sábado, 2 de novembro de 2013

"Tivemos bons momentos"

Belenenses x FC Porto (fonte: LUSA)

"Fomos ineficazes no último terço, mas também houve mérito do Belenenses a defender. Penso, no entanto, que temos de realçar a entrega, a forma como os jogadores deram tudo em campo, como pensaram, jogando de forma inteligente. (...)
Um jogo num relvado difícil para circular a bola. Mesmo assim, tivemos bons momentos de futebol, assumindo sempre o jogo. Contudo, não conseguimos ser incisivos. Tivemos oportunidades para marcar, mas não o conseguimos fazer. (...)
A equipa do Belenenses jogou com as linhas bastante baixas, mas tivemos bons períodos na primeira parte. Mas com o empate, logo depois do nosso golo, iriam baixar de novo as linhas. Na segunda parte podíamos e devíamos ter sido mais incisivos."
Paulo Fonseca, em declarações a SportTv, no flash interview após o Belenenses x FC Porto


A equipa do FC Porto jogou de forma inteligente?!
A equipa do FC Porto teve bons períodos na primeira parte?!!
Decididamente, eu e o Paulo Fonseca não vimos o mesmo jogo.

De positivo, este jogo teve o seguinte:
( _________________________________ )
E valeu-nos o São Helton, mais uma vez esta época, o qual, aos 83', fez uma extraordinária defesa e evitou que o FC Porto saísse derrotado do Restelo.

Desde um ritmo de jogo a passo, passando pelos inúmeros passes errados de Herrera, até ao inacreditável disparate de Mangala em deixar passar a bola para o jogador do Belenenses marcar, foi tudo tão mau, que até custa fazer um post sobre este Belenenses x FC Porto.
E o Paulo Fonseca vem dizer que os jogadores deram tudo em campo?

Se os jogadores deram tudo em campo então, se calhar, é mesmo preciso arranjar um treinador que consiga tirar deste plantel de muitos milhões mais um "bocadinho" do que aquilo que o ex-treinador do Paços de Ferreira tem sabido tirar.

«É de destacar ainda o facto de Ricardo se ter estreado como titular na Liga, conseguindo uma boa exibição e arrancado vários “raides” na direita do ataque.»
in www.fcporto.pt (cronica do Belenenses x FC Porto)

De facto, juntamente com Danilo, Ricardo estava a ser dos melhores (ou menos maus).
Talvez por isso, para não destoar dos outros, foi o primeiro a ser substituído (aos 61'), para dar lugar ao inconsequente Licá.

E por falar em substituições, Paulo Fonseca parece ter o fetiche de fazer uma substituição nos últimos 5 minutos de cada jogo. Desta vez o "felizardo" foi o Carlos Eduardo, por troca com o inexistente Lucho (peço desculpa pelo sacrilégio de criticar El comandante) e, nos poucos minutos que esteve em campo, ainda tentou despertar a equipa do marasmo em que estava mergulhada, mas era tarde demais.

A frase de Paulo Fonseca que escolhi para titulo deste post, faz-me lembrar aquilo que alguns casais dizem quando o seu casamento termina e há uma separação amigável: “Tivemos bons momentos...”
Veremos se é uma frase premonitória.

30 comentários:

DC disse...

Nada de novo, ainda não o vi a criticar uma única vez o que a equipa faz em campo. Vê sempre alguma coisa boa.

Enfim, neste momento só tenho um adjectivo para este treinador: miserável!

E, se tomasse as decisões a quente, diria que o trocava por qualquer outro da 1ª liga. Mais a frio se calhar não era por qualquer um mas só por uns 5 ou 6.

Deixar sair VP para contratar este traste vai ficar na história do Porto como uma das decisões mais trágicas de sempre.

António Teixeira disse...

Caro DC,

Apesar das nossas conversas anteriores, o tempo dá-te razão...

Cumprimentos,
António Teixeira

Tiago Silva disse...

Trascrevo um post que escrevi após o jogo com o Sporting: "Vou falar agora para depois não dizerem que jogar no Totobola à segunda feira é fácil: este Porto, neste modelo de jogo de Paulo Fonseca (futebol de transições, vertical, pouco apoiado, com linhas mais recuadas e sem pressão zonal), vai ser afastado da Liga dos Campeões, vai perder jogos para o campeonato e vai, seguramente, perder mais do dobro dos pontos que perdeu no ano passado. Ouço criticarem muito o jogador A, o jogador B, mas o problema está no modelo de jogo. Não há apoios ao portador da bola, não há posse de bola com qualidade, não há pressão alta nem ligação entre sectores."
Hoje foi apenas mais do mesmo. Em 4 meses este falhado conseguiu destruir tudo de bom que havia sido construido.

Miguel Magalhães disse...

Por norma dou sempre o benefício da dúvida ao treinador e apoio-o até ao fim. Mas desde o tempo do Octávio Machado que não me sentia tão incomodado com o treinador que temos, que não me sentia incapaz de dizer algo para o defender, que não me sentia com tanta dificuldade em lhe dar o beneficio da dúvida, enfim que não conseguia ver alguma coisa de positivo naquilo que a equipa faz ou naquilo que o treinador diz ou faz.
O meio campo com dois médios defensivos (pelo menos com estes) não funciona, os laterais, especialmente o Danilo, metem quase sempre para o meio, os alas jogam desapoiados e flectem invarialmente para o meio, o Lucho tenta uns fogachos, o Jackson anda perdido e os centrais sempre desatentos e desamparados (para não falar do Danilo que não pressiona os cruzamentos e está sempre a dormir nas bolas altas). Com isto vemos uma equipa desorganizada, sem linhas de passe, sem largura nem profundidade de jogo, sem ideias e com inumeras falhas defensivas. Conforme se escreveu aqui num artigo há uns dias - ganhamos muitas vezes porque temos melhores jogadores que os outros, apenas isso.
E por fim, detesto o discurso do treinador que parece sempre que viu um jogo que eu não vi.
(um jogador que joga na posição do Herrera onde a maior parte dos passes que faz são curtos tem uma percentagem de passes errados de 50%? ponham os rapaz a acertar passes numa baliza de hóquei em patins antes de o meterem a titular do Porto...)

José Lopes disse...

Quanto ao futebol da equipa, ja muito se disse e eu proprio comentei outros jogos e nao ha melhoria nenhuma. O que nos tem valido no campeonato e' a valia individual dos jogadores, coisa que o treinados tem feito por dizimar com este modelo de jogo lastimavel e leitura tardia, errada e medrosa. Seja como for, algo vai muito mal quando um dos menos maus foi o Ricardo, sendo substituido pelo Lica, que com todo o respeito pelo seu portismo e abnegacao, nunca teve nivel para estar no Porto. Seja como for, sei muito bem que o problema maior esta no banco.

Pedro ramos disse...

Estamos em Novembro e a equipa continua sem um modelo de jogo !!!

A juntar a esse facto o sistema táctico defendido por PF é um 4-2-4 (com 2 alas bem abertos e Lucho como 2º avançado) e que o meio-campo é uma inutilidade (PF pensa que o Porto nao precisa de meio-campo), ou seja jogamos com 4 jogadores que atacam, 5 que defendem e 1 que supostamente deveria fazer as 2 coisas mas que nao faz nenhuma.

Ficou claro de uma semana para a outra que sao os jogadores que têm ganho os jogos, e que PF faz parte do problema e nao da soluçao.

Infelizmente acredito que será inevitável a mudança de treinador por altura do Natal, e nao o digo antes porque nao acredito na troca enquanto continuarmos em 1º .

José Correia disse...

Declarações de José Mourinho, após a derrota (0-2) da sua equipa, este sábado, em St. James Park:

"Não gostei da minha equipa hoje e merecemos perder, é tão simples como isto. Acho que eles [Newcastle] estiveram sempre mais em jogo do que nós, estiveram mais empenhados, lutaram mais e penso que não fizemos o suficiente para ganhar. (...)
Não fomos suficientemente astutos, não fomos intensos. Não fomos rápidos com a bola, não fomos tão agressivos como era necessário".

Louro disse...

Tem sido mau demais.
Frente ao sporting tivemos a sorte do jogo , mas hoje foi mais uma vergonha!
Este treinador para mim era mau, agora é pessimo!
Mas que equipa á deriva é esta?
Quando o menos mau do Porto foi o Danilo, está tudo dito!
E colocar o Carlos Eduardo a 3 mns do fim (outra vez) foi para quê?
Perante mais um miserável jogo, dizer que tivemos bons momentos ,é gozar com os adeptos.
Pois bem ,com este treinador não ponho mais os pés no Dragão e, ou muito me engano ou vamos já de vela nos próximos dois jogos (Liga dos Campeões e Taça de Portugal)!

rbn disse...

Como no post anterior, repito que este nosso mister é lento de raciocinio, lê mal o jogo e é muito mais lento que uma tartaruga de muletas a fazer substituições.

Eu pensei que após o jogo com o ex-porting as coisas iam mudar, mas continua tudo na mesma:
muita lentidão,
muita displicencia,
muita falta de garra,
muita falta de concentração,
muita falta de "à Porto".

E mais não digo, estou mesmo furioso com a falta de atitude à Porto de toda a gente, a começar pelo mister...

Não vou caçar bruxas, mas Alex Sandro anda com uma soberba e uma pose de primadona que me irritam desde o início da época.Não sei o que se passa com Fucile, mas pelo que anda a jogar na seleção uruguaia, devia ser titular indiscutível na esquerda do FCP e mandava o primadona aquecer o banco de suplentes durante uns tempos.

Muitas vezes escrevi aqui e na bluegosfera sobre DESPACHAR A BOLA ao invés de tentar SAIR JOGANDO BONITO, e também sobre GOLOS FORTUITOS QUE CUSTAM PONTOS, no único remate do adversário à nossa baliza.

Pois bem, se após um arremesso lateral a nosso favor ao lado da nossa área, a defesa tivesse dado um bico pra frente ao invés de tentar sair jogando bonito onde havia um mar azul de adversários, Herrera não tinha perdido a bola em lugar proibido e nem Mangala tinha feito a fífia da época.

Ao acabar de ver o jogo do ex-porting 3 x 2 guardanapo da madeira, onde a equipa da casa a perder 1 x 2,
CAIU EM CIMA,
SUFOCOU,
CORREU O DOBRO,
METEU PONTA-DE-LANÇA AOS 65 MINUTOS,
MUDOU DE 4-3-3 PARA 4-2-4,
PARTIU PRA CIMA COM GANAS DE VIRAR O PLACAR,
descobri mais 2 coisas que faltam neste FCP versão PF:
FALTA ALEGRIA(é muito cinzento demais, o FCP é AZUL vivo)
E FALTA O DEDO DO TREINADOR!

4ª feira tem Hulk outra vez...

meirelesportuense disse...

Concordo com a maior parte dos comentários.Mais uma vez o Porto entrou convencido que as coisas iam definir-se mais tarde ou mais cedo e o tempo foi passando até ao esgotamento total.Tenho defendido alguma contenção nas criticas ao Paulo Fonseca, mas custa ver argumentar que " a equipa até nem esteve mal" quando vemos erros sucessivos praticados por todos -mas todos- os elementos da equipa.Danilo sobe mais ou menos e não defende em condições -vê os adversários passar-, Otamendi faz cagada atrás de cagada e hoje nem o Mangala conseguiu escapar ao disparate, o único que esteve mais ou menos bem foi o Alex Sandro e ainda assim nada de especial...Na linha média ficou perfeitamente claro que o Fernando joga melhoir só que -mal- acompanhado.Herrera entristece porque parece ter vindo do Biafra e até mete dó olhar para o rosto dele apenas com alguns minutos de jogo...Na frente Lucho perde-se no confronto com um Jackson completamente adormecido...Licá, Varela e Ricardo apanharam por tabela.Lá bem atrás o Helton faz coisas boas, excelentes até e merdas impensáveis...Estou F.......!!!!!
Desculpem.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Além do mais, neste jogo em concreto, o Paulo Fonseca por dar graças aos seus a um fora-de-jogo muito mal marcado ao Belenenses mesmo no fim do jogo que daria um um contra um com o Helton. Era preciso metê-la, claro, mas tinha sido um golpe muito, muito duro.

Que faça juz à sorte que o acompanhou e a transforme em algo mais que onze espantalhos atrás de uma bola!

Bernardino Moreira disse...

E fui eu ao Restelo, porque a vida não dá para ver o FCP na Luz ou em Alvalade, e sai-me uma merda destas...

Ponham o Mangala a correr à frente do autocarro até ao Porto a ver se ele atina...

Daniel Gonçalves disse...

Estamos muito mal, e não acredito em melhorias nos próximos jogos, mas espero estar enganado. O fascínio, por parte da Administração do FC Porto, por treinadores jovens - mas inexperientes - que se julga serem uns «predestinados» pode dar nisto, já tinha contecido com Quinito.

Franco Baresi disse...

Efectivamente, depois do Oliveira II, temos o Quinito II. Espero não termos de passar pelo Octávio II.

Nelson Barbosa disse...

A esperança começa a desvanecer-se. É inacreditável o número de passes falhados. É incrivel a quantidade de erros individuais. A um jogo em que parece começar a vislumbrar-se uma luz ao fundo do túnel, sucede outro absolutamente miserável. Tenho imensa saudade do Vitor Pereira.

Rui Anjos (Dragaopentacampeao) disse...

Mais uma péssima exibição, coroada com a perda de dois preciosos pontos, do mal o menos!

É inadmissível, nesta altura, que a equipa ainda não consiga ser consistente,demolidora e eficaz. Estamos a falar de um plantel dos mais caros da Liga, carago!

Este treinador não me convence e começo a ficar farto de tanta irresponsabilidade nas declarações depois dos jogos.

Fica realmente difícil acreditar nesta equipa.

Um abraço

Hélder disse...

Pinto da Costa, terá falhado redondamente, na contratação do treinador. Era Marco Ferreira. Ponto.

Bluesky disse...

Essa do Paulo Fonseca ser o nosso novo Quinito tem direitos de autor....
Mas agora falando sério e a frio, este FC PORTO só tem um adjetivo que se transforma em objetivo passivo: TRISTE!!!!

Fernando Costa disse...

Para mim que acompanho o nosso Porto no estrangeiro não estou a acreditar nada neste treinador. Penso que a Administração deve tomar uma posição caso o Porto não vença o Zenith.

Luís Negroni disse...

VP? Não é aquele rapaz que empatou, em casa, com um tal de Apoel qualquer coisa e com um Zenit sem Hulk e com o Porto a jogar com 11 o jogo todo? E que perdeu, outra vez em casa, com o M. City, logo a seguir eliminado pelos calimeros? E que levou 4 secos em Manchester, do mesmo City? E que levou só 3 em S. Petersburgo, por mera sorte, já que podia perfeitamente ter levado meia dúzia ou mais? E que se deixou perder, em Nicósia, em 2 minutos, depois de ter empatado aos 90? E que sofreu a bom sofrer para ganhar pela margem mínima, em casa, a um Shaktar Donetsk reduzido a 9? E que foi atirado para fora da taça de portugal, de forma humilhante, numa derrota por 0-3 frente à "fortíssima" Académica de Coimbra, num jogo em que o resultado até foi melhor que a exibição? Não, não deve ser este traste, para utilizar a linguagem lamentável doutros, deve ser outro VP qualquer, grande treinador, que eu desconheço.

PS Este VP de que falei, já por mais de uma vez, em entrevista, disse preto no branco, que foi ele que NÃO QUIS RENOVAR COM O FCP. E até disse, que será difícil um dia voltar ao Porto, porque os responsáveis portistas ficaram (naturalmente) desagradados com a sua recusa de renovação do contrato de treinador. Mas há portistas que continuam com a lenga lenga do "deixar sair VP"! Já chega de fazer tábua rasa da realidade, o homem está farto de dizer que foi ele que não quis continuar, irra.

DC disse...

Sim, esse VP. Aquele que foi bi-campeão só com 1 derrota em 60 jogos mas que infelizmente teve que levar com adeptos como você que o fizeram dizer que estava farto de ser incomodado no Porto e de que o tratassem mal.

O homem não está farto de dizer nada disso, talvez você tenha bastantes dificuldades de interpretação tal como pelos vistos tinha em analisar o futebol da equipa.

Você merece o Paulo Fonseca! Infelizmente eu e outros como eu também temos que levar com ele apesar de sempre termos dito que era um erro não renovar com VP.

José Lopes disse...

Pois, ja aqui disse que me parecia que se tinham enganado ainda a epoca estava a comecar, mas houve quem dissesse que nem pensar, porque o Paulo Fonseca fez melhor com plantel mais fraco, etc. Inteligentes, na certa. Como se a valia do treinador nao se avaliasse tambem pela forma como poe a equipa a jogar, leitura de jogo modelos alternativos, prestacao contra equipas mais fortes, etc. O Marco Silva parece-me melhor em tudo. Ja aqui disse e repito. Os jogos do Pacos no Dragao e na Luz (sobretudo) na epoca passada deixaram-me apreensivo em relacao ao Paulo Fonseca. Equipa pouca agressiva, pouco compacta, muito estendida pelo campo. No fundo, o que se ve agora.

Fora tambem o facto de fazer um brilharete com o Pacos e' bom, sim, mas e' um clube estavel, tinha um plantel equilibrado e foi num ano de Sporting miseravel e Braga mediano.

Luís Negroni disse...

O Paulo Fonseca (que cada jogo que passa me desilude mais, tenho de admitir), fez melhor que o VP no campeonato: Tem zero derrotas, que é melhor que uma derrota.
Para argumentação falaciosa (pôr no mesmo saco 3 meses e duas épocas, em relação a títulos) contra-argumentação igualmente falaciosa. Há que esperar para ver, não pôr o carro à frente dos bois, ninguém diria nos primeiros meses de VP, que ele iria chegar ao fim de duas épocas só com uma derrota no campeonato, nem o VPereirista mais pintado. Quem sabe se não irá suceder o mesmo, ou muito parecido, com PF? Só Deus (que nem existe) sabe.

Luís Negroni disse...

Já tinha acontecido com Quinito mas também com Artur Jorge, Mourinho e Vilas-Boas, treinadores jovens e inexperientes, que ganharam tudo o que havia para ganhar a nível nacional e internacional. Sem esses treinadores jovens e inexperientes, o palmarés europeu do Porto era Zero. Essa argumentação de jovens e inexperientes já parece a do Bronco de Carvalho em relação à velhice de Pinto da Costa. Aliás, é só olhar para a história do futebol europeu, para se ver a quantidade enorme de treinadores jovens e inexperientes que ganharam títulos internacionais.

Daniel Gonçalves disse...

Caro Luís Negroni, (às 18:24)

O seu apontamento faz sentido, mas eu não generalizei, não disse que «todos» os jovens treinadores vão ser flops ou revelarem-se uns génios, pode dar para os dois lados. Mas falando nos nomes que o Luís referiu convêm distinguir o passado de cada um deles: Artur Jorge foi adjunto de Pedroto, bebeu da experiência dele e herdou, em 1984, uma equipa já estruturada e estável, a que a entrada de Futre - e depois Madjer - trouxeram magia. Mourinho bebeu da experiência de Robson, Van Gaal e, indirectamente de Cruiyf, quando trabalhou em Barcelona, esteve num balneário cheio de ambição e grandes egos, essa experiência foi determinante no seu futuro como treinador, transmitiu-lhe um saber e uma ambição que nunca teria adquirido se trabalhasse unicamente num clube português do meio da tabela. Villas Boas adquiriu conhecimento com Robson, com Mourinho em Londres e Milão, vivendo em clubes cheios de ambição e saber acumulado através do tempo, compare o percurso de qualquer um destes nomes com o de Paulo Fonseca que nunca teve a experiência - mesmo que indirecta - de lidar com balneários cheios de vedetas em clubes que lutam para serem os melhores na Europa e no Mundo e não apenas para se manterem na I divisão portuguesa ou para chegar a um lugar europeu. Uma grande diferença de percurso que ajuda a explicar toda uma diferença de atitude e mentalidade. Podemos especular que se Mourinho não tivesse acompanhado Robson, para Barcelona, provavelmente hoje estaria a treinar clubes secundários em Portugal ou nem sequer seria treinador principal, mas sim psicólogo ou tradutor numa equipa técnica qualquer.

Daniel Gonçalves disse...

Luís Negroni às 18:24 disse "é só olhar para a história do futebol europeu, para se ver a quantidade enorme de treinadores jovens e inexperientes que ganharam títulos internacionais..."

Ninguém veio do nada, acrescentemos que é muito diferente um jovem treinador, de outro país europeu, que luta para chegar a um clube europeu de topo ou que "cresce" interiormente nesse clube e que portanto adquire toda uma mentalidade ambiciosa e um ego combativo, de um treinador português habituado a clubes portugueses do meio da tabela com a única ambição de manter-se na 1ª divisão, ou a subir da 2ª para a 1ª divisão. Para dar alguns exemplos: Cruiyf cresceu no seio da ambição e das vitórias do Ajax e da “Laranja Mecânica”, que moldaram para sempre a sua estratégia e táctica enquanto treinador; Guardiola cresceu no seio da uma enorme ambição europeia do Barça tendo como timoneiro Cruiyf, toda a experiência e saber de Guardiola derivam desse «background»; Ancelotti viveu no seio das vitórias europeias do AC Milan – foi um dos esteios da equipa - de Arrigo Sachi e adquiriu para sempre uma mentalidade ambiciosa e vencedora que ajudam a explicar o seu percurso posterior enquanto treinador; Alex Fergusson foi um dos obreiros do Aberdeen que venceu uma prova europeia e ganhou títulos escoceses destronando os poderosos rivais Gasglow Rangers e Celtic, quando chegou a Manchester foi encarregue de recuperar um passado glorioso. Compare o passado de qualquer um destes nomes – ou outros do mesmo nível - onde adquiriram uma enorme ambição e saber, com o percurso pessoal de Paulo Fonseca ou de qualquer outro jovem treinador português actual. Compare ainda o primeiro discurso, dos nomes que eu mencionei, enquanto treinadores com o primeiro discurso de Paulo Fonseca mal chegou ao FC Porto. Nem é preciso irmos ao estrangeiro buscar exemplos, compare com o primeiro discurso de Mourinho quando tomou posse como treinador do FC Porto.
Um discurso desresponsabilizador - atirando a culpa para factores alheios a si próprio – como Paulo Fonseca usou para explicar o mau resultado de ontem pode ser sinal de falta de ambição ou, na melhor hipótese, da falta de experiência em lidar com ela.

Numa mera hipótese teórica um jovem treinador para se tornar ambicioso ou vencedor, num grande clube, pode dispensar toda uma experiência, ou passado, a lidar com a ambição e a vontade de vencer colmatando essa falha baseando-se apenas na sua vontade e num saber e conhecimento adquirido pelo próprio nas suas vivências, mas são casos raros.

DC disse...

Fez? Vamos esperar pelos jogos na Luz, em Braga e em Alvalade.
Não me faça rir. Sabe o que é uma derrota em 60 jogos? Tem noção da brutalidade disso?

Quem sabe? Quem tiver 2 olhos e olhar para esta equipa e para a que apresentava o VP.

Tinhamos um modelo estável, uma equipa fantástica, segura, que sabia o que fazia em campo, que dominava todos os jogos sem excepção. Quiseram mudar, dizem que foi uma boa decisão terminar o ciclo VP. Agora aguentem(os).

Não renovar com um treinador bicampeão, onde já se viu? Não foi em gestões competentes certamente.

LC disse...

VP OU PF???
É como perguntar "Prefere morrer queimado ou afogado?"

Pés-Juntos disse...

Bem, temos o Prof. Jesualdo a pôr-se a jeito ou há sempre um estrangeiro disponível (Mano Menezes?)...

O que eu não percebo é esta conversa de despedir um treinador que leva a equipa em primeiro na Liga, ainda tem o apuramento para a Champions em aberto e tem apenas 4 meses de casa.

Se Sir Alex Ferguson viesse AGORA treinar o Porto - ele que demorou 8 anos para ganhar o seu primeiro troféu - tinha as malas aviadas em Janeiro.

Mais, um simples levantamento estatístico feito pelo editor de futebol do Guardian - Barry Glendenning - mostra que na Premier League Novembro é o mês onde mais treinadores são despedidos (exceto no defeso), mas o mais interessante é que a grande maioria dos clubes em que a "chicotada" acontece não melhoram com os novos treinadores, acabando inclusive por muito frequentemente descer de divisão.

Eu mantenho-me "on the fence" em relação ao Paulo Fonseca. Só no fim de Dezembro - após a fase de grupos da Champions - é que terei uma opinião, mas em todo o caso acho que no FC Porto o treinador tem que ter a chance de liderar a equipa durante toda uma época e só então ser feita a avaliação ao seu trabalho.

Franco Baresi disse...

O seu a seu dono! Quando li o seu comentário (já não sei quando) racionalizei um "dejá-vu" meio inconsciente que tinha.