sábado, 1 de junho de 2013

Reyes dragão pela metade

No passado mês de Dezembro o FC Porto contratou a promessa mexicana Diego Reyes por 7 milhões de euros, no valor de 95% do seu passe. A esses sete milhões juntaram-se mais 2 milhões em comissões e prémios, inflacionando o preço para nove milhões.

Gosto do Reyes, vi-o jogar na liga mexicana e, sobretudo, com a selecção - fez uns Jogos Olimpicos espectaculares - mas sou o primeiro a dizer que se há posição onde estamos bem cobertos é a de central. E também quem reclama há mais tempo neste espaço a contratação do Paulo Oliveira para eventual suplente/substituto do Mangala. Há quem diga que o Reyes joga também na posição do Fernando, mas essa não é a sua posição natural e não entendo porque se paga tanto por um jogador para depois adapta-lo. Também o Varane jogava ocasionalmente a médio defensivo no Lens e no Real Madrid ninguém se lembrou de o pôr lá com o grande central que é.

Pois bem, Reyes ainda não chegou, ainda não jogou, e já só é nosso em 47, 5%.
Surpreendidos? Com esta gestão, eu não.
Um mês depois de ter sido contratado, o clube vendeu metade do passe por 3,5 milhões de euros (o valor exacto dos 7 milhões) à GOAL Luxemburgo, quem senão. Agora, parece-me óbvio, que quando alguém queira vender o Reyes pelos 15 ou 20 milhões seguramente acabará por pagar por ele, esses 50% sejam recomprados por um valor superior, quem sabe mais 5 ou 7 milhões, reduzindo a margem de lucro em, pelo menos, 3 ou 4 milhões de euros. Tem lógica essa operação?


Há quem defenda que o FCP realiza estas operações por necessidades de tesouraria.
Que nem sequer tinha dinheiro para pagar o Reyes quando o comprou (então para quê comprar, principalmente numa posição onde não somos deficitários e há opções mais baratas no mercado??) e que por isso esta venda de passe foi uma forma de conseguir o único dinheiro para dar o sinal ao América.
Podia entender isso depois de um Verão sem vendas, depois de um ano em que não entra o dinheiro da Champions.

Ora bem, em Setembro tinha saído para o Zenit o Hulk pelos valores que sabemos. Os russos ainda devem 20 milhões de euros, pelo que suponho que já tenham pago os 20 milhões que lhes correspondia. Dinheiro fresco! O FC Porto também fez uma excelente fase de grupos da Champions, e o dinheiro da UEFA seria sempre uma significativa mais valia a fim de ano, bem por cima dos 10 milhões de base.
Portanto, nesse cenário, que necessidade tão urgente tem o FC Porto de abdicar de metade do passe de um dos jogadores com mais mercado de futuro por uns meros 3,5 milhões de euros? Mais se corre o risco de, para recuperar essa percentagem, ter de pagar até o dobro desse valor?

Sinceramente a questão das comissões é um tema sério mas esta compra e revenda começa cada vez mais a parecer-me algo mais próximo a coisas bem mais desagradáveis e sujas do que meras urgências financeiras a curto prazo. O FC Porto não tinha, em Janeiro de 2013, sabendo-se nos Oitavos da Champions, sabendo que tinha mercado para dois ou três jogadores em Junho, sabendo que tinha vendido Hulk e que tinham de entrar 13 milhões de Falcao, 10 de Hulk e 10 do Inter por Guarin e Alvaro nos meses seguintes, dinheiro suficiente para evitar este negócio?

Cada um que pense o que quiser, seguramente haverá opiniões divididas. A minha já a conhecem de sobra. Com este tipo de negociatas de ruela, só há uma entidade que sai prejudicada: chama-se Futebol Clube do Porto.

95 comentários:

Joaquim Lima disse...

Concordo em tudo o que dizes, mas faço uma pergunta. Porque é que o Porto não vende a metade do passe por um valor superior? Vendemos os jogadores quase todos por valores muito elevados, alguns deles por um valor monetário superior ao valor real. Se este Reyes é uma promessa mexicana, porque não inflacionar, desde já, o valor dele? O nosso presidente é um exímio negociador, mas falha claramente neste ponto. A não ser que ele seja um dos detentores da Gol Luxemburg Fotball.

Pedro disse...

Partilho desde já a sua opinião. Estes negócios são do mais sujinho, sujinho, sujinho que pode existir no futebol. Não vou apontar nomes, até porque não o poderia fazer sem provas mais concretas, mas anda gente no nosso clube a lucrar e muito com estas jogadas de bastidores. Infelizmente para nós vamos ter que os aturar mais três aninhos.

DC disse...

Parece-me uma operação perfeitamente natural, de gestão de risco.
Se o Reyes chegar cá e rebentar um joelho se calhar vão perceber o porquê destas operações.
Se se valorizar, obviamente a outra metade do passe custará mais ao Porto mas também a mais-valia com o jogador já é uma coisa certa.

Quanto às comissões, desta vez felizmente não foram excessivamente altas, lamento que continuemos a pagá-los mas congratulo pelo menos a transparência em indicar exactamente quanto foram para cada jogador.


Gosto também da atitude da imprensa (e de alguns adeptos) face às compras de Porto ou dos restantes clubes. Quando de fala de jogadores do Porto é sempre referido que custaram o valor do passe mais a comissão (Danilo está catalogado como jogador de 19 milhões por exemplo). Já noutros clubes, mesmo aparecendo verbas enormes nos R&C para comissões, o custo dos jogadores é sempre só o do passe...

Costa disse...

Então o FCP depara-se com uma oportunidade 'olimpica' de contratar um jogador para uma posição não-deficitária e o que deve dizer ?!
1. "Olha que azar, está aqui um jogador com uma excelente relação preço/qualidade, mas como não precisamos de centrais, vai continuar onde está...", ou
2. Que grande jogador aqui está ! Vamos fazer um esforço financeiro e com uma parceria podemos 'agarra-lo'

Fazeres esta análise daqui por 2/3 anos parecer-me-ia justo, mas faze-lo agora parece-me...má-fé.

Mas tens que ver a coisa pelo teu lado - o negativo: O Reyes não vale nada ou não se adapta e o fundo fica a arder com os 50% que possui.
Brilhante por parte do FCP, ou também não ?!

Pedro Ramos disse...

Este era um post que estava à espera, porque estao aqui presentes alguns dos aspectos mais errados da gestao da SAD, mas no entanto é necessário dividir este caso concreto em 3 questoes:

1- A necessidade e o timing da compra: Penso que estava longe de ser um jogador prioritário, pois é uma posiçao para a qual já está preenchida e até temos excedentários, apenas poderia aceitar se fosse um negócio de ocasiao feito em circunstancias bastante favoráveis (se por exemplo o jogador estivesse em final de contrato e o clube o contratasse a custo "zero"). Desta forma acumulamos mais um jogador para uma posiçao já preenchida e com o dinheiro gasto, que nao foi pouco, ficamos com menos possiblidades financeiras para atacarmos o mercado e equilibramos o plantel em posiçoes deficitárias.

2-A venda de metade do passe: neste caso, e apesar de nao gostar particularmente destas co-propriedades, nao tenho nada particularmente contra, uma vez que a venda foi feita no momento da compra. Podemos questionar as razoes, mas também podemos argumentar que assim diminuímos o risco envolvido. Este caso é diferente de casos passados em que se vendem percentagens de passes depois dos jogadores já estarem no clube à algum tempo e já se terem valorizado, ou seja, se esta situaçao acontecesse a meio da próxima época com o jogador já valorizado era muito mais preocupante.

3-As comissoes: Aqui nao há volta a dar, devemos ser o clube mais generoso do mundo (para nao disser outra coisa) e nao existem quaisquer sinais de mudança neste aspecto. No último defeso tivemos esse máximo que foi o caso Danilo no qual conseguimos aumentar o seu custo em 50% através de comissoes, neste caso conseguimos aumentar quase 30%. Pelos vistos a crise nao existe para a SAD bem pelo contrário.

PS. Tenho algum receio no que poderá acontecer mais para a frente em matéria de contrataçoes. Veremos de esta febre por causa dos 70 milhoes nao vai fazer a SAD perder a cabeça nalgumas contrataçoes.

Fernando M. disse...

O Porto tem interesse em não vender a metade do passe por valores muito altos porque certamente já ficou acordada a recompra dessa metade por 5M de euros ou coisa parecida. Assim se e quando o jogador estiver para ser vendido, recompram o passe perdendo os 1.5 ou 2M na operação mas lucrando bem mais com a venda.

Pessoalmente não acho que estas vendas a retalho dos passes dos jogadores seja o melhor caminho. Os clubes acabam por perder dinheiro, ficam nas mãos dos empresários, os preços dos jogadores ficam inflacionados, etc e por isso acho bem que a UEFA ou a FIFA esteja a pensar tomar a mesma medida que foi tomada na Premier League, onde não há repartição dos ditos "passes".

Já os 2M pagos em comissões incluem certamente o prémio de assinatura do jogador, é preferível pagar mais de prémio do que oferecer um salário maior e descontar mais para o estado, e incluí também o dinheiro dado ao empresário e outros agentes. Não podemos esquecer que Reyes para além de ser alvo do Benfica, era também alvo de alguns tubarões europeus, fruto da sua inegável capacidade e potencial. O FC Porto para o conseguir teve de negociar com os empresários e dar-lhes mais dinheiro. Depois eles conseguem dar a volta ao jogador.

Bluesky disse...

É o que faz ir na onda do pasquim a Bola!!!!!
Só sabemos comprar mal e porcamente e então nas vendas até os ciganos das feiras são melhores que nós...
Realmente, ó MLP é por o futebol estar sabaticamente parado????

Joao Goncalves disse...

O Miguel andas muito negativo ultimamente...

1º Duvido tão pouco que o FCP tenha comprado 95% do passe... o que se passou naturalmente foi ou que a GOAL Luxemburgo abordou o Porto ou o Porto abordou a GOAL Luxemburgo, com uma oportunidade de negócio do Reyes e que cada um entrou com metade do dinheiro do valor do passe em risco repartido.

Contabilisticamente, O FCP comprou o Reyes e depois cendeo ao GOAL Luxemburgo, na realidade, a GOAL Luxemburgo entro com 50% e o FC Porto com os outros 50%.

É neste e em muitos outros negócios que tanto o Porto como o Benfica fazem e se assim não fosse estavam falidos pois basta ver coisas como o Walter.

Em relação às "comissões", esse é um assunto que não me meto mas que partilho da sensação de serem absurdas.

Contudo analisando o nosso adversário directo e as transferências internacionais, vemos que é algo que é perfeitamente normal serem altas e se é nesse campeonato que andamos a jogar então teremos que pagar o mesmo que os outros não?

João disse...

Acho estas negociatas péssimas e não tenho grandes dúvidas que alguém anda a meter dinheiro ao bolso via fundos. Querem gerir o risco, vendem 20-30%. E já que o jogador se encontra na Europa logo a probabilidade de ser revendido por um preço superior aumentou, porque carga de água é vendida parte do passe a preço de custo original. Não brinquem comigo.

Anónimo disse...

passadas as eleições, os iluminados da gestão voltam à "cátedra".
Por que não vais para o "Sportem"?

Miguel Lourenço Pereira disse...

Joaquim,

Naturalmente os fundos são os que decidem quase sempre o valor que pagam pela percentagem do passe porque são eles quem disponibilizam o valor liquido. Duvido que o PdC, ou quem quer que seja, consiga fazê-los pagar mais do que aquilo que ele vale no momento. Já os vi pagar menos, sacando lucro imediato, mais nunca. É como os bancos e os usuários. Aqui a estão é outra. Porquê recorrer a eles? Se não há dinheiro, não se compra e ponto!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Pedro,

Naturalmente. Não acredito que exista gente tão imbecil na SAD que goste de perder dinheiro porque sim. O dinheiro no fundo, não se perde, aparece é noutros sitios.

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

O que os outros clubes façam (ou a imprensa) dá-me exactamente igual. Deixo isso para os seus adeptos. A mim preocupa-me a herança futura deste clube, que a nível desportivo é brilhante e a níve financeiro uma desgraça. Actualmente o FCP está perto da falência técnica. As pessoas não se dão conta do grave que isso é. Não acredito que os clubes foram feitos para dar lucro, como uma empresa, mas de aí a chegar a falência vai um passo muito grande.

Quanto ao DC achar normal este tipo de operações, gostava de saber a) quantos jogadores rebentam um joelho em Portugal de tal forma que se infra-valorizem (a lesão mais grave que houve, nos últimos anos, foi a de Anderson e o United não se importou muito pelo que vi) para o clube abdicar de METADE do seu passe. É um dos poucos clubes do mundo que faz algo assim, imagino que a esmagadora maioria dos dirigentes dos seus respectivos clubes por esse planeta futebol fora não tenham medo que os seus jogadores rebentem os joelhos. Que tipos confiantes.

E que tal fazer o exercicio ao contrário. A mais valia do jogador é uma coisa certa - para isso sabe-se o que se compra e quanto - e o FC Porto em vez de lucrar 50, lucra 100. Não seria um negócio realmente de se lhe tirar o chapéu?

Miguel Lourenço Pereira disse...

Costa,

Em primeiro lugar, as regras das boas finanças, não sei se as aplica ou é dos que gosta de viver a crédito, é a de: compra se tens dinheiro para pagar. Se não tens, não compres. Particularmente se não precisas (posição excedentária) e se há jogadores mais baratos para o mesmo posto (tipo Paulo Oliveira, uns 8 milhões mais baratos para ser preciso). Isso chama-se saber fazer contas e risco zero. Isso seria brilhante, a especulação financeira o que é - pelo menos moralmente - é crime.

Todos os clubes do mundo compram e vendem jogadores. Em todos os clubes as coisas correm bem, ou mal, depende dos casos, da qualidade do scouting, da relação qualidade/preço, do próprio futebolista. Queres ver que só existe o risco no FCP? Falar daqui a dois ou três anos é que seria oportunista. O problema coloca-se agora, porque foi agora que o FCP abdicou de 50% de um jogador com mercado potencial por trocos, trocos que vão tornar-se deficitários quando comprar essa percentagem meses depois.

Imagino que as pessoas vejam as coisas de outra perspectiva. Afinal, se a Europa está como está actualmente é porque houve muita gente a fazer as contas do lar, das empresas e dos estados exactamente dessa maneira. Os outros que ardem, não é?lol

Miguel Lourenço Pereira disse...

Pedro,

Relativamente aos pontos.

1- Não é, de longe, um jogador e uma posição prioritária, e eu falo com conhecimento de causa porque já vi mais de quinze jogos dele completos e sei o potencial que tem. Se o clube já tivesse agendada a venda, por exemplo de Mangala, para quê revender o passe se tinha essa dinheiro a caminho? Se o clube precisa urgentemente de um central porque não o Paulo Oliveira, português, barato e futuro internacional? Enfim!

2- Volto à mesma questão. Diminuir riscos não é o problema. Ou se assumem, ou não. Se o FCP não sente que tem condições financeiras para ter esse jogador - em particular dado o ponto 1 - pura e simplesmente não o compre. Não é o único na sua posição no mercado. Riscos há com todos, com os Tiagos Rodrigues e com os Reyes, por isso é preciso saber comprar e vender. Dizer que o Hulk era um risco fazia sentido se tivessemos comprado o 100% por 5,5 milhões. Mas custou-nos 20 milhões. Isso não é um risco, isso é dinheiro ao lixo.

3 - As comissões são um cancro geral no futebol, é verdade que temos a "transparência" de as divulgar, mas alguém na SAD tem de estar a fazer as coisas muito mal (ou muito bem, dependendo de por onde se olhe) para que se continuem a pagar estas barbaridades.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Fernando,

Se o FCP já acordou a recompra por um valor fechado, que o faça público e acabe com a especulação, mas para isso é preciso ter outra estaleca moral. Agora não entendo o seu raciocinio. Já assume que se perde dinheiro - 2 milhões é dinheiro - mas fica contente que a venda seja um lucro. E já parou para pensar que a venda seria um lucro maior - de 2 milhões precisamente - se essa venda nunca tivesse existido?

O Fernando tem um casaco. Compra o casaco mas vende metade do casaco ao seu irmão por metade do valor. Depois passado um ano quer vender o casaco ao seu primo, mas antes recompra o casaco ao seu irmão. Só que ele agora, para o vender, já não quer o mesmo, quer mais. E você paga mais e vende-o. Se nunca tivesse metido o seu irmão ao barulho, não teria ganho mais dinheiro? Sou só eu que sei fazer contas aqui?

Miguel Lourenço Pereira disse...

Bluesky,

Você tem cérebro, sinceramente?
Porque num espaço de "reflexão" sobre um assunto importante das finanças do nosso clube, a sua contribuição é digna de um filme de Hannibal Lecter, dissecado!

Miguel Lourenço Pereira disse...

João,

Nada negativo, simplesmente não tenho predisposição para ser cordeirinho e cair em contos de fadas. Já não há idade para isso.

Eu nem duvido nem deixo de duvidar. Eu estou a falar de factos, em papel, não em suposições. E os factos são esses. FC Porto, compra 95%, revende metade do passe por valor de 3,5 milhões. Ponto final. Se o FC Porto quiser comprar essa percentagem pagará mais, porque o jogador se revalorizará, como sucedeu com quase uma dezena de futebolistas. Não estou a inventar nada.

Acho curioso é que o João ache que o FCP não está falido, porque o FCP está, praticamente, em falência técnica, precisamente por negociatas como esta. Principalmente pelo dinheiro perdido em comissões e os muitos milhões perdidos com estes fundos nas recompras de passes como os de Hulk, Moutinho, James e afins.

Eu não estou para analisar os adversários e a nível internacional não vejo o Schalke 04, o Olympique Lyon, o Ajax Amsterdam ou o Galatasaray, apenas para não citar "tubarões" a andarem a vender e recompras percentagem de passes. Quanto às comissões, todos a pagam, mas poucos pagam tanto como nós. É por ter-mos um pote de ouro escondido seguramente!

Miguel Lourenço Pereira disse...

João,

Não tenho a menor dúvida disso. Infelizmente, a maioria dos adeptos fecha os olhos, embriagada pelo sucesso desportivo. Naturalmente que seria pior sem esse sucesso, porque alguém começaria a fazer perguntas. Assim, com um titulo no bolso, quem se preocupa por mais 3,5 ou menos3,5 milhões. Depois vem o relatório de contas, o defict brutal que temos e mãos na cabeça. Mas, tranquilos, porque o Papa vai resolver o assunto. Lança o Kelvin aos credores e resolve-se o problema. O que é preciso é confiar!

Nicolau T disse...

Só uma pergunta simples... Toda a gente está para aqui a dizer que o FCP paga comissões elevadas.. Alguém me sabe dizer quando pagou o Benfica pela compra, por exemplo, do Witsel, Ola John, Garay, Gaitan ?

Alguém sabe quanto pagou o R Madrid em comissões, na compra o C Ronaldo? Não esquecer que nessas comissões está incluído prémio de assinatura, de empresário e burocracias...

DC disse...

Não é preciso rebentar o joelho. 3 nomes apenas mas posso-lhe dizer mais 30: Walter, Kleber e Iturbe.
Não gostava que metade do passe tivesse sido vendido?
Eu gostava...

Quantos clubes na Europa fazem isto? Quantos clubes na Europa compram putos de 18 ou 19 anos directamente a clubes sul-americanos?

A mais-valia do jogador é uma coisa certa? Mas é certa para quem? O puto ainda nem chegou e você já tem a certeza que o vende por mais de 10 milhões? Eu não tenho e a direcção do Porto naturalmente também não.
Há gente que se esquece do que aconteceu além dos 3 que referi antes, dos casos de Rolando, Álvaro, Guarín ou até Paulo Assunção. Eu não tenho como certa valorização nenhuma, já vi muita grande promessa sul-americana a ir recambiada para trás, portanto considero naturalíssimo e lógico este negócio.

DC disse...

Não sabe porque esses clubes não revelam, revelam apenas o valor global salvo erro.
E nisso elogio o nosso clube, pelo menos neste clube todas estas questões são transparentes.

Joaquim Lima disse...

Podiam, pelo menos, pagar metade dos custos intermediários... Já que o passe foi comprado e vendido mesmo antes do jogador jogar no clube!

Bluesky disse...

O insulto é o argumento dos fracos...

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

A expressão rebentar o joelho não foi minha. Eu não gostava que tivessem vendido metade do passe, gostava que não o tivessem contratado. O erro é esse, não venham agora dizer que o erro, em lugar de comprar mal, é não vender metade do passe ao comprar.

Clubes que compram sul-americanos? Udinese, Sevilla, Valencia, Lazio. Também os há que compram africanos. E quê, isso obriga a vender metade do passe obrigatoriamente?

Eu falo por conhecimento de causa, do que vi do Reyes. Ele pode falhar? Claro que pode, ele e qualquer outro jogador de qualquer mercado. Mas desde quando isso é justificação para perder dinheiro à partida?

Miguel Lourenço Pereira disse...

Nicolau,

A mim dá-me exactamente igual o que façam ou o que deixam de fazer outros clubes. Mas nos clubes que fazem publicas as suas comissões - se é que os dados da SAD são verdadeiros e não apenas para "inglês ver" - as do FCP são das mais elevadas. E claro, naturalmente, pagar comissões pela compra de um jogador que vale 100 milhões de euros não é o mesmo que pagar comissões por jogadores desconhecidos.

José Rodrigues disse...

Eu ia dar a minha opinião, mas por incrível coincidência o Pedro Ramos basicamente já disse quase tudo o que eu dizer, subscrevo o comentário dele ponto por ponto.

Eu já tinha dito em comentário a outro artigo que a partilha de passes faz-me imensa impressão quando os jogadores já cá estão há algum tempo, mas nao no momento de compra (como neste caso).

Mas acima de tudo nao percebo que se gaste tanto dinheiro num central por muito bom que seja quando já estamos muito bem servidos em qualidade e quantidade. Mangala, Otamendi, Maicon, Abdoulaye e Rolando. Alias, a vinda de Reyes vai mesmo desvalorizar um dos outros.

O dinheiro dava muitíssimo mais jeito para um extremo ou médio criativo de enorme qualidade, ou presumindo que vai haver dinheiro para isso na mesma, então abatendo uma parte dos emprestimos.

DC disse...

Comprar mal? O Kléber tinha feito uma época muito boa no Marítimo.
O Walter mesmo com 150kg tem 30 golos pelo Goias, o problema dele não é técnico, é de comportamento. Lá está, aquelas coisas que não se prevêm facilmente.

O Reyes pode chegar cá e acontecer-lhe de tudo, lesões, má adaptação, sei lá até uma doença como ao Thiago Silva.
Mas enfim, para variar o Miguel sabe mais do que os outros todos.

Exactamente por ele poder falhar é que o Porto previne essa possível perda de dinheiro. Eu não vou estar a perder mais tempo, mas se quiser pergunte ao José Rodrigues o que ele acha deste assunto, porque desconfio que a opinião dele virá um pouco de encontro à minha.

DC disse...

Fiz um comentário a responder ao Miguel e o José acabou por confirmar o que disse. Que, talvez como o maior entendido nestas questões de finanças deste blog, o José iria provavelmente achar normal este negócio no que respeita à partilha do risco.

Quanto à sua questão, eu continuo convicto de que vamos vender um central e que essa questão já devia estar praticamente definida aquando da compra do Reyes.

Anónimo disse...

Ò MLP clubes como o nosso sem os "Fundos" têm que moderar muito mais as suas ambições.
E agora era preciso reforçar o fundo de maneio.

Amanha Andebol e Hóquei no PortoCanal.

Joao Goncalves disse...

1º eu nem falei de falências técnicas ou seja lá o que está a insinuar.

2º Está a falar por aquilo que leu num relatório de contas o que não lhe diz nada... o que está é que o Porto comprou e vendeu, mas isso pode nada perto dos padrões de negocio e mais uma vez aquilo que parece não o é...

Como é obvio o Porto fez uma parceria para adquirir um passe com risco dividido com o tal fundo de investimento e o Porto não comprou e vendeu de seguida, simplesmente contabilisticamente falando, fica mais facil lidar dessa forma.

Se o Porto tem a capacidade de adquirir um jogador daquela natureza sozinho... não me cabe a mim dize-lo mas que a técnica de negócio é brilhante é!

"Tu compras metade eu outra metade, se der merda dá para os dois, se der lucro dá para os dois e eu uso o jogador entretanto"

E como bem sabe, tivemos muito lucros repartidos mas não se esqueças dos completos flops que tivemos em que os fundos tiveram prejuizo.

Na questão das comissões, mais uma vez não comento, o Benfica para tanto ou mais que nós, portanto parece-me perfeitamente normal.

Se me pergunta se como cidadão que ganho o meu ordenado e vivo dele se ma choca, é claro que SIM! Mas se pensarmos nos lucros astronómicos de PT's, EDP's, etc, mesmo em tempos de crise, são coisas que me chocam mas são numeros completamente fora do meu dia a dia.

Portanto são coisas que desconheço e que não consigo por um valor base e dizer que se foi muito ou pouco.

Anónimo disse...

Sem ajuda e a partilha do risco que um fundo proporciona nunca se comprariam alguns dos craques que temos.

Douro disse...

Calado João eras um poeta.

Pedro disse...

Especulação é feita pela bola, correio da manha e alguns portistas visionários....
Dizer q o Porto está hoje em falência técnica, é uma tirada excepcional.... Quando é q nao esteve??? Contudo hoje há um modelo de negocio definido, com os seus defeitos, é verdade, mas tb com muitas virtudes....
Num mercado mirrado como o português, onde uns recebem dinheiro de todo o lado (slb) e o nosso clube está inserido nazis pobre e flagelada região norte, como querem ser competitivos... Já sei, com o paulo Oliveira....

Sol na eira, chuva no nabal, sem duvida que é o ideal... Contudo a vida prova-o como impossível.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Joaquim,

Eles entendem, e bem, que comissões é uma questão à parte do passe, da mesma forma que há clubes que nem o pagam. Posição perfeitamente respeitável!

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

O Zé Rodrigues pode referendar, ponto por ponto, tudo o que diz e o oposto do que eu diga. Naturalmente, isso não vai mudar a opinião da mesma forma que eu não penso mudar a dele ou a sua. Cada um pensa como quer, cada tem o clube que quer.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Pedro,

Esse desdém pelo Paulo Oliveira já o ouvi com o Paulo Ferreira, com o Maniche, com o Costinha, com o Derlei. Ah, fomos campeões europeus, coisa que este modelo conseguiu muitas vezes não foi?

Miguel Lourenço Pereira disse...

Anónimo,

Que ambições, os Oitavos da Champions? Para isso não precisamos de fundos!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Anónimo,

Esses craques deram alguma Champions ou meias-finais europeias ultimamente?

Anónimo disse...

Ò MLP farto de teóricos andamos todos.

Arranja uma lista e concorre pelos vistos é muito fácil fazer melhor económica e desportivamente.

Os portistas e o clube agradeciam.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Continuo a pensar que, cada vez mais, os adeptos do FC Porto pensam como os cidadãos portugueses da última década. Venha o cartão de crédito, que se lixem os juros, o importante é desfrutar do momento. Já haverá algum dia em que o PdC não esteja, que as contas sejam para pagar por quem vier a seguir e depois quero ver esse raciocinio aplicado à falência que se possa verificar por esse tipo de política. Eu conto estar vivo e, portanto, ser adepto e sócio do clube. E ser testemunha de muita gente a lamentar-se do que hoje está a dizer da mesma forma que há muitas famílias que teriam guardado o cartão de crédito se soubessem o que lhes vinha em cima.

Viver acima das suas possibilidades, com negociatas de usurários pelo caminho. Um bom modelo de negócio, sem dúvida! Á Porto!

Anónimo disse...

os argumentos do Miguel ultrapassam todos os níveis de ridículo.
É só misturar alhos e bugalhos.

Anónimo disse...

e moderação para este tipo de comentários insultuosos não há?

Pedro disse...

O desdém nao é pelo paulo Oliveira, longe disso, por mim q o comprem.
O desdém, se é q há algum, é por quem permanentemente anuncia a desgraça, e nao está dentro de todos os dossiers.
Provavelmente acertará alguma vez, ao estilo eu bem avisei...
Prognósticos no fim do jogo, já dizia outro grande portista.
Cumpridores, orçamento curto e um honroso 5º lugar.....
Alias o relevante do meu comentário, se é que há algo, é o sol na eira, chuva no nabal que muitos apregoam....

Joao Goncalves disse...

O problema é que ou vives acima das tuas posssibilidades ou lutas com o Hadjuk Split pelo acesso à 2º fase de qualificação da champions e ficas muito feliz se passares.

O Porto não cabe em Portugal e se por detrás de um clube não tens uma Economia sustentada para a sua grandeza, ou arranjas estratégias de investimento/risco/lucro, ou fechas a ambição e começas só a restringir-te às competições internas e ponto final.

Falas que deveriamos ter comprado o passe todo sem a partilha do risco... se assim fosse se calhar deveriamos ter feito isso com todos os que partilhamos o risco; se isso assim tivesse sido, ao estariamos hoje aqui a falar de partilhar riscos de passes de 7M€, pois esses jogadores não poderiam nunca ser comprados pelo FCP por não haver estrutura finaceira/credibilidade para tal.

Seriamos outro Sporting, básicamente.

O nosso modelo é tão bom ou tão mau que os vermelhos só começaram a ser gente, quando o copiaram e basta ver a evolução deles no panorama europeu, para tirarmos daí todas as ilações.

Luchugo disse...

Para quem lê inglês, aqui deixo o link para um text que explica como são realmente feitas as transferências. Não aconselhado a quem acredita em capas de jornais.

http://www.reddit.com/r/soccer/comments/1e8ncw/explaining_the_falcao_move_to_monaco/

P.S.: Eu não tenho tempo, mas se alguém aqui do RP quiser traduzir o texto para português - dando os créditos devidos ao autor - seria muito bom para os que não lêem a lingua inglesa.

Luchugo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nicolau T disse...

O caro Miguel continua a afirmar que as comissões do FCP são altas, sem ter um termo de comparação... É o mesmo que eu dizer em pleno Inverno com -2ºC, está calor. Não estou a dizer nenhuma mentira, exactamente porque me falta o termo de comparação.

Anónimo disse...

Em relação à venda de metade do passe: Duas coisas uma positiva, e a outra não e que parece que ninguém abordou. A venda à GOL é por metade do valor da compra, pois se assumisse um aumento do valor do passe sem o jogador ter chegado e ter jogado já não seria aceitável para outsiders como nós. A negativa é que se de facto FCP+GOL decidiram comprar a "meias" desde o início, é o FCP que paga as comissões todas do negócio. Como não se sabe a quem se paga as comissões até pode ser que a GOL já tenha lucrado em cash. E como as comissões parecem altíssimas pode estar aí o segredo do negócio nesta fase.

Anónimo disse...

Sou benfiquista. Todavia leio muitos blogs, sejam de desporto, politica etc. Assim também consulto blogs afectos ao F.C.Porto. E escrevo isto para lhe dizer que o blog Reflexão Portista, é de longe o melhor blog afecto ao Porto. Não se amarra ao politicamente correcto, e traz ao debate temas que em outros blogs do Porto são assunto tabu. Exemplo este sobre o Reyes. Gostava de ver um post sobre o que se passou no Dragão Caixa ontem nos jogos de hóquei. O que pensa da segurança, da distribuição de bilhetes, etc.
Cumprimentos desportivos, Davide Freitas.

Anónimo disse...

E andam os portistas preocupados com a sucessão de PC, afinal não faltam talentos da gestão desportiva .....

Miguel Lourenço Pereira disse...

Eu particularmente de que ando farto é de anónimos cobardes, mas é o que há!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Todos, incluindo os de jogos de interesses, dinheiro debaixo da mesa, devolver favores, meter uns trocos ao bolso, prejudicar o clube. Sem dúvida!

Anónimo disse...

Davide Freitas:

O que se passou foi quase NADA comparado com:

Incendiado autocarro de adeptos;

"Emboscada" a jogadores com lesões gravíssimas

Impedimento de adeptos portistas irem ver o jogo de autocarro (barrado pela PSP perto de Lisboa)já com bilhete!!!...

Miguel Lourenço Pereira disse...

Luchugo,

É um excelente artigo e mais um exemplo daquilo que eu tenho defendido.
Se o FCP não tem dinheiro para comprar um jogador, não o compre. É muito fácil. Chama-se viver de acordo com as suas possibilidades, algo que as pessoas se esqueceram ultimamente.

Isso e associar-se com empresas corruptas interessadas em lavar dinheiro, motivo pelo qual ligas com alguma estaleca moral como a Premier proibem negociar com esses individuos tão bem recebidos no estádio do Dragão, individuos que se comportam como negociantes de ruelas mas com iates e carros desportivos de última gama. Não esse o clube que me interessa!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Nicolau,

Por termo de comparação utilizo o dos clubes que divulgam publicamente os valores que pagam e aqueles dados difundidos pela imprensa, pelos que raramente se enganam nestas coisas porque têm informação em primeira mão.

Miguel Lourenço Pereira disse...

João,

Quem diz isso de que luto com o Hadjuk parece que o FCP tem, todos os anos, ganho os grupos da Champions com uma vantagem descomunal. Há dois anos foi eliminado pelo APOEL. Houve anos em que o apuramento se decidiu no suspiro da última ronda. As pessoas estão a perder o norte. Ganhar um grupo a equipas como o PSG é um logro, fazê-lo com o Dinamo Kiev, Hadjuk, Dinamo Zagreb, Celtics não.

O FCP já só está restringido ás competições nacionais. Se não fosse o caso, tinha estado regularmente no top 8 da Europa. Não está nem chega sequer perto na maioria dos casos. Se esse magnifico investimento de risco desse Champions (com deu o investimento inverso aliás), meias-finais e quartos-de-final com regularidade, eu calar-me-ia. Mas é que temos um orçamento brutal para o micro-cosmos português mas na Europa continuamos a comportar-mo-nos como equipa média-pequena, passando da fase de grupos como segundo e caindo à 1º. Para isso não faz falta arriscar tanto.

O Sporting tem um orçamento muito inferior ao do FCP, não entra nestas contas. E comparar o nosso modelo de gestão com outros clubes apenas atesta a pequenez que tomou conta de muitos adeptos, só pensam no que os rodeia, esquecendo-se que quando fomos realmente grandes foi quando pensamos pela nossa própria cabeça e fizemos as coisas à nossa maneira.

Eu não digo que tivessemos comprado o passe todo. Digo o que digo sempre. Não há dinheiro, não se compra. Há grandes jogadores mais baratos, há jogadores noutros mercados que não o sul-americano. O que não dá jeito é o dinheiro que entra por fora, vindo desses meios ou das próprias arcas do clube, e que com essas contas tão confusas aparece e desaparece por magia, e que noutros mercados e com outros valores não compensaria. Esse é o problema de base!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Pedro,

Eu prefiro ser um clube que não ganha titulos a ser um clube associado a corrupção, a empresas de moral dúbia e a viver do crédito alheio. A diferença é que o FCP já provou que não precisa de nada disso para ganhar. O problema é que dá menos dinheiro a quem interessa. Nada mais!

Portista Sec XXI disse...

"Infelizmente para nós vamos ter que os aturar mais três aninhos."

Para nós e para o cofre da SAD.

Anónimo disse...

Falar de cobardia ou coragem nesta "dimensão" é engraçado...

ENFIM.

Anónimo disse...

grande entrevista de Vitor Pereira ao DN.

Pedro Ramos disse...

Caro Miguel,

Eu tenho alguma simpatia por algumas das suas posiçoes, sobretudo porque que me parece que partem de uma premissa, da qual eu concordo em absoluto, que foi a má gestao feita no clube no tempo de "vacas gordas" e perda de uma oportunidade de colocar o clube noutro patamar, mas apesar disso, a forma como defende certas posiçoes (perdoe-me a franqueza) nao passam de pura demagogia.

Em todos os comentários acima, feitos por si, existem 2 questoes que para mim enquadram-se totalmente naquilo que acima afirmo:
- Os clubes só devem comprar se tiverem dinheiro, e só devem viver de acordo com as suas possiblidades, nao devem recorrer ao crédito.
Ora se defense-se que o clube nao pode recorrer ao crédito como forma de financiar a suas despesas correntes aí nao poderia estar mais de acordo, mas o crédito é um instrumento fundamental a qualquer empresa que queira investir e expandir-se e nao conheço nenhuma, grande/pequena bem gerida/mal gerida que nao o utilize.
Podemos é discutir para que deve servir esse crédito e em que investimentos devem ser feitos, agora essa posiçao de que é quase um crime a sua utilizaçao e que devemos ser pequeninos e cumpridores nao faz qualquer sentido e nao confundir com o facto de o caro nao estar satisfeito com os resultados obtidos nos últimos anos.

- Já disse que nao gosto particularmente de regimes de co-propriedade de passes, sobretudo com fundos, mas provoca-me urticaria quando para defender o afastamento a corruptos dê como exemplo essa capital da lavagem de dinheiro e da corrupçao que é a liga inglesa. A seguirmos o seu conselho temos de proibir o clube de negociar com qualquer clube inglês de forma a afastar-se o mais possível aos esquemas de lavagem de dinheiro. Aliás pelo seu exemplo o que interessa é o parecer e nao o ser.

Mais uma vez perdoe-me a franqueza e nao interprete isto como um qualquer ataque a si, mas é que concordando com muitas das suas posiçoes parece que se perde muitas vezes nas suas justificaçoes e tornam a sua posiçao mais frágil de defender.

Anónimo disse...

Sim a Premier é tão moralistas que qualquer árabe ou russo chega lá e lava o dinheiro que quer, como quer, leva clubes como o Portsmouth à falência, etc...

Anónimo disse...

Ele usa, mas não os referiu nenhuma vez nem diz quais são.

Anónimo disse...

até há quem ganhe os grupos da champions com 15 pontos de avanço!

Anónimo disse...

O Miguel não está dentro dos dossiers? Caríssimo, o Miguel inventou os dossiers!
O Pinto da Costa era apenas um jovem imberbe e o Miguel chegou à beira dele e disse-lhe "rapaz, vais ser o meu fantoche na direcção do Porto. Não me apetece estar a dar a cara, ponho-te lá e fazes tudo o que te disser".
E é só graças a este homem que somos bi-campeões europeus e por aí fora.

Obrigado Miguel, és o maior!

Anónimo disse...

E só o Miguel sabe onde porque o Miguel é especialista em contabilidade, finanças, gestão e também bricolage.

Grande Miguel, és o maior!

Anónimo disse...

Mas alguma vez alguém mudava a opinião do omnisciente Miguel?

O Miguel ensinou ao José Rodrigues e ao DC tudo o que eles sabem sobre todas as coisas. Onde eles estudaram o Miguel deu aulas, construiu as universidades, elaborou os projectos arquitectónicos e definiu os orçamentos para a construção.

Grande Miguel, és o maior!

Nicolau T disse...

Então diga-me quanto é que o Benfica ou Sporting têm pago de comissões... É que eu não li em lado nenhum os valores envolvidos nas transacções de jogadores do SLB ou SCP..

Anónimo disse...

O Miguel é tão bom que até inventou uma nova regra de gestão.
A de que só se compra se se tiver dinheiro para pagar.

Alguma vez alguém recorreu ao crédito ou a um investidor para fundar um negócio? Estúpidos! Estão milionários mas não deixam de ser estúpidos.
Toda a gente sabe que só gere bem quem vai com os trocos contadinhos comprar as coisas.

E há algum clube no mundo que tenha empréstimos ao banco? O quê? Real e Utd são os clubes com mais dívida aos bancos no mundo? Clubes de burros, de certeza que nunca ganharam nada com isso.

E o último parágrafozinho escrito pelo Vítor Gaspar ah? que classe, o homem tem contactos em todo o lado.
Só por acaso já está mais que provado que a crise económica não teve a sua origem na dívida pública mas isso são os estúpidos como aquele Paul Krugman que não percebe nada do assunto. O Nobel da Economia se houvesse justiça estava na estante do Miguel ao lado do Nobel do Jornalismo, Medicina, Física, dos vários Óscares para melhor actor e realizador e do prémio de melhor assentador de tijolo da Madalena 2003.

HULK 11M disse...

Quanto aos "pseudo" incidentes com adeptos benfiquitas no hoquei, temos que reconhecer que ainda não atingimos o "alto nível" dos adeptos benfiquistas:
- Assalto do autocarro com os hoquistas do FCP e mandar um hoquista para o hosptital onde permaneceu algum tempo em coma;
- Impedir um autocarro com adeptos do FCP de entrar em Lisboa para ver o jogo, apesar de terem bilhete para o mesmo.
- Queimar a bandeira oficial do FCP no recente jogo de juniores,
- Matar um adepto com um very-light.
- Colocar o Director de Comunicação a dizer que o adversário tinha 30 anos de cadastro.
- Apagar a luz e regar a relva.
- Dar uma cachaçada num fiscal de linha em pleno jogo.
- Contratar e colocar seguranças no túnel para provocar jogadores,
- E etc, etc...
Parabés aos SLB que, nestas coisas, é o campeão limpinho, limpinho, limpinho.

JB disse...

E se o Chelsea pagar a clausula e levar o Mangala? É publico que o David Luiz e o Ivanovic estao no mercado e que com esse dinheiro o Chelsea vai precisar de reforços no centro da defesa. o Mangala é, de longe, o favorito do Mourinho.

Portanto, se o Mangala for vendido, olha o jeitinho que vai fazer o Reyes a central...

Saudações Portistas

J.Lopo disse...

...mas anda gente no" nosso"clube...

Nosso, mas será mesmo o teu?

João disse...

Algum dos experts em gestão desportiva sabe que percentagem do passe do Neymar é que o Barcelona já vendeu? E o Lucas do PSG? Óscar? Qualquer um, really.

Anónimo disse...

é com cada um.
Sabe quanto dinheiro de receitas faz o Barcelona e quanto dinheiro tem o sheik do PSG?

Este joão é um bocadinho estranho.

Miguel Lourenço Pereira disse...

J. Lopo,

Há vinte anos que pago quotas, não são propriamente trocos que me sobrem. Já alguns, muito paleio, e jogos pela SportTv ;-)

Miguel Lourenço Pereira disse...

Pedro,

Eu fui o 1º que defendeu que um clube não é uma empresa, não é feito para dar lucro. Outra coisa é chegar ao extremo de falência técnica onde esta gestão nos levou. Aceito empréstimos como parte de qualquer negócio, mas devem ser empréstimos pontuais e que o clube tente pagar o mais depressa possível porque ao contrário de muitos grandes clubes europeus que vivem endividados, salvo a venda regular de jogadores não temos muitos activos que nos salvem. O problema é que o dinheiro que entra quase nunca vai para abater o passivo, pagar os empréstimos e com isso reduzir o que se perde em juros. Vai para o mesmo circulo vicioso que a maioria dos adeptos, pelo que vejo aqui, entre anónimos e nomeáveis, aplaude porque resulta em títulos. Cada um defende o que quer, a diferença entre mim e estas ovelhas pintocostianas é que eu respeito-os e eles nem sequer sabem o que essa palavra quer dizer.

Adiante, a liga inglesa tem muitos aspectos por pulir. Mas ao contrário de muitas ligas continentais, sempre acentou em que os clubes eram detidos por privados, não por sócios. Desde sempre foram pertença de gente rica, a diferença com os dias actuais é que os ricos deixaram de ser emprésarios e industriais ingleses como foram os Edwards e os Hill-Wood e são agora personagens de fora. Não gosto, não gosto nada desse cenário mas há regras de gestão financeira que existem em Inglaterra para tentar, paliar ao máximo, essa realidade. Melhor exemplo ainda é a Bundesliga, mas isso já é um nivel de excelência a que nem sequer aspiro na realidade portuguesa.

A minha posição é a que é. Não vai mudar com o comentário de quem quer que seja. Quem a quiser seguir é livre mas eu prefiro realmente pessoas que pensem pela própria cabeça e façam as suas próprias opiniões e posições. Lamentavelmente neste FC Porto esse é um bem raro. A imensa maioria só pensa aquilo que lhes dizem que devem pensar!

Miguel Lourenço Pereira disse...

JB,

A SAD já sabe há um ano que o Mangala tem um prazo reduzido e por isso a compra do Reyes. Não a questiona nesse pressuposto, mas no plantel actual, tal como estão as coisas, Reyes obriga a desvalorizar um dos restantes centrais (Otamendi ou Maicon) se o francês afinal não sair. E esse cenário ainda está em aberto.

José Rodrigues disse...

E mesmo q saia o Mangala...

Nao estávamos bem servidos com Maicon antes de chegar o Mangala? Alem disso, o Abdoulaye tem dado boas indicações e continua a "crescer" em maturidade, e serve perfeitamente para 3o central (e se continuar a evoluir, para lutar pela titularidade). Finalmente ainda há Rolando, mas esse nem conto (mas ou é para vender ou então para aproveitar). Eu até podia entender a contratação de mais um central para completar o ramalhete, mas nao um q custe 9M.

Entretanto estamos uma miséria em opções para extremos e andamos a deitar mais de 10M ao lixo todos os anos em juros da divida, dinheiro q era muito mais útil em... Contratações.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Zé,

Eu, pessoalmente, não gosto da dupla de centrais Maicon-Otamendi. Nunca gostei do rendimento de ambos quando jogam ao mesmo tempo. Imagino até que se o Mangala não sair saia o argentino que sempre tem mais mercado que o Maicon.

Quanto ao 4º central, temos duas boas opções no Ba e no Tiago Ferreira. Como já disse outra vez, gosto do Reyes, acho que vai ser um excelente jogador, mas nem era necessário agora nem acredito que não existam centrais de igual projecção bastante mais baratos.

Nicolau T disse...

Eu acho que o FCP comprou o Reyes, porque tem a "certeza" de que um dos centrais titulares (Otamendi, Mangala e Maicno) vai ser vendido.

Honestamente preferia que o escolhido fosse o Otamendi, não que seja fraco, mas porque prefiro outro estilo de central... Jogar em antecipação é muito interessante até ao dia em que os avançados começam a ficar isolados. É apenas a minha opinião.

Penso também que com a chegada de Jesualdo ao Braga, jogadores como Kelvin, Castro e Abdulaye podem seguir até ao Minho para aprender com o professor.

Luchugo disse...

Se lerem o post do link que coloquei acima perceberão decerto - ide também ver o site da Doyen Sports - que o Mangala não sai porque nós queremos, sai porque a Doyen Sports quer.

Tenho uma grande fézada que o Reyes vem com o mesmo carimbo de "qualidade" estampado pelos empresários da sombra que "usam" o FC Porto para vender as suas mercadorias.

O FC Porto no entretanto também segue o seu caminho alegre a aproveitar a qualidade dos jogadores que lhes propõem os empresários - Jorge Mendes? - e a servir de entreposto, ainda que vá ganhando títulos.

Eu só me pergunto é se tanta negociata não interfere com o rendimento desportivo, onde interesses de empresários e agentes com "dedos em muitas empadas" (como costumam dizer os ingleses e bem) não falarão mais alto que os interesses dos clubes, nomeadamente do "nosso" clube.

Finalmente tenho que dizer que apráz-me ver o que parece ser uma reviravolta na nossa política de contratações e espero que passe esta a ser o nosso modus operandi em geral, obviamente nunca descurando uma boa oportunidade, não necessariamente por ser oportunidade a não perder mas porque realmente se alinha com as necessidades desportivas da equipa.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Luchugo,

Sem dúvida, hoje em dia, clubes como o FC Porto, que vendem a sua alma a estes grupinhos para manter os sócios contentes e calados - e o FCP não é o único - abdicando de todos os principios e morais em prol da vitória, essa realidade tão efémera como tantos projectos desportivos podem comprovar, estão totalmente dependentes desses abutres.

Hoje em dia o FCP que pacta com esses esquemas de enriquecimento alheio, perdendo dinheiro pelo caminho e mais, perdendo identidade, é um clube a anos-luz do espirito que defendia um tal José Maria Pedroto. O clube que me ensinaram a amar, por cima de todas as coisas.

Luís Negroni disse...

Não percebo porquê tanta confusão com a "alienação" de metade do passe sem qualquer lucro. Obviamente que se compramos uma coisa qualquer a meias com outra pessoa, o preço é o mesmo para nós e para essa pessoa. Não é 7 milhões para nós e 10 para o outro co-comprador. O que esta "alienação" quer dizer é que o Porto só quis ou só pôde gastar 3,5 milhões no passe de Reyes. Até porque precisou de pagar mais 2,1 milhões em prémio de assinatura/luvas ao jogador e respectivo empresário (coisa que o outro co-comprador não precisa porque não vai ter o jogador ao seu serviço) para massa salarial ser mais baixa e pelo agenciamento a favor do Porto.

O que é engraçado é que se faça desta compra tão fácil de explicar e de perceber um bicho de sete cabeças e depois se venha propôr como paradigma da ética financeira a mais suja liga do mundo nesse campo que é a Premier League. É que lá a imoralidade é total e é muito fácil de explicar: Os mais sujos multimilionários do mundo compram clubes e depois lavam o seu sujo dinheiro da forma que lhes apetece.

FucKerO disse...

1º Venda de % do passe no momento da compra é 1 forma de partilhar o risco. Se o reyes for 1 flop como walter, perdemos menos dinheiro, se for 1 craque e valorizar imenso ganhamos menos. Parece-me uma estratégia perfeitamente razoável porque nos permite adquirir jogadores com outro cartel, reduzindo a margem de erro sem um enorme esforço financeiro.

2º Posição não é deficitária? Não será demasiado cedo para o afirmar? Se sair o otamendi por exemplo ficam tranquilos com Maicon, Mangala e abdoulaye? Caso o Maicon se lesione como nesta temporada querem mesmo jogar com o abdoulaye (um central medíocre que espero que seja vendido esta época) ? Mangala tem o destino traçado para a próxima época, não é bom ter já 1 jovem talento para preparar a sua substituição?

3º Se não se tem dinheiro não se compra? que ideia fantástica.. a pensar assim o Hulk tinha ficado no japão, o moutinho no scp, o mangala no standard, o james no banfield, etc etc. Possivelmente teríamos menos títulos e uma pior situação financeira (não teriamos feito as grandes mais valias que fizemos).

4º Gestão "controlada" em Portugal não é possível. Os nossos proveitos operacionais (sem vendas) são de cerca de 50M (incluindo prémios da CL). Mal cobrem os 44/45M dos Gastos com Pessoal. Tens noção de quanto teríamos de emagrecer o plantel para viver dentro das nossas possibilidades? Tens noção da quebra de qualidade que isso significaria? Tens noção que poderíamos até ficar fora da Champions e aí os cortes ainda teriam de ser mais significativos?

5º Falência técnica não significa nada. Tens que perceber o que está por trás disso, perceber o contexto. O nosso plantel, ainda com moutinho e james (antes das vendas), estava avaliado como activo de 83M. Os 2 jogadores referidos supra foram alienados por 70M. Penso que não é preciso dizer mais nada para demonstrar o no sense que é falar nesse indicador meramente contabilístico.

FucKerO disse...

1º Venda de % do passe no momento da compra é 1 forma de partilhar o risco. Se o reyes for 1 flop como walter, perdemos menos dinheiro, se for 1 craque e valorizar imenso ganhamos menos. Parece-me uma estratégia perfeitamente razoável porque nos permite adquirir jogadores com outro cartel, reduzindo a margem de erro sem um enorme esforço financeiro.

2º Posição não é deficitária? Não será demasiado cedo para o afirmar? Se sair o otamendi por exemplo ficam tranquilos com Maicon, Mangala e abdoulaye? Caso o Maicon se lesione como nesta temporada querem mesmo jogar com o abdoulaye (um central medíocre que espero que seja vendido esta época) ? Mangala tem o destino traçado para a próxima época, não é bom ter já 1 jovem talento para preparar a sua substituição?

3º Se não se tem dinheiro não se compra? que ideia fantástica.. a pensar assim o Hulk tinha ficado no japão, o moutinho no scp, o mangala no standard, o james no banfield, etc etc. Possivelmente teríamos menos títulos e uma pior situação financeira (não teriamos feito as grandes mais valias que fizemos).

4º Gestão "controlada" em Portugal não é possível. Os nossos proveitos operacionais (sem vendas) são de cerca de 50M (incluindo prémios da CL). Mal cobrem os 44/45M dos Gastos com Pessoal. Tens noção de quanto teríamos de emagrecer o plantel para viver dentro das nossas possibilidades? Tens noção da quebra de qualidade que isso significaria? Tens noção que poderíamos até ficar fora da Champions e aí os cortes ainda teriam de ser mais significativos?

5º Falência técnica não significa nada. Tens que perceber o que está por trás disso, perceber o contexto. O nosso plantel, ainda com moutinho e james (antes das vendas), estava avaliado como activo de 83M. Os 2 jogadores referidos supra foram alienados por 70M. Penso que não é preciso dizer mais nada para demonstrar o no sense que é falar nesse indicador meramente contabilístico.

José Rodrigues disse...

Sim, como disse nao me choca nada q se partilhe o risco NO MOMENTO DA COMPRA e especificamente no caso das grandes compras - a nao ser excepcionalmente (como um jogador q nao deixa duvidas de ser excelente e q tenha um preço de saldo, mas isso é um caso teórico, nao me lembro de uma única contratação q tenha sido caso).

Já no caso de jogadores relativamente baratos (digamos uns 3M) aí já nao me parece q faça grande sentido querer partilhar o risco).

Uma coisa bem diferente é, como disse, depois de o jogador já cá estar há algum tempo e se ter constatado q nem é flop nem tem grandes problemas de adaptação (como nas vendas de % de James e Moutinho). Aí sim, faz-me imensa impressão.

Anónimo disse...

"o outro co-comprador não precisa porque não vai ter o jogador ao seu serviço": bolas, mas também posso dizer que quem vai pagar o salário é o clube. Ou será também o salário partilhado como é explicado no artigo do link "Explaining the Falcao move to Monaco"? O não dividir as comissões se a compra é a meias á inconcebivel para mim. Se são os fundos que decidem tudo, para quê ter administradores e resto da hierarquia na SAD e também pagar as comissões (para gestão dos activos) aos fundos? E o treinador, é ele mesmo que decide quem vai jogar ou não (assumindo já que para definir os jogadores de que dispõe não conta)? E o tais períodos de adaptação dos jogadores quando chegam - não são sómente o tempo necessário para despachar os que lhe tapam o lugar? É que a montra só tem espaço para 11+3 de cada vez! E como é que os fundos poêm uns jogadores num clube e outros noutro? E quando esses clubes se defrontam como é, sabendo que o jogador com títulos valerá mais do que sem? Acho que o MLP exagera um pouco na recusa em aceitar o "modelo vigente" mas os opositores exageram muito mais na sua aceitação. Eu lendo o artigo com atenção só tenho pena de quem não dê comida aos filhos por causa do futebol. De resto conclu-o que isto é 99% de negócio pouco transparente e 1% de amor a qualquer coisa.

Anónimo disse...

continuando a resposta anterior: Quem ler o artigo fica com a ideia de que o FCP é o Atlético Rentistas da Europa. Como o MLP diz, será que isso vale a pena sabendo que depois mesmo assim somos eliminados pelo Apoel? Para ganhar a liga em Portugal mesmo perdendo os dois jogos com o SLB (se os seus poços de petróleo continuarem a jorrar) para ganhar o campeonato basta sermos mais competentes nos outros jogos. Mesmo com orçamento reduzido para metade i.e. os 50 M para Portugal basta contra 3os classificados com Paços aboixo dos 5 M. Ficaríamos como o Sporting? Talvez, se afinal formos tão incompetentes como eles têm sido. Assim com este modelo não sabemos se quem é competente somos nós ou são os fundos. E também sabemos que quando os fundos nos resolverem descartar vamos ao fundo sem termos onde nos agarrar.

Anónimo disse...

Bom dia,

A preocupação do MLP relativamente às jogadas?? financeiras na compra e venda de percentagens de passes de jogadores, deveria ser uma preocupação de todos os Portistas.
A partilha do risco na aquisição de um jogador deveria ser isso mesmo, isto é, partilha no lucro mas também no prejuízo. O problema destes negócios é que são muito parecidos com as famosas "PPPs", em que havendo prejuízo será o FCP a suporta-lo.
No futebol como em qualquer outro "negócio" temos que utilizar todos os mecanismos financeiros disponiveis para competirmos com os melhores, mas sempre com o rigor necessário para evitar a "queda" que o despesismo provoca... Basta analisar a relidade do País, para perceber os riscos que correm principalmente os três grandes do futebol Português.
R. Teixeira

Anónimo disse...

Teríamos poupado 9M se tivéssemos comprado a custo zero o Steven Vitória - um central português, que foi para mim um dos 3 melhores do campeonato na sua posição e que imaginem, até já passou pelo FCP.

Infelizmente, o Steven não dá grandes comissões.

PS. Subscrevo por inteiro a opinião do Miguel Lourenço Pereira.

MT

Anónimo disse...

Faça essa aposta consigo mesmo.. de forma honesta. Aponte num papel: "No dia 3 de Junho de 2013 disse que seá ria melhor contratar o Steven ao Reyes". Daqui a 2/3 anos pegue no papel e veja o patamar em cada um se encontrará.

Luís Miguel disse...

A evolução das contas do FCP sad evidenciam uma melhoria significativa, pois comparando os períodos homólogos terminados em 31 de Março, verifica-se um desequilíbrio financeiro corrente de quase 115 milhões de euros em 2012 e em 2013 é de quase 71 milhões de euros em 2013.

As vendas de James e Moutinho irão contribuir para a redução deste desequilíbrio financeiro corrente sendo depois necessário comparar as contas homólogas de Junho de 2012 e 2013.

As vendas de partes dos passes dos jogadores deve-se essencialmente a necessidades de tesouraria numa época de escassez de crédito.

Quando o FCP compra 95% do passe de Reyes, não significa que paga de imediato na sua totalidade, mas vai pagando em prestações, mas quando o FCP vende os 47,5% do passe de Reyes à Goal Luxembourgo, recebe na totalidade, por isso, em outras situações similares quando vende obviamente recebe menos e depois quando recompra paga mais, originando lucro à entidade que compra mas o FCPorto obtém a liquidez que precisa para pagamentos de salários, o próprio pagamento aos clubes vendedores e juros dos empréstimos bancários e obrigacionistas.

Na eventualidade do FCP após a recompra dos passes de James e Moutinho não os vender e ficar com eles para futuras temporadas, o FCP pode amortizar o valor da recompra.

Em relação às comissões, o que se passa é que o FCP pagando boas comissões tem mais facilidade em arranjar melhores negócios pois muitas vezes consegue bater a feroz concorrência por vários jogadores.

Voltando ao essencial, a análise sobre as contas do FCP sad evidencia uma melhoria significativa em períodos homólogos.

Anónimo disse...

O Miguel sem apoio aqui no blog foi amuar para o facebook

Anónimo disse...

Caro Anónimo,

Então se o Reyes vai ser assim tão melhor que o Steven - o que admito, até pelo valor da transferência... - diga-me lá se vale a pena ceder percentagem do passe ao fundo de investidores. É que o tema aqui é mesmo esse...

MT