sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Fazer igual é fazer pior

Havia muitos portistas, talvez a maioria, que não gostava de Vítor Pereira. Ou melhor, penso que não tinham nada contra o Vítor Pereira, mas não gostavam do modelo de jogo que ele implementou no FC Porto (apesar da conquista de dois campeonatos e de apenas uma derrota em 60 jogos).

Embora discordando desses portistas (eu pertenço à minoria que defendia a renovação com Vítor Pereira), compreendo as criticas que faziam e as legitimas expectativas que tinham num novo treinador, que trouxesse um tipo de futebol mais atrativo, mais entusiasmante, mais ofensivo, com mais golos e que apostasse mais em jogadores como Iturbe ou Kelvin.

Lendo o que se ia escrevendo nas redes sociais, percebia-se que a pré-temporada e, principalmente, a digressão à Colômbia e Venezuela, alimentou o entusiasmo, reforçado pelo 1º jogo oficial, em que o FC Porto venceu e convenceu o Vitória Guimarães por 3-0.

O grande receio era o mercado e as constantes notícias que davam como quase certas as saídas de Mangala, Fernando e Jackson.


No início de Setembro, após o fecho do mercado, o novo treinador do FC Porto elogiou o arranque de temporada da sua equipa, mostrou enorme satisfação por, ao contrário do que tem sido habitual em anos anteriores, não ter saído nenhum jogador importante na reta final do mercado e afirmou publicamente que “não podia ambicionar mais”.


No dia 5 de Setembro, num artigo de opinião, escrevia-se o seguinte no jornal O JOGO:
«O mercado das entradas e saídas relevantes fechou para o FC Porto com uma antecedência invulgar, apresentando soluções imediatas para quase todas as questões que transitavam da época anterior. Para além de colmatar de pronto as saídas de Moutinho e James (também elas atempadas), a SAD deu ao novo treinador a tal sombra de Jackson (ainda não requisitada), preencheu um meio-campo deficitário e encontrou uma alternativa aos titularíssimos das laterais. (…) o momento do balanço não deixará de fazer justiça a um dos mercados melhor e mais rapidamente controlados pela SAD. Desta vantagem teórica sobre a concorrência sobe, pois, uma fasquia que Paulo Fonseca, mais artilhado do que Vítor Pereira (que perdeu Falcao e Hulk nos descontos) em qualquer uma das épocas, dificilmente contornará: fazer igual é fazer pior.»

Na véspera da estreia na Liga dos Campeões, respondendo aos elogios do treinador do Austria de Viena, Paulo Fonseca afirmou: “Podemos, devemos e vamos jogar mais”.


Infelizmente, daí para cá não se pode dizer que a equipa tenha melhorado e esteja a jogar mais, bem pelo contrário.

Perante tantas expectativas, incluindo do próprio Paulo Fonseca, o que está a falhar?

62 comentários:

João disse...

Lá me obrigam vocês a fazer adendas

«Havia muitos portistas, talvez a maioria, que não gostava de Vítor Pereira. Ou melhor, penso que não tinham nada contra o Vítor Pereira, mas não gostavam do modelo de jogo que ele implementou no FC Porto (apesar da conquista de dois campeonatos e de apenas uma derrota em 60 jogos).»

... e de ter perdido duas taças para o portentoso Braga, arrumado de outra goleado pela Académica + duas prestações, uma medíocre, outra perfeitamente miserável na Liga dos Campeões. Já sei, já sei, foi um apontamento inocente. Mas eu gosto dos apontamentos inocentes completos.

De resto, só mais um ponto de divergência. As saídas de Moutinho e James não foram "colmatadas de pronto". No caso do James, até tenho a certeza que ficámos melhor servidos, tudo aponta nesse sentido. Já no caso do Moutinho, longe disso.

Pagava bom dinheiro para que o Defour jogasse 1/10 do Moutinho e o Quintero fosse um flop, estávamos bem melhor do que estamos.

José Correia disse...

“Podemos, devemos e vamos jogar mais”

João, perante tantas expectativas dos adeptos portistas e do próprio Paulo Fonseca, o que está a falhar?

RBN disse...

Onde está aquele futebol da pré-época, onde mesmo a meio-gás, notava-se perfeitamente padrão de jogo, qualidade no passe e boas alternativas de ataque(eu mesmo citei as investidas de Danilo pela meia-direita como um verdadeiro nº 8) ???
Não podem ter desaprendido em 3 meses, ou podem?
Neste momento não tenho opinião formada, mas tenho uma certeza absoluta:
PF tem que se convencer de uma vez por todas que o FCP NÃO PODE mais continuar a jogar a Paços!
Ou a passos, dá no mesmo!!!

João disse...

O novo esquema táctico e os resquícios da mentalidade Jesualdina.

Marco Enes disse...

O que está a falhar é muito simples: análises tão estapafúrdias quanto prematuras, quando estão decorridos 2 meses de competição.

Em poucas palavras: É a benfiquização dos adeptos do FC Porto.

Felizmente temos um Presidente que ouve estes adeptos, encolhe os ombros e ri para o lado, porque sabe o que está a fazer.

José Correia disse...

Se não estou em erro, os únicos jogadores de campo que foram treinados por Jesualdo Ferreira são: Fernando, Lucho, Varela e Fucile (este raramente joga).

A mentalidade Jesualdina (que não sei bem o que é) propagou-se aos outros jogadores?

Bibiano Baldé Cá Jr. disse...

Também sabia o que estava a fazer com o Quinito e com o Octávio Machado e com tantos outros e isso não invalidou que essas apostas tivessem falhado. O nosso presidente é um homem cuja gestão tem provas mais do que dadas mas está longe de ser infalível nas escolhas que toma.

O que está claro, e é visivel para quem não queira tapar o sol com a paneira, é que a equipa está longe de praticar um futebol minimamente aceitável para uma equipa que tem 20x mais orçamento do que a maioria dos seus adversários da liga portuguesa.

A benfiquização do fc porto é ver a equipa passar 30 minutos sem rematar à baliza do Arouca e achar isso perfeitamente normal e assobiar para o lado. A benfiquização do fc porto é ver a equipa desligar depois de marcar os golos e achar isso normal. A benfiquização do fc porto é ver jogadores com provas dadas no clube a apresentarem-se a um nível deplorável ao ponto de ser dificil encontrar um jogador que esteja ao seu melhor nível neste início de época. Isto tudo somado dá vontade de rir quando vamos com 10 jornadas da liga e os problemas são visíveis contra adversários fracos, vamos ver se não vai dar para chorar contra adversários que saibam o que fazem.

Nuno Queiroz disse...

DIzer de VP que só perdeu um jogo em 60 é ser no mínimo incorreto e muito pouco rigoroso. Para além das champions onde em nenhuma foi brilhante deixou escapar as 2 taças de Portugal para o colossos académica e Braga e nem na taça Lucílio conseguiu ganhar. Nos campeonatos exibiu-se um futebol normalmente medíocre sem grande chama e se é vardade que ganhou não podemos deixar de dizer que a sorte nos acompanhou. Há um enorme mérito de VP: os jogos com os gayvotas para o campeonato em que mostramos ser melhores e onde VP ganhou o grande capital de confiança dos adeptos.

Paulo Fonseca já desperdiçou uma grande parte do capital de confiança dos adeptos e tem neste momento uma margem de manobra mais reduzida. Ganhar como VP ganhou , ok, gostamos, mas já não nos satisfaz. Precisamos de uma equipa que jogue a bola, seja solidária em campo e que deixe a pele lá dentro e que não recue quando se apanha a ganhar. Não sou técnico e por isso tanto faz que jogue com 2 trincos ou nenhum até desde que a qualidade do futebol seja superior ao que tem sido. O mais lógico com este plantel, parece-me a minha experiência de 47 anos de treinador de bancada, seria um 4-4-2 em losango mas a verdade é que o Porto há muitos anos que joga no 4-3-3 puro, excepto alguns jogos com Mourinho, embora só com um trinco.

PF tem de inverter rapidamente este estado de coisas sob pena de ficar com o destino traçado e chegar ao fim da época e ser recambiado para o Paços novamente mesmo que seja campeão.

João disse...

Ah a única forma de propagar mentalidades é pelos jogadores? Não fazia ideia, obrigado.

Sim, a mentalidade Jesualdina. "Já marcamos? Bora descansar com(/sem) bola e ver como correr"

PS: E sim, se pensar que na maior parte do tempo é o Lucho que determina o ritmo de jogo, basta um.

Luís Matos disse...

Fazer igual será muito bom: ser campeão e chegar aos oitavos da champions. É mau? Não, são os nossos objectivos. A juntar a isso só peço a conquista da Taça de Portugal. Passar os oitavos da Champions seria muito bom. A taça da liga não interessa, que jogue a equipa B.

Joao Goncalves disse...

O grande problema do PF é a gestão das expectativas

1) Expectativa de ser melhor que VP a nível da qualidade de jogo

2) Expectativa que a equipa volta a jogar aquilo que jogou e prometeu na pré-temporada, como por exemplo, na segunda parte contra o Napóles.

3) Expectativa que a equipa faça um jogo seguro e descansado como temos sido habituados à largos anos, pelos últimos treinadores que por cá passaram.

Em suma, penso que o principal problema de PF foi a Pré-Temporada... se a equipa tivesse realizado uma má Pré-temporada sem apresentar réstia de futebol que se visse, actualmente qualquer melhoria seria uma lufada de ar fresco, agora... quando a equipa acaba a sua forma na 1ª parte do jogo da Supertaça e parece que a época acabou aí... está o caldo entornado.

DC disse...

Obrigado João pela gargalhada que acabei de dar. Imputar as culpas ao Jesualdo era coisa que não estava à espera.

Continua a surpreender-me!

DC disse...

Sabe qual é o problema da pré-época? É que os adversários não nos estudam, não estão preocupados em jogar para o pontinho ou para perder por poucos, etc...

Na pré-época é natural haver jogos abertos e pouco disciplinados, agora em jogos a sério os treinadores não vêm cá para "experimentar" nada, vêm para o pontinho.

DC disse...

Benfiquização? Aquele clube que tem um treinador há 5 anos a ganhar 4M por época por 1 único campeonato?
Sim, os adeptos do Porto são tal e qual.

DC disse...

O Porto jogou no ano passado em 4-4-2 losango e já teve bastantes variâncias desse 4-3-3, tanto com o 3-4-3 de Adriaanse, como com o muitas vezes usado 4-2-3-1 de AVB e o tal losango de VP.

DC disse...

Sem me alongar porque já disse tudo o que tinha a dizer (e quem tivesse que concordar ou discordar já o fez), o problema para mim é, apenas e só, táctico.
Tudo o resto (atitude, raça, mentalidade, qualidade dos jogadores, bla, bla, bla), para mim são desculpas para a desorganização táctica evidente.

Aliás essa da raça e mentalidade faz-me lembrar aquela nossa selecção de rugby que toda a gente elogiava por gritar muito antes dos jogos e depois perdia-os todos...

José Correia disse...

Não sabia que mentalidade Jesualdina significava "Já marcamos? Bora descansar com(/sem) bola e ver como correr"…

Presumo que, para o João, essa mentalidade também existia na época passada.

Ora, se para o João essa mentalidade já existia na época passada, como é que explica os 70 golos que a equipa marcou no campeonato (e ainda desperdiçou 5 penalties) e, nomeadamente, as exibições e resultados dos seguintes jogos:
FC Porto x V. Guimarães (2ª J)
FC Porto x Beira Mar (4ª J)
FC Porto x Marítimo (5ª J)
V. Setúbal x FC Porto (12ª J)
FC Porto x Gil Vicente (16ª J)
V. Guimarães x FC Porto (17ª J)
Académica x FC Porto (24ª J)
Moreirense x FC Porto (25ª J)
Nacional x FC Porto (28ª J)

José Correia disse...

Nuno, e que tal ler a frase toda?
“conquista de dois campeonatos e de apenas uma derrota em 60 jogos”

Mas, sendo o Nuno Queiroz um feroz critico do VP e defensor da mudança de treinador, acha que a equipa está a evidenciar um futebol mais atrativo, mais entusiasmante, mais ofensivo e com mais golos?

Pegando na frase de Paulo Fonseca – “Podemos, devemos e vamos jogar mais” – dita há cerca de um mês atrás, acha que a equipa está a jogar mais?

Anónimo disse...

ALADJE, ponta de lança dos sub-21, falando de ITURBE:

Tem muito destaque na imprensa e aproveitou o facto de o Verona ser uma equipa pequena e que tem espaço para jogar.in JOGO

Anónimo disse...

Na minha opinião, é evidente que Paulo Fonseca ainda não convenceu, embora me pareça ser um tanto precipitado, fazer uma avaliação definitiva. É verdade que o qualidade de jogo não é entusiasmante, porém não é menos verdade que estamos em primeiro lugar no campeonato, com um empate apenas, e em condições especiais, mas faltam jogos com adversários a sério, o primeiro, contra o A M, não foi brilhante, veremos o próximo com o Sporting, para se ter uma visão mais objectiva da evolução da equipa.
Para todos os efeitos é no entanto evidente que o responsável pelo bom e pelo mau é o treinador, as causas, as razões, essas cada um pode ter a sua opinião, quem treina é ele, quem trabalha diariamente com os jogadores é ele.

Acho piada a alguns portistas que ainda continuam a bater no Jesualdo e no Vitor Pereira.

Saudações Portistas
Nelson Barbosa

Anónimo disse...

Deve ser um problema de índices físicos. Contra o atlético tivemos uma boa primeira hora. Depois foi-se tudo abaixo.

Também me parece que o Fonseca se esquece de fazer descansar alguns jogadores chave. O Ghilas tem de ter minutos na troca pelo Jackson. O Quintero tem de entrar mais vezes na troca com o Lucho. Apesar que em Inglaterra jogam duas vezes por semana e estão sempre como o aço. Deve ser do fish and chips.

Nuno Queiroz disse...

Caro José Correia
Eu também lhe podia dizer que Paulo Fonseca tem 7 jogos e apenas 1 empate. A verdade é que me podia "esquecer" do jogo com o Atlético e da qualidade das exibições. A verdade é que VP não fez apenas 60 jogos como técnico principal mas sim cerca do dobro e nesses restantes 60 conquistou mais 2 supertaças e uma série de eliminações e algumas bem tristes.

Não sou um feroz crítico de VP, nem por sombras. Sou uma pessoa com espiríto crítico e um defensor do F.C.Porto e gosto de ver bom futebol e se é com VP, PF ou JF isso não é importante. Já vi passar muitos treinadores, sou do tempo em que não ganhávamos nada em nenhuma modalidade mas ia a todos os jogos. Os jogadores, treinadores, até o presidente passarão mas o clube será sempre o meu F.C.Porto.

É verdade que não estamos a jogar bem nem sequer razoável mas quem me diz que com VP estivéssemos melhor sem Moutinho e James? VP é PASSADO e se um dia voltar será o meu treinador. Agora é Paulo Fonseca e só espero que ele consiga dar a volta e sim “Podemos, devemos e vamos jogar mais”.

PORTO SEMPRE!

Pedro Ramos disse...

O grande problema para mim é que passado todo este tempo ainda nao temos um modelo/filosofia de jogo clara e bem definida (nao confundir com sistema táctico. O modelo supera o sistema e mantem-se independentemente dele)
Por exemplo: Qual o modelo defensivo? Se tenta fazer pressao o campo todo, se baixa para um bloco baixo para explorar as transiçoes rápidas, se outro qualquer.

Por outro lado aparenta ignorar o meio-campo como zona de construçao ofensiva fazendo privilegiar os extremos como principal arma atacante o que choca claramente com o actual plantel.

Sao sobretudo estes 2 factores que me preocupam

1- Nao existir já, um modelo de jogo bem definido
2- A nao adaptaçao do seu modelo de jogo ao plantel disponivel.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Quando se começar a entender que a pré-época, hoje em dia, serve para duas coisas: condição física e fazer dinheiro, entender-se-á melhor as exibições e os resultados.

O FCP podia fazer uma pré-época a golear pro 5-0 o Barça, o United e o Madrid que nos jogos a sério provavelmente o resultado seria o oposto. Mas há quem continue a dar o mesmo valor a realidades totalmente distintas!

Anónimo disse...

Ser Campeão e chegar aos Oitavos da LC?
Bem Bom.

José Lopes disse...

Esta da culpa ser tambem da mentalidade que o Jesualdo incutiu deixa-me perplexo... Tres treinadores depois... E o substituto contratado este ano do Moutinho e' o Herrera.

Jorge disse...

Primeiro, leiam os comentários a este post, escrito no reflexão portista há menos de dois anos:
http://www.reflexaoportista.pt/2011/11/vitor-o-teu-buraco-esta-pronto.html#comment-form

Depois, respirem fundo e pensem com calma.
Teremos muitas razões para estar de pé atrás. Muitas razões para sentir que as coisas não estão a 100%, mas não estaremos a ser precipitados em algumas afirmações?

Luís Miguel disse...

Já começa a ser demais falar-se do "mau momento" do FCPORTO, afinal vamos em 1º com dois e cinco pontos de vantagem sobre o 2º e 3º classificados.

Na Champions ainda está tudo em aberto, pois o que o At. Madrid fez aqui, o FCPORTO pode fazer lá.

De qualquer maneira ainda faltam muitos dias para os próximos jogos.

E já saiu um comunicado sobre as contas a 30/06/2013 que evidencia uma melhoria.

José Correia disse...

Eu penso que faz mais sentido comparar o modelo de jogo e desempenho da época passada com a “evolução” que estamos a ver no início desta, mas o Jorge, vá lá saber-se porquê, prefere ir buscar o pior jogo do pior período da passagem de Vítor Pereira como treinador principal do FC Porto.

Qual é a conclusão que quer tirar?
Em Novembro e Dezembro de 2011 o FC Porto estava a jogar pior do que agora?
Sim, estava.
E, já agora, podia acrescentar que, nessa altura, ainda cá estavam/jogavam Sapunaru, Rolando, Alvaro Pereira, Guarín, Belluschi, Walter, Kléber, Hulk…
Tudo jogadores que na época passada já cá não estavam.

Pelo contrário, da época passada para esta só saíram dois jogadores dos habituais titulares – Moutinho e James – e, no caso do colombiano, na 2ª parte da época foi quase como se já cá não estivesse.

A questão, a que o Jorge não quis responder, é outra.
A equipa, neste início de época, está melhor do que na época passada?
O Jorge, que presumo seja um adepto portista, está satisfeito com a “evolução” que a equipa teve da época passada até esta altura?

Justiceiro Azul disse...

DC
Vá la jogar Rugby com menos 20cm de altura e 40kg de peso que os adversários e veja se a sua raça e mentalidade ganha jogos. Não faça comparações sobre o que não conhece.

Anónimo disse...

Mais do mesmo... o passado com o VP repete-se. Por alturas dos 3 que levamos da Academica adeptos (mais os jogadores) clamavam pela correccao do erro na contratacao do VP. O futebol era mau e os resultados tambem... era o fim de um ciclo e nao estavamos longe do fim do mundo.

O presidente desceu e pos tudo na ordem, ignorando as precipitacoes constantes dos adeptos eternamente descontentes. Estamos em Outubro! Nao da' para relaxar um bocadinho e dar tempo ao tempo? Esperar... vamos... por Janeiro ou Fevereiro para ver o que o FCP fez? Com 4 meses de trabalho ninguem tirou concretizacoes precipitadas do meu trabalho quando comecei, muito menos dos resultados. Neste caso vamos em primeiro e ja' temos tacas, e ninguem anda 'as turras no balneario... ja' e' um bocadinho melhor que com VP com o mesmo tempo :-)

Rester Zen... Mourinho e Villas Boas andaram muito ano a aprender com grandes treinadores 'a volta antes de se soltarem. VP e PF nao sao da mesma casta, mas dao para o gasto de quem se satisfaz com o campeonato e os oitavos da LC... a maioria claramente!

José Lopes disse...

E muito fizeram eles sendo amadores e com grande defice de poder fisico! Para chegarem ao Mundial e perderem os jogos, tiveram de ganhar os da qualificacao!

Anónimo disse...

Obrigado pelo link Jorge :-) Na mouche...

Um pouquinho de "reflexao portista" chegaria para ver o quao precipitadas as criticas ao tecnico sao... mas isso nao vai acontecer e vamos continuar nisto.

Permita-me algumas perolas desses comentarios - o artigo tambem e' bom :-)

"E quem é que escolheu o VP? E quem é que permite que ele permaneça como treinador principal do FC Porto todos estes meses?"

Ou ainda:

"Vítor Pereira ou "Como se destrói uma grande equipa em 4 meses""

Ou mais ainda:

"A vontade que dá é não ver mais nenhum jogo do Porto enquanto este "treinador" lá estiver."

"Ontem, à hora do Académica x FC Porto, eu estava no Dragão Caixa a assistir ao FC Porto x Terceira Basket. E não foi por acaso que, ANTES do jogo, tomei esta decisão."

DC disse...

Já estava a contar com estas interpretações e até, propositadamente, não me alonguei no comentário só para ter o "prazer" de ver o "peixe a morder o isco".

Onde é que eu disse que a selecção devia ter ganho algum jogo? Apenas ironizo com os enormes elogios a toda essa raça traduzida em derrotas. Lembro-me perfeitamente de ver inúmeros comentários a dizer que a selecção de futebol devia cantar o hino com aquela vontade e coisas do género.
Mas no fim... perderam! Podiam ter ganho, era exigível ter ganho? Não. Mas fizeram alguma coisa de extraordinário? Também não.
Mas para muitos, porque acntavam muito alto e tinham muita vontade, eram um exemplo. Não sei bem de quê, mas eram um exemplo.

Se for para ter alguém a correr como um tolinho pelo Porto, a chegar ao fim se calhar a sair de maca e a precisar de oxigénio, vou eu para lá, Ainda garanto que se jogar contra o Maxi lhe mando uma cabeçada :)

José Correia disse...

@ Jorge, Anónimo das 16:39, Anónimo das 17:10 (são a mesma pessoa?)

Já que não querem falar da equipa atual;
já que não querem falar da "evolução" da equipa desde a pré-temporada até agora;
já que não querem falar da "evolução" da equipa da época passada para esta;
já que não querem falar das alterações e "consolidação" do modelo de jogo adoptado pelo novo treinador;
Querem falar de quê?
Do que era a realidade do FC Porto há DOIS ANOS ATRÁS, em que, dos atuais jogadores de campo habituais titulares, só cá estavam Otamendi, Fernando e Varela.

Já agora, para além do Académica x FC Porto (disputado em 19/11/2011), não querem também falar no APOEL x FC Porto (disputado em 01/11/2011)?

Ruca disse...

Acho que onde querem chegar, é que os adeptos podem estar a ser - uma vez mais - precipitados relativamente à avaliação do treinador. Muitas vezes, essa avaliação é depois alargada à direcção, onde se afirma que só por incompetência ou interesses é que o treinador é escolhido. Parece-me escusado.
Agora, claro que toda a gente consegue ver que o futebol praticado até agora, tem sido fraco. Aí, nada a dizer.

DC disse...

Já agora um pequeno off-topic: o manco do Defour, aquele que, pelo que se lê por aqui, mal sabe caminhar, quantos mais jogar futebol, continua a titular na fortíssima Bélgica e, depois do golo no jogo anterior, já fez uma assistência.

João disse...

Lá está a cartilha, quem não alinha no endeusamento de VP (e, ligeiramente mais grave, no ataque ao seu sucessor no cargo, tão típico dos adeptos do Al Ahly) é um "feroz crítico do VP"..

Porque isso das Taças e da Champions são pormenores que só uma mente muito maquiavélica é que continua a trazer à baila. Alguma vez isso interessou para alguma coisa!?

Jorge Ricardo Pinto disse...

Caro José Correia,
Antes de qualquer outra coisa, deixe-me dizer que sou um fã seu. Acho os seus textos a essência deste blogue e concordo com a larguíssima maioria dos seus escritos. Mais, quando tenho que discutir futebol com alguém e me falha a memória, uso imensas vezes os seus textos como apoio ao que digo. Assim sendo, para começar, uma vénia. É também por isso me surpreende a sua irritação com o que eu escrevi. Eu falei em respirar fundo para pensarmos com calma, e o meu caro José Correia enervou-se sem razão. Bolas. Vamos com calma. Estamos em primeiro no campeonato.
Pergunta o José Correia qual é a conclusão que quero tirar com o que eu escrevi. A conclusão é esta mesma. Que devemos ter calma porque no futebol tudo muda num instante, embora existam sinais para alguma preocupação. Quando escreve que eu prefiro "ir buscar o pior jogo do pior período da passagem de Vítor Pereira como treinador principal do FC Porto", eu não o fiz por perseguição ao VP. Fiz por uma razão simples:
O PF, tal como o VP nessa época, está a fazer a primeira temporada como treinador principal de um clube como o FCP.
Se tivéssemos feito o que muitos comentadores do RP pediam na altura (e eram mesmo muitos, numa altura em que ninguém ou quase ninguém acreditava em VP), VP não teria tido oportunidade de mostrar que afinal até era bom treinador (embora alguns ainda não gostem dele).
O José Correia pode comparar planteis, entradas e saídas, e até a relação do treinador com os jogadores. Mas tudo isso é subjetivo.
O que é objetivo é o tempo de treinador principal do FCP. No caso que eu usei como comparação o VP até tinha mais um mês que o PF tem, ou seja, mais tempo para por em prática as suas ideias.
O que é objetivo é que, ao contrário do VP que estava cá na época anterior, que conhecia um a um os jogadores, as suas virtudes e defeitos, o PF chegou há dois ou três meses ao FCP e o conhecimento que tinha era o de qualquer outro treinador da primeira liga.
O que é objetivo é que apesar da insatisfação generalizada com as exibições da equipa (que tanto eram na altura, como são agora), pelo menos desta vez ainda não fomos afastados de nenhuma prova (apesar do mau resultado contra o Atlético de Madrid) e estamos em primeiro no campeonato.
Ou seja, sem querer enervar ninguém, antes pelo contrário, e concordando (como referi no meu comentário) que há algumas razões para preocupação porque os jogos e as vitórias não têm sido brilhantes, há problemas táticos por resolver, e há escassez de soluções de qualidade nas alas, a verdade é que me parece que alguns aqui se excedem nas críticas. O passado não lhes dá razão. Comparar esta época com a transata é injusto para o PF, porque ele não tem dois anos (um dos quais na sombra) de clube. É só isto que eu digo.

"a questão, a que o Jorge não quis responder, é outra. A equipa, neste início de época, está melhor do que na época passada? O Jorge, que presumo seja um adepto portista, está satisfeito com a “evolução” que a equipa teve da época passada até esta altura?"
O José Correia está ser disparatado. Eu não quis responder porque ninguém me perguntou! Aliás, nem sabia que era essa a pergunta?! Se estou satisfeito? É claro que não. Leu o que eu escrevi no comentário? Ora leia lá outra vez: "Teremos muitas razões para estar de pé atrás. Muitas razões para sentir que as coisas não estão a 100%"
Eu assino sempre os meus textos com o meu nome (Jorge Ricardo Pinto), mas por acaso no comentário acima carreguei em publicar e ficou apenas como Jorge. Não faço ideia quem sejam os outros dois anónimos, embora genericamente concorde também com o que eles disseram. E sim, sou portista, ou, se assim quiser, dragão-dragão (como eu sei bem que o José Correia também é).
A calma e a ponderação são importantes na gestão de uma equipa. Eu gosto muito do meu presidente por várias razões. Uma delas é a forma como protege os seus, mesmo em situações difíceis como era a do VP. Ainda bem que o fez porque passados 2 anos contamos com mais 2 campeonatos.
Jorge Ricardo Pinto

José Correia disse...

Pensei que o João ia responder ao comentário da "mentalidade Jesualdina" (em cima), mas afinal...

João disse...

Jorge isso não interessa nada. Já agora, não vi o link, qual é o "pior jogo dessa época"? Quando fomos atropelados com 6 batatas pelo City, quando levamos no lombo do APOEL ou quando fomos cilindrados pela Académica do Pedro Emanuel? Há tanto por onde escolher!

E depois o raciocínio do José é brilhante, tanto contorcionismo deu-me uma entorse no cérebro. O problema em 2011 é que ficou cá tudo. E esta época? Não se pode facilitar.. porque ficou cá tudo. Peguem lá fresquinho e no mesmo parágrafo. Muito bom.
Tudo jogadores que na época seguinte já não estavam lá. O que quer dizer rigorosamente nada, primeiro para a conversa, que é sobre a 1ª época dos respectivos treinadores e segundo para o que quer que seja, porque não se sabe qual vai ser o balneário da próxima época, nem se o facto de esses jogadores saírem, ficarem ou se dedicarem à agropecuária foi bom, mau, assim-assim ou outra coisa qualquer. Saíram. Na época a seguir. Pronto.

PS: "O Jorge, que presumo ser um adepto portista".. Já mudou a agulha, de "feroz crítico de VP" agora quem não anuiu ao endeusamento árabe é promovido a "adepto de outro clube qualquer".
Enfim...

José Correia disse...

Caro Jorge Ricardo Pinto, o seu comentário é tão extenso que dava para um artigo (não quer enviar-nos o seu email?).

Não vou responder a tudo, nem tão pouco repetir o que já disse noutros comentários. Digo apenas duas coisas:

1) Atendendo ao ponto de partida, as saídas e entradas, e ao plantel existente, esperava que a equipa do FC Porto estivesse bastante melhor nesta altura.

2) Conforme já referi noutros artigos/comentários sou, por principio, contra a mudança de treinador a meio da época.

João disse...

Wow. Deve ter sido espectacular para o DC sair da toca onde estava metido em relação a esse assunto há uns 7 jogos. Até ele ter sido sentado. Por estar a jogar tanto. E toda a gente elogiar o substituto. E agora jogou pela Bélgica e fez uma assistência! Todos aos Aliados!

José Correia disse...

João, já todos sabemos qual é a sua opinião sobre o desempenho da equipa do FC Porto de há DOIS ANOS ATRÁS (que, alias, não difere muito da minha).

Mas sobre o presente, quer falar? Quer falar sobre a equipa atual?

Qual é a sua opinião acerca da "evolução" da equipa da época passada para esta?

Qual é a sua opinião acerca da "evolução" da equipa desde a pré-temporada até agora?

José Correia disse...

Defour faz parte de uma das mais brilhantes gerações de jogadores da história do futebol belga, ao lado de nomes como Courtois, Vermaelen, Vincent Company, Jan Verthongen, Van Buyten, Fellaini, Witsel, Dembélé, Lukaku, Benteke, Kevin De Bruyne ou Eden Hazard.

O facto de Defour ter voltado a ser titular e ter contribuído para a vitoria da Bélgica na Croácia, deve querer dizer alguma coisa.

Daniel Gonçalves disse...

Eu preferia, no final da temporada passada, a saída de Vítor Pereira, no principio de que iríamos para melhor. Tínhamos uma mediania, algumas vezes uma mediocridade, no futebol exibido. Na minha opinião, e baseado na interpretação que efectuava, notava-se que não iríamos evoluir, Vítor Pereira não era capaz de melhor, como um professor quando aprecia um aluno e chega à conclusão que "não dás melhor que isto". Se o benfica, há 2 temporadas atrás, não perde-se o jogo em Guimarães e depois empatasse em Coimbra, se o golo do Maicon, no estádio da Luz tivesse sido invalidado e não fossemos campeões. Se na temporada passada o Estoril não fosse empatar à Luz, se o Liedson não passasse ao bola ao Kelvin, e não tivéssemos sido bi-campeões? Será que haveria tanto carpir de lágrimas pelo Vítor Pereira?
A questão é saber se Paulo Fonseca é capaz de fazer melhor que VP, pois até agora não evoluímos e não temos indícios de que tal venha a acontecer. Merecerá Paulo Fonseca o benefício da dúvida e ter mais algum tempo para mostrar que consegue mais e melhor? Esta decisão não depende de nós, apenas podemos especular e opinar.

Respondendo directamente à pergunta do José Correia, o que está a falhar? Talvez o modelo de jogo, a estratégia adoptada, porque empatia entre os jogadores e o treinador, pelos sinais que vemos, parece não haver problema.

José Correia disse...

Moutinho era (é) um grande jogador, mas Paulo Fonseca não se pode queixar. Tem à sua disposição um lote de médios - Fernando, Herrera, Defour, Lucho, Josué, Carlos Eduardo - de boa qualidade, que lhe permitem rotatividade e abrem possibilidades para várias soluções.

João disse...

O percebo o que o José quer. Uma avanlanche de pessoas a debitarem acriticamente a mesma opinião (que para todos os efeitos é também a minha) - a equipa está a jogar mal, não se nota evolução ou surgimento de mecanismos novos, o último jogo mostrou que o treinador não tem completa confiança nem no esquema táctico nem no onze tido por base. O esquema táctico não parece ser a melhor solução para o plantel, tem lacunas graves de exposição defensiva e de inoperância ofensiva, alguns jogadores parecem estar a ser mal geridos.. algo desse género não é?

O que o José não quer é que se contextualize e se avalie a pertinência da análise. Já fomos campeões a jogar significativamente pior por esta altura. Ponto. O José quer cercear essa parte porque não lhe interessa a comparação mas é simplesmente natural que, da mesma forma que os nabos do lampiões tenham comparado a última época deles à época anterior do Bayern, que se faça esse contrapeso. Até é infinitamente mais sensato no nosso caso, diga-se.

Estamos mal? Óptimo. O que é que temos feito nestes termos? Sido campeões. Maravilha. Então vamos esperar para ver. O José quer que se estacione na 1ª pergunta, não faz qualquer sentido. E mais uma vez, só denota toda uma agenda..

Ah já agora, alguns jogadores estão claramente em baixo de forma, a SAD deixou-nos com o Varela e o Licá para as alas, o "suplente natural" do Moutinho é um tropeço e o grupo da Champions só muito ligeiramente mais competitivo. Tudo coisas que noutros tempos interessavam TUDO, hoje são detalhes.

O Hitler a repreender o Saddam pelo tratamento dos curdos é a primeira imagem que me ocorre.

José Correia disse...

Já fomos campeões a jogar significativamente pior por esta altura. Ponto.

E se voltarmos a ser campeões, a jogar como estamos a jogar nesta altura, o João fica satisfeito?

Daniel Gonçalves disse...

Também defendo, como o José Rodrigues, que o FC Porto tem capacidade - desportiva e financeira - para cativar um treinador internacional experiente e maduro - excluindo um dos «top ten» que tem sempre mercado nos gigantes europeus -, mas a Administração prefere apostar em "novatos" com pouco ou nenhum currículo internacional, vindos de clubes portugueses de dimensão inferior ao FC Porto. Penso que a razão para esta política se deve a razões psicológicas e não económicas, ou seja, mesmo que o "novato" fosse o dobro ou o triplo mais caro de que um treinador internacional o Presidente do FC Porto preferiria sempre o "novato". Por razões psicológicos refiro-me a um fascínio – até emprego a palavra fetiche – enraizado no sub-inconsciente de Pinto da Costa por este tipo treinadores "noviços" porque está convicto de que dali irá sair o novo José Mourinho ou, mais recentemente, o novo André Villas Boas, assim como teve a convicção interior de que Quinito iria ser o novo Pedroto.

José Correia disse...

João disse: alguns jogadores estão claramente em baixo de forma

Porquê?
Por acaso, este ano os jogadores chegaram às pinguinhas, devido a contratações tardias ou fases finais de Europeus ou Mundiais?
Por acaso, o treinador não teve uma pré-temporada estável e com todos os jogadores à sua disposição?

José Correia disse...

João disse: a SAD deixou-nos com o Varela e o Licá para as alas

E quem eram os alas disponíveis na época passada?

João disse...

Não, 1) estar numa equipa com grandes jogadores também o Labreca esteve, como o João Pereira está. Dois tropeços. E o facto de o labreca ter arrumado a Inglaterra por duas vezes nos penaltis não faz dele menos nódoa. Nessa lista toda estão 3 médios centros, 2 jogaram hoje e o outro só não jogou porque está tocado.
E não nº2 Fernando, Lucho, Josué e Carlos Eduardo não jogam na posição do Moutinho, e se já chegamos ao ponto de cegueira seguidista em que se compara Defour ou Herrera com Moutinho, nem vale a pena discutir. Sobre nada.

Espero que venha a ser um prodígio do futebol europeu, neste momento o Defour é um buraco. Alterna entre o menos um a distinta confusão com um jogador adversário. O pior do Porto em praticamente todos os jogos oficiais disputados até agora (e uso o "praticamente" para não me cansar a confirmar). Se pela Bélgica joga à bola interessa-me exactamente o mesmo que as exibições do Abdoulaye pelo Vitória.

João disse...

José agregue lá isso, senão é um suplício, principalmente para quem lê isto no telemóvel.

1 - não. Tanto assim é que não fiquei satisfeito nos dois anos transactos. O José e Cª Lda. têm obrigação de ficar.

2 - Estão em baixo de forma, só. No caso do Otamendi, até é uma forma simpática de dizer que não está a jogar a ponta de um corno. Podia dizer que estava contrariado, que queria fazer a cama ao treinador, que afinal era fraco, enfim.. toda a míriade de desculpas usadas recentemente para situações análogas com outro homem no leme, mas não o faço. Não faço ideia.

3 - Eu sei, o José fartou-se de nos lembrar disso na altura. A grande questão é se o José conhece os alas para esta época, porque tem-se esquecido deles.

Anónimo disse...

Por curiosidade... e o Jose' Correia? O que acha das precipitacoes dos adeptos no inicio do reinado VP? Em comparacao com os resultados mais tarde, nao acha que foi uma evolucao normal? Nao acha que mais vale dar mais tempo em vez de bater no ceguinho - jogamos mal, estamos pior que o ano passado, etc - quando, por principio, nao quer mudar de treinador?

Como anonimo que isto e' a internet... compreendo que nao goste, mas deixando a opcao em aberto eu uso. E nao me chamo Jorge... nem Shirley :-)

Anónimo disse...

Nos jogos da epoca passada que o FCP empatou ou ganhou por um golo, foi a mentalidade Jesualdina.
E nos jogos que marcou 3 ou 4 golos, foi a mentalidade Robsoniana?
Juntando as duas coisas, a equipa da epoca passada devia ter uma mentalidade io-io.
Este Joao inventa cada uma... LOL

Anónimo disse...

Nalguns comentários diz-se que se o VP tivesse saído a meio da(s) época(s) anteriores a pedido dos mesmos "excitados" que agora querem que o PF saia agora, não tinhamos sido campeões nestas 2 épocas. Óbviamente não é argumento - podia o VP ter sido substituido e acabarmos os campeonatos com n pontos de avanço e sem precisar de milagres aos 91-92 minutos. Não é que eu ache que o PF deva saír, mas que lhe deve ser expressado que as coisas não estão a correr bem e que o Porto não é campo para experiências tácticas e para birras na escolha de jogadores. Mas eu acho que o nosso défice de informação é enorme e por isso só podemos dar palpites sobre o que realmente se passa nos bastidores duma equipa para lá dos 90 minutos visíveis. Uma constatação - diz-se que o Iturbe só é bom para contra-ataque: agora é que se adaptava bem ao Porto para os 40 ou 50 minutos em que a equipa resolve dormir atrás por isso nunca devia ter saído ...

Anónimo disse...

Eu nao sei por que razao o Jose, o DC e outras pessoas perdem tempo a discutir com um individuo que escreve barbaridades como "o Defour é um buraco" ou que o Defour foi o "pior do Porto em praticamente todos os jogos oficiais disputados até agora".

José Correia disse...

O que acha das precipitacoes dos adeptos no inicio do reinado VP?

Acho normalíssimo que os adeptos fiquem descontentes e critiquem quando o desempenho da sua equipa é sucessivamente medíocre e/ou fica aquém do que aqueles mesmos jogadores fizeram noutros jogos.
E isto, para mim, aplica-se quer o treinador se chame Vítor Pereira ou Paulo Fonseca.

O que eu acho anormal é que haja adeptos portistas que tenham continuado a criticar, mesmo após a equipa ter evoluído do 1º para o 2º ano do VP, ter consolidado um modelo de jogo e ter atingido patamares de qualidade que até mereceram elogios de jogadores, treinadores e adeptos de... outros clubes!

José Correia disse...

Nao acha que mais vale dar mais tempo em vez de bater no ceguinho - jogamos mal, estamos pior que o ano passado, etc

Se a equipa está a jogar mal, se não se nota evolução (bem pelo contrario) em relação a época passada, se a equipa defende muito pior, etc., o que quer que os adeptos portistas digam?
O contrario do que vêem?

Criticar o que está mal é uma coisa; defender a mudança do treinador a meio da época é outra.

DC disse...

O José, como habitualmente, falou muito bem e o anónimo realmente tem razão. Há coisas que não valem a pena mesmo!

DC disse...

Modric, outro manco...
http://www.ojogo.pt/Futebol/1a_liga/Porto/interior.aspx?content_id=3472828