistema não mudou o tipo de jogo para no mínimo saírem com 3 golos. Ou então aquela conferencia de imprensa em que elogia o JJ e tem a desgraçada ideia de dizer que foi um campeonato espetacular o melhor que se lembra.
São estes disparates que eu não compreendo como foi possível dizer isso depois do que se passou este ano? Coma arbitragens escandalosas, com castigos manobrados, com uma imprensa concertada em denegrir o FCP em branquear tudo o que se passou e principalmente depois de ter dito 15 dias atrás que este campeonato era sujinho, sujinho…
Talvez esteja aí uma das razões porque não continua.

Anónimo disse...

Raramente escolhe mal a não ser quando escolhe Quinito, Octávio, Del Neri, Fernandez, Couceiro, etc... Deve ter um rácio de 60% de boas escolhas.

Quanto ao campeonato não foi espectacular? Ganhar no último minuto da penúltima jornada?

Depois, se o Vítor sair por causa das conferências de imprensa, então para o ano é melhor contratar um Relações Públicas para treinador. Será que a Maya aceita?

Silva Pereira disse...

Boa tarde,

Caro anónimos esses treinadores que refere são os que implicitamente estão no meu comentário, já agora a quantas épocas se reportam (2?) em 30 mandatos de JNPC.

Talvez não tenha explicitado bem, o que eu afirmo é que numa época em que considero a mais manipulada de sempre que me lembre e tenho 59 anos, em que assisti à pior arbitragem de sempre e que VP afirmou que era uma época sujinha, sujinha não pode (e para isso não precisa ser um expert em comunicação) dizer aquilo mesmo que sinta como eu senti uma alegria comparada à de 1977/78.

Se quiser perceber porque, recomendo que veja o programa de ontem do Dia Seguinte ou então o Prolongamento e ouvir os argumentos dos jagunços dos lampiões.

Não é necessário ser um JM ou um VB, mas há coisas que os adeptos podem dizer mas um dirigente do FCP não.

Se quiser até lhe dou um exemplo como o n/ presidente JNPC que é um dos melhores comunicadores (se não o melhor) também já teve uma falha grave (e que talvez seja uma das razões para as arbitragens que temos) afirmou ... Os árbitros são uns heróis... Argumento repetidamente arremessado contra o FCP quando convém branquear certas arbitragens.

Nota: se quiser compreender ainda melhor é visitar o único blogue benfiquista que visito e ler a troca de comentários entre mim e alguns lampiões "Ontem vi-te no estádio da Luz"

Nightwish disse...

"nem o novo Messi,(...) nem uma equipa B a carburar"

Não é por o repetir eternamente que passa a ser verdade. O Iturbe não joga nada, e a equipa B pouco mais.

Nightwish disse...

E, já agora, não é por o Danilo ter custado um balúrdio que é um bom lateral. Acredito que possa jogar bem melhor a médio, mas a lateral espero que tenha sido o último jogo.

Nightwish disse...

Eu não percebo se os adeptos não vêm as bolas que entram nas balizas adversárias.

Renato disse...

No meio destes argumentos só faço uma pergunta:
Se a Jesualdo foram dados 4 anos e a Fernando Santos 3 anos, porque raio é que a um treinador bicampeão e invicto, não se dá o 3º ano?

E antes que venham com a história dos ciclos de 2 anos, Mourinho só ficou 2 anos porque se pôs a andar e AVB igualmente.

João disse...

Não é por o repetirem eternamente que deixa de ser visível para qualquer pessoa com dois olhinhos que o Iturbe tem um potencial imenso. Do que tenho visto no River (ULTIMAMENTE, antes que venha para aí o DC dizer que é suplente do Mora, que também não é mau btw) só faz por confirmar os créditos. Lançado 2 ou 3x aos 80' sem função definida para jogos que a equipa tem controlados e resultados que tem pouca vontade de avolumar, ninguém se evidencia. O problema deve ser dos putos Iturbe, Kelvin, Atsu, Tozé, Sebá.. que são todos uns mancos e nunca conseguiram fazer nada de registo mesmo quando já o faziam noutras equipas, do sistema e do treinador é que não é de certeza, certo?

Não sei se o Danilo é um portento a lateral, sei que mete o Sapunaru ao bolso e o ponto permanece - o AVB nunca teve laterais de 27M, é um facto.

João disse...

Que ingratidão, pá. Mandar embora um treinador tricampeão que cumpriu sempre com os mínimos exigíveis e apresentava os indicadores estatísticos todos - melhor ataque, melhor defesa, melhor marcador - e só deixava fugir umas tacitas para o Sporting de vez em quando, para ir buscar um puto treinador da Académica que nunca ganhou nada. Ingratidão, pá. Só pode correr mal, pá.

João disse...

Não conseguia enunciar um melhor argumento CONTRA a continuidade de Vítor Pereira. Fernando Santos e Jesualdo. Precisamente essas máquinas de futebol de alto calibre. Nem mais.

João disse...

Este texto é de António Norberto Queiroz, e foi escrito no Facebook antes do jogo de Paços de Ferreira:
Porque Vítor Pereira deve sair de qualquer maneira

Escrevo propositadamente antes do jogo decisivo em Paços de Ferreira já que quero deixar bem claro que a minha opinião nada tem a ver com o resultado de hoje ou a vitória no Campeonato. Para mim Vítor Pereira deve mesmo sair aconteça o que acontecer basicamente porque o FC Porto precisa de um treinador melhor, capaz de aproveitar o material humano que tem à sua disposição e que consiga aumentar o prestígio europeu do clube em vez de o desperdiçar com actuações fracas. Mas eis aqui as razões que me levam a fazer esta afirmação:

1 - Vítor Pereira tem uma concepção de futebol que está totalmente errada e que faz com que a equipa tenha um futebol de baixa qualidade e pouco eficaz. Para o treinador do Porto o jogo tem de ser feito devagar e a posse de bola é um objectivo em si mesmo e não um meio para chegar ao golo. Daí o ficar feliz quando a equipa tem 70 % de posse de bola mesmo que não tenha feito mais de 3 ou 4 remates à baliza adversária. A outra característica dominante é a entrada sistemática, em diagonal, dos alas o que faz afunilar o jogo da equipa e facilita, e de que maneira, o trabalho das defesas adversárias. Como os alas têm de se juntar ao meio, o ataque acaba por ter de viver demasiado do avanço dos laterais mas Alex Sandro nem sempre o pode fazer devido ás características dos alas contrários e Danilo regrediu em vez de progredir e é hoje um jogador que não vale metade do que o Porto pagou por ele. A lentidão de processos dos dragões faz com que os oponentes tenham sempre tempo de recuperar as posições sem que o Porto consiga criar perigo.

2 - Péssima organização na defesa de bolas paradas cruzadas. Tem sido uma constante, ainda que começada já por Jesualdo Ferreira, a defesa destas situações à zona mas com os jogadores do Porto muito junto à baliza. Esta forma de defender é demasiado vulnerável a cantos (por ex.) marcados para a zona da marca de penalty com um contrário, bom cabeceador, a entrar de trás porque os defesas não têm espaço para embalarem além de, frequentemente, ficar um jogador mau no jogo aéreo a ter de defender um bom atacante. Exemplo claro foi o do golo que ditou a eliminação frente ao Málaga em que James apareceu a ter de se opôr a Roque Santa Cruz com o resultado que se sabe. Curiosamente, para o final da época, Jorge Jesus copiopu o sistema com o golo que ditou a perda da Liga Europa a ser sofrido da mesma maneira.

3 - Incapacidade de sair em contra-ataque - O Porto, ou por se encontrar a ganhar ou por opção táctica, em muitas ocasiões defendeu muito atrás, com os alas a recuarem para junto dos laterais no sentido de ajudar estes. Com isso, os dragões têm de partir demasiado de trás e o contra-ataque nunca saiu. Apesar de dispor de jogadores talhados para contra-atacar perigosamente, por serem rápidos e de grande técnica, não sairam nunca os contras sobretudo na Europa onde fizeram muita falta. Curiosamente, Jorge Jesus fez o mesmo no Dragão e com os mesmos resultados como seria de esperar.

4 - Fraco aproveitamento das bolas paradas. Seja lá qual for o tipo de lance que se considere, a sensação é que faltou sempre trabalho de preparação essencial para se tirar proveito destas jogadas que são hoje muito importantes para qualquer equipa de topo. Até nas grandes penalidades o aproveitamento foi muito baixo

5 - Muito fraca intervenção nos jogos. Ainda que o essencial do trabalho dum treinador se concentre na preparação dos jogos, a sua intervenção durante os mesmos pode garantir pontos preciosos. Mas com Vítor Pereira, apesar da intervenção miraculosamente vitoriosa no Porto-Benfica, as suas mexidas são tardias e geralmente levam a piorar o futebol da equipa. Custou-me ver perder pontos com Sporting, Marítimo e Olhanense ou ser eliminado pelo Málaga, sem tentar jogar, sem tentar um "forcing" mesmo em desespero.

(cont.)

João disse...

6 - Falta de alternativas tácticas - O Porto, com mais ou menos pressão, com os alas mais subidos ou menos, joga sempre da mesma maneira. E joga do primeiro ao último minuto. Falta mais imaginação e mais variabilidade táctica que obrigue os adversários a terem de se adaptar.

7 - Péssima gestão do plantel. Para Vítor Pereira há efectivos e suplentes. Desde que os primeiros estejam disponíveis jogam esses, depois entram os suplentes principais e só depois os secundários. Não houve nunca competição entre os jogadores. Toda a gente sabe que o nº1 foi Helton que o quarteto defensivo foi formado com Danilo, Otamendi, Mangala e Alex Sandro, sendo que o 1º suplente é Maicon e o 2º Abdoulaye. Quiñones por exemplo fez um belo jogo quando não havia mais ninguém mas nunca mais foi chamado. No meio campo, quando havia uma falta era Defour que entrava fosse qual fosse a posição e Castro, apesar das boas exiubições sempre que entrou, apenas era chamado se não houvesse mais ninguém. Na frente, apesar de alguns bons jogos de Atsu, Varela entrava sempre mesmo com exibições seguidas a rondar o péssimo e Liedson, por exemplo, nunca foi uma alternativa a Jackson mesmo para este descansar. Resumindo: não houve qualquer gestão do plantel e os jogadores foram-se acomodando. Para além dos suplentes não estarem preparados para entrar quando era necessário, houve alguns efectivos (Danilo, Varela por ex) que se acomodaram e renderam muito pouco.

8 - Maus resultados - Para quem, como eu, quer um Porto que se afirma na Europa e que está para além da rivalidadezinha com o Benfica que tem de evoluir muito antes de estar à altura do Porto, os resultados de Vítor Pereira são péssimos. Foi duas vezes cabeça de série nº1 na Liga dos Campeões e na primeira foi eliminado caindo para a Liga Europa onde perdeu de imediato e na segunda passou em 2º do Grupo para cair logo frente ao Málaga. Juntemos duas eliminações vergonhosas na Taça de Portugal, duas derrotas na Taça da Liga e duas vitórias sem brilho na Supertaça e teremos o perfil de Vítor Pereira.

9 - Baixas assistências. Como consequência do mau futebol e sobretudo de entrar em campo sempre a dormir, dando 45 minutos aos contrários, as assistências no Dragão foram as mais baixas de sempre. Na maioria dos encontros nem sequer uma plateia próxima dos detentores de lugar anual conseguiu reunir. Muita gente não vai ao estádio poara ver mau futebol e isso tem resultados negativos para a SAD.

(cont.)

João disse...

10 - Desvalorização ddos activos (jogadores). Hoje, a esmagadora maioria dos futebolistas do FC Porto vale menos que há dois anos e até algo menos que há um ano. Isso obrigou a vender Hulk no defeso passado e vai provocar sérias dificuldades à SAD este ano já que ela necessita de fazer dinheiro com vendas. O caso mais extremo é o de Danilo que não vale hoje nem metade do que o clube pagou, mas há mais casos semelhantes. A excepção será porventura Mangala e a pergunta é até que ponto V.P. é responsável por isso.

Com tudo o que atrás fica escrito, só posso defender a saída de Vítor Pereira quer ganhe ou perca o campeonato. Penso que a estrutura do Porto é tão boa que qualquer treinador consegue ganhar. Mas quando tem um bom líder, o Porto impóe-se na Europa. É o que quero ver!
António Norberto Queiroz

(roubei ao PORTOGAL, correcções minhas)

Destaco os pontos 4, 7 e 9, sendo que todos eles são argumentos de peso. Mas sim, a falta de preparação dos jogos que não se cinge às bolas paradas, a ausência de uma gestão de plantel (já nem me lembrava do Quiño que fez um óptimo jogo e ficou a ver o Mangala assumir sempre que foi preciso um DE a partir daí, o caso do Liedson então é de bradar aos céus, principalmente em jogos mais do que resolvidos) e as assistências - vi péssimas casas no Dragão este ano, numa delas estava a estrear uma lampiona no Dragão que não sabia se havia de se rir mais do estádio às moscas ou da péssima exibição que fizemos (Vit. Setúbal, espetamos duas batatas e mandamos o resto do jogo, os adeptos e quem quer que estivesse a contar ir lá ver futebol para o c***** até ao apito final).

Basicamente é o mesmo que sinto. Mais a vergonha alheia dos adeptos que fazem a mesma figura que os lampiões com o catedrático - "depois dele, o abismo!", esquecem-se que o último insubstituível batedor de todos os recordes estatísticos que cá esteve deu lugar a um puto que nos deu uma das melhores épocas da nossa história, em ves de andar anhar os mínimos dos mínimos com um plantel de luxo - o que VP está a fazer.

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...


@ João

«e não me refiro ao "consulado" de Vítor Pereira, mas também»

às vezes questiono-me se saberás ler (porque de interpretar o que escrevi, estamos conversados...)

mas eu explico-te:
é claro que também me referia ao "consulado" do Prof. Jesualdo Ferreira, de quem muito estimo.

no fundamental:
se achas que és o maior (que não só da tua rua), candidata-te «pá». e aparece mais vezes nas Assembleias de Sócio, «pá». não te acanhes nem fiques só pelas palavras, «pá». será sempre uma outra forma de praticares o teu portismo, «pá», passando daquelas à verdadeira acção, «pá». e talvez compreendas um pouco mais da «ingratidão» a que me refiro, «pá».

cumprimentos, «pá».

V. disse...

Este meu comentário não será de defesa do Vítor Pereira, de quem tenho dito que percebe menos de futebol que uma abóbora. Mas tenho de discordar do seu último parágrafo. O Fernando termina a época em grande e, ou muito me engano, ou não estará no FCP na próxima época. Lucho é um jogador a quem os 32 anos já pesam nas pernas; tem um sentido de jogo fabuloso, mas "morre" aos 60 minutos. O Castro não tem minutos suficientes para ser devidamente analisado, mas há que valorizar a atitude com que entrou nas vezes que foi chamado. E acho que devia falar no Mangala, que, fruto da lesão de Maicon, teve um crescimento espectacular, transformou-se num excelente central e, se continuar neste rumo, será de topo.

João disse...

Claro, pá. Fomos uns ingratos com o Jesualdo (que não ganhou mais nada digno de registo em lado nenhum) devíamos ter continuado com ele, tínhamos evitado aquela época vergonhosa em que ganhamos o triplete, campeonato invicto a 17 pontos do 2o, 5 secos aos lampiões e por aí fora. Volta Jesualdo!

DC disse...

"Vítor Pereira tem uma concepção de futebol que está totalmente errada"

Parei aqui. É só excelentes treinadores de bancada. Contratem-no já que pelos vistos toda a carreira académica e profissional de VP foi em vão. Um comentadorzito de treta de facebook sabe mais de futebol que ele e pode dizer com toda a autoridade que tudo o que ele pensa sobre futebol é errado.

Há gente que devia ser proibida de ver, falar ou opinar sobre futebol.

P.S. pelo que vi esse artista, pelos vistos é médico. Acho que vou passar pelo hospital e dizer-lhe que a forma como executa a profissão está totalmente errada. O quê, não posso? Já fui ao médico muitas vezes! Se um idiota qualquer por ver futebol na TV pode dizer que um treinador está totalmente errado, porque é que eu não posso dizer a um médico que ele não sabe nada de medicina?

João disse...

Toda e qualquer ser humano com um curso de treinador é o Mourinho e qualquer opinião sobre a sua performance é inválida. Nenhum treinador erra em circunstância alguma desde o momento que passa pelo menos um dia no cargo. Todas as suas decisões são validadas pelo simples e irrevogável desempenho das suas funções e o desempenho das suas funções é validado pelas suas decisões. Qualquer nível de performance é o ideal, o melhor possível nas circunstâncias, não susceptível de qualquer tipo de reparo, porque sim.

DC disse...

Foi isso que eu disse?

Se não compreendeu o que escrevi leia outra vez, se não conseguir à 2ª tente a 3ª. Se ainda assim não conseguir não posso fazer nada, não sou professor de português.