quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Vitórias morais...

A BOLA, 06-11-2013

Viram a espectacular vitória moral do slb no jogo de ontem contra o Olympiakos, esse "colosso europeu" que, há um mês e meio atrás, foi goleado (1-4) em casa pelo PSG e que tem como titular (e um dos seus melhores jogadores) o nosso bem conhecido Leandro Salino?

Pois bem, eu não quero vitórias morais (nem que seja a jogar com 10).

O JOGO, 23-10-2013

Quero vitórias reais.
Deixem as vitórias morais para os benfiquistas e para o Jorge Jesus, esse grande especialista em... vitórias morais.

6 comentários:

Joao Goncalves disse...

Este ano as equipas portuguesas estão tão boas na Europa que a imprensa joga-se ao que tem. Foi ontem com o Benfica e tem sido connosco...

DC disse...

100% de acordo. Aliás como eu referi no final do jogo com o Zenit. Perder em casa e dizer que jogamos bem? Sintomático do estado em que estamos.
Hoje nem que seja por meio a zero com um golo com a mão em fora-de-jogo o que se quer são 3 pontos.

Sacaio disse...

Pode ser que logo não nos tenhas de fazer um texto igual...

Nuno Queiroz disse...

Hoje só interessa ganhar. Até podemos levar 10 bolas nos postes e oHelton fazer uma exibição enorme, só temos uma hipótese: GANHAR!

Se não ganharmos ficamos fora da Champions como os gayvotas que foi uma pequenina coisa que a CS se esqueceu de mencionar. E nós, tal como eles, só temos de ganhar para não corrermos o risco de nem sequer ir à Liga Europa.

Para nós, se perdermos, é mais um fracasso mas para eles é ainda pior quando têm a final no galinheiro deles.

Só há uma solução para hoje: VENCER!

Jorge disse...

Fiquei impressionado com a condição física do Benfica. Aliás, ontem, como na final da Liga Europa contra o Chelsea, eles correram que se fartavam e passavam pelos adversários como se fossem de mota. A pressão que vários jogadores do slb faziam sobre o adversário era tremenda. Tal como contra o Chelsea, quem vê um jogo daqueles não tem como não dizer que o resultado não traduz o que se passou em campo.
Mas aquilo que verdadeiramente me baralha é como é que se consegue aquela condição física?
Como é que, de repente, 11 jogadores de uma equipa correm 3 vezes mais que os outros 11 da equipa contrária?
E como é que esse futebol avassalador não se traduz depois em golos e apenas em precipitações em frente à baliza?
Talvez a resposta esteja em algumas declarações como esta:

http://1.bp.blogspot.com/-9_ZS1Oe06i8/UXl7m1m4h1I/AAAAAAAAIAM/de71oO6jFBQ/s1600/5852_IMG_0160_JPG-550x0.jpg

Os caminhos enviesados do doping em Portugal e na Europa são difíceis de mapear.

Mário Faria disse...

Se :
O Helton dá o frango da ordem nos momentos mais críticos ;
O Danilo é demasiado caro para o que vale;
O Otamendi regressou ao seu pior registo de 2011 ou por aí ;
O Mangala desaprendeu ;
O Alex tem a mania que é vedeta ;
O Fernando sai mal a jogar com a bola ;
O Defour é uma anedota ;
O Lucho está muito desgastado ;
O Josué é jeitoso mas para o Paços;
O Martinez só pensa no próximo destino;
O Varela é ridículo ;
O Herrera não vale um chavo ;
O Licá é tenrinho, tenrinho ;
O Quintero é o único que é bom e está out ;
O Treinador vale zero,
Como poderemos ousar vencer lá fora ?