quinta-feira, 19 de setembro de 2013

O triunfo do futebol ridículo


Não raras vezes o adepto implora ao mais básico desejo em vésperas de uma partida importante. A vitória. Paulo Fonseca estreava-se na Liga dos Campeões ao leme do experiente FC Porto. A julgar pela inquietante exibição, a imaturidade competitiva parecia generalizada e entre o tão pouco futebol que se viu no relvado do Prater, a única coisa que acabou por ficar de oferta aos portistas foi a sibilina vitória azul e branca, através do solitário golo do capitão Lucho Gonzalez.

Felizmente para nós, enquanto a Europa do futebol se ia entretendo com o hattrick de Messi ou com a ensaboadela suíça a Mourinho perante o seu público, em Viena desenrolava-se o pior jogo da 1ª jornada da competição de clubes mais importante do Mundo. Um mau jogo, disputado por duas equipas inconsequentes, com jogadores fracos ou desinteressados, orientados por equipas técnicas medíocres. Se isto é o melhor futebol que a UEFA tem para oferecer. Vou ali e já venho…

Ao FC Porto, como se não bastasse a pálida exibição do passado fim-de-semana com Gil Vicente, resolveu aprimorar o estilo e tornar-se ainda mais degradante. Os danos só não aconteceram porque este Áustria de Viena vai ser uma espécie de versão 2.0 do Dínamo de zagreb, para levar coça de criar bicho de todas as equipas que lhe vão calhar em sorte. A caça ao voto do Platini trouxe à tona estas tainhas que até o espaço que ocupam na rede incomoda.

As declarações pouco efusivas dos jogadores na zona mista após a partida revelam algum decoro ou, quiçá, peso na consciência da qualidade de jogo. A quantidade de equívocos, erros, falhas e infantilidades foram tantas que todo o balneário sabe que uma exibição igual a esta na próxima jornada da Champions equivalerá a ZERO pontos. Paulo Fonseca acha que a sua equipa fez um jogo “pragmático” e “inteligente”. Temo que o engodo das vitórias lhe possa toldar o discernimento para as muitas debilidades que os seus comandados evidenciam.

Entre um meio-campo incapaz de gerir o jogo, perdido entre a falta de pressão ao portador da bola e na pouca circulação e rotatividade dos seus jogadores, juntou-se a incapacidade de os extremos e laterais portistas em explorar as faixas, bem como trabalhar a ligação no momento de transposição da bola. Jackson dedicou-se ao egoísmo e Otamendi à parvalheira. Tudo isto polvilhado com um chorrilho de passes errados e más recepções, resultando na confrangedora exibição que se sabe.

Valeu esta noite que a eficácia saiu generosa. Provavelmente na única jogada condigna a um jogo de futebol, levou Danilo a ganhar a linha de fundo servindo Lucho num oportuno passe atrasado para o golo que arrebataria os três pontos para o Dragão. E foi só, para gáudio e escrupuloso cumprimento do desejo do adepto. O “pragmatismo” assim obriga, diz o técnico. A jogar assim, Liga Europa cá vos espera, digo eu!

82 comentários:

DC disse...

Não diga isso que vêm já aí uns iluminados dizer que está tudo bem, que só temos vitórias e que mais uma vez não sofremos golos.

Estamos a jogar muito, está tudo maravilhoso, a equipa está espectacular, defende como o Sacchi e ataca como o Guardiola. Está fantástico e de jogo para jogo ainda melhora.
Ninguém ouse criticar porque se o fizer é porque é fanático do VP e só diz asneiras.

Está tudo uma maravilha! Por falar nisso daqui a umas semanas vem aí o Villa, Villa, Mara-Villa. Será que ele falhava as 10 ocasiões de golo do Austria (essa potência do futebol mundial) hoje?

Anónimo disse...

epá, costumo ler sempre o reflexão portista e apenas sigo dois ou três blogs do porto, mas se volto a ler aqui um artigo como este, rancoroso contra a própria equipa, nem volto a abrir a página... seis jogos, seis vitórias: por mais razão que o autor ache que tem, e não digo que não, que se guarde para quando estes números se perderem...

Anónimo disse...

nem mais. Horrivel jogo...uma epoca e longa e ninguem joga a 100 sempre, mas ha meio termo. Tenho muitas discordancias com esta sad mas quero que o meu porto ganhe, so que nso a qualquer custo. O meu desanimo e a falta de vontade de empolgar de estimular os adeptos desde avb que a esse nivel estamos zero, o porto e nos ultimos largos tempos uma equipa qb. Doi-me ver certos jogos, uma equipa que dorme 45 min no domingo chega hoje e joga sem rasgo, sem ganas, sem ilusao e sonho de ser grande e brilhante a champions. Quero mas nao consigo entender. O treinador nem sei que pensar, hoje e dia penso estar claro que o treinador manda 0 nas contratacoes mas tacticamente manda na prep mental manda...por isso e bom que pense, porque em jogos como este nao ha um adepto que nao pense em iturbe e kelvin. portista de lisboa.

SDF disse...

È pah pela exibição de hoje a liga Europa fica nos muito bem! Tenho a impressão que este ano a liga dos campeões para o nosso clube vai ficar pela fase de Grupos! Espero estar errado, mas assim me parece! Só mais duas coisas, varela e Lica não jogaram nada, zero, nadinha, nulidades nas alas, e alguém faz o favor de dizer ao Fernando que a construção de jogo e a progressão com bola não é para ele?? que não vale apena inventar e querer a bola quase como que a mostrar que pode ser um médio completo? È que ja irrita vê lo a recuperar tão bem a bola e depois a fazer disparates com ela! Saudações, boa analise do jogo sem duvida!

Sérgio disse...

O seu título doeu-me tanto que nem fui capaz de ler o texto...também fiquei aborrecido..esperava mais!

Cumprimentos,

Saci Pererê disse...

Totalmente de acordo. Mas para mim as exibições pouco conseguidas não são somente as de ontem e as do fim-de-semana passado. Tenho a impressão que este treinador não tem mãos para tocar esta guitarra. Ainda não conseguiu colmatar a saída do Moutinho e isso vai custar caro.

José Correia disse...

No Estádio Ernst Happel até o pior FC Porto consegue vencer
(título da crónica do jornal PÚBLICO)

José Correia disse...

«Frente ao 90.º classificado no ranking da UEFA e estreante nesta fase da prova, os jogadores portistas assumiram durante quase toda a partida uma postura altiva e, principalmente nos primeiros 45 minutos, Nenad Bjelica agradeceu. O treinador croata tinha colocado os “dragões” ao “nível de um Borussia Dortmund, Real Madrid ou Barcelona”, mas o que se viu no Ernst Happel, na primeira parte, foi um FC Porto ao nível do Áustria Viena.»
in PUBLICO.pt

José Rodrigues disse...

A exibicao nao foi tao ma' como a estao a pintar mas foi sem duvida muito mediocre. Se o resultado fosse 1-1 nao teria sido nada injusto...tivemos dominio do jogo mas em oportunidades de golo (poucas) as equipas equipararam-se.

Se contra estes gajos nos vimos 'a rasca para criar ocasicoes de golo (pouca dinamica e criatividade), a jogar assim nao vamos criar QUALQUER oportunidade de golo contra o AM, q se sabe fechar muito bem "em copas" (e q sem duvida o vai fazer no Dragao).

A minha esperanca e' q o passar do tempo (afinando a maquina e ganhando rotinas e ritmo) e o factor casa possam fazer a diferenca. Isso, e q o PF saiba diagnosticar minimamente o q precisa de mudar.

De resto bitaites soltos:

1) como suspeitava o Fernando ja' jogou muito mais como "trinco" neste jogo. De certeza q sera' para repetir contra o AM.

2) a pior noticia da noite foi o amarelo estupido e escusado ao A. Sandro. Agora tendo em conta q nao e' tao improvavel como isso q apanhe outro amarelo no Dragao contra AM ou Zenit, corremos forte risco de nao contar com ele para as deslocacoes a Madrid ou S. Petersburgo, o q seria pessimo.

3) Lica' e Josue' (ainda?) nao sao jogadores para a LC. Se entretanto ganhar ritmo, mais vale jogar com um Quintero a fazer de James para as recepcoes a AM e Zenit (q se vao fechar em copas e têm maior qualidade a faze-lo do q o A Viena).

José Correia disse...

«Um quadro de Picasso é pouco mais do que inútil numa casa em ruínas. O golo de Lucho, bonito em todas as fases, é incapaz de esconder uma exibição triste e desinspirada do FC Porto em Viena. Salvaram-se os três pontos, dirão os pragmáticos; perdeu-se muito mais, reagirão os puristas.
No Prater, nem valsa nem futebol. Ou, pelo menos, pouco futebol. Exceção feita ao tal golo de Lucho, o único do jogo e exemplarmente edificado, e à gestão bem feita nos 10/15 minutos finais, o FC Porto revelou-se passivo, distante, sem ponta de ardor ou desejo.»
in Maisfutebol

José Correia disse...

«Passes básicos errados, posicionamento preocupante, confiança excessiva, enfim, pouco se salvou dos tricampeões nacionais antes e depois do excelente golo de Lucho, anotado aos 55 minutos. (...)
Basta lembrar só mais um exemplo. No instante a seguir ao golo, o FC Porto permitiu uma bola ao poste da baliza de Helton. Sobreviveu aí, como noutras insistências austríacas, muitas vezes com mais sorte do que juízo, com mais surpresa do que competência.»
in Maisfutebol

Anónimo disse...

Concordo com a opinião em temos gerais embora pontualmente excessiva a até injusta.
Dois pontos que me parecem importantes e que já referi anteriormente:
- Paulo Fonseca mantém o estilo Vitor Pereira, cinzento, conservador. Não se vê arrojo, não se vê nada de novo. Não há uma finta, não há um passe a rasgar, uma desmarcação, continuamos a não ver o passe curto que tão bem nos caracterizava. Uma miséria que fundamenta o titulo do artigo, "ridiculo".
- Paulo Fonseca, como VP não pode fazer milagres. Continuo a dizer que os ovos são mauzinhos e deprime-me ler a opinião de muitos portistas que por aqui escrevem: Lica é esforçado e profissional mas só isso, não é um primor; Josué tenho que ver mais, promete alguma coisa mas tem que crescer muito para chegar ao nivel esperado; Herrera tarda em aparecer, tenho esperança e curiosidade mas não lhe dão continuidade; Ghilas não joga; Os outros ou foram dispensados ou andam pela equipa B. Sobra Quintero, realmente a boa noticia do ano, o unico habilidoso e virtuoso do plantel que continua inexplicavelmente a ter um papel secundário.
Sinceramente, num ano em que todos percebemos que necessitavamos contratar titulares, após a última epoca em que só um milagre nos deu um campeonato, acho a politica de reforços muito discutivel, para ser simpático.
Mas pronto por aqui muita gente escreveu que não era necessário Bernard (devia chegar com o Kelvin ou o Iturbe....) ou outro extremo qualificado. Para esses este plantel é excelente...
Valha-nos o Benfica que com uma equipa com muito mais qualidade insiste em nos dar alegrias permanentes.

Pedro Moreira

Paulo Pinto disse...

Não jogamos com intensidade, não tivemos qualidade de passe, não pressionamos alto, criamos pouquíssimas ocasiões de golo, tivemos vários erros defensivos que nos podiam ter custado caro.

Tudo isto frente a um adversário medíocre da terceira divisão europeia, quando se compara o nosso jogo com o de outras equipas de top da LC a diferença é...ABISSAL.

Convém lembrar que já com o Passos fizemos um jogo muito fraco, com o Gil Vicente foi péssimo, e agora isto. Se contra estes 'colossos' não conseguimos sair desta mediocridade, quando apanharmos uma equipa 'jeitosa' vai ser bonito vai...

Não temos plantel para ganhar a LC, mas temos plantel para fazer muito melhor, se não arrepiarmos caminho, temo que brevemente tenhamos os primeiros amargos de boca.

Pedro Matias disse...

nao tive oportunidade de ver o jogo em directo e pelo que vi no resumo claramente não merecemos sair deste jogo com a vitória.

no entanto, também acho que não podemos exigir que a equipa jogue sempre bem e, principalmente no inicio da temporada, temos de ser acima de tudo pragmáticos.

Lembro-me de que os 1ºs jogos do AVB tb foram bastante fraquinhos mas a verdade é que mesmo assim fomos ganhando e quando se consegue criar esta cultura de vitória (que o VP tb conseguiu) os jogadores ficam mais confiantes para poderem jogar bom futebol.

Agora vamos ver aquilo que o PF consegue incutir aos jogadores para melhorar a qualidade de jogo mas da minha parte merece claramente o beneficio da dúvida.

Vincent Vega disse...

Porto horrível. Se já tinha saudades do Vitor Pereira, agora tenho bem mais. Não quer dizer com isso que o Paulo Fonseca não tenha o meu apoio, mas muita coisa vai ter de mudar.

(O A.Viena não é nenhuma potência, mas também não é tão mau como fazem querer)

Joaquim da Fonte disse...

As criticas devem ser feitas quando o barco ainda está à tona. Depois dele naufragar é fácil criticar.

DC disse...

"e alguém faz o favor de dizer ao Fernando que a construção de jogo e a progressão com bola não é para ele??"

Como se fosse o Fernando o culpado por essa opção. E que tal dizer isso a quem dá a táctica?

DC disse...

"A exibicao nao foi tao ma' como a estao a pintar"
Se ter menos oportunidades de golo num jogo contra a pior equipa na Champions não é assim tão mau, então o que é?

Estamos a falar duma equipa ao nível dum Paços de Ferreira, uma equipa que está na Champions a fazer turismo.
Se o próprio José diz que o 1-1 até seria justo não percebo como diz que não foi assim tão mau.

"nao vamos criar QUALQUER oportunidade de golo contra o AM, q se sabe fechar muito bem "em copas" (e q sem duvida o vai fazer no Dragao)"
Não tenho assim tantas certezas. Com o Porto a jogar assim e o Atlético no nível em que está, eles podem perfeitamente tentar ganhar o jogo cá. Não precisam de jogar para o empate. Mas essa será uma opção deles.

"A minha esperanca e' q o passar do tempo (afinando a maquina e ganhando rotinas e ritmo) e o factor casa possam fazer a diferenca. Isso, e q o PF saiba diagnosticar minimamente o q precisa de mudar."
Também é essa a minha esperança, embora ouvir o PF a dizer que fez um jogo inteligente me tenha deixado preocupado.

"como suspeitava o Fernando ja' jogou muito mais como "trinco" neste jogo. De certeza q sera' para repetir contra o AM."
Pareceu-me que foi mais obrigado a isso por causa do volume de ataques do Austria do que outra coisa. A construir continua o Fernando e o Josué a uma distância absurda do resto da equipa, sem apoios ao portador da bola, com as linhas muito, mas muito distantes.

DC disse...

"Paulo Fonseca mantém o estilo Vitor Pereira"

Não, não mantém. Nem sequer perto disso!

" não há um passe a rasgar"
O que mais há são passes a rasgar, porque passes fáceis nesta equipa é coisa rara tal a distância entre os jogadores.

"Paulo Fonseca, como VP não pode fazer milagres. Continuo a dizer que os ovos são mauzinhos e deprime-me ler a opinião de muitos portistas que por aqui escrevem"
Sim, porque o Austria tem uma equipa colossal...

DC disse...

Vai uma aposta como não farão 1 único ponto?

Joaquim da Fonte disse...

Exibição preocupante. Por enquanto não saímos a ganhar da troca de VP por PF com o pretexto de termos um futebol mais sedutor. Pelo contrário, somosums equipa que vive do Quintero para desbloquear os jogos e que sofre muito mais situações de golo por estar sempre exageradamente exposta quando perde a bola. Não é admissível que uma equipa como o fc porto faça um jogo destes contra a pior equipa da liga dos campeões e permita que o Austria seja tão afoito no ataque.

Lendo aquilo que se vai dizendo em alguns foruns e sitios de discussão portistas, sou tentado a dizer que o período de graça do nossos treinador está a chegar ao fim e a partir deste ponto a exigência irá começar a subir. Cabe ao treinador identificar as limitações da equipa, onde a mais preocupante está no meio campo, e elevar o nível exibicional da equipa. Caso contrário, em Dezembro estaremos a ir a Madrid cumprir calendário no caminho para a liga europa com todas as repercussões que isso terá a nível financeiro.

Uma última palavra para os juniores do fc porto que foram enxovalhados pelo Austria de Viena. A culpa está muito longe de ser deles.

Anónimo disse...

Jogo muito feio, mas objectivo cumprido. Agora falta ganhar todos os jogos no Dragão e passamos à próxima fase.

Anónimo disse...

A exibição foi má, estamos de acordo. Sobre isso já tudo foi dito.
O que não compreendo é que, nos anos VP, só lia e ouvia críticas ao seu trabalho. Parece que os seus críticos se converteram, este ano, nos seus mais acérrimos defensores...
Por outro lado, concordo que a equipa não esteja a jogar um futebol perfeito. Mas daí a dizer que os jogos têm sido todos horríveis parece-me bastante exagerado!

Mais: o treinador adversário comparou-nos ao Real, Dortmund e Barça. Para além do natural exagero (alguém acredita que temos equipa para competir com eles? Só mesmo o benfica talvez...), a verdade é que esses grandes colossos também não estão famosos: o barça já não é a equipa imbatível de outros tempos, o Real vem de um belo empate contra o "grande" Villarreal (com Bale e Ronaldo em campo) e o Dortumnd perdeu contra o Nápoles, treinado por um tal Rafa...

Assim, e tal como disse o Pedro Matias, também o Villas-Boas começou mal, sem esquecer que em 2004 começámos com um empate (1-1) em Belgrado... Portanto o campeonato e champions ainda estão no início, há muito tempo pela frente para fazer uma análise séria ao nosso treinador!
Manuel Rocha (portista de Lisboa)

Joaquim da Fonte disse...

Está mais do que visto que o Fernando não foi talhado para este sistema de jogo. Se em 4-3-3 os médios lhe "tiravam" a bola dos pés para começar a construir, em 4-2-3-1 e tem que tomar essa iniciativa e fazer aquilo que não sabe.

O meio campo é mesmo o problema desta equipa e o sector mais fraco e desequilibrado da equipa.

.:GM:. disse...

Faz sentido, ou não! Critica-se quando as coisas correrem efectivamente mal ao invés de se criticar a tempo de corrigir? Não, critica-se agora, aberta e frontalmente pois toda a equipa - incluíndo equipa técnica - deveria encarar estes dois jogos - contra Gil e Austria de Viena - como "abre-olhos". Exibições absolutamente ridículas, Jackson de um egoísmo a toda a prova, Licá e Varela inconsequentes, Fernando a não acertar um passe, etc, etc. Vergonhoso.

Luis C. disse...

Continuam a existir muitos equivocos tacticos que o talento individual, o peso histórico e alguma sorte têm disfarçado nestes primeiros jogos.
Uma equipa como o Porto, aliás qualquer equipa fora dos 8 gigantes, só pode ter ambições de fazer uma champions digna quando consegue apresentar uma dinâmica e uma identidade colectiva tactica forte, um estilo de jogo definido e que vá para além das individualidades que a compões ( porque os mais fortes têm melhores individualidades ).
Nós e o Zenit estamos neste momento a uma grande distância neste capitulo do Atletico, que junta uma forte dinâmica a talento e vontades férreas, caracteristicas que o seu treinador transportou dos tempos de jogador.
Eu vi os dois jogos do Atletico com o Barça para a supertaça espanhola e devo dizer que tiveram muito azar.

É preciso arrepiar caminho, definir um modelo e acreditar nele como sendo o mais certo... para ganhar mais de 20 jogos no campeonato não é preciso muito, mas para a Champions há muitos quilometros a percorrer até chegarmos à decência.

O Austria não tem o talento das outras 3 equipas do grupo, mas tem um modelo definido, em que os jogadores sabem o que fazer, estão bem posicionados e identificados com a dinâmica da equipa.
Contra o atletico não acredito, mas ao zenit podem roubar pontos em Viena.

.:GM:. disse...

Ninguém fala da entrada do Herrera ou do próprio Quintero. Compreendo - face ao último jogo a titular - que Quintero comece no banco. Tem que ganhar condição física, faz claramente mais diferença vindo de banco - para já - que alinhando de início. No entanto, a entrada de Herrera veio trazer clarividência, posse de bola e acerto no passe ao meio campo Portista. A equipa só estabilizou após a sua entrada e parece-me um jogador com uma capacidade combativa e defensiva muito perto do Fernando, mas acima de tudo com uma qualidade de passe e inteligência ofensiva muito superiores. De resto, como disseram e disse anteriormente, Licá e Varela absolutamente inúteis. Licá pode ter feito 1 ou 2 bons jogos mas é um jogador relativamente fraco. A menos que me venha a enganar muito. Varela é mais do mesmo. Tanto tem um jogo bom como outro miserávell. Para quando um extremo mais consistente, desequilibrador? O que se passa com o Kelvin? Certamente não será com a falta de qualidade que abunda nos B - viram o jogo contra o Marítimo? - que irá evoluir, pelo contrário, quer-me parece que ali só se desaprende. Muitas dúvidas, muitas incertezas e muito pouca esperança para o futuro que está a ser deixada no ar.

Anónimo disse...

Caro DC agradeço-lhe as pretenças criticas que me fez porque obviamente mais não fazem que corroborar a minha opinião: estamos de acordo quando afirma que o Austria de Viena tem uma equipa fraquinha pelo que se o FCP não fez mais é porque os ovos são maus. Em relação aos passes rasgado na próxima vez que escreva vou fazer desenhos: obviamente que me referia aos passes que desmarcam/isolam alguém, que crim espaços, que abrem o jogo, que desiquilibram o adversário. E podem ser curtos ou largos, não interessa. Neste Porto, repito, isto não existe.
Em relação aos treinadores vou manter o que disse porque têm muito em comum: são conservadores, as equipas aborrecem, as substituições são previsiveis, o discurso monotono. Pelas suas afirmaçõs parece-me perceber que preferia VP (peço desculpa se me engano) que apesar de tudo ia fazendo uns jogos agradaveis. Neste caso somos obrigados a dar tempo a PF: está a começar e perdeu dois dos jogadores mais decisivos do clube. Eu no entanto estou cada vez mais péssimista.

Pedro Moreira

Ruca disse...

Exacto!

Nenhum Portista deve ter gostado da exibição, mas no inicio de temporada é mesmo assim. Mudamos de treinador, perdemos alguns jogadores em posições importantes, contratamos outros com talento mas que precisam de tempo para se adaptar. Todos os jogos feitos até agora, todos foram vitórias. A conversa da "exigência" e os "adeptos são muito exigentes" já faz confusão! Falarem e compararem o VP com o PF ainda mais, mas já que gostam de o fazer, o início de Villas-Boas foi exactamente assim. Estes anos de tantas vitórias criaram muito Portista de pipoca e isso é que é realmente mau.
Criticar a exibição de ontem, tudo bem, por tudo em causa por isso, é claramente exagerado e absurdo. Uma vitória fora na Champions, num terreno em que nem sabemos como os adversários vão jogar, deve ser valorizado!...está tudo a partir do princípio que Zenit e Atletico Madrid vão golear e fazer um jogaço só porque sim, e nós somos uns medíocres.
Vá-se lá entender estas novas modas de ver futebol com "exigência"!

VP4EVER disse...

Epá, tragam o treinador do Al-Ahli de volta, a ver se o Porto consegue ao menos empatar com o Apoel...

VP4EVER disse...

A sério, tragam o VP de volta, a ver se conseguimos ao menos um ponto com o Apoel.

DC disse...

Os passes "rasgados" não caem do céu. É preciso abrir os espaços primeiro para que eles possam entrar. E isso faz-se com posse de bola, apoios, movimentações constantes. Nada do que existe nesta equipa. No futebol americano é que é só chegar ao campo e fazer os passes "rasgados". O futebol é um bocadinho diferente.

Quanto aos maus ovos, a equipa do Austria toda junta custa menos do que o nosso lateral esquerdo. A desculpa dos maus jogadores contra uma equipa destas não faz qualquer sentido. Os ovos não são maus, são muito melhores que os ovos do Austria. Esses sim são maus, muito maus. Contra o Atlético ou o Zenit até admito que se fale em limitações no plantel, contra estes mancos isso é ridículo.

"são conservadores, as equipas aborrecem, as substituições são previsiveis, o discurso monotono."
E tudo isto são coisas absolutamente subjectivas e irrisórias na avaliação dum treinador. Avaliar um treinador pelo aborrecimento, pelo discurso ou pelas substituições é como avaliar um jogador pelo penteado.
Um treinador avalia-se pela competência em implementar e treinar um modelo de jogo. E o modelo de jogo de VP é muito diferente do de PF. VP jogava com 1 único homem à frente da defesa, com um futebol muito mais apoiado, muito mais segurança na posse de bola e uma transição defensiva impecável. PF aposta em sectores mais distanciados e em mais homens colocados à frente da linha da bola. Usa um médio ofensivo no apoio ao ponta-de-lança e um duplo-pivot no meio-campo. Logo, considero que têm muito pouco em comum.

PF terá o tempo que o campeonato lhe permite, ou seja até aos 2 jogos em casa contra Atlético e Zenit. A minha esperança é que até aí a equipa seja outra.
Não fiz ainda uma avaliação definitiva de PF, vou esperar por esses jogos e o jogo contra o Sporting para tecer uma opinião final. Mas confesso que, até agora, me está a desiludir. Estou pessimista como o Pedro, mas oxalá nos enganemos.

João disse...

A nossa exigencia tem levado a que as coisas mudem. Chorar sobre o leite derramado não dá em nada. Há que corrigir os erros de ontem..

Vincent Vega disse...

Até arriscava dizer que são meninos para tirar uma vitória em casa, vamos ver.
Depois do primeiro ponto venho até aqui dizer um olá.

João disse...

Não gostei do jogo, mas foi bom termos começado com um viena e fora por várias razões:
- Sentiu-se a falta do Defour, ele dá músculo ao meio campo
- Com a entrada de Herrera a circulção de bola melhorou e muito e a equipa estabilizou
- Os gajos ontem estavam numa de falhar passes e recepções de bola.
- Não temos extremos, a SAD falhou e muito nisso
- O nosso meio campo não está estabilizado!

De resto esperar que Herrera comece a entrar na equipa assim como quintero. Acho que lá para meio/fins de outubro já começaremos a ver outro Porto. Não se esqueçam que este e o próximo ano vão ser anos de transição em que a equipa irá entrar numa nova fase..

Anónimo disse...

Na altura do villas boas houve jogos horriveis, piores que estes. A diferença é que era um época pós Benfica-campeão e o adepto não estava tão exigente como agora.
Isso não invalida que esta exibição tenha sido miserável e que não se vê nos ultimos jogos qualquer trabalho do paulo fonseca. Vê-se uma equipa apática. Custa-me dizer isso mas está a precisar de uma derrota pra abrir os olhos.

Juca

Joaquim Lima disse...

Pode ter sido apenas um mau jogo do Porto. Acredito que contra uma equipa mais forte (Atl. Madrid) o Porto se torne mais forte também...

Miguel Lourenço Pereira disse...

Anónimo,

Quando lê um artigo critico da equipa - que merece todas as criticas do artigo do Nélson e mais algumas - pode ter a certeza que está a ler o RP. Porque há muitos espaços onde tudo está bem, onde nunca há problemas, onde os autores pensam que sugerir, sequer, que há uma virgula a corrigir, já se está a ir contra o nosso destino...mas este não é um deles.

O FC Porto de ontem a jogar contra o Atlético Madrid de ontem, não só perde o jogo. Perde também o estatuto de equipa - teoricamente - mais forte deste grupo.

Miguel Lourenço Pereira disse...

SDF,

"Fernando que a construção de jogo e a progressão com bola não é para ele?? que não vale apena inventar e querer a bola quase como que a mostrar que pode ser um médio completo? È que ja irrita vê lo a recuperar tão bem a bola e depois a fazer disparates com ela!"

Quando escrevi aqui sobre o 4-2-3-1 e a sua problemática com alguns jogadores deste plantel, os seus problemas defensivos e ofensivos, ouvi de tudo. A cada jogo que passa parece-me evidente que estava mais perto da razão do que do erro. Esta equipa funciona mal em 4-2-3-1. Defende mal, há sempre kms de espaço entre o meio-campo e os centrais, o FK Austria punha a bola onde queria e ninguém sabia cair em cima do jogador que construia a jogada e depois, no ataque, era uma equipa atascada, presa e sem imaginação absolutamente nenhuma nem amplitude de campo.

Jogar assim na liga portuguesa pode dar para o gasto - e a vantagem pontual, tendo em conta os precedentes das últimas 3 épocas - é quase suficiente. Mas na Europa até um FK Austria vê os nossos problemas e explora-os. Um pouco mais de qualidade no ultimo terço e tinhamos saído de Viena com uma derrota!

Miguel Lourenço Pereira disse...

A minha sensação é que o Atlético vai fazer um jogo muito físico, de contacto no meio-campo e lançamentos largos para as costas da defesa, aproveitando a velocidade do Villa, do Adrian/ou do Leo e os passes entre-linhas do Arda e do Koke. Se tiverem o mesmo tempo e espaço que ontem se deu aos austriacos, vão sentir-se muito cómodos.

A defender são rochas, vão subir a linha como o Malaga e impedir que tenhamos muitas ocasiões. Teremos de ser hiper-eficazes. Caso contrário, um empate torna-se num bom resultado com esta sensações.

Em Áustria o jogo foi mesmo mau, sobretudo por quem estava do outro lado. Durante grande parte do jogo o FK levou a iniciativa, criou mais perigo e deu sempre a sensação que, em qualquer momento, estava mais perto do empate do que nós do 2º golo. Inadmissivel. Não são o APOEL - são bastante piores - e causaram mais sensação de perigo que os cipriotas quando lá fomos!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Por certo, uma excelente acção do Danilo!

Joao Goncalves disse...

Bem, depois de digerir o jogo de ontem cá vai o meu "bitate"...

Péssimo jogo como todos já o afirmaram mas com culpas claras e tem de ser atribuídas.

Josué esteve a um nível inacreditavelmente mau!
Licá nem sei se esteve em campo tão pouco...
Jackson está com o Síndrome do egoísmo.

O AW provocou algumas dificuldades pelo modelo de jogo que apresentou mas depois a equipa simplesmente não pressionou e deixou os austríacos crescer.

Como disse acima, Josué e Lica não jogaram sequer e isso foi tão visível como foi a diferenças assim que Herrera assumiu a posição 8 e Izmailov apareceu na ala no lugar do Licá.

Foi nessa altura que o AW "desapareceu" pois o dinamismo de Herrera, que correu com mais qualidade, deu mais linhas de passe, pressionou mais no pouco tempo que esteve em campo, que Josué no jogo todo e Izmailov deixou de fazer as asneiras que Licá esteve o jogo todo a fazer que foi correr para a frente e não dar linhas de passe aos colegas, obrigando quase sempre o Alex Sandro a ter que rodar para trás.

A estas duas horríveis exibições, junta-se a de Jackson que egoisticamente, perdeu uma série de lances passiveis de isolar colegas se tivesse tido olhos na cara.

E foram por estas 3 unidades que passou o descalabro completo.

Nota também para Quintero, que em 5 minutos que teve em campo, fez o melhor passe de todo o jogo, ao proporcionar a Jackson aquela excelente oportunidade e isso diz muito em relação ao jogo que o Porto fez...

Anónimo disse...

Desde quando é que o Porto não vem tendo transições e fases?

alex disse...

Fico com a ideia de que foi atingida a desorganização completa da equipa que parece ter sido iniciada por Paulo Fonseca.
Salva-se o golo bastante mais bem conseguido do que os 3 anteriores.
As vitórias alcançadas até aqui não nos podem tranquilizar: quando se vence jogando repetidamente mal, mais cedo ou mais tarde teremos, indubitavelmente, o reverso da medalha.
Saudações portistas!
Abel Pereira!

Rui Anjos (Dragaopentacampeao) disse...

Salvou-se o mais importante, o resultado. O resto foi pouco menos que miserável, na maior parte dos 90 minutos. Muitas perdas de bola, passes mal efectuados, muita desconcentração, pouca velocidade e nenhuma inspiração e ainda muita «abébias» na defesa.

Felizmente os austríacos nunca acertaram com as redes, nas várias ocasiões que tiveram para marcar. Até o poste foi nosso amigo.

Mau de mais para este nível de competição. Fiquei preocupado com o que vi.

Um abraço

Pedro Ramos disse...

Bem me posso esforçar, mas nao consigo encontrar algo de positivo sobre o jogo de ontem, até mesmo a vitoria nao sei se terá sido o melhor para a equipa. Jogamos muito mal sendo aliás a continuaçao do que aconteceu no fim-de-semana (utilizando-se entao a desculpa esfarrapada de descansarem para o jogo de ontem) e o mais provável é voltarem a jogar mal no próximo jogo do campeonato(desta vez com a desculpa de que estao cansados pelo jogo da liga dos campeoes, completando assim o ciclo).

Algumas notas soltas:

- PF tem de rapidamente de fazer a equipa e jogadores regressarem "à terra", pois o que se voltou ontem a ver foi um conjunto de "prima-donas" que presumem-se muito melhores do que sao na realidade(ontem A. Sandro foi um dos casos mais evidentes deste comportamento). Neste momento somos incapazes de ganhar uma única bola dividida porque a equipa é incapaz de lutar por ela.
- Se PF pensa que pode voltar a jogar um jogo de liga dos campeoes sem meio-campo, como ontem fizemos, de certeza que terá pouco futuro. Ficou aliás bem patente a falta que fez Defour, mas a responsabilidade foi claramente de PF que ignorou o meio-campo para jogar em 4-2-4.
- Mais uma vez foi evidente que Fernando é inútil como 8, ou coloca-o como trinco puro para minimizar ao máximo os estragos que ele pode fazer à equipa ou entao tem de o retirar da equipa.
- As declaraçoes no final do jogo envergonharam-me. PF a dizer que fizeram um jogo "prático e inteligente", Josué a dizer que fizeram uma "grande 2º parte".

Espero que no próximo jogo nao seja a conclusao do ciclo que acima mencionei, pois significaria que se aprendeu algo com o jogo de ontem, mas penso que os resultados obtidos estejam a convencer a equipa técnica que tudo está bem.

Anónimo disse...

Comparar Paulo Fonseca a Vitor Pereira, que foi "só" um dos treinadores mais competentes que passou pelo FCP, é como confundir e beira da estrada com a estrada da Beira.
Vítor Pereira no primeiro ano pegou numa equipa em que metade dos jogadores queria sair.. perdeu "apenas" Falcao e jogou com Kleber e, depois, Hulk a ponta de lança uma época inteira... e apanhou pela frente um dos melhores Benfica dos últimos anos.. depois da tormenta inicial, conseguiu estabilizar a equipa e acabou por ser campeão sem derrotas.. no segundo ano, fez uma fase de grupos quase inatacável.. nos oitavos de final fizemos em casa um dos melhores jogos que me lembro o Porto fazer desde há alguns anos.. fora, perdemos sem brilhantismo depois de uma expulsão infantil e com dois jogadores fundamentais completamente fora de forma devido a lesões recentes (James e Moutinho).. perdemos no início desse ano Hulk que era somente o jogador mais decisivo da equipa.. apanhamos, sem dúvida, o melhor Benfica dos últimos 10 anos e, ainda assim, fomos campeões sem derrotas.. (se não o fossemos, era um daqueles casos em que era mais por mérito do adversário do que propriamente demérito nosso). Paulo Fonseca: parece-me que tem um sistema de jogo bem definido na sua cabeça mas que é manifestamente desajustado às características da nossa equipa e ao modelo a que a mesma estava habituada e completamente à vontade para jogar.. atribuir a Fernando a responsabilidade para pegar no jogo da equipa na fase da construção, com os restantes jogadores muito subidos e afastados, DAR-NOS-Á MUITOS DESGOSTOS ESTA ÉPOCA!!! Posso e afirmo desde já: só um milagre fará com que acabemos este campeonato sem derrotas.. já em Setubal, não fosse o acto irreflectido do guarda redes, e bem que podíamos ter perdido o jogo tantas foram as oportunidades de golo criadas pelo adversário.. ontem igual.. contra o Gil Vicente foi confrangedor.. a transição defensiva do Porto abre autenticas auto estradas à equipa adversária... lembro-me do primeiro jogo de pré época contra o Marselha em que ganhamos 3-0 e em que só se ouviram elogios à equipa do FCP.. pois bem, não obstante se tratar de um jogo de pré época, fiquei bastante preocupado com o que aí vi.. até o 1-0, o Marselha havia criado 3 lances de golo cantados devido à deficiente transição defensiva do Porto e ao facto de os jogadores do sector intermédio estarem todos muito afastados uns dos outros.. dei o benefício da dúvida por se tratar de um jogo de pré época.. no entanto, ontem vi os mesmos problemas e os mesmos erros.. revejo-me completamente no presente artigo do autor.. devemos alertar agora e não depois de os resultados maus aparecerem (e vão aparecer, de certeza absoluta).
Tiago Silva

Nelson Carvalho disse...

Miguel: "A minha sensação é que o Atlético vai fazer um jogo muito físico, de contacto no meio-campo e lançamentos largos para as costas da defesa, aproveitando a velocidade do Villa, do Adrian/ou do Leo e os passes entre-linhas do Arda e do Koke."

É garantido que o Atlético vai manter-se fiel ao seu estilo. O Simeone não sendo um técnico que top tem pelos menos a seu favor a forma madura e segura como tem vindo equilibrar a sua equipa.

Com o enorme espaço e brechas que o nosso meio-campo vem permitindo aos adversários, além da quantidade anormal de perdas de bola e passes errados, temo que a nossa equipa vá passar o próximo jogo a ser engolida nos seus próprios erros (corriqueiros, diga-se).

Ao Atlético bastará esse desacerto para lançar em bolas incisivas e em diagonais Villa e Adrian para Helton ir busca-las ao fundo das redes.

Nelson Carvalho disse...

GM: "Ninguém fala da entrada do Herrera ou do próprio Quintero. Compreendo - face ao último jogo a titular - que Quintero comece no banco."

Tem, de facto, razão. A entrada do Herrera estabilizou a equipa, mercê da disponibilidade do jogador em dar constantemente linhas de passe aos seu companheiros. Foi dinâmico também transposição e circulação da bola. As suas características podem ser úteis e devem ser aproveitadas com maior regularidade pelo PF.

A verdade também é que o jogo estava tão fraco que qualquer jogador que entrasse com um pouco maior de intensidade conseguiria facilmente destacar-se. Veja-se até o próprio Izmailov, que é um jogador sofrível, mas onde também acabou por ser útil, derivado, precisamente, ao baixo ritmo da partida.

Quanto a Quintero, é indiscutível o seu talento, assim como também é indiscutível a sua inexperiência. Ajudou a equipa a melhorar o seu jogo ofensivo, mas cometeu uma falha grave quando quis sair a jogar da zona defensiva, quando ali apenas se pedia para aliviar a bola. Vai certamente corrigir isso. mas é preciso dar tempo ao tempo.

José Rodrigues disse...

Chamo a atencao para uma coisa... O pessoal farta-se de dizer q PF tem um plantel muito melhor q VP.

Ora q eu saiba os jogos nao são entre planteis, mas sim com 11 de cada lado. E se eu acho q temos um plantel mais equilibrado do q no ano passado, o mais importante é os tais 11 (seguido dos suplentes mais utilizados) e eu constato isto: em relacao à equipa tipo do ano passado saiu Moutinho e entrou Josué, saiu James e entrou Licá, o resto sendo o mesmo. Estamos mesmo melhor???

É q das duas uma: ou o treinador é uma besta e nao conseguiu ver q a equipa seria muito mais forte se tivessem jogado ontem outros, ou então (pelo menos neste momento e até q alguns reforços ganhem ritmo e adaptação) a valia individual da equipa nao é NADA melhor do q no ano passado, e nesse caso há q ter pelo menos um bocadinho de paciencia para com o treinador.

Vou mais pela 2a explicação, mesmo q tenha uma ou outra critica a lhe apontar.

fcp4ever disse...

Parabéns Nélson, grande crónico, pensas exactamente o mesmo que eu.

Louro disse...

Tenho dado o benefício da dúvida ao treinador e se ele quer ter unhas para esta guitarra, terá de rectificar as suas opções!
A equipa expõe-se demasiado, é pouco consistente e perde demasiadas bolas. Os sectores estão distantes e o problema reside no meio campo….
Na segunda parte tivemos bons momentos, especialmente com a entrada de Izmailov porque sabe segurar a bola…
O Josué deve ser suplente do Quintero , Fernando é o trinco - a sua função é tapar espaços e destruir, ponto final!
O Jackson está cansado, perde demasiadas bolas mas o treinador não abdica e insiste na sua utilização …O Ghilas não pode jogar uns 10,15 mns?
Não quero ser demasiado critico, porque apesar de tudo temos 6 vitorias em outros tantos jogos, mas este Porto é pior que o de Vítor Pereira.
No Domingo temos um teste difícil, contra o Estoril que conta com um treinador que aprecio…

Miguel Lourenço Pereira disse...

Tal e qual!

SDF disse...

A unica coisa "boa" que se tirou do jogo de ontem foi saber que a equipa não pode jogar a Liga dos Campeões neste sistema tático porque o meio campo desaparece e logo numa competição destas em que ter a posse de bola e saber o que fazer com ela são fundamentais para se conseguir algo de relevante! Para a liga ate se podia inventar um outro sistema qualquer mais arrojado visto que á excepção de 3 equipas o resto contra nos não quer a bola só quer defender e esperar por uma jogada de sorte! Vamos ter calma más exibições sempre tivemos em todas as épocas o que não se pode é repetir o que se viu ontem! Saudações

Miguel Lourenço Pereira disse...

Sem dúvida Zé,

O onze titular é significativamente pior do que o do ano passado, mais por culpa de Moutinho que por James (que na fase de grupos até foi fundamental, e só depois se apagou). Olhem por onde olharem, nem Defour nem Josué estão perto do nível do Moutinho e todo o jogo passava por ele. E o Lucho tem mais um ano nas pernas. Se juntamos a isso que o Fernando está fora de posição regularmente e que o Jackson está menos cómodo no ataque e temos um problema.

No banco há soluções?
Provavelmente, para o ano que vem. O ano em que o Herrera tenha outro ritmo de jogo e cabeça. O ano em que o Quintero tenha uma continuidade que acompanhe a classe. Em que o Ricardo e o Licá possam ter mais minutos nas pernas em alta competição para fazer algo quando o Varela se apaga. O ano em que o Reyes possa evitar os disparates do Otamendi ou as entradas á bruta do Mangala (depende de quem saia)...mas quem está no banco tem pouco futebol de elite nas pernas para ser opção já!

Era um risco que corriamos e sabiamos disso. Talvez por isso acho um erro o PF juntar a isso uma mudança de paradigma de jogo. Complica mais a situação!

José Correia disse...

saiu Moutinho e entrou Josué, saiu James e entrou Licá, o resto sendo o mesmo

Relativamente à época passada a grande perda foi Moutinho.
James lesionou-se no início de Janeiro, esteve um mês e meio no estaleiro e quando regressou estava em muito má forma (ele próprio reconheceu, após a transferência para o AS Monaco, que fez uma 2ª volta fraca).

Se (quando) o Quintero crescer, em termos de cultura futebolística, penso que não ficaremos a perder em relação ao James da época passada (bem pelo contrário).

Quanto a colmatar a saída do Moutinho, não é fácil. É algo que terá de passar por uma recomposição do meio-campo, afinando uma solução que envolva os que já cá estavam – Fernando, Defour e Lucho – mais um ou outro entre os vários reforços que a SAD contratou para este sector – Herrera, Josué e Carlos Eduardo.

DC disse...

Sim, o 11 para já é pior. Não, para mim isso não justifica uma exibição miserável com o Austria.
Falem-me de perder contra Real, Dortmund, Barça, Nápoles, Arsenal e digo que não temos 11 nem plantel para eles. Agora o Austria?

O problema é de organização, podia ser o 11 do Real Madrid ou um 11 do sindicato dos jogadores. A equipa é que está desorganizada, não são problemas individuais.

Já agora, quanto ao problema Moutinho, duvido muito, mesmo muito, que o problema fosse tão grave com um triângulo de meio-campo igual ao da época passada com Fernando sozinho à frente da defesa. Esta mudança táctica, ao contrário do que foi previsto por alguns comentadores, só veio agravar e muito problema.

.:GM:. disse...

O Quintero precisa efectivamente de tempo. De ir entrando aos poucos. O Herrera nem por isso. O Herrera não será para o ano. A avaliar pelo que já vi dele e pela disponibilidade ofensiva e defensiva que demonstra em campo, é para alinhar já de início. A manter este esquema - em que Fernando é uma menos-valia - e assumindo que o Fernando já não estará cá na próxima época, é tempo de começar a rotinar Herrera no meio campo. Investir nos nossos e não naqueles que já estão com a cabeça noutro lado, vide Fernando.

Duarte disse...

Jogo muito mal disputado. O meio-campo não funcionou até Paulo Fonseca ter colocado Josué na sua verdadeira posição (ali já se percebeu que não dá mais) e feito entrar Izmaylov (belíssima participação no jogo) e Herrera. A (única) boa notícia é justamente essa: o trabalho de adaptação ao nosso futebol desenvolvido com Herrera parece estar a dar frutos, pelo que não será necessário voltar a sacrificar Josué em terrenos que não são os seus.

A nível ofensivo pouco incomodamos. O golo apareceu e é isso mesmo que se salva da nossa prestação atacante. Não é coisa de somenos, claro, mas é muito pouco. Numa competição como a Champions não chega ter mais posse de bola, é preciso maior objectividade e muito maior intensidade. Nem vou dizer que com uma exibição daquelas tínhamos perdido com o Atl. de Madrid ou com o Zenith porque é demasiado evidente.

É caso para perguntar onde anda aquele Porto que tão boas indicações deu durante a pré-época e nos três primeiros jogos oficiais? Onde pára aquela equipa alegre que, apesar de ter algumas arestas para serem limadas (o que é naturalíssimo), era rápida e objectiva?

Seria bom que todos fizessem uma introspecção, sobretudo o treinador. E mais vale que as coisas sejam corrigidas com a calma proporcionada por um percurso apenas vitorioso do que depois, com a pressão de resultados negativos, que comprometam algo, em cima.

O resto já sabemos, são os dotes de contorcionismo de alguns no seu melhor: os jogos com o Apoel não existiram e se dantes a perda de Falcao era a única razão para o facto de as bolas não entrarem, agora a perda de Moutinho não pode servir de desculpa para o abaixamento no rendimento do meio-campo. Até porque ter Moutinho e ter Defour ou Josué é a mesma coisa.

Joaquim da Fonte disse...

Tendo em conta as características dos jogadores fico com a sensação de que o sistema que temos utilizado é pouco adequado às características dos nossos jogadores.
Vendo a gravação do jogo (que não tive possibilidade de ver em directo) fiquei negativamente impressionado com a maioria das construções de jogadas de ataque durante o segundo tempo que se resumiam a passes longos do Otamendi para o Lucho, sobrevoando toda a zona de pressão do Áustria sobre o Josúe e o fernando, quase que a reconhecer o "dois" do meio campo não estava a funcionar.

Na minha opinião deveríamos optar ou por voltar às origens e actuar num 4-3-3 (com extremos mais ou menos falsos) ou então num 4-4-2 losango com um meio campo reforçado e com quintero no vértice mais adiantado do diamante. Ambos os sistemas permitiriam uma maior adaptação do sistema às características dos jogadores e não o contrário que é o que se tem vindo a verificar.

Adoptando-se o 4-4-2 losango o meio campo poderia ser ocupado numa primeira fase por fernando-defour-lucho-quintero, o que daria uma maior cobertura à fraca competência defensiva do Quintero, e numa segunda fase por fernando-defour-herrera-quintero com a possibilidade de tanto o lucho e o carlos eduardo entrarem para os vértices laterapara o vértice mais adiantado. A frente de ataque ficaria entregue ao Varela/Licá/Ghilas e ao Jackson numa reedição daquilo que foi feito em 2003/2004 pelo José Mourinho.

Obviamente que nada disto será levado a cabo até porque a temporada já vai a caminho e não creio que o Paulo Fonseca inflicta aquilo que são as suas convicções e aquilo que foi treinado ao longo da pré-temporada.

P.S - Contra o Atlético de Madrid a tarefa vai ser hérculea não só pela nossa incapacidade para criar situações de golo e um volume de jogo fluído mas também porque eles possuem um meio campo muito forte, precisamente a zona mais fraca da nossa equipa.

José Correia disse...

É caso para perguntar onde anda aquele Porto que tão boas indicações deu durante a pré-época e nos três primeiros jogos oficiais?

Não concordo que o FC Porto tenha dado tão boas indicações durante a pré-época e nos três primeiros jogos oficiais, mas vamos admitir que sim.

... agora a perda de Moutinho não pode servir de desculpa para o abaixamento no rendimento do meio-campo...

O Moutinho já cá não estava na pré-época e nos três primeiros jogos oficiais.

O abaixamento no rendimento do meio-campo só começou depois da pré-época e dos três primeiros jogos oficiais?

Caro Duarte, em que é que ficamos?

Nuno Queiroz disse...

Não gostei minimamente do que vi ontem mas confesso que não acho que seja o momento de por tudo em causa. Acho que temos bons jogadores e acho que o treinador tem qualidades. Mas fiquei com a sensação de que é necessário limpar algumas cabeças entre elas de Mangala e Jackson. E depois é preciso dizer a alguns meninos que na champions, mesmo contra o Austria, é preciso correr mais e lutar mais.

Por outro lado, vimos um Austria como a maior parte das equipas do nosso campeonato, sempre com todos os jogadores atrás da linha da bola e todos acantonados á volta da sua área. Para desfazer esse tipo de jogo é preciso jogar-se com rapidez e ser objectivo tudo o que o Porto não foi. Mas também acredito que contra o Atlético a equipa jogará com outra consistência e com outra vontade. E sejamos honestos, o Austria atirou uma bola ao poste (num cruzamento fortuito) e correu muito mas o Helton não fez nenhuma defesa difícil. É certo que o Porto também praticamente não criou perigo mas nos últimos minutos nem sequer os deixou pegar na bola. E a verdade é que o mais importante, a vitória, foi conseguida e vamos ver o que os nossos adversários vão fazer na Austria.

PORTO SEMPRE!

DC disse...

O Porto deu tão boas indicações na pré-época que até levou um bailarico do Celta de Vigo em casa, mas enfim...

Agora, dá um bocadinho de piada ter visto o Duarte tão possesso por eu ter dito que via sinais preocupantes contra o Gil Vicente e agora, finalmente, ter reparado neles.
É o que dá pensar-se que se tem sempre razão...

E já agora, porque raio vai buscar os jogos com o Apoel, jogos que ocorreram há 2 anos atrás? Se o Porto tivesse jogado nesse jogo com o Apoel pior do que neste com o Austria isso queria dizer que estávamos bem agora?
Ainda tem a lata de acusar outros de serem fanáticos do VP quando é incapaz de comentar este jogo sem o comparar com jogos de há 2 anos atrás...

Dá ideia que alguns não se importam que o Porto não passe da fase de grupos desde que possam continuar a falar mal do treinador anterior. Uns preocupam-se com o estado actual e principalmente o futuro da equipa, outros continuam com complexos com o passado.

DC disse...

Concordo, também gostava da táctica do losango e sublinho que no ano passado com James em campo era essa a postura do Porto em campo, sempre com 4 no meio-campo.

Duarte disse...

José Correia, no meu comentário quando refiro aquelas que para mim foram boas indicações que deixamos até, sensivelmente, ao jogo em Felgueiras, também frisei que havia arestas a limar. Essas arestas, para mim, tinham exactamente a ver com o meio-campo. O que acontece é que até então a intensidade de jogo era maior, os laterais davam muito mais profundidade e havia Defour (ontem jogou o Josué). Logo, as debilidades no miolo existiam, mas eram menos notórias.

De resto, é completamente diferente ter Moutinho ali ou ter outro jogador qualquer. Contudo, o Defour não é tão mau quanto algumas pessoas pintam e, como referi, o Herrera parece dar passos rápidos na sua adaptação à Europa. Acredito, mais uma vez, que o principal problema do jogo em Viena tenha estado no miolo e na falta de um médio de transição. Para lá disto, houve uma tremenda falta de agressividade e de intensidade de jogo, o que redundou no futebol inócuo que os 65% de posse de bola que atingimos não conseguiram disfarçar.

fcp4ever disse...

Leia o que escrevi aqui em baixo, é exactamente o que e penso:
É muito preocupante notar que a maioria dos portistas não se dá conta das limitações que este plantel tem.

A Sad do Porto errou e muito ao não dotar a equipa de pelo menos 2 extremos com calibre, o Varela é muito intirmitente e o Licá veio não para ser titular mas sim para começar no banco. Fica a ideia de que o Porto está a juntar os restos. Que é feito dos milhões das vendas? Porque não se contraram extremos acima da média? O Porto tem nome e reputação para o fazer.

Começando pelos laterais, não se tem envolvido com os extremos, tem havido pouco jogo e trocas pelos flancos e assim o Porto cria menos perigo.

Depois temos a questão do meio campo. Desta vez não há Moutinho para equilibriar e começar as jogadas e Josué não tem nível para o fazer e por outro lado Lucho não tem capacidade física para aguentar um jogo todo como 10 atrás de Jackson. O meio campo do Porto precisa de intensidade e rapidez na recuperação de bolas e neste momento está demasiado lento. Herrera tem que ser aposta, é o jogador mais próximo de Moutinho que temos.

Por fim no ataque temos Jackson, um goleador é certo mas fica sempre a ideia que pode fazer mais, tantos foram os jogos em que desperdiçou e tentou fazer o bonito e Fonseca não dá minutos a Ghilas vá-se lá saber porquê.
Oxalá esteja enganado mas se não emendarmos estes problemas adivinha-se um desastre.

Anónimo disse...

Para ja e repito para ja , o treinador Paulo Fonseca na minha opiniao pessoal esta a ser uma enorme desilusao.
Oxala me engane mas nao me parece que seja o treinador que precisamos, decrescemos bastante em qualidade quer no caso do treinador quer no caso do plantel.
A rede que nos sustenta e muito fragil, temo que quando rasgue vai ser um rombo enorme.E as criticas sim sao para ser feitas agora quando os resultados ainda sao positivos.

Duarte disse...

"O Porto deu tão boas indicações na pré-época que até levou um bailarico do Celta de Vigo em casa, mas enfim..."

E até deu 3-1 ao Nápoles, essa equipa fraquíssima.

"Agora, dá um bocadinho de piada ter visto o Duarte tão possesso por eu ter dito que via sinais preocupantes contra o Gil Vicente e agora, finalmente, ter reparado neles."

São jogos completamente diferentes. Contra o Gil Vicente não jogamos mais e não criamos mais oportunidades porque não quisemos acelerar o jogo (algo que, aliás, me deixou indignado). Contra o Áustria de Viena tivemos uma abordagem sofrível, para não dizer pior: entramos muito mal, jogamos com um "8" que não o é nem nunca o será na vida e pagamos a factura a um preço que, mesmo assim, podia ter sido mais alto do que o que foi.

"E já agora, porque raio vai buscar os jogos com o Apoel, jogos que ocorreram há 2 anos atrás?

Pela mesma razão que o DC passa a vida a ir buscar o que fizemos nas últimas duas épocas para comparar com o que, na sua opinião, não fazemos agora. Porque há pessoas que, este ano, dizem cobras e lagartos de coisas que, nos últimos dois anos, lhes passavam ao lado ou para as quais tinham uma justificação/teoria da conspiração qualquer. Eu continuo igual: não tolero e não gosto daquilo que já não gostava dantes.

"Se o Porto tivesse jogado nesse jogo com o Apoel pior do que neste com o Austria isso queria dizer que estávamos bem agora?"

Não, claro que não. Por isso mesmo é que critiquei de forma acérrima o jogo de ontem e quase tudo aquilo que nele fizemos. Da mesma forma que fui aos arames com os encontros diante do Apoel (ainda que aí não tenhamos vencido nenhum deles).

"Ainda tem a lata de acusar outros de serem fanáticos do VP quando é incapaz de comentar este jogo sem o comparar com jogos de há 2 anos atrás..."

Se calhar valeria a pena reler o meu comentário. Quatro dos meus cinco parágrafos são só a falar no jogo de ontem. Depois lá deixei umas linhas para recordar àqueles que, mais uma vez, adoram agora fazer comparações com os últimos dois anos que nem tudo aquilo que neles sucedeu foi uma maravilha. Aliás, infelizmente já houve algumas coisas más que, no presente, se assemelharam em demasia ao passado.

"Dá ideia que alguns não se importam que o Porto não passe da fase de grupos desde que possam continuar a falar mal do treinador anterior."

Se os há essas pessoas que me desculpem, mas não podem estar bem.

"Uns preocupam-se com o estado actual e principalmente o futuro da equipa"

Exactamente. Mas não serão aqueles que passam a vida a ir buscar aquilo que lhes interessa dos últimos dois anos (esquecendo o que não interessa, claro) para depreciar o que se passa agora, que se poderão gabar de estarem somente preocupados com o presente e com o futuro da equipa.

Anónimo disse...

Não há PACHORRA para a atual SOBERBA dos portistas é só "DESTREINAS" convencidos!!!...

Anónimo disse...

Sé falta aqui o MST...

SDF disse...

PF esta a ser desilusão? Calma homem! Calma povinho! Paulo Fonseca vai mostrar agora se é bom treinador ou não! Depois deste ultimo jogo veremos o que vai mudar, se nada mudar então poderemos dizer que se trata de desilusão, porque das duas uma ou o treinador não tem as ideias certas para o futebol da equipa ou não consegue por a equipa a jogar como quer! Acredito que é uma fase passageira e que é nestas fases que os treinadores bons se revelam! Saudaçoes

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...

o "ruca" afirmou:

«
Criticar a exibição de ontem, tudo bem, por tudo em causa por isso, é claramente exagerado e absurdo. Uma vitória fora na Champions, num terreno em que nem sabemos como os adversários vão jogar, deve ser valorizado!... Está tudo a partir do princípio que Zenit e Atletico Madrid vão golear e fazer um jogaço só porque sim, e nós somos uns medíocres.
Vá-se lá entender estas novas modas de ver futebol com "exigência"!

»

pode ser "um puto", mas já reflete melhor do que muitos "catedráticos da reflexão" por aqui.
e mais não escrevo para não ser deselegante com o autor de um título de um post que... enfim... e/ou acusado de «iluminado» ou algo que o valha por alguns comentadores que por aqui passam.

The Best Man... disse...

Atenção que isso NÃO é verdade...
Pode ser suficiente mas também pode não chegar!!!
Partindo do princípio que todas as equipas ganham ao Áustria de Viena (casa e fora), todos ficam com seis pontos...
Ora ontem o Atlético ganhou em casa ao Zenit mas pode ir perder a Rússia...O Porto pode ganhar ao Atlético e perder em Madrid...???!!!
E assim sucessivamente...Ora fazendo as contas todas as equipas do grupo ficavam com 12 pontos e o Áustria de Viena com zero!
esta situação é improvável mas não é impossível, nem tão pouco assim tão descabida...
Se isto acontecer o desempate é pelos resultados entre os clubes com o mesmo número de pontos. PORREIRO, temos todos 12 pontos , passamos ao número de golos...
Ora com a nossa veia ofensiva assim tão em alta podemos e corremos sérios riscos de ficar fora da próxima fase com 12 pontos...
Não é a toa que Simeone ontem diz que apesar da vitória os favoritos continuam a ser os outros...
Pudera! Se perder 2-0 em São Petersburgo lá se vai a vitória de ontem...
Este grupo parece fácil mas o Porto para assegurar a passagem, é bom que discuta os resultados fora com os outros candidatos!!!
Abrir os olhos dos meninos enquanto é tempo...
Cumprimentos.

Morraceira disse...

Eu (que escrevi o comentário inicial) referia que coisas como "Um mau jogo, disputado por duas equipas inconsequentes, com jogadores fracos ou desinteressados, orientados por equipas técnicas medíocres" são simplesmente uma falta de respeito pelos profissionais e pela história do Porto. Além do mais convido-vos a relerem o texto e a repararem que apenas existe crítica no penúltimo parágrafo, os restantes parágrafos não fazem mais do que bater... e vamos dar tempo ao tempo, deixemos que o Atlético de Madrid vá jogar a Viena e ao Dragão e já veremos da razão do artigo. Eu também não gostei do jogo, mas o resultado foi mesmo muito importante: entrar a ganhar fora na Champions. Contra o Paços de Ferreira também jogamos pouco, mas tivemos pela frente outros gajos maluquinhos por obter um bom resultado. Contra estas equipas e nestes jogos atípicos importa ganhar e não ir em histórias... Saudações, André

meirelesportuense disse...

Futebol Ridículo?...Calma aí, o jogo de ontem não foi bom mas todos perceberam que o Porto era e foi superior desde o início.Se não foi a melhor forma de abordar este desafio, também acho que não, mas daí até ridicularizar o Paulo Ferreira vai um passo longo.
O Porto ganhou e jogou fora.Ninguém nos ofereceu um golo aos 4 minutos e depois ninguém nos beneficiou ao anular um golo ao adversário...Dizem que é fora-de-jogo, mas se ninguém tocou na bola?...
-Acho que a estratégia foi a de esperar a ofensiva do Áustria e assim poder desferir um golpe mortal com mais facilidade, mas ela não sucedeu, nem sequer depois de estar já a perder foi o Viena para a frente e desatou a jogar para a vitória...Sempre fez um futebol de contra-ataque e teve algumas oportunidades, porque a nossa defesa cometeu muitos erros, talvez porque estava superconvencida da superioridade que admitiam ter frente aos austríacos.Não basta ser superior é preciso demonstrá-lo.
O Otamendi faria aquilo com uma equipa de Top?...Não o creio.
Há quanto a mim ainda algumas indefinições na formação e no plano tático mais adequado à equipa.
O Jackson está a milhas do que é capaz.Seria benéfico ou substituí-lo pelo Ghillaz, ou pôr os dois a jogarem juntos na frente...

Anónimo disse...

Enquanto o Paulo Fonseca continuar a insistir naquele duplo pivot à Paços de Ferreira, em utilizar jogadores sem grande experiência na alta roda, vamos continuar na senda das exibições cinzentas mas... se ganhar todos os jogos desta forma... é um mal menor.

É um off topic mas viram a atitude e qualidade de jogo do Estoril, descomplexado, a jogar de forma aberta e em cima do Sevilha? É de valor.

Anónimo disse...

Parece que o Adrian se lesionou e não joga, mas não invalida o que está a ser dito. TFA

João disse...

Desde sempre. Mas veja quem poderá sair este ano..

Anónimo disse...

"Nao se esquecam que este e um ano de transicoes", eu diría que é o ano da transicao em direcao ao abismo...apetecia-me dizer o ano zero, mas creio que já ganhamos a supertaca...

Anónimo disse...

Jogamos bem? Não. A equipa continua a dar enormes espaços ao adversário permitindo entradas e remates com grande facilidade, na minha opinião resultado da alteração táctica no meio campo. Acho que o Fernando é indispensável jogando sozinho no vérice recuado do meio, mas não rende o mesmo, quando avança no terreno. Não foi encontrada ainda uma resposta adequada à ausência do Moutinho. Tudo isto é verdade. Mas que diabo, não somos o Real, o Barcelona, Bayern ou Manchester, há que ser realista, mas vencemos, fora, o primeiro jogo da Liga dos Campeões! Será isso assim tão ridiculo? Não houve individualmente grandes exibições, é verdade, mas será que o jogo do Lucho, não merece ao menos uma referência positiva?
Sou um apreciador deste blog, respeito todas as opiniões e acho que devemos ser exigentes, mas, às vezes, fico com a sensação de que há gente por aqui, que se esforça por ser mais arrazador que o vizinho.
Saudações Portistas
Nelson Barbosa

johny disse...

Não li os comentários todos, mas definitivamente o meio campo precisa de uma alteração!! Viram a mudança da equipa desde a entrada de herrera?

miguel87 disse...

Pedro Moreira,
com o VP a equipa não concedia nem um duodécimo das oportunidades de golo que os adversários têm tido este ano (isto nos 6 jogos realizados).

Quanto ao "ovos", VP ficou em 2 anos seguidos sem Falcao e Hulk sem ter substitutos à altura, teve no 2º ano um plantel com apenas 5 médios(!!) numa equipa que joga sempre com 3 - ridículo.

PF, apesar das saidas de Moutinho e James, é um privilegiado por ter um plantel mais vasto e equilibrado do que o VP alguma vez teve!

Os resultados têm surgido, mas as exibições estão muito longe do que seria exigível.