quinta-feira, 24 de outubro de 2013

E Fernando, não renova?

O jogo de hoje [FC Porto x Zenit] serve, ainda que não para outra coisa, demonstrar que na sua posição Fernando é um dos melhores do mundo. Ter um treinador que não é capaz de o ver dá pena. Quando a equipa voltou a um desenho mais parecido ao 4-3-3, um 4-3-2-1, lá foi o "Polvo" quem fez esquecer Herrera. Cortou tudo o que havia para cortar e ainda teve pulmão para ajudar no ataque. Imenso. Imenso. Imenso.
Miguel Lourenço Pereira, 22-10-2013


O JOGO, 24-10-2013

Por ausência de ofertas, ou porque as mesmas não atingiram o valor pretendido pela Administração da FC Porto SAD, Fernando não foi transferido no último defeso. Mas também não renovou o seu contrato com o FC Porto. Ou seja, daqui a pouco mais de dois meses, Fernando pode assinar por outro clube e sair do FC Porto a custo zero.

Se isso acontecer, será um enorme fracasso (do ponto de vista do modelo de negócio da FC Porto SAD) ver sair a custo zero um jogador que chegou ao Porto em Junho de 2007, com 19 anos, proveniente do Vila Nova Futebol Clube (clube da 3ª divisão brasileira) e que, ao longo destes anos, foi trabalhado e moldado para a alta competição no FC Porto.

45 comentários:

Joaquim Lima disse...

Concordo e já referi anteriormente que o Fernando deveria ser o jogador mais bem pago do plantel, juntamente com o Jackson (qualidade + ausência de um jogador que faça tão bem a mesma posição).

Curiosamente deixámos que acontecesse o mesmo com o Paulo Assunção (que na época era o melhor trinco e também não tinha substituto à altura). Parece que o modelo de negócio do Porto é fazer (muito) dinheiro com a venda de jogadores, excepto os trincos!

DC disse...

Fala-se que o Mónaco lhe oferece 6M por época. Não é um fracasso, é o mercado.

José Correia disse...

Na minha opinião, o Fernando é MUITO melhor do que o Paulo Assunção.

José Correia disse...

É natural que haja clubes dispostos a oferecer salários milionários ao Fernando e mais ainda se não tiverem que gastar 10-15 milhões de euros na compra do passe.

DC disse...

Mas, e atenção que não é uma crítica ao autor do post, é engraçado ver que o Fernando neste início de época já era um dos que devia ir para o banco para alguns iluminados que aqui comentam.

O Varela era outro que não jogava nada e merecia banco e, só por acaso, foi dos poucos a remar contra a maré contra o Zenit, provando que é indubitavelmente melhor que o Licá.

E, por fim, o fantástico Herrera que em 5 minutos fazia mais do que o Defour em 90min, teve 5 minutos para brilhar realmente. Não brilhou grande coisa...

Ao menos no meio destas tristezas um gajo vai-se rindo com o "histórico" de comentários que por aqui vê.

José Correia disse...

Como é óbvio, cada dia que passa a posição negocial do Fernando é mais forte e a da FC Porto SAD mais fraca.

O que falta saber é se, em devido tempo, a Administração da SAD fez tudo o que estava ao seu alcance para renovar com Fernando.

Joaquim Lima disse...

Também acho isso, mas na altura o Paulo Assunção era o melhor trinco que tinhamos e também não tinha suplente à altura. Salvo erro, o Fernando estava emprestado ao Setúbal ou Rio Ave na altura.

Joaquim Lima disse...

DC, tem que concordar que o Fernando dos primeiros jogos é diferente do Fernando dos últimos. Está em claro aumento de forma, o que coincide com o facto de começar a jogar cada vez mais sozinho a trinco, coisa que não acontecia no início da época!

.:GM:. disse...

O Varela teve uma ou duas épocas brilhantes no Porto. Infelizmente perdeu fulgor, eventualmente velocidade e as boas exibições foram-se alternando com as más - sendo que estas últimas têm predominado - o que o fez cair em "desgraça" entre os adeptos. Acima de tudo há que saber tirar partido dos seus picos de forma e substituí-lo quando está em baixo. Mas já deu mais que provas de ser um bom jogador.

O Licá não. Não mostrou nada, saiu-lhe bem uma jogada individual até ao momento sobretudo porque consegue aliar alguma força a bastante velocidade, conseguiu estar no lugar certo à hora certa em duas ocasiões para encostar a bola à baliza, mas é um jogador muito fraco tecnicamente falando. Lateraliza em demasia o jogo, falha passes fáceis e tem pouca visão e criatividade. Não percebo esta aposta nem em termos de contratação nem na convocatória.

DC disse...

Sim, nisso concordo. Há 1 ou 2 anos já o Fernando era fantástico e merecia ganhar perto do nível de Moutinho ou Hulk.

Morraceira disse...

Fracasso? Inacreditável? Parece que aqui há o hábito de carregar nas palavras... O Fernando nunca teve ofertas de acordo com o seu valor, talvez pela posição, falta de estatuto já antes de chegar ao Porto, e outros motivos esses sim inacreditáveis. A única coisa que aconteceu foi que a direcção decidiu que era melhor tê-lo até às últimas, aproveitando a sua grande qualidade, do que vendê-lo barato. E se isso está a correr mal é por causa do enquadramento do Fernando no esquema do Paulo Fonseca. Mas a estratégia da direcção é óbvia, não é razão para bradar aos céus...

Quanto ao Paulo Assunção não tenho dúvidas de que o Fernando é muito melhor

.:GM:. disse...

O "fantástico" Herrera, apesar da paragem cerebral, tem muito mais futebol que o Defour. E estou seguro que as oportunidades que tiver estarão aí para o demonstrar.

Carlos disse...

Fernando fica a ser dono do seu passe pelo que é natural que lhe ofereçam um salário acima do que seria normal caso o passe pertencesse a um clube

Carlos disse...

Uma questão. Tendo o Fernando vindo para o Porto com 19 anos haverá direito a algum valor respeitante à formação, mesmo que diminuto. Ou pela iidade do Fernando essa questão já não se coloca.

Deco disse...

Não me importava nada que o Fernando ficasse no FC Porto até terminar a carreira. É um jogador que no passado já pediu publicamente para sair mas o que é certo é que sempre foi profissional e jogou bem pelo clube.

Rui Machado disse...

Já à muito que o Fernando disse que não queria renovar, não percebo o porquê de publicar este texto...
Podia-mos ter vendido talvez... Será que chegaram mesmo propostas que fizessem o Porto pensar, não acredito!!!

Rui Machado disse...

Penso que este post é chover no molhado... O Fernando já várias vezes afirmou que não ia renovar o contrato...
Também acredito que se o Porto tivesse tido uma proposta atraente pelo Fernando já o teria vendido, como a proposta não chegou é mais vantajoso aproveita-lo desportivamente até ao final do contrato.
E ele mais uma vez tem demonstrado ser um bom profissional e está a respeitar o contrato e claro auto-valorizar-se para assinar um grande contrato e receber muitos milhões de prémio de assinatura.
Cumprimentos

José Lopes disse...

DC, quem diz que o Fernando devia ter ido para o banco, nem merece resposta... Quanto ao Herrera, cometeu um enorme erro, mas francamente nao e' por ai que se pode concluir que nao acrescentaria nada em comparacao com o Defour. Ele que aprenda e jogue 90 minutos num jogo dificil e logo se pode fazer comparacoes.

José Lopes disse...

GM, inteiramente de acordo.

Joaq)uim, o problema dele nao ser o mesmo dos primeiros jogos so reforca a evidencia que o treinador e' um iluminado que conseguiu pensar que o Fernando se adaptaria a jogar com alguem ao lado e a ter de transportar (mais) jogo. E' a celebre coisa de tentar adaptar os jogadores a um modelo e nao o inverso.

José Lopes disse...

Estrela da Amadora, Joaquim.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Como já disse anteriormente, o Fernando tem recusado sistematicamente todas as ofertas do clube porque sai com a carta de liberdade na mão o que equivale sempre a ter um mega-salário onde quer que vá. E se alguém está disposto a pagar-lhe entre os 4 e 6 milhões de euros que se comentam no meio, é óbvio que o FCP não pode competir.

Mas numa coisa o Zé Correia tem toda a razão. O erro de não ampliar o contrato de Fernando não vem dos últimos dois Verões mas sim do ano mágico com AVB onde demonstrou ser quase tão importante como Moutinho, Falcao e Hulk e foi sempre tratado com o desprezo que - incompreensivelmente - se tratam os médios defensivos. Naquela altura, da mesma forma que se renegociaram ampliações, também devia ter existido algum bom senso com o caso do Fernando que não houve. Talvez alguém no clube achasse que o poderia persuadir mais tarde, por valores mais baixos, ou realizar um encaixe dentro do prazo de "validade" do contrato. O caso Assunção já nos ensinou que hoje os jogadores sabem bem o que fazer nessas situações.

José Lopes disse...

Resta saber se mesmo nessa altura ele estaria receptivo, porque logo no verao seguinte (2011) comecou a dizer que queria sair, tendo comecado essa epoca em muito ma forma (mental).

José Correia disse...

@DC, Rui Machado, Morraceira

Conforme escrevi no texto, o Fernando chegou ao Porto com 19 anos, proveniente de um clube da 3ª divisão brasileira.

Como é óbvio, o Fernando atual é um jogador muito diferente, para melhor, com uma maturidade futebolística e um conjunto de competências que não tinha quando cá chegou.
Penso, inclusive, que não será exagerado dizer que o Fernando atual é um “produto” made in FC Porto.

Conforme os dirigentes do FC Porto não se cansam de dizer, o nosso modelo de gestão futebolística passa, em grande parte, por uma boa prospeção, contratar jovens promissores, fazê-los evoluir, colocá-los na montra da Liga dos Campeões e depois vender os seus passes aos “tubarões europeus” encaixando mais-valias.

Ora, neste contexto e olhando para o caso do Fernando, se ele sair a custo zero, isso não é um fracasso (do ponto de vista do modelo de negócio da FC Porto SAD)?

José Correia disse...

Miguel, não tendo havido renovação do contrato do Fernando há 6 meses, 1 ano ou 2 anos atrás, e havendo, conforme tu dizes, clubes dispostos a pagar-lhe uma salário anual entre os 4 e os 6 milhões de euros, não teria sido melhor aceitar uma proposta (mesmo que baixa para o seu valor) no Verão passado?

Joao Goncalves disse...

claro que não é José. Uma coisa é o modelo de negócio, outra coisa completamente diferente é as vontades do jogadores. Temos o caso do Fernando e Atsu, só este ano, e já tínhamos tido o caso do Paulo Assunção entre outros.

O modelo estipula contratos e vendas em timings úteis para o clube. O modelo certamente aconselhou a venda do Fernando após o falhanço da renovação, mas os objectivos desportivos foram contrários a essa recomendação, pois a saída do Moutinho e James deixou a equipa demasiado exposta e, para além disso, o treinador precisava um médio para se segurar e sem Moutinho, sobrou Fernando.

A saída do Fernando ainda pode acontecer em Janeiro, contudo depende da continuidade ou não na Champions e se um dos médios revelar qualidade para pegar no meio-campo até lá.

Portanto não ouve qualquer fracasso do modelo de negócio, mas sim uma sobreposição dos objectivos desportivos a esse.

DC disse...

"DC, tem que concordar que o Fernando dos primeiros jogos é diferente do Fernando dos últimos. Está em claro aumento de forma, o que coincide com o facto de começar a jogar cada vez mais sozinho a trinco, coisa que não acontecia no início da época!"

Sim, mas que a questão era táctica pareceu-me sempre óbvio. Fernando é defensivamente dos melhores do mundo mas em construção é banal. Se lhe pedem para construir vai jogar mal claro. E sente-se mal com alguém ao lado, tal como Busquets se sentia com Alonso por exemplo.


Quanto ao Herrera não digo que não vai ser bom jogador. Digo sim, e ficou óbvio, que por alguma razão o Defour foi titular no início da época e que continua a merecer ser titular. Herrera ainda não sabe muito bem o que lá anda a fazer e foi idiota lançá-lo neste jogo (sem sequer ter tido um bocadinho de rodagem na taça).
E o Defour que todos gostam de criticar é um grande jogador e se tiverem dúvidas vejam alguns jogos da Bélgica.

DC disse...

Financeiramente sem dúvida que será um fracasso.
Desportivamente será um sucesso de formação e valorização do jogador mas uma perda brutal para a próxima época.
Creio sinceramente que vai ser mais difícil de substituir que o Moutinho.

Rui Machado disse...

Fracasso!!!
Não estou na estrutura para saber quais as abordagens que tiveram e quais os valores, se as propostas foram abaixo dos 10M€ fizeram bem manter o jogador e aproveitá-lo até ao fim do contrato, caso contrário podemos considerar a nível financeiro um fracasso.
Nos últimos anos o grande fracasso foi sem duvida a não venda do Álvaro Pereira ao Chelsea.

Miguel Lourenço Pereira disse...

José Lopes,

O pouco que sei - e é muito pouco - dá conta de que foi nesse contexto que ele pediu uma melhoria de contrato que foi negada, dizendo o clube que seria tratada mais tarde, que havia tempo. O jogador não gostou da resposta e a partir de aí começou a pedir para sair (ainda com contrato em vigor) mas a reticência do clube em vendê-lo levou a esta situação. Talvez Fernando nunca tivesse tido interesse em renovar realmente porque queria ir à selecção e via que o FCP era um problema mais do que uma solução (vide Alex Sandro ou Hulk). Sinceramente, não sei.

Zé Correia,

Nesse caso os clubes têm sempre duas opções. Espremer o jogador até ao fim ou vender quanto antes. Mas para vender precisam do consentimento do jogador. Pelo o que eu sei houve ofertas reais mas ora o jogador não queria ir para um lado ora o FCP não gostava dos números que ofereciam os clubes que o agente trazia e aquilo ficou em banho maria. A certa altura creio que o próprio jogador percebeu que era mais rentável para ele ficar um ano sem jogar e sair livre (em último caso) do que sair para onde o clube queria e chegou-se a este cenário.

José Correia disse...

João Gonçalves disse: "O modelo certamente aconselhou a venda do Fernando após o falhanço da renovação, mas os objectivos desportivos foram contrários a essa recomendação, pois a saída do Moutinho e James deixou a equipa demasiado exposta e, para além disso, o treinador precisava um médio para se segurar e sem Moutinho, sobrou Fernando."

Aceito perfeitamente esta explicação, que tem a sua lógica.
Mas havia outras alternativas.

Por exemplo, aceitar a melhor oferta recebida pelo passe do Fernando, ficar com o Castro no plantel e redesenhar o meio-campo do FC Porto com um duplo pivot, tirando partido dos jogadores existentes - Castro, Defour e Herrera.

José Correia disse...

João Gonçalves disse: "A saída do Fernando ainda pode acontecer em Janeiro, contudo depende da continuidade ou não na Champions e se um dos médios revelar qualidade para pegar no meio-campo até lá."

Sim, se o FC Porto for eliminado da Liga dos Campeões, admito que o buraco financeiro daí resultante, possa ser suprido com uma "venda low-cost" do passe do Fernando em Janeiro de 2014.

Duarte disse...

Estou completamente de acordo com o comentário do João Gonçalves. A não saída do Fernando no Verão pareceu-me absolutamente correcta, tendo em conta o valor das propostas que chegaram (pelo que sabemos, a melhor foi de 10 milhões) e o facto de termos já perdido dois jogadores da equipa titular.

Francamente não sei se será possível a sua renovação, mas se for é óbvio que esta terá de ocorrer até Janeiro. A partir daí, não temos hipótese por razões óbvias. Mas também não acredito que o vendamos no mercado de Inverno: porque ninguém pagará um preço interessante (8 milhões poderá ser o máximo e já estou a ser optimista) e porque a saída do Polvo poderá ser, desportivamente, o descalabro se continuarmos neste nível.

José Lopes disse...

Francamente, o Defour ja esta na terceira epoca no Porto e, ate agora, parece-me que e' mais um cuja posicao em que tem jogado (ao lado do Fernando e longe do Lucho) so o prejudica. Poderia ser util no lugar do Fernando (se ele ja nao estivesse no Porto) ou com um jogador completamente diferente do Fernando ao lado, muito mais capaz de transportar jogo. Ou claro, num 4-3-3 muito mais proximo ao modelo do ano passado.

miguel87 disse...

Em primeiro lugar descordo completamente que Fernando seja melhor jogador do que foi o Assunção. Este último além do tampão defensivo que era, sabia tambem construir jogo, sabia colocar a bola jogavel fosse em passe curto ou lançamentos longos, coisas que o Fernando por mais evolução que tenha tido nunca conseguiu atingir.

Em segundo lugar, a saida a custo zero claro que significa um fracasso do ponto de vista do modelo de negócio do clube.

Aparte disto acho um bocado exagerado o valor que dão a este jogador, pois se fosse realmente "um dos melhores do mundo" na sua posição de certeza que não estava cá a jogar há 6 anos... e já nem falo em Barças, Reais ou United's, pois este nem sequer para "colossos" como Zenit, Shaktar, Monaco ou Atletico foi vendido.

Com o Fernando traço um paralelo a jogadores como Cissoko ou Alvaro Pereira, que pareciam uns verdadeiros fenómenos quando cá jogavam e que depois de sairem estão a ter a carreira que se sabe...

PS. DC, acho que pela primeira vez estamos em desacordo numa opinião: Fernando mais dificil de substituir do que Moutinho? não, não e não. Para mim Moutinho foi simplesmente o jogador mais influente que tivemos no clube desde Deco.

Granja disse...

Olá ,

estou de acordo em parte. de facto sair a cisto zero é uma pena.... mas tb raciocina assim quanto custaria em mercado um trinco desta qualidade... 20 milhões? 25 milhões? ... irá singrar? nao sei bem talvez seja preferivel pensar que esse seja o valor a pagar por mantelo na equipa e desportivamente é uma mais valia já que profissionalmente não temos nada a pontar.

Abraço dragoniano

Joaquim Lima disse...

Se tivermos em conta que o Javi Garcia foi vendido por 25M para aquecer o banco do City, eu diria que o Fernando vale uns 40/50M!

DC disse...

Veremos para o ano. Eu acho mais difícil encontrar um bom 6 do que um bom 8.

Quanto ao Moutinho, enorme jogador, mas ainda na 3a me lembrei do que o Hulk é e era no Porto. Para mim deu bem mais ao Porto do que o Moutinho.

Nelson Barbosa disse...

Do ponto de vista financeiro, Fernando não será um grande negócio, quer saia em Janeiro, necessariamente por um valor baixo, quer saia a custo zero no final da época. No plano desportivo, foi excelente. O FCP fez dele um grande jogador, ele retribuiu com uma dedicação e empenho profissional acima de qualquer suspeita. Mesmo quando, no final de cada época, manifestava o deseja de sair, quando a bola começou a rolar portou-se sempre com grande dignidade, deu sempre o seu melhor, por isso, quando sair, dir-lhe-ei: obrigado, que continue a vencer onde quer que esteja, excepto claro, se jogar contra o FCP e quando voltar ao Dragão, por mim, será recebido com aplauso.

O clube não tem argumentos financeiros para lhe pagar aquilo que outros têm, por isso, terá de encontrar um substituto, como de resto o tem feito, com mais ou menos dificuldade, até agora. Saiu Costinha, veio Paulo Assunção, saiu este, veio Fernando, saindo Fernando outro virá e continuaremos a vencer desde 1893.

Saudações portistas

Joao Goncalves disse...

O problema José é que ficavas com um meio campo que era uma enorme incógnita... podia resultar como podíamos acabar a 20 pontos do 1º por causa dessa mudança.

Vender 1 ainda vá que não vá agora remodelar a base toda do meio campo para jogadores da categoria de Defour e Castro e com incógnitas na altura que eram Herrera, Carlos Eduardo e Josué, era um tremendo risco, aliás, está-se a ver que quem aguenta mesmo o meio campo é o Fernando, portanto a opção desportiva foi a melhor e a menos arriscada e com resultados positivos... contudo financeiramente é mau mas mesmo aì temos que ver que o Fernando ao não assinar, não aumentou o ordenado e nem recebeu Bónus de assinatura, quanto é que poderemos ter poupado aì ? 2,3,4M?

Sem estar lá dentro e analisando apenas pelo que temos, parece-me evidente que o Porto tomou a melhor opção desportiva possível com uma calculada perda financeiro

Bluesky disse...

Fernando é senhor de si, não escravo, pelo que não podemos considerar um fracasso a não renovação do seu contrato por parte da SAD! Acha que já deu tudo ao FC PORTO e o FC PORTO já lhe deu o que tinha a dar. A novela é exatamente igual á do Paulo Assunção, pelo que se for respeitado o guião, outro surgirá ainda melhor que Fernando. Mas que é um grande profissional lá isso é... O que a cabeça lhe diz o coração não faz!!!!

Fernando B. disse...

Concerteza que há algo entre a SAD e Fernando... Sair em Janeiro, e receber-se uma determinada verba, não sei... Mas que há algo há...Para mais com a Liga dos Campeões mais que tremida...
Está tudo muito pacifico entre Clube, jogador e empresário... Há algo, podem crer...

Maria Lopez disse...

Acho este post de um cinismo atroz. Eu se fosse o homem também me ia embora, não só pela questao financeira mas fundamentalmente por estar num clube onde os adeptos só têm olhos para a finta e para o golo de calcanhar. Ainda me lembro de Rui Moreira há uns anos mostrar contentamento porque finalmente Fernando ia ser substituido no onze titular, tinha então chegado oum craque de nome Souza. Agora os "analfabetos" que o criticaram sistematicamente choram a sua partida. Não me canso de dizer, no computo geral o melhor jogador do FCP nos ultimos 5 anos e o unico neste momento que consegue disfarçar o empobrecimento que os dirigentes decidiram dar ao plantel do clube. Dos melhores trincos do futebol mundial, insubstituivel. A sua saida vai ser a machadada final na restia de ilusão que temos em jogar na Europa com nivel. Também acho graça que alguém defenda a direção neste caso: a saida do jogador terá que ser lida como uma derrota da SAD que o devia ter renovado em tempo util.O que escreveu Miguel Lourenço Pereira, com quem costumo discordar, é de uma justiça elementar. Já agora outra barracada coletiva da nação portista vai ser Varela: com todos os defeitos que tem é um elemento fulcral do atual plantel e tem que jogar SEMPRE. Por aqui só se lembram do homem quando se apercebem que Lica e companhia são um fiasco. Fico pasmado com a opinião de alguns adeptos do nosso clube, embora respeite porque a democracia é isto mesmo.

Pedro Moreira

António C. disse...

Lamentarei a saída do Fernando do FCP pelo facto de não sermos um clube monetariamente rico, mas não o condenarei por tal.
Sempre o tive em conta como um excelente profissional - humilde e batalhador -; e como tal só lhe posso desejar felicidades para a sua vida, e agradecer-lhe profundamente todo o rigor e empenho por todas as vezes que envergou a camisola azul e branca.

Quanto ao facto de o FCP não o ter vendido, e "levar até às últimas" o seu contrato, pessoalmente considero este facto uma mensagem extremamente forte, tanto para dentro (balneário e empresários) como exteriormente (clubes compradores).
Acho que não preciso de fazer um desenho...para explicar melhor o anterior parágrafo.

P.S. - Apesar de não ser este o melhor espaço para comentar o que se segue...eu gostava de ver o Fernando na Selecção Nacional (mas sem paulo bento).

José Rodrigues disse...

Eu nisto estou com o Jose' Correia.

Antes de mais, ficam muitas duvidas de q se tenha gerido a sua renovacao de contrato (e salario) da melhor forma (e nem tanto nos ultimos 12 meses, mas anteriormente).

Mas acima de tudo e independentemente do q se passou anteriormente, neste ultimo Verao a SAD ao confrontar-se com uma impossibilidade (a existir) de renovacao de contrato, deixa muitas duvidas se nao teria valido mais a pena vende-lo pela melhor oferta (e ja' agora acho piada a pessoal q torce o nariz a valores de 10M ou nao muito inferiores, como se financeiramente fossemos o Chelsea...).

Alias alguma coisa nao bate certo quando leio q ele sera' muito cobicado, com ofertas de salario de 6M... e' q se isso for verdade entao certamente q deveria tambem ter havido ofertas jeitosas (pelo passe dele) no Verao. Um clube q oferece 6M de salario a um jogador livre (o q demonstra disponibilidade financeira e interesse elevado no contributo desportivo) tb e' certamente clube para oferecer 10M ou perto disso pelo passe do mesmo jogador, se tal fosse preciso para o ir buscar 6 meses antes.

Morraceira disse...

José Correia, o que eu entendi do texto foi que era um fracasso não conseguir renovar com o Fernando nos últimos tempos e actualmente. E isso, como eu disse, tem explicações óbvias.
Se é um fracasso perder um jogador "made in porto" a troco de nada. Isso é, ou é pelo menos, uma frustração.
Mas não sei se é algo que deva preocupar, porque a culpa é mais do mercado, da visão dos "médios defensivos" e da desvalorização dos brasileiros que não brilharam no brasil... o Porto teve o Fernando a render as épocas normais, e quando chegou a altura de o vender as propostas não eram de acordo com o valor do jogador. E a estratégia do jogador era que ou (1) aparecia a proposta ou (2) o contrato ia até ao fim. Tenho dificuldades em ver que alternativas restavam ao Porto perante isto... O jogador tomou a decisão quando ainda tinha três anos de contrato, que foi quando começou por hábito a lançar pressão na imprensa lá por Junho/Julho