domingo, 9 de junho de 2013

FC Monaco

O AS Monaco confirmou a contratação de Radamel Falcao. São números recordes, maiores ainda do que aqueles que o Atlético pagou ao FCP, sinal de que o colombiano se valorizou nestes dois anos em Espanha (uma Taça UEFA, Supertaça Europeia, Copa del Rey). É pena que na venda (da qual ainda falta receber 13 milhões) não tenham posto uma cláusula de valorização porque era dinheiro vivo no Banco.

O homem responsável por esta compra é o mesmo que está por detrás das contratações de Ricardo Carvalho (ele mesmo), de James Rodrigues e João Moutinho. 120 milhões gastos numa semana não é para qualquer um. Mas o senhor Dimitri Rybolovlev não é qualquer um. Um dos maiores milionários do mundo, um apaixonado do futebol e, suspeito, um fã do FC Porto desde pequenino.

Estou mesmo a ver o senhor Dimitri de camisola azul-e-branca a sofrer no lado de lá da cortina-de-ferro com Viena e Tóquio e a reservar um palco VIP em Sevilha, Gelsenkirchen e Dublin, bebendo vodka enquanto celebra cada golos dos dragões. Há quem o tenha visto no Dragão de bifana na mão a saltar a cada golo nos 5-0 contra o Benfica e não se surpreendam de que tatue o nome de Kelvin nas costas, junta do habitual cruz ortodoxa que todos os mafiosos de leste gostam de ter. O problema do senhor Dimitri chama-se Pinto da Costa. O seu sonho sempre foi ser presidente do FCP mas como o "Papa" é imortal, assumiu que tinha de comprar outro clube qualquer para fazer o seu sonho realidade. Como no Monaco tinha casa e sitio para estacionar o iate, foi aí.



A este leque de jogadores é bem possível que se junte Lisandro Lopez e já se fala, inclusive, no próprio Hulk. Seriam seis jogadores com passado azul-e-branco recente. Com o trio James-Falcao-Moutinho já recriou a conexão FCP Dublin (só falta mesmo Hulk) e com Ricardo Carvalho e, eventualmente, "Licha", junta outras duas gerações de grandes dragões no mesmo plantel.

Para os dragões vai ser aliciante ver como se comporta a nossa filial milionária este ano. Pena que o senhor Dimitri seja daltónico e tenha escolhido uma equipa com aquelas cores. Com tanto dinheiro não creio que demore muito a mudar o equipamento e a meter um dragão naquele emblema. E quem sabe, mudar o nome para FC Monaco!

PS: A razão verdadeiras dessas compras não é outra que Jorge Mendes, o homem que lhe auxiliou, com Peter Kenyon, na compra do clube no ano passado e dono do cartel de jogadores mais interessante do futebol europeu (é bem possível que o Coentrão acabe lá se o Mourinho não o levar para o Chelsea). 

6 comentários:

bruno cláudio disse...

tomara nós que um destes magnatas investisse no fcp!

Joaquim Lima disse...

Tomara nós que os clubes estrangeiros continuem com estes magnatas a comprar jogadores ao FCP pelo valor das nossas últimas vendas...

fenrizzz disse...

Espero bem que nunca percamos a nossa identidade!

Anónimo disse...

«Vítor Pereira vai
encontrar resistência»

José Vasques Fala em lóbis instalados no Al-Ahly

Ex-treinador do clube avisa: "Antes de perceber a equipa que tem à disposição, tem de perceber para onde vai, a cultura..."record

bruno cláudio disse...

pode ser que alguem me explique um dia onde o manchester united, chelsea, etc perderam identidade depois do investimento dos "magnatas". enfim, alguns ainda andam pelo séc XIX a viver de saudosismos á portuguesa.

Ângelo disse...

Artigo bem trabalhado com leveza, humor e muita verdade.
Sem dúvida que vamos ter uma filial milionária… mas é um prazer observá-la em termos de origem, com a força da marca, a dominância do mercado, a gestão profissional, o vigor desportivo do FCP como autêntico polo de “excelência” de “aperfeiçoamento ativo” inigualável na Europa.
Nota:
A este Clube falta, por um lado, a saúde e o desafogo financeiros que tardam (bons e recentes artigos no Reflexão Portista sobre esta realidade) e, por outro, a força geo / económica / política do género de uma Catalunha.

Ângelo Henriques