segunda-feira, 27 de maio de 2013

O impacto da venda de João Moutinho

Comecemos com um disclaimer. O negócio da venda de James Rodriguez e João Moutinho é absolutamente brutal. Num mundo em forte crise económica, conseguir 70 milhões de euros de um clube por dois jogadores no mercado europeu é algo só ao alcance dos maiores. E Pinto da Costa pertence a essa categoria. Será ofuscado como negócio do ano pelas eventuais vendas de Neymar, Bale, Cavani ou Suarez. Mas quem conhece bem o mundo do futebol - e foi só ler a imprensa internacional nestes últimos dias - sabe que este é o melhor negócio de todo o defeso. Que só agora começou.

Os números são alucinantes também porque do outro lado está o novo dono do AS Monaco, uma espécie de Abramovich em versão gaulesa. O FC Porto faz milhões à custa destes senhores, estejam na Rússia (Dinamo Moscovo com Derlei, Maniche, Costinha, Thiago Silva; Zenit com Bruno Alves e Hulk), quer estejam em Inglaterra (Ricardo Carvalho, Paulo Ferreira, Mourinho, Vilas-Boas). Que agora algum se tenha mudado para a Cote d´Azur é-nos indiferente. O importante é que o dinheiro entre nos cofres do clube e entre fresco. Ao contrário de emblemas como o Atlético de Madrid, fortemente endividados, estes clubes têm cash flow para pagar e pagar uma maior quantia de entrada - óptimo para aliviar os problemas imediatos de tesouraria - e são relativamente fiáveis a médio prazo. Essa realidade permite ter mais dinheiro agora para evitar vender percentagens de passes a fundos e para segurar alguns jogadores também cobiçados no mercado. No primeiro caso, reconheço que a minha Cruzada moral está perdida. O FC Porto vai continuar com esse tipo de negócios com terceiros misteriosos mesmo que tenha 100 milhões de euros no banco, disso tenho poucas dúvidas. Faz parte dos jogos do submundo e quem fica a perder é o futebol. Quanto ao segundo, o de segurar jogadores no plante, leva-me à venda de Moutinho e à sua real importância.


Considero João Moutinho o jogador mais importante do tricampeonato.
Não é nem nunca foi a estrela que tivemos em Falcao, em Hulk e agora em Jackson. Não é um menino-bonito dos alternativos como foram Guarin ou James. Mas é o jogador que faz mover as peças. O Benfica de 63 foi tanto de Eusébio como de Coluna. O Brasil de 70 não teria sido igual sem Gerson atrás de Pelé e todos sabemos que Messi é maior quando se associa a Xavi. Dentro do panorama português, um deserto de soluções criativos  Moutinho era esse equivalente. Não digo que esteja ao mesmo nível desses nomes, mas para o nosso país e para a nossa realidade económica, era o jogador ideal. Entrega absoluta desde o primeiro dia, melhoria de registos estatísticos ano após ano (só lhe aponto um defeito, a falta de eficácia goleadora, importante num médio das suas características) e sentido de liderança. Quando se perdeu Moutinho, na primeira parte em Málaga, a equipa veio abaixo. Na ausência de Falcao e de Hulk continuou-se a ganhar porque estava alguém a impor o ritmo, a pensar o jogo, a abrir espaços e a fazer fluir a bola. Esse alguém era Moutinho. Em 2000 sentimos muito a falta de Zahovic porque Deco ainda não era Deco. Cinco anos depois ao FC Porto faltou o "Mágico" para dar forma ao jogo ofensivo, algo que Diego quase nunca fez. Em 2010 a orfandade de Lucho, desse primeiro Lucho, era mais evidente do que nunca. Sempre que o FC Porto perde um jogador dessas características, sofre. Porque é provavelmente a posição mais dificil de preencher num plantel.

Para 2013/14 o FC Porto tem os seguintes médios no plantel: Steven Defour, Tiago Rodrigues, Carlos Eduardo, Lucho Gonzalez, Marat Izmailov e eventualmente Tozé. Herrera ainda não está oficializado mas é quase certo que venha. Fernando e Castro jogam mais atrás e não entram nestas contas. Destes elementos temos dois muito verdes mas com potencial (Tiago e Carlos), dois "veteranos" cuja condição física pode passar factura ao longo de uma época exigente (Lucho e Izmailov) e Defour, um jogador muito interessante para tapar buracos mas que terá agora de assumir a batuta de lider. Tenho as minhas dúvidas que o faça. Não é Fellaini, não é Witsel e muito menos, não é Hazard, o trio de ases do meio-campo da mágica geração belga. Espero estar enganado. Sobra Herrera, um futebolista que conheço e que vejo mais adaptado ao perfil da posição de Lucho do que, propriamente, para a de Moutinho. De qualquer das formas é outro jogador jovem e habituado a outro ritmo. A outro nível de exigência.

Sendo assim, o FC Porto 2013/14 vai atacar o Tetra e os Quartos-de-Final da Champions League sem o jogador mais importante do seu plantel. Além de ter um verdadeiro oásis na frente de ataque (neste momento o plantel conta com Jackson, Varela e Ricardo, já que Liedson volta ao Brasil e Atsu está de saída), não tem líder nem pensador de jogo. Com Moutinho, em 2010, o FC Porto conseguiu um jogador já feito que pegou directamente na equipa. Precisa de um futebolista desse nível para ocupar o seu vazio. Mas há muito poucos no mercado e menos ainda que queiram vir para Portugal. Dentro do nosso plantel, só Jackson Martinez tinha um estatuto parecido ao de Moutinho porque os golos pagam-se caros e ninguém marcou tantos como ele desde os dias de Jardel. Todos os outros poderiam ter sido vendidos, como o foi James Rodriguez, sem criar demasiados problemas em procurar solução. Reyes será o senhor que se segue na defesa, Ricardo é o sucessor de Varela, Herrera poderá desempenhar o papel de Lucho e apesar da dificuldade em encontrar bons laterais, é na direita e não na esquerda que temos um problema (de rendimento e de saída de mercado). Portanto, a venda de Moutinho pode ter gerado uma mais valia financeira importante - mesmo ignorando as contas apresentadas para dar o mínimo possível ao Sporting, algo com que todos contavam - mas desportivamente é um problema de difícil solução.



Alguns dirão que o jogador queria sair. Não acredito que seja o sonho da sua vida, o mesmo jogador que em Setembro se recusou em sair às pressas para equipas que pagavam bem e jogavam provas europeias. Nestes negócios já sabemos muitas vezes que a vontade dos jogadores chocam com os clubes (ver Hulk) e acabam por partir porque não têm muito remédio (apesar do lucro financeiro real que lhes oferece o negócio). Outros dirão que já estava a entrar numa idade que é para vender, lembrando-me que os adeptos do FC Porto deixaram de o ser para tornar-se em brokers da bolsa do compra e venda quando as acções se movem, esquecendo-se que um balneário precisa de vida própria e durabilidade para ser estável e ganhador. Provavelmente o valor real de mercado de Moutinho não fosse sequer superior aos 30 milhões (o de James andaria nos mesmos valores, pela projecção de futuro e não pelo que fez no último ano e meio, o que significa como mínimo uns 10 milhões de lucro, acrescentados) mas voltamos à velha história de sempre. O que quer ser o Futebol Clube do Porto? Um clube de futebol ou uma empresa? Um clube de futebol com um papel importante na Europa ou um clube de futebol que se limite a limpar o burgo, uma das ligas mais desequilibradas e desinteressantes da Europa? Um clube de futebol que quer aspirar com Vienas, Sevilhas, Gelsenkirchens e Dublins ou que se conforma com cair com os Málagas ou Schalkes do futebol europeu?

O que quer ser, realmente, o Futebol Clube do Porto está escrito neste negócio. Financeiramente somos uma máquina, um exemplo para ser dado nas escolas de gestão. Desportivamente somos cada vez menos ambição, cada vez menos querer e cada vez menos uma equipa que impõe a sua lei e que por isso tem de sofrer até aos suspiros finais de uma liga bipolarizada quando três meses antes deixou a Europa cedo demais para quem tão bons negócios é capaz de fazer!

61 comentários:

to13 disse...

Para o ano vai ser uma época complicada e ainda bem que vamos como tri-campeões.

Defendo a contratação de um lateral direito e juntar o Danilo aos jogadores do meio-campo. Acho o brasileiro um jogador fantástico e acredito que ganhamos mais se ele jogar no meio. A lateral é um razoável jogador, só isso.

Anónimo disse...

concordo com muito do que se disse, eu também sou da opinião que muitas vezes é preferível manter do que vender. No entanto, há jogadores que são bem vendidos. Penso que Moutinho e james se enquadram neste último lote. os números estão claramente inflacionados, e a liquidez financeira vai permitir ao porto trazer gente com muita capacidade para o meio campo e o ataque.
só tenho pena que tenham deixado aqueles dois sérvios para o slb, porque penso que vão mesmo dar jogadores. (quem sabe se não terá sido por falta de liquidez financeira?)

o porto precisa desesperadamente de soluções ofensivas, ainda mais quando saiu james e vai sair atsu, varela não é de top e ricardo ainda é muito verde. Precisamos claramente de dois alas e um PLC para o banco.

moutinho é grande jogador, mas peca por não ser muito decisivo no último terço do terreno. é extraordinário a circular a bola, mas menos bom no que toca a rasgar uma defesa ou a marcar um golo de fora de área. com lucho fora de forma, este ano a nossa posse de bola foi muita vezes inconsequente por isso mesmo.

no meio campo o fernando não sei se vai engolir mais um ano no porto, o homem está para sair há 2 salvo erro. se sair, temos todo um meio campo para reconstruir. Lucho está muitos furos a baixo do que era, e precisamos de uma alternativa séria para o substituir. a saltar do banco deste ano só vale a pena contar com defour, que como já disseram, não é nenhum jogador de top. o c. eduardo a ver vamos, mas para já não contava que ele fosse mais do que uma solução no banco. espero estar enganado.
Portanto, ou muito me engano ( a contar com a saída do fernando), vamos precisar de contratar mais 2 médios.

A defesa acho que vai precisar de uma solução para as laterais no banco, pelo menos um bom DD ou DE que dê para tapar possíveis furos.

Resumindo e contando com a saída de atsu e fernando, eu contratava:

um DE/DD - salino em final de contrato seria um boa aposta.
um Mdf - badu do udinese está tb em final de contrato.
um MC/MAC - clasie ou van ginkel. dois holandeses, parecem bastante promissores. aqui seria necessário gastar alguma pasta...
dois extremos - honda do cska acaba contrato este ano; licá do estoril seria outra solução interessante.
um PLC - artem milesvsky acaba contracto este ano com o kiev. guilas ou éder eram outras hipóteses.

outra solução seria puxar danilo para o meio campo (tal como jogava no santos) e acrescentar um novo lateral direito para o banco, ficando o salino a titular.

Possivel plantel

GR: Helton, fabiano, kadu
DE: alex sandro, quinones
DD: salino, danilo
DC: mangala, maicon, otamendi, reyes, ba
Mdf/MC: Badu, defour, castro, tiago rodrigues
MC/MAC: lucho, herrera, clasie/van ginkel, c eduardo
EXtremos: varela, licá, kelvin, honda, ricardo
PLC: jakcson, milevski/éder/guilas

um plantel equilibrado, cujo orçamento deverá andar pelo mesmo nível destes ultimos anos

como a final da champions para o ano é na luz, acredito que o slb se vá reforçar em peso, nem que se endivide todo. não estou preocupado com a vitoria deles na champions, porque não acredito nela, mas se já este ano perderam tão poucos pontos no campeonato, prevejo que este ano ainda vá ser pior para o nosso lado.

com um plantel assim tinhamos onze, tinhamos banco, dava para atacar as 3 frentes internas e sonhar com algo mais que os oitavos da champions.

como não conheço bem o campeonato mexicano ou o equatoriano(lol), não dei muitas soluções de lá. acredito que haja alguém que o fcp esteja de olho e que seja mais viável que os que coloquei.

saudações portistas de um novo user deste blog,
PG

Pedro Matias disse...

Penso que o Danilo pode ser o substituto do Moutinho, deixando por preencher a vaga de lateral direito que certamente será mais fácil de encontrar.

Para o ataque não nos devemos esquecer do Kelvin. Não que seja um jogador para jogar muitos jogos mas depois do que nos deu neste campeonato acho que seria muita ingratidão não o incluir no plantel.

Carlos Santos disse...

Concordo com muito pouco.

O Miguel Lourenço fala como se o Porto tivesse como possibilidade não vender estes activos. Não tem alternativa, tem mesmo que os vender. E como não temos outra possibilidade senão vender, resta-nos ser os melhores a vender. E somos.

Também não concordo com essa conversa do "atacar os quartos" da Champions. Ter ambição é muito bonito, mas neste caso parece-me irrealista. O objectivo do Porto na Champions dos dias de hoje é passar o grupo. Mais que isso, só dependendo do sorteio. A diferença de meios para os "monstros sagrados" e para os "novos ricos" é demasiado grande.

DC disse...

Sinceramente acho que a posição do Moutinho é das mais fáceis de substituir no futebol.
É muito mais difícil, na minha opinião, encontrar um bom lateral ou um bom trinco do que um bom 8.

Moutinho é um enorme jogador mas preocupa-me muito mais uma possível sucessão ao Fernando.

Quanto ao Danilo, continou sem perceber que problema é que temos à direita. O problema de termos o melhor lateral direito do campeonato, titularíssimo na melhor defesa da Europa? Muitos problemas desses houvessem.

Anónimo disse...

O João Moutinho foi ganhar 8 milhões limpos por ano, fora prémios, achas que ele queria ficar??
Lateral temos o Fucile, preocupa-me mais um ponta de lança do que o resto, o Jakson é máquina mas se tem um azar é que é muito grave.

Anónimo disse...

700000€/mês acho que ajudam a convencer o atleta a mudar-se para a Côte d'Azur.

Anónimo disse...

Duas notas:
- O dinheiro que vem do Monaco, vem realmente fresco, porque vem acabadinho de lavar. É triste, mas é mesmo assim, e o que é que a gente pode fazer?
- A solução para a saída de Moutinho já está no plantel e chama-se Danilo.

Luchugo disse...

Idem ao comentário do "to13" acima.

Danilo entra para as contas do meio campo se se quiser rentablilizar os 19 M Euros do seu passe.

Fora isso, acho que difícilmente encontraremos outro Moutinho, como à muitos anos não encontramos um Deco (será agora Carlos Eduardo?).

Moutinho esteve para o Porto como Xavi está para o Barça e o Porto terá de se adaptar à nova realidade. Se num clube com quase 120 anos de história ficamos ansiosos por um jogador que cá esteve 3, então estamos mal.

Mais relevante que a venda (absolutamente fenomenal dentro dos pressupostos da "Crise") é a ideia que fica de "reformação" da equipa. O que para mim é o mesmo que dizer "vem um novo treinador com novas ideias, ele que resolva a nova equipa com o novo plantel".

Penso que não ficarão por aqui as saídas. Atsu poderá sair em breve se não renovar e Abdoulaye tem mercado. A menos que Mangala seja vendido por uma oferta irrecusável precisamos de abrir espaço para Diego Reyes.

FC Porto 2013-14 (visto à distância de hoje)

GR - Helton (Fabiano, Kadú?)

DD - Danilo?, ???

DE - Alex Sandro, Quiñones

DC - Otamendi, Maicon, Mangala, Reyes

6 - Fernando, ???

MC - Defour, Lucho, Izmaylov, Castro, Carlos Eduardo, Tiago Rodrigues, Tozé

Ex - Varela, Atsu?, Ricardo, Iturbe?

Av - Jackson, Kléber?, Caballero?, Vion?,


Por aqui se pode verificar que os problemas não estão no meio campo mas sim na ala direita e na frente de ataque no que diz respeito a alternativas a Jackson.



Pedro Ramos disse...

Confesso que nao concordo minimamente com a sua conclusao, sou aliás dos poucos adeptos que fica contente que o tempo das vacas gordas termine, até porque nunca vi nenhuma vantagem nisso, bem pelo contrário.
Se a vontade é sermos como um Mónaco basta vender o clube a um qualquer magnata russo, mas eu nao quero isso.
Aliás a sua conclusao final aplica-se a uma época em que o 2º classificado tem apenas 1 derrota, até o Barça teria de lutar até à última jornada.
Perdoa-me a expressao, mas o caro dá a ideia de que se pode ser grande na europa apenas porque sim e que podemos contratar e manter os jogadores porque nos apetece e sobretudo dá a ideia de que a ambiçao resulta da injecçao financeira no plantel(para mim um dos erros terríveis que a SAD cometeu no tempo das vacas gordas).

Eu até sou daqueles que pensa que é necessário mudar vários aspectos no "negócio" do clube, como uma maior aposta na formaçao, mas mesmo isso, é cada vez mais arriscado porque muitas vezes apenas significa que os jovens sairao mais cedo do clube. Vejam o caso do Guimaraes ou do Sporting e a dificuldade que têm em segurar jogadores que ainda esta época apareceram, e nao se trata apenas de dificuldades financeiras porque os jogadores na maioria dos casos sao os primeiros a pressionarem para sair.

O que quero disser com tudo isto é que nao basta querer, um clube como o Porto tem de reunir uma serie de condiçoes, que podem ser circunstancias ou podem resultar de um ciclo de crescimento para que essa aposta europeia possa ser uma realidade.

Silva Pereira disse...

Boa tarde,
Excelente texto, mas parece-me ver uma certa nostalgia do passado no sentido de que o futebol era mais romântico e menos mercantilista.
O fato é que assistimos desde alei Bosman a cada vez mais os clubes estarem reféns (uns mais do que outros) dos empresários e concomitantemente dos jogadores. Há muito que compreendi isto e pensar que JM, James (exemplos) queriam continuar desculpe que lhe diga mas é um pouco naïf, recordo-me bem as razões porque JM saiu do SCP, aceito isso como normalidade e é legítimo da parte dos jogadores, o que não aceito são os exemplos de AP, Rolando, … que resumindo são pessoas sem caráter porque quando se aceitam os contratos eles só são para ser rompidos no interesse de todas as partes.
Infelizmente num país com uma economia e um mercado que temos só existe (pelo menos não vejo isto a mudar) o caminho traçado pelo FCP e até vejo com muito bons olhos estes novos playeres, que vieram fazer com que as trutas (UM, RM, Chelsea, MC, Barcelona) conseguissem esmagar com os clubes da dimensão do FCP, veja-se o que no passado recente esses clubes faziam aliciavam os jogadores com ordenados e serem inseridos nesses projetos e faziam as negociações arrastarem-se até quase ao fim do mercado para os clubes cederam, temos exemplos no FCP e nesses clubes.
Ora precisamente essa entrada de novos competidores vai fazer alterar essa tendência, por um lado os grandes craques não ficam concentrados nesses tubarões e por outro lado permite a clubes como o FCP ter mais liberdade de ação em contrapartida os tubarões deixam de fazer tanto bluff.
Eu pergunto porque é que a FIFA não muda os períodos (que seria lógico) de transações?
Porque como todos sabemos é da conveniência desses tubarões.
O que o FCP terá que fazer na minha modesta opinião é cada vez mais ter um bom scouting e fundamentalmente em Portugal e melhorar a sua formação (inclui a equipa B).
Quando penso que o Thiago Silva (PSG) e Steven Vitória (entre outos) passaram pelo FCP e ninguém se apercebeu das suas qualidades isso deixa-me apreensivo.
Será que a formação não se virou para as influências dos amigos e familiares em detrimento da qualidade? Quando assisto a um jogador de 36 anos correr e meter o pé mais do que algumas “vedetas” de 19 e 20 anos, acho que algo está errado.

Joao Goncalves disse...

Eu discordo em absoluto do remate do Post, que é completamente absurdo.

Dizer que desportivamente somos cada vez menos ambição é tão estupido que nem consigo sequer qualificar.

Todos sabem e o Miguel também deveria saber, que a UNICA maneira de mantermos a ambição desportiva é vender pois são esses maquias que fazem frente ao enorme desequilíbrio orçamental entre receitas e despesa corrente.

Sem vender Moutinho e James, não podíamos ir ao mercado e nem poderíamos pagar os salários que pagamos e que nos permite ter os jogadores da categoria que temos (basta olhar para o Sporting e ver onde iriamos parar).

Portanto e ao contrário do que o Miguel Lourenço diz, vender é mostrar ambição desportiva.

Quem lê este artigo deve pensar que estamos a falar de um clube que em receitas de bilheteira e publicidade faz 150M€ anuais e que vendemos porque nos apetece... sinceramente...

Miguel Lourenço Pereira disse...

Carlos,

O FC Porto pode escolher quem vende, mesmo tendo necessidade de vender, e calcular dentro do plantel quem faz mais falta. Vender o Mangala e o James custa menos ao jogo do FCP do que vender o Moutinho, é uma obviedade táctica. Outra coisa é que um jogador exija ser transferido. No caso do Moutinho, sendo o Monaco o clube em causa (depois de ter recusado o Zenith e o Tottenham) não acredito que seja o caso.

Quanto à Champions, claramente temos pontos de vista diferentes. O Carlos quer um FCP forte em casa e pequeno na Europa, em quero um FCP muito forte em casa e grande na Europa. Que existe exigência de estar sempre nos Quartos? Não. Que se o sorteio dos oitavos nos dita com um clube com um orçamento 4 vezes maior temos de passar? Não. Mas somos cabeças-de-serie há dois anos e os cabeças-de-serie têm de estar na luta pelo top oito. E para isso é preciso ter um plantel em condições.

José Rodrigues disse...

Vamos por partes... primeiro consideracoes sobre o impacto desportivo da saida do Moutinho.

Pois bem, ele e' um excelente jogador (e para mais o Lucho esta' cada vez mais velho) logo ha' motivos para preocupacoes.

Dito isto, eu quero acreditar que o papel que desempenhava (medio de transicao) podera' ser bem colmatado ja' que nao e' das posicoes em que as solucoes mais rareiam no mercado. Pode ate' vir a ser uma oportunidade de certa forma, ja' que se calhar o que vamos ficar a perder em "rotacoes" (que vamos) e posse de bola ficamos a ganhar em poder de fogo e criatividade, pontos menos fortes do Moutinho. A ver vamos.

Miguel Lourenço Pereira disse...

To13,

Um lateral direito é fundamental com ou sem Danilo, é uma posição sem suplente natural desde a venda do Miguel Lopes. Já falei várias vezes na possibilidade de colocar o brasileiro no meio-campo, mas vejo-o mais como um jogador de musculo do que propriamente de criação e alguém naquele tridente tem de pensar o jogo.

Miguel Lourenço Pereira disse...

PG,

O problema é precisamente esse. Moutinho fazia o que mais ninguém no plantel sabia fazer. Era a posição de Lucho (e Izmailov) a que cabia dar um passo em frente e rematar e procurar superioridade na área. Mas raramente o logrou. Mantendo os dois jogadores no plantel e perdendo aquele que pautava o ritmo, o defict é evidente.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Pedro,

Como disse antes, o Danilo no meio-campo faz todo o sentido, mas não para fazer circular a bola e pensar o jogo.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Anónimo,

O Moutinho foi ganhar muito dinheiro, sem dúvida. Também a oferta do Tottenham e do Zenit, clubes em provas europeias, eram mais substanciais do que o salário que tinha no FCP e recusou obrigando a SAD a vender Hulk à pressa. Ao contrário de James, não o imagino a ir para o Monaco totalmente feliz e contente.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Repito o que disse atrás!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Pedro,

O FCP não pode ser vendido, é dos sócios e detem maioria na SAD, portanto esse cenário não se coloca. Qualquer clube pode procurar ser grande na Europa se tiver um plano preparado para isso. O Dortmund há seis anos estava na situação em que hoje está o Sporting, precisou de empréstimos do Bayern para não fechar as portas, vendeu o naming do estádio, dispensou os jogadores que cobravam fortunas e nesse periodo de tempo forjou uma equipa de jovens preparada para vencer. Há três anos alguém se atreveria a chamar ao Dortmund um grande da Europa? Agora há alguém que pense o contrário?

O problema é que o FCP no tempo das vacas gordas nunca pensou nessa linha, consolidou a hegemonia interna e ficou a ver o tempo passar. Agora estão a pagar o preço dessa gestão financeira negligente. Mas isso não implica que não exista uma mudança de rumo. E essa mudança de rumo tem de ter um perfil claro. Dominar em casa e fazer boa figura na fase de grupos da UCL para depois logo se ver ou dominar em casa e ir mais longe sempre que possível na Europa? É a decisão que vai pautar o fim do mandato de PdC!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Silva Pereira,

Eu entendo que os jogadores queiram mudar, seja pelo motivo que for, dinheiro, prestigio, titulo,etc. Mas quando têm contrato com um clube é o clube se decide se vende ou não. O ano passado o clube tentou vender o JM para não vender o Hulk e esse disse que não. Este ano, de repente, disse que sim a um cenário menos atractivo que ir para o Tottenham ou eventualmente para o Zenith (onde ganharia algo muito parecido ao que ganhará no principado) e parece-me estranho a não ser que saiba algo sobre o futuro imediato do clube que desconheça.

Um Thiago Silva pode sempre escapar, o problema é que não se aproveite um só jogador dos escalões de formação há quase uma década.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Zé,

Faz todo o sentido mudar o esquema de jogo se não existe no plantel um jogador capaz de cumprir essa função. O meu receio é a aposta num modelo à Jesualdo, com Danilo/Defour e Lucho/Izmailov, mais físicos, com a linha defensiva mais recuada à procura dos espaços no contra-ataque. Já vimos no que isso dá. A presença do Moutinho (do Deco, do Zahovic, do Diego, do primeiro Lucho) permite saber pensar o jogo de outra forma. Se ninguém segue o seu ritmo é um problema mas quando a equipa está bem oleada, como sucedeu com o AVB, o resultado é notável!

DC disse...

Pelo contrário, o que não faltam são grandes médios centros por todo lado. Danilo nunca seria nada de especial nessa posição, pelo menos não o suficiente para valer mais de 20 milhões.

Já defesas direitos quantos de topo existem no mundo? Nem o Real, Milan ou Utd têm defesa direito a sério.
É nessa posição que o Danilo pode ser realmente bom e valer muitos milhões. E é essa a posição dele mesmo que ele diga o contrário. Tem todos os atributos para ser grande lateral, tem poucos para ser grande médio.

Carlos Santos disse...

Caro Miguel,

vivo há mais de 10 anos na Alemanha.

Atrevo-me a dizer que um caso de sucesso como o do Dortmund nunca seria possível noutro país que não na Alemanha. Ou pelo menos nunca em tão pouco tempo.

Os apoios, a dimensão do mercado, a excelente distribuição demográfica, etc etc

Pedro Ramos disse...

Caro Miguel,

Já estava à espera que desse como exemplo o caso Dortmund, pois, mas a formaçao na Alemanha é pensada como um todo nao apenas num clube. Depois vejamos o panico que seria estar 3 épocas sem nada ganhar para podermos criar uma equipa enquanto os rivais acumulam titulos.
Mais, nao concordo que o clube possa escolher quem vende, isso dependo dos interessados, do valor de mercado de cada um e da vontade do jogador. Acredito que adeptos e gestores do clube quisessem vender Atsu, Varela ou Otamendi mas é necessário que alguém esteja interessado em compra-los pelo preço certo e todos sabemos que os bons é que sao procurados( a ideia que o caro deixa de que foi Moutinho a recusar o Totenham para mim é novidade, o que se falou é que houve um problema pelo facto do Porto nao ser detentor de todo o passe do jogador, nada mais). Veja como o Dortmund já ficou sem Gotze e Lewandowski sem poder dizer uma palavra, e para o seu rival interno.
Por fim é necessário a capacidade e sorte de escolher alguém que seja capaz de promover toda esta evoluçao, como foi Jurgen Kloop.

Agora imagine que tudo isto se passa no Porto, que estamos 3 anos para ser campeoes e 6 para chegarmos à final da champions, e agora? Saem as maiores estrelas, provavelmente sai o treinador, repetimos o processo, mais 2 ou 3 anos para voltarmos a refazer a equipa?
É que no fundo o que leio aqui é já o pânico de podermos nao ser campeoes para o próximo ano, partindo como tri-campeao, dá que pensar ou nao?

Agora se quer que concorde consigo sobre como no tempo das vacas gordas se cometeram muitos erros de gestao e nao evoluímos correctamente em vários aspectos, aí dou-lhe toda razao.

Pedro Albuquerque disse...

http://www.fcporto.pt/IncFCP/PDF/Investor_Relations/RelatoriosContas/RelatorioContas1S12CONSOLIDADO.pdf

Pelo que vejo aqui o FC Porto pode ser comprado. Só 40% está nas mãos do FC Porto. (a menos que a informação esteja errada). Outros 40% está na mão de 3 empresas.

Ou seja, a meu ver nada impede de um russo, árabe ou etc, vir aqui e comprar o resto dos 60% que está nas mãos dos accionistas e espalhado em mercado.

Silva Pereira disse...

Boa tarde,

Meu caro Miguel L Pereira estou de acordo consigo, talvez me tenha explicitado mal.
O meu enfoque é o que infelizmente o lado financeiro é cada vez tem mais força e o exemplo que refere do JM de não ter saído no ano passado reforça a minha ideia de os clubes dos campeonatos mais fortes tentaram até ao último minuto negociar para obterem melhores condições.
Estou completamente de acordo consigo que os contratos são para serem cumpridos (sou dos que acredita na palavra dada) e só devem ser cancelados no interesse das partes e não como alguns fazem tomam posições leoninas para pressionarem os clubes nomeadamente quando a sua idade é inferior a 25 anos.
A ideia que queria passar (e não tenho Insider Information) é a de que deve ser muito complicado para quem detém os direitos económicos e desportivos conciliar o melhor dos 2 interesses e o exemplo paradigmático é o do AP, não foi transferido por 20 M e passou um ano a “pastar” e por fim foi transacionado por metade.
Sabendo que hoje os jogadores são vistos como investimentos em ações, os dividendos são os ganhos desportivos dos clubes mas as transferências são como os ganhos (comissões) dos negociadores (bancos, e as bolsas).

Silva Pereira disse...

sócios é que mandam no FCP SAD é conveniente esclarecer o seguinte:
O capital social do FCP é constituído da seguinte forma 15 000 000 ações a 5€ perfazendo 75 000 000 € , estando dividas em ações do tipo A (40% detidas pelo FCP) e 60% do tipo B e a cada uma está conferida um direito de voto.
Estando conferidas às ações do tipo A (as detidas pelo FCP) um direito de veto se estiverem em causa (logicamente em assembleia geral de acionistas) situações de fusão, cisão, transformação ou dissolução da sociedade ou alteração dos ESTATUTOS, aumento e redução de capital social ou mudança da sede social.
ASSIM SENDO É FÁCIL PERCEBER QUE QUANDO SE DIZ QUE OS SÓCIOS MANDAM NO CLUBE É MUITO RELATIVO. FÁCILMENTE SE COMPRENDE QUE PARA A GESTÃO CORRENTE TEM INFLUÊNCIA MAS NÃO TEM O CONTROLO.
DISTRIBUIÇÃO DO CAPITAL TIPO B
Imobiliária Sacyr (Somague) …………… 18,79%
António Oliveira ……………………………… 11,01%
Joaquim Oliveira …………………………….. 10,01%
JNPC ………………………………………………… 1,23%
Reinaldo Teles ………………………………………... 0,07%
Restante capital não identificado no R&C
Assim sendo quando diz que os sócios do FCP mandam na FCP SAD é relativo


Miguel Lourenço Pereira disse...

Carlos,

Naturalmente a Alemanha, um país mais evoluido que nós em todos os sentidos, é um espaço muito mais preparado para a criação de um modelo de sucesso em tempo recorde como o Dortmund.

Pedro,

A concorrência do Dortmund na Bundesliga é muito superior à que o FCP tem aqui, esse cenário não se coloca. Aliás, em nenhum lugar eu disse que uma coisa excluia a outra. Pelo contrário, é preciso uma base sólida interna para dar o salto para fora.
Quanto ao mercado, naturalmente que jogam em campo muitos factores mas quando um clube sabe que pode escoar 3 ou 4 jogadores, deve saber eleger quais são os que menos falta fazem. Agora mesmo, Jackson e Moutinho seriam os mais importante, muito por cima de James e Mangala. Eu não tenho pânico nenhum a não ser campeão para o ano, o FCP tem obrigação de o ser. Se não for, não é nenhuma tragédia como não seria esta época. Nem falo de estar três ou seis anos sem ganhar. O Dortmund vendeu o Gotze (producto de formação, lucro a 100% não como o James, cuidado) e já comprou o Eriksen, um jogador do mesmo perfil e uma qualidade muito similar. Não perde nada no seu modelo de jogo. Nós sem Moutinho, até ver, sim.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Vender é mostrar ambição?

Vou guardar esta frase, é imaculada.

Vender o excedente é sinal de inteligência, vender o fundamental ou é desespero (para pagar as contas porque as mesmas foram mal feitas) ou azelhice. Qualquer clube que quer ser grande não quer vender os seus melhores jogadores. Outra coisa é que o tenha de fazer pelo motivo que seja.

O FC Porto não faz receitas de 150 milhões anuais mas, que eu saiba, foi o clube que mais dinheiro recebeu em vendas no Mundo na última década, o que dá que pensar para onde foi esse dinheiro que é tão urgente vender o Moutinho para pagar salários João.

Na Europa o FC Porto não é ambicioso. É um facto que os resultados ano após ano demonstram. Não é ambicioso porque tem desenhado planteis que nem permitem preencher as vagas exigidas, com a eventual consequência de não ter jogadores nos momentos chave. Não é ambicioso porque se contenta com o discurso de que os Oitavos é que são bons quando todos os anos há sempre Galatasarays, Schalkes, Apoels e Benficas que vão mais longe.

Uma coisa é dizer que fizemos um grande negócio financeiro, que fizemos, e que as contas estão mais bem saneadas. Outra coisa é dizer que vendemos porque temos ambição.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Os sócios, através da direcção do clube, podem opor-se à venda ou a um take-over hostil de qualquer elemento que procura impor uma política à Abramovich.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Silva Pereira,

Claro que é complicado e na SAD há pessoas que trabalham muito bem. Vender o James, seja por 40 ou por 25 milhões, é um grande negócio. A venda do Moutinho também, apenas digo que cria problemas desportivos e nós ainda somos um clube de futebol e não uma empresa desenhada para dar lucro. Sendo assim é sempre possível procurar medidas que não ponham em causa o sucesso no relvado e que permitam manter as contas em dia. Viu-se a falta de golos de Falcao há dois anos, por exemplo!

Anónimo disse...

concordo. Danilo faz essa posição de 8 e bem. se o fizer vai fazer de forma diferente de Moutinho não recorrendo tanto a passes curtos como fazia o Xavi algarvio mas fazendo um jogo mais ao estilo Maniche arriscando passes longos que já provou que faz muito bem. Agora, coloca-lo a defesa direito por favor não. apesar de cumprir, já mostrou que está a fazer um frete.

Anónimo disse...

Danilo faz essa posição de 8 e bem. se o fizer vai fazer de forma diferente de Moutinho não recorrendo tanto a passes curtos como fazia o Xavi algarvio mas fazendo um jogo mais ao estilo Maniche arriscando passes longos que já provou que faz muito bem. Agora, coloca-lo a defesa direito por favor não. apesar de cumprir, já mostrou que está a fazer um frete.

Bluesky disse...

A 1ª vez que fui de férias para o Algarve foi numa 4L repleta de gente e tralha. Eram camiões TIR, BMW, Mercedes e Fiat's todos a passa por mim. Demorei 12 horas (!!!) para lá chegar, mas cheguei e gozei esplendidamente as minhas férias...
Isto para dizer o quê?
Que podemos não ser competitivos financeiramente mas podemos ser desportivamente pois se há jogadores que vendemos é sinal que enquanto estão no FC PORTO podem ombrear com os mais fortes da Europa!!!!
Por isso acredito que de vez em quando nos caia uma Liga dos Campeões no colo, e a Liga Europa vamos ganhá-la muitas mais vezes...

Miguel Lourenço Pereira disse...

Bluesky,

Espero não voltar a ganhar a Liga Europa em muito tempo. Seria mau sinal!

DC disse...

Eu não vi o Danilo a fazer frete nenhum. Tem estado a um nível médiano, pode fazer melhor talvez mas tem estado bem.
Tem mais golos e mais assistências do que o Alex Sandro, por exemplo, e é nas arrancadas a partir de trás que tem a sua grande arma.

No meio-campo seria banal, como lateral pode ser dos melhores do mundo. Tem muitos traços de Bosingwa ou Dani Alves, dois jogadores que começaram como médios mas só atingiram o estrelato a laterais.

DC disse...

realmente comparar o Dortmund ao Porto tem uma lógica...

Com as receitas televisivas e as assistências do campeonato alemão nós há muito que eramos um dos 3 melhores clubes do mundo. Agora, estamos em Portugal que eu saiba.E se em Portugal também não há nada que se compare a Mercedes, Porsche, Adidas, Puma, Siemens, etc não me parece que seja minimamente razoável sequer comparar o Porto a qualquer clube alemão.

DC disse...

Um clube com 3 troféus europeus nos últimos 10 anos não é ambicioso na Europa? É para rir?

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Não consegue ser sério por uma só vez?
Estamos a falar do periodo recente do FCP, dos últimos quatro ou cinco anos se quiser (mandato JF+AVB+VP), não do que se passou há quase uma década. A Europe League, como foi facilmente perceptivel este ano, é um torneio no qual só competem a sério equipas espanholas, russas e portuguesas e um ocasional representante inglês. No ano em que o ganhamos foi com esses que jogamos e nesse sentido, o FCP é muito superior a todos os rivais que disputaram os quartos desse torneio. Era a sua obrigação ganhar.

O que é que isso tem a ver com a falta de ambição europeia na Champions League?

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Eu não comparei o FCP ao Bayern, uma máquina de fazer dinheiro à alemã. Não o comparei ao Schalke 04 que tem um orçamento muito superior ao do Dortmund. Comparei-o a um clube falido há seis anos que tem uma máxima salarial de 4 milhões de euros (o Gotze e o Lewandowski) seguida de uma série de jogadores que ganham entre 1 e 3 milhões de euros. Valores que não são do outro mundo. Claro que o Borussia tem o Westfallenstadion e os contratos televisivos, mas não tem 10 anos a ser o melhor vendedor da Europa (com mais de 200 milhões de euros em vendas de jogadores) nem a hegemonia nacional que permite todos os anos meter ao bolso, como minimo, 12 milhões de euros pela Champions.

DC disse...

Não consigo ser sério? ganhamos a liga europa há 3 anos, este ano chegamos aos oitavos da champions e fizemos alguns jogos muito bons contra equipas com orçamento 20 vezes superior ao nosso. Perdemos por detalhes na mesma fase em que perdeu o Man Utd por exemplo, também por detalhes.

Eu não sei se sou sério, mas pelo menos lunático tenho a certeza que não sou.
Por alguma razão mais nenhum clube português ganha nada na Europa há mais de 50 anos. O que nós fazemos na Europa é que é uma excepção e um trabalho hercúleo, dizer que não somos ambiciosos é pura demagogia e conversa para encher chouriços. Nós temos orçamento para ficar em 3º ou 4º na fase de grupos. Como normalmente somos muito competentes ficamos quase sempre em 1º ou 2º. O resto é conversa!

Pedro Albuquerque disse...

Entre ganhar uma liga europa de vez em quando a ficar constantemente nos grupos ou nos quartos de final contra equipas menores, prefiro a primeira opção!

Isso não é falta de ambição, é a realidade!

Pedro Albuquerque disse...

Como se o FC Porto só detêm 40% da SAD?

DC disse...

Sim, é muito bonito falar de receitas.
Agora deixe-se de conversa e fale de despesas.
Vendemos bem, sim! Mas temos sempre um défice estrutural de 10, 15 milhões. Portanto todas essas vendas que fazem têm que ser para abater passivo e reforçar o plantel.
E ou anda muito distraído ou ainda não percebeu que os nossos reforços têm custado 10, 15, 20 milhoes (Hulk, James, Lucho, Lisandro, Alex, Danilo, Moutinho).
Portanto, o dinheiro dá-nos para fazer face ao facto de, cronicamente, termos um prejuízo no final do ano e para reforçarmos o plantel após as vendas com promessas sul-americanas que já não saem nada baratas.

Já o Dortmund faliu sim, mas agora chega ao fim do ano e não precisa de vender ningué, porque tem uma média de ocupação do estádio de 100%, porque tem receitas televisivas astronómicas, etc...
E já não vou entrar em questões de formação entre um país que tem 80 milhões de habitantes face a um que tem 10, ou em questões salariais entre um país que paga metade de impostos sobre o rendimento do que nós pagamos em Portugal.

Uma coisa é ter ambição, outra é ser vendedor de banha da cobra. O Miguel faz lembrar o outro Miguel, o Gonçalves, para o qual é tudo muito fácil, basta ser empreendedor e inovador e o catano...
Situe-se!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Pedro,

Não me parece um racíocinio lógico.
Para ir à Liga Europa temos de a) ficar de fora dos dois primeiros lugares e perder o play-off do 3º b) ficar em 3º num grupo em que somos cabeças de série. Em ambos os casos é sinal de um péssimo resultado desportivo.
Que pode suceder uma vez cada oito anos, tudo bem, pode passar. Mas não pode ser a bitola do FCP. Não é para isso que temos o orçamento que temos.

Ficar nos quartos-de-final da UCL dá mais prestigio e dinheiro que vencer uma Europe League. Essa é a realidade!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Tem direito de veto sobre alteração dos estatutos, fusões e tomada de posse de uma entidade com percentagem superior aos 50%!

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

O orçamento do FCP não pode competir com um lote de dez equipas europeias de topo. A partir de aí há um equilibrio real, é o grupo onde o FCP faz parte. Dito isso, o orçamento no futebol não é tudo, como nós ou o Dortmund são bons exemplos.

O FC Porto este ano jogou só com uma equipa com um orçamento superior e perdeu uma eliminatória com um clube banido pela UEFA das provas europeias por problemas financeiros e que não tem os salários em dia há um ano. Facto. O Manchester United perdeu com o Real Madrid. Isso é ser demagogo. Se o FCP tivesse perdido com o Madrid, o City, o Barcelona, o Bayern ou o Milan não diria nada. Mas não. Perdemos com o Schalke, perdemos com o Malaga e até com o Arsenal, um clube contra o qual jogamos numa altura em que investiam no mercado menos do que nós. Isso é um facto facilmente comprovável.

Nós temos orçamento para estar no top 12 da Europa, nem que seja pelo simples facto que equipas de orçamento de topo se auto-eliminam, como sucedeu este ano. Temos mais do que isso. Estrutura e savoir faire, coisa que falta a muito clube (ver City). Se quiserem continuar a meter a cabeça debaixo da areia e a pensar pequenino não sou eu quem se vai incomodar. Cada um sente o clube como quer e pede ao clube o que quer. Cada um reflecte aquilo que é. Eu posso perfeitamente ser um lunático, mas é de lunáticos como o Pinto da Costa ou como Pedroto que o FCP se fez o que é hoje. Benditos lunáticos digo eu!

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Falo em despesas sem problema. Despesas incompreensiveis, culpa da nossa SAD, como já se analisou aqui várias vezes. Eu não tenho culpa que a SAD pegue no dinheiro dos lucros e os gaste mal. Em despesas com jogadores que não valem nada, em despesas com pessoal admnistrativo, em despesas com compras e recompras de passes a fundos. Nem eu nem nenhum adepto ou sócio do FCP. Se essa mesma direcção nos vende os nossos melhores jogadores que depois seja capaz de pegar nesse dinheiro e dar-lhe bom uso. Essas despesas que permitiram engordar o passivo até números que não se adequam com uma equipa que faz todos os anos 12 milhões em Champions e 30 a 40 milhões só por vendas são um problema. Mas não é um caso estrutural, senão um erro de gestão desportiva.

A comparação com o Dortmund é para quem entende, não para quem a quer levar à letra. Simplesmente é uma análise a um clube que soube fazer as coisas muito bem. Não vejo nenhum outro alemão, salvo o Bayern, com tão bons resultados e todos eles têm receitas televisivas, uma pool de formação tremenda e uma ocupação do estádio altissima. É um exemplo a seguir não um modelo calcado. Agora bem, o Dortmund apostou na formação e nós na compra de sul-americanos. Isso é uma decisão sua, mas curiosamente a maioria dos jogadores formados pelo Dortmund são da região, não sei o que a população geral da Alemanha é para aqui chamada.

PS: O FC Porto foi comprar por 18 milhões de euros o Danilo. O jogador mais caro que o Dortmund pagou foi o Reus, por 15 milhões de euros. Parece que dinheiro não falta, a diferença é saber como o gastar.

Pedro Albuquerque disse...

Ganhar a Liga Europa de 5 em 5 anos não me parece algo muito mal.
Que é pior, ficar em 3º lugar no Grupo e ganhar a Liga Europa ou ser eliminado nos oitavos pelos tubarões?

DC disse...

Impressionante como você é incapaz de estar numa argumentação sem começar com demagogia.
Agora quem está do seu lado pelos vistos está do lado dos históricos como PdC e Pedroto, quem é contra é porque é velho do Restelo.

Não deixa de ser curioso que usa o PdC tanto para o bem, como depois vem quase acusá-lo de senilidade noutras decisões e de péssima gestão do clube nos últimos anos.


Meu caro, o Arsenal não precisava de ter gasto 1 euro em transferências nesse ano (que gastou e muito porque o Nasry e o Arshavin custaram-lhes os olhos da cara, cerca de 40 milhões de euros, mais do que as nossas transferências nesse ano todas juntas, mas enfim, papaias para o ar são fáceis de atirar...). O que o Arsenal tem que nós não temos e nunca teremos em Portugal, é a capacidade de se o jogador X pede para sair, dar-lhe 200 mil euros de ordenado, se mesmo assim não gosta dá-lhe 300, se não chega dá-lhe 500. O Arshavin, que nem sequer é uma estrela de topo, recebe 5 milhões por época para estar sentado no banco. E desses 5 milhões não manda nem metade para impostos como mandam os jogadores em Portugal.

E como o Arsenal existem dezenas e dezenas de clubes com um orçamento salarial muitíssimo superior ao do Porto. Até o Dinamo de Kiev o tem, ou acha que o Miguel Veloso foi para a Ucrânia comer gelados?

O Porto só tem uma fórmula possível para ganhar que é conseguir juntar um grupo de jogadores muito bons mas que ainda ninguém conheça e que portanto ainda estejam pouco valorizados. Mas ganhar assim é dificílimo! Porque o Porto esse tipo de estrelas não consegue segurar por mais que 2, 3 épocas. Porque é impossível ter estabilidade dessa forma. Tem alguma dúvida? Olhe para o Atsu que ainda tem acne na cara e já está interessado nos milhões ingleses. Quer outro, olhe para o Fernando que todos os anos fica louco com o dinheiro italiano. E pensa que ele vai para o Inter para ganhar alguma coisa além de dinheiro?

Tanto Schalke como Bayern, Dortmund, Valência, Atlético de Madrid, PSG, Kiev, Shakhtar, Zenit, Milan, Inter, Juve, Chelsea, City, Utd, Arsenal, Napoli, etc, etc, etc tem uma capacidade salarial muito superior à nossa. E como se tem visto o que interessa é isso. Ninguém vai para o Mónaco, Atlético ou Zenit por troféus ou ambição europeia. Vão porque eles lhes pagam 4 ou 5 vezes mais que nós. E é impossível lutar de igual por igual contra isso. Ganhar, neste estado do futebol, ganharemos por excepção, em anos em que os colossos tenham quebras pouco habituais.
Acho que isso é mais que lógico, mas eu não sou o Pedroto nem o Pinto da Costa, peço desculpa...

Luchugo disse...

Caro DC, percebo as suas ideias e em certa medida os argumentos que apresenta são válidos.

Eu continuo na minha: O Danilo renderá muito mais a médio interior Direito que a lateral.

Veremos o que acontece. O que interessa mesmo é ver o Porto a ganhar.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Pedro,

Financeiramente, provavelmente o melhor é ficar nos oitavos. Desportivamente, jogar a Europe League é cada vez menos aliciante. Tarde ou cedo chegará ao fim!

DC disse...

Demagogia mais uma vez.
1º o Danilo custou 12 milhões e 6 em comissões. Se quer falar do preço do Reus fale do preço do passe. Comissões alguns clubes revelam, outros não. Nós felizmente revelamos e há dezenas de clubes que não têm essa transparência.
2º sabe qual foi o prémio de assinatura e o salário do Reus?
Ah e o Reus custou 17,5€ pagos na hora. Pagamos o Danilo a pronto?

3º o Dortmund não gasta dinheiro em jogadores fracos? Onde está o Perisic? Acontece a todos não é?

4º Conhece assim tão bem a SAD do Dortmund para afirmar o que afirma (óbvio que não...). Sabe é que em tempos de vacas gordas qualquer despesa passa despercebida, em tempo de vacas magras já é tudo despesismo. Pelos vistos no Porto faz-se tudo mal e no Dortmund tudo bem.

5º apenas um pequeno exercício para ter um pouco a noção do que anda a dizer. O Dortmund tem 80000 lugares no estádio, tem sempre o estádio cheio, média de ocupação de 90 e tal %. Isso a uma média de 20€ por bilhete (feita por baixo) dá 30 milhões de euros só em bilheteira por ano. E nós quanto temos? Junte a isso merchandising, direitos de TV e pura e simplesmente não pode falar. Eles têm receitas para pagar o nosso passivo todo em meia dúzia de anos sem dificuldade nenhuma.

Estão bem geridos? Sim, aparentemente. Agora compare o que é comparável. Já farta tanta demagogia e críticas sem lógica à direcção.

P.S. E atenção que eu não estou a dizer que a nossa gestão é perfeita. Apenas que mesmo com uma gestão perfeita seríamos sempre um clube financeiramente muito abaixo dos adversários europeus.

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

"O Porto só tem uma fórmula possível para ganhar que é conseguir juntar um grupo de jogadores muito bons mas que ainda ninguém conheça e que portanto ainda estejam pouco valorizados."

Certo, a meias. Parte desse sucesso vem da prospecção e parte tem de vir da formação, nem que seja para aumentar a margem de lucro. O problema não está aí. Está na ausência de uma espinha dorsal consistente. Eu aceito que o FCP, como todos os clubes da periferia, vendam um grande jogador ao ano, até dois em anos mais sensiveis. Isso não está em causa. O Atlético este ano vai à Champions, ganhou a Taça e vai vender o Falcao. É normal. O problema é quando as compras se encarecem cada vez mais (não tenho nada contra o Danilo, mas é um exemplo), há demasiados excedentes no plantel demasiado bem pagos e demasiado caros (algo que se está a mudar e muito bem) e isso asfixia a possibilidade de fazer um esforço para segurar o jogador A ou B.

O DC está certo quando diz que equipas como o Arsenal podem chegar à beira de um jogador e subir-lhe o salário até um valor X, algo em que o Wenger insiste muito (e o Klopp também) onde a partir do qual é preciso vender (por isso saiu Clichy, Nasri, etc...). Mas fazem-no porque, entre outros factores, a gestão salarial é feita com cabeça. Para o FCP vender um Hulk, um Falcao e um James devia servir para manter o Jackson, o Moutinho e o Fernando felizes, ganhando mais (até ao nivel aceitável) e evitar esse desmembramento. Porque eles sabem que aqui vão ganhar titulos, nem que seja nacionais, e a não ser que apareça um louco a pagar o que nem o Real Madrid paga, não ganham muito em sair.

O jogador mais bem pago do Schalke ganha 4 milhões de euros, é o Huntelaar. A média do onze titular ganha entre 1 e 2 milhões de euros. No Napoli, excepto o Cavani, Hasmik e Pandev, a maioria dos jogadores ganha entre 1 e 2,5 milhões. No Dortmund o mais bem pago era o Gotze, agora é o Reus e não supera os 3,5 milhões de euros. Muitos ganham 1,5 a 2 milhões. Em clubes de novos-ricos (Shaktar, Zenit, PSG, City, Chelsea) ou historicamente fortes (United, Barça, Real, Juve, Inter, Bayern) a média salarial oscila entre os 3 e os 8 milhões e há excepções. Contra esses não podemos competir, naturalmente. Por isso eu digo sempre que se perdemos contra uma dessas equipas, paciência.

O Schalke pode ter uma massa salarial ligeiramente superior à nossa, o Málaga também (apesar de não receberem com regularidade) e o Arsenal um pouco mais. No ano em que nos eliminou (2009/10) o Arsenal gastou 10 milhões no mercado de transferências (http://en.wikipedia.org/wiki/2009%E2%80%9310_Arsenal_F.C._season#Transfers) exclusivamente no Vermaelen. Na temporada anterior tinha gasto 30 (sensivelmente menos do que se gastou este ano no FCP) e na seguinte gastou 12 milhões. Valores muito similares aos nossos mas sem o retorno financeiro das nossas excelentes vendas.

Eu fiz uma piada com os lunáticos porque foi o DC que me chamou demagogo e lunático. Não sou nem melhor nem pior e muito menos estou ao nível de Pedroto e PdC, de quem já disse um milhão de vezes ser, com Bernabeu, o maior presidente de clubes da história do futebol europeu (por muitos erros que cometa a SAD). A nível interno as coisas estão a ser bem feitas mas podiam ser melhores. Gosto da abordagem ao mercado até agora, com a aposta em jovens portugueses baratos e com projeção. É bom sinal. Como adepto do meu clube considero que se podia fazer algo mais na Europa. Não é preciso muito. Sorte sim, muita, como a que acho que tivemos no sorteio este ano. Mas também uma política orientada para procurar essa sorte. O DC, e outros adeptos, acha que não. Está no seu direito. Mas por cada dado que me apresentar de diferenças geopoliticas, económicas, de população ou orçamento que eu sacarei exemplos históricos de como isso é possível.

Depois é uma questão de acreditar ou não. Porque a decisão real não nos compete a nós.

DC disse...

Eu não acho que não. Acho sim que não temos falta de ambição, temos sim consciência da nossa realidade.
Nunca entramos em nenhum jogo a dizer que íamos jogar para o empate, nem mesmo contra o Barço ou o PSG.
Agora, na minha opinião, cada vez mais, o grande objectivo são os oitavos. Tudo o resto será bónus.

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Discordamos. Eu aceito que os oitavos sejam o objectivo minimo - salvo que a fase de grupos alinhe uma conjugação de equipas muito superiores - mas que o objectivo deve sempre ser os quartos a não ser que o rival seja um do top 8 do futebol europeu (Barça, Madrid, City, Utd, Bayern, Chelsea, Dortmund e Juve).

A falta de ambição de que falo não é a dos jogadores em campo. É no planear da época sem contar com as vagas necessárias que é preciso preencher, é o discurso institucional e sobretudo, a dificuldade em garantir um esqueleto sólido que incorpore as novidades e as permita crescer dando-lhes tempo para madurar e melhorar o colectivo.

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Não me fiz seguramente entender. Dei o exemplo do Dortmund a nível geral, não para calcar a realidade incomparável da Bundesliga e da Alemanha com a nossa liga. O que fez o Dortmund tem um mérito brutal, não só como instituição mas como equipa. Sobretudo face à sua diferença com os gigantes europeus. Apenas acho que é um modelo com muitos pontos positivos que deveriamos explorar, entre merchandising, prospecção, formação, preço dos bilhetes, etc...

Por certo, assumido essas grandes diferenças que existem entre clubes de duas realidades económicas diferentes, é curioso que em 2010 o FC Porto gastava com a sua massa salarial 39 milhões de euros e o Dortmund, nesse mesmo ano, 47 milhões, uma diferença bastante residual.

PS: O Perisic é um excelente jogador, infelizmente para ele o Sahin voltou e o Gundogan explodiu definitivamente.Dois jogadores da casa. Foi vendido por 8 milhões de euros, 3 milhões mais do que custou, e com esse dinheiro pagou-se metade do Reus. Outro sinal de boa gestão.

to13 disse...

Ser eliminado nos oitavos pelos tubarões.

Nuno disse...

Desta vez,não concordo em absoluto com este artigo...

Devem todos ter informações privilegiadas da estrutura portista ou então já temos gente capaz de liderar e até superar esta máquina montada por PC...

Agora há sempre criticas à gestão do clube, toda a gente fala em manobras de empresários, abutres na administração etc.. apesar desta ter vindo a fazer a década mais vencedora de sempre, nacional e internacionalmente...

Somos o clube mais vencedor da Europa mas vejo sempre criticas à administração, ao planeamento das épocas, por tudo e por nada...

Não quero imaginar qual seria o discurso se não tivéssemos ganho tanto...

É o que digo,devem ter informações privilegiadas porque eu só vejo vitorias, grandes vendas e um clube cada vez maior a nível europeu (não são as ultimas duas épocas que me vão fazer mudar de ideias e dizer que já não somos o que éramos...)

Mas se as têm, não me interessa, porque os resultados falam por si...

cumprimentos

Anónimo disse...

70M€ são de facto muito dinheiro mas tenho a sensação que vai acontecer o mesmo que aconteceu com o Falcão e Hulk que foram vendidos por 80M€ os dois e vejam quanto entrou em caixa.
Também ouvi que o Jorge Mendes andou a pagar alguns salários em atraso e agora quer ser ressarcido naturalmente. O Guilherme Aguiar disse que os 11M€ do Moutinho foram pagos a pronto por um financiador externo que agora também quer o dinheiro de volta. Não sei se com algum proveito. Vamos a ver o que diz o R&C.