sexta-feira, 12 de julho de 2013

"Boa língua" espanhola

(jornal MARCA, Julho 2013)

No mesmo órgão de comunicação social, português ou estrangeiro, pode haver jornalistas e artigos de "má língua" e de "boa língua".

O jornal MARCA, o maior diário desportivo espanhol e um dos principais jornais desportivos europeus, é um bom exemplo disso mesmo.


21 comentários:

Miguel Lourenço Pereira disse...

O Juan Ignacio é assumidamente adepto do Real Madrid e do Benfica, não me surpreende em absoluto que se passeie pela Luz e vizinhanças. Mas o respeito que a marca FCP tem em Espanha supera muito as paixões pessoais de tipos com cargos editoriais!

José Correia disse...

Miguel, o que eu quis salientar, com exemplos concretos, é que mesmo nos maiores órgãos de comunicação social estrangeiros, podem existir artigos de "má língua", assinados por jornalistas como Juan Ignacio Gallardo (subdirector da MARCA) e artigos de "boa língua", altamente elogiosos, ao ponto de o próprio diretor da MARCA - Óscar Campillo - ser presenteado com uma camisola do FC Porto.

Compete-nos a nós, portistas, distinguir uma coisa da outra.
E, claro, cada um é livre de dar crédito aquilo que quiser.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Naturalmente!

João disse...

Gostava, já que a nacional não o vai fazer, de ver o assunto da compra de direitos pela Carnide TV discutido na imprensa internacional. Da transmissão dos próprios jogos agora à compra dos jogos de um potencial adversário, adversário para todos os efeitos da equipa B.

É que não é normal que isto esteja a acontecer com o aval de todos os órgãos e instituições num país civilizado.

Podia começar já por Espanha, que devem ficar tão estupefactos como nós.

Pedro Jesus disse...

Esses comentários seriam barrados na fronteira... em tempos idos.Mas aqui damo nos bem com as desgraças ou artimanhas em casa de outros.

Nightwish disse...

Não percebo o espanto devido ao nível avançado de transformação do país numa república das bananas.

D.Liberal disse...

Está uma bela farpa no Mourinho de 1994 para quem souber ler. Fica a resposta para as "paixões" de clubes do Mourinho que enquanto portista continuo a apreciar muito, em especial as edições de 2002 e 2003...

D.Liberal disse...

Está uma bela farpa para o Mourinho de 1994 para quem a souber ler.

O Mourinho de 2002 e 2003 foi um grande treinador e um grande portista também. A edição de 2004 foi um grande treinador somente. Quanto ao resto é o Presidente no melhor. Basta ler a entrevista para entender porque é que há presidentes "bananinhas" e "orelhudos" e outros que dão pentes à concorrência como se diz na sueca!

JOSE LIMA disse...

Caro José Correia
O "informador" de Juan Ignacio Gallardo era Nuno Luz e alguns pasquineiros da BOLHA, para depois fazerem "eco" da notícia, dada por eles próprios. Para nós vem de carrinho...
Abraço

Duarte disse...

Há já uns largos meses que venho dizendo que a Benfica TV é parte central de um esquema fraudulento. Isto sim, preocupa-me bastante. Muitíssimo mais, de resto, do que as receitas ou as despesas que a estação possa gerar no futuro.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Todos sabemos como saiu o Mourinho do FCP mas para lograr o que logrou não era necessário ser um grande portista, bastou-lhe com ser um grande treinador!

Anónimo disse...

O que o josé Correia não sabe ou se esqueceu é que foi o mesmo jornal "Marca" e o jornalista JUAN IGNACIO GALLARDO, que assinou este artigo.

Directivos del Oporto cenaron con el árbitro tras el partido contra el Villarreal

Reinaldo Teles y Antonio Garrido, implicados en el caso 'Pito Dorado', acudieron al restaurante con el holandés Kuipers · También cenó allí el presidente Pinto da Costa

http://www.marca.com/2011/05/04/futbol/europa_league/1304504345.html

Isto de boa lingua não tem nada.

Pedro Góis

José Correia disse...

Se você se tivesse dado ao trabalho de clicar no link 'Os amigos portugueses de Juan Ignacio Gallardo (Maio 2011)' que consta deste artigo, não teria escrito este comentário.

Anónimo disse...

J. Correia tem toda a razão.

É que ainda não tinha acabado de ler o seu artigo e já estava aqui a colocar o meu comentário. É que ainda hoje quando vou a Espanha e/ou estou com amigos e colegas de trabalho espanhois e que sabem que eu sou Portista ferrenho... o assunto vem sempre á baila. Dai a minha revolta de ver dirigentes do FCP darem entrevistas a este jornal depois de tudo o que aconteceu e sem um pedido de desculpas publico por parte do jornalista ou do jornal, por todo o mal que fizeram ao FCP e aos dirigentes em causa.

Silva Pereira disse...

Boa tarde,

A questão é o que os pasquins como a bolha fazem eco.

A bolha tv tem um programa "revista de imprensa internacional" editado todos os dias (2ª a 6ª) e sempre que há alguma coisa elogosa sobres os chifrudos ou então polémica sobre o FCP faz um chinfrim do caraças, mas nesse dia e um outro aqui à tempos na Marca (3pág), qual foi a reação? como não podiam evitar focar o tema resolveram cancelar o programa, coisa que nunca mais aconteceu. Se t~em alguma dúvida estejam atentos para a ´próxima e digam-me se foi uma coicicidência do c*.

Anónimo disse...

Porque é que não fiquei surpreendido por o Helder Conduto passar a ser um pivot da BenfasTV? Pagamento de favores antigos?
JP

Anónimo disse...

Já agora, parece que a RTP quer voltar a ter jogos do campeonato uma vez por semana. Se pretende trocar a exclusividade do mundial 2014 com a sportv por contenção de custos, estou para ver o capital que vão injectar na benficatv para ter os jogos deles. As movimentações continuam.

Amphy

Anónimo disse...

José Correia, para si um artigo de má ou de boa língua depende do conteúdo, caso lhe agrade é de boa língua caso já não passa a ser de má e até mentira?

Há que ser racional, por vezes, até aquilo que não nos agrada pode ser verdade e o que o nos agrada pode ser uma grande mentira.

Só acho estranho que um jornal que sempre se dirigiu ao Porto e a PDC como um clube menos digno, passe de um momento para o outro a tecer alargados elogios ao seu presidente. Não acha isto estranho?

Cumprimentos,
Paulo Correia

José Correia disse...

Eu não costumo responder a anónimos e muito menos quando esses anónimos são "infiltrados", mas vou tentar esclarecê-lo.

O que eu disse, e reafirmo, é que no mesmo órgão de comunicação social, português ou estrangeiro, pode haver jornalistas e artigos de "má língua" e de "boa língua".
E dei como exemplo o jornal MARCA, o maior diário desportivo espanhol e um dos principais jornais desportivos europeus.

José Correia disse...

E só quem faz de conta, ou anda muito distraído, é que não conhece as simpatias e amizades lisboetas (vamos chamar-lhes assim) de alguns jornalistas da MARCA, como são os casos de Juan Ignacio Gallardo e Santiago Segurola, os quais, inclusivamente, já foram convidados a escrever artigos de opinião em jornais da capital portuguesa.

Anónimo disse...

Que eu saiba assinei no fim do texto, logo deixo de ser anonimo. Ou você vê alguma diferença entre assinar no fim e no inicio?

Infiltrado? É esse o nome que dá a quem tem uma opinião diferente da sua? Se for então ok, sou um infiltrado portista.

Voltando ao tema, presumo então que esteja a associar essa amizade ao Benfica!? Sendo assim não percebo a razão de nesse jornal tão prestigiado espanhol não se falar do Benfica e dos seus jogadores como forma de reconhecimento e valorização..

Mas mesmo assim não respondeu à minha pergunta, porquê que os artigos de má língua são aqueles que não convém serem verdades e os de boa língua o contrário? Porquê não são apenas artigos de opinião?

Porquê que deixa de ser verdade quando não se gosta do que se lê e quando se gosta já passa a ser uma realidade? Porquê que quando a Marca fez um artigo acerca de corrupção é porque o diretor do jornal tem amizades em Lisboa mas quando elogia o nosso presidente já é sinal de competência e justiça?

Não deveria manter o bom senso e a coerência caro José Correia?

Cumprimentos,
Paulo Correia