segunda-feira, 14 de outubro de 2013

O “crime” de ser ex-jogador do FC Porto

«Um grupo de cerca de 15 adeptos do Benfica insultou e humilhou o jogador Nuno Marçal, do Maia Basket, depois da partida desta equipa com o Ovarense, disputada anteontem no pavilhão da Luz. Após disputar as meias-finais do troféu António Pratas, a equipa maiata dirigiu-se ao restaurante Terceiro Anel para jantar e foi confrontada com a presença do grupo.

Dirigiram-se a mim de forma agressiva e disseram-me que eu não podia jantar ali. Depois, um dos adeptos pegou no meu prato de sopa e entornou-mo na cabeça. Ainda consegui desviar-me e apenas fui atingido na orelha e no pescoço”, revelou a A BOLA Nuno Marçal, que não chegou a apresentar queixa.»
in abola.pt


Convém salientar o seguinte:

1º) A Federação Portuguesa de Basquetebol (FPB), dirigida pelo senhor Mário Saldanha, decidiu centralizar a fase final do Troféu António Pratas no pavilhão da Luz (porquê?).

2º) A equipa do Maia Basket, uma das quatro finalistas, foi jantar ao restaurante indicado pela Federação Portuguesa de Basquetebol, situado no estádio da Luz.

3º) Pelos vistos, nem a FPB, nem o clube anfitrião, acautelaram minimamente os aspetos relacionados com a segurança das equipas finalistas, que foram abandonadas à sua sorte.

4º) A equipa do Maia Basket, após os insultos, ameaças e ataque de que foi alvo Nuno Marçal, teve de abandonar o restaurante "Terceiro Anel" e precisou de escolta policial até à A1.

Equipa do Maia Basket a sair do estádio da Luz (fonte: Facebook do MaiaBasket Clube)

5º) O Maia Basket é um clube que esta época vai fazer a sua estreia na Liga Portuguesa de Basquetebol e, que se saiba, nunca houve problemas em jogos anteriores contra o slb.

6º) Estes graves incidentes ocorreram no sábado à noite e, que eu tenha conhecimento, o presidente da FPB, o senhor Mário Saldanha, ainda não se pronunciou publicamente.

7º) Que eu saiba, até este momento, ainda não foi publicado qualquer comunicado ou pedido de desculpas no site oficial do slb.



Depois de já terem atacado, com extrema violência, a equipa de hóquei do FC Porto à saída do pavilhão da Luz; depois de já terem queimado, nas imediações do estádio da Luz, uma camioneta de adeptos do FC Porto; desta vez o alvo do ódio benfiquista foi um jogador de 37 anos, internacional português, cujo único “crime” é ter jogado e sido capitão da equipa do FC Porto.

Deve ser isto a que alguns vândalos chamam, orgulhosamente, ser benfiquista…

19 comentários:

rbn disse...

Já sabemos que o clube das galinhas vai passar impune outra vez, mesmo sabendo que os adversários foram agredidos e insultados por adeptos do clube dentro das instalações do próprio clube.
Ninguém vai ficar "indignado" nem vai fazer 1ªs páginas iguais àquelas da pedra no vidro do carro do orelhudo ou que rui gosma da selva foi "agredido" na Invicta.

Uma coisa que me deixou "indignado " foi a UEFA convidar JJ e CR7 para o comercial CONTRA O RACISMO, e o lobinho da AFL não foi convidado:-)

E nada como uma resposta imediata e à altura para racistas como esta:

https://www.youtube.com/watch?v=j8_UzaFS5wI

Nuno Queiroz disse...

Nuno Marçal foi jogar para o MaiaBasket no ano passado quando o Porto decidiu extinguir o basketball profissional. Sempre foi um grande profissional e deu muito ao F.C.Porto nos anos em que jogou de azul e branco.

Isto que se passou é mais uma vergonha dos adeptos gayvotas que, como de costume, têm mau perder. E nem sequer perderam contra o Maiabasket. Foi contra a fortíssima equipa do Sampaense.

Alguém imagina o que teria aparecido na nossa CS se isto tivesse acontecido nas imediações do Estádio do Dragão? Atenção que isto aconteceu no sábado à noite. Se fosse uma agressão ao Gomes da Silva ou ao Lobo da afl que ninguém viu e nem testemunhas há até abriam os telejornais.

Este é realmente um país que está cada vez mais próximo da ruptura total.

José Correia disse...

"Estávamos a jantar no restaurante designado pela organização e estávamos sentados à mesa, apenas nos tinham servido a sopa e as bebidas, quando fomos interpelados por uma pessoa que nos disse que o Nuno Marçal não podia estar ali. Depois apareceram mais pessoas e despejaram a sopa em cima do Nuno Marçal, causando-lhe queimaduras", contou a O JOGO, Rui Lopes, presidente do Maia Basket.

E prosseguiu. "Ligámos ao senhor Pinto Alberto [vice-presidente da Federação de Basquetebol de Portugal], a única pessoa que nos tentou apoiar, e aguardámos. Ele disse-nos que não estava a encontrar os seguranças do estádio. Ligámos ao 112, chamámos o carro patrulha, não porque tenhamos sido agredidos, mas porque estávamos sozinhos e não sabíamos o que podia vir a acontecer. Às 22h15 deixámos o local e fomos jantar às Caldas da Rainha".

José Correia disse...

O dirigente maiato faz questão de separar as águas e culpa o futebol. "Não queremos guerras com o Benfica. O Benfica não tem culpa que os adeptos tenham este tipo de comportamento. O que pedimos é que nos respeitem e se preocupem connosco. Nós também não somos responsáveis pelo que outros fazem, mas nunca abandonaríamos uma equipa em nossa casa. Vamos fazer uma exposição à federação, Benfica e Associação do Porto", esclareceu.

"O que nos entristece é que isto significa que o futebol se mistura com o basquetebol. Estes não deviam ser adeptos do basquetebol, porque no estádio estava muito pouca gente. Isto são rivalidades entre Benfica e FC Porto e que vêm do futebol", disse ainda.

"Uma palavra ao Nuno Marçal, que é um ícone da modalidade e que não ficou mais pequeno por ter vindo jogar para um clube pequeno. Deu num passo atrás na sua carreira para continuara fazer o que mais gosta. E quero agradecer aos meus jogadores que se portaram como homens, não reagiram às provocações e estiveram solidários com o Nuno Marçal", finalizou.

Mefistófeles disse...

Metem nojo aos porcos... Melhor para o Maia, ao menos jantaram num sítio decente e não numa pocilga. Quanto ao cobarde que despejou a sopa, que lhe cresça um pinheiro no cú, mas ao contrário.
Não é culpa do Benfica ? É sim, senhor. É a isto que o discurso dos alarves que o dirigem leva e é nisto que eles se revêem. Quem semeia ventos, colhe tempestades. Depois não se queixem.

Mário Faria disse...

O dirigente maiato ao envolver o futebol, considerando-o como o móbil da violência dos adeptos, atenuou a responsabilidade do SLB do "crime" que foi cometido. Provável que a rivalidade entre o SLB e o FCP possa ter a ver com o ocorrido, mas é uma especulação que funciona, em concreto, para moderar a queixa que não me parece ser devida a um dirigente maiato, completamente fora dessa rivalidade. Factos, são factos, não é ?

Nuno Fonseca disse...

Lamentável. Eu ja sei que me vão acusar de ser benfiquista ou dragão pombinha, mas não acho que o benfica tenha o dever de pedir desculpas só porque uns imbecis fanáticos se lembram de fazer uma barbaridade destas num restaurante. assim como se fosse um "guna" a atirar uma sopa a um jogador do benfica também o fcporto não se deveria sentir responsável por isso. o caso do apedrajamento do autocarro já é diferente. penso que o clube caseiro deve garantir segurança aos seus visitantes e recriminar estes actos.
Agora o que é importante é recriminar isto aconteça em que clube aconteça e não ter medo de sermos acusados de dragão pombinha.

Pedro disse...

Ou benfiquista, ou pombinha distraida. Seja o que for o seu comentário é desprovido de nexo. O SLB sempre exigiu desculpas públicas do FC Porto ou de outras entidades em situações bem menos graves. Além do mais estes actos são consequência óbvia das declarações de vários dirigentes actuais do clube do regime, que todas as semanas destilam ódio e fazem apelos à violência, e que vivem em total impunidade.

Quando o José Correia falou em desculpas estava a ironizar, porque dum clube de porcos não se pode esperar actos decentes. Nem sequer vão condenar os incidentes, e o porco do Dia Seguinte até vai dizer que não eram benfiquistas e que o Marçal caiu na sopa.

Nuno Queiroz disse...

Claro que tinha de pedir desculpa. O organização do torneio foi entregue pela FPB ao benfas e foram eles que indicaram o restaurante e além disso foi nas próprias instalações do benfas. Têm além do mais de garantir a segurança dos diversos intervenientes.

Vândalos é o que eles são mas gostam de fazer crer que os outros é que têm culpa nunca assumindo as suas responsabilidades. Claro que com o beneplácito das nossas autoridades que deixam que as claques ilegais do benfas continuem a andar por aí à solta. É a justiça da Morgado LFVígaro e outros jagunços como eles.

José Correia disse...

Lembram-se das cenas tristes e lamentáveis protagonizadas por Carlos Lisboa aquando do último FC Porto x benfica?

Pois bem, o Record teve hoje a lata de escrever o seguinte:

«Nuno Marçal esteve nos incidentes do último FC Porto-Benfica
Dois dias depois do incidente ocorrido num dos restaurantes do Estádio da Luz, a envolver Nuno Marçal, Record recorda o episódio que marcou a final do playoff da Liga de basquetebol de 2012, quando o então jogador portista saltou para o terreno de jogo para travar os festejos de Carlos Lisboa, técnico do Benfica.»

Quem não acreditar pode comprovar no seguinte link:
http://www.record.xl.pt/multimedia/videos/interior.aspx?content_id=758542

Pedro disse...

Nuno Fonseca,

Uma coisa é haver ou não responsabilidade objetiva de uma entidade, porque um elemento a esta associado fez alguma asneira. É o caso de um funcionário público criar um prejuízo a um cidadão - nesse caso, e independentemente de culpa ou dolo do funcionário, existe uma responsabilidade objetiva do Estado pelo dano, independentemente da responsabilidade subjetiva (culpa ou dolo do sujeito). Neste caso do Nuno Marçal, talvez não haja responsabilidade objetiva por parte do clube, porque a extensão da sua influência não vai até ao adepto (que não chega a ter um vínculo formal com a Instituição).

Outra coisa completamente diferente é fugir a pedir desculpas, que passa a ser uma barbaridade só própria de quem não sabe viver em sociedade. Até porque um pedido de desculpa não significa formalmente assumir uma responsabilidade de pagar uma indemnização, mas sim um ato declarativo que é simultaneamente um repúdio pelo acontecido e um gesto de solidariedade pelo agredido.

Qualquer pessoa de bem se sentiria no dever de pedir desculpa. E não é preciso ser dragão pombinha para entender isto.

Pedro Carriço

RAM disse...

Um dos nossos capitães foi atacado. Capitão do FC Porto uma vez, Capitão para sempre. Urge uma reacção oficial por parte do FC Porto.

José Correia disse...

Comunicado da Associação de Basquetebol do Porto

Face aos lamentáveis acontecimentos de que foram vítimas o atleta internacional, Nuno Marçal e a equipa do Maia Basket Clube, clube nosso filiado, no final de um jogo relativo à fase final do Torneio António Pratas LPB, organizado e realizado nas instalações desportivas do Sport Lisboa e Benfica, a Direcção da ABP vem expor o seguinte:

1- Estranhar o facto de não estar presente nenhum representante do clube organizador, bem como nenhum elemento da FPB no local onde decorreram os incidentes;

2- Os contornos que levaram um grupo de energúmenos afectos ao clube organizador que cobardemente insultaram e agrediram o atleta internacional, Nuno Marçal e a equipa de que faz parte, o Maia Basket Clube, são de total repúdio e de revolta pela forma como, quer física quer psicologicamente tentaram intimidar todos os elementos daquela comitiva;

3- Tais atitudes, pela forma humilhante e provocatória de que foi vítima o Nuno Marçal e o Maia Basket, são graves de mais para passarem em claro.

Pelas razões invocadas a ABP exige que a FPB abra de imediato um inquérito para apuramento dos factos e para que, uma vez mais, a culpa não morra solteira.

A ABP solidariza-se e louva o comportamento de todos os elementos que constituíam a comitiva do Maia Basket pela postura cívica demonstrada no decorrer dos lamentáveis incidentes.

A Direcção da ABP
- 2013-10-14
http://www.abp.pt/noticiadetalhe.php?id_noticia=1155

José Correia disse...

Quase 48 horas após os graves incidentes ocorridos no estádio da Luz, o slb, a Federação Portuguesa de Basquetebol e o senhor Saldanha continuam em silêncio, a assobiar para o lado, fingindo que nada têm a ver com o assunto.

Maria Lopez disse...

Caro Jose Correia:
Já li o artigo 2 ou 3 vezes e continuo sem perceber onde esta a noticia. Apesar de felizmente a minha area profissional estar longe da comunicação social habituei-me a ouvir dizer que noticia é quando o dono morde o cão. Pois aqui só vejo cães, e muitos, a morderem o homem. Mas sendo mais concreto: na luz um grupo de energúmenso encarnados a agredirem os adversários após um evento desportivo, nada mais normal e comum. Onde esta a noticia?Violencia num desporto onde o treinador dos energúmenos faz manguitos no final dos jogos e incita de forma deliberada a violencia: onde está a noticia. O presidente da Federação com postura pró-benfiquista: coerente com tudo o que tem feito SEMPRE. Continuo a não ver noticia. Ainda nenhuma entidade publica se pronunciou, é obvio não foi no Porto e muito menos no Dragão, normal.

Eu aqui acho que verdadeiramente noticia é o Nuno estar vivo, sem nenhum very light dentro do torax, sem platina no cerebro, e ter chegado de autocarro, que escapou as cinzas.

Já agora, e como adepto do FCP muito me costou na altura, aproveito a ocasião para felicitar a direcção do Porto que com o abandono da modalidade deixou-os a falar sozinhos e retirou qualquer brio as decrépitas e insignificantes vitórias que este clube de corruptos e marginais ainda vai conseguindo, quando não defronta gigantes como o Sampaiense.

Pedro Moreira

Bibiano Baldé Cá Jr. disse...

Mais um episódio triste do desporto português. Só tenho pena que alguns encarnados encarem (supostas) agressões aos deles (Rui Gomes da Silva) como um chamamento de guerra e encarem esta coação sobre o Nuno Marçal com a maior das naturalidades.

José Correia disse...

«O Maia Basket enviou ontem uma carta à Federação (FPB), com conhecimento ao Benfica e à Associação de Basquetebol do Porto (ABP), onde relatou ao pormenor o sucedido sábado à noite, na Luz, depois do encontro das meias-finais do Troféu António Pratas, quando Nuno Marçal foi insultado e agredido por adeptos alegadamente afetos a uma das claques do Benfica, no interior de um restaurante sediado no espaço comercial do estádio. Na missiva, assinada pelo presidente, Rui Lopes, o clube mostra indignação, exigindo um pedido de desculpas do Benfica e da FPB, enquanto entidades organizadoras da prova.»
in record.pt

Jose Silva disse...

Como benfiquista penso que é responsabilidade do SLB pedir desculpa, indemnizar e possivelmente ser responsabilizado por aquilo que os seus adeptos fazem. Tal como referido no post, talvez hajam outras entidades responsáveis que deveriam ter acautelado a segurança, mas o SLB deveria pedir desculpa sem qualquer dúvida.
Como normal, apenas os ofendidos vão "fazer barulho" para não deixar "morrer o assunto" ao passo que os agressores por associação assobiam para o lado e relembram agressões contrárias.

De um ponto de vista mais geral, importa falar na cultura de ódio cultivada pelos presidentes, vices, etc dos três grandes (agora com Bruno de Carvalho nem o SCP escapa).

Não havendo ética e fair-play entre os responsáveis dos clubes a Liga, FPF ou o Min Desporto devia punir severamente as "personagens" que todos conhecemos.
Afinal, o desporto e o futebol não são uma guerra.

A atitude do SLB de assobiar para o lado infelizmente não surpreende e vem na linha da "cultura de fair-play" instalada

Jose Silva disse...

Sem dúvida !!
Infelizmente as galinhas, porcos e lagartos vândalos não passam de animais. E neste país quem devia dar o exemplo e promover o fair-play é o primeiro a fomentar campanhas de ódio.