quarta-feira, 27 de novembro de 2013

O pior FC Porto de sempre


Resultados do FC Porto, nos jogos em casa, na(s) fase(s) de grupos da Liga dos Campeões:

1992/93 (Carlos Alberto Silva): E-D-V, 4 pontos
1993/94 (Tomislav Ivic): V-V-E, 7 pontos
1995/96 (Bobby Robson): V-D-E, 4 pontos
1996/97 (António Oliveira): V-V-E, 7 pontos
1997/98 (António Oliveira): D-E-V, 4 pontos
1998/99 (Fernando Santos): E-V-V, 7 pontos
1999/00, 1ª Fase de grupos (Fernando Santos): V-V-V, 9 pontos
1999/00, 2ª Fase de grupos (Fernando Santos): V-D-E, 4 pontos
2001/02, 1ª Fase de grupos (Octávio Machado): E-V-V, 7 pontos
2001/02, 2ª Fase de grupos (José Mourinho): D-D-V, 3 pontos
2003/04 (José Mourinho): D-V-V, 6 pontos
2004/05 (Víctor Fernández): E-E-V, 5 pontos
2005/06 (Co Adriaanse): D-V-E, 4 pontos
2006/07 (Jesualdo Ferreira): E-V-E, 5 pontos
2007/08 (Jesualdo Ferreira): E-V-V, 7 pontos
2008/09 (Jesualdo Ferreira): V-D-V, 6 pontos
2009/10 (Jesualdo Ferreira): V-V-D, 6 pontos
2011/12 (Vítor Pereira): V-E-E, 5 pontos
2012/13 (Vítor Pereira): V-V-V, 9 pontos
2013/14 (Paulo Fonseca): D-D-E, 1 ponto

Os números mostram que, da época passada para esta, o FC Porto passou do seu melhor para o pior desempenho de sempre, nos jogos disputados em casa para fases de grupos da Liga dos Campeões.

E a única não-derrota no trajeto desta época foi um empate, contra uma equipa estreante na fase de grupos da Liga dos Campeões e que marcou no Estádio do Dragão o seu primeiro golo nos moldes atuais da competição!
Mais. Ao 5º jogo, foi a primeira vez que o Áustria de Viena não perdeu numa deslocação a Portugal.

Austria Viena (O JOGO, 27-11-2013)

Três jogos em casa sem uma única vitória é algo tristemente inédito no historial do FC Porto na Liga dos Campeões e só espero que passem muitos anos até a equipa azul-e-branca voltar a ter um desempenho tão miseravelmente mau.

Nota: Agradeço que se detetarem algum erro nos dados estatísticos que constam deste artigo, o favor de o comunicarem na caixa de comentários.

65 comentários:

DC disse...

"O FC Porto passou do seu melhor para o pior desempenho de sempre, nos jogos disputados em casa para fases de grupos da Liga dos Campeões."

Ou como transformar o temível Dragão onde já ninguém vencia para a Champions desde os tempos de Jesualdo, em apenas mais um estádio qualquer.

Jogadas de casino, a maior parte das vezes dá nisto...

D.Liberal disse...

Até quando é que o treinador vai continuar no cargo? Já cansa ver mau futebol, desorganizado e sem qualquer rumo visível. 1 ponto em 9 em casa. Eis o Porto de Ferreira...

Filipe Sousa disse...

Vai continuar até perder aquilo que ele exibe como prova de um bom trabalho: o primeiro lugar na Liga. E a julgar pelo que se tem visto, vai ser já na próxima jornada. Com sorte, começa em 1º lugar e acaba no 3º.

Tiago Silva disse...

A aliar ao pior Porto de sempre, tivemos ontem a pior assistência de sempre no Dragão para jogos da Liga dos Campeões.
E é desta (triste) forma que este técnico ficará na história do nosso clube.

Pedro disse...

A única defesa que faço a PF é que noutras edições se calhar jogou-se ainda pior e ganhou-se jogos. Na realidade o Porto não mereceu de todo a derrota frente ao Zenit, tão pouco frente ao Atlético.

Mas o azar explica pouca coisa. O falhar golos, o dar meias partes aos adversários é um sintoma. Sintoma de equipa desconcentrada, sem confiança, com medo. Vitor Pereira lidou com o mesmo, e só uma "limpeza" em Janeiro o salvou. Mas essa é a diferença entre ambos. VP tinha um modelo de jogo, uma ideia, e uma atitude corajosa nos jogos. PF dá a impressão de ele próprio ter medo do cargo e medo dos adversários.

Espero estar enganado, mas o tal pedigree... não me parece ter.

Mário Faria disse...

Se chamam a isto crise, o que mais temo é que esta gente habituada a ganhar "fuja" à primeira contrariedade a sério. Temos adeptos de barriga cheia vorazes na ambição e incapazes de saber sofrer nos momentos menos fáceis. Assim é fácil ser Dragão !

Joaquim Lima disse...

Fazer um ponto nos 3 jogos em casa é mau. Mas pior que isso é fazer um ponto em casa e 4 fora! Se a esse ponto conquistado em casa juntássemos 9 pontos conquistados fora, eu não via mal nenhum. Agora no global, sim, é péssimo!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Zé,

Não te incomodes com a pesquisa. Para muitos amigos isto é só estatistica. E a estatistica no futebol, já sabemos, não vale nada.

D.Liberal disse...

Suponho que ser dragão passe também por ter um espírito crítico e olhos na cabeça. É notório e evidente que a equipa joga sem qualquer fio condutor, ideia, sistema ou modelo de jogo. Ser sócio e adepto é também ser crítico e é claríssimo que as coisas não estão bem no Porto desta época...

José Lopes disse...

Jose Correia, que tenha reparado so ha um erro, que e' de somenos. Na segunda fase de grupos de 01/02, o Octavio treinou num dos jogos em casa (derrota contra o Sparta por 0-1).

Mário Faria disse...

Não é preciso estimular a nossa capacidade crítica porque somos bons nisso; na bola infalíveis e muito mais sabedores que os técnicos que por lá habitam, excepto um ou outro que passa pelo direito à bênção por reconhecida sabedoria. Adriaanse, Jesualdo e Vítor Pereira, apesar de campeões, foram fortemente contestados e o último foi tratado abaixo de cão por muitos adeptos portistas. Ser crítico é também abrir portas à compreensão e não decidir pelo caminho único da verdade definitiva expressa numa arrogante opinião.

Leceiro disse...

A aproximação ao Jorge Mendes teve coisas boas (transferências para o Mónaco) e coisas más, ou seja, esta amostra de treinador. É o futebol moderno em todo o seu esplendor.

Leceiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
José Lopes disse...

Precisamente.

José Lopes disse...

Mario, falo por mim. Nao acho que nenhum dos antecessores do Paulo Fonseca de que o Mario falou tenha mostrado a impreparacao, insistencia no erro, falta de capacidade na sistematizacao do jogo e vazio de ideias quando tem de mexer no jogo que o Paulo Fonseca tem demonstrado. Foi um monumental erro de casting. Acontece, mas fica muito mal a quem ajudou a mal-tratar o Vitor Pereira ao dizer que esperava agora ter futebol mais espectacular e gente no estadio (Pinto da Costa dixit).

E nao e' a mim que alguem pode acusar de portismo burgues ou das vitorias. Sei que nao ganhamos sempre, mas sei que devemos saber reconhecer erros quando sao cometidos. E achar-se que se pode formar treinadores num clube com a exigencia do Porto e com o orcamento que tem e' uma ideia de gente sem ligacao com a realidade. Os treinadores tem de ter capacidade minima a partida, que este nao parece ter.

Adriaanse, Jesualdo e Vitor Pereira eram completamente diferentes uns dos outros. Mas todos eles tinham uma ideia de jogo que acabaram por implementar, com maior ou menos sucesso. O actual treinador tem demonstrado opcoes incompreensiveis, descaracterizacao do bom que tinhamos e continua queda no abismo em termos de qualidade de jogo e resultados.

Maria Lopez disse...

Este blog começa a ser um blog de avestruzes. É basicamente frequentado por adeptos que andam com a cabeça debaixo da areia só preocupados com Paulo Fonseca e na sua saída como se isso resolvesse fosse o que fosse. Reina a nostalgia do grande VP ou o mito de Vilas Boas, volto a dizer como se o treinador fosse o principal responsavel. Desejam portanto que Lica, Kelvin, Josué, Ricardo e companhia tenham os mesmos resultados que Hulk, James ou Falcao para falar nos tempos mais recentes ou de Artur, Drulovic, Zahovic ou Jardel se andarmos uns anos para trás. Esperam de Lucho a mesma capacidade e disponibilidade de há 7 ou 8 anos. Prefiro pensar que quem tem esta ambição seja fanático ou demagogo porque senão só me resta a hipotese de que por aqui pouco se percebe de futebol...Mas é dificil fugir a esta tese quando assisti perplexo aos festejos na pre-temporada com tão mediocres contratações e quem pensou em Bernard como algo futil e desnecessário. Outro dia alguém iluminado comparava Hulk com Jackson e eu pensei para mim onde pode chegar a cegueira desportiva. Andam por aqui a crucificar o mediano Paulo e semana após semana discute-se de Alex devia jogar à frente ou atrás, se Varela é bom ou mau, se Licá à esquerda ou à diretia, se Lucho 40 ou 60 minutos, se Defour ou Herrera, se Otamendi ou Maicon...mas será que ninguém percebeu que entre estas opçoes vai dar tudo ao mesmo: mediocridade, péssimas exibições e resultados negativos até ao desastre final. Anda tudo a dormir, onde estão as criticas aos que construiram o plantel mais miseravel de que tenho memória (e já não me falta muito para chegar aos 40...). Onde andam os milhoes ganhos, onde nos vais levar a tatica do empobrecimento, ao mesmo sitio que chegará este país com este governo...Volto a dizer que nos ultimos dois anos valeu-nos Jesus mas tinhamos Moutinho, Hulk e James...Este ano nem as prendas de Jesus nos vão valer. Só pergunto poque se discute tanto PF e se continua a manter intocavel Antero Henriques (por exemplo....). Quero recordar que se aproxima a decisão mais importante do clube nos ultimos 30 anos: a sucessão do unico e irrepetivel Pinto da Costa, corremos o risco de cair no buraco. Esqueçam PF que o homem sendo mau (como VP aliás) é também vitima (como seremos todos) de uma gestão desportiva danosa...
Cumprimentos,

Pedro Moreira

Hélder disse...

Quanto mais tarde for adiado o caso Fonseca, pior, para o FC Porto, sob pena de hipotecar qualquer êxito desportivo esta época, com efeitos nefastos financeiramente, e desportivamente por vários anos.

José Rodrigues disse...

Já agora, o estatuto de cabeça-de-serie no sorteio da LC já foi à vida...

Neste momento já vamos em 10o lugar e o mais provável é acabar a época para aí em 13o lugar no ranking.

Daniel Gonçalves disse...

Compreendo, e respeito, a tolerância no desaire e o cepticismo do Mário Faria face a esta onda de indignação e aos gritos de mudança. Viveu a travessia do deserto do FC Porto pré-1977, e encara com desconfiança – fundamentada - mudanças bruscas e a possível instabilidade daí decorrente, que eram a regra nessa altura, quando o célebre Tribunal das Antas sancionava treinadores arbitrariamente... ninguém quer voltar a esses tempos. No entanto a posição do FC Porto, no panorama futebolístico nacional e internacional, mudou e face ao descalabro estratégico e psicológico da equipa actual cabe perguntar: as coisas vão melhorar? Na minha humilde opinião - e espero estar enganado - não, portanto prolongar um estado de agonia e descalabro só piora a situação. A Administração tem o poder de decisão e sabe se valerá a pena dar o benefício da dúvida à actual equipa técnica, acreditando na possível melhoria. O que eu quero é que o FC Porto triunfe, seja com o Paulo Fonseca, com o Jesualdo, com o Mourinho, com o Vítor Pereira ou com qualquer outro.

Considero ainda que o problema não é só do treinador, temos um plantel recheado de egos esperando a altura adequada para dar um salto para outros campeonatos, podendo criar um ambiente pouco saudável no balneário que Paulo Fonseca, face à sua pouca experiência numa exigência deste nível, ainda não domina. Precisávamos de um treinador veterano, capaz e habituado a lidar com um plantel heterogéneo e saber, se necessário, ser autoritário e "cara de pau". Também existem outros jogadores que precisam de ser potenciados e que se estão a perder com esta situação. Mas parece-me que Pinto da Costa com o pós-Co Adrianse adquiriu - ou agravou - uma certa desconfiança e suspeição face a treinadores estrangeiros, e não vejo treinadores portugueses disponíveis, dentro do perfil que tracei, com capacidade para treinar a equipa do FC Porto, portanto a «haver mudança» corremos o risco de piorar a situação se apostarmos novamente num jovem treinador sem antecedentes de alto nível e exigências elevadas.

littbarski disse...

Estes números (pela metade) já interessam, DC? Já não é uma burrice analisar futebol com base nos resultados apenas, sem falar em todas as particularidades do jogo em si? Já não se está a comparar o incomparável? Que surpresa...

littbarski disse...

Os números todos, como devem ser mostrados:
1992/1993 5 pontos (vitória = 2 pontos)
1993/1994 7 pontos (vitória = 2 pontos)
1995/1996 7 pontos
1996/1997 16 pontos
1997/1998 4 pontos (último lugar do grupo)
1999/2000 12 pontos; 10 pontos
2001/2002 10 pontos; 4 pontos
2003/2004 11 pontos
2004/2005 8 pontos
2005/2006 5 pontos (último lugar do grupo)
2006/2007 11 pontos
2007/2008 11 pontos
2008/2009 12 pontos
2009/2010 12 pontos
2011/2012 8 pontos
2012/2013 13 pontos
2013/2014 5 pontos (um jogo por disputar)

Querem dizer que Paulo Fonseca é o pior treinador da história do clube, estejam à vontade. Mas não o façam contando apenas metade da história...

José Correia disse...

Os números todos, como devem ser mostrados (...)

Esta é boa. Era só o que faltava que fosse o "littbarski" a definir como eu posso ou não posso mostrar os números.

Os números que eu mostrei são falsos?

Por acaso é ilegitimo mostrar os números do desempenho do FC Porto em casa nos jogos da fase de grupos da LC?

Por acaso são pouco habituais as estatísticas de, por exemplo, a invencibilidade caseira das equipas, quer no campeonato, quer nas competições europeias?

José Correia disse...

Querem dizer que Paulo Fonseca é o pior treinador da história do clube (...)

Não. Eu digo o que quero e não aquilo que o "littbarski" quer que eu diga.

Para já, o que os números mostram, é que o FC Porto treinado por Paulo Fonseca teve o pior desempenho de sempre nos jogos em casa da fase de grupos da Liga dos Campeões.

José Correia disse...

Não considero provável, mas é possível que, mesmo treinado por Paulo Fonseca, o FC Porto, com um pouco de sorte nos sorteios, vá longe na... Liga Europa.

littbarski disse...

Os números não são falsos e o José Correia pode mostrá-los bem entender, como é evidente. Mas eu acho que é facilmente perceptível onde é que o José Correia quer chegar, mostrando apenas metade. Basta ler o título...

littbarski disse...

Eu quero que o José Correia continue a dizer aquilo que bem entender. Se me permitir continuar a dizer aquilo que entendo, muito bem, senão vou pregar para outra freguesia, sem nenhum problema.

Para já, o que os números (todos) mostram é que este não é o pior Porto de sempre (ao contrário do que diz o título).

José Correia disse...

Basta ler o título...

Eu se fosse a si, não lia apenas os títulos.
Aliás, se o "littbarski" tivesse tido o cuidado de ler o texto sem preconceitos e ideias pré-definidas, teria lido, em TRÊS partes diferentes do artigo, que os números apresentados se referiam aos jogos disputados em casa para fases de grupos da Liga dos Campeões.

Eu vou tentar arranjar títulos mais ao gosto do "littbarski", mas olhe que, para isso, também é preciso que o desempenho da equipa ajude.

DC disse...

Fica difícil dialogar com quem tem tanta dificuldade em raciocinar ou entender.
O que eu lhe disse é que o futebol não deve ser analisado apenas pelos números.
E se eu, desde os 3 pontos de Viena que venho criticando o PF, acho que provei que critico bem mais do que os números.

Mas já estava à espera que, para variar, com a sua cegueira ou incapacidade para pensar habitual, viesse com bocas foleiras.

E o que o Dragão era, eram bem mais do que números. Era confiança, era mística, era reputação. Mas é algo que não estou à espera que compreenda. Já sei que da sua parte nunca obterei respostas construtivas ou bem intencionadas.

Daniel Gonçalves disse...

José Lopes disse às 18:12: "mas fica muito mal a quem ajudou a mal-tratar o Vitor Pereira ao dizer que esperava agora ter futebol mais espectacular e gente no estadio (Pinto da Costa dixit)." Não percebo a sua analogia ou comparação, não era desejável - a haver mudança - que esta fosse para melhor? Não existia o direito da Administração de considerar que era possível - sendo que existem sempre opiniões subjectivas e diferentes sobre o que é melhor - melhorar o futebol praticado? Os humanos não erram? Existe alguém humano que saiba a verdade por inteiro ou possua um conhecimento absoluto? Pinto da Costa maltratou, ou ajudou a maltratar, Vítor Pereira????? A única coisa que fica mal a Pinto da Costa foi o facto de ter errado na escolha de um treinador - seja ele Paulo Fonseca ou outro qualquer - não fica mal pelo facto de no processo de escolha de um treinador ter, sem intenção ou indirectamente, ter “atingindo”, ou sido indiferente, face a terceiros. Mas nós estamos aqui pelo FC Porto ou em prol de determinada personalidade? Apoiamos e somos adeptos do FC Porto ou adeptos do FC Jesualdo, do FC Paulo Fonseca, do FC Vítor Pereira, do Mourinho FC ou outro clube do género?
Sim, até agora Paulo Fonseca revelou-se um fiasco, e a Administração - ou SAD conforme queiram designar - não terá efectuado uma análise consistente e racional sobre um possível substituto de Vítor Pereira. Se nós soubéssemos de antemão que iríamos piorar, obviamente que era preferível manter Vítor Pereira, mas existia o direito e a opinião fundamentada que era possível melhorar, examinando a situação actual só se falhou na escolha da equipa técnica para o efeito, assim como se falhou na composição do plantel.

José Correia disse...

o que os números (todos) mostram...

A análise aos números todos far-se-á, naturalmente, após a 6ª e última jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões e aí veremos em que posição do "ranking dos números todos" vai ficar este FC Porto de Paulo Fonseca.

O FC Porto da época passada, treinado por Vítor Pereira, tão atacado pelo "littbarski" (e não só), ocupa o 2º lugar desse "ranking dos números todos". Nada mau...

littbarski disse...

«O FC Porto da época passada, treinado por Vítor Pereira, tão atacado pelo "littbarski" (e não só), ocupa o 2º lugar desse "ranking dos números todos". Nada mau...»

Exactamente. Agora já viu que, se analisássemos apenas a primeira época de Vítor Pereira, não poderíamos chegar a essa conclusão? Já pensou a que conclusão chegaríamos, se, por exemplo, analisássemos apenas os jogos fora? E depois comparássemos os resultados com os de Paulo Fonseca?

É por isso que eu prefiro os números todos.

Mas, por favor, continue a dizer exactamente aquilo que pensa. Aliás, uma das coisas que me agrada neste blogue, e por isso cá venho, é a possibilidade de ler (e rebater) opiniões diversas.

José Correia disse...

eu prefiro os números todos

Diz que prefere os números todos, mas estarei enganado se disser que o "littbarski" fez parte dos adeptos portistas que, por exemplo, desvalorizaram os números todos do último campeonato: 30 J, 24 V, 6 E, 0 D, 78 pontos

littbarski disse...

Está. Eu não desvalorizo esses números. Mas olho também para os outros.

Daniel Gonçalves disse...

José Correia, não desvalorizo - nem sou indiferente a eles - os números todos do último campeonato, que referiu no comentário às 23:54, mas também não me deixo iludir por esses números. O nosso rival só teve a derrota no Dragão com o golo de Kelvin. E considero que, face ao elevado desnível - de orçamento, de valia de jogadores - que existe entre o FC Porto - e também o slb -, e as restantes equipas da Liga é muito mais fácil ser campeão sem derrotas agora do que seria possível nos anos 70, 80 ou 90. Em 1984/85 na 1ª temporada de Artur Jorge só tivemos 3 empates e 1 derrota no Bessa, logo no início do campeonato, abordamos mal o jogo e tivemos algum azar no decurso do mesmo, porque estávamos no início da temporada, e com a saída de Sousa e Jaime Pacheco, e as entradas de André, Quim e Futre a equipa ainda estava a adquirir uma coerência e ritmo próprio, tivesse esse jogo ocorrido mais para a frente e terminaríamos o campeonato sem derrotas. Em 1987/88 com Tomislav Ivic, num campeonato com 20 equipas, portanto mais desgastante do que o actual também só tivemos 1 derrota, já perto do final do campeonato, em Alvalade, e porque fomos intencionalmente prejudicados pela arbitragem (lembro-me de um penalty evidente sobre o Rui Barros) de forma permitir ao sporting alcançar o 4º lugar e consequentemente os lugares europeus. Em qualquer destes casos era muitos mais difícil, do que agora, ser campeão sem derrotas, havia mais competitividade na Liga.

Convêm contextualizar os números que o José Correia refere, porque analisados em abstracto e sem os inserir no ambiente próprio em que ocorreram podem dar lugar a diferentes interpretações.

Luís Vieira disse...

O catastrofismo impera como filosofia reinante no seio dos portistas. Factos: não temos jogado particularmente bem; o desempenho caseiro na LC é decepcionante; não é natural haver 4 empates consecutivos no FCP. Pausa para respirar. Mais factos: vencemos a Supertaça; estamos em 1º lugar no campeonato, sem derrotas; ultrapassámos 2 eliminatórias da Taça de Portugal; partimos para a última jornada da LC com hipóteses de nos apurarmos para os oitavos. Tudo somado, embora não seja deslumbrante, não é certamente horrível, por isso são incompreensíveis os apelos à demissão do Paulo Fonseca. Calma!

Hugo disse...

Esse plantel miserável não chega para vencer o Áustria Viena?

Hugo disse...

É bom não esquecer que o Porto provavelmente vai ser um dos piores terceiros classificados e como tal não ser cabeça de série...

littbarski disse...

Mas qual boca foleira? Eu apenas confirmei, sem surpresa, que aquilo que verdadeiramente lhe desagrada não é análise dos resultados por si só (como é feita neste post), mas sim os números que são desfavoráveis a Vítor Pereira. Os outros, como os que falam da magnífica derrota em 60 jogos para o campeonato, não só lhe agradam, como os repete.

A mística e a reputação do Dragão não impedem equipas como o Man. United, o Real Madrid e o Bayern de vir cá ganhar, quando precisam. Ou até mesmo equipas como o Sevilha, o D. Kiev, o Panathinaikos ou o Artmedia.

Mas não se preocupe, que a mística e a reputação continuam cá. Ou isso é coisa que se perca da noite para o dia? A mística do Old Trafford foi-se quando o City foi lá enfiar 6? A reputação do Camp Nou desapareceu no dia em que o Bayern lá enfiou 3? Olhe, acha que o Chelsea de Mourinho deixou de ser uma equipa temível, porque perdeu dois jogos com o Basileia (que é daquelas equipas chatas, que não quer saber da mística e da reputação dos adversários para nada), um deles no Stamford Bridge?

O Porto fez (ou está a fazer, porque ainda não acabou) uma má época na Champions. Não é a primeira vez, não há-de ser a última. Mas não é preciso transformá-la naquilo que não é.

PS - Da próxima vez que me dirigir a si vou tentar não lhe chamar estúpido, mentiroso, desonesto, fanático, entre outras coisas "construtivas" e "bem intencionadas" que o DC utiliza com regularidade nos seus comentários.

Tiago Stuve Figueiredo disse...

Caro José Correia,

É verdade que a qualidade do plantel não é de outro mundo. Não é um plantel de foras de série, mas tem de chegar para os Nacionais e Belenenses desta vida. Temos plantel mais do que suficiente para ganhar facilmente a todas as equipas tirando Braga, SCP e Benfica. Desculpas de que o plantel não chega para as outras da nossa liga e para os austrias de viena desta europa, só servem para passar paninhos quentes na incompetencia até agora demonstrada pelo Paulo "Ferreira".

Já agora, viu ontem a equipa B?

Viu as exibições de Tozé, Kelvin e PRINCIPALMENTE do Carlos Eduardo?
Se a estes juntarmos o Ghilas, vemos que nenhum deles tem oportunidades a sério para pelo menos sabermos o que valem, pelo que acho engraçado virem dizer que o plantel é assim tão fraquinho...Acho mesmo que se derem oportunidades ao Kelvin e Ghilas nas alas e PRINCIPALMENTE ao Carlos Eduardo no meio, que eles não saem tão cedo dos 14/15 mais utilizados...

Cumprimentos

Nuno Queiroz disse...

Este Porto de Paulo Fonseca é fraquinho e não acho que seja por falta de jogadores (embora não seja o melhor plantel) porque para ganhar ao Austria, Belenenses ou Nacional este plantel chega e sobra. Penso que PF está completamente perdido nas tácticas e disparates que engendrou que já não me parece possível sair. Só vi, nos últimos 20 anos (talvez 30) três épocas assim tão más: primeiro com Quinito que foi substituido por Artur Jorge, depois com Octávio suubstituido por Mourinho e finalmente com Victor Fernandez (q já tinha substituido Del Neri) substituido por Couceiro. Em qualquer uma destas 3 épocas (juntando a segunda passagem de Ivic embora não tão má) o futebol praticado era absolutamente deplorável e a partir de determinada altura havia uma incapacidade total do treinador de mudar fosse o que fosse que a sua saída foi inevitável.

Aquilo que vejo no Porto, neste momento, é um treinador que não sabe o que fazer com os jogadores que tem ao seu dispor (e recuso-me a aceitar que Defour, Herrera, Licá, Ricardo, Josué entre outros não tenham mais qualidade do que mostram) e não é capaz de os galvanizar e trabalhar psicologicamente. Além disso, revela uma enorme inconsistência táctica e ainda tem o "azar" de ver os defesas a cometerem erros primários e estes darem golo.

Pinto da Costa aparentemente cometeu um erro com a contratação de PF (e não me falem em VP) mas dificilmente tomará uma atitude antes de as coisas estarem quase irremediavelmente perdidas. Mas é bom que os adeptos tenham a perfeita consciência que~o problema não é só do treinador. Há alguma falta de liderança de Antero que se nota ainda mais quando a liderança do treinador é fraca. Não aceito que os jogadores andem permanentemente a dizer que querem sair ou que pensam dar o salto. Noutros tempos, um blackout já tinha resolvido todos estes problemas. Uma palavra para os adeptos portistas que têm acompanhado a equipa e que têm tido uma enorme paciência porque noutra altura, a jogar-se como se tem jogado, já teriam ouvido das boas e não era só no fim do jogo como foi na terça-feira.

Nuno Queiroz disse...

Mas quando se continua aqui a falar em Vitor Pereira esquecem-se de dizer que foi o próprio VP que não quis renovar. É certo que Pinto da Costa não teria o maior interesse mas elo menos ninguém desmentiu que tenha havido conversações para renovar e que optou antes por ir para um sítio onde o futebol é primário mas onde os milhões são muitos. Aliás, tal como outros que fugiram com medo de não atingirem novamente o sucesso VP sabia que iria perder jogadores importantes e portanto estaria ainda mais sujeito às críticas.

O Porto precisa de alguém que não tenha medo de arriscar e de ser feliz.

Tiago Pinto disse...

Este conjunto de maus resultados em casa leva-nos a repensar sobre um outro problema, que grande pressão que os adeptos colocam em cima da equipa. Acredito que atualmente qualquer jogador está altamente inibido de arriscar o que quer que seja. Há adeptos que são uma vergonha. Um jogador falha um passe e estão logo com o assobio! E não venham com as tretas de que são profissionais e que têm de saber lidar com isso. Chega a um ponto que não dá... Com exceção das claques, os "exigentes" adeptos do clube, ou estão calados ou assobiam. Para isso mais vale ficarem em casa!

Pyrokokus disse...

Eu não peço para demitir o PF, só peço para demitir com justa causa quem o contratou.

DC disse...

"Eu apenas confirmei, sem surpresa, que aquilo que verdadeiramente lhe desagrada não é análise dos resultados por si só (como é feita neste post), mas sim os números que são desfavoráveis a Vítor Pereira."

Alguém me sabe dizer como colocar desenhos aqui nos comentários?
É que depois de 300 comentários a tentar explicar coisas óbvias ao Littbarski e constantemente ter que levar com respostas deste nível eu já não acredito que consiga ir lá com palavras.
Para finalizar, porque estou farto de falar para as paredes, só lhe vou dizer que trabalho todos os dias com estatística, que se calhar tenho mais experiência no ramo do que você e que essa experiência sempre me disse uma coisa: que a estatística vale zero se não se perceber qual é o problema.
E não volto a responder-lhe a comentários a bater na mesma tecla como estes.

littbarski disse...

É isso, dedique-se a fazer desenhos, porque com palavras, de facto, nem as paredes engana.

Pedro disse...

Amigo DC, não adianta. Quem não foi com a cara de VP, há-de sempre arranjar-lhe defeitos. Eu já nem discuto contra quem, em circunstância alguma, poderá ver alguma qualidade em VP. Nem mesmo se hipoteticamente ganhar um monte de coisas, haverá sempre uma ou outra causa à qual atribuir o mérito de forma a sustentar a tese inicial de que o treinador não presta.

Para mim, essa discussão já deu. Até porque para mim quem ainda vai buscar ao pote das recordações coisas do VP para justificar os problemas de PF é porque tem um problema pessoal com o anterior técnico. E como presumo que ninguém aqui o conheça pessoalmente, acho que só por fanatismo. E discutir com fanáticos não é coisa que se recomende.

Sobre o PF ... não sei o que diga. Tenho pena de não lhe ver um modelo que funcione. Não sei tudo o que se passa, não sei se existem problemas que não transparecem cá para fora, mas obviamente desconfio que o grande problema seja a falta de competência do técnico, até porque não teremos os egos inchados que tínhamos na ressaca da saída de AVB. Tenho pena porque queria muito que PF tivesse sucesso, em primeiro lugar porque sou portista e em segundo porque, sem sombra de ironia, até simpatizava com o homem.

Pedro disse...

Eu não sei exatamente o que é que faz a equipa estar pior, como também não sei o que fez o primeiro trimestre de trabalho do VP ser fraco. O facto é que foi, e apesar de ter feito um trabalho excepcional depois de 3 meses iniciais complicados, VP não teve um milímetro de confiança da parte daqueles que o criticaram desde a primeira hora.

Se hipoteticamente o PF conseguir equilibrar a equipa, e fazer com este novo modelo tático, uma equipa competente com bom futebol e resultados, na mesma vamos ter uns descontentes que não vão dar uma segunda chance ao homem. E sempre vão achar que ele não presta. A verdade é que a competência de um técnico raramente se vê desde a primeira hora, mas a impressão junto de quem o avalia vem logo.

E eu, neste momento, tenho convicção que a escolha de PF foi um erro, mas também tenho que admitir que é preciso alguma margem de manobra e algum tempo, por muito que custe ver a equipa longe daquilo que gosto. Até porque o erro pode ser meu na análise e o técnico pode ser bem melhor do que julgo. Se não damos uma margem de confiança andamos sempre nisto - um técnico começa, patina até que começa a dar resultados, e quando está com um modelo em condições é trocado. E da mesma forma que acho que VP foi mal dispensado (sinceramente não acredito na tese de que ele saiu por vontade própria e com grande desgosto para os dirigentes do FCP) também acho que agora é tempo de dar algum benefício de dúvida ao atual, até porque não existem técnicos que garantem o sucesso ao virar de cada esquina.

Unknown disse...

Já ouvi o Presidente Pinto da Costa dizer que o Vitor Pereira preferiu ir ganhar mais dinheiro na Arábia a renovar com o Porto. Agora volto a ver comentários aqui na mesma onda. Por acaso é algum mal alguém emigrar e procurar melhores condições económicas para si e para a família? O Presidente andou mal, como andam aqueles que vem criticar o Vitor Pereira. VP cumpriu o contrato de dois anos com o Porto e no fim tinha toda a liberdade de renovar ou não renovar, tal como o Clube que com igual liberdade já renovou, e outras vezes não renovou, com outros treinadores. Quem é profissional como o Presidente da SAD do Porto não lhe fica bem criticar quem também é profissional por procurar melhorar a sua vida. Por fim, Vitor Pereira deu-nos alegrias, tristezas também , mas agora a sua relação profissional com o FCP é passado.Só lhe desejo muitas felicidades no estrangeiro, até porque é portista com nós.
Saudações portistas.

José Lopes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
José Lopes disse...

Foi sem duvida uma forma deselegante de sair por cima da situacao e prevenir eventuais saudosismos dos adeptos em relacao ao Vitor Pereira se as coisas corressem mal com o novo treinador.

José Lopes disse...

Tiago, utilizar o Carlos Eduardo e o Ghilas regularmente e' impraticavel com este treinador, porque para ele so existe um modelo possivel, que e' com um avancado e por isso o Ghilas nao calca a nao ser em desespero. Como nao e' agil tacticamente, tambem nao pondera usar o Ghilas mais aberto. O mesmo em relacao ao Carlos Eduardo, que so calcara a substituir o Lucho, porque do ridiculo duplo pivot nao nos livraremos, nunca jogaremos em 4-4-2 losango ate para acomodar o Quintero e o Lucho nao perdera o lugar.

Quanto ao Kelvin, o que se lhe fez no inicio da epoca foi uma vergonha independentemente do caso Izmaylov.

José Lopes disse...

Daniel, claro que existia o direito a mudar, nao pus isso em causa, nao disse que o Vitor Pereira nao devia ter saido ou coisa do genero. So acho que o comentario do Pinto da Costa era desnecessario por estar a falar de um treinador acabado de ser bicampeao. Fora isso, pareceu-me tambem que foi comentario de quem quis dizer aquilo que sabia que os adeptos queriam ouvir, nada mais.

Todos tem direito a errar, nao pus isso em causa.

José Lopes disse...

Isto e' tudo muito bonito, mas leiam o que disse o Paulo Fonseca na conferencia de imprensa de hoje e esquecam mudancas na equipa. Para ele e' so um problema de finalizacao, nos e' que somos todos umas histericas.

Daniel Gonçalves disse...

José Lopes 18:48,

Não ouvi essas palavras do Presidente, que Pinto da Costa as tenha dito podemos encará-las como uma forma de agradar, e motivar, os adeptos que procuravam um futebol mais brilhante. Haverá pessoas que consideram essa postura um acto de demagogia. Mas a questão é que o seu anterior comentário, ontem às 18:12, deixava no ar a ideia que Pinto da Costa proferiu essas palavras com a intenção deliberada - e oculta - de atingir Vítor Pereira, ora não acredito que o Presidente seja capaz de capaz de tal acto desonroso e pouco honesto para com o anterior treinador, não condiz com a personalidade de Jorge Nuno Pinto da Costa, se aconteceu foi sem intenção e inconscientemente. Mas também convêm ter presente na mente que Pinto da Costa está ali para defender o FC Porto e não a personalidade X, Y ou Z.

Cumprimentos.

Bluesky disse...

Quando se tem um Fiat 500 avariado, suspira-se por um Fiat Uno em 3ª mão...
Ou seja quem desespera com Paulo Fonseca, sonha com o regresso de Vitor Pereira...

José Correia disse...

... face ao elevado desnível - de orçamento, de valia de jogadores - que existe entre o FC Porto - e também o slb -, e as restantes equipas da Liga é muito mais fácil ser campeão sem derrotas agora ...

Seguindo este raciocínio, o Daniel Gonçalves tem a forte expectativa que o FC Porto termine o actual campeonato sem derrotas, certo?

José Correia disse...

Caro Tiago Stuve Figueiredo, penso que o seu comentário não devia ser dirigido a mim.

José Correia disse...

quando se continua aqui a falar em Vitor Pereira esquecem-se de dizer que foi o próprio VP que não quis renovar

Caro Nuno Queiroz, já lhe respondi a isto mais do que uma vez.

Segundo sei (de fonte fidedigna) o Vítor Pereira ganhava no FC Porto cerca de 1/10 do que ganha Jorge Jesus no slb.
E, depois de ganhar dois campeonatos em confronto directo com JJ, tinha a legitima expectativa de ver o seu contrato significativamente melhorado.

Tivesse Pinto da Costa interesse na renovação de VP e feito uma proposta de renovação séria e no timing adequado e não tenho dúvidas de que Vítor Pereira teria aceite.

José Lopes disse...

Nao acho que tenha sido deliberadamente para atingir Vitor Pereira. Agora, que indirectamente atingiu ja e' outra questao...

Abraco.

DC disse...

Pois Pedro, o meu problema é o mesmo. É que não confio, de todo, neste técnico e me preocupa não ver melhorias.
Oxalá me engane, pelo menos, no que penso que será o desfecho deste campeonato. Porque a Champions já era...

DC disse...

Mais uma vez fiquei muito preocupado com as palavras dele. Principalmente com a treta da "equipa quase perfeita".
Eu vejo muitos problemas no actual Porto e nenhum é de finalização.

Daniel Gonçalves disse...

Caro José Correia, 22:19 "o Daniel Gonçalves tem a forte expectativa que o FC Porto termine o actual campeonato sem derrotas, certo?"

o meu desejo é que o FC Porto seja campeão - se possível só com vitórias - seja com que estatística for, se houver derrotas ou empates, desde que não contrariem o objectivo principal de ganhar o campeonato, aceito.

Analisando os últimos jogos na Liga, pergunta-me se possuo a expectativa de terminar o campeonato sem derrotas? Não, vejo essa expectativa a desvanecer-se pois basta apanharmos uma equipa mais matreira - tipo Braga - e corremos o risco de ter um grave dissabor, já nem falo nos jogos na Luz ou em Alvalade, que a jogar desta forma serão possíveis e expectáveis derrotas.
Uma equipa que vá longe na Europa, corre o risco de acusar mais desgaste tendo de poupar jogadores fulcrais nos jogos da Liga portuguesa, e pode dar-se ao luxo - se alcançar uma vantagem pontual confortável face ao 2º classificado - de encarar certos jogos mais relaxados podendo ser surpreendido e levar com uma derrota. Aconteceu com Mourinho, caso contrário teríamos sido campeões invictos em 2004.

Cumprimentos.

Amorim disse...

Nós, os Portistas, somos um pouco profetas da desgraça.. Quando perdemos dizemos logo que o Pinto da Costa está velho ou que a SAD só quer dinheiro ou que os jogadores não jogam... Enfim... T
Quantos de nós, há duas épocas com o VP, após a derrota com a académica vaticinamos que as vitorias do FCP tinham acabado? Afinal o nosso presidente, mais uma vez, revelou-se o dono da razão!
Acho que nem preciso recordar a epoca passada.. Dito isto e sendo eu um dos profetas continuo a confiar no nosso presidente e nas decisões dele.. Em tantos anos provou-nos que a opinião dele é a acertada!
Muitas vezes dizem-me que não há ninguém insubstituível e eu contraponho "Menos o Pinto da Costa".. Leiam as reflexões do ano passado entre Março/Abril e tiram as conclusões.
Recordo que foi a derrota de 1984 contra a Juventos que nos permitiu todas as conquistas europeias posteriores.. Estamos a atravessar um ciclo apenas e só isso!




Nuno Queiroz disse...

Caro José Correia, não entendo as coisas assim. Foi dito por VP que preferiu ir para um sítio onde tinha muito menos pressão sobre ele e depreendi também pelas suas palavras que não estava com muita vontade de renovar até porque ele sabia que estava longe de ser consensual quer entre os adeptos quer entre os dirigentes. E se foi por dinheiro, então é pouco diferente do outro que andava sempre a dizer que estava na cadeira de sonho e mal lhe acenaram com as notas foi a correr.

Não sei os valores da proposta de renovação que foram apresentados a VP nem os timings reais mas a verdade é que até à 27ª jornada e depois do péssimo jogo em Málaga seguido do jogo na Madeira se percebeu que a continuidade de VP seria tudo menos pacífica. Aliás, quantos treinadores ficaram mais de 2 anos no Porto e com que resultados?
Defendi a saída de VP como defendi a saída de Ivic em 88 depois de ter ganho campeonato, taça, supertaça europeia e intercontinental porque não se via capacidade de melhorar mas nem sempre as coisas correm pelo melhor. Mas as decisões são do presidente e da restante SAD e eles é que terão de respoder por elas. Esta é apenas a minha opinião e eu agradeço a VP mas tb acho que ele ficar não seria a melhor solução.

Uma coisa eu já aprendi em mais de 45 anos a ver futebol: os treinadores são como os melões; só depois de experimentar é que se sabe se são bons.

bruno cláudio disse...

se o helton nao tivesse metido dois franguitos contra o atletico em casa, provavelmente a historia da champions esta epoca teria sido outra. e se um atrasado de um mexicano (que tapa o lugar a um portugues criado no clube, que anda emprestado na turquia) nao tivesse sido expulso no inicio do jogo contra o zenit, talvez já estivessemos apurados.
e para jogarmos a champions e querer ir longe necessitamos um guarda redes de champions, uma defesa de nivel (nao com otamendis e dois laterais brasucas inuteis), meio campo com força, inteligencia e pulmao (apenas o fernando nao chega), avançados que marquem, caso o jackson ande a pensar em presentes de natal de outros campeonatos, e obviamente, um treinador.

este jogo contra uma das piores equipas desta champions, tinha sido perfeito para dar minutos a outros jogadores com mais vontade, empenho e garra, porque nota-se muita preguiça nesta equipa.

e umas bolitas aos postes tambem ajudam a lixar apuramentos, diga-se!